Traduza este blog

terça-feira, 30 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão




“Mas evita os falatórios profanos, porque produzirão maior impiedade. E a palavra desses roerá como gangrena; entre os quais são Himeneu e Fileto; Os quais se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição era já feita, e perverteram a fé de alguns.” (II Timóteo 2:16-18)

Amado(a),

Além de manejar bem a palavra de Deus e procurar apresentar-se a Deus como obreiro que não tem do que se envergonhar, apresentando-se a Deus aprovados, devemos também seguir outras ordens de Deus para evitar problemas diários em nossas vidas.
Devemos evitar os falatórios inúteis, que não servem para nada, pelo contrário provocam duvida, divisão, contenda e podem desvirtuar a imagem de Jesus. As coisas profanas violam a santidade, desvirtuam a fé alheia com doutrinas estranhas ao evangelho de nosso Senhor Cristo. Tais palavras são como a gangrena. E gangrena é morte de tecido em uma parte do corpo, tendo como procedimento curativo a amputação da área gangrenada. Não podemos nos contaminar por palavras que trazem morte porque se formos atingidos pela sua ação, seremos cortados da figueira, extirpados do corpo de Cristo para que também não contaminemos aos outros. Então, neste trecho da Bíblia, são mencionados Himeneu e Fileto que se comportavam como falsos mestres na época ensinando heresias, doutrinas contrárias ao sacrifício de Jesus como de fato aconteceu, induzindo à negando da ressurreição do corpo de Jesus, afirmando apenas que o ressurreição espiritual.
A verdade é única, Jesus veio em carne e morreu pelos nossos pecados, ressuscitando ao terceiro dia, não se achando o seu corpo em seu túmulo porque Ele foi ressuscitado.
Então, devemos cuidar com o que falamos e para quem falamos, para que não sejamos usados para desviar muitos da fé. Também não devemos andar com tais pessoas para não sermos contaminados.
Estamos no tempo do fim, quando a verdade de Deus é atacada todos os dias para se transformar em uma mensagem filosófica que pode ser combatida.
Dependemos plenamente da verdade que Jesus nos apresenta para termos salvação em nossas vidas e a levarmos a todos que estiverem próximos a nós.


Deus lhe abençoe!

“Mostra-me um sinal para bem, para que o vejam aqueles que me odeiam, e se confundam; porque tu, SENHOR, me ajudaste e me consolaste.”(Salmos 86:17)




Amado(a), Davi pede neste salmo que o Senhor incline os Seus ouvidos e lhe responda, pois está aflito e necessitado. Davi, o mesmo que, confiante, venceu o gigante Golias, neste momento está se sentindo frágil e precisando de um sinal de Deus para vencer nova batalha.
Davi sabe que "do Senhor vem a vitória" não se esquece de nenhum dos Seus benefícios, mas pede um sinal que confirme o favor de Deus e a direção segura de como agir, quando agir, até que ponto agir. Isso significa que, mesmo na condição de rei não quer fazer nada na sua própria força, mas sim na força do Altíssimo o Senhor dos Exércitos, aquele que tudo pode.
Nós também, limitados que somos, carecemos do favor de Deus e precisamos conhecer os Seus sinais para andarmos no caminho certo e fazermos escolhas corretas. Mas a grande questão é: como saber se o sinal é de Deus e como interpretar corretamente esse sinal, para adotar a direção certa, no momento certo?
Antes de tudo, temos que nos certificar se o que desejamos é correto, se está de acordo com os princípios da Palavra de Deus, e se os objetivos resultarão em glória para o nome do Senhor. Davi, certo do conforto de Deus, pede a Ele que lhe conceda a força necessária para que o vejam e se envergonhem os que o aborrecem. Quando tomamos consciência de nossa pequenez e de que dependemos de Deus, passamos a ter algumas atitudes bem diferentes daquilo que é preconizado e divulgado pelo e passamos a nos guiar pela fé e pelos confiança no que o Senhor diz na Bíblia Sagrada, e não mais pela razão ou pela nossos desejos e paixões.
Todos os dias temos que tomar decisões e não podemos nos omitir. Decidir é limitar. Fazer uma coisa significa deixar de fazer outra. Tomar uma posição nos faz deixar de lado outras opções, por isso devemos antes orar a pedindo o discernimento. Devemos colocar em prática a oração: orar para que Deus entre em ação a nosso favor. É pela oração e na oração que o Senhor nos mostra o sinal. Pela oração temos o entendimento necessário para compreender a palavra de Deus. Ela abre nossa mente e nos clareia o entendimento para compreendermos a verdadeira vontade de Deus e a forma correta de conduzirmos nossas vidas.
Graça e Paz!

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão



“Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” (II Timóteo 2:15)


Amado(a),

Temos de tentar todos os dias estar diante de Deus aprovados, fazendo jus ao nome de Cristo que carregamos quando nos intitulamos cristãos. Aqueles que são aprovados passam por situações nas quais são testados e conseguem passar de fase. Os que não conseguem passar necessitam repetir a prova até que passem para a próxima etapa. É como estudar em um colégio e após ser ensinado sobre as matérias ofertadas pela escola, tenhamos de passar pelas provas bimestrais até que ao final de ano sejamos aprovados para o ano seguinte, caso contrário repetiremos o ano. Além disso, é necessário ser um obreiro, um trabalhador na grande seara de nosso Pai que não se envergonha de fazer parte da obra de Deus e nem muito menos que fica embaraçado por algo indigno que cometa.
O conselho é conhecer bem a palavra do nosso Senhor, praticando-a de forma eficiente e eficaz. Ser hábil neste manejo nos dará grandes vitórias na vida diária, uma vez que a Palavra de Deus é considerada lâmpada para nossos pés e luz para os nossos caminhos, além de ser a espada que nos defende nas nossas guerras pessoais, parte fundamental da armadura que devemos usar para resistir no dia mal.

Deus lhe abençoe!

“Ensina-me, SENHOR, o teu caminho, e andarei na tua verdade; une o meu coração ao temor do teu nome.”(Salmos 86:11)



Amado(a), nada é mais precioso do que andar nos caminhos do Senhor. E para isso é preciso conhecer a Sua palavra, pois nela está a Sua verdade. A única que nos levará ao caminho da salvação eterna e de uma vida reta aos olhos do Pai. Quando o salmista pede ao Senhor para unir seu coração ao Dele, o que ele faz é reconhecer que, quando estamos cientes da vontade de Deus, por ler e meditar nas Suas palavras, deixamos de lado o caminho das trevas, que muitas vezes vem revestido de glamour, de ilusões e de seduções. Aprendemos a discernir o que é de Deus e o que é do maligno, e assim, seguimos o caminho reto. O temor do Senhor é nossa carta de conduta e nos habilita a viver uma vida plena. Mas muitos são confundidos nesse mundo em caminhos que desviam a verdade e se perdem por aí. No entanto, se pedirmos a Deus discernimento e se tivermos a firme convicção do que queremos, Ele nos dará a luz do Espírito. Só assim será fácil reconhecermos as ciladas do inimigo para nossas almas.
Observe aqueles que vivem a palavra. Veja como estão suas vidas, seus negócios, sua conduta diante dos homens. Um justo, mesmo incompreendido, é facilmente reconhecido pela forma como age tanto na presença de Deus, quanto na vida secular. Ele obedece e testemunha bênçãos constantes. O nome do Senhor não é usado em vão e até mesmo os ímpios o respeitam.
Quem anda nos caminhos de Deus não age com intempestividade, não muda o curso de sua vida sem uma direção orientada pelas Escrituras. Não desiste de seus objetivos.e, principalmente, não paga o mal com o mal. Antes busca a bênção para os seus opressores. E assim acumula bênçãos dos céus e testemunha o evangelho sem envergonhar a Igreja do Senhor Jesus. Como corpo, vive em comunhão, como servo não desiste da obra e se regozija com a salvação daqueles a quem tem colocado no altar do Senhor.
Amado(a), onde estão seus pés neste momento? Você tem buscado aprender de Deus os Seus caminhos? Tem lido, crido e vivido a Sua palavra? Ou tem sido mais um a envergonhar o evangelho de Cristo, fazendo a vontade de satanás?
Graça e Paz!

domingo, 28 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão




“Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração.” (I Coríntios 3:3)


Amado(a),

Uma carta é um instrumento que contém informações que podem ser públicas ou privadas, podem ser boas ou ruins, pode trazer sorrisos, paz, proximidade de alguém que esta longe. Pode trazer um pedido, dar uma ordem, trazer noticias, ser um tipo de carta de apresentação. Nós somos cartas de Cristo, cujas letras não são escritas por tinta, mas pelo Espírito de Deus que é vivo. Portanto, devemos levar notícias de Deus aos que estão longe Dele, devemos trazer exortação dirigida pelo Espírito de Deus aos que necessitam de correção, devemos trazer em nossas vidas a Boa Nova, a notícia mais importante do Universo que foi a entrega de Jesus para salvar a humanidade de seu erro. Devemos ter as letras escritas em nossos corações para que nossa vida seja dirigida por tais letras. Devemos agir conforme o Espírito que escreve em nós a mensagem a ser dita. Nossos lábios devem proferir apenas o que a carta escrita pelo Pai diz, nossas ações devem ser realizadas conforme a Palavra cravada em nosso peito e talhada pelo nosso Senhor. Nossos corações não podem conter rabiscos humanos, não podem ser pichados pelo diabo para que a mensagem seja deturpada e mal vista. Assim os que passarem por nós, nos enxergarão como muros pichados e sujos.
Deus nos quer como cartas, limpas, claras, objetivas, que trazem a mensagem de Jesus para a humanidade.
Permita que seu coração seja cheio da mensagem escrita por Deus e veja como você poderá tirar sorrisos de muitos rostos e ajudar a mudar a vida de muitos e resgatar a vida de outros.
Deus lhe abençoe!

“Como o cão torna ao seu vômito, assim o tolo repete a sua estultícia.”(Provérbios 26:11).



