Traduza este blog

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação



“Em todo o tempo ama o amigo e na angústia nasce o irmão” (Provérbios 17:17)

Amado(a) Salomão sabe do valor de um amigo e nessas palavras ele expressa o sentido de um relacionamento que se fundamenta na amizade. O sábio diz “em todo o tempo”. Isso significa que a verdadeira amizade deve ser cultivada. Ela é resultado de momentos de partilha, tanto na alegria, quanto na dor. O verdadeiro amigo não abandona o outro porque ele está com problemas, ao contrário, é seu porto seguro. É alguém que ouve as queixas e admoesta sem receio de ser mal interpretado. O amigo de todas as horas não se preocupa em se expor, se sabe que precisa socorrer o outro. Se percebe que o amigo está indo por um mau caminho, não teme a crítica e não se abstém de chamar o outro á razão. Apenas os amigos sinceros têm coragem de enfrentar os desafios. Nasce o irmão na angústia porque a dor do outro é sentida pelo amigo que vive o drama do outro como se fosse seu. Não é por acaso que o sábio nos chama a atenção para esse bem inestimável. Mas é necessário também compreendermos que o outro não é como a gente, tem suas diferenças, sua forma particular de ser e de se expressar. E como outro devemos aceitá-lo. Se queremos respeito á nossa forma de ser, também devemos agir assim em relação ao outro. É preciso também nos conscientizar de que colhemos o que plantamos. Quem respeita o amigo terá sempre um amigo e na angústia um irmão. Mas aquele que não cultiva ou despreza as amizades, certamente, estará sozinho quando as tempestades vierem, quando não vislumbrarem saída em um túnel difícil. Mas a boa notícia, amado(a) é que Jesus é um grande amigo e jamais nos volta as costas, mesmo que tenhamos feito isso com Ele, quando pensamos que nos bastamos ou que temos o que queremos. Entretanto, assim como o amigo que abandonamos, Ele também espera que nos aproximemos dele e declaremos que a Sua presença em nossa vida é desejada. Você já pensou nisso?
Graça e Paz!

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação




“Não te lembres dos pecados da minha mocidade, nem das minhas transgressões; mas segundo a tua misericórdia, lembra-te de mim, por tua bondade, SENHOR”. (Salmos 25:7)


Amado(a) o salmista reconhece que é pecador, que transgrediu a Lei de Deus, mas conhece o Senhor ao ponto de sabê-Lo misericordioso para que perdoe os pecados de sua mocidade. Davi conhece não só a palavra, mas o Deus a quem segue. E você? Apreendeu o suficiente da palavra para saber que Deus não abandona os Seus escolhidos e que ainda que andem no pecado Ele os atrai de volta? Você pode dirigir essa oração a Deus neste momento e clamar pela Sua bondade e misericórdia? Se conhece a palavra e não está vivendo de acordo com ela, se tem buscado atalho e se desviado dos caminhos do Senhor, o Espírito Santo de Deus chama você ao arrependimento e lhe diz: “é a você que eu chamo”. Em Mateus 9:13 Jesus exorta: “Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento”.
O Senhor tem cuidado de você, Ele espera que você volte ao Seu lar, que não abandone o primeiro amor. Que aja como o filho pródigo e não se esqueça de que na casa do Pai você tem direito ao banquete e não aos restos e migalhas que sobram dos porcos. Você tem direito a um anel, uma aliança verdadeira que não se rompe, nem é corrompida. Na casa do Pai você tem vestes imaculadas e recebe toda a honra devida ao filho, ainda que tenha gastado sua fortuna com bebedices, glutonarias e prostituição.
Não importa qual tenha sido a sua transgressão, o Pai perdoa, mas é preciso que você reconheça e deixe o pecado. E, sobretudo, que você se perdoe e também libere perdão.
Graça e Paz!

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação




“Melhor é o pouco com o temor do SENHOR, do que um grande tesouro onde há inquietação”. (Provérbios 15:16)


Amado(a), quando lemos a palavra “temor”, sempre a associamos a medo. Mas esse não é o sentido bíblico de “Temor do Senhor”. O homem não deve ter medo ou receio em relação a Deus, mas deve ter um “sentimento” de reverência e respeito ao Criador.
Salomão nos ensina no texto em epígrafe que aqueles que temem ao Senhor possuem a maior riqueza, pois de nada adianta tudo que o homem conquistar, se não Deus não estiver com ele. Muitos se perdem nas ambições mundanas e esperam encontrar felicidade nas coisas do mundo. Mas o fato é que o dinheiro adquirido, a riqueza amealhada sem as bênçãos de Deus só trazem dor e inquietação. É fácil constatar até mesmo na vida de muitos que aparentemente têm tudo, dinheiro, fama, companhia, contudo, são insatisfeitos e se sentem frustrados. Em Deuteronômio 13:4 está registrado: "Andareis após o SENHOR, vosso Deus, e a ele temereis; guardareis os seus mandamentos, ouvireis a sua voz, a ele servireis e a ele vos achegareis." Quem segue essa exortação pode testemunhar uma vida plena em todos os sentidos. Quem teme ao Senhor não brinca de ser feliz, ou passa pela vida fazendo tolices. Quem teme ao Senhor tem um sentido para a própria vida e não se apega a coisas vãs e passageiras, pois temer, ao Senhor nos leva a odiar o mal "O temor do SENHOR consiste em aborrecer o mal; a soberba, a arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu os aborreço", afirma Salomão em Provérbios 8:13.
Temer ao Senhor significa virar-se contra o pecado, deixando nascer dentro do seu coração uma sensibilidade ao Espírito Santo, grande o suficiente para dizer não aos apelos da carne e à voz do maligno.
Eis porque o sábio afirma que o temor do Senhor é o princípio da sabedoria.
Graça e Paz!

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação




“Quando o SENHOR restaurou a sorte de Sião, ficamos como quem sonha”. (Salmo 126:1)


Amado(a), essa é uma palavra de estímulo e de conforto para aqueles que se encontram no cativeiro, assim como o povo de Israel. O salmista nos lembra que por mais que pareça impossível, Deus pode restaurar a nossa sorte. Não importa que tipo de cativeiro estamos enfrentando. Por que ou quem você tem chorado? Qual é o seu cativeiro neste momento? O que tem feito você chorar e se sentir preso? Problemas financeiros? Sentimental? Profissional? Algum erro do passado? Ou alguém que insiste em te limitar, cerceando seus passos e determinando suas ações?
Lembre-se de que o ser humano nasceu rodeado de toda a sorte de bênçãos. No Éden, o homem tinha tudo de que precisava: a presença de Deus, provisão, companheira, mas o pecado mudou essa situação. E desde então o homem vive de cativeiro em cativeiro. Cativeiro significa privação parcial ou total de liberdade. E isso leva à perda de identidade. Muitas vezes, pensando estar livre para fazer escolhas, o homem se prende e se torna cativo de suas lembranças. Mas o salmista canta o gozo de quem se sente liberto e fica como quem sonha. Por intermédio de Jesus Cristo, Deus pode restaurar a nossa sorte, libertando-nos do cativeiro, como fez com o povo de Israel.
As vezes nosso cativeiro tem a aparência de liberdade, a promessa de riqueza, de amor, de cumplicidade nos fazem crer que seremos felizes, mas se isso foge da palavra de Deus, inevitavelmente se constituirá em uma prisão e mais cedo do que pensamos provoca tristeza, choro, como lembra o salmo 137:1. “Às margens dos rios da Babilônia, nós nos assentávamos e chorávamos, lembrando-nos de Sião”. Esse choro, muitas vezes contido nos faz sentir saudade da época em que éramos felizes e não sabíamos, porque insensatamente reclamamos do que temos e saímos em busca de ilusões que não se concretizam. Saudade do tempo em que tínhamos liberdade e sentíamos prazer no que fazíamos. Quantos estão chorando as escondidas porque foram em busca de uma falsa liberdade e deram as costas para a Rocha firme e se tornaram escravos de uma vida sem propósito, sem luz, sem perspectivas, pois por mais liberdade que se tenha no cativeiro, o cativeiro sempre provocará tristeza e choro.
Amado(a), Jesus ensina a não aceitar essa situação, a não se acomodar ao cativeiro, mesmo que aparentemente você esteja se dando bem. Não se acomodar com a situação é não se esquecer das promessas de Deus para a sua vida. É não se esquecer dos dias felizes que você já teve. É não se alegrar com as migalhas de alegria dentro do cativeiro. Consulte seu coração e veja se o que lhe dá prazer é algo que preenche seu espírito ou apenas sacia sua carne. Não se acomodar é não se deixar envolver com o inimigo, com o seqüestrador de sua sorte ao ponto de cantar para ele. Para aquele que roubou sua paz, seus petições. O Senhor é o único que pode mudar a sua sorte. Não importa se limitaram o seu espaço, se o prenderam com artifícios, se decidiram seus caminhos. Deus já decidiu lhe abençoar e tirá-lo do cativeiro. Não existe cativeiro que resista ao poder do Todo Poderoso.

