Traduza este blog

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Porque o tirano é reduzido a nada, e se consome o escarnecedor, e todos os que se dão à iniquidade são desarraigados; Isaías 29:20


O profeta nos alerta sobre o risco de nos deixarmos contaminar pela iniquidade que tem assolado o mundo e entrado também dentro da Igreja. Infelizmente, na Igreja de Cristo encontramos pessoas que se deixaram envenenar pelo inimigo, fazendo vistas grossas ao que consideravam coisas pequenas. Assim, abriram brechas e deram total legalidade para satanás tocar em suas vidas e abrir um abismo a chamar o outro. O pecadinho levou a outro e sem ser confessado e rejeitado, criou raízes e contaminou todo o corpo. Por essa razão muitos servos do Senhor,  outrora cheios do Espirito Santo, quando não vigiam, dão espaço ao inimigo e aproximam-se do abismo. Mas o pior é que levam muitos atrás de si. O profeta deixa claro que todos os que se comportam com iniquidade serão desarraigados. Essa mensagem nos faz pensar que a aparente prosperidade ou posição do ímpio não prevalecerá ao juízo e que a Igreja de Deus deve se pautar em Sua Palavra sem se deixar contaminar pela sedução do mundo. Assim, A os servos do Senhor precisam reconhecer seus erros, assumir suas fragilidades e confessar a Deus suas iniquidades, e depois de pedir perdão a Ele e ao próximo, não voltar a praticar o erro.


Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Romanos 8:1

domingo, 30 de outubro de 2016

Ó Senhor, tu és o meu Deus; exaltar-te-ei, e louvarei o teu nome, porque fizeste maravilhas; os teus conselhos antigos são verdade e firmeza. Isaías 25:1


O profeta Isaías nos mostra no texto em epígrafe como deve ser a nossa postura de oração diante de Deus. Apesar de usar fórmulas diferentes, a maioria sabe que orar é falar com Deus, mas o que destacamos nesse versículo é se de fato estamos falando com Deus como deve ser. Na vida social, sabemos que há uma postura, uma forma adequada de nos dirigirmos às autoridades constituídas. E, sendo Deus maior do que todas essas autoridades, não deveríamos nos questionar sobre o modo como nos colocamos diante Dele em oração. Vemos, contudo que muitos estão orando de forma indiferente, dirigindo-se a Deus como de forma irreverente. Em toda Bíblia podemos ver como devem ser feitas as orações a Deus: com respeito, reverência e coração puro. Devemos nos inclinar, ajoelhar, prostrar-nos em humildade sincera, não para exigir que Ele cumpra uma solicitação ou execute uma ordem a nosso serviço. Em reverencia e humildade, podemos colocar nossas petições diante de Deus, em nome de Jesus, depois de pedirmos perdão pelos nossos pecados. Por isso sempre e bom nos lembrar das Palavras de I João 1:9  


 “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda injustiça.”

sábado, 29 de outubro de 2016

E o que suceder ao povo, assim sucederá ao sacerdote; ao servo, como ao seu senhor; à serva, como à sua senhora; ao comprador, como ao vendedor; ao que empresta, como ao que toma emprestado; ao que dá usura, como ao que paga usura. Isaías 24:2



Deus nos lembra por intermédio do profeta Isaias que ninguém está acima da Lei e pela mesma medida seremos julgados, ainda que nosso modelo venha sendo o modelo de julgamento humano, quando vemos distintos tratamentos dependendo de quem se trata. Se hoje com os pobres, os amigos das autoridades, a justiça é implacável, enquanto com os desonestos e mentirosos com bons discursos ou com as prerrogativas das brechas da lei é benevolente, cega e complacente. Em vez de perdermos a esperança e desejarmos nos juntar aos ímpios, devemos nos apegar às palavras do profeta e nos lembrar de que o poder e a justiça do mundo são passageiros, mas Deus é fiel e soberano e Sua Palavra se cumprirá sempre. Muitos se acham imunes à justiça e agem segundo seu próprio entendimento e conveniência, mas aqueles que estão atentos às palavras do profeta sabem que todos estarão sujeitos às consequências de seus atos e de suas escolhas, sabendo que


quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. João 16:8

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

E porei a chave da casa de Davi sobre o seu ombro, e abrirá, e ninguém fechará; e fechará, e ninguém abrirá. Isaías 22:22


A Bíblia nos diz que a arvore genealógica da natureza humana de Jesus nos remete à casa de Davi. Sabemos que o livro de Isaías é um livro profético messiânico, portanto podemos concluir que é de Jesus que o profeta está falando, e não deixa dúvida que essa chave que tem poder de abrir qualquer porta, ou de fechá-la sem que ninguém possa abri-la quando estiver fechada refere-se à autoridade de Jesus sobre todas as coisas. Jesus é o Nome sobre todos os nomes. Em Seu nome podemos todas as coisas e ninguém poderá resisti-Lo. Essa é a expressão da profecia de Isaías. E o próprio Jesus afirmou que o Pai lhe deu toda autoridade e confiança para exercer a sua vontade.


E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Mateus 28:18

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

E visitarei sobre o mundo a maldade, e sobre os ímpios a sua iniquidade; e farei cessar a arrogância dos atrevidos, e abaterei a soberba dos tiranos. Isaías 13:11


A profecia de Isaías nos mostra que devemos nos preparar para o dia em que o Senhor julgará as nações, conforme Sua Palavra. Os sinais de que o dia do Senhor está próximo são evidentes e precisamos estar conscientes de que Deus cumprirá Sua Palavra e o início dos julgamentos do fim dos tempos já pode ser percebido. A Palavra se cumprirá. Isso é inevitável, mas o importante é estarmos preparados espiritualmente para esse momento. E mais do que isso devemos agir como discípulos de Jesus e anunciar o Evangelho a muitas pessoas, lembrando aos ímpios que o tempo do Senhor está próximo e que Ele fará cessar toda a iniquidade e de nada adiantarão poder, riqueza e orgulho. Precisamos anunciar aos ímpios que o Senhor é misericordioso e que em breve voltará



Para fazer juízo contra todos e condenar dentre eles todos os ímpios, por todas as suas obras de impiedade, que impiamente cometeram, e por todas as duras palavras que ímpios pecadores disseram contra ele. Judas 1:15

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

E dirás naquele dia: Graças te dou, ó SENHOR, porque, ainda que te iraste contra mim, a tua ira se