Traduza este blog

sábado, 31 de maio de 2014

"Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas, aquele que perseverar até ao fim será salvo." Mateus 24: 10-13


Jesus anuncia que no final dos tempos a maldade e o pecado haveria de se multiplicar até mesmo entre os que se dizem cristãos. Em outras palavras, a apostasia é um dos sinais que precede a volta de Jesus. Já estamos vendo esse afastamento entre os que se afirmam cristãos, mas não permanecem no caminho. Já presenciamos o aumento da iniquidade e o amor se esfriando, enquanto as pessoas se voltam para a busca insensata de tesouros na terra e se esquecem dos valores e princípios ditados pelo Senhor. Contudo, autodenominar-se cristão não faz de ninguém um seguidor de Cristo. Para alguns, isso é até uma estratégia de inserção social, mas veremos quem de fato é cristão com o aumento da perseguição que já vem se acentuando em vários países. Somente permanecerão firmes os verdadeiros cristãos. Quando vier a grande tribulação haverá também a seleção, a separação entre os verdadeiros e os falsos cristãos, e somente os que perseverarem até o fim serão salvos, afirma o próprio Jesus.

sexta-feira, 30 de maio de 2014

"E haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e pestilências; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu". (Lucas 21:11) -



Esse sinal descrito por Jesus tem sido evidenciado de forma especialmente clara diante de nossos olhos. A mídia e as revistas especializadas nos mostram a todo instante que a vinda de Jesus está próxima. Há inúmeras informações que dão conta desses sinais de instabilidade, o desequilíbrio da natureza em resposta ao comportamento inconsequente da humanidade, refletido na desarmonia do cosmos. Esses fenômenos são sinais que indicam a iminente volta de Jesus, e são confirmados sobretudo pela inquietação, ou o terremoto interior que os homens vive, enquanto não percebem que a ausência da paz interior só pode ser suprida pela presença doce e suave de Jesus.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

"... e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares." (Mateus 24:7b)


O aumento do número e da intensidade dos terremotos nos últimos anos é um alerta para que a humanidade perceba o que as Escrituras já informava há séculos. A ocorrência de terremotos tem aumentado numa proporção gigantesca e apesar da disseminação dos dados sobre essas catástrofes parece que poucos têm se preocupado com o crescimento desses eventos, que podem em questão de dias, matar direta ou indiretamente milhares de pessoas. Estudos atuais mostram uma tendência alarmante em todo o mundo sobre a crescente força dos terremotos e seu poder de destruição apesar da evolução cientifica. Especialistas demonstram que nos séculos XX e XXI aconteceram mais terremotos que em toda a história humana conhecida, e na última década, aconteceram mais terremotos que em todo o período anterior. Quando Jesus menciona o aumento da incidência de terremotos em vários lugares, Ele acrescenta, em seguida que esse é o princípio das dores. Jesus estabelece uma comparação com a mulher prestes a dar à luz. Nesse sentido, podemos entender esse processo como o aumento das contrações uterinas que se intensificam à medida que a hora do parto se aproxima. A diminuição do intervalo entre um evento e outro representa um dos sinais que Jesus mencionou para que observássemos que eles estão acontecendo cada vez mais fortes. Em vez de adormecemos e de descuidarmos das evidências, precisamos ficar atentos a esses sinais e nos preparar para a breve volta de Jesus.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

"... e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares." (Mateus 24:7b)


Apesar de todo avanço da ciência e da tecnologia, especialmente nos últimos anos, tem aparecido tantas doenças e pestes que se disseminam com tal rapidez e com o poder de propagação nunca antes verificado. São tantas as doenças que surgem em determinado local e logo se alastram pelos continentes que é impossível enumerá-las. Jesus afirmou que apareceriam pestes em vários lugares do mundo e é inevitável que associemos essa declaração ao que podemos constatar todos os dias. Jesus está voltando. Os sinais são claros e inequívocos, ainda que o mundo esteja distraído e não enxergue as evidências bíblicas que nos mostram o iminente retorno do Senhor Jesus à nossa geração. A Bíblia diz que quem tem ouvidos para ouvir, ouça; quem tem olhos para ver, veja.

terça-feira, 27 de maio de 2014

"... e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares." (Mateus 24:7b)


