Traduza este blog

quinta-feira, 31 de março de 2016

E subiu o anjo do SENHOR de Gilgal a Boquim, e disse: Do Egito vos fiz subir, e vos trouxe à terra que a vossos pais tinha jurado e disse: Nunca invalidarei a minha aliança convosco. Juízes 2:1


Vemos na Bíblia que os israelitas fizeram aliança com os midianitas e não destruíram os seus altares. Embora tivessem sido advertidos para não fazer, eles realizaram casamentos mistos com estrangeiros e depois serviram aos deuses pagãos deles. Eles não deram ouvidos à voz de Deus e se promiscuíram entre os povos pagãos no meio de Israel. A consequência dessa desobediência é que o povo de Israel estava vivendo totalmente oprimido pelos Midianitas há anos. E como gafanhotos os midinitas e os amalequitas colhia tudo o que eles semeavam. Hoje isso não é diferente. Quando nos deixamos contaminar e desobedecemos a Deus colhemos a opressão em nossas vidas. Tudo o que semeamos é colhido pelos parasitas, que vão nos sugando até se esgotarem todas as forças. Muitos são os que trabalham e não conseguem desfrutar daquilo que ganham, pois recebem a consequência de buscarem satisfação e realização de forma independente de Deus. Precisamos enxergar e desfazer as alianças que não são de Deus, destruir os altares, e não nos dobrar aos ídolos que colocamos em nossos corações. Devemos edificar em nosso coração um altar somente a Deus.


Não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus; Efésios 6:6

quarta-feira, 30 de março de 2016

Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor. Josué 24:15


Embora toda a história de Josué narrada no livro com seu nome esteja repleta de fatos e posicionamentos importantes, a declaração explícita no versículo em epígrafe soa-nos como a mais importante. Nela se resume todo o propósito de uma vida disposta a servir a Deus e que assume esse compromisso incluindo os seus familiares. O posicionamento de fé de Josué é emblemático e nos serve como exemplo de fé e de atitude. Sabemos que a liberdade que o mundo oferece é um grande atrativo para desviar nossos filhos do caminho. Quando Deus não é o Senhor, certamente outra coisa vai ocupar o Seu lugar. Não faltam deuses nessa sociedade permissiva e promiscua. Mas cabe ao líder do lar tomar uma posição e assumi-la perante todos, assim como fez Josué. Se o hedonismo reinante na sociedade atual já vem contaminando nossas famílias, precisamos criar nossos filhos conforme Deus espera que façamos.


E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor. Efésios 6:4

terça-feira, 29 de março de 2016

Então Josué lhes disse: Não temais, nem vos espanteis; esforçai-vos e animai-vos; porque assim o fará o Senhor a todos os vossos inimigos, contra os quais pelejardes. Josué 10:25


Temer os inimigos é parte da natureza humana como consequência do pecado, mas a intenção de Deus é que o homem viva pela fé, em confiança e fidelidade. O medo é uma reação humana normal, mas não temer é sinal de confiança em Seu Criador. É a confiança que afasta o temor, porém, para que haja confiança é necessário desprender um esforço e buscar animar-se. É por isso que Josué nos diz no texto em epígrafe. Que devemos nos esforçar e nos animar. Assim, a perseverança e confiança são  características fundamentais aos vitoriosos. Precisamos crer e perseverar no caminho, na orientação e na confiança Naquele que tudo pode e que está no controle de todas as coisas. Assim, sabemos que o Senhor vencerá nossos inimigos em nosso lugar. Ele espera tão somente que nos esforcemos e nos animemos.


Regozijo-me de em tudo poder confiar em vós. 2 Coríntios 7:16


segunda-feira, 28 de março de 2016

Então Josué edificou um altar ao Senhor Deus de Israel, no monte Ebal. Josué 8:30



Lemos em Deuteronômio 27:2-8 que Moisés ordenou que o povo de Israel construísse um altar no monte Ebal, como sinal de seu compromisso com a aliança e com os mandamentos do Senhor. Portanto, a construção desse altar por Josué foi um ato em obediência ao que Moisés havia ordenado. Mas muitas vezes o que presenciamos é a construção de altares a deuses estranhos. Em vez de cultuarmos e adorarmos ao único e verdadeiro Deus, dedicamos nosso tempo e nossa adoração a pessoas ou a bens que ocupam nossas vidas de tal forma que só nos lembramos do Senhor quando estamos em situações difíceis. Mas a adoração dirigida a qualquer outro ser ou objeto, que não seja Deus, é totalmente condenada na Bíblia. Por isso, devemos nos espelhar nas Palavras de Jesus:


"Respondeu-lhe Jesus: Está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás." Lucas 4:8

domingo, 27 de março de 2016

Então disse o Senhor a Josué: Olha, tenho dado na tua mão a Jericó, ao seu rei e aos seus homens valorosos. Josué 6:2



A Palavra de Deus a Josué nos lembra de que a Sua ajuda está sempre ao nosso alcance, entretanto, precisamos nos conscientizar de que somos os nós os responsáveis por não obtermos o favor do Senhor, pois o obstáculo à ação de Deus reside em nós mesmos, quando nos detemos pelo medo de nos entregarmos ao Seu senhorio. Foi assim com os dez representantes das tribos que se deixaram intimidar pela visão dos gigantes. Todavia, quando nos deixamos conduzir e nos entregamos nas mãos  do Senhor, aos poucos, nos damos conta do Seu poder, da Sua capacidade de nos libertar dos perigos. Precisamos experimentar a atitude de entrega e de confiança para que as soluções divinas fortaleçam nosso coração. A Bíblia nos mostra que Deus tem propósitos para cada pessoa que se dispõe a ouvi-Lo e a deixa-Lo no controle das situações. A promessa de Deus se cumpre na vida daqueles que não se intimidam, quando nos dispomos a obedecer, por isso o autor de Hebreus nos lembra que  

