Traduza este blog

quarta-feira, 31 de agosto de 2011



“Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.” (Tiago 4:3)



Amado(a), temos visto que o egoísmo é a causa principal dos problemas que há entre pessoas. Muitos entram em um relacionamento visando o que ganhará com isso e não o quanto poderá ser edificado nessa relação. Quem age assim com o irmão, com o companheiro, com o colega de trabalho, não age diferente com Deus. Alguns vão à Igreja para receber, dificilmente para dar, para louvar, para cultuar. Congregam apenas quando lhes convém, quando têm algo a receber. Por conta dessa ação egoísta, muitas vezes os pedidos não são atendidos, porque Deus conhece e sonda os corações. A Igreja, os irmãos, ou a Bíblia na carregada para o culto aos domingos não podem servir de escudo para ações egoístas, para servir de álibi àqueles que se dizem evangélicos apenas quando isso lhe beneficia. Deus espera um engajamento genuíno á sua obra e um comprometimento que não permite “senões” e “ talvez”. Deus espera que os Seus filhos sejam legítimos embaixadores de Sua palavra em todo o tempo e lugar e ao pleitearem algo que seja para o bem comum e não apenas para prazeres pessoais. Mas a Bíblia nos mostra que o egoísmo tem remédio. Paulo nos ensina em Gálatas 2:20 “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.”
Amado(a), que possamos viver como legítimos herdeiros de Cristo, não só de suas bênçãos, mas também de sua missão.
Graça e Paz!

terça-feira, 30 de agosto de 2011



“Todos deram do que lhes sobrava; mas ela, da sua pobreza, deu tudo o que possuía para viver". (Marcos 12:44)


Amado(a), sempre ouvimos que Deus é o dono do ouro e da prata. É o soberano do universo e pode todas as coisas. Quem somos nós para termos a pretensão de darmos alguma coisa para Esse Deus Poderoso! De fato, Deus não precisa de nós, nem de nossas economias para ser Deus. Lemos adesivos em alguns carros que dizem: “Deus sem você continua a ser Deus. Mas você sem Deus não é ninguém”. É uma verdade incontestável: Deus É e pronto, mas nós carecemos de Sua Graça e misericórdia até mesmo para desfrutarmos o que Ele nos deu. Vejamos o caso de um milionário que aparentemente tem tudo. Entretanto, se padece de um mal, não pode acrescentar nem um minuto a sua vida, por mais que possa pagar fortunas aos melhores especialistas. Famílias que têm todo o poder, status e dinheiro não conseguem ter paz, harmonia, ou o respeito entre seus membros. Quantos filhos de famílias abastadas estão se perdendo na promiscuidade do mundo! Quantos pessoas lindas, ricas e talentosas estão infelizes!
Para entendermos esse paradoxo, precisamos compreender o sentido do versículo em epígrafe. Na passagem da viúva pobre, Deus nos ensina sobre desprendimento. Quem se dispõe a dar o que sobra, não demonstra o amor e o devotamento daquela viúva que tirou todo o seu sustento. Isso para Deus não demonstra apenas sacrifício, mas no ato sacrificial, a confissão de uma confiança tal e uma devoção impar, que não pode ser aquilatada quando retiramos daquilo que nos sobeja. Deus não precisa de nosso dinheiro, nem mesmo de nosso tempo, mas sendo um Deus de relacionamento, Ele espera que devotemos a Ele a devida atenção. Não é o valor do que damos, mas a forma como nos comprometemos com Ele e com a Sua obra.
Amado(a), o que você tem “ofertado” a Deus? Nem sempre é a oferta em dinheiro, em bens que Ele espera, mas parte de seu tempo e de sua dedicação à obra. Você tem oferecido a Ele as primícias de seu tempo, ou apenas tem cumprido religiosamente o papel de freqüentador de cultos? Há um ditado popular que afirma “se quiser que algo seja feito, peça a quem não tem tempo”. Vemos nas nossas convivências, tanto na igreja, que a sabedoria popular se aplica. Quem tem tempo sobrando nada faz para Deus ou mesmo para si, ao passo que aqueles que dedicam a primícia de seu tempo ao Criador conseguem administrar o que lhes sobra de tal forma que encontram tempo para tudo. Até para serem felizes!
Graça e Paz!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011



“Mas, como está escrito: As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.” (Coríntios 2:9)


Amado(a), nosso conhecimento acerca do que Deus tem preparado para nós é imperfeito e incompleto. Mas pela revelação do Espírito Santo, podemos imaginar uma boa parte daquilo que nos espera. No céu, com toda certeza não haverá mais temor de mudança, modificação e troca; não estaremos à mercê das conseqüências de nossas escolhas, muitas vezes insensatas e direcionadas pelas intenções maléficas do príncipe deste mundo. Lá, ao contrário, estaremos eternamente abrigado nEle. O pecado estará excluído e estaremos cercados pela presença de Deus. Habitaremos numa cidade que jamais poderá ser destruída por catástrofe alguma ou má administrada por conta da corrupção ou ganância humana. A promessa é de nos deliciaremos num rio que nunca seca, e colheremos os frutos de uma árvore que nunca perde suas folhas! Todas as coisas temporais se desfazem, mas a eternidade permanece sem fim. É muito confortante sabermos que estaremos para sempre com o Senhor.
Amado(a), um futuro indizivelmente glorioso espera pelos santificados. Por isso, devemos persistir na obediência à palavra de Deus e nos firmarmos nAquele que preparou para os Seus filhos o melhor!
Graça e Paz!

domingo, 28 de agosto de 2011



“Portai-vos com sabedoria para com os que são de fora; aproveitai as oportunidades”. (Colossenses 4.5)