Graça e Paz!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação



Tu és toda formosa, meu amor, e em ti não há mancha. (Cantares 4:7)


Cantares é um dos três livros bíblicos atribuídos ao rei Salomão. Todavia, diferentemente de Provérbios e Eclesiastes, neste livro, o sábio faz uma alegoria ao amor. É uma rica poesia que enaltece e enobrece as relações humanas. Sobretudo eleva o sentido do sexo, segundo o desejo de Deus. Salomão não banaliza as relações, ao contrário, mostra como o sexo é algo puro e santificado. A idéia que se espalha pelo mundo sobre o sexo é de pecado, de algo proibido. Mas essa é a concepção que o diabo plantou, não é a concepção divina. Deus criou o homem e viu que não era bom que estivesse só, então criou a mulher e permitiu que eles se tornassem uma só carne. E satanás, para corromper a obra de Deus, fomentou a desobediência, o pecado, e adulterou na mente humana o sentido dessa união. O adultério, a prostituição, a lascívia e a obscenidade são frutos dessa corrupção. A idéia que se passa atualmente é que tudo é permitido e que tudo pode ser limpo. O que importam são os desejos, os interesses pessoais. O que vale é ser feliz, dizem muitos. Mas a verdade é que a palavra de Deus continua a mesma nos dias atuais, e certamente Salomão diria a poucas mulheres: “em ti não há mácula”. Não há como enxergar beleza onde não há respeito pela criação divina. E o corpo é templo do Espírito Santo, portanto, não deve ser maculado. Em Provérbios 30:20 adverte sobre o perigo da mulher adúltera: “Tal é o caminho da mulher adúltera: come, e limpa a boca, e diz: Não cometi maldade”. Certamente não é essa mulher exaltada em cantares, pois seu comportamento jamais seria digno de honra. Fazendo uma analogia com a Igreja e seu noivo, Jesus Cristo, entendemos que Ele jamais permitiria uma mancha que viesse a corromper sua Casa. O Senhor espera uma Igreja imaculada, sem se deixar contaminar pelos desejos da carne e que desonra o evangelho.
É preciso, pois, que cuidemos de nossas atitudes, de nossa forma de aceitar as perversões do mundo como algo natural, essa é a vontade do diabo, mas em hipótese alguma a de Deus.
Estas atitudes não são dignas de discípulos do Senhor Jesus. Amado(a), se você é Igreja, se é de fato convertido(a), é a noiva de Cristo. Salomão diria esses versos a você?


Graça e Paz!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação




“Irmãos, se algum dentre vós se tem desviado da verdade, e alguém o converter, Saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador, salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados.”(Tiago 5:19-20)

Amado(a), converter é mudar o sentido. Nem todos que se denominam evangélicos são convertidos, pois lêem a palavra, ouvem as pregações, mas não mudam de conduta. O convertido muda o curso de sua vida e deixa para trás tudo o que não se coaduna com a palavra de Deus. Conhecer a palavra não basta. É preciso vivê-la e demonstrar na prática a mudança efetiva. Jesus nos chamou a atenção para isto, quando disse a Pedro: “quando tu te converteres…”. Como entender essa expressão de Jesus, às vésperas de Sua morte ao discípulo que havia andado com Ele por cerca de três anos? Como muitos freqüentadores de igreja, Pedro colocava o coração naquilo que fazia e se empenhava em suas atividades, mas aos olhos de Jesus, ele não era um convertido. Era alguém que ainda precisava passar por uma conversão, ou seja precisa mudar de atitudes.
Enfrentamos este mesmo problema nos dias de hoje. Muitos que se afirmam convertidos, são na verdade convencidos e precisam se converter. O pouco que sabem da palavra já lhe dão autoridade para seguirem seu próprio caminho, ignorando a voz dos lideres. Isso porque seu ego ainda não morreu na cruz. Tiago está nos dizendo que é preciso exortar a quem se desvia, que muda de rumo, mas não se converte. E observe que ele diz que aquele que faz o pecador se converter de seu mau caminho o estará livrando da morte. A verdadeira conversão só vem com o arrependimento, com o reconhecimento do erro e o desejo sincero de mudança. E isso só pode ser conseguido em um coração que se abre para aceitar a correção e a exortação. A promessa para esses que se desviam, mas desejam se converter verdadeiramente está em Ezequiel 11:19 “E lhes darei um só coração, e um espírito novo porei dentro deles; e tirarei da sua carne o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne”.

Graça e Paz!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação


“Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!
Porque será como a tamargueira no deserto, e não verá quando vem o bem; antes morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável. (Jeremias 17: 5-6).

Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja confiança é o SENHOR. Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto. ". (Jeremias 17:7-8).