Pela fé caíram os muros de Jericó, sendo rodeados durante sete dias. Hebreus 11:30

sábado, 26 de março de 2016

Disse Josué também ao povo: Santificai-vos, porque amanhã fará o Senhor maravilhas no meio de vós. Josué 3:5


As palavras de Josué ao povo são a expressão da mais alta capacidade de liderança demonstrada por um homem que se preparou para suceder a Moisés e, sobretudo, posicionou-se como quem conhece as suas limitações sem, contudo, fugir de sua missão. Josué instruiu o povo a se santificar, como deve fazer um verdadeiro líder. Em vez de armar o povo ou fazer discursos de ódio, ele optou pela busca da santificação e por confiar no Seu General. Josué conhecia os feitos de Deus e sabia qual seria a consequência de confiar Nele ou de agir por conta própria. Muitas vezes, como liderados ou como líderes, nós permitimos furos na nossa confiança em Deus por causa  de nossa ignorância bíblica. Acreditamos em nosso conhecimento acadêmico, nos nossos títulos ou posição social e nos contentamos em viver com um conhecimento bíblico elementar, sem esforços de aprofundamento. O que ouvimos que alguém disse sobre Deus, sobre a Bíblia ou sobre os seus leitores move as nossas atitudes. Deixamos que pressões de grupos com os quais simpatizamos nos impulsionem, principalmente aqueles que aceitam a opinião de seus líderes como verdade absoluta. Aceitamos os furos culturais, quando as opiniões das pessoas ao nosso redor recebem nossa aceitação por parecerem mais “modernas”. Assim, voltamos nossas costas para Deus e seguimos uma multidão que repete o coro sem conhecer ou checar a origem daquilo que afirma. Não nos santificamos no sentido da exortação de Josué, pois nos permitimos nos misturar com aquilo que está fora do contexto bíblico. Confiar em Deus só pela metade não nos dá todos os benefícios da fé.


De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. Romanos 10:17

sexta-feira, 25 de março de 2016

Então disse o Senhor a Josué: Olha, tenho dado na tua mão a Jericó, ao seu rei e aos seus homens valorosos. Josué 6:2


Na história do povo de Deus, vemos que muitas vezes sobrou desobediência e faltou confiança Naquele que os tirou da escravidão. Havia uma palavra de Deus para aquele povo, mas por muitas vezes a palavra humana prevaleceu. Embora houvesse uma palavra de vitória e uma predestinação para o povo eleito, o livre-arbítrio determinou a situação individual e muitos foram os que pereceram na travessia do deserto. muitos que estavam diante da terra que lhes pertencia por promessa preferiram confiar nos olhos humanos. Aqueles que disseram que não poderiam conquistar a terra não a conquistaram. Os que declararam que poderiam, tomaram posse da terra muito tempo depois, mas os que enxergaram e se atemorizaram diante dos gigantes não tomaram posse da promessa. Se os pais não contemplaram a terra, a aliança do Senhor se perpetuou nos filhos. Se os que deixaram o Egito ficaram no caminho,  aqueles que nasceram no deserto entraram em Canaã. Precisamos confiar nesse Deus que mantem Sua aliança e que não abriu mão do plano para a nova geração. Estamos certos de que os nossos filhos podem fazer e conquistar muito mais do que nós. Um caminho que poderia ter sido feito em pouco tempo levou anos para ser trilhado. Não podemos apenas espiar e nos acovardar diante dos gigantes. Precisamos enfrenta-los e tomar posse de tudo o que Deus tem para nós, depois de enfrentar os nossos gigantes, pois o deserto é tão somente um lugar de passagem e não a nossa morada, tendo certo que Deus nos mostra a imutabilidade do seu conselho aos herdeiros da promessa, por isso se interpôs com juramento.


Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta; Hebreus 6:18

quinta-feira, 24 de março de 2016

Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares. Josué 1:9



Sempre que Deus nos dá uma missão, Ele também nos dá a condição de cumpri-la. A garantia está nessas são palavras de ânimo ditas a Josué quando Deus o designou substituto de Moisés na liderança de Seu povo. Moisés estava morto e o povo precisa seguir em frente rumo à terra prometida. Deus então instruiu Josué a se levantar e a atravessar o Jordão, guiando o povo, como a promessa de todo o lugar que pisasse lhe seria dado, como dito a Moisés. A promessa de Deus era de que ninguém  poderia resistir àquele a quem Ele ungiu. O Senhor garantiu a Josué que seria com ele todos os dias da tua vida como foi com Moisés. Deus não o deixaria nem desampararia. E se a ordem para seguir vinha de Deus, a vitória seria certa. Deus não mudou e Suas promessas continuam valendo. Se Ele nos dá uma missão, também nos dá a condição de cumpri-la. Se temos a promessa, precisamos confiar que Deus estará conosco por onde quer que andemos. Mas se ainda não alcançamos o que esperamos a ordem é perseverar e seguir em frente atentando-nos para a exortação do autor de Hebreus 10:36:


Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa. 

quarta-feira, 23 de março de 2016

Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido. Josué 1:8


A orientação deste versículo é de uma riqueza inestimável, pois a Bíblia é um dos maiores presentes de Deus para nós. Nela estão todas as orientações necessárias para que possamos viver bem nesta vida e na eternidade contemplando a Glória de Deus. Mas a falta de leitura desse precioso livro tem acarretado em verdadeiro desastre na sociedade e também no seio da Igreja. A Bíblia conta a história de Deus e, também a nossa história, como Igreja. E não podemos dizer que conhecemos a Deus sem conhecer a Sua história. Por isso o povo eleito tinha como missão passar a cada geração a sua história. A sociedade tende a se afastar de seus valores morais e a desvios de conduta, quando ignora os princípios que a regem. A Bíblia é um manual de conduta que só pode ser seguido se conhecido. Portanto, conhecer o seu conteúdo para aplicá-lo na vida prática é fundamental. Assim, a leitura devocional é indispensável na nossa comunhão com Deus, para que possamos conformar nossa vontade à vontade de Deus, tornando-nos, pois, cada vez mais semelhantes a Ele. A história da Igreja ainda está sendo escrita, por isso precisamos prosseguir com as atitudes iniciadas em Atos


"Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim." (Atos 17:11)

terça-feira, 22 de março de 2016

Ninguém te poderá resistir, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei. Josué 1:5


Se analisarmos detidamente na história de Josué, veremos que ele nunca desperdiçou oportunidades. Estava sempre presente ao lado do líder Moisés e aprendeu com ele a servir, servindo. De liderado passou a líder, porque sempre pode contar com ele. Mas chegou um momento em que ele teve que seguir sozinho e colocar em prática tudo o que aprendeu, sem contar com a segurança do líder que o antecedeu. Muitas pessoas dependiam dele para continuar a tarefa iniciada por Moisés. Josué estava pronto a obedecer e a fazer a obra para a qual havia se preparado durante sua trajetória no deserto. Muitos tiveram a oportunidade que teve Josué, mas nem todos escolheram ficar do lado aprendendo, preparando-se para no momento certo executar um trabalho grandioso. Alguns preferiram criticar, murmurar, reclamar. Nós também podemos escolher entre aprender com nossos líderes e, servindo com dedicação e obediência, esperar que Deus nos comissione e capacite para aquilo que colocar em nossas mãos, ou podemos nos omitir e criticar os que não veem gigantes e sim desafios que nos fazem crescer. Se ouvirmos a Sua voz e atendermos ao Seu chamado Ele nos capacitará, independente de nossa função, pois


Ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, Efésios 4:11

segunda-feira, 21 de março de 2016

Todo o lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu disse a Moisés. Josué 1:3


Deus já havia prometido aos descendentes de Abraão uma terra que manava leite e mel, uma terra de fartura. Portanto, essa terra já pertencia de direito ao povo que saiu do Egito sob a liderança de Moisés e de Josué. Muitos israelitas permaneceram no deserto e quando tiveram oportunidade de ver a terra só enxergaram gigantes, exércitos armados, muralhas intransponíveis. Não creram que o Deus poderia lhes dar vitória completa na conquista da terra prometida, e por incredulidade morreram no deserto sem tomar posse da terra que lhes pertencia por direito. Os que conseguiram atravessar o deserto e venceram a incredulidade teriam que transpor os muros imponentes de Jericó. Muitos deram ouvidos à voz da impossibilidade humana que tenta minar as esperanças da fé. Mas aqueles que deram ouvidos à voz de Deus creram nas promessas e nós também temos o direito adquirido pela fé. As promessas que para nós se referem ao futuro, já fazem parte do presente de Deus, que a disponibilizará a nós ao Seu tempo. Contudo, assim como os israelitas, precisamos conquistar essa promessa e isso vem pelo querer. Para receber essa promessa, temos que compreender o que nos diz o apóstolo Paulo em Filipenses 2:13



Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.

domingo, 20 de março de 2016

Bem-aventurado tu, ó Israel! Quem é como tu? Um povo salvo pelo Senhor, o escudo do teu socorro, e a espada da tua majestade; por isso os teus inimigos te serão sujeitos, e tu pisarás sobre as suas alturas. Deuteronômio 33:29


Fazer parte do povo de Deus é motivo de júbilo e de constante agradecimentos. Vemos que Deus escolheu Israel como nação e povo eleito, mas também nos fez filhos não segundo a carne, como os que  nasceram na terra de Israel, mas segundo o espírito, conforme a herança da fé que legitimou  Abraão e sua descendência. Deus jamais rejeitou o Seu povo, mas o Seu povo o rejeitou. E aqueles que livremente aceitam o Seu Filhos são também herdeiros da promessa. Bem-aventurados são os gentios que, tendo a oportunidade de conhece o Senhor, escolhe fazer parte desta família que é a Igreja do Senhor. Deus, em Sua infinita misericórdia nos deu Seu Filho para nos trazer a Salvação. Quanto a nós, que éramos apenas jambuzeiros bravos, fomos enxertados na oliveira verdadeira através de Jesus. (Rom. 11:17 a 36). Paulo nos ensina em Romanos 2:28-29 a compreender que nós, gentios convertido pela Graça, estamos ligados ao povo de Israel em amor.