Amado(a), muitas vezes pensamos que o Senhor não atende às nossas orações. Pensamos que Ele não quer ou não se importa com o que pedimos, mas às vezes nós é que temos entendimento suficiente para enxergarmos que Ele já respondeu. Agimos tão tolamente que somos incapazes de ver o que está à nossa frente o tempo todo. E assim, continuamos insistindo em pedir algo que já nos foi dado. Se não tomamos posse, a responsabilidade é inteiramente nossa. É interessante observarmos o quanto nos deixamos cegar pelas ilusões do mundo e o quanto perdemos com nossa insensatez em não ouvir os profetas de Deus, ou em não obedecer ao que nos está sendo ensinado pela Palavra.
Muitas vezes Deus deixa recados claros para seguirmos por um caminho ou nos desviarmos de outro e ainda assim preferimos seguir nossa própria intuição e deixamos escapar a oportunidade de receber a bênção que nos foi destinada. É preciso enxergar e aproveitar as oportunidades dadas por Deus! Quando elas surgem, são criadas e preparadas por Deus para fazermos alguma coisa criando algo novo ou para escaparmos de alguma situação difícil! Devemos aproveitar a oportunidade de fazer o bem para com todos os que estão ao nosso redor, como nos ensina o apóstolo em Gálatas 6:10 “Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé”.Devemos aproveitar a oportunidade de sermos livres e de nos tornarmos livres, lembrando o que a Bíblia diz 1ª Coríntios 7:21 “Foste chamado, sendo escravo? Não te preocupes com isso; mas, se ainda podes tornar-te livre, aproveita a oportunidade”. Mas, sobretudo, devemos aproveitar o tempo de abraçar a salvação em Cristo “E nós, na qualidade de cooperadores com ele, também vos exortamos a que não recebais em vão a graça de Deus (porque ele diz: Eu te ouvi no tempo da oportunidade e te socorri no dia da salvação; eis, agora, o tempo sobremodo oportuno, eis, agora, o dia da salvação” (2 Coríntios 6.1-2).
Amado(a), como você tem aproveitado as oportunidades que Deus tem lhe dado?
Graça e Paz!

sábado, 27 de agosto de 2011



“Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também.” (João 14:1-3)



Amado(a), o Senhor nos exorta a confiar e a crer nas suas promessas, tendo o coração tranqüilo. Isso significa encarar a vida e as dificuldades que ela nos impõe olhando não para as dificuldades em si, mas para Aquele que já venceu e por seu intermédio nos fez vitoriosos. Nos momentos difíceis da vida precisamos tomar a atitude de enxergar além das circunstâncias e, firmados nas promessas de Deus, esperar com confiança. Jesus sabia que iria morrer e, mesmo em direção à morte de cruz, seguiu tranqüilamente, com uma certeza inabalável, porque se firmou na promessa do Pai. Aos seus discípulos Ele manifestou essa confiança quando lhes disse “”estaremos reunidos no Reino de Deus”.
Amado(a), não sabemos quando este dia chegará, mas é certo que chegará. Em 2 Pedro 3:10-13 lemos “O Dia do Senhor virá como o ladrão de noite, no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra e as obras que nela há se queimarão. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato e piedade, aguardando e apressando-vos para a vinda do Dia de Deus, em que os céus, em fogo, se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça.” Porque não sabemos quando, devemos viver como se fosse o último e da forma como o Senhor espera.
Graça e Paz!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011



Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos. (Salmos 119:71)


Amado(a), os momentos difíceis nos ensina a procurar enxergar a situação com os olhos de Deus e encontrar então motivos para agradecer ao invés de lamentar. Foi exatamente isso que o Senhor Jesus fez. Ele sabia da intensidade do sofrimento pelo qual teria que passar, no entanto também os enxergava com os olhos do Pai. Ele sabia o que viria a seguir, mas sabia que o sofrimento tinha um tempo determinado para acabar, como bem nos lembra o sábio em Eclesiastes 3: 1 “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu”. Ele sabia que a vitória completa dependia daquele sofrimento, mas também sabia das incontáveis e eternas bênçãos conseqüências daquele sofrimento. Observe que, antes de partir o pão, Ele deu graças, para em seguida, instituir o cerimonial apresentando o seu corpo dado por nós.
Amado(a), sabemos que, se nem mesmo Cristo foi poupado, mesmo sendo fiéis, não estamos imunes, enquanto estivermos na Terra, aos momentos difíceis da vida. Por isso Jesus alertou os seus discípulos ao mesmo tempo em que os confortou: “... no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” (João 16:33). E é isso que Ele continua nos dizendo ainda. Precisamos ver as circunstâncias com os olhos de Deus, sabendo “que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto”. (Romanos 8:28)
Graça e Paz!

quinta-feira, 25 de agosto de 2011



"Assim como a água reflete o rosto, o coração reflete quem somos nós." (Provérbios 27:19)




Amado(a), o coração revela o nosso eu real - quem somos de verdade, não o que os outros pensam que somos ou que as circunstâncias nos forçam a demonstrar. E nosso coração é conhecido por Deus. Muitas vezes apresentamos uma imagem pública e no nosso íntimo somos totalmente diferente. Quantas vezes representamos aquilo que não somos e isso nos deixa frustrados. Na verdade, por mais que tentemos, não conseguimos enganar a nossa própria consciência. O escritor Augusto Cury, ao tratar da personalidade de Jesus, fez essa constatação, no livro “O mestre dos Mestres” “Aquele que é infiel à sua própria consciência, tem uma dívida impagável consigo mesmo.” Isso é mais que evidente na vida de celebridades que aparecem na mídia com um glamour que não se sustenta na sua intimidade. É visível nas garotas que precisam do foto shop e de se mostrarem atraentes e felizes para “clientes” que pagam por aquilo que não existe na realidade. É notório para aqueles que vendem a própria consciência pelo dinheiro, status ou poder, que sabemos ser temporário e que não preenche o vazio. Pode não ser explícito no contato inicial, quando uma pessoa tenta mostrar o que não é, mas jamais fica escondido, porque, com o tempo as coisas se mostram como são de fato e, conforme lembra K.G “As aparências não enganam. Para quem sabe observar, cada homem traz estampado no rosto a descrição de sua alma.”
Graça e Paz!

quarta-feira, 24 de agosto de 2011



"Por isso, não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente, não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas." (2 Coríntios 4:16-18)