Amado(a), o profeta Jeremias nos apresenta duas situações distintas e as suas conseqüências para a vida do homem. Vemos aqui dois grupos de pessoas diferentes, o primeiro é formado por aqueles que confiam na carne, confiam no homem, enquanto o segundo confia em Deus, busca a direção do Espírito Santo. O Senhor tem falado conosco nesses dias, tem chamado nossa atenção para um posicionamento e nessas palavras do profeta somos conclamados a nos enquadrar. A que grupo você pertence? Em quem você tem confiado? Em você mesmo, nos desejos de sua carne que direciona suas ações e reações, ou na orientação do Senhor, segundo a Sua palavra?
Se analisarmos bem os dois parágrafos veremos que as boas novas estão relacionadas ao segundo grupo. Aquele que confia no Senhor é bendito. Observe que o profeta faz uma analogia a uma árvore plantada junto às águas. Ela estende suas raízes para o ribeiro. Raízes são as coisas que construímos, são as nossas bases, o nosso ponto de referência. E o ribeiro é algo externo a nós, mas que nos nutre e nos refrigera. Uma planta que cresce ao lado de um ribeiro é uma planta saudável e que frutifica, pois busca para suas raízes os nutrientes necessários para que cresça fortificada. Eis porque o profeta chama de bendito a esse homem e em contraposição afirma que maldito é aquele que confia na carne. A carne é tudo aquilo que representa os desejos do homem natural, que não eleva, que beira ao instintivo. Quem confia na carne se aparta do Senhor e se deixa dominar pelas concupiscências e pelos prazeres efêmeros. Por isso, o profeta, para mostrar a conseqüência dessas atitudes, faz uma analogia com a tamargueira. Essa planta típica da região do Líbano simboliza a pessoa desamparada, sem ter a quem recorrer no deserto.
Aqueles que se entregam à carne, que não ouvem as exortações dos profetas de Deus e cauterizam sua consciência, fechando seus ouvidos para a voz do Espírito, certamente se firmam em seus desejos e acabam se isolando no deserto criado pela sua insensatez. Frequentemente se frustram, pois tomam atitudes intempestivas de resolver seus problemas sem ouvir o Senhor, guiando-se pelos próprios pés. A conseqüência disso é a sensação de solidão e de vazio, porque afastam de si os ribeiros de águas frescas que nutrem e fortificam, impedindo a frutificação.
Amado(a), onde você tem lançado suas raízes? Em terras banhadas por um ribeiro, ou em areia movediça que o faz afundar cada vez mais?
Graça e Paz!

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação


“E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa". (Eclesiastes 4:12).

Amado(a), este texto de Salomão faz referência ao cordão de três dobras que não se quebra facilmente. O cordão de três dobras é feito de um material resistente, com fios resistentes até mesmo a prova do tempo. Metaforicamente representa a importância das relações fortificadas com a presença de Jesus Cristo solidificando uma relação a três. Num lar onde Jesus é o Senhor não se arrebenta, não é destruído, não existe separação de corpos, não existe divórcio, não existe adultério. Jesus é o elo maior, é a dobra maior que segura os relacionamentos mais difíceis e complicados. Neste cordão, o Poder de Jesus está presente e nada poderá destruir este relacionamento. Eis porque Salomão fala que se alguém prevalecer contra um os dois lhe resistirão. Mas é importante destacar que para que Jesus seja a terceira dobra deste cordão é necessário que Ele seja convidado. Jesus não invade lares, não força entrada, e não entra onde reina o pecado. Não adianta limpar a casa se o coração continua impuro. Não adianta fechar a porta e se esconder sob um alto muro, Deus conhece a sua intimidade e seus pensamentos. Se o que dizem de você não pode ser provado, e se seu cordão tem três dobras, nada lhe resistirá. Mas se esse cordão está corrompido não há nada que possa evitar a queda a não ser a misericórdia de Deus. Amado(a) como está seu relacionamento? Jesus está nele? Você pode afirmar com segurança que não há nada que poderá romper esse cordão? Se o mundo ficar contra você, seu cordão é forte o suficiente para segurar as investidas do adversário?
Graça e Paz!

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação



“Também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo" (1 Pedro 2:5).

Amado(a), é preciso entender o significado de Igreja para que saibamos identificar nossa posição diante dela. Igreja não é um edifício construído com tijolos e argamassa, mas, como indica Pedro, é um edifício construído com pedras vivas. E, segundo ele, nós somos essas pedras. Em grego "igreja" significa "chamado para fora. Metaforicamente diz respeito a um grupo de pessoas chamado para sair fora do pecado do mundo para servir ao Senhor. Portanto, é um corpo constituído de componentes vivos. E para serem coerente com esse significado, pessoas chamadas para saír do pecado não podem continuar participando do mal do mundo, satisfazendo os desejos da carne, porque elas estão santificadas ou separadas do pecado. A Igreja é um corpo, cuja cabeça é Cristo. E Jesus não morreu para comprar terra e edifícios, nem para estabelecer alguma instituição. Mas morreu para comprar as almas dos que estavam mortos no pecado, conquistando-lhe a salvação e esperança de vida eterna. Por isso Lucas se refere à “Igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue" (Atos 20:28).
Pessoas chamadas para sair do pecado, para fazer a vontade de Deus e não do mundo congregam em um lugar de respeito e adoração ao Criador, também chamado igreja. Com minúscula, porque é um lugar, um edifício, onde a Igreja se reúne com o mesmo propósito. Igreja é povo de Deus, e povo de Deus se reúne em um lugar separado por Ele para adorá-Lo e reverenciá-Lo. Portanto, amado(a), não aceite a sugestão do diabo quando assopra em seus ouvidos que se Deus está em toda parte não é preciso ir à igreja para orar. É preciso sim, porque lá está reunida a Igreja que, em comunhão, partilha o evangelho e busca a edificação e a maturidade da fé, difíceis de serem construídas na solidão ou em contato com pessoas que não são Igreja, mas pedra de tropeço na vida daqueles que querem conhecer verdadeiramente a Deus.
Graça e Paz!

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação






“Uma coisa pedi ao SENHOR, e a buscarei: que possa morar na casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do SENHOR, e inquirir no seu templo.” (Salmos 27:4)

Amado(a), o salmista pede a Deus para jamais se afastar de Sua casa. Eis uma sábia petição. Ele sabe que o Senhor a sua luz e a sua salvação e que estando abrigado debaixo de Suas asas a quem temerá?
Quando os inimigos se chegam contra nós, se estivermos firmes no Senhor, eles tropeçam e caem, essa é uma constatação que Davi fez e que nós devemos reconhecer.
Quando estamos cobertos pela mão poderosa de Deus, Ele nos livra no dia da adversidade, pois ouve a voz de Seus filhos, quando clamam e responde, pois Deus não esconde a face e não rejeita o Seu servo, isso bem conhece o salmista.
Mas e você, amado(a)? Também tem pedido a Deus que possa morar em Sua casa todos os dias de sua vida?
A grande verdade que Davi conheceu e que nós também sabemos, quando estamos em sintonia com esse Pai misericordioso é que ainda que nossos pais terrenos nos desamparem, o Senhor nos recolherá.
Mesmo quando nos comportamos como tolos e insensatos e damos as costas o Senhor, negando Suas palavras e infringimos Sua lei, Ele nos acolhe, se verdadeiramente nos arrependemos de nossos maus caminhos e nos achegamos a Ele, eis porque Davi clama: “Ensina-me, SENHOR, o teu caminho, e guia-me pela vereda direita, por causa dos meus inimigos”.
O fato é que o salmista sabe e nós devemos saber também que somos fracos e presas fáceis nas mãos do adversário e caímos na conversa e na sedução do inimigo se não nos firmamos na Rocha. Mas aquele que crê e espera no Senhor já é vitorioso.
Portanto, amado(a), ouça o que ensina Davi “Espera no SENHOR, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração; espera, pois, no SENHOR”. (Salmos 27: 14)
Graça e Paz!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação



“E eles nada disto entendiam, e esta palavra lhes era encoberta, não percebendo o que se lhes dizia.” (Lucas 18:34)