Porque não é judeu o que o é exteriormente, nem é circuncisão a que o é exteriormente na carne. Mas é judeu o que o é no interior, e circuncisão a que é do coração, no espírito, não na letra; cujo louvor não provém dos homens, mas de Deus.  

sábado, 19 de março de 2016

Disse-lhes: Aplicai o vosso coração a todas as palavras que hoje testifico entre vós, para que as recomendeis a vossos filhos, para que tenham cuidado de cumprir todas as palavras desta lei. Deuteronômio 32:46


Se queremos realmente ser felizes precisamos aplicar Palavra de Deus em nossas vidas, gravando-a em nosso coração, conforme nos ensina Moisés. A Palavra testificada deve ser gravada de tal forma que não se aparte de nós, como uma tatuagem de permanece, pois sabemos que a Palavra é o testemunho vivo da ação de Deus na história humana e, não só vivê-la profundamente, é nossa obrigação passa-la aos nossos filhos. A Palavra de Deus é a grande arma em nossa luta contra o inimigo. Uma excelente forma de guardarmos a Palavra é falando dela a outros. Quando testemunhamos a Palavra edificamos nossas vidas e abençoamos a quem nos ouve por isso o profeta Isaias 52:7 diz: “Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina!” Quem quer crescer espiritualmente deve reservar um tempo diário para a leitura da Bíblia, pois a Palavra tem o poder de renovar, de curar e de transformar nossa vida. Por isso o apóstolo nos diz


“Habite ricamente em vós a palavra de Deus e a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda sabedoria, louvando a Deus com salmos, e hinos e cânticos espirituais, com gratidão em vosso coração.” Colossenses 3:16.

sexta-feira, 18 de março de 2016

O Senhor, pois, é aquele que vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te espantes. Deuteronômio 31:8


Sempre que assumimos algum trabalho ou alguma missão pensamos ser fundamental nos prepararmos técnica e psicologicamente para tal. Obviamente o nosso preparo pessoal é necessário, mas não podemos nos esquecer de que a nossa capacidade vem de Deus. É Ele quem nos capacita para exercer uma função, quando O colocamos no controle da situação. Quando Deus está na direção as chances de sucesso são garantidas, mesmo que aparentemente as coisas não saiam como esperamos. Deus vai adiante e não desampara aqueles que escolheu para a Sua Obra.  A história de Moisés é um grande exemplo disso. Criado longe de sua família biológica, o libertador dos israelitas foi preparado no palácio para ser um guerreiro no sentido físico. Mas a sua preparação espiritual foi preparada pelo Senhor para as ações que se sucederiam a sua saída do palácio e sua busca pelas suas origens. Ao tempo em que sua família aceita a sua missão, Deus fala ao coração de Arão e o integra ao chamado do irmão. Vemos que Deus sempre providenciou os recursos necessários quando comissiona alguém. Foi assim com Moisés em sua tarefa de libertar o povo do cativeiro do Egito e é assim ainda hoje quando nos dispusemos a atender ao Seu chamado


Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus. 1 Coríntios 3:9

quinta-feira, 17 de março de 2016

Então o Senhor teu Deus te fará voltar do teu cativeiro, e se compadecerá de ti, e tornará a ajuntar-te dentre todas as nações entre as quais te espalhou o Senhor teu Deus. Deuteronômio 30:3


O livro de Deuteronômio é repleto de promessas de Deus ao Seu povo. Nesse livro também encontramos várias orientações para que esse povo caminhe com segurança e na direção certa. E quando o povo age com retidão Deus se compadece e os livra do cativeiro. Mas é importante observarmos que Deus opera nos detalhes. O livramento do cativeiro não se deu de repente. Foi detalhadamente planejado e aí vemos o Senhor cuidando de cada detalhe. Não foi por acaso que Joquebede conseguiu esconder por três meses seu bebê das mãos sanguinárias de Faraó, como não foi por acaso que ele tivesse sido encontrado com vida justamente pela filha desse Faraó, depois de sobreviver no cesto de junco no rio Nilo. Foi providencial que em vez ignorar aquela criança, ou obedecer a ordem de seu pai, a filha do rei do Egito caísse de amores por Moisés  e buscasse a própria mãe biológica para cria-lo até que o levasse ao palácio para ser instruído e a se preparar para ser o libertador de seu povo. Em cada detalhe vemos a mão de Deus operando para conduzir seu povo. E ainda assim Ele o faz em nossas vidas. Deus usa até mesmo as circunstâncias mais inusitadas para nos livrar e nos conduzir. Às vezes Deus não muda as circunstâncias, mas usa as circunstâncias adversas para nos mudar. Por isso, sabendo que Ele se compadece de nós, e que Seu desejo é nos reunir, devemos em qualquer situação agradecer e confiar, atendendo ao que nos ensina Paulo


“Em tudo dai graças...” (I Tessalonicenses   5:18).