Amado(a), é natural, em momentos difíceis, ficarmos fragilizados em nossos sentimentos, deixando surgir o sentimento de auto-piedade, darmos espaço à ansiedade, ao mau humor ou à tristeza, à ira e até ao desejo de vingança. Mas nesses momentos precisamos tomar a atitude de deixar Deus tratar dos nossos sentimentos. É fundamental que entreguemos os nossos sentimentos , com sinceridade e disposição para deixar que Ele nos trate. Mas é essencial que tenhamos disposição para aceitar o tratamento que Ele prescrever, buscando Nele o tratamento para os nossos sentimentos. O erro de muitos e que leva ao fracasso tanto na vida cristã, como na vida secular é justamente a falta de diligência em fazer o que Deus nos orienta em Sua Palavra. Jesus nos deu o exemplo de como proceder nos momentos difíceis. Na noite mais terrível de sua vida, Ele não deixou de obedecer e não reclamou do Pai. Outra coisa que é preciso ser feita nesses momentos é buscar a presença de pessoa que nos amam e que podem nos ajudar a seguir em frente. É preciso nos rodear de amigos verdadeiros e irmãos em Cristo, não de amigos mundanos ou pessoas oportunistas. Infelizmente, muitos, quando estão enfrentando lutas, além de se afastarem da igreja, deixam-se rodear de inimigos do evangelho, de quem os afasta da presença de Deus, em vez de buscar apoio naqueles que podem lhes dar o alicerce cristão.
Graça e Paz!

terça-feira, 23 de agosto de 2011



Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, que Eu hei-de aliviar-vos. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para o vosso espírito. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve. (Mateus 11: 28-30)


Amado(a), todos passamos por momentos difíceis nesta vida. E alguns desses momentos não são tão momentâneos quanto esperamos que sejam. Nem todas as enfermidades são de rápida recuperação. Muitas vezes os problemas financeiros em vez de melhorarem se avolumam com uma bola de neve. Os momentos difíceis acontecem também para os que não enfrentam crises financeiras, ou de saúde. Eles existem para todos os seres viventes, de alguma forma. Às vezes são previsíveis, resultantes de uma escolha nossa, outras são infortúnios que apareçam repentinamente, eis porque é necessário estarmos preparados para, quando eles vierem de encontro a nós, tomarmos as atitudes corretas. Essas atitudes podem ser aprendidas nas lições de Jesus. Até mesmo os não cristãos reconhecem que Jesus viveu momentos difíceis. Nós cristãos compreendemos que Ele já veio destinado a sofrer e que o sofrimento estava incluso na missão que ele veio cumprir. Precisamos tomar a atitude de conservar o foco que Deus quer que tenhamos, considerando o exemplo de Cristo. A atitude de Jesus na noite em que foi traído demonstra essa determinação em não perder de vista a missão que veio para cumprir. E nós, nos momentos difíceis da vida, não podemos nos esquecer de que somos servos de Deus.
Nesses momentos muitas vezes são nos apresentados “caminhos” que, aparentemente, se mostram a solução para os nossos problemas. Mas estes mesmos caminhos exigem que deixemos de olhar para Jesus e nos levam a desviar do que está escrito em João 14:6. A única atitude sensata é conservar o foco e não aceitar nenhuma proposta que nos faça sair da presença de Jesus.
Graça e Paz!

segunda-feira, 22 de agosto de 2011



Eu, o SENHOR, a guardo, e cada momento a regarei; para que ninguém lhe faça dano, de noite e de dia a guardarei. (Isaías 27:3)

Amado(a), o profeta Isaias traz à nossa memória uma das grandes promessas do Senhor: Ele cuidará dos Seus no dia da tribulação. O Senhor promete que arrebanhará os perdidos e acolherá os rejeitados. Mas essa promessa, amado(a), não é algo por vir. Ela acontece cotidianamente, sem que tenhamos consciência disso. Muitas vezes nem nos damos conta dos livramentos e da providência Divina no nosso dia-a-dia, mas é certo que o Senhor tem cuidado de nós a cada momento. Quando paramos para refletir, ponderamos que Ele está presente até mesmo na forma de agir de uma pessoa inconveniente, ou no sinal fechado que nos atrasa de alguma forma e nos livra de algo ruim mais á frente. Ele está presente na palavra dura que recebemos e que não nos agrada de imediato, mas se mostra um alicerce para uma decisão que definirá nossa sorte. Ele está presente no não que recebemos, nas voltas que involuntariamente fazemos. Se a promessa do Senhor é a de nos guardar, certamente Ele usa as mais diversas pessoas e estratégias para nos guiar, livrar e proteger. Assim como nos dias do profeta, ainda hoje Ele nos envia recados para nos lembrar disso.
Amado(a), por que você ainda insiste em duvidar das ações desse Deus maravilhoso? Lembre-se de que Ele é Javé Shamá. O Senhor está sempre presente.

domingo, 21 de agosto de 2011



E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis.
(Apocalipse 21:5)


Amado(a), essa é uma mensagem de esperança e vem Daquele que é fiel e cumpridor das promessas. O Senhor garante que fará novas todas as coisas. Isso significa que o mal que nos assola tem tempo determinado para acabar. As coisas ruins terão fim e tudo será renovado porque o Senhor promete um novo céu e uma nova terra, para aqueles que esperam com persistência e confiança na sua palavra.
Amado(a), se os tempos são maus, o Senhor é bom e tudo o que Ele prometeu será entregue. Creia nisto e tranqüilize seu coração.
Graça e Paz!

sábado, 20 de agosto de 2011



Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça. (Romanos 12:20)