Amado(a), o problema não é errar, mas tornar ao erro. O sábio chama de tolo aquele que não aprende com as próprias falhas. Ninguém está livre de cometer erros, até mesmo os mais sábios, no entanto, o sinal maior de ignorância é não admitir que errou ou erra. Aqueles que assim fazem continuam persistindo no mesmo erro e nada conseguem colher de algo que aos olhos parece ser assustador, mas se encararmos de maneira positiva pode ser um grande aliado para o aprendizado. Errar é humano e é a melhor maneira de evitar outro erro e aprender a fazer a coisa certa. Se aprendemos com a nossa própria experiência que nada mais é do que um processo natural de aprendizagem, mostramos sabedoria, pois é por meio da observação dos erros que cometemos, que ficamos mais atentos. A bíblia está cheia de ensinamentos a esse respeito, entretanto, muitas pessoas seguem suas vidas numa sucessão de erros, como se fossem o remake de um filme. A cena se repete, o que muda são alguns personagens.
O tolo que reproduz a sua estultícia não avança, só faz andar em círculos e perder o que conquistou. Sábio é quem admite que errou, perdoa a si próprio e, atenta para o que diz a palavra de Deus em Filipenses 3:13 “... mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim”.
Amado(a), por que deixar de ouvir a palavra do Senhor e continuar aceitando as sugestões do mundo se você já viu que ali só há engano? Por que fazer as mesmas coisas de sempre, se você já sabe qual será o resultado? O Senhor está de braços abertos esperando por você e quer que aprenda a não errar mais. Perdoados estão os seus pecados, portanto, não seja um tolo permitindo que, após esta reflexão, sua vida circule centrada no mesmo eixo: avance, progrida, abandone o passado e as coisas que o(a) escravizam, lembrando-se de que os grandes vencedores também erraram muito. A diferença é que eles não tiveram medo de admitir seus erros, e souberam aprender eles.


Graça e Paz!

sábado, 27 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão




“Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus.” (1 Coríntios 10:32)

Amado(a), o apóstolo Paulo nos exorta a nos comportar de modo a não causar escândalo nem aos judeus, nem aos gentios e nem à igreja. Nesse sentido, a igreja não é um edifício construído com blocos e cimento, mas um edifício construído com pedras vivas. "Também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo" (1 Pedro 2:5).
Assim como Jesus colocou a Pedro a tarefa de alicerçar a Sua Igreja, também nós somos Igreja, corpo de Cristo, edificada nessa base “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”; (Mateus 16:18)
Estas pedras vivas são chamadas santos e são membros da família de Deus: "Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; na qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito" (Efésios 2:19-22).
A palavra "igreja" traduzida do grego significa "chamado para fora", e metaforicamente significa pessoas chamadas para sair fora do pecado do mundo para servir ao Senhor. A igreja é um corpo constituído de componentes vivos, de pessoas que são chamadas para deixar de participar do mal do mundo, porque elas estão santificadas ou separadas do pecado. Porque são convertidas verdadeiramente a Cristo são chamadas santas.
Por essa razão a igreja não deve ser motivo de escândalo, não pode partilhar das atitudes mundanas que levam tanto os gentios, quanto os cristãos a se desviarem do evangelho. O certo é igreja como casa viva em que Deus habita deve ser santificada, pois Ele não habitará numa casa suja e poluída pela iniqüidade. Ele não ficará numa congregação que tolera falsas doutrinas ou imoralidade (Apocalipse 2:14-16,20).
Assim, amado(a) precisamos tirar a impureza da nossa própria vida, e ajudar os nossos irmãos a se purificarem do pecado, recuperando o irmão que tropeçou (Gálatas 6:1-2), ou convertendo aquele que desviou (Tiago 5:19-20).
As cartas às igrejas da Ásia mostram a importância de manter a santidade da igreja.
Deus lhe abençoe!

“Escutarei o que Deus, o SENHOR, falar; porque falará de paz ao seu povo, e aos santos, para que não voltem à loucura.”(Salmos 85:8).




Amado(a), como tem sido a sua relação com Deus? Você tem ouvido a Sua voz? Você tem buscado discernimento para ouvir a voz do Senhor, separando os ruídos do mundo? Nosso Deus é um Deus de paz, não de confusão. Se a sua mente está confusa, se seu coração está acorrentado ao passado, a mágoas e a situações que trazem inquietação, é hora de perguntar: você já experimentou o perdão de Deus?
Mais que isso: você já se perdoou, perdoando também àqueles que um dia falharam com você? É importante que você limpe primeiro seu coração para que, livre dos ruídos e das interferências do mundo e de seu príncipe, você esteja apto a ouvir a voz de Deus. Isso requer antes de tudo humildade, desejo firme de atender à voz do Senhor e não apenas escutá-la. Só quem se sente resgatado do pecado com mão forte sabe exprimir a experiência de ouvir essa voz que traz paz.
A voz do Senhor separa o homem do pecado para que não pratiquem loucuras.
Quem ouve a voz do Senhor não anda segundo seu próprio entendimento, não se mistura aos ímpios, fazendo coro às suas palavras. Quem ouve essa voz tem certeza da salvação em Cristo.
Amado(a), você tem experimentado as bênçãos decorrentes da salvação verdadeira?


Graça e Paz!

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão




“Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.” (I Coríntios 10:13)


Amado(a),

Os seres humanos todos os dias são tentados, mas ninguém é tentado naquilo que não é fraco. No entanto, Deus nos garante que não seremos tentados acima de nossas forças e que juntamente à tentação surgirá o escape para que possamos suportar com firmeza. Não existe tentação que não seja humana, isto é, não há nada que nós possamos dizer que Jesus venceu porque era Deus. Ele se despojou da natureza divina, abriu mão de ser Deus e de ter os atributos divinos e se fez carne. E na carne sofreu todas as tentações, das mais comuns e incomuns, mesmo aquelas que nós pensemos que como Deus Ele não passaria. No entanto, Jesus não era Deus, era homem. E assim, sofria como homem e sentia como homem.
Ele veio para nos mostrar que era possível passar por tudo e ainda assim não ser vencido pelo pecado.
Cuide em vigiar e orar para que o diabo não lhe vença, posicione-se firmemente diante do Reino de Deus. Não importa se você é recém convertido ou velho na fé. A tentação sempre vem e você deve estar atento para não ser pego em ações assumidamente erradas ou erros sutis que você não tem percebido como pecado, mas tem entristecido ao Espírito de Deus.


Deus lhe abençoe!

“Porque vale mais um dia nos teus átrios do que mil. Preferiria estar à porta da casa do meu Deus, a habitar nas tendas dos ímpios.”(Salmos 84:10).





Amado(a) essa constatação do salmista deveria ser também a nossa constatação. Precioso é estar na casa do Senhor, nada pode ser mais agradável do que partilhar com os irmãos a alegria de estar nos átrios de Deus. Mas infelizmente muitos ainda preferem a vida mundana, as badalações que apenas nos separam da graça de Deus. Para muitos a casa do Senhor ainda é apenas um local de evento social, aonde se dirigem quando a agenda está livre. Para muitos estar na casa de Deus não é motivo de alegria e sim uma obrigação, uma religiosidade. O salmista declara com o coração aberto quão maravilhoso é esse privilégio e toda a sua vida mostra que estar à porta de Deus foi a sua grande alegria e o seu regozijo. Quantos de nós têm experimentado o inverso e mesmo sabendo por sofrimento e repetidas situações que a tenda do ímpio é porta de ilusão e de fracassos, não nos posicionamos como adoradores do Pai. Somos mera platéia no culto, mas não cultuamos ao Senhor. Somos expectadores, ouvintes da palavra, mas não praticantes. Somos cristãos aos domingos e baladeiros no resto da semana. Tomamos a Santa Ceia e deixamos a mentira, a ira, a prostituição invadir nossas vidas.
Mais vale um dia, afirmou o salmista e isso pode ser constatado na vida daquele que se deixa transformar pela palavra, mas não é compreendido por aqueles que ainda resistem ao Espírito Santo de Deus e se deixam dominar pelas seduções do mundo. A tenda dos ímpios é casa sem a bênção de Deus, é o coração que não dá lugar ao Espírito, é o lar edificado fora dos princípios bíblicos, e que por isso mesmo não se sustenta.
Amado(a), onde você prefere estar? Onde você está?

Graça e Paz!

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão




“Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu Deus além de ti, que trabalha para aquele que nele espera.” (Isaias 66:).


Amado(a),

Que versículo tremendo!!!!!!!!!!!!!! Um Deus, Todo Poderoso que trabalha para aqueles que Nele esperam. O Criador, o Grande Eu Sou, Aquele que era, que é e que há de vir. O ser mais importante do universo se coloca a nosso favor quando esperamos Nele, quando cremos Nele, quando confiamos Nele. Nada, absolutamente nada é demasiadamente difícil para Ele, nada é impossível, nada deixará de acontecer quando Ele decidiu que assim será. Se Ele é por nós, ninguém pode ser contra porque se assim o for, cairá, será como palha ao vento, os anjos do Senhor os perseguirão e os farão fugir. Não há inimigo forte o suficiente para derrotar Aquele que nos ama e que nos guia. Não há situação que não possa ser resolvida, dívida que não possa ser paga, amizades que não possam ser restauradas, arrependimentos que não possam ser alcançados, vidas que não possam ser transformadas. NÃO HÁ ABSOLUTAMENTE NADA QUE ELE NÃO POSSA FAZER POR NÓS, NADA QUE NÃO ESTEJA FORA DE SEU ALCANCE. Ele trabalha por nós, e não nós por nós mesmos. Quando nós queremos convencer as pessoas de seus erros, quando queremos forçar um fruto a amadurecer antes da hora, quando queremos alcançar algo do nosso jeito e não vemos em Deus a resposta e solução, nós perecemos. Ele faz tudo com maestria porque nunca se ouviu ou se viu ou ainda se percebeu um deus como o nosso Deus, com um poder infinito, amor incondicional, que é tardio em irar-se e pronto a nos perdoar. Ele trabalha enquanto dormimos. Você vai dormir esta noite e Ele estará arquitetando e executando planos fantásticos a favor da sua vida. Portanto, amado(a), não atrapalhe nosso Pai em sua empreitada, deixe-O fazer o que precisa ser feito e deixe de murmurar ou querer ajudá-Lo. Esperar Nele é suficiente para que a Sua poderosa mão trabalhe a nosso favor.


Deus lhe abençoe!

“Bem aventurado o homem aplanados cuja força está em ti, em cujo coração estão os caminhos.”(Salmos 84:5).