A fome é mal que assola a humanidade desde o início, muitas vezes em decorrência da dureza do coração, de problemas climáticos e também devido às guerras que sempre existiram, mas quando Jesus menciona a fome como um indicativo da proximidade da sua volta, Ele se referia ao fato de que estes sinais aconteceriam de forma mais intensa, e que seriam mais espalhados pelo mundo e não mais de forma localizada. A associação da guerra com a fome é inevitável se ponderarmos que as guerras trazem consigo crises financeiras, uso desigual de recursos financeiros e, consequentemente, a fome. A guerra pelo poder, as ditaduras inconsequentes distribuem fome em vários continentes, assim como a corrupção e a ganância que alimentam as desigualdades sociais em várias nações. Mesmo tendo aumentado a produção de alimentos, em razão da tecnologia e de estudos avançados na agricultura e na pecuária, estes alimentos não têm chegado à mesa de muitas pessoas, enquanto se verifica o desperdício indiscriminado na mesa de um pequeno grupo, fazendo da fome um problema crônico sem precedentes. Com tantos recursos tecnológicos e investimentos na área, a única explicação para essa contradição é o cumprimento de mais um sinal da volta de Jesus.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai não vos assusteis, porque é mister que isso tudo acontença, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares." Mateus 24:6-8


Desde o princípio da humanidade, temos notícias de guerras entre povos e nações diversas. A Bíblia relata inúmeras guerras que levaram povos, reis e nações a digladiarem-se em busca de vitórias e conquistas. Lemos que Deus, por várias vezes, ordenou que os israelitas fossem à guerra contra outras nações. Sabemos que a guerra jamais é boa coisa, que às vezes é necessária e inevitável, mas a guerra é sempre o resultado do pecado. Jesus, no entanto, chama a nossa atenção para o fato de que a guerra é um sinal dos fins dos tempos. E mesmo cientes de que as guerras sempre existiram na história da humanidade, não podemos deixar de observar que nos últimos tempos as guerras têm se intensificado, cumprindo o segundo sinal da volta de Cristo. Com a globalização e o advento da mídia, temos notícia com frequência cada vez maior desses conflitos preditos por Jesus. Contudo, aqueles que colocam sua confiança Nele e seguem os Seus caminhos não precisam se preocupar ou se assustar com esses sinais, pois eles indicam a brevidade de Sua volta. O que os cristãos devem fazer em um tempo de guerra é orar por sabedoria divina para os nossos líderes, pela segurança de nossos militares, pela resolução rápida de conflitos e por um número mínimo de vítimas civis em ambos os lados, conscientes do que afirma o autor de Eclesiastes 3:8: "Há tempo... de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz

domingo, 25 de maio de 2014

Porque os tais não servem a Cristo nosso Senhor, mas ao seu ventre; e com palavras suaves e lisonjas enganam os corações dos inocentes. (Romanos 16:18)


Paulo nos faz refletir sobre o perigo de darmos ouvidos aos que, se dizendo cristãos ou porta-voz de Deus, provocam dissensões e discórdias entre os escolhidos. O apóstolo nos ensina a buscar o discernimento e a nos acautelar dessas pessoas, prestando atenção para não sermos presas fáceis e nos exorta a desviar deles. Em Colossenses 2:2-4 ele explica “Digo isto, para que ninguém vos engane com palavras persuasivas”. Precisamos ficar ainda mais atentos e nos acautelarmos daqueles que têm a aparência do bem. Esses são os que mais nos enganam, pois nos surpreendem em suas ações na surdina, bem mais do aqueles que agem declaradamente contra a Obra de Deus. Aqueles que se dizem cristãos, que se proclamam do Senhor, mas fazem exatamente o contrário daquilo que o Senhor ensina, desses devemos fugir, lembrando o que diz Paulo em I Timóteo 4:1 “Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios”.

sábado, 24 de maio de 2014

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai não vos assusteis, porque é mister que isso tudo acontença, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares." Mateus 24: 6-8





Apesar de ouvirmos com muita frequência notícias e rumores de guerra, parece que os ouvidos estão cauterizados juntamente com nossa consciência e não nos damos conta de que isso é o segundo sinal da volta de Cristo. Jesus nos fala sobre o conflito entre nações e entre reinos, e cada vez mais esses conflitos preditos pelo Mestre se somam à banalização da violência que se aproxima de nossos lares. Embora muitos não percebam, em meio a tantas descobertas científicas, a fome e as doenças continuam matando. Mas a boa notícia é que aqueles que escolheram servir a Jesus passarão por tudo isso sem serem afetados, pois, como afirma o salmista “aquele que habita no esconderijo do Altíssimo à sombra do Onipotente descansará”.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

"E, estando assentado no monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos, em particular, dizendo: Dize-nos quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo? E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane; Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos." Mateus 24:3-5