Amado(a), quantas vezes fazemos o bem e esse ato é tomado por mal? Quantas vezes tentamos ajudar alguém, aconselhando, apontando um caminho seguro e somos mal entendidos por isso? Às vezes deixamos nossos afazeres para ajudar, emprestamos nossas economias para livrar alguém de uma situação difícil e essa pessoa nos trata como intrometidos e em vez de agradecer o ato desprendido, age como se fossemos inimigos?
Se agíssemos como o mundo ensina “eu trato como sou tratado”, certamente só agiríamos segundo nossos interesses e retribuiríamos a indiferença e a ingratidão, mas a Bíblia no ensina o contrário: fazer o bem até mesmo aos que nos fazem mal. Continuar tratando com amor e
respeito aqueles que nos desprezam e desrespeitam apesar do bem que lhes fazemos. Jesus agiu assim. Perdoou os que lhes açoitaram, aceitou os que lhes negaram e não perseguiu os que lhes perseguiam. E é também assim que Ele espera que façamos. Diferentemente do que o mundo ensina, agindo assim, só temos a ganhar, tanto na terra como no céu. Basta olhar a vida das pessoas que seguem os princípios de Cristo e a vida daquelas que seguem a orientação do mundo: a paz e a prosperidade em todos os sentidos está na vida dos primeiros. Já o segundo grupo, certamente amontoam brasas em suas cabeças. Contudo, se conseguem enxergar o que fazem e aproveitam para se redimir, eis um caminho para a verdadeira conversão e libertação, mas se preferem se fazerem de vítimas e continuarem a acusar os outros de seus infortúnios, certamente aumentarão as brasas enquanto os que estão em sintonia com a vontade de Deus continuarão desfrutando a paz e a prosperidade de Deus. É sempre bom lembrarmos que bênção ou maldição encontram pouso de acordo com a vida daquele que recebe.
Graça e Paz!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011


“Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade.” (1 João 3.18)

Amado(a), Deus nos criou para relacionamentos e deseja que os experimentemos no que eles têm de melhor. Entretanto, mesmo que desejemos relacionamentos profundos, autênticos, marcados por integridade e comunicação franca, poucas vezes os experimentamos. Alguns ocasionalmente, uma vez na vida, ou nunca. Muitos são os que pautam seus relacionamentos por hostilidades expressadas e mágoas ocultas. Embora diversos fatores contribuam para isso, certamente a causa de tanto desacerto é o fato de violamos os requisitos básicos dos relacionamentos autênticos. E um deles é a honestidade. Dizer a verdade aos outros é a base dos relacionamentos genuínos. Falar a verdade sempre foi e sempre será o caminho para relacionamentos autênticos. Mas falar a verdade não significa comunicar grosseiramente as nossas diferenças ou descontentamento. Significa mostrar ao outro o que sente, crê, ou espera, aceitando a sua reação, que nem sempre está em sintonia com a nossa forma de pensar.
Ansiamos por relacionamentos nos quais possamos ser completamente honestos, abertos e vulneráveis. Nos quais possamos partilhar sucessos e fracassos, qualidades e defeitos. Nos quais possamos expor nossas dúvidas e temores. Nos quais possamos trocar confidências e esperar fidelidade. Mas nos esquecemos que o verdadeiro relacionamento só pode se basear no princípio da fidelidade e do respeito que começa em nós. Quem não ama a si mesmo e não respeita os seus limites não pode esperar isso de outrem.
Graça e Paz!

quinta-feira, 18 de agosto de 2011


Sede meus imitadores, como também eu de Cristo. (I Coríntios 11:1)


Amado(a), reconhecemos um cristão autêntico não pela seu discurso, ou frequência à igreja. Mas pela sua mudança de vida, conforme as palavras de Paulo em 2 Cor 5:17– “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”. Se uma pessoa afirma ser cristã e não apresenta novidade de vida, a sua profissão de fé é inútil, pois como disse Jesus: “ Necessário vos é nascer de novo”, João 3:7. De igual modo, reconhecemos um verdadeiro cristão pelo seu comprometimento com a causa do Mestre. O autêntico cristão, não é aquele que faz as obras apenas quando é visto, tampouco é preguiçoso para as coisas do seu Senhor. Ele está sempre disposto na seara do Mestre. Aquele que um dia entregou a sua vida a Jesus não se esquece do compromisso em nenhum momento, pois conforme destacou Lucas 9:62. “Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus”. Um cristão genuíno evidencia em sua vida o fruto do Espírito, descrito por Paulo aos Gálatas 5: 22 “O fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança”, Um Cristão real anda no Espírito, porque ele é templo e morada do Espírito Santo, como bem lembrou o apóstolo em Gálatas 5:24, 25. “Os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.
Amado(a), precisamos fazer um auto exame em nossas vidas e verificar se o nosso conceito de cristianismo confere com a verdade expressa nas Sagradas Escrituras.
Graça e Paz!







quarta-feira, 17 de agosto de 2011




Se alguém me serve, siga-me, e onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará. (João 12:26)



Amado(a), estamos vivendo tempos difíceis, tempos em que não é fácil reconhecer um cristão genuíno. Lembramos os tempos da Igreja Primitiva, quando os verdadeiros cristãos precisavam se reunir nas catacumbas porque a sua forma de vida e de expressar o Evangelho era facilmente reconhecida pelo mundo que os perseguia. Hoje, lamentavelmente, vemos que o mundo não precisa de muito esforço para perseguir o cristão, antes precisa se esforçar para reconhecer um autêntico seguidor de Cristo, pois o que se apresenta com esse rótulo é muito mais um grupo de pessoas que se intitulam cristãs, orientadas por aparência circunstancial e não vem de mudanças interiores. Vemos homens e mulheres que se desgastam por tentarem seguir as vozes conflitantes da nossa cultura, que se frustram em relacionamentos marcados mais pelo engano do que pelo diálogo franco. Assistimos dentro das igrejas, casamentos em que os cônjuges se toleram em vez de restaurarem um ao outro, em que o modelo de família desconsidera a figura do sacerdote do lar e da auxiliadora idônea e isso se reflete na criação dos filhos. Vemos freqüentadores de igreja, em vez de servos de Deus, cristãos mal-orientados que escondem atrás de máscaras sorridentes a ineficácia de seu ministério e a incoerência entre o que creem e o que vivem. Vemos que seu orçamento e está fora de controle porque não levam a sério a tarefa de mordomos. Vemos cristãos que expressam seu amor a Deus durante os cultos, mas ignoram os Seus mandamentos no cotidiano.
Amado(a), precisamos voltar a nos reunir nas catacumbas e a descobrir lá no mais profundo canto escondido de nosso coração a genuína essência do Evangelho que liberta, para apresentarmos ao mundo um novo homem, aquele que faz a diferença, aquele que será reconhecido e perseguido por isso. Mas que seja um exemplo a ser seguido.