Amado(a), assim como o salmista, nós também passamos pelo vale de lágrimas, mas desse vale podemos fazer uma fonte. De modo particular cada um de nós já passou, ou está passando, por esse vale. Para alguns, o vale da perda, da traição, da violência, do abandono. Para outros, o vale da tentação, da indiferença ou da depressão, do desemprego, da falta de perspectiva. Nesse mundo, não há quem não passe ou tenha passado por um desses vales sombrios que nos fazem chorar no caminho, na nossa vida pessoal, profissional, sentimental...
Por vezes nos desesperamos, diante dessas situações e ficamos sem saber o que fazer. Mas a palavra de Deus nos ensina como. O salmista que passou essa terrível experiência nos dá a formula para quem quer atravessar esse vale e sair dele.
O primeiro passo é ter Deus como Fonte de nossa força, conforme está explícito na primeira parte do verso 5 "Bem-aventurado o homem cuja forca está em Ti". Só vence o vale de lágrimas aquele que faz de Deus a sua Fonte, quem já entra nele afirmando de onde vem a sua força. Na hora do desprezo, da depressão, da tragédia, qualquer força humana é menor que as adversidades e não há força humana que resista ao Vale de Baca, ou vale de lágrimas, na tradução do hebraico para o português. A nossa força não vem do pensamento positivo, como querem os esotéricos, não vem do dinheiro, não vem da família, dos amigos. A nossa força vem do Senhor. Por isso o salmista afirma ser bem aventurado aquele cujo coração está sintonizado como o coração de Deus. Aplainado significa estar em mesma linha, por isso é preciso ter a geografia do coração mudada: quem aplaina o terreno do coração e o alinha ao coração de Deus, mesmo passando pelo vale árido, faz dele um manancial, uma fonte, e “vai indo de força em força". Só é capaz de transformar o vale sombrio das lágrimas num manancial de bênção aquele que nivelou seu coração. Assim, com a geografia do coração alterada para um plano, sem tortuosidade, consegue atravessar qualquer vale. Todavia, só muda a geografia do lado de fora da vida, e os rumos da própria história, quem já mudou a geografia do lado de dentro. É a topografia do coração que determina a topografia da vida. Portanto, é impossível mudar a nossa história, sem que primeiro mudemos a história do nosso coração. Só quem traz dentro de si um coração transformado é capaz de transformar qualquer deserto em fonte de bênçãos.
Amado(a), quem sabe, você não esteja hoje, no meio de um vale de lágrimas, consumido pelo sofrimento. Então, tome posse do que diz esse versículo e atente para o salmo 84 de uma forma especial, pois ele nos ensina que apesar das lutas que nos levam a um vale tortuoso são nossas atitudes certas que podem transformar o vale de lágrimas em vale de bênçãos. Reflita sobre isso aceite a correção do Senhor!

Graça e Paz!

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão




“Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz.” (Romanos 8:4)
Amado(a),

Inclinar-se para algo é tender para algum lado especifico. Quando viramos um copo de água, nós derramamos a água para o lado que foi virado. Quando giramos o volante de um carro, ele nos guiará pelo caminho que seus pneus forem virados. Assim é nossa vida com Deus. Temos a chance de ir para um lado ou para o outro, escolher o caminho a ser trilhado, subir e descer, entrar e sair, ir para o lado que desejarmos. A Bíblia no garante o livre arbítrio, isto é, o direito de escolha. No entanto não devemos esquecer para qual lado estamos tendendo, se para as coisas da carne: invejas, bebedeiras, falatórios inúteis, gritarias, mentiras, grosserias dentre tantas outras, ou para o lado do Espírito de Deus, seguindo seu caminho e deixando fluir em nossas vidas os frutos do Espírito: ”Porque o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade;” Efésios 5:9.
Então escolha bem o seu caminho e deixe a verdade, bondade e justiça invadirem seu interior. E o pêndulo que há dentro de você vai se inclinar para Deus todos os dias da sua vida.


Deus lhe abençoe!

“Porque o Senhor Deus é um sol e escudo: o Senhor dará graça e glória; não negará bem algum aos que andam na retidão”. ( Salmos 84:11 )





Amado(a), observe a força dessa expressão: o Senhor Deus é um sol e escudo. Essa metáfora quer dizer que além de luz, o Senhor é a nossa proteção.
A felicidade do homem é colocar a sua confiança em Deus. É depositar Nele toda fraqueza para ter a Sua força. Assim como sol dá vida e alimenta os seres vivos na terra, a nossa fonte de suprimento é o Senhor Quando estamos na presença de Deus esquecemos os problemas e dificuldades da vida, pois o Senhor cuida de nós. Na presença do Senhor há proteção. O sol clareia revelando as nossas fraquezas e transgressões, o escudo nos preserva contra o efeito delas.
O Senhor não nega bem algum aos que andam na retidão, diz a segunda parte deste salmo, escrito por quem privava de uma estreita relação com o Senhor. O salmista sabia que os reinos deste mundo são transitórios e suas riquezas e glórias, efêmeras, mas reconhecia que em Deus há proteção agora e no porvir. Foi por isso que Davi encerrou o salmo: "Bem aventurado o homem que em ti põe a sua confiança". (Salmos 84:4).
E você, amado(a), tem colocado sua confiança em Deus? Tem seguido seus caminhos, com alegria e sinceridade? Tem cumprido seus estatutos com temor? Bem aventurado será se fizer como Davi, se andar em retidão e colocar diante de Deus os seus problemas, porque não há escudo mais eficiente!

Graça e Paz!

terça-feira, 23 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão



“Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que desejais.” (Jeremias 29:11)


Amado(a),

Muitas vezes queremos seguir caminhos que diante de nossos olhos são o certo a ser escolhido. A verdade é que apenas existe um que sabe todas as coisas e em sua onisciência, reconhece o melhor para nossas vidas. Este é o nosso Senhor que sempre está pronto a fazer o que for melhor. Nós não sabemos o que Deus pensa, mas o contrário é verdadeiro, isto é, Ele sabe o que pensamos, sabe o que vai no mais profundo de nossos corações, conhece nossos sonhos, desejos e até mesmo aquilo que nem nós mesmos sabemos a nosso respeito. Sabe se realmente não gostaremos de fazer algo, se não gostaremos de morar em algum lugar, quais as coisas que não gostamos de fato e as que, mesmo sem percebermos, sabemos e temos capacidade para realizar. E os pensamentos de Deus ao nosso respeito são de paz, capazes de nos trazer bons sentimentos e uma segurança que apenas Nele encontramos. Nosso Pai não quer nosso mal, muitas vezes permite que passemos por provas duras porque sabe que assim ele forja nosso caráter e nos faz melhores no amanhã. E o que Ele permite que nós passemos nos direciona para aquilo que desejamos bem lá dentro de nós. Lembro-me de uma vez que mesmo passando em um concurso que tinha apenas uma vaga, fui obrigada a trabalhar por cerca de três anos em áreas que não gostava. Fui obrigada a aprender a fazer inúmeras coisas na área administrativa que nada tinham a ver com a minha profissão. Hoje, cerca de dez anos depois, uso todo o conhecimento que aprendi no passado para me ajudar na minha profissão. Nada foi desperdiçado, tudo foi direcionado para que eu fosse melhor profissional e com reconhecimento dentre muitos da minha área e de áreas similares. Assim é Deus conosco. Ele sabe que pensamentos têm a nosso respeito, pensamentos de paz e não de mal, para nos dar lá na frente o fim que desejamos.
Pense nisso e não guerreie contra aquilo que Deus colocou hoje em suas mãos. Amanhã tudo será de grande valia para sua vida.
Deus lhe abençoe!

“O Deus, não estejas em silêncio; não te cales, nem te aquietes, ó Deus.”(Salmos 83:1).




Amado(a), a ausência de respostas é, sem dúvida, uma das coisas que mais nos deixa inquietos. Dela vem uma ansiedade muitas vezes insuportável. Se fazemos uma pergunta a alguém e temos de volta apenas o silêncio, se aguardamos um resultado de uma entrevista e a resposta tarda a vir, a sensação incômoda que se segue é algo inexplicável e cada um sabe como isso lhe afeta.
O silêncio é a omissão de uma explicação que esperamos, é a interrupção de um diálogo e, mais do que isso: o silêncio é o direito adquirido do outro de abster-se de falar, de responder, no entanto é doloroso para quem “ouve”. E é também o silêncio uma grande arma nos relacionamentos interpessoais. Mas nada pode ser pior do que o silêncio espiritual, o silêncio de Deus para conosco. Por isso o salmista pede “Ó DEUS, não estejas em silêncio; não te cales, nem te aquietes, ó Deus!“.
Quantas vezes nos sentimos incomodados diante do silêncio de Deus para nossas orações, para os nossos pedidos.
Mas a Bíblia nos dá um alento: Deus não está distante, apesar do silêncio. Neste silêncio de Deus, Ele está trabalhando ao nosso favor no mundo espiritual e, enquanto isso, é preciso esperar a resposta de Deus para nossa vida!
Creia que Ele falará em particular com você, se aprender a ouvir o Seu silêncio. Ele quer que você pare de ficar se debatendo de um lado para outro e que se sente para ouvir o que Ele tem a dizer à você! E Ele lhe diz: “O que eu faço, tu não o sabes agora; mas depois entenderás… Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus?” (João 13:7;11:40)
Amado(a), Deus está no controle de sua vida e lhe dará a resposta ao seus pedidos na hora certa. Espere!


Graça e Paz!

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão





“Porque todos os povos andam, cada um em nome do seu deus; mas nós andaremos em nome do SENHOR nosso Deus, para todo o sempre”. (Miquéias 4:5)


Em seu tempo, o profeta Miquéias procurava ensinar as exigências, alertar o povo do juízo e assegurar-lhes as promessas de Deus de Deus aos que fossem fiéis. Mas Deus é o mesmo ainda hoje e as exigências de Deus prevalecem. Miquéias via que a idolatria, corrupção e injustiça tinham profundas raízes na condição espiritual da nação e que isso faz com que as promessas de Deus não se cumpram na vida daqueles que se desviam. Estar na Igreja simplesmente não é garantia de recebimento das promessas. Uma vez proferidas por Deus, as promessas serão cumpridas, mas não sem condições e as condições são claras, já expressas pelo profeta e reiteradas vezes divulgadas pelos homens de Deus, portadores da Palavra.
Deus requer que Seus filhos ajam com justiça com relação a todas as pessoas, porque esta é a característica da ação de Deus para com eles. Mas há pessoas que ainda se comportam como se o mundo fosse seu território e não importam o que as pessoas sentem, pensam, ou necessitam. Seu lema muitas vezes é: “eu trato como sou tratado”, embora façam exatamente o contrário. Fazem aos outros aquilo que não queriam que lhe fizessem. Amontoam brasas aos seus pés e impedem que as bênçãos do Senhor cheguem em suas vidas. O cristão, aquele que é nascido de novo, deve manter uma vida de fé distintiva, fundamentada na inspiração e autoridade das Escrituras. Não basta freqüentar a igreja, é preciso ser parte da Igreja, partilhar a comunhão com o corpo e fazer a vontade de Deus. Aquele que vive o evangelho, não apenas cultua a Deus no domingo, faz de sua vida um culto contínuo e sua vida é espelho que edifica os irmãos e os descrentes. Essa é a exortação do profeta: andar em nome do Senhor e deixar de lado os outros deuses. Amado(a), você tem andado em nome de quem? Do Deus vivo, que salva, liberta e transforma, ou do deus que traz divisão, dissensão, destruição de lares, confusão, prostituição, perdição, enganação? Que Deus venha iluminar o seu entendimento, e que você compreenda toda a dimensão e recursos do Reino de Deus que já podemos experimentar hoje enquanto aqui vivemos. Assuma você também um compromisso de seriedade e fidelidade com a Palavra de Deus, e assim Ele poderá te abençoar abundantemente. Mas lembre-se as promessas do Senhor estão condicionadas a sua escolha, as suas atitudes...
Deus lhe abençoe!