Enquanto o mundo nos distrai, os sinais da volta de Jesus seguem acontecendo diante dos olhos embaçados e desatentos de quem prefere acreditar que são meras coincidências. Estando com os seus discípulos no monte das Oliveiras, Jesus afirmou que não somente um sinal, como eles pediram, mas uma série de sinais antecederia a sua vinda e os alertou sobre o primeiro sinal: muitos seriam enganados. Não há como deixar de observar que estamos vivendo tempos de enganação sem precedentes. Diante de tantas propostas, nunca a humanidade esteve tão perdida e tão vulnerável para aceitar a infiltração de tantos falsos deuses, relativizando a verdade. Quem crê na existência de um único Deus não abre brechas para a entrada de outro deus em sua vida e não se deixa enganar, mas não está isento de ver a aceitação passiva ou até mesmo a defesa apaixonada de falsos cristos que se apresentam como a verdade do momento. Ou então a defesa de um estilo de vida moderno em que "cada um tem a sua verdade". O fato é que fora de Jesus não há salvação. Sem Ele, não há verdade que se sustenta. Não há como contrariar o que afirma o próprio Jesus em João 14:6: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida e ninguém vem ao Pai senão por mim". 

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti. Salmos 91:7


Essa promessa é para aqueles que esperam e confiam no Senhor! O salmista que passou por vários momentos de luta e de perseguição sabia que poderia esperar para ver os seus perseguidores e desafetos na mão do Senhor. Sabia que habitando no esconderijo do Altíssimo, poderia descansar. E quem, como ele tem o Senhor como refúgio, não terá medo do terror de noite nem da seta que voa de dia, nem mesmo da peste que anda na escuridão, nem da mortandade que assola ao meio dia. Quem faz coro com o salmista, ainda que enfrente lutas e adversidades, tem a convicção de que o mal pode rondar a sua porta, mas não a atravessará, porque Deus já selou os seus umbrais com o Sangue do Cordeiro.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou. Apocalipse 19:7



Se atentarmos para os sinais expressos na Bíblia, veremos que a volta de Jesus está próxima. Mas também temos que levar em conta a informação de Jesus sobre esse momento, expressa em Mateus 24:36-37 “Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai. E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem.” A ninguém foi dado conhecer esse dia e por essa razão a Bíblia nos aconselha a vigiar e a orar, mantendo-nos sempre alerta, pois, conforme nos alerta o apóstolo Paulo em 1 Tessalonicenses 5:4 “já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão”; Não temos como saber o dia e a hora, por isso é sinal de sensatez andarmos sempre alertas, buscando de Deus a sabedoria para interpretarmos os sinais dos tempos. Infelizmente, muitos têm se deixado distrair e tiram o foco da Palavra para a confusão do mundo. Muitos têm agido como as virgens imprudentes, mas a mensagem de Jesus é clara. Se Se não vigiarmos se não tomarmos posição de noiva do cordeiro, como fizeram as virgens prudentes, corremos o risco de sermos surpreendidos. Jesus virá para buscar a Igreja e nós ficaremos. Muitos são os que conhecem a Palavra, mas têm vivido com se Cristo não fosse mais voltar, andam distraídos e preocupados com tantas coisas, que se esquecem de se adornar para o Noivo.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa; Efésios 1:13

O selo é uma confirmação de que temos o Espírito Santo. Isso significa que somos propriedade de Deus e que, quando Jesus voltar para buscar a sua Igreja, levará aqueles que tiverem o selo. E recebem o selo todos os que foram regenerados e remidos pelo Sangue de Jesus. Esse carimbo, ou autenticação não pode ser apagado. Quem tem a marca da promessa sabe que pertence a Deus, porque, conforme Romanos 8:16 “O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus”. Há pessoas que pensam que todos são filhos de Deus, quando na verdade, filhos de Deus são somente aqueles que nascem de Deus. Nascer de Deus nos torna sujeitos a Ele e nos faz agir conforme a Sua vontade.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

“Conservando a fé e a boa consciência, a qual alguns, rejeitando, naufragaram na fé. 20 - E entre esses foram Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para que aprendam a não blasfemar.” Timóteo 1:19



O Apóstolo Paulo em carta a Timóteo exorta-o a resistir às tentações e perseguições para que se mantenha firme na fé e não faça como alguns que deixaram a obra de Deus, mesmo depois de conhecerem os Seus caminhos. A mensagem de Paulo é ainda para aqueles que abandonam o caminho e se tornam inimigos de Jesus quando dão ouvidos a satanás e, assim como Himeneu e Alexandre, se deixam levar pelas tentações, pelas propostas da carne, pelo dinheiro, e naufragaram na fé! Porque dão ouvidos ao que distancia da Palavra de Deus, perdem a oportunidade de buscar a santificação e a edificação na firme convicção de que Cristo já curou nossas feridas e já conquistou por nós a vitória. Quando deixamos de olhar para Jesus e damos espaço às dúvidas, abrimos brechas para que satanás entre em nossa consciência e nos convença de que estamos sós.