Graça e Paz!

terça-feira, 16 de agosto de 2011



Agora, pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a ousadia a tua palavra; (Atos 4: 29)


Amado(a), quantas vezes o evangelho da verdade não é propagado por conta das ameaças que vêm de todas as formas? Quantas vezes a nossa timidez nos impede de abrir a nossa boca e de fazer soar em bom som e com intrepidez a única verdade que deve ser anunciada a todos os povos? A resposta as essas questões é evidente. Todas as vezes em que deixamos que a voz do mundo fale mais alto, nas incontáveis ocasiões em que satanás coloca um orador mais eloqüente para ser o porta voz da sua verdade, que convence a muitos com mais facilidade do que a mais simples e clara verdade bíblica anunciada por Jesus e registrada em João 14:6: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.”
Amado(a), por quanto tempo ainda vamos deixar que o diabo use a palavra para distorcer a Palavra? Por quanto tempo vamos nos calar para que ele fale aos nossos familiares, amigos, colegas e irmãos? Enquanto nos calamos, permitimos que ele passe a certeza de que é o dono da verdade. Sabemos que a verdade do Evangelho só encontra compreensão se for preparada pelo Espírito Santo, porque não há orador por mais eloqüente e sábio que seja capaz de comunicar uma mensagem se ela não encontrar um terreno fértil para recebê-la. Eis porque precisamos pedir ao Espírito Santo de Deus toda a ousadia e intrepidez necessária para que os Seus comuniquem a mensagem a um coração pronto para recebê-la
Para que se cumpra hoje o que aconteceu em Atos 4: 31 “E, tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a palavra de Deus”.



Graça e Paz!

segunda-feira, 15 de agosto de 2011



Mas se o ímpio se converter de todos os pecados que cometeu, e guardar todos os meus estatutos, e proceder com retidão e justiça, certamente viverá; não morrerá. (Ezequiel 18:10)


Amado(a), Deus está nos falando sobre arrependimento e perdão. Ele garante o perdão àqueles que deixam de praticar o mal, àqueles que ponderam sobre os seus passos errados e decidem praticar o bem e andar nos Seus estatutos. Converter é voltar atrás. Quem segue praticando as mesmas obras as quais fazia no tempo em que não conhecia a palavra de Deus não pode afirmar que é convertido. Apenas o conhecimento da palavra não garante a conversão. Conversão é mudança e só acontece após um genuíno arrependimento. Quem se arrepende consegue perdoar e receber o perdão. Deus nos dá o exemplo e a garantia de que não levaremos a culpa, embora não estejamos livres de assumir as conseqüências de nossas escolhas passadas. Entretanto, podemos decidir nosso futuro e esse momento é agora. A Bíblia afirma que “a alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai levará a iniqüidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele”. Eis porque precisamos assumir nossas falhas e, sobretudo, tomar uma posição de não mais cometer os mesmos erros.



Graça e Paz!

domingo, 14 de agosto de 2011



Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas quando forem tentados, ele mesmo lhes providenciará um escape, para que o possam suportar. (I Coríntios 10:13)




Amado(a), ninguém está livre de ser tentado, porque o inimigo de nossas almas não desistiu e é persistente em sua tarefa de nos tirar do alvo. Entretanto, Deus nos garante que não seremos tentados além do que podemos suportar. Se alguns caem é porque tiraram os olhos do Senhor, depois de relaxarem espiritualmente, deixando de lado as práticas espirituais que nos fortalecem. Alguns, por impaciência, não esperam a promessa de Deus e se comprometem
intempestivamente, deixando de ouvir o Senhor para se entregar a ilusões do mundo. Isso porque pensam que estão imunes e preparados para enfrentar o inimigo que muitas vezes vem sorrateiramente com aparência de amigo. Muitos se enredam porque não dizem não fogem de convites do mundo achando que são fortes o suficiente para pisar no terreno do inimigo. Outros são ingratos e não sabem reconhecer o bem que lhes é feito. Preferem reclamar e murmurar do que agradecer até mesmo quando são admoestados na palavra.
Amado(a), nunca se esqueça de que o cristão está me permanente guerra e que esta guerra não é contra a carne e o sangue e que nunca é experiente demais para não cair. Por isso deve ser sóbrio e vigilante e se lembrar sempre de que tem autoridade para resistir ao diabo e fazê-lo fugir. Se em volta de você alguns caíram, observe que muitos também são os que resistem. Espelhe-se nesses e lembre-se sempre de que Deus providenciará o escape para toda e qualquer tentação.



Graça e Paz!

sábado, 13 de agosto de 2011



Para que vos não façais negligentes, mas sejais imitadores dos que pela fé e paciência herdam as promessas.(Hebreus 6:12)


Amado(a), o autor de Hebreus nos ensina a sermos cuidadosos, firmando-nos no exemplo dos homens de fé que souberam esperar pela promessa Daquele que é fiel até o fim. E essa fidelidade para com Sua obra, o mesmo cuidado para com as coisas de Deus Ele espera que exerçamos até o fim. Abraão esperou com paciência e alcançou a promessa do Senhor. É nosso exemplo de fé que espera apesar das circunstâncias se mostrarem contrárias. Deus cumpriu a palavra dada ao patriarca e porque é o mesmo de sempre, portanto, impossível que minta, Ele não deixará de cumprir também a palavra dada a nós.
Amado(a), se você tem uma promessa de Deus, creia que ela se cumprirá, mesmo que tudo pareça encaminhar-se para o contrário, porque Ele é fiel.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de oração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve”. (Mateus 11:28-30).