“Levanta-te, ó Deus, julga a terra, pois tu possuis todas as nações.”(Salmos 82:8).




Amado(a), somos o povo do Senhor, o povo eleito: “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”. (I Pedro 2.9). Em nossos corações existe a semente de Deus que nos separa do pecado, e nos santifica diante de um mundo ímpio que está sob o domínio de satanás. Do Senhor é a Terra e tudo que nela há foi feito por Ele e para Ele, portanto, como herdeiros devemos nos comportar. Tomar posse do que é nosso por direito e isso significa usar corretamente as coisas de Deus. Toda essa maravilhosa herança nos deixa com grandes responsabilidades diante do Senhor. Um dia Ele pedirá conta daquilo que nos legou. E o que estamos fazendo com os talentos que Ele nos deu? Se entregarmos coisas valiosas para uma pessoa de confiança cuidar, é claro que pediremos a prestação de contas, observando se o que lhe entregamos está bem cuidado ou não. Assim também Deus faz conosco. Ele pede que prestemos contas das Suas riquezas que nos foi confiada. Ele faz isso com o propósito de nos corrigir para não sermos condenados com o mundo, e fará no futuro, quando provará as nossas obras pelo fogo.
Lembre-se, amado(a), fomos feitos participantes da natureza divina,: “Sabemos que somos de Deus, e que o mundo inteiro jaz no Maligno”. I João 5.19. Somos guardados por Deus: “Não rogo que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno”. João 17.15. E é preciso reconhecer que Deus não faz nada pela metade, se prometeu, cumprirá, com justiça e equidade e no tempo adequado. Espere, pois, com essa confiança.

Graça e Paz!

domingo, 21 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão




Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?” (Romanos 9:20).


Amado(a),

As insatisfações com a vida são diárias. O homem sempre está insatisfeito com algo. Por que não sou mais bonito(a)?, Por que não sou mais magro(a)? Por que meu cabelo não é liso? Por que meu cabelo não é mais anelado? Por que não sou mais inteligente? Por que não tenho dinheiro? Por que nasci em tal lugar ou porque tenho tal família? Por que tenho esta vida? Enfim... São muitas as indagações e as perguntas a respeito do que se é, do que se tem, da família em que nasceu, dos filhos que Deus deu e etc. A verdade é que nascemos como nascemos, onde nascemos e na família que Deus determinou porque assim quis o Criador. Mas muitas das nossas indagações, nós mesmos poderíamos responder. Muitas coisas nos acontecem, ou nao nos acontecem por falta de posicionamento na vida como um todo e na vida espiritual. Criar filhos soltos, fazendo o que querem, traz a consequencia disso mais tarde e ainda indagamos por que isto está acontecendo conosco. Ter dívidas, passar por certas situações no trabalho e na vida pessoal é fruto do posicionamento diário, de como lidar com as coisas e pessoas, não se programar, não se organizar e viver a vida como ela se apresenta sem lutar contra a preguiça, o comodismo, o espírito de murmuração diário. A verdade é que parte de nossa vida Deus determinou e a outra parte nós mesmos nos permitimos viver. Não podemos esquecer da vida espiritual. Por que uns são tão abençoados, oram e Deus logo responde, são chamados para serem líderes e tantas outras indagações feitas.... Posicionamento é a resposta. Posicionar-se adequadamente e comprometer-se com o seu chamado, seja como pai ou mãe, como filho ou filha, como profissional, marido ou esposa, e, principalmente como servo de Deus.
Posicione-se e ande conforme aquilo que você tem como meta na vida seja qual for a área, e pare de questionar o Criador o porquê de todas as coisas. Ele é o Grande Eu Sou e nada acontece sem que Ele determine ou Ele permita.
Posicione-se!

Deus lhe abençoe!

“Achaste mel? come só o que te basta; para que porventura não te fartes dele, e o venhas a vomitar.”(Provérbios 25:16).




Amado(a), nesse versículo Salomão nos adverte sobre a necessidade de buscarmos o equilíbrio em nossas vidas. Tudo que é excessivo pode enfadar. Há uma expressão da sabedoria popular que diz, nem tanto ao céu, nem tanto ao mar. Em outras palavras isso quer dizer o mesmo que disse o sábio. Mas há pessoas que ainda precisam aprender a buscar esse equilíbrio. Na ânsia de resolver suas carências, não sabem dosar o mel e acabam se fartando do que poderia ser doce e vomitando o que seria sustento. Esse desequilíbrio se reflete na vida física, moral, espiritual, financeira, pessoal... Atentemos para alguns exemplos: pessoas sedentárias que resolvem praticar exercícios, em vez de fazer em graduação, acostumando-se equilibradamente à mudança, exageram na dose e nas semanas seguintes estagnam-se no sofá. Com relação ao dinheiro, não sabem equilibrar as finanças, se têm, gastam sem controle e passam o restante do mês contando dias até que chegue o novo salário, que em geral já está comprometido. Por um tempo se recolhem e vivem uma vida caseira, e quando encontram companhias decidem que é preciso mais do que sete dias na semana para a balada, mas não tardam a se enfastiar daquilo que não é natural. Num momento são extremamente presentes, gentis, doces e solícitas e pouco tempo depois arredias, hostis e indiferentes. Na vida espiritual no início não saem da Igreja, estão prontas a se engajar em um ministério, não perdem os cultos da semana, mas de um momento para outro desaparecem dos cultos, deixam de participar dos eventos, nem mesmo leem a Bíblia. Numa hora estão rodeadas de amigos, noutra estão sozinhas. Num tempo esbanjam alegria e noutro são a própria imagem da depressão. Tudo isso expressa falta de sabedoria e inobservância à palavra de Deus. E só há uma forma de curar esse desequilíbrio, colocando-o aos pés do Senhor. Só Jesus pode equilibrar nossas vidas. Portanto, amado(a), se há uma área de sua vida que está em desequilíbrio, coloque-a diante do Senhor e Ele lhe mostrará como fazer para viver uma vida plena sem excessos e sem carências.

Graça e Paz!

sábado, 20 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão





“Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Considerai os vossos caminhos”. (Ageu 1:7)

Nesse versículo, o profeta Ageu está exortando o povo a se levantar da sua estagnação e encarar sua negligência pecaminosa e movimentar-se em torno da chamada para reconstrução do templo. Ele faz isso para sacudir a consciência e levar o povo a se mexer e edificar a casa de Deus. Naquela época o povo carecia de estímulo para fazer algo em torno da obra de Deus e hoje não é diferente. O profeta Ageu, diante de uma situação social, econômica e política de extrema oposição, chamou o povo à ação lembrando que Deus está firmado no controle de todas as nações e pode, como tem feito, remover a oposição política à Sua obra, e se assim ainda ocorre, Deus permanece o mesmo e não há oposição que se sustente se hastearmos s Sua bandeira.
É preciso destacar também que o povo de Deus precisa urgentemente rejeitar a atitude derrotista e agir confiando na promessa de Deus. Isto implica uma profunda e completa confiança por parte de cada um em vista da promessa e fidelidade divinas. O certo é que Deus abençoa aqueles que se esforçam, de fato, a viver uma vida de pureza, de santificação e àqueles que dão prioridade à Sua vontade e que cumprem os Seus estatutos. Deus recompensa, já no aqui e agora, aos que decidem trabalhar ao Seu lado em confiança, dando ao Reino a prioridade e preferência (Mateus 6:33). Por isso, amado(a), devemos, com urgência, examinar as nossas prioridades para vermos onde está o peso maior: nos nossos prazeres imediatos ou na vontade de Deus. Precisamos anular o derrotismo quando enfrentamos oposições ou momentos de desencorajamento. Quando as nossas forças parecem desfalecer, quando pensamos que chegamos ao fim da linha. Se Deus é por nós, quem há de ser contra? (Romanos 8:31). Mas também é necessário confessar as nossas falhas, reconhecer claramente cada uma delas, a fim de vivermos uma vida santificada diante de Deus. Sem confissão não pode haver correção, pois não admitimos nada. Isso nos é ensinado em toda a Bíblia. E se assim o fizermos, podemos agir com coragem confiando em Deus, uma vez que possuímos Sua garantia de que está conosco todos os dias até os confins da terra e nada passa desapercebido de Seus olhos. Dessa forma, podemos descansar no poder de Deus com a certeza de que nos abençoará na medida em que O servimos com fidelidade.
Deus lhe abençoe

“Tirei de seus ombros a carga; as suas mãos foram livres dos cestos.”(Salmos 81:6).




Amado(a), quantas vezes sentimos nossos ombros pesados com tanta coisa a nos sobrecarregar! Nem sempre é fácil administrar os nossos problemas, dívidas, dúvidas e frustrações, mesmo vivendo uma vida reta diante de Deus. Mas a grande certeza é que Deus nos tira esse peso, se Nele colocarmos a nossa confiança. Quantas vezes passamos por tribulações e chegamos a pensar: “Por que Deus não me livra?” Amado(a), essas cargas em nossos ombros servem para nos lembrar de que temos um Deus e que Ele cuida de nós. Depositando Nele a nossa confiança, certamente nossas mãos ficarão livres. Mas livres elas podem adorar ao Senhor. E adorando, elas são abençoadas. Mãos abençoadas não tocam no que não é puro, não profanam o santuário, não se misturam a mãos ímpias. Se o Senhor nos tira dos ombros a carga, se só Ele pode nos libertar as mãos das correntes da escravidão, por que teimamos em ligá-las a tudo que não edifica, que não constrói, mas só faz nos tirar a paz, acabar com nossa estabilidade moral, familiar e financeira?
Onde está a sua mão nesse momento? Livre para adorar, ou acorrentada ao pecado que ainda deixa seus ombros pesados?