domingo, 18 de maio de 2014

“O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus” Romanos 8:16



Paulo assegura que o Espírito Santo é uma pessoa divina e que tem as mesmas características pessoais que o Pai e o Filho, conforme registra em Romanos 8: 9 “Vós, porém, não estais na carne, mas no espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele”. Para recebermos o Espírito é necessário abrirmos o nosso coração e fecharmos as portas ao assédio de espíritos, pois há um único Espírito da parte de Deus, o qual mostra fruto verdadeiro que testifica de quem Ele é. Não basta conhecer historicamente quem é Jesus, para ser de Jesus, é necessário nascer desse Espírito, conforme o próprio Jesus ensinou em João 3: 5 “Jesus respondeu: Na verdade, na verdade, te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus”. O que faz alguém nascer do Espírito é crer em Jesus e confessar Seu Nome entre os homens, João 3: 5 “Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Quando cremos em Jesus e reconhecemos verdadeiramente o Seu sacrifício, somos selados pelo Espírito Santo, o Consolador, anunciado em João 14:16 “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre”; e aprendemos com Ele “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito” (João 14: 26) e saberemos que Ele afirma Jesus “Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de verdade, que procede do Pai, ele testificará de mim”. (João 15: 26), fazendo parte da promessa do Pai. Jesus morreu por nós, cumprindo a Sua Missão, e para completá-la foi necessário voltar ao Pai para que o Seu Espírito viesse a nós “Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, se eu for, enviar-vo-lo-ei”. (João 16:7).

sábado, 17 de maio de 2014

“Pela fé, Raabe a meretriz, não pereceu com os incrédulos, acolhendo em paz os espias”, Hebreus 11:31


O escritor de Hebreus coloca essa mulher em posição de destaque, mesmo fazendo referência a sua profissão, ou modo de vida o que será também reverenciado em Mateus 1:5, quando a genealogia de Jesus é apresentada. Pela sua profissão, vemos que Raabe era apenas um instrumento de uso à vontade de homens. Mas a história mostra que ela mudou o curso da própria vida e também o destino da humanidade quando se deixou ser usada por Deus. Apesar de ter um nome manchado na sociedade da época, vemos que Deus usou uma mulher pecadora para trazer o Salvador do mundo. Ela foi escolhida para fazer diferença. O nome Raabe significa orgulho, contudo, somente Raabe se humilhou diante dos dois espias e reconheceu o senhorio de Deus. Raabe arriscou tudo para salvar-se, à sua família e aos Israelitas e mostrou grande força de caráter porque Deus tocara a sua alma. Assim como Raabe, devemos considerar a nossa dependência de Deus, deixando de lado o orgulho e assumindo a necessidade de nos mantermos na vontade e submissão do Todo Poderoso. A sociedade atual não é diferente daquela em que vivia Raabe. Os apelos da carne, a disseminação da sensualidade, o culto ao corpo, a apologia à liberdade sexual, a desmoralização da família, a intensificação da violência, intolerância e tantos outros males marcam nossa geração. Raabe mesmo não vivendo uma vida de santidade, ouvia falar das maravilhas que o Senhor fizera a seu povo e desejou uma mudança em sua vida, de tal forma que foi verdadeiramente transformada. Isso nos ensina que Deus não olha para as nossas falhas, tampouco para o nosso passado. Ele olha para a sinceridade de nosso coração, por isso não há pessoa que esteja fora do alcance do milagre da fé. Vemos também em Josué que a casa de Raabe era construída sobre o muro da cidade. Isso nos leva a refletir que a posição privilegiada de sua residência determinou a estratégia vitoriosa naquela batalha. Devemos pensar que é do lugar onde estamos que podemos servir a Deus. A nossa posição na sociedade é também estratégica e se há em nós algum pecado, a vida de Raabe e a sua descendência nos mostram que, quando nos colocamos em posição humilde e de entrega a Deus, Ele nos lava e purifica totalmente, fazendo de nós um instrumento Seu. Ele esquece o passado e determina um novo futuro.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

“Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra.” (Salmos 46:10)