Amado(a), Jesus nos tem feito esse convite desde a Sua passagem entre os homens e continua a fazê-lo por meio da Sua palavra escrita e nos apelos do Espírito Santo. Ele nos oferece descanso e refrigério e garante que seu jugo é suave e seu fardo leve. Também nos exorta a aprender com Ele. Como um bom pastor, deu a vida por suas ovelhas para que não fiquemos mais à mercê do inimigo. Amado(a), Ele nos chama com amor eterno e com benignidade nos atrai. Mas só você pode aceitar esse convite, pessoal e intransferível. Se você ainda não percebeu que o melhor lugar do mundo é aos pés do Salvador, onde a esperança traz alívio ao sofredor, onde há fonte de água viva que sacia a nossa sede, deixe que o Espírito Santo fale ao seu coração, mesmo que no silêncio da sua dor ou na tribulação. Jesus está ali, como um bálsamo, como fonte de amor inesgotável e só Ele pode aliviar seu cansaço, sua dor, suas frustrações e tristezas.


Graça e Paz!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011




"Porque éreis como ovelhas desgarradas; mas agora tendes voltado ao Pastor e Bispo das vossas almas". (I Pedro 2:25).


Amado(a), observe que o verbo empregado no passado faz referência ao tempo em que vivíamos longe de Cristo. O mundo inteiro é como a ovelha perdida sobre a qual nos fala Pedro. Infelizmente ainda são muitos os que seguem o seu próprio caminho, longe do aprisco, sem ouvir a voz do pastor. Estão perdidos nas trevas, seguem errantes e cativos do pecado. Jesus é o Bom Pastor que veio buscar e salvar o perdido, e para isso foi necessário entregar a sua própria vida para salvar as suas ovelhas. Ele tomou o nosso lugar e morreu por nós. Para que a nossa morte fosse vida. Para que possamos contemplar a Glória de Deus, quando Ele nos chamar para a Eternidade. Não precisamos mais ficar desgarrados, nem temer a morte, ou o predador de nossas almas, pois Jesus já nos resgatou. Se já voltamos ao lugar seguro não precisamos mais nos expor aos perigos. Jesus é o Bom Pastor que nos chama e não descuida de Suas ovelhas.
Amado(a), se você já viveu a experiência de se afastar do rebanho, se já sofreu as conseqüências de sua negligência e por ter se distanciado ficou a mercê do inimigo, saiba que Jesus lhe toma pela mão e não quer perdê-lo(a), assim como o pastor que deixou as noventa e nove ovelhas e foi em busca de uma o Senhor lhe resgatou das trevas para viver na Sua maravilhosa luz. Não deixe que essa luz se distancie. Não se afaste mais da presença Daquele que deu a Sua vida por você.


Graça e Paz!

quarta-feira, 10 de agosto de 2011



“Hoje, se ouvirdes a voz do Senhor, não endureçais os vossos corações, como aconteceu no tempo da revolta” (Hebreus 3:15).


Amado(a), a Bíblia é sábia em todos os aspectos e quando retemos os seus conselhos, abrindo nossos corações com sensibilidade para compreender e vivenciar a palavra só temos a ganhar. Crescemos como cristãos e, mesmo em face da maior adversidade, encontramos a direção para sair do problema, seja ele o que for. Precisamos entender que quanto mais endurecidos, mais vulneráveis ficamos diante do inimigo, embora imaginemos que estamos nos resguardando ou formando uma barreira de proteção. O nosso escudo é a palavra de Deus e a única barreira de nos impede da contaminação do mundo. Muitos têm se deixado contaminar porque não se apropriam do poder que contém a mensagem divina. Porque seus corações estão endurecidos são incapazes de perceber os recados que Deus tem mandado de todas as formas e por vários portadores. Mas o certo é que, quando Deus fala e o homem insiste em não ouvir, Ele usa até mesmo uma mula, se preciso for, para que ele possa entender que há caminhos que parecem bons ao homem, mas só o Senhor conhece o que é melhor. Eis porque não podemos deixar de ouvir a voz de Deus. Eis porque precisamos abrir nossos corações.


Graça e Paz!

terça-feira, 9 de agosto de 2011




Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, Remindo o tempo; porquanto os dias são maus. (Efésios 5:15,16)

Amado(a), a Bíblia é o manual de instrução que, se seguido criteriosamente, garante, não uma vida sem problemas, mas a certeza da vitória sobre os eventuais problemas que acometem a vida de todos os seres viventes. O que determina o sucesso dos vencedores não é a ausência de dificuldades, mas como lidam com esses obstáculos. Muitas pessoas preferem ignorar a experiência próprias ou de conselheiros e seguem cometendo os mesmos erros, mesmo sabendo qual será o resultado da desobediência. Precisamos aprender a ser cristãos, a exercer nossa autoridade sobre as forças do mal, mas, sobretudo, precisamos aprender a controlar o nosso maior inimigo: nossa resistência à palavra. Enquanto não aprendermos a orar, a vigiar e a seguir com determinação os planos de vida que Deus tem para nós, sem contestar as autoridades espirituais, mas cooperando para a efetivação do evangelho, certamente, atrasaremos as bênçãos a nós liberada.
Amado(a), como você tem agido diante dos conselhos de seus líderes? Como você tem se comportado diante dos velhos problemas? Como você tem reagido diante da oportunidade de escolher entre bênção e maldição?
Graça e Paz!


segunda-feira, 8 de agosto de 2011


Para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda a boa obra, e crescendo no conhecimento de Deus; (Colossenses 1:10)