Amado(a), Jesus esteve junto de Seus discípulos, caminhou, comeu, com eles, viveu entre eles, durante Seu ministério na terra. Quantos milagres eles presenciaram, quantas vidas restauradas por Jesus esses homens tiveram a oportunidade de ver, não só de ouvir falar. Eles foram testemunhas oculares da vida e da ação de Jesus e ainda assim, muita coisa eles não entendiam. Nós também nos comportamos assim, diversas vezes e não é por falta de ouvir a palavra, de receber explicação dos pastores, ou de pessoas mais amadurecidas na fé. Nosso nível de compreensão não diz respeito aos esclarecimentos que recebemos. Nós simplesmente não entendemos, porque quem dá entendimento não é o homem, mas o Espírito Santo, quando nosso coração se abre para receber. Quantas palavras inspiradas são proferidas nos cultos, quantas revelações são feitas por intermédio da palavra, repetida em vários momentos, e por diversas formas e ainda assim não entendemos!
O que nos falta não é a palavra, mas experiência e percepção espiritual suficientes para entender a mensagem divina.
Note que você recebe o maná mal rompe o dia, ouve a palavra do culto, com todas as explicações do ministrante, com exemplos concretos e atualizados, lê a Bíblia, recebe um folheto com uma mensagem evangélica inesperadamente, ouve pelo rádio ou pela TV uma mensagem, ou pela internet um power point que reitera o que já foi dito. E, pode até parecer coincidência, todos tratam, inexplicavelmente, do mesmo assunto, e foram abordados em lugares e por pessoas diferentes. Como se explica isso? Deus está falando com você! Está lhe enviando um recado que você não entende, ou não abre seu coração para entender.
Mas, amado, a boa notícia é que apesar de nossas limitações, de nossa teimosia, o Senhor não desiste de nós. Por isso, de vez em quando, uma luz se acende dentro de nós e abrimos nossa mente para entender os recados insistentes de Deus. Alguns entendem mais cedo, outros demoram, mas pela graça e misericórdia, todos um dia irão compreender. E você, amado(a), compreende o que lê? Entende o que ouve? Reconhece o que procede de Deus e o que são ruídos do inimigo? O Senhor tem falado com você, mesmo que tenha voltado as costas para Ele. Quando vai tirar o tampão de seus ouvidos?
Graça e Paz!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação





“Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.” (Romanos 5:10)


Amado(a), Paulo está nos falando sobre reconciliação. A reconciliação é a mensagem central do evangelho. A Bíblia diz em 2 Coríntios 5:18-19 “Mas todas as coisas provêm de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Cristo, e nos confiou o ministério da reconciliação; pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação.” É pela reconciliação que as relações pessoais quebradas podem ser restauradas, por isso a Bíblia diz em Mateus 18:15 “Ora, se teu irmão pecar, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, terás ganho teu irmão.” Observe que Jesus recomenda a reconciliação de forma que não haja barreiras entre os irmãos e que o perdão seja exercido. Paulo, em carta aos Romanos chama a atenção para essa necessidade de o homem se reconciliar com Deus e com o próximo, pois foi por essa causa que Jesus se sacrificou. É preciso lembrar também que Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. E se todos recebemos pela graça o perdão, por que não perdoamos aquele que nos feriu? Se Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores, quem somos nós para apedrejar o nosso próximo?

Graça e Paz!

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação



“Quão grandes são os seus sinais, e quão poderosas as suas maravilhas! O seu reino é um reino sempiterno, e o seu domínio de geração em geração”. (Daniel 4:3)


Amado(a), o Senhor tem nos alertado sobre a importância de dar ouvidos às Suas palavras e a considerar as profecias. Daniel nos chama a atenção para os sinais do Senhor. Neste texto é narrada a interpretação do sonho de Nabucodonosor por Daniel. Contudo, o mais relevante é o reconhecimento do rei sobre a evidência desses sinais, e de como o rei enxerga no profeta a presença de Deus. Depois de ter revelada a interpretação, Nabucodonosor reconhece que seu reino foi restaurado, assim como sua dignidade porque, ao dar ouvidos à interpretação do sonho, voltou o seu entendimento, e assim a sua glória foi aumentada.
A leitura deste texto reforça a importância que devemos dar às palavras dos profetas de Deus, aos sonhos que nos são revelados para nossa edificação e para evitar que tropecemos.
Podemos ver que ao rei foi dada a interpretação: “Serás tirado dentre os homens, e a tua morada será com os animais do campo, e te farão comer erva como os bois, e serás molhado do orvalho do céu; e passar-se-ão sete tempos por cima de ti; até que conheças que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens, e o dá a quem quer. E quanto ao que foi falado, que deixassem o tronco com as raízes da árvore, o teu reino voltará para ti, depois que tiveres conhecido que o céu reina”. (Daniel 4: 25-26). Observe, amado(a), que o profeta não prevê coisas boas para o rei, mas coloca algumas condições para que sua sorte mude: “até que conheças...; depois que tiveres...”. Quando alguém, fala em nome do Senhor uma palavra profética, quando interpreta sonhos ou dá a conhecer a um irmão uma palavra de livramento, o conselho de Daniel deve prevalecer. As coisas podem mudar “se”, “depois de”. Se, como o rei, a pessoa reconhece a voz do Senhor e muda de atitudes, certamente o desfecho também será como o de Nabucodonosor: vitórias e honras. Dignidade e glória. E poderá como o rei afirmar: “Agora, pois, eu, Nabucodonosor, louvo, exalço e glorifico ao Rei do céu; porque todas as suas obras são verdade, e os seus caminhos juízo, e pode humilhar aos que andam na soberba”. (Daniel 4:37). Amado(a), você tem dado ouvidos à voz de Deus? Tem considerado a exortação daqueles que foram colocados pelo Senhor para alertá-lo(a) sobre os seus passos? Se não, passe a observar os sinais de Deus, principalmente quando esses avisos e sinais vêm de fontes e formas diferentes. Seriam meras coincidências, ou seria Deus insistindo em lhe abrir o entendimento? Pense nisto!
Graça e Paz!

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação




“Assim diz o Senhor, o teu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou o Senhor, o teu Deus que te ensina o que é útil e te guia pelo caminho em que deve andar”. (Isaías 48:17)


Amado(a), a única pessoa capaz de atar as mãos de Deus para que não receba as Suas bênçãos é você. Deus está pronto para lhe abençoar. Mas, como mostra o profeta Isaias, Deus é o Senhor que nos guia pelos caminhos retos. Se você se desviar deles, certamente, não obterá de Deus as Suas promessas. Deus ensina o que é útil, diz o profeta. Isso quer dizer que Ele separa aquilo que não pode ser aproveitado. E muitas são as coisas inúteis em nossas vidas. O inimigo usa a estratégia de sempre de ocupar nossas mentes com tudo que não pode ser aproveitado. Com futilidades e mediocridades, faz com que nossas energias sejam despendidas com tudo que não edifica. Amado(a), o Santo de Israel tem o caminho, único pelo qual se pode encontrar a verdadeira paz, alegria e prosperidade. Nele andando, você não colherá frutos que não são desperdiçados, não são espalhados como as inutilidades com as quais o diabo suga seu tempo, sua energia e sua força vital. Atente para o caminho do Senhor, deixe de lado aquilo que lhe faz caminhar por atalhos. Ouça os profetas de Deus, dê atenção às palavras de quem verdadeiramente pode testemunhar bênçãos em sua vida e cujos frutos não são colhidos de forma apressada e não apodrecem rapidamente. Quem anda por caminhos retos vê frutificar tudo o que põe a sua mão, mas aquele que se desvia, ainda que colha frutos imediatos, certamente sentirá quão amargo é o seu sabor.
Graça e Paz!