quarta-feira, 16 de março de 2016

As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei. Deuteronômio 29:29


  
Ao lembrar o povo sobre a Aliança de Deus com o Seu povo, Moisés enfatiza que a maneira correta de seguir a Deus é seguir obedecendo o que foi revelado, deixando de se preocupar com as coisas que nos estão encobertas. Em todo o seu trajeto, ao libertar da escravidão e conduzir os israelitas rumo à terra prometida, Moisés sempre deixou claro que nada do que dizia ou escreveu era de sua autoria, mas tudo lhe foi revelado por Deus. No entanto, há coisas que ainda estão encobertas e nos serão reveladas ao seu tempo. A Bíblia nos mostra que Deus não revelou a Moisés todos os mistérios da Sua criação e não respondeu a todas as nossas indagações. Por essa razão, o apóstolo Paulo pondera sobre os insondáveis juízos do Senhor em Romanos 11 e nos faz refletir sobre o fato de que se há coisas encobertas ao homem não significa que não existam respostas. As respostas existem, mas pertencem a Deus e nos serão reveladas oportunamente.  Há respostas que pertencem a Deus, que são de exclusivo conhecimento Dele. E Deus certamente encobriu essas coisas até que tenhamos condições de compreendê-las. Temos uma tendência a ignorar as coisas que nos foram ditas e a fixar nossa atenção em tentar descobrir as que estão ocultas ou por vir, por essa razão muitos procuram adivinhos, cartomantes, espíritos de adivinhação. Mas o que Deus espera é que as coisas encobertas sirvam para nos lembrar quem ELE é e quem somos nós diante Dele. Pensemos nas palavras de  Paulo em 1 Coríntios 2.11:


Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito, que nele está? Assim, também as coisas de Deus, ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus.

terça-feira, 15 de março de 2016

E não te desviarás de todas as palavras que hoje te ordeno, nem para a direita nem para a esquerda, andando após outros deuses, para os servires. Deuteronômio 28:14


  Esse versículo que contém a palavra de Deus proferida por Moisés ao povo de Israel e por extensão a nós pode ser resumida em um único termo de nossa língua: obediência. E a palavra obediência também pode resumir toda a Palavra de Deus se considerarmos que ela é a chave ou o caminho de bênçãos e vitórias. Consequentemente, a desobediência também pode resumir o fundamento de todo descaminho seguido pelo homem que escolheu o desvio. Pela desobediência o primeiro casal optou pelo caminho da dor e da morte, assim como tantos outros homens apresentados pela Bíblia. Pela obediência Abraão escolheu o caminho reto e que trouxe bênçãos a si e aos seus descendentes até os dias de hoje. Pela obediência Jesus nos livrou da condenação eterna e nos trouxe vida. Pela obediência, todos os homens, santos, separados por Deus para testemunhar Seu nome e a não se curvarem diante de outros deuses, encontram a chave da vida. A Bíblia nos ensina essa lição prática, mostrando-nos que se quisermos desfrutar de todas as benesses de filhos, a condição é obedecer ao Pai.


Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um muitos serão feitos justos. Romanos 5:19

segunda-feira, 14 de março de 2016

E o Senhor te porá por cabeça, e não por cauda; e só estarás em cima, e não debaixo, se obedeceres aos mandamentos do Senhor teu Deus, que hoje te ordeno, para os guardar e cumprir. Deuteronômio 28:13


 Quando o Senhor nos diz que nos colocará por cabeça, Ele não emprega o sentido de dominância como o mundo entende.  Portanto, quando lemos essa promessa, ainda que ela nos autorize a crer que o Senhor julgará as nossas causas e não nos deixará abatidos, não podemos nos esquecer de, mesmo sendo “cabeça”, a missão do cristão é servir, e isso pressupõe humildade e obediência. Virtudes que, aparentemente, não combinam com a ideia de comando, de ser “cabeça”. O grande ministério dos cristãos é o serviço, o amor, e a humildade. Estar em cima e no em baixo não significa dominar o outro, mas administrar com liderança positiva os dons dados por Deus. Assim, aquele que se coloca a serviço do Reino de Deus com amor, e humildade, e se dispõe ao serviço é abençoado e bem-sucedido em tudo que faz. Precisamos nos lembrar de que a palavra expressa por Deus e entregue por Moisés em Deuteronômio traz uma condição para sermos cabeça: a obediência à vontade de Deus, a Seus mandamentos. Em Cristo temos o exemplo:

"Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos" (Mateus 20:28).

domingo, 13 de março de 2016

Bendito o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, e o fruto dos teus animais; e as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas. Deuteronômio 28:4


  Quem se dedica a ler a Bíblia e a refletir sobre o que nela está registrado observa que as bênçãos ocupam grande importância e têm o caráter de legado aos que dela se beneficiam. Com o episódio de Esaú e Jacó vemos que uma vez pronunciadas as bênçãos não poderiam ser revogadas, ainda que baseadas em um engano. A bênção Deus, ao contrário da prosperidade do mundo, traz prazeres e júbilos em vez de tristeza e de insatisfação. As bênçãos espirituais são grandes riquezas de Deus para seus filhos que se regozijam em tudo o que recebem, ainda que diante do mundo pareçam pobres. Sabemos que muitos servos de Deus nada têm materialmente, no entanto são fortalecidos e consolados e são prósperos em tudo o que fazem. O que têm lhes basta, pois bendito é o fruto de tudo que produzem e que adquirem.


“Ouvi, meus amados irmãos: Porventura, não escolheu Deus aos que são pobres aos olhos do mundo para serem ricos na fé e herdeiros do Reino que prometeu aos que o amam?” (Tiago 2:5).

sábado, 12 de março de 2016

E será que, se ouvires a voz do SENHOR teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu hoje te ordeno, o SENHOR teu Deus te exaltará sobre todas as nações da terra. E todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão, quando ouvires a voz do Senhor teu Deus Deuteronômio 28:1-3


A Bíblia nos garante que as bênçãos de Deus seguirão aqueles que guardam os Seus mandamentos. Assim, vemos que não somos nós que corremos atrás das bênçãos, mas são elas que correm atrás de nós, conforme registra Moisés em Deuteronômio 28:1-3. E reiterando isso o Senhor Jesus nos disse para buscarmos Seu reino porque as demais coisas nos serão acrescentadas. Enquanto estivermos nessa terra, e precisarmos de saúde, de vestimentas, de alimentação, de um teto, de transportes, enfim, de tudo o que se é necessário para vivermos neste mundo. Todavia, o Senhor afirma em Mateus que isso não é o principal. Essas demais coisas nos serão acrescentadas, quando buscarmos o Reino de Deus em primeiro lugar.

Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas as demais coisas vos serão acrescentadas. (Mateus 6: 33)

sexta-feira, 11 de março de 2016

O que saiu dos teus lábios guardarás, e cumprirás, tal como voluntariamente votaste ao Senhor teu Deus, declarando-o pela tua boca. Deuteronômio 23:23


 Segundo a Bíblia, quando fazemos um voto a Deus, ou ainda para com o nosso próximo,  não podemos deixar de cumpri-lo. Ninguém é obrigado a prometer nada, mas uma vez que se compromete tem o dever de cumprir o prometido. Moisés deixa bem claro que para Deus o voto é algo sagrado e que deve ser cumprido em todas as circunstâncias.  No entanto, há quem pense que esse compromisso é coisa do passado, que esses princípios estão desatualizados ou foram abolidos porque a sociedade mudou. O que precisamos saber é que Deus não mudou e que continua sendo muito importante cumprir o que contratamos com o Senhor. Ele nos recebe espontaneamente e não obriga ninguém a nada, mas, quando nós nos comprometemos com Ele, é nossa obrigação sermos zelosos e cumpridores. A Bíblia deixa claro que que não devemos fazer compromissos  incoerentes, ou jurar pelo céu, pela vida, ou por qualquer outra coisa que não esteja ao nosso alcance. Não devemos invocar o nome de Deus em vão, jurar, nem fazer votos sobre coisas que não estejam ao vosso alcance cumprir. O apóstolo nos ensina que não devemos nos comprometer além do que podemos efetivamente cumprir, por isso nos diz


Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna. Mateus 5:37

quinta-feira, 10 de março de 2016

Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; Deuteronômio 18:10


A Bíblia, em vários momentos, deixa claro que a busca por saber o futuro, seja por meio de adivinhos, consultas a espíritos ou cartas, é uma atitude que contraria a Deus. Desde os livros que trazem a orientação de Deus aos israelitas por meio de Moisés, até o Apocalipse lemos que feiticeiros, adivinhos e necromantes são abominações para Deus. A Palavra de Deus não muda, porque uma sociedade muda seus costumes e conceitos. Não deve ser revogada porque alguém ignora a Palavra de Deus e cria doutrinas diversas por seu próprio entendimento. A palavra de Deus é viva e permanece até a consumação dos séculos. Por isso, devemos atender à exortação de Atos 3:19-20:


Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do SENHOR, E envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado.

quarta-feira, 9 de março de 2016

Não torcerás o juízo, não farás acepção de pessoas, nem receberás peitas; porquanto a peita cega os olhos dos sábios, e perverte as palavras dos justos. Deuteronômio 16:19


Um dos grandes males que a sociedade enfrenta atualmente e que traz graves consequências é a corrupção. Entretanto, esse mal não é coisa recente, fruto de uma decadência social, mas algo que acompanha o homem desde sua criação. A Bíblia já advertia sobre a importância de não permitimos que a corrupção  contamine os nossos princípios.  A corrupção é como um vírus altamente contagioso que atinge pessoas de diversos setores da sociedade,  e até mesmo as igrejas. É como um câncer que destrói as células sociais. O homem que se deixa corromper perde a sua essência e se desliga do Criador,


Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. Gálatas 6:8

terça-feira, 8 de março de 2016

Quando entre ti houver algum pobre, de teus irmãos, em alguma das tuas portas, na terra que o Senhor teu Deus te dá, não endurecerás o teu coração, nem fecharás a tua mão a teu irmão que for pobre; Deuteronômio 15:7


 A Palavra de Deus nos exorta sempre a expressarmos em nossas atitudes o caráter do Criador. E se a essência de um Deus invisível, mas presente é o amor, é pelo amor a Deus que também devemos expressar nosso amor ao próximo. Assim devemos exercitar a prática de boas obras em favor dos necessitados e sofredores da família da fé e também daqueles que são colocados em nosso meio, cujas necessidades conhecemos. Moisés conclamou a comunidade a seu cuidado a cuidar de seus membros e Jesus Cristo colocou sobre Sua igreja o dever de cuidar dos necessitados dentre seus próprios membros. A Igreja, portanto, tem a responsabilidade de cuidar de seus pobres e necessitados, pois como os membros de uma  família secular devem cuidar uns dos outros, também a família da fé, a exemplo  de Cristo deve cuidar daqueles que passam por alguma forma de necessidade. E pobre não significa somente aquele que é privado de bens materiais. Há pobres espiritualmente que carecem de atenção e cuidados. São os que, mesmo tendo condições financeiras, necessitam de ajuda emocional ou espiritual. São os que arruínam a si mesmos por uma conduta independente e distante das orientações de Deus. A esses pobres devemos aconselhar com amor e sabedoria, na admoestação do Senhor. É inquestionável que devemos ajudar os demais casos em que houver necessidade material. Devemos nos lembrar sempre de que tudo o que temos não nos pertence, somos apenas despenseiros de Deus.


"Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé." Gálatas 6:10.

segunda-feira, 7 de março de 2016

Porque o Senhor teu Deus te abençoará, como te tem falado; assim, emprestarás a muitas nações, mas não tomarás empréstimos; e dominarás sobre muitas nações, mas elas não dominarão sobre ti. Deuteronômio 15:6


O livro de Deuteronômio registra os princípios que devem nortear a vida do povo de Deus e que ainda devem reger nossas vidas. Nele podemos olhar para a vida dos servos de Deus que buscam e se alegram com suas palavras. Aquele que teme ao Senhor e age de forma reta já traz intrinsecamente a melhor posição que um homem pode ter diante do Criador, mas ainda recebe bênçãos suplementares de Deus por lhe pertencer. É um prêmio acumulado, bênção em decorrência de outra bênção. Muitas são as bênçãos advindas, mas podemos citar pelo menos quatro realidades temporais nas vidas dos que temem. A primeira é que ele é alvo de muitas bênçãos e há promessas específicas de bênçãos pela obediência à aliança que garantiriam o bem-estar do povo na terra da promessa. A segunda é que ele impacta sua comunidade, pois o homem que teme a Deus não só é alvo de bênçãos, mas, também, um veículo de bênçãos para sua sociedade. Por isso, não há riscos de ele usar os bens que Deus lhe concedeu para fazer o mal ou para sobrepujar e explorar seus colegas. Assim, ele age com justiça e se torna um exemplo em sua comunidade. Age com generosidade ao se compadecer da situação difícil de outras pessoas e lhes socorre com o necessário. A terceira é que ele não teme os revezes, pois sabe que nenhum deles é maior que o Senhor. A quarta é que ele contrasta com os ímpios e não têm seus pecados e falhas de caráter postos em relevo, pois como diz o apóstolo em Efésios 5:13


“Mas todas as coisas, quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas; porque tudo que se manifesta é luz”.

domingo, 6 de março de 2016

Antes te lembrarás do Senhor teu Deus, que ele é o que te dá força para adquirires riqueza; para confirmar a sua aliança, que jurou a teus pais, como se vê neste dia. Deuteronômio 8:18


Quando se fala em ser próspero ou ser rico todos anseiam por saber como, pois não quem não queira prosperar, melhorar de vida, ainda que cada um tenha metas e princípios diferentes. Alguns almejam estudar, passar em concursos, reconhecimento na profissão, outros esperam receber um prêmio e até mesmo uma herança ou vitória em um processo que lhes rendam algum valor. Mas todos de alguma forma esperam a prosperidade. O que nem todos entendem é que riqueza e prosperidade são dons de Deus e uma não está necessariamente ligada à outra. Há quem tenha riqueza sem ser próspero, como há quem seja próspero sem ser rico. Em Eclesiastes o Senhor nos assegura: “E a todo o homem, a quem Deus deu riquezas e bens, e lhe deu poder para delas comer e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isto é dom de Deus” – Eclesiastes 5:19. Mas também o Senhor nos diz em Deuteronômio 15:11 “Pois nunca deixará de haver pobre na terra”. Assim, devemos ponderar que se quisermos riqueza e prosperidade devemos fazer como nos ensina o Senhor.  Quando Deus diz que “nos dá força para adquirir poder” Ele está dizendo sobre a capacidade de agir, dando-nos a capacidade de suportar ou superar os desafios. Ele nos dá capacidade ou habilidade  para lidar com as situações, sejam elas adversas ou não. Por isso é imprescindível colocá-Lo em primazia em nossas vidas.  Riqueza vêm do Senhor, e qualquer bem que Dele não provenha só acrescenta dores. Ele domina sobre tudo, e assim devemos esperar no Senhor, confiando e esperando Dele, segundo a  Sua Santa Aliança, não segundo os interesses do mundo, pois sobre isso já nos disse Tiago 5:2


As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça.

sábado, 5 de março de 2016

Não com nossos pais fez o Senhor esta aliança, mas conosco, todos os que hoje aqui estamos vivos. Deuteronômio 5:3


Não podemos nos esquecer de que Deus em sua infinita bondade e misericórdia não se cansou de perdoar e de dar uma nova chance para o povo de Israel, nas diversas vezes que esse povo pecou contra Ele. Deus é fiel, apesar da infidelidade dos israelitas. E Ele permanece fiel a nós, por isso fez uma aliança perpétua conosco e os mandamentos não estão mais nas tábuas, mas devem estar em nosso coração. A aliança divina expressa por Moisés reaparece em Jesus Cristo, o cumprimento dessa Aliança. Jesus. O amor de Deus é tão grande ao ponto de entregar Seu único Filho para remissão de nossos pecados e para confirmação da Aliança. Assim como o grão de trigo precisa morrer para produzir fruto, a morte de Jesus gera vida para aqueles que aceitam a aliança. Hoje Deus não nos cobra sacrifícios. É preciso apenas crer n’Ele, acolhê-Lo e renunciar ao mundo, cientes de que somos cidadãos do Céu, e de que Deus é fiel


Para manifestar misericórdia a nossos pais, E lembrar-se da sua santa aliança, Lucas 1:72

sexta-feira, 4 de março de 2016

Sabes, pois, no teu coração que, como um homem castiga a seu filho, assim te castiga o Senhor teu Deus. Deuteronômio 8:5