Graça e Paz!

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão




“Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida.” (Genesis 50:20).


Amado(a),

Vivemos dia após dia e sempre há algo ou alguém que se levanta contra nossas vidas, usado pelo inimigo de nossas almas e que quer nossa derrota, nossa decadência e nossa destruição. São pessoas que surgem em nossas vidas prontas para nos “puxar o tapete”, são amigos que nos traem, familiares que nos colocam em situação difícil, colegas de trabalho que não “vão com a nossa cara” e desejam o nosso mal, usando palavras e situações para nos destruir e nos tirar da posição de bênção. Foi assim que José, traído pelos próprios irmãos, acabou como servo no Egito onde ocorreu uma nova situação tramada em seu trabalho pela esposa de seu patrão para lhe destruir apenas porque ele não queria agir da forma como ela desejava, então ele vai para a prisão. Mas Deus usa toda esta situação para que no momento oportuno José fosse exaltado e passasse a ser o homem de confiança do faraó do Egito, segundo homem importante naquela terra, logo abaixo de faraó. É assim que Deus age, transforma o mal feito pelo inimigo em bênção para seus servos.
Não sei qual é a situação que você esta passando, mas esteja certo(a) de algo. Se o inimigo intentou o mal contra a sua vida, Deus o transformará em bem e você se tornará alguém que terá poder para decidir abençoar ou amaldiçoar aqueles que lhe perseguiram. José resolveu abençoar. Reflita sobre isso e aguarde o tempo de Deus. No momento certo Deus lhe dará posição de honra e a escolha de fazer o certo sobre a situação que se apresenta.

Deus lhe abençoe!

”Eu sou o SENHOR teu Deus, que te tirei da terra do Egito; abre bem a tua boca, e ta encherei.”(Salmos 81:10).




Amado(a),

Na primeira parte desse versículo, o salmista repete a admoestação feita ao povo de Israel pelo Senhor, registrada em Deuteronômio 5:6 e Êxodo 20:2, quando Deus se apresenta a Moisés e lhe dita os dez mandamentos. Na segunda parte do versículo há uma ordem que pressupõe bênçãos. É a promessa para aqueles que cumprem os mandamentos do Senhor. A promessa está ligada ao cumprimento dos mandamentos e isso vigora até os nossos dias. Quando Deus nos tira da escravidão, Ele não só nos livra do inimigo, como nos garante o sustento material e espiritual. Foi assim com o povo de Israel e assim será conosco. Mas a condição da promessa está em obedecer. E isso é escolha nossa. Amado(a), como tem sido a relação de obediência com o Senhor? Você tem observado a todos os Seus mandamentos? Ou tem escolhido uns e rejeitado outros? Sua vida reflete essa relação, mas observe que se deixa de cumprir a sua parte, Deus fica impedido de cumprir a Sua. E Ele garante que a Sua palavra se cumprirá. Portanto, se disse que encheria a sua boca, isso certamente acontecerá, mas só e somente só, se você atentar para o que Ele ensina. Você tem honrado aos seus pais? Tem andado em retidão, sem adulterar ou se prostituir? Tem sido fiel ao único Deus que é digno de louvor, ou tem se curvado diante de outros deuses, num pacto com outras crenças? Tem agido com honestidade, não roubando? A mentira é uma forma de roubo, porque ela rouba o espaço da verdade, rouba o tempo das pessoas, rouba a fé e a credibilidade. Onde você está neste momento: ainda se encontra na escravidão do mundo, como Israel no Egito, vagando pelo deserto com saudade dos alhos e das cebolas de Faraó, ou fartando-se do alimento imperecível providenciado pelo Senhor? Você estará onde escolher estar. Lembre-se disso.
Graça e Paz!

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão




“E disse: Certamente tornarei a ti por este tempo da vida; e eis que Sara tua mulher terá um filho. E Sara escutava à porta da tenda, que estava atrás dele. E eram Abraão e Sara já velhos, e adiantados em idade; já a Sara havia cessado o costume das mulheres. Riu-se, pois, Sara no seu íntimo, dizendo consigo mesma: Depois de velha, e velho também o meu senhor, terei ainda prazer? Disse o SENHOR a Abraão: Por que se riu Sara, dizendo: Será verdade que darei ainda à luz, sendo velha? Acaso, para o SENHOR há coisa demasiadamente difícil? Daqui a um ano, neste mesmo tempo, voltarei a ti, e Sara terá um filho.” (Genesis 18:10-14).


Amado(a),

Deus havia prometido uma nação numerosa a Abraão. Tinha lhe dado grandes promessas e a certeza de uma vitória muito grande. Os anos se passaram e Abraão não tinha tido filhos ainda. Sara providenciou uma ajudinha a Deus e deu sua serva Agar para que Abraão pudesse ser pai desta grande nação, gerando um filho no ventre de sua serva. Não era para que isso acontecesse. Esta não era a intenção real do Senhor. Os planos de Deus têm seu tempo determinado para tudo e no caso de Abraão, certamente não era aceitável aos olhos humanos que uma mulher que já não estava em idade fértil havia muito tempo, gerasse um filho. A confiança de Sara era tanta que ela riu e indagou se isso seria possível. Mas os planos de Deus não podem ser frustrados. Ismael, filho de Agar com Abraão, já estava na adolescência quando Sara fica grávida já aos 90 anos. Quando Isaque nasceu, Abraão tinha 100 anos. E sobre Isaque estava a aliança, embora Ismael também tenha sido abençoado. No entanto, em Genesis 16:12, Deus fala a respeito de Ismael o seguinte:” Ele será, entre os homens, como um jumento selvagem; a sua mão será contra todos, e a mão de todos, contra ele; e habitará fronteiro a todos os seus irmãos.” Este trecho já predizia a guerra entre irmãos que se perpetua até os dias de hoje. Deus ainda promete em Genesis 17:20-21 ”Quanto a Ismael, eu te ouvi: abençoá-lo-ei, fá-lo-ei fecundo e o multiplicarei extraordinariamente; gerará doze príncipes, e dele farei uma grande nação. A minha aliança, porém, estabelecê-la-ei com Isaque, o qual Sara te dará à luz, neste mesmo tempo, daqui a um ano.” Deus atende ao desejo do coração de Abraão em não desamparar Ismael e da a ele a bênção de ter também muitos filhos e gerar príncipes. No entanto, a aliança estava sobre Isaque, porque Deus não é homem para mentir e nem filho do homem para se arrepender e aquilo que prometeu certamente se cumprirá. E Sara era a sua esposa. Como casados, eram um só, pertencendo também a bênção a Sara. A aliança é um pacto profundo regado de um amor sem medidas. E Deus tinha uma aliança eterna com Abraão através de seu filho Isaque. Grandes promessas Deus têm para sua vida, não tente ajudar a Deus porque isso pode gerar conseqüências futuras e até mesmo intermináveis. Aguarde, espere, ore, louve, agradeça, engrandeça o nome do nosso Deus, vá trabalhando para o Reino de Deus enquanto a obra Dele na sua vida é realizada e você não precisará de passar por tantas dores e percalços como Sara passou por ter tentado tomar o lugar de Deus, usando suas próprias forças para executar a promessa do Pai.


Deus lhe abençoe!

“Faze-nos voltar, ó Deus, e faze resplandecer o teu rosto, e seremos salvos.”(Salmos 80:3).




Amado(a), o salmista clama a Deus pela Sua misericórdia, reconhecendo que se distanciou dos caminhos e que carece de ajuda para poder novamente contemplar a face de Deus. Quantas vezes também nós nos sentimos assim, precisando de nos reavivar espiritualmente? Mas a questão que deve ser colocada é esta: por que povo de Deus precisa de derrota, aflição, e opressão para desejar ver a face de Deus? Assim como o povo de Israel, sabemos quem é nosso Deus, conhecemos a Sua grandeza, por que, então, damos espaço para o bezerro de ouro, ou a serpente de bronze em nossas vidas?
Para que Deus resplandeça Seu rosto sobre nós, precisamos abandonar velhos hábitos, mudar radicalmente de postura e de comportamento. Deixar de adorar o mundo e suas concupiscências.
Temos a Igreja para nos amparar e o culto para nos levar a aprender a obediência espiritual que é tão necessária para nossa edificação e crescimento. Mas não podemos separar a Igreja de nossa família ou de nossa vida cultural, profissional, ou pessoal, no dia a dia. O fato de percebermos que muitos agem como cristãos no domingo, e se comportam como gentios nos outros seis dias da semana nos leva a pensar se houve um verdadeiro renascimento na vida dessas pessoas que vestem a capa de crentes e saem envergonhando o evangelho de Jesus. Como o povo de Israel, ainda há muitos que se voltam para Deus, mas conservam os seus ídolos; assim como eles temem a Deus mas se misturam com ateus, pagãos. Salomão caiu, espiritualmente falando, quando se casou com mulher estrangeira e fez aliança com Irão. É preciso aprender com os erros, com os nossos próprios e com os dos outros e a Bíblia está repleta de exemplos com os quais podemos aprender. Temos que ser despertados, para voltarmos ao estado de regenerado. Todavia, amado(a), voltemos à pergunta: será preciso passar por mais lutas e tribulações, repetir as mesmas falhas para sentir que não há outro senão o do Pai?
Graça e Paz!

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão




“Todavia, eu sou o SENHOR teu Deus desde a terra do Egito; portanto não reconhecerás outro deus além de mim, porque não há Salvador senão eu.” (Oséas 13:04)


Amado(a),

Nosso Deus é nosso Salvador sempre. Ele o é desde o tempo de nossa escravidão, desde as lutas diárias para abandonar os vícios, desde as situações ruins e dos momentos difíceis. Ele sempre é nosso Deus e nunca deixa de sê-lo. Muitas vezes passamos por situações na vida nas quais buscamos a ajuda de alguém que nos ajude a resolver o problema e nos salve de alguma situação. Mas Deus nos adverte aqui, que não há outro Deus senão Ele e que não devemos ver em outra pessoa, mesmo que ela tenha cargo alto, seja empresário, rico, político famoso ou quem quer que seja, a solução ou salvação do problema. Também temos de ser assim em relação a nossa vida espiritual. Não devemos nos escorar nos pastores ou lideres achando que neles está a solução. Nossos irmãos em Cristo e nossos líderes existem para que sejamos abençoados na comunhão, ajudados a levantar quando caímos, compartilhar, orar juntos, e juntos, em Deus, buscar as respostas para todas as coisas. Cuidado com a idolatria. Reconhecer outro deus além de Deus e colocar sua expectativa em algo ou alguém que não tem poder para solucionar sua vida, é tirar de Deus a primazia, o primeiro lugar, o topo de sua vida. Não há em nada nem ninguém a salvação para o seu problema ou para a sua vida.Ponha Deus no altar da sua vida e veja o que O Verdadeiro líder de nossas vidas fará por você.
Deus lhe abençoe!