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação



“Fala Senhor, porque o teu servo ouve”. (I Samuel 3:10)

Amado(a), Samuel foi o último dos juízes e um grande profeta, principalmente porque procurou ouvir a voz do Senhor, entender o que Ele queria e seguiu a Sua vontade. Samuel demonstrava integridade ministerial e moral, e andava em retidão e justiça diante de Deus e dos homens. Não deve ter sido fácil para ele manter essa postura firme pela verdade, pois em seu tempo os homens estavam corrompidos e cometendo grandes erros. E a Bíblia nos mostra que esses homens estavam dentro da casa de Deus. Hoje não é diferente. Quantos não estão agindo assim, dizendo-se cristãos, mas cometendo os pecados mais vis e vivendo de forma incoerente com a palavra de Deus? Quantos não estão fazendo o que bem entendem: negócios financeiros ilícitos, pecados morais como adultério, fornicação, prostituição, homossexualismo. Deus não pode operar no meio de desobediência e corrupção de Sua palavra e muitos não compreendem porque não são abençoados. Nos tempos de Samuel, a fama dos homens que serviam na Casa de Deus não era das melhores. A fama diz respeito àquilo que fazemos. Se fizermos coisas más, evidentemente nossa fama será má, se fizermos coisas boas, a fama será boa. Entretanto, muitos têm tentado esconder sua má fama atrás de uma capa de santidade, mas a Bíblia diz que o pecado havendo concebido gera a morte, e que nada há escondido que não seja revelado. Para muitos, o pecado deixou de ser pecado, pois suas consciências estão cauterizadas e não conseguem mais enxergar o erro e assim imaginam que errados estão os outros, os profetas de Deus que tentam abrir os olhos daqueles que dão as mãos ao inimigo quando fazem o contrário do que diz a palavra de Deus.
Samuel ouvia prontamente e voz do Senhor porque tinha o coração aberto e a mente sensível e não deixou de fazer o que estava escrito em Deuteronômio 28: 2 “se ouvires a voz do Senhor, teu Deus, virão sobre ti e te alcançarão todas estas bênçãos: - o Senhor te porá por cabeça e não por cauda; e só estarás em cima e não por baixo, se obedeceres aos mandamentos do senhor, teu Deus, que hoje te ordeno, para os guardar e cumprir”.
E você, amado(a), tem ouvido a voz do Senhor e daqueles que foram colocados como líderes em sua vida, para conduzi-lo(a) a um caminho seguro? Se não, ainda há tempo de abrir seus ouvidos e voltar seu entendimento aos recados do Senhor.
Não faça mais nada sem que Ele tenha lhe dado a direção: não assine contratos, não mude de casa, não associe seu nome a nada que não venha do Senhor. Não empreste seu nome a quem não trilha os caminhos de Deus e anda segundo as vontades da carne. E, sobretudo, não faça nada que seja contrário à palavra de Deus. Se você quer prosperar, se quer ser uma bênção deixe que Jesus seja seu sócio, convide-O para seus relacionamentos, permita que Ele dirija sua vida, mas jamais, em hipótese alguma, tome uma decisão sem ouvir a voz de Deus. Se há algo que está por fazer que tem gerado dúvida e confusão, se o que pretende não gerou assentimento daqueles que foram colocados por seu orientador espiritual, não faça, pois se o fizer, certamente se arrependerá. Firme-se no que diz Paulo aos Coríntios 15:58 “portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do senhor, sabendo que, no senhor, o vosso trabalha não é vão. Deus está lhe indicando um caminho, mas você é livre para escolher: ou ouve a voz do Senhor, ou faz o que lhe aprouver, mas sabendo que a conseqüência de suas escolha é por sua conta e risco.

Graça e Paz!

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação


Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor de todas o livra. (Salmo 34: 19)

Amado(a), quando entregamos nossa vida a Jesus, ficamos na expectativa de que nossos desejos sejam todos satisfeitos imediatamente, nossos problemas desaparecerão e nossa vida romperá as mil maravilhas. Mas é preciso ponderar que, em momento algum Jesus, ou a Bíblia passa essa mensagem. O que temos que entender e assimilar com o coração é que a palavra de Deus não nos promete que não teremos lutas, mas sim que sobre todas estas lutas seremos vitoriosos (Romanos 8:36-37).
Se você tem sofrido por amor a Jesus e a sua palavra, creia que Ele honrará a sua fidelidade para com Ele.
Amado(a), não se arrependa de ter aceitado o chamado de Deus e jamais deixe o diabo te fazer pensar que não valeu à pena. Insista em Crer e em sonhar os sonhos de Deus! Insista em confiar na Sua provisão e em aprender a descansar em Seus braços. Quem põe a mão no arado não deve olhar para trás. Quem conhece a palavra de Deus não pode dar ouvidos a outras vozes que, a serviço de satanás ficam procurando capturar aqueles que não se firmam e se deixam levar pelas obras da carne. Amado(a), Deus o encoraja a prosseguir e a insistir em crer que o tempo da restituição e da vitória está prestes a chegar.

Graça e Paz

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação



Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente. (Isaías 40:8)


Amado(a), observe que o profeta reafirma o poder que há nas palavras do Senhor. E o que Ele tem dito sobre você? Quais são as promessas que Ele tem feito a você? Pois saiba que elas subsistem ainda que tudo pareça dizer o contrário. Se Ele disse que você será vitorioso(a) sobre todos os seus inimigos, creia. Deus está à frente desta batalha e entregará nas suas mãos aquilo que espera: “Porque certamente te livrarei, e não cairás à espada; mas a tua alma terás por despojo, porquanto confiaste em mim, diz o SENHOR”. (Jeremias 39:18). Se o Senhor lhe disse, por meio de Seus profetas que sobe você repousa a paz e aqueles que o humilham serão levantados para lhe exaltar e que “Em lugar da vossa vergonha tereis dupla honra; e em lugar da afronta exultareis na vossa parte; por isso na sua terra possuirão o dobro, e terão perpétua alegria”. (Isaías 61:7), creia amado(a), assim o Senhor fará, porque Ele não é homem para mentir, não se arrepende do que diz e não deixará que o justo seja abalado. Aquele que começou, terminará a boa obra. Mas se a palavra do Senhor na sua vida é para que se conserte que mude de atitudes e de conduta, então não se demore, “Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres”, pois assim diz o Senhor em Apocalipse 2:5. E não se esqueça, toda palavra que procede da boca de Deus há de se cumprir.
Se está difícil a sua luta, se seus passos estão embaraçados, somente o Senhor poderá livrá-lo(a) do laço. Lembre-se sempre do que disse o apóstolo Paulo aos Filipenses 4:13 “Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece”. Você pode tudo, se estiver em Cristo.