O salmista está nos ensinando uma estratégia para vencermos uma batalha. Antes de nos afligirmos por qualquer situação devemos saber que temos um Deus que olha por nós e cuida de nossos interesses sem que precisemos nos inquietar. Também não podemos nos esquecer do que ensina o apóstolo Paulo em Efésios 6:12 “Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.", estando sempre conscientes de que uma batalha espiritual é vencida quando usamos toda a armadura de Deus e não a nossa. Sabendo que nosso inimigo é inteligente, cheio de astúcia, mentiroso, acusador, fingido e ousado o enfrentaremos com a armadura de Deus, porque Ele conhece o caráter do nosso adversário. O inimigo opera por meio das estruturas da nossa sociedade, mas quantas vezes lutamos contra o inimigo errado: tomamos como inimigo aquele que nos aponta nosso erro, aquele que nos incomoda ou nos afronta, quando precisamos entender que existe uma força espiritual maligna que age por trás das estruturas e das pessoas. Estas têm sido as causas de nossas derrotas: queremos usar a nossa força, queremos usar as nossas armas e estamos lutando contra o inimigo errado.

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Nota o homem sincero, e considera o reto, porque o fim desse homem é a paz. Quanto aos transgressores, serão à uma destruídos, e as relíquias dos ímpios serão destruídas. Mas a salvação dos justos vem do Senhor; ele é a sua fortaleza no tempo da angústia. Salmos 37:37-39

O salmista que passou por vários momentos de luta e de perseguição sabia que poderia esperar para ver os seus perseguidores e desafetos na mão do Senhor. Ainda que o mal pareça prevalecer e que os ímpios se sobressaiam, a Palavra de Deus afirma que esse não terá paz, ao contrário daqueles que agem com justiça e retidão. O ímpio e tudo o que conseguiu será destruído, mas os que esperam no Senhor permanecerão de pé, firmes e inabaláveis. Deus é o único capaz de nos fortalecer em tempos de angústia e de tristeza. Quem se mantém firme, mesmo em circunstâncias adversas verá a Glória de Deus. Essa é a promessa. Essa é a certeza anunciada por um homem que conheceu a graça e a misericórdia de Deus.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

“De maneira alguma te deixarei, NUNCA JAMAIS te abandonarei”. Hebreus 13.5



Deus tem nos dito de várias formas o que está registrado em Hebreus 13.5, mas nem sempre conseguimos entender como Ele age. Às vezes Deus permite que tenhamos contratempos e dificuldades para nos fazer compreender a Sua forma de forjar em nós um caráter segundo a Sua vontade. O salmista soube entender essa metodologia de Deus para nos educar em Seus princípios, por isso afirmou: “Muitas vezes me angustiaram desde a minha mocidade; todavia não prevaleceram contra mim.”(Salmos 129: 2). Nem sempre os nossos inimigos são inimigos declarados, por isso mesmo estamos mais vulneráveis a eles. Muitas vezes eles dormem ao nosso lado, ou sentam-se á nossa mesa. Mas o Senhor que nos escolheu não deixa que prevaleçam contra nós e coloca anjos em nosso caminho para nos orientar. Esses anjos podem ser pessoas conhecidas, ou até mesmo desconhecidas, que não por acaso nos levam a conhecer a palavra. Essas pessoas são usadas para nos orientar e nos mostrar os caminhos de Deus. Às vezes elas nos aparecem de forma tão inesperadas que chegamos a entender o sobrenatural dessa situação. É Deus movendo a Sua mão para que o inimigo não prevaleça sobre nós. Não há nada, nem ninguém que possa se interpor nos planos de Deus, pois não há nada, nem ninguém que possa se interpor nos planos de Deus.

terça-feira, 13 de maio de 2014

O Senhor DEUS me deu uma língua erudita, para que eu saiba dizer a seu tempo uma boa palavra ao que está cansado. Ele desperta-me todas as manhãs, desperta-me o ouvido para que ouça, como aqueles que aprendem. Isaías 50:4

A mensagem do profeta Isaías nos faz lembrar de que fomos comissionados a levar a Palavra de Deus aos oprimidos e escravizados pela mentira desse mundo. Para tal Ele coloca palavras na nossa boca e nos dá a inspiração para comunicar ao mundo as grandezas de Deus, para testemunhar Suas bênçãos e livramentos em nossa vida. Nossa missão é anunciar as Boas Novas é para isso que Ele nos desperta a cada manhã. Deus nos capacita e nos instrumentaliza para sermos portadores do Evangelho, para levarmos a palavra de esperança ao cansado.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Eis que o Senhor DEUS me ajuda; quem há que me condene? Eis que todos eles como roupas se envelhecerão, e a traça os comerá. Isaías 50:9