Amado(a), Deus tem nos chamado a refletir sobre o por que os seres humanos são tão tolos em pensar que já têm a sua garantia nos céus pelo fato de que professam que creem em Deus. A questão é quando um crente diz-se e não vive o que diz. Acompanhamos o crescimento do número de “evangélicos” no pais, mas sempre podemos nos alegrar com isso, pelo fato de que o cristianismo perdeu a sua verdadeira identidade. Muitos têm usado o rótulo de evangélicos, mas continuam levando uma vida mundana. Freqüentar igreja não é sinônimo de conversão.
A única forma de reconhecermos um cristão autêntico é pelo conhecimento da verdade, pois se ele tem conhecimento da verdade que o liberta da contaminação do mundo. De nada adianta agradar às pessoas se não agradarmos a Deus.
Muitos tem feito pouco caso para as coisas de Deus. São tão envolvidos consigo mesmos que não permitem ser ofuscados nem pela graça do Senhor. Não ouvem a voz dos profetas que lhes orientam a voltar ao primeiro amor. É possível evidenciar até mesmo nas igrejas quem que diz que é cristã, porem sem autenticidade: são feiticeiros; adúlteros; juram falsamente; defraudam; pervertem; Não temem ao Senhor;não honram seus compromissos, não pagam suas dívidas, desprezam os irmãos, falam, mas não fazem o ensinam, etc.
Amado(a), se você se enquadra em um ou mais desses modelos, peça a Deus para que provoque um verdadeiro nascimento em sua vida e retorne ao primeiro amor.
Graça e Paz!

domingo, 7 de agosto de 2011

Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos. Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face no espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência. Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita, que traz a liberdade, e persevera na pratica dessa lei, não esquecendo o que ouviu, mas praticando-a, será feliz naquilo que fizer. Se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua religião não tem valor algum. (Tiago 1.22-26)


Amado(a), às vezes nos frustramos com as pessoas com quem convivemos porque algumas delas nos mostram o que não são. Falam sobre integridade e caráter, mas em pouco tempo mostram que seu discurso e aparência são diferentes da realidade. Infelizmente, algumas pessoas, estão satisfeitas em usar uma máscara do que,provavelmente, gostariam de ser, mas de fato não são, ou para obter vantagens ou convencer durante algum tempo daquilo que não são. Vivem enganando os outros e a si mesmo. Infelizmente, muitos usam o rótulo de evangélicos, e carregam uma Bíblia que não lê, ou se lê é apenas os recortes que lhe interessam. Muitos pregam adesivos evangélicos no carro, sinais do peixe no porta do porta-malas, carregam na pasta livros religiosos, sintonizam estações evangélicas ou colocam CDs de músicas gospel, sem de fato ter a vida de Jesus no seu interior, porque vivem de aparência e pensam que enganam aos outros. Essas pessoas são prisioneiras e não sabem. Não dão à Palavra a verdadeira importância. Vão à igreja quando lhes convém. Dizem ser evangélicos, mas negam o evangelho em suas atitudes cotidianas e alguns chegam a envergonhar o evangelho com sua conduta promíscua ou indiferente. Não assumem os compromissos e nem honram a palavra empenhada. Infelizmente, essas pessoas se esquecem de as máscaras servem para enganar aos outros, e por vezes a nós mesmos, mas jamais a Deus que conhece os nossos pensamentos.
Às vezes, mas por pouco tempo, conseguimos algum êxito, e convencemos a nós mesmo que fizemos o melhor, que estávamos lutando por um ideal, que nossa consciência está tranquila. Mas, não há como fugir da voz de Deus que nos fala no silêncio.
Precisamos nos perguntar sempre: Jesus faria o que eu faço? Ele se alegraria com minha atitude? As pessoas confiam em você à primeira vista e seguem confiando com tempo, depois de conhecerem a sua intimidade?
Você pode se afirmar vitorioso(a), reconhecendo honestamente suas falhas e erros, mas tentando sempre acertar ou lá no íntimo sabe que é fracassado(a) porque não consegue cumprir com determinação a decisão de jogar honestamente, correndo o risco de perder, a usar uma máscara para ganhar?
Amado(a), não é demais sempre orarmos como salmista “Senhor livra-me dos lábios mentirosos e da língua traiçoeira?” (Salmos 120:2)




Graça e Paz!

sábado, 6 de agosto de 2011



Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, donde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; e se não, brevemente virei a ti, e removerei do seu lugar o teu candeeiro, se não te arrependeres. (Apocalipse 2:4-5)


Amado(a), um dia você deixou para trás um amor. Aquele amor que Deus lhe mostrou com todos os sinais possíveis de que era o amor eterno, sincero, verdadeiro e incorruptível, mas você, tolamente, ignorou. Quantos recados Ele lhe deu, quantas pistas de que esse amor era a grande bênção em sua vida e você preferiu voltar-lhe as costas, buscar outros braços e enveredar por caminhos contrários ao que o Senhor indicou! Deus tem chamado a sua atenção desde sempre, procurando-o de volta, fazendo com que perceba que o que vem Dele não se apaga, mas o que é obra do inimigo serve apenas para encantar, jamais para refrigerar sua alma. A palavra de Deus tem sido uma flecha na sua vida e tem lhe abalado, mas você ainda insiste em não ouvir, não sentir, não compreender, apesar de saber que lá no íntimo uma voz tem lhe sussurrado, mais audível do que as vozes do mundo e feito com que você se mantenha em silêncio. Amado(a), deixe que esse silêncio comunique o amor de Deus em sua vida e retorne ao primeiro amor: sincero, duradouro e inabalável, mesmo diante de suas fraquezas. Deus ama você incondicionalmente e você sabe o que Ele está lhe dizendo neste momento. Ele está respondendo às suas perguntas feitas na madrugada, feitas na intimidade. Só Ele pode ouvir, mas só você pode responder. Veja que Ele diz: arrepende-te! Há tempo para voltar atrás e reencontrar o primeiro amor que emana Dele.