O livro de Deuteronômio contém o registro das ações de Deus em favor do Seu povo durante a saída do Egito e a entrada em Canaã. Moisés recebeu a missão de exortar o povo a obedecer ao Senhor para que recebessem das promessas que Ele deu ao Seu povo. Moisés nos faz refletir sobre o propósito do tempo passado no deserto e de como podemos extrair lições dessa travessia. A primeira lição que aprendemos é que, quando atravessamos um deserto, o Senhor nos guia. Muitas vezes, para nos ensinar, o próprio Deus nos conduz ao deserto para que na travessia passemos a depender totalmente Dele e da Sua palavra. A viver exclusivamente da Palavra de Deus, assim como os israelitas eram guiados pela nuvem e se alimentavam com o maná. Muitos problemas pelos quais passamos são o estímulo para retornarmos ao caminho, com o propósito de nos ensinar, se somos filhos Deus nos corrige, nos ensina, nos disciplina para nos trazer de volta aos Seus caminhos.


E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela. Hebreus 12:11

quinta-feira, 3 de março de 2016

As imagens de escultura de seus deuses queimarás a fogo; a prata e o ouro que estão sobre elas não cobiçarás, nem os tomarás para ti, para que não te enlaces neles; pois abominação é ao Senhor teu Deus. Deuteronômio 7:25




A Bíblia é clara ao afirmar reiteradas vezes que a idolatria é condenada por Deus. Ela afirma desde sempre que os ídolos não podem salvar ninguém, porque são apenas obra de mãos humanas, feitas com materiais que se deterioram e aqueles que invocam o seu favor, cultuam ou veneram, ainda que sob o pretexto de apenas trazer à lembrança, tornam-se semelhantes a eles e estão enganados. Quem se ajoelha diante de uma escultura, seja ela feita de qualquer material, está desrespeitando a ordem de Deus. A imagem colocada em um pedestal, ou carregada em procissão é abominação ao Senhor, posto que ela nada mais é do que obra humana e nada pode fazer por si, nem aos outros. Se não está livre da deterioração, da ferrugem, da quebra ou de qualquer outro dano, como poderá fazer algo por aquele que diante dela requer um favor? Se a intenção é evocar a lembrança de alguém que teve sua vida santificada, ou ao próprio Jesus, basta  que deles nos lembremos pelo seu exemplo de vida e que deles tiremos a lição mais expressiva: todos os santos de algum modo eram devotos de Jesus e Nele se espelhavam. E Jesus foi colocado pelo Pai como nosso único e suficiente mediador entre Deus e os homens. Então, antes de nos dobrarmos diante de alguma imagem, ou a admirarmos com o respeito que devemos aos santos e ao Senhor, em espírito e não em forma material, ou que nos quedemos diante de qualquer pessoa em veneração, lembremo-nos do que nos do que está escrito em Atos 10:25-26


"E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés o adorou. Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem".

quarta-feira, 2 de março de 2016

E o Senhor, aos nossos olhos, fez sinais e maravilhas, grandes e terríveis, contra o Egito, contra Faraó e toda sua casa; Deuteronômio 6:22



Sinais são importantes para orientar as pessoas, para indicar-lhes uma direção e quando os observamos com atenção evitamos acidentes ou desvios indesejados.  Os sinais bíblicos, ao contrário dos humanos, são sempre sobrenaturais e são usados por Deus para nos mostrar a direção certa a seguir. Deus sempre usou de sinais para apontar caminhos, para confirmar uma promessa. A palavra “sinal” aparece diversas vezes na Bíblia e indica ação de Deus em favor de Seus filhos. Moisés se valeu muitas vezes dos sinais para confirmar ao povo incrédulo a mão de Deus em seu favor. Ele usou de sinais quando jogou seu cajado que se transformou em uma serpente. Usou dos sinais dados por Deus quando foi portador das pragas sobre os egípcios. Esses sinais sobrenaturais  fizeram com que os israelitas e também Faraó cressem que Deus era com Moisés. Fiquemos atentos aos sinais, o Senhor nos diz em Mateus 24:30



Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória

terça-feira, 1 de março de 2016

E farás o que é reto e bom aos olhos do Senhor, para que bem te suceda, e entres, e possuas a boa terra, a qual o Senhor jurou dar a teus pais. Deuteronômio 6:18


Não podemos nos esquecer de que a base de todos os relacionamentos cristãos deve ser o Senhor, por isso tudo o que fazemos deve ser para a Sua honra e glória, e para que Seu nome seja exaltado. Como cristãos temos que nos esforçar em todos os ambientes nos quais convivemos para fazermos o melhor, tanto em relação ao nosso trabalho, quanto na forma como lidamos com nossos colegas, chefes e subordinados. A arrogância, negligência, displicência ou preguiça não podem fazer parte de nossa conduta. Devemos dar exemplo e testemunho aos demais, lembrando-nos de que não é ao homem a quem devemos agradar e sim a Deus. Quando servimos aos nossos chefes com respeito e responsabilidade atendemos a uma ordem do Senhor expressa em Efésios 6:5-8

“Servos, obedecei a vosso senhor segundo a carne com temor e tremor, na sinceridade do vosso coração, como a Cristo, não servindo à vista, como para agradar a homens, mas como servos de Cristo, fazendo, de coração, a vontade de Deus; servindo de boa vontade, como ao Senhor e não como a homens, certos de que cada um, se fizer alguma coisa boa, receberá isso outra vez do Senhor, quer seja servo, quer livre” (Efésios 6:5-8).