O profeta Isaías reconhece que tem em Deus a segurança necessária para superar as lutas e entraves que enfrenta. Assim como o profeta devemos afirmar com confiança que sem Deus nada podemos, e com Ele somos capazes de ultrapassar as barreiras e de suplantar as afrontas do inimigo. Quando o apóstolo Paulo afirma “Se Deus é por nós, ninguém será contra”, ele ratifica o que disse o profeta Isaías. Ninguém pode nos condenar se temos a mão do Senhor sobre nós. Mas o nosso inimigo, ao contrário, será desmascarado e confrontado com sua próprio maldade. Nenhum mal virá sobre aqueles que temem a Deus. Aqueles que se interpõem aos que amam e servem a Deus saberão que a mão do Senhor é poderosa e não desampara os Seus.

domingo, 11 de maio de 2014

Tão-somente guarda-te a ti mesmo, e guarda bem a tua alma, que não te esqueças daquelas coisas que os teus olhos têm visto, e não se apartem do teu coração todos os dias da tua vida; e as farás saber a teus filhos, e aos filhos de teus filhos. Deuteronômio 4:9



À mãe cabe a tarefa de ser modelo de integridade para que seus filhos cresçam com essa referência e não se deixem enganar pelas armadilhas e artifícios do mundo. Por essa razão a Bíblia diz que deve viver de acordo com o que ensina. Guardar a si mesmo e alma é não se esquecer de conduzir sua vida de acordo com os princípios do Senhor de forma que aqueles que lhes foi confiado por Deus sigam esses caminhos tendo-a como exemplo de fé, de caráter e de temor. Nem todas as mulheres têm a tarefa de serem mães, mas aquelas a quem o Senhor abençoa com a maternidade devem levar à sério essa responsabilidade. As mães têm um papel extremamente importante nas vidas de seus filhos e é na benção da maternidade que elas podem cooperar para alicerçar o Reino de Deus. Todavia, esse trabalho de servir a Deus não se esgota quando o filho cresce ou se casa. Ele prosseguirá até que o Senhor Jesus volte e nos leve ao Pai.

sábado, 10 de maio de 2014

“não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel” Isaías 41: 10


Muitas vezes sofremos por teimosia, por não ouvir os avisos de Deus, porque insistimos naquilo que já não nos fará bem. A Bíblia nos ensina desde Gênesis que a desobediência trouxe a dor e o sofrimento ao homem. Gênesis 3: 17: “E a Adão disse: Visto que atendeste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te ordenara não comesses, maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida”.
Se herdamos a dor pela desobediência, também herdamos a promessa de passar pela dor som sabedoria e serenidade, porque Jesus é nosso maior exemplo. Enquanto  estivermos no mundo a dor e o sofrimento são inevitáveis, mas podemos passar por eles, aprendendo e nos fortificando. O profeta Isaias declara qual é a fonte coragem a qual devemos buscar, quando atravessarmos momentos de luta. Deus nos anima e nos fortalece para que possamos vencer a dor e o sofrimento. A Sua Palavra nos dá força e ânimo, ela multiplica nossas forças e quando Deus nos dá essa palavra de conforto sabemos que podemos confiar e esperar.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

“Em lugar da vossa vergonha tereis dupla honra; e em lugar da afronta exultareis na vossa parte; por isso na sua terra possuirão o dobro, e terão perpétua alegria.” Isaías 61:7


 Quantas vezes somos afrontados, em nossa casa, em nosso trabalho e até mesmo na igreja, quando temos que suportar as investidas do inimigo nos diminuindo e nos fazendo parecer insignificantes ou incapazes de obter do Senhor as promessas? Mas o Senhor garante que aquele que não se afasta de Seus estatutos, aqueles que suportam com dignidade as afrontas, e por amor a Deus se mantêm firmes e confiantes, Ele não só há de amparar, mas transformará a vergonha em dupla honra. Que promessa maravilhosa, para aqueles que são filhos e herdeiros. Há momentos difíceis em nossas vidas, quando não sabemos como seguir em frente, diante de tanta luta e provação. Isso acontece com todos, com os que temem e com os que desobedecem ao Senhor. Mas, se agirmos como filhos, temos o direito de reivindicar as promessas do Pai, certos de que Ele nos amparará e de que as lutas são passageiras e servirão para nos fortalecer. É preciso crer e esperar, sabendo que a palavra de Deus não volta vazia e que tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

"Porque vós mesmos sabeis muito bem que o Dia do Senhor virá como o ladrão de noite. Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então, lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida; de modo nenhum escaparão. Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele Dia vos surpreenda como ladrão"(1 Tessalonicenses 5:2-4).