“Assim nós, teu povo e ovelhas de teu pasto, te louvaremos eternamente; de geração em geração cantaremos os teus louvores.”(Salmos 79:13).




Amado(a), grandes coisas tem feito o Senhor por nós! E isso precisa ser declarado. As ovelhas precisam não só reconhecer, mas proclamar os feitos do Senhor em suas vidas. O louvor agrada a Deus e edifica quem o faz. Quantos abrem a sua boca para fazer coro aos ídolos do mundo, em rodas de música e outras baladas e não abrem a sua boca para pronunciar louvores ao nome do Altíssimo? O Senhor conhece o coração de Seus filhos, sabe que o louvor não vem da boca, mas da alma e o recebe com alegria. Louvar é muito mais do cantar os hinos aos domingos na igreja, muito mais do que dizer “glórias” e “aleluias”. Louvar é reconhecer a grandiosidade de Deus e sorver no espírito as delicias de fazer parte de Seu rebanho. O salmista anuncia esse privilégio, porque fazer parte desse coro é dádiva, é suprema felicidade que não pode ser experimentada por aqueles que não conhecem esse Deus maravilhoso. Deus é Senhor. É digno de honras e de adoração. Adoração sincera, fruto de comunhão que não pode ser explicada. Só sabe quem conhece, quem experimenta, quem vive essa intimidade com o Pai. Não há como explicar. E fazer conhecidas bênçãos de Deus em nossas vidas é o mínimo que podemos fazer. Passar às novas gerações o que recebemos do Senhor é uma canção que flui do nosso viver em Cristo. É a música que brota de nossas atitudes com relação ao Reino de Deus e que entra em sintonia com nossa maneira de viver e de esperar em Jesus aquilo que Ele orquestrou para nós. Deus é bom. E suas misericórdias nos alcançam todos os dias. Por que não abrir nossos lábios e proclamar isso a todos que nos rodeiam. E, assim, em cadeia, quem sabe o evangelho vivo, do exemplo e da alegria de viver em Cristo, não chegue aos confins da terra?
Graça e Paz!

terça-feira, 16 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão




“Estas palavras que hoje te ordeno, estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te e ao levantar-te." (Deuteronômio 6:6-7)

Amado(a),Deus tem expectativas com relação aos pais. Ele não nos deu a condição de gerar filhos apenas para nossa satisfação, mas nessa passagem, tema central de Deuteronômio, quando o Senhor estabelece um modelo que nos ajuda a relacionar a Palavra de Deus com nossa vida diária e com a criação de nossos filhos. Devemos amar a Deus, agir dentro de seus mandamentos, ensiná-los aos nossos filhos e viver cada dia segundo as diretrizes da Sua Palavra. Observe que Deus enfatizou a importância dos pais ensinarem a Bíblia aos seus filhos. Verdades eternas são mais efetivamente ensinadas no ambiente amoroso de um lar temente a Deus. Se queremos que nossos filhos sigam a Deus, devemos ensiná-los diligentemente a ver Deus em todos os aspectos da vida, não somente aqueles relacionados à igreja e, principalmente, com nossas atitudes e exemplos.
Se nossa fé em Jesus Cristo é real, ela é normalmente provada no lar, em nossos relacionamentos com quem nos conhece melhor. Pais e filhos são responsáveis uns pelos outros. Os filhos devem honrar os pais mesmo que sejam exigentes e injustos. Mesmo que pensem que tenham sido negligenciados por eles. Os pais devem cuidar amorosamente de seus filhos, mesmo que sejam desobedientes e rebeldes. Pais e filhos cristãos devem se relacionar com consideração e amor, um colocando os interesses do outro acima dos seus próprios. O propósito da disciplina paterna é ajudar os filhos a crescerem de uma maneira amorosa e que honre a Cristo, não irritá-los ou provocá-los à ira ou levá-los ao desencorajamento (Colossenses 3:21), tratando-os como Jesus trata as pessoas que ama, para que entendam o caráter de Cristo. Isso significa mostrar aos filhos o caminho certo pela firmeza nas ações, pelo exemplo de vida.
Deus também tem expectativas com relação aos filhos. Se tratamos nossos pais com indiferença e descaso isso pode ser uma semente também na vida de nossos filhos. "Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá." (Êxodo 20:12) É o primeiro mandamento com promessa. Honrar os pais significa falar bem deles e tratá-los polidamente. Significa agir com cortesia e respeito. Significa seguir seus ensinamentos e exemplo de colocar Deus em primeiro lugar. Deus honra a posição dos pais e mesmo àqueles que acham difícil conviver com seus pais é requerido deles honrar a seus pais.
Portanto, amado(a), viva de maneira que os outros possam ver Cristo em você. Dê exemplos de vida e de espiritualidade aos seus filhos. Honre seus pais e não despreze os órfãos e viúvas de sua casa. Pregue, assim o evangelho vivo.

Deus lhe abençoe!

“Não te lembres das nossas iniqüidades passadas; venham ao nosso encontro depressa as tuas misericórdias, pois já estamos muito abatidos.”(Salmos 79:8).




Amado(a), Deus é misericordioso, isso diz a segunda parte desse versículo. Mas na primeira parte o salmista faz um apelo ao Senhor: não te lembres das nossas iniqüidades. E elas são tantas! Amado(a), Deus não age da forma como pensamos, mas o certo é que Ele age e sempre a favor daqueles que o temem. e Ele quer transformar sua vida a partir do momento em que você confia Nele e entrega a Ele os seus caminhos. Lembra-se de como era sua vida antes de conhecer a palavra de Deus? Pois saiba que o Senhor apaga essa parte, se você verdadeiramente se converter de seus maus caminhos. Se você quer ser abençoado, deixe de lado o velho homem. Não há sentido em viver em prostituição, em mentiras, em negligência com os filhos e com a família. Aquele que anda nos caminhos do Senhor não precisa ficar abatido. O Senhor levanta o olhar e manda as suas misericórdias ao encontro daqueles que deixam de lado a vida mundana. Para Deus o seu passado de pecados jaz no esquecimento, mas para isso você também deve esquecer esse passado e olhar apenas para o presente que Deus colocou diante de você. E esse presente é a sua salvação. É a conquista de valores perdidos, de bênçãos deixadas de lado porque você não soube retê-las. Deus continua a distribuir Sua misericórdia, você vai continuar a dispensá-la?
O que terá para dizer aos seus filhos sobre as bênçãos de Deus? Como você se comportará diante da perspectiva de um confronto: o mundo e suas concupiscências e o conforto da salvação de Deus? A escolha é sua, pode erguer a cabeça e receber a Terra Prometida ou pode continuar abatido.
Graça e Paz!

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão



“Então falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Fala aos filhos de Israel que voltem, e que se acampem diante de Pi-Hairote, entre Migdol e o mar, diante de Baal-Zefom; em frente dele assentareis o campo junto ao mar. Então Faraó dirá dos filhos de Israel: Estão embaraçados na terra, o deserto os encerrou. E eu endurecerei o coração de Faraó, para que os persiga, e serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, e saberão os egípcios que eu sou o SENHOR. E eles fizeram assim.” (Êxodo 14:1-4)


Amado(a),

Neste trecho da Bíblia, Moises já havia obedecido ao Senhor e tirado o povo hebreu do cativeiro no Egito. Então, quando tudo parecia já não ser fácil, sair do comodismo de vida que levavam mesmo na escravidão e enfrentar uma travessia no deserto com cerca de dois milhões de judeus, o pior vem logo a seguir. Faraó desiste de ter liberado o povo hebreu e pega o seu exercito, por sinal o melhor da época, armado até os dentes e vai em perseguição contra um povo que não era habilidoso em guerras. Afinal estava cativo havia mais de 400 anos. Nem sequer armas o povo tinha e a situação já não era fácil porque a travessia até a terra prometida já era dura o suficiente. Mas o Senhor não faz nada sem antes avisar aos seus servos, os profetas, que a luta vem. Ele usa suas atalaias para avisar do ataque do inimigo e nos mostra que estará conosco e nos livrará. Mas porque é tão difícil acreditar na Palavra do próprio Deus, e mesmo após Ele já ter repetido e reafirmado suas promessas, nós murmuramos, dizemos que era melhor estar no Egito que ter sido liberto, queixamo-nos que Deus prometeu, mas não cumpriu imediatamente o que nos disse e ainda nos faz passar por lutar que simplesmente parecem impossíveis de se vencer. Imagine os judeus no deserto, em forma de planície, sem nenhum lugar como cavernas ou montes para se refugiar porque é assim o deserto que eles atravessaram, com o exercito mais poderoso da terra naquela época na sua retaguarda, e a frente um mar que não havia como ser atravessado. Muitos deveriam não saber nadar e mesmo se soubessem a distância era grande, tinham os objetos pessoais, mulheres, crianças, idosos e nem uma ponte, nem um barco sequer, nada. Era o famoso “Se ficar o bicho pega e se correr o bicho come”. Mas Deus já havia dito e advertido que o Faraó viria, estavam todos avisados, e o Senhor também disse que nesta situação o seu nome seria glorificado e os egípcios saberiam quem era o Deus Todo Poderoso.
Neste momento, qual deserto você atravessa? Qual é o exercito poderoso está atrás de você com armas que você sequer tem ou as sabe usar? Que mar grandioso e intransponível está a sua frente e você não têm como ir adiante? E qual é o teu posicionamento em relação a tudo isso? Você crê que Deus vai te livrar ou você esta chorando e queixando-se da situação apresentada neste momento? Creia, o Senhor será glorificado nesta situação e o seu poder fará o sobrenatural acontecer principalmente se isto significar ir contra as leis da física, da biologia, contra diagnósticos médicos, contra a as leis feitas por mãos humanas. Não há problema que não possa ser resolvido por Deus, ou doença que não possa ser curada, ou processo judicial que Ele não tenha total domínio. É Ele quem endurece e amolece o coração do homem e que a seu favor é capaz de fazer a terra girar ao contrário. Obedeça, descanse, confie e espere Nele, e seja o que for você vera a glória do Senhor manifesta nesta situação que se apresenta diante dos seus olhos. Glória a Deus por seu Poder, Misericórdia e Amor.