Graça e Paz!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação


O fariseu, de pé, assim orava consigo mesmo: ó Deus, graças te dou que não sou como os demais homens, roubadores, injustos, adúlteros, nem ainda com este publicano. (Lucas 18.11)


Amado(a), o evangelista relata nesta passagem algo bastante importante sobre o qual devemos meditar: as nossas atitudes diante dos homens. Quantos freqüentam a igreja, mostram-se em aparência de santidade, criticam as atitudes dos irmãos, mas suas vidas não podem ser expostas. Sepulcros caídos, diria Jesus. Somos pecadores, mas devemos evitar o pecado, jamais negá-lo. Todavia buscar uma vida de santidade deve ser nossa meta.
A hipocrisia é um mal do qual devemos fugir. Muitos chegam a colocar a bíblia debaixo do braço, vestir uma roupa domingueira e nos dirigir à igreja, cumprimentando os irmãos e ao cruzar o pórtico de volta retomam aos seus pecados como se a santidade fosse algo a ser representado como uma peça teatral no domingo na igreja. Essa tem sido a atitude de alguns, que se dizem cristãos e negam os verdadeiros valores do evangelho de Cristo.
Segundo os dicionários, a hipocrisia consiste em fingir ser aquilo que não é. Essa é a base do falso orgulho.
Quem pode enganar a Deus? Ele sonda os nossos corações e conhece o nosso íntimo. Não há como se esquivar de Deus. Nenhum tipo de orgulho, hipocrisia e engano prevalecerão em Sua presença. Não adianta assumir uma falsa moralidade, uma imagem cristã, se nossas atitudes fora da igreja negam toda a palavra. Devemos, sim, admitir nossos pecados como o publicano: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! (Lucas 18.13) e pedir ao Senhor que nos liberte e nos dê forças para não cairmos nas armadilhas do mundo. E, conscientes de nosso pecado, e com sincero arrependimento, voltarmo-nos para Deus em busca de misericórdia.
Graça e Paz!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação


E os que deixam de andar em seguimento do SENHOR, e os que não buscam ao SENHOR, nem perguntam por ele. (Sofonias 1:6)


Amado(a), o profeta faz um alerta ao povo, lembrando que serão consumidos. E no texto em epígrafe classifica em três categorias aqueles que não serão poupados do castigo: os que deixam de andar nos caminhos do Senhor; os que não O buscam; e os que não perguntam por Ele. Observe que três palavras são chaves neste contexto: seguir, buscar e perguntar. Na primeira categoria estão os que conhecem a palavra de Deus, sabem o que podem e o que não devem fazer e, ainda assim, escolhem caminhos contrários à vontade de Deus. Na segunda estão os que conhecem a palavra, mas não confiam, nem entregam sua vida ao Senhor, antes, porém, preferem agir segundo suas forças. Na terceira estão aqueles que ignoram quem é Deus. Vivem como se não precisassem do Senhor e em todas as suas atitudes afrontam a palavra de Deus. O profeta nos lembra que o dia do Senhor está perto e nesse dia não há ouro, nem poder, nem vontades individuais que prevalecerão. Eis porque o profeta chama o povo a congregar e a buscar o Senhor. Amado(a), como está sua vida? Você tem buscado ao Senhor? Tem andado nos Seus caminhos? Tem perguntado por Ele? Pois saiba que Ele pergunta por você e o(a) busca em todos os momentos, esperando que esteja firme em Seus caminhos.

Graça e Paz!

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação


E, em qualquer cidade ou aldeia em que entrardes, procurai saber quem nela seja digno, e hospedai-vos aí, até que vos retireis. (Mateus 10:11)

Amado(a), nesse versículo Jesus está instruindo seus discípulos a seguirem em sua missão. Note que Ele os ensina a procurar quem é digno para se hospedarem com eles. Isso significa que Jesus enviou os doze para levar o evangelho a toda criatura, para pregar a salvação e perdoar os pecados a partir do arrependimento, mas Ele considerava essencial a dignidade para que os Seus escolhidos se abrigassem. Significa que devemos amar os pecadores, mas não habitar com o pecado. Jesus considera a dignidade de uma casa e afirma que se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; mas, se não for digna, torne para vós a vossa paz. E, se ninguém vos receber, nem ouvir as vossas palavras, saindo daquela casa ou daquela cidade, sacudi o pó dos vossos pés. Em verdade vos digo que, no dia do juízo, haverá menos rigor para a terra de Sodoma e Gomorra do que para aquela cidade. (Mateus 11:13-15)
Jesus ensina aos discípulos que eles encontrariam pessoas más e enganadoras em seus caminhos, por isso diz “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos” E para que não caíssem nessas armadilhas Ele exortou: “sede prudentes como as serpentes e símplices como as pombas”.
Hoje isso não é diferente. Nossa tarefa é a de pregar o evangelho a toda criatura, principalmente aos estão caídos e perdidos, mas só devemos encontrar leito onde há dignidade.

Graça e Paz!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação



"...nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus." (2Coríntios 4:49)

Amado(a), A igreja de Corinto foi fundada por Paulo em sua segunda viagem missionária. Entretanto, esta igreja havia sido contaminada com males que a rodeavam, pois Corinto era uma cidade licenciosa. Ali eram permitidos todos os tipos de imoralidade. Em sua carta aos coríntios, o apóstolo chama a atenção do povo para os pecados que contaminavam a igreja para que os crentes carnais de Corinto fossem plenamente restaurados.
Ele clamava pelo arrependimento e pela mudança de postura daqueles a quem havia mostrado o caminho da salvação. Ali ele havia encontrado brigas, invejas, ira, divisões, calúnias, intrigas, arrogância e desordem. Mas ele queria que todos tivessem realmente se arrependido e já estivessem espiritualmente recuperados.
Uma igreja dividida não gera comunhão e longe da comunhão muitos se perdem, porque abrem brechas para que satanás provoque dissensões e intrigas. Mas é impossível restaurar a comunhão se os membros se tornarem crentes carnais, vivendo segundo os padrões mundanos da natureza humana.
A comunhão depende da espiritualidade dos membros, pois de acordo com Paulo o crente espiritual não vive segundo a carne, mas segundo o Espírito. Quem é dominado pela carne não pode agradar a Deus, afirma o apóstolo em carta aos Romanos 8:4-8, pois quem vive segundo a carne tem a mente voltada para o que a carne deseja, mas quem vive de acordo com o Espírito tem a mente voltada para o que o Espírito deseja. A mentalidade da carne é morte e constitui inimizade contra Deus, mas a mentalidade do Espírito é vida e, conseqüentemente, paz com Deus.
O diabo, nosso adversário é o único interessado na divisão da igreja, é ele quem planta o joio no meio do trigo, para que irmãos entrem em atrito, para que a sua palavra prevaleça sobre a Palavra de Deus. E é ele quem cega o entendimento para que a verdade não seja conhecida, pois só a ele interessa que o pecado reine.

Há poder na comunhão dos irmãos e é por isso que satanás avança contra aqueles que se dispõem a seguir a palavra. É por isso que ele provoca a intriga para fazer cair o mais fraco. Ele sabe que longe de Deus e da comunhão, o homem é vulnerável às suas armadilhas.
Por isso Paulo adverte em Efésios 5:15 “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios.” E ser sábio, amado(a) é saber onde pisa, é não dar ouvidos aos ímpios, é não se colocar em jugo desigual, é ouvir os profetas de Deus, é não fazer a vontade da carne e arrepender-se dos pecados, voltando-se para o Pai. Mas o melhor de tudo é saber que o Espírito Santo nos convence do pecado e do juízo e nos conduz de volta ao alvo. E ainda que os verdadeiros irmãos, a família do Senhor, está sempre de braços abertos para receber e amar aqueles que se arrependem e tornam à casa.

Graça e Paz!

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação



"Pois não era um inimigo que me afrontava; então, eu o teria suportado; nem era o que me aborrecia que se engrandecia contra mim, porque dele me teria escondido, mas eras tu, homem meu igual, meu guia e meu íntimo amigo. Praticávamos juntos suavemente, e íamos com a multidão à Casa de Deus."