Ser membro do corpo de Cristo, remido pelo sangue e nascido de novo pelo arrependimento e pelo batismo é uma credencial para fazer parte do Reino de Deus, mas não é garantia suficiente. É preciso vigiar sempre, observar os sinais e ouvir com ouvidos atentos aquilo que Deus tem nos ensinado por intermédio de Seus profetas. Segundo o ensinado pelo Senhor Jesus, estar atento à palavra dos profetas é o que nos permitirá conhecer quão perto se encontra o dia de sua segunda volta: "E temos, mui firme, a palavra dos profetas, a qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro..." (2 Pedro 1:19). Portanto, obedeça aos mandamentos, apegue-se na fé em Jesus e não troque por nada que o mundo lhe oferecer, atento ao que disse Jesus em Mateus 16:26 “Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma?”

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas. Efésios 2:10



Quando o apóstolo Paulo afirma que fomos criados em Cristo para fazermos boas obras, ele está se referindo aos que se fazem nova criatura depois de experimentarem a libertação pelo sangue de Jesus, tornando-O seu único e suficiente Salvador, por isso Paulo afirma em Coríntios 5:17 nos diz: “se alguém está em Cristo, nova criatura é.” Para esses, Deus já preparou as obras que Ele tem para nós, e espera que andemos nelas. O Senhor nos fez completamente capazes de andarmos segundo os Seus propósitos. Ele nos criou para fazer as boas obras que Ele preparou para nós. Fazer diferente disso, é negar a nossa natureza. É negar os objetivos para os quais fomos criados. E fazer as boas obras não significa fazer caridade apenas, mas andar segundo os propósitos de Deus. Ele nos criou e nos capacitou para isso, mas estarmos aptos não significa que não temos escolha. Por ser um Deus que nos dá liberdade, Ele espera que estejamos disponíveis e que aceitemos andar nos caminhos do Senhor.

terça-feira, 6 de maio de 2014

Abstende-vos de toda a aparência do mal”. 1 Tessalonissenses 5:21


A aparência do mal não é o mal em si. É o que se mostra à primeira vista. O que vai se tornando natural e aparentemente inofensivo. Abster-se do mal é uma questão de prudência. É um alerta. O diabo age sutilmente e vai implantando a ideia de que somos livres para decidir o que fazer, o que olhar, o que desejar e aos poucos vai contaminando nossa mente de modo a nos fazer insensível ao que antes parecia mal. Não basta não praticar o mal, mas é necessário fugir de tudo que tenha a aparência do mal. Isso significa que é preciso manter distância de tudo aquilo que parece mal. Paulo nos ensina a examinar tudo e reter apenas o que é bom. A Bíblia nos orienta a ter controle sobre nossos desejos, sobre nossos sentimentos e a viver em santidade, não apenas em aparência de santidade. Por isso devemos nos manter afastados daquilo que é um mal aparente, mesmo sabendo que temos o direito e a liberdade de escolha.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

“Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno”. Hebreus 4:16




Precisamos ter a humildade de reconhecer nossas falhas e de pedir perdão ao Pai e àqueles a quem ferimos. Temos uma tendência e ir empurrando nossas decisões mais importantes e a agir intempestivamente sem medir as consequências de nossos atos, contudo, precisamos proceder como nos ensina o autor de Hebreus. Nós somos falhos e agimos com a impulsividade de Pedro ao cortar a orelha do soldado e nos escondemos quando somos confrontados com nossos erros e omissões. Mas, se conhecemos bem a palavra de Deus, sabemos que Ele é misericordioso e justo e assim como soube compreender, aceitar e transformar a natureza de seu apóstolo, assim como de tantos outros homens também atentará para as nossas fraquezas e nos redimirá. Jesus espera de nós uma atitude que não pode mais ser adiada. Ninguém sabe a hora em que Ele voltará. E quando isso acontecer não haverá tempo para administrar orgulhos teimosias e indiferenças.


domingo, 4 de maio de 2014

Porventura sou eu Deus de perto, diz o Senhor, e não também Deus de longe? Jeremias 23:23

Deus está sempre perto para ouvir e para atender aqueles que O buscam. “Perto está o Senhor de todos os que o invocam” diz o salmista em Salmos 145:18. A Palavra de Deus, entregue a nós pelo profeta Jeremias mantém firmes e inabaláveis as esperanças daqueles que se sentem injustiçados ou injuriados pelos ímpios, que, aparentemente, conseguem seu objetivo de abalar a paz dos filhos de Deus. Deus é infinitamente grande, é onipresente e onipotente. Se os homens são injustos, Deus não deixa que a injustiça prevaleça. Deus nunca está longe, mesmo que nossa visão seja obscurecida pela dor, pela mágoa, pela sensação de injustiça que toma conta de nós quando somos alvos das investidas do inimigo. Confiemos no que diz Davi nos Salmos 119:151 “Tu estás perto, ó Senhor, e todos os teus mandamentos são a verdade”.