“E tentaram a Deus nos seus corações, pedindo carne para o seu apetite.”(Salmos 78:18).




Amado(a), esse versículo lembra a caminhada do povo de Deus pelo deserto, rumo à Terra Prometida. Esse povo, mesmo recebendo de Deus o precioso maná, a medida certa para seu sustento, reclamava e murmurava desejando carne. Carne que fez a escravidão desse povo. Quantos de nós reclamamos sem motivos, sem nos lembrar de glorificar a Deus pelo pão de todo dia e pela dádiva de vida e saúde. Porque Deus tem cuidado de nós na justa medida. Mas ansiamos pela carne, a carne que nos rouba a comunhão com o Pai, que nos leva a pecar e a buscar no mundo satisfações passageiras e enganadoras. Observe que o salmista diz no verso 37 “Porque o seu coração não era reto para com ele, nem foram fiéis na sua aliança.” Isso nos lembra, amado(a), o quanto somos incoerentes em nossas atitudes, e inconstantes em nossas ações. Nem mesmo nossos discursos são consistentes. Falamos que queremos algo e fazemos tudo ao contrário. Dizemos que queremos paz, mas nossas atitudes são belicosas. Dizemos que queremos estabilidade, mas nunca nos firmamos: na igreja, nas relações pessoais, no trabalho. Nem mesmo mantemos as amizades sinceras. Agimos muitas vezes com desrespeito e negligência com aqueles que sempre estiveram dispostos a caminhar conosco. Dizemos que amamos a família, mas ficamos tempos sem saber notícias de nossos entes queridos. Negligenciamos nossos pais, nossos amigos, ignoramos nosso papel de evangelizadores, quando dizemos que somos cristãos. E assim, seguimos tentando a Deus em nossos corações. Até quando, amado(a)? Já sabemos qual será o fim disso, por que então, continuar murmurando enquanto podemos nos fartar com o maná que sempre vem?
Graça e Paz!

domingo, 14 de junho de 2009

“Com a sabedoria se edifica a casa, e com o entendimento ela se estabelece;”(Provérbios 24:3).




Amado(a), edificar uma casa é construir um lar em bases sólidas. E, conforme nos ensina Salomão, isso só é possível com sabedoria. Hoje, com a banalização das relações, as pessoas acham simples realizar um casamento, montar uma casa, mas se esquecem de que ela não subsistirá às intempéries se nela não houver entendimento. A intempestividade tem sido a tônica das relações atualmente, na urgência de preencher as carências, de mitigar a solidão os casais não têm construído seus lares com alicerces sólidos. Faltam-lhes sabedoria para entenderem que amor é uma construção e não um toque de mágica. Faltam-lhes discernimento para perceberem que a idéia de amor, vendida pela mídia quase sempre com o objetivo de perpetuar uma sociedade consumista, tem sido a base das relações que não sobrevivem à primeira chuva. Vésperas dos dias dos namorados o que mais se podia ver era a falaciosa publicidade “Não passe o dia dos namorados sozinho(a)” ou “Quer arrumar um(a) namorado(a) antes do dia 12? Clique aqui”... Essa idéia do amor a La carte, ou em self service tem sido impregnada na sociedade e parece que a máxima “antes mal acompanhado do que só” tem prevalecido até mesmos em lares cristãos. Mas essa não é a orientação bíblica. A Bíblia recomenda esperar no Senhor e ser paciente nas crises. Com sabedoria se edifica o lar e com entendimento ele se mantém. Casais que sabem construir no dia-a-dia o seu lar envelhecem juntos desfrutando com harmonia o que muitos almejam conseguir em um toque de mágica. Por isso não se frustram. Bilhetes escondidos nas gavetas, declarações colocadas diante da mesa de trabalho, no computador, escritas no espelho, na porta da geladeira. Uma lembrança sem data específica, que não atende aos apelos comerciais. Um cuidado em agradar mesmo estando longe, um recado no celular sem momento programado, uma comida feita com carinho ainda que sem o glamour de restaurantes caros são exemplos de pequenos gestos que demonstram que o amor é reafirmado em pequenos gestos. Que não é coisa que se encontra nas baladas, nem se desfaz na primeira discussão. O amor descrito em Coríntios 13, vivido por aqueles que não se deixam seduzir pelas armadilhas do mundo não é amor de data comercial, não partilha de conveniências e não se firma em mentiras. Esse amor não acaba. Não é sazonal, nem instável. Sobrevive à falta de dinheiro, aos problemas inevitáveis. É como uma casa construída na rocha, não há tempestade que a derrube. E essa rocha só pode ser Jesus. Amado(a), você tem edificado sua casa na Rocha?

Graça e Paz!

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão



"Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu.” (Hebreus 10:23)


Amado(a),

Reter é guardar firme, segurar forte, não esquecer, ter na memória. Reter por si só já é uma palavra que denota firmeza, mas a expressão reter firme, seguramente quer reafirmar que aquilo que lhe foi prometido não pode jamais ser largado, esquecido, seguro com frouxidão, ou sequer gerar qualquer duvida ou sombra de duvida. Devemos segurar com muita firmeza a confissão da nossa esperança, aquilo que foi declarado ou revelado em relação ao que esperamos. Então, das nossas bocas jamais pode sair nada que contradiga aquilo que já nos foi declarado por Deus. Ele não é homem para mentir, nem filho do homem para se arrepender, o que prometeu certamente cumprirá. Mas a seu tempo, a sua hora e do jeito que o Pai planejou e arquitetou para nossas vidas. Não no nosso tempo, não na nossa hora, não da forma como desejamos. Como Pai Ele sabe o momento certo, alguns são abençoados antes. É se um Pai tivesse dois filhos gêmeos. Um mais responsável, mas ciente de suas responsabilidades e o outro, avesso a obediência, de temperamento rude ou que não consegue sequer reconhecer seus próprios erros. Ambos fazem 18 anos e o Pai dá um carro para apenas um deles. O Pai, como Pai, sabe o porquê disso. A vista do que não foi abençoado, isso parece maldade, tortura, tratamento desigual. Na verdade o tratamento é igual porque é gerado pelo mesmo amor. Amor este que é capaz de dizer não e discernir o momento do sim.
Nosso Pai é assim. Ele sabe quando você estará pronto a receber.
Apenas não abra mão, mantenha firme a sua confissão sobre a promessa dita, e no tempo oportuno, tudo será consumado na sua vida.
Deus lhe abençoe!

sábado, 13 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão



“Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.” (I Coríntios (13:13).


Amado(a),

E depois de tudo que foi visto durante a semana que se passou, a descrição mais preciosa sobre o amor que existe, como será que nos colocamos diante desta descrição? Será que nos dirigimos às pessoas que conhecemos perguntando se elas têm este amor por nós ou será que nos perguntamos se temos este amor pelos que dizemos que amamos? E em relação aos que não temos nenhum sentimento agradável e ainda assim a Palavra de Deus nos ordena amar? E os nossos inimigos e os que nos perseguem? Não olhe para os textos desta semana procurando julgar os que te cercam. Olhe para eles procurando julgar a si mesmo e rever os seus conceitos. Procure rever suas atitudes, seu modo de ver as pessoas, sua mania de julgar todo mundo e não olhar para a sua forma de ser. Quem ama nem sequer olha para isso, mas segue adiante, não se prendendo aos detalhes que são pertinentes ao caráter humano, mas se prendem a grandiosidade do Poder de Deus e de seu amor.
Depois de uma semana falando sobre o amor, ficam aqui diante de você a fé que é a certeza das coisas que se esperam e convicção de fatos que não se veem; a esperança que é a expectativa daquilo que esta sendo gerado pela fé; e o amor. Dos três o maior é o amor, porque os outros dois sem ele para nada adiantam.
Tenha amor em você e deixe que os outros dons que você possui sejam dirigidos por ele.
Deus lhe abençoe!

“Quantas vezes o provocaram no deserto, e o entristeceram na solidão!” (Salmos 78:40).”



Amado(a), nossos relacionamento talvez sejam a arena mais rica para nos ensinar sobre a vida. Mas é precisamente nas dificuldades que podemos aprender muito sobre nós mesmos.
Todos os nossos conflitos, angústias, frustrações e dificuldades em nossos relacionamentos, infalivelmente se referem a três pontos básicos na área emocional e espiritual: a vergonha, o choque e o abandono. E cada um deles tem sua origem em um trauma de um tipo ou outro em nossa infância, ou adolescência
A vergonha, que equivale a um senso de deficiência profundamente assentado em nós, muitas vezes nos intimida, ou nos impulsiona a situações de isolamento.
O choque é nossa resposta aos traumas que por sua vez nos remete ao sentimento de abandono, a privação e o nosso senso profundo de solidão interna.
E essa solidão nos torna vulneráveis e, não raras vezes nos leva a relacionamentos egoístas e distorcidos. Quando estamos sós, nos sentimos excluídos. Não recebemos cuidado nem carinho e então precisamos de um amigo.
Mas a combinação desses sentimentos ancorados em nós nos leva a procurar desvios nas relações que cabem a nós definir para nossas vidas. Ainda que repetimos a máxima popular “antes só que mal acompanhado”, nem sempre nos damos conta de que nossa ansiedade na luta contra essa solidão existencial nos leva a estar quase sempre mal acompanhados, quando não conseguimos ficar a sós conosco ou a buscar a companhia do Senhor para nos apontar qual é a melhor companhia. E nesse deserto que entramos, provocamos nossos fantasmas e atraímos as companhias menos recomendadas: justamente as que nos afastam de Deus e nos condenam a uma solidão maior, mesmo que tentemos mostrar ao mundo que não estamos sós.
Devemos também buscar amizades duráveis e sinceras, pois há "amigos" que apenas nos causam mais solidão. E aumentam em nós os sentimento de vergonha, choque e abandono.
Mas nisso tudo há que se tirar um ensinamento: compreender que a solidão é uma estratégia da própria vida para que possamos ter comunhão mais íntima, sólida e profunda com Deus e amor ao próximo como a nós mesmos. E para que possamos refletir sobre quem de fato nos aproxima e quem nos afasta de Deus. O que significa dizer. Quem nos afasta de nós mesmos e nos empurra para o que não queremos. Amado(a), não estamos sós. Há alguém se oferece a nós, em amizade sincera, amor desinteressado, constante e fiel. Esta pessoa é Jesus Cristo. Jesus sabia o que era solidão. Enquanto lutava em oração no Getsêmani, seus discípulos dormiam. Com tristeza, Ele perguntou: "Vocês não puderam vigiar comigo nem por uma hora?" (Mateus 26.40). Jesus sabe tudo a respeito das nossas fraquezas e o que significa ser humano, pois Ele "passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado" (Hebreus 4.15). Então, o que devemos fazer quando estamos nos sentindo sós, desamparados? Procurar Jesus e construir com Ele uma relação de confiança e amor. Ele nos entende e promete nunca nos deixar sozinhos.
"Estar a sós" e "sentir-se só" são coisas diferentes. Ficamos algum tempo a sós, é importante e necessário para que possamos refletir e descansar das pressões da vida, porque é uma oportunidade de construir relacionamentos conosco mesmo. Para, só então, podermos construir um relacionamento sincero e duradouro com uma pessoa quer Deus preparou para nós. E, assim, compreendemos que a solidão não é o que Deus quer para nós, pois Ele faz com que o solitário viva em família.
Graça e Paz!