Amado(a), Davi desabafa sua imensa tristeza ao se sentir traído por quem devotava grande amizade. Muitas vezes é assim que nos sentimos e é também assim que Deus se sente quando deixamos de lado os Seus ensinamentos. O homem por meio do batismo faz uma aliança de fidelidade ao Senhor, mas quando deixa de seguir seu compromisso e se volta para o mundo, ele quebra essa aliança. Trair é quebrar alianças, seja ela de que forma for. Nas palavras de Davi, vemos como dói uma traição e principalmente se ela vem daqueles a quem devotamos extrema amizade ou confiança. Mas Davi não se deixou abater, todavia invocou a Deus, sabendo que Ele o salvaria. Por mais que lhe doesse essa afronta, ele não esmoreceu, nem buscou vingança, mas obstinou-se a orar três vezes ao dia e a clamar ao Senhor, certo de que Ele ouviria a sua voz e o livraria da angústia e de seus inimigos.
Amado(a), Davi nos ensina a lançar o nosso cuidado ao Senhor, pois Ele nos susterá e jamais permitirá que o justo seja abalado. Davi mostra-nos a importância de nos mantermos firmes e confiantes de que Deus pelejará por nós, porque ainda que o homem nos traia e o inimigo nos afronte, Deus nunca abandonará aqueles que Nele esperam. O homem pode até fazer isso, mas Deus jamais quebra Sua aliança conosco.
Graça e Paz!

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação





Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo. (1 Coríntios 15:57)


Amado(a), fomos criados a imagem e semelhança de Deus, somos Seus herdeiros e como povo eleito temos toda a prerrogativa dessa condição. Todavia, por negligência nossa ou porque deixamos que o diabo cegue nossa visão, não agimos como tal, nem reivindicamos com propriedade nossos direitos. Fomos criados para atingir a estatura de Cristo. Esta condição está expressa em Efésios 4:13 “Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo”.
Deus nos quer maiores e melhores do que somos e só Ele pode nos transformar em uma pessoa extraordinária, deixando para trás tudo aquilo que nos separa das bênçãos e nos impede de receber aquilo que nos pertence. Mas, para isso, não basta querer, é preciso ter determinação. A condição é fazer algo em prol disso, mesmo que fazer, nesse caso, signifique apenas esperar, confiar, crer e não agir com nossas próprias forças.
É necessário ter uma meta e sermos determinados a conquistá-la. Quem muda de idéia e de atitudes ao sabor do vento, jamais conquista a vitória. Quando o anjo passa para entregar, muitos já não estão mais na posição de receber.
Observe o perfil de pessoas vitoriosas a sua volta. O que elas têm em comum? A determinação, a perseverança e a atitude firme naquilo que esperam e acreditam. Sobretudo, elas demonstram compromisso: compromisso com as pessoas, com a obra, com aquilo que assumiram e empenharam sua palavra. O vitorioso tem palavra e é fiel aos seus valores e as suas convicções. Mas, acima de tudo, é fiel a Deus. Não se desvia para outros caminhos, nem desanima porque sua bênção não chegou instantaneamente. O vitorioso sabe que muitas vezes, quando perde, ganha, pois apega-se na promessa e sabe que Deus não é homem para mentir.
O vitorioso não dá ouvidos aos ímpios e não deixa de ouvir os ungidos do Senhor. Ele aprende com os erros seus e dos outros. Não espera chegar ao fundo do poço para mudar de comportamento.
O vitorioso tem fome de Deus e busca se cercar sempre de pessoas com o mesmo espírito, a fome pelo Senhor atrai sua presença, a unção. Ele gasta seu tempo com as coisas de Deus e pratica a palavra. Ele sabe que suas decisões afetarão sua vida e que se deixar o Senhor guiar os seus passos, não há armadilha que o surpreenda.
Graça e Paz!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação





No último dia da criação, disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança” (Gênesis 1:26).

Amado(a), quando Deus formou o homem do pó e deu a ele vida, compartilhando de Seu próprio fôlego Ele deu um “toque pessoal” e permitiu que o homem fosse o único, dentre toda a Sua criação, a ter tanto uma parte material (corpo) como uma imaterial (alma/espírito) e a ter semelhança com Ele.
Ter a “imagem” e “semelhança” de Deus significa que fomos feitos para nos parecermos com Ele.
A imagem de Deus se refere à parte imaterial do homem. É uma semelhança mental, moral e social. Diferentemente das outras criaturas, fomos criados para ter comunhão com o Criador.
Moralmente, o homem foi criado como um reflexo da santidade de Deus. Eis porque, depois de ver Sua criação Deus disse que tudo era “muito bom” (Gênesis 1:31). Nossa consciência, ou “bússola moral” é um vestígio daquele estado original.
Adão, o primeiro homem, por ter sido criado a imagem e semelhança de Deus teve liberdade de escolha, mas escolheu transgredir Adão fez uma má escolha em se rebelar contra seu Criador e não assumiu a responsabilidade de sua escolha infeliz, passando –a para a mulher. Apesar de ter sido dada a ele uma natureza reta, ele optou por dar ouvidos a outras voz que não a do Senhor. Fazendo isto, ele manchou a imagem de Deus dentro de si, e passou adiante esta semelhança maculada a todos os seus filhos, pois essa desobediência refletiu-se na carga genética e chegou até nós de geração em geração.
(Romanos 5:12). Hoje, ainda trazemos conosco a imagem de Deus (Tiago 3:9), mas também trazemos as marcas do pecado. Mentalmente, moralmente, socialmente e fisicamente, mostramos os efeitos, pois não somos perfeitos. Ainda hoje temos o direito de escolher, como Adão, a quem obedecer. De igual modo, somos responsáveis pelas conseqüências que dessa escolha advém. Podemos escolher o caminho da santidade, temos a liberdade de fazermos o que quisermos, mas podemos dizer aos vícios, à prostituição, à mentira, à desonestidade.
O primeiro homem escolheu mal e a humanidade recebeu as conseqüências dessa escolha. Mas Deus, em Sua infinita misericórdia traçou um plano de salvação e incluiu Seu filho unigênito, que, diferentemente de Adão, escolheu a santidade e assumir a nossa culpa. Por conta dessa escolha continuamos livres e aptos a ter comunhão com nosso Criador, pois quando Deus redime uma pessoa, Ele a restaura em nós a Sua imagem original, criando o novo homem, formado em verdadeira justiça e santidade. (Efésios 4:24; Colossenses 3:10).
Amado(a), como você tem cuidado dessa imagem do Criador dentro de si? A quem você tem dado ouvidos: à voz da consciência, que é o Espírito Santo de Deus, deixado em nós até a consumação dos séculos, ou à serpente que ainda hoje se apresenta com voz sedutora, atraindo para si os que, como Adão, escolhem desobedecer e acabam caindo em laços de morte?


Graça e Paz!