Graça e Paz!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011



Assim diz o SENHOR: Reprime a tua voz de choro, e as lágrimas de teus olhos; porque há galardão para o teu trabalho, diz o SENHOR, pois eles voltarão da terra do inimigo. (Jeremias 31:16)




Amado(a), esse é um recado de alento que o profeta traz àqueles que têm esperado colher o fruto de seu trabalho e muitas vezes têm visto o inimigo tripudiar e roubar-lhes a colheita. O Senhor afirma àqueles que têm chorado, mas não se deixaram corromper que Ele tem visto o esforço e a persistência em se manter na integridade. O apóstolo Paulo acrescenta em 2 Coríntios 4:17 “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente”;
Amado(a), Deus tem visto o seu sofrimento e não está indiferente a ele. Mantenha-se no lugar da bênção, pois ela já está a caminho.



Graça e Paz!

quinta-feira, 4 de agosto de 2011



Nenhuma profecia foi proferida pela vontade dos homens. Inspirados pelo Espírito Santo falaram em nome de Deus (Pedro: 2Pe 1,21)

Amado(a), o anseio de Deus é que sigamos as Suas orientações e jamais nos desviemos do alvo. Para isso Ele tem manifestado Sua vontade por meio das profecias, desde o início dos séculos. A Bíblia abarca o conjunto dessas profecias divinamente inspiradas. E Deus também tem usado profetas para falar em Seu nome. Mas nem sempre essas profecias foram compreendidas e bem aceitas por seus destinatários. Quantos não foram os personagens bíblicos que, depois de tomarem ciência da vontade de Deus manifesta por um profeta, preferiram seguir seus próprios caminhos. Ainda hoje muitos procuram orientação, mas se elas não lhes parecem favoráveis, preferem agir como lhes convém, deixando de lado os conselhos e as profecias. O resultado, amado(a), não é diferente dos narrados pela Bíblia. O arrependimento é inevitável. Mas aqueles que reconhecem e conseguem se converter realmente encontram a misericórdia de Deus.

Graça e Paz!

quarta-feira, 3 de agosto de 2011



Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome. (João 20:31)




Amado(a), o termo “estes” refere-se aos sinais operados por Jesus e que estão registrados na Bíblia. João relata o encontro de Jesus com Tomé, quando o apóstolo creu que era o Senhor somente após ver as marcas dos cravos em Suas mãos. Nesse momento, “Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram”. A Bíblia registra, além dos sinais realizados por Jesus enquanto esteve entre os homens, todas as orientações necessárias para que vivamos bem. Entretanto, muitos, assim como Tomé precisam ver para crer. Há até os que veem, podem testemunhar sinais e prodígios em suas vidas e na de outros, mas ainda assim preferem sofrer mais uma vez as conseqüências da desobediência e da rebeldia. A própria história dos personagens bíblicos já seria suficiente para que evitássemos certas atitudes ou que concentrássemos em fazer o que nos é orientado. Mas quando decidimos agir por conta própria, ou a julgar que a Bíblia está desatualizada, o mais certo é colhermos as conseqüências de nossa insensatez.
Amado(a), por que cometer os mesmos erros, sabendo qual será o resultado? Se duvida, então faça como Tomé: peça ao Espírito Santo que lhe dê o discernimento e verá os sinais necessários para tomar a atitude correta. Mas nunca se esqueça de que a Bíblia tem todas as orientações que você precisa. Use-as!
Graça e Paz!


terça-feira, 2 de agosto de 2011



Muitos propósitos há no coração do homem, porém o conselho do SENHOR permanecerá. (Provérbios 19:21).


Amado(a), há uma expressão popular no Rio Grande do Sul que diz: "o cavalo encilhado não passa duas vezes". Em outras palavras isso significa que devemos refletir bem antes de deixar passar uma oportunidade. Oportunidades podem ser definidas como ocasiões favoráveis para decidirmos por algo. Mas, ao aceitá-las muitas vezes encontramos situações que nos parecem desfavoráveis e por isso nem sempre sabemos como agir diante disso. Às vezes temos dificuldade de enxergar as oportunidades, e quase sempre de ponderarmos sobre suas inevitáveis conseqüências, afinal, por bem por mal elas afetam nossas vidas.
Se analisarmos esse ditado à luz da palavra de Deus entenderemos o quanto devemos refletir ao aceitar ou recusar uma chance que pode ser única. Jesus deixou isso bem claro na passagem de Lucas 12:20.
Refletir sobre se devemos ou não subir no “cavalo” pode nos dar a convicção necessária para as oportunidades que virão em sequência.” O que decidimos hoje afeta inevitavelmente o nosso futuro, seja na vida secular ou na espiritual. Muitas vezes precisamos também ter sabedoria para saber quando “deixar passar o cavalo”, pois melhor do que saber aproveitar uma oportunidade na vida, é saber quando deixá-la passar. Mas até nesse momento precisamos consultar nosso guia que não falha: a Bíblia. Se o que pretendemos fazer contraria a vontade de Deus é melhor perder a oportunidade. Logo saberemos que não era para nós, pois o que vem do Senhor é completo, ainda que circunstancialmente difícil. Precisamos ouvir bons conselhos. O que requer mais sabedoria do que dá-lo, por isso o sábio afirma em Provérbios 12:1 “O caminho do insensato é reto aos seus próprios olhos, mas o que dá ouvidos ao conselho é sábio”.



Graça e Paz!

segunda-feira, 1 de agosto de 2011


Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo. (Mateus 5:21)



Amado(a), o mandamento divino inclui todo tipo de assassinato. Assassinar é tirar a vida, seja a própria a de outra pessoa, a vida de um animal. Deus é o único que tem a prerrogativa de tirar a vida de suas criaturas. Fazer com que o fôlego de vida inspirado por Deus seja interrompido é matar. Mas há também outras formas de matar que certamente estão incluídas no mandamento divino. Quando iludimos as pessoas e de forma deliberada impedimos os seus sonhos, quando destroçamos a confiança que nos foi dada gratuitamente, quando deixamos que o orgulho e a teimosia esgotem nossas boas relações com o próximo e a intimidade com Deus também estamos infringindo o quinto mandamento. Podemos até entender que esse mandamento se refere às formas de tirar a própria vida ou a do próximo, entretanto, por analogia e em consonância com os princípios divinos essas formas metafóricas de morte devem também ser consideradas.
Graça e Paz!