sábado, 3 de maio de 2014

Mas nada há encoberto que não haja de ser descoberto; nem oculto, que não haja de ser sabido. Lucas 12:2

Essa palavra foi proferida por Jesus para tratar de um problema humano não resolvido ainda nos dias atuais: a hipocrisia. Os dicionários definem a hipocrisia como o ato de fingir ter crenças, virtudes, ideias e sentimentos que a pessoa na verdade não as possui. Hipócrita é a pessoa que pensa de um modo e age de outro, fazendo crer aos outros que ela é como esperam que ela seja e não como é de fato. Infelizmente, essa é uma característica muito comum às pessoas a nossa volta, nos mais diversos ambientes que circulamos. O que a sociedade hoje chama de regra de convivência é o grande mal e o câncer que estraga qualquer tipo de relação. O hipócrita, sob a aparência da gentileza, civilização, educação, dentre outras qualidades reverenciáveis, esconde a sua verdadeira face e representa comportamentos os quais não irá sustentar por muito tempo, ou serão revelados quando menos se espera. As máscaras caem, diz uma expressão popular. Não é por acaso que a palavra hipócrita vem do latim hypocrisis e do grego hupokrisis ambas significando a representação de um ator, atuação, fingimento. No sentido artístico, quando o ator deixa de representar o papel e volta a assumir a sua personalidade, ele tira a máscara. No cotidiano, muitas vezes para conseguir vantagens pessoais, as pessoas colocam máscaras e representam o que não são. Essa atitude é moralmente condenada por Jesus. Mas o problema maior é que as pessoas que se mostram diferente do que são na realidade contaminam as relações porque não conseguem sustentar o papel em todos os espaços e momentos. Nos bastidores, elas se mostram e revelam o lado ruim do cair da máscara fora do teatro: a decepção e a dor moral que provocam não fazem parte da cena. Mas para aqueles que creem na Palavra de Deus há um alento. O SENHOR que tudo vê e que sonda os corações e as intenções do espírito humano deixa claro que nada ficará encoberto, nem mesmo o pensamento mais oculto. Por isso afirma em Lucas 12:3 “Porquanto tudo o que em trevas dissestes, à luz será ouvido; e o que falastes ao ouvido no gabinete, sobre os telhados será apregoado”. E aqueles que preferem agradar à plateia e seguem interpretando papeis para agradar ao homem, Jesus lembra “Não temais os que matam o corpo e, depois, não têm mais que fazer”. (Lucas 12:4b).

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. João 17:9


Nesse versículo de João, vemos que Jesus está rogando ao Pai por todos aqueles que pertencem a Ele. E na sequência o apóstolo registra algo que muitas vezes não é compreendido, ou é ignorado: os que pertencem ao mundo não estão incluídos. A grande questão é saber quem são esses! Esses são os que voltaram as costas para Jesus, os que preferiram viver as ilusões do mundo, os que exploram ou injuriam os que põem a sua confiança em Deus. Criaturas de Deus todos são, mas filhos são apenas os que confessam Jesus como seu único e suficiente Salvador. A tradição ensina a comemorar com festas e presentes o dia do nascimento, a data de aniversário, no dia em que a pessoa veio ao mundo, mas o certo seria celebrar o dia em que a pessoa saiu do mundo para fazer parte daqueles que aceitam a paternidade de Deus. E isso não se dá apenas porque a pessoa frequenta uma Igreja, ou porque se afirma evangélica. Os que se enquadram nessa categoria sabem que são separados e vivem como filhos sem se submeterem aos moldes do mundo. A palavra é para que reflita qual é a data de seu aniversário, ou para que perceba que ainda precisa nascer para a família de Deus.

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Salomão nos ensina a colocar em prática o amor ao próximo. Abrir a boca em favor do mudo significa ser a voz daqueles que estão escravizados e que não conseguem se libertar das amarras do mundo. Seguir o conselho do sábio rei é se alistar no exército do Senhor Jesus e levar a Palavra da Verdade aos que estão condenados à destruição. Essa palavra nos ensina a sair de nossa zona de conforto e a ser solidário interceder pelo outro, deixando de ser egocêntrico e se preocupar apenas com as próprias causas. Defender os que não podem falar, os destruídos os pobres e necessitados é agir como Jesus agiria. “O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração, A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor. Lucas 4:18-19”.