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Palavra Viva: Palavra Diária para Comunhão



“Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.” (I Coríntios (13:11-12) .


Amado(a),

Estamos no tempo de saber parcialmente a verdade: Sabemos que Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida. Sabemos sobre todas as coisas que estão escritas na Bíblia, mas existem indagações que não podemos responder ainda. Também na vida secular, todas as coisas são paulatinamente e parcialmente reveladas. Quando nascemos, vamos aprendendo aos poucos a enxergar, andar, falar; depois vamos aprendendo na escola ano a ano conforme nossa inteligência alcança o entendimento. Quem está na faculdade não vê as coisas como quem está no ensino fundamental, mas tem uma visão de longo alcance e uma compreensão muito maior das coisas. Nossa capacidade de compreender e entender aumentam à medida que crescemos. Quando somos crianças, nos portamos como crianças, falamos como crianças, vestimos roupas próprias para a idade; ao evoluirmos, abandonamos as fraudas, as chupetas, as brincadeiras e linguajar característicos, deixamos para trás o alimento mais pastoso e, conforme crescemos, tudo isso vai sendo substituído por coisas diferentes e outras mais consistentes. Ainda hoje, quando nos consideramos adultos, somos de fato crianças para Deus porque a imagem que temos de nos mesmos é distorcida, não corresponde à exata realidade e ainda existem enigmas, questionamentos profundos demais para nossa inteligência e nosso conhecimento limitado e parcial. Mas um dia não conheceremos mais em parte, mas teremos o conhecimento que nos será revelado por Deus. Assim poderemos entender, compreender e conhecer assim como o nosso Pai nos entende, compreende e nos vê. Veremos-nos, a nós mesmos, face a face e também estaremos face a face com o nosso Pai.
Que grandes revelações teremos não é mesmo?

Deus lhe abençoe!

“Não guardaram a aliança de Deus, e recusaram andar na sua lei.” (Salmos 78:10).





Amado(a), a única ocupação de satanás é destruir sua vida, para chegar a sua alma e, se não puder destruir você, ele tentará destruir aquilo que você mais ama, seus filhos, sua família, dentro de sua própria casa. Para isso satanás tem usado de suas habilidades e conhecimentos milenares. Ele não nasceu ontem. Sua intenção é maligna e destrutiva e não está brincando conosco, nem com nossos filhos. Ele não tem regras, mas tem uma característica que deveríamos ter quando se trata de seguir um propósito: é perseverante. Diferente de nós, ele é constante e sutil. Moderno, astuto, sagaz e rico em tecnologia de ponta, ele não brinca em serviço. Não vacila em suas estratégias, mesmo sabendo que é um derrotado, ele se aproveita da nossa ignorância com relação à palavra. Ele tem seduzido nossos filhos para que se afastem da Igreja, da Palavra de Deus e dos pais. E como ele faz isso? Muitas vezes usando a nossa própria conduta. Nossa distância com relação aos nossos filhos. Nossa falta de compromisso com Deus e com as pessoas. Nosso mau exemplo. Nossa rebeldia em admitir que erramos e que carecemos de perdão e, principalmente, de mudar de atitudes.
Mas a geração que o diabo planeja levantar é a de filhos mais rebeldes, mais acintosos, mais amantes do mundo do que das coisas de Deus, menos fieis a Deus, mais covardes. Que não reconhecem a palavra de Deus e não guarda a Sua aliança. E, por isso, menos espirituais e mais carnais, com menos temor a Deus e à Palavra de Deus, mais ímpios, mais secos espiritualmente, mais feridos, mais depressivos, mais endurecidos, mais incrédulos, mais céticos, mais egoístas, mais consumistas e mais promíscuos.
E como pais o que temos com isso? Toda a responsabilidade, amado(a). Suprir as necessidades materiais é só o mínimo que podemos fazer e não é o principal. Isso até as entidades assistenciais tomam a si como atribuição. Os pais têm que suprir as necessidades morais e elevar a condição espiritual de seus filhos. Não fosse assim, Deus teria criado outra forma de popular a Terra. Crianças seriam como peixes, aves ou frutas. Mas somos filhos, feitos à imagem e semelhança de Deus e se nos tornamos pais nossa aliança não pode ser rompida. O exemplo é fundamental. O alimento espiritual deve ser dado pelo sacerdote do lar. A família precisa ser colocada em posição de honra, mesmo que seja uma família nos moldes diferentes do que o estabelecido por Deus. Se não atentarmos para a verdadeira aliança, se tudo é motivo para abandono, descaso e descompromisso, não há porque recebermos o rótulo de pais. Esta é a lei do Senhor. Esta aliança não pode ser rompida. Nossos filhos são o resultado daquilo que deixamos que eles sejam. E não adianta querer usar de autoridade se nosso coração nos condena. Se somos tudo aquilo que não queremos que nossos filhos sejam. Pense nisto!

Graça e Paz!

quinta-feira, 11 de junho de 2009



“O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.” (I Coríntios (13:8-10).


Amado(a),

Como cristãos devemos buscar o verdadeiro amor, aquele que o Senhor tem por nós, aquele que nunca desiste, nunca deixa de lado aqueles que precisam de nós, que não olha para o colega do trabalho e pensa só na demissão dele ao invés de orar pedindo sua salvação, um amor que é capaz de deixar de lado as piores atitudes que são cometidas contra nós e abençoar aquele que tramou o mal contra nossa vida, amor tal que jamais julgamos, mas olhamos as pessoas como Deus quer que olhemos: COM MISERICÓRDIA. Não importa o que lhe fizeram certamente você também terá culpa, principalmente se nesse momento você está pensando: ”Não quero nem saber de proximidade com tal pessoa, ela só me faz mal.” Cuidado com este pensamento, principalmente dentro de sua casa e dentro do Corpo de Cristo. Porque o amor, este nunca se omite, nem se descuida muito menos falha, deixando brechas para que o mal destrua os relacionamentos. Não é um amor fácil de ter dentro de si, é necessário exercitá-lo e decidir por seguir os seus passos. Não se baseia em emoção, em raiva, em mágoa, em desilusão ou frustração, mas tão somente na obediência a Deus. Porque as profecias serão proferidas e cumpridas, elas passam, existindo os dons de línguas, eles não têm continuidade, e a ciência, quanto a esta, ela é a, mais volátil de todas, pois muda a todo instante e diante do conhecimento de Deus ela desaparecerá da face da terra. Tudo isso ocorre porque tanto as profecias, quanto o conhecimento serão reduzidos a nada diante do Todo Poderoso e de todo o Seu conhecimento e grandiosidade, afinal todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Jesus Cristo é o Senhor, e tudo que sabemos parcialmente no dia de hoje, saberemos como de fato é, não haverá mais duvidas e toda a verdade será revelada. O que É Perfeito substituirá a imperfeição hoje existente e não haverá mais nada a ser escondido ou omitido.
Deus lhe abençoe!

“No dia da minha angústia busquei ao SENHOR; a minha mão se estendeu de noite, e não cessava; a minha alma recusava ser consolada.” (Salmos 77:2).”




Amado(a), cada um precisa levar seus próprios fardos e não há como transferi-lo para outra pessoa. A única pessoa que verdadeiramente fez isso foi o Senhor Jesus, quando tomou sobre Si nossos fardos, ao morrer na cruz e ainda hoje o faz se os depusermos aos Seus pés. Nossos sofrimentos são fruto do pecado nosso ou de outra pessoa e sofremos porque temos natureza pecaminosa. E sofremos porque outras também são assim e fazem coisas que nos machucam. Sofremos porque há um conflito entre o bem e o mal. E nem todas as pessoas conseguem discernir um do outro. Nesse versículo, o salmista nos dá um alento quando nos sentimos angustiados e é assim que se sente ultimamente, não é?
O que está havendo com você? Certamente ainda está na fase em que se encontrava o salmista, questionando a Deus por conta de suas angústias. Mas se lermos esse salmo integralmente vamos perceber que adiante o salmista muda sua forma de pensar e percebe a sua culpa nesse estado em que se encontra. Somos o resultado daquilo que escolhermos ser. Solidão, derrota, desencanto são plantados e se recebem adubo crescem com mais vigor do que as sementes que alguém joga em nosso terreno: o amor, o temor a Deus, a fé, a solidariedade, o respeito a família, aos amigos...
A partir do momento em que o salmista reconhece sua culpa, ele muda o discurso de dor e de acusação e começa a pensar de outra forma. Ele passa a enfocar os eventos da sua vida e de Deus e destaca os benefícios divinos. Se antes a sua alma se recusava a ser consolada, agora ele abre o coração para compreender o caráter do Criador.
Entenda essa lição amado(a), nossas palavras têm poder e agem sobre nós.
Positiva ou negativamente. Se declaramos as bênçãos, elas vêm sobre nós. Se afirmamos a derrota, ela se afirma sobre nós. Tudo, portanto, depende de onde colocamos nossa mente.
Se estamos atravessando um deserto, é nessa hora que devemos contar com a mão poderosa do Senhor e Ele estará cuidando de nós dia após dia, momento após momento.
Graça e Paz!