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação



“Ampara-me, segundo a Tua promessa, para que eu viva; não permitas que a minha esperança me envergonhe.” (Salmos 119:116)

Amado(a), há momentos difíceis em nossas vidas, os quais não sabemos como seguir em frente, diante de tanta luta e provação. Isso acontece com todos, com os que temem e com os que desobedecem ao Senhor. O deserto pode ser lugar de crescimento na vida de quem sabe que não estará sozinho, mas também lugar de morte para aqueles que não sabem ou não têm autoridade para clamar ao Senhor como fez o salmista no versículo em epígrafe. Como filhos, temos o direito de reivindicar as promessas do Pai, certos de que Ele nos amparará e de que as lutas são passageiras e servirão para nos fortalecer. É preciso crer e esperar, sabendo que a palavra de Deus não volta vazia e que tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus. Mas, note bem, daqueles que amam a Deus, diz Paulo, aos Romanos. E quem ama a Deus não desobedece aos Seus mandamentos não se associa aos ímpios e nem pratica a iniqüidade. A promessa do Senhor é lembrada pelo profeta Isaías 61:7: “Em lugar da vossa vergonha tereis dupla honra; e em lugar da afronta exultareis na vossa parte; por isso na sua terra possuirão o dobro, e terão perpétua alegria.” Quantas vezes somos afrontados, em nossa casa, em nosso trabalho e até mesmo na igreja, quando temos que suportar as investidas do inimigo nos diminuindo e nos fazendo parecer insignificantes ou incapazes de obter do Senhor as promessas? Mas o Senhor garante que aquele que não se afasta de Seus estatutos, aqueles que suportam com dignidade as afrontas, e por amor de Deus nome se mantêm firmes e confiantes, Ele não só há de amparar, mas transformará a vergonha em dupla honra. Que promessa maravilhosa, para aqueles que são filhos e herdeiros. Você faz parte desses privilegiados?
Graça e Paz!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação



Quero trazer à memória o que me pode dar esperança. As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. (Lamentações 3:22)


Amado(a), quando estamos passando momentos por dificeis em nossas vidas, e chegamos a pensar que a nossa situação não tem mais jeito, clamamos por socorro e também parece que não somos ouvidos. Às vezes a decepção com pessoas que nos são caras, em quem confiávamos vem para nos desanimar e nos mostrar o quão pequenino somos se estribarmos em nossas próprias forças. Nesses momentos perguntamos: onde está Deus? Buscamos na Sua palavra uma força, um alento para não cairmos na fé, ou para não fazermos coro com aqueles que desistem na primeira tribulação. A resposta está nas palavras do profeta Jeremias: devemos trazer à memória aquilo que nos dá esperança. E o que nos dá esperança? A certeza das misericórdias de Deus e que Suas promessas não podem falhar. Precisamos crer nisso! O profeta diz que as misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos porque as suas misericórdias não tem fim; renovam-se cada manhã e grande é a Sua fidelidade!
É preciso entender que o Senhor não nos deixa falando sozinhos, quando estamos no deserto. Mas que Ele usa esse deserto para nos impulsionar ao crescimento, para nos levar à terra prometida. Pela natureza humana, quando passamos por momentos de luta, a nossa tendência é esmorecer, pois ficamos fracos, frágeis e abalados sem forças para prosseguir. Entretanto, é nesse momento em precisamos recordar aquilo que o nosso Pai tem nos dado de graça, basta apenas acreditar, “esperança, misericórdia, Vida e Paz”.
Podemos compreender que em algumas situações ruins que passamos em nossas vidas, é porque realmente merecemos. Somos desobedientes, teimosos, ingratos, intempestivos e inconseqüentes. E outras situações de injustiça é porque Deus permitiu, pois em todas as coisas de bom ou de ruim, existe um propósito de vida para os filhos de Deus.
Assim, amado(a), devemos dar graças por tudo, e em qualquer situação, lembrar da fidelidade e misericórdia de Deus para conosco, porque essa misericórdia é promessa para nós!
Quando confiamos no Senhor podemos caminhar de cabeça erguida, sem humilhar ou magoar as pessoas, sem atribuir a culpa de nossas falhas a Deus ou aos outros.

Graça e Paz!

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Maná: palavra diária para edificação




“E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada” (Hebreus 13:16)



Amado (a), Deus quer que nos lembremos da beneficência e da comunicação e que saibamos que são sacrifícios que agradam a Deus. A beneficência é o ato de fazer o bem aos outros querendo ou não e a comunicação é um meio de ligação na qual uma mensagem é dita entre indivíduos. Não é fácil fazer sempre o bem, principalmente quando não temos vontade e também não é fácil o ato de comunicar-se. Ambos são difíceis para os seres humanos. Em relação à comunicação, muitos dos grandes problemas da humanidade são por conta das falhas neste quesito. Para Deus, quando mantemos estas duas ações em nossas vidas, é um sacrifício agradável. Faça o bem sempre, independente de desejar fazê-lo ou não, não deixe de se comunicar com os seres humanos, de falar o que é necessário dizer, mesmo que sejam ações simples como falar ao chefe que precisa de algo ou aos familiares aonde está indo. Os grandes conflitos acontecem de pequenos atos não realizados.
Seja sábio(a) e pratique tais atos em sua vida!

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação



"E, respondendo Jesus, disse; Não foram dez os limpos? E onde estão os nove?" (Lucas 17:17).

Amado(a), nesta passagem bíblica, quando Jesus, passando por Samaria, encontrou dez leprosos e os curou, retrata uma característica humana que muito desagrada a Deus: a ingratidão. Na pergunta em epígrafe, está subentendida a crítica de Jesus, sabendo-se que Ele havia curado dez, mas apenas um voltou para agradecer. Onde estão os nove, perguntou. Nessa pergunta está uma lição para nós sobre a ingratidão. Há coisas, no coração humano, que, sem a graça de Deus, não encontram solução. Uma delas é a ingratidão é. Somos ingratos, eis uma constatação evidente. Em geral somos prontos a retribuir uma ofensa, uma palavra dura, mas dificilmente retribuímos um benefício. Ser grato é mais difícil do que ser ingrato. É o que constatamos em muitas pessoas. Foi isso que os discípulos que viajavam com Jesus puderam perceber. O benefício realizado por Jesus na vida daqueles dez homens leprosos mostrou o coração de cada um. Todos receberam o mesmo benefício, a cura para seu mal, mas nove deles escolheram seguir seus caminhos, após ter clamado pela piedade de Jesus. Depois de curados, festejavam a cura, muito longe de Jesus. Quantos não agem assim: são prontos para pedir, tardios para agradecer. Apenas um demonstrou um coração grato e pronto a retornar para os pés daquele homem que teve piedade dele. Trazendo essa passagem para nossas vidas, vemos que quando em desespero, somos rápidos em cobrar, reclamar, justificar, orar, pegar o telefone e pedir ajuda. Todavia, quando abençoados, sequer pensamos em agradecer, testemunhar, bendizer, louvar.
O coração ingrato não mantém uma verdadeira comunhão com Deus e com os irmãos, mas uma relação de aparência espiritual, pois é incapaz de agradecer. Esquece tão rápido quanto foi para pedir, daquele que foi tão pronto em responder.
A melhor forma de conhecer o caráter de uma pessoa é verificando quão grata ou ingrata ela é. Quem é ingrato, trai, mente, machuca e não faz isso uma única vez. É sempre reincidente. Suas relações nunca são de confiança porque o ingrato não tem uma atitude firme, mas de conveniência como foi a dos nove leprosos que seguiram sem agradecer a cura recebida. A gratidão está intimamente ligada ao reconhecimento e à fidelidade. Quem não estabelece relações solidas, de reconhecimento, não consegue ser fiel. E essa fidelidade está ligada a valores, á firmeza de atitudes, ao respeito e consideração aos outros. Em geral quem não é fiel aos irmãos, também não é fiel a Deus. Quem é fiel não trai porque respeita e admira e é grato.
Amado(a), que Deus livre nosso coração da ingratidão e de sermos como aqueles que só O buscam quando precisam, quando estão desesperados, quando doentes, quando enlutados. Mas quando pensam que encontraram o que estavam buscando, viram as costas e sequer voltam para agradecer. Mas é bom não se esquecer de que colhemos o que plantamos e quem espalha ingratidão pode colher solidão.
Faça um auto exame: você tem sido grato(a) a Deus e aos seus irmãos? Tem se disposto a retribuir com amor o amor e a atenção que recebeu? Você tem colocado seus dons e habilidades a serviço da obra de Deus?

Graça e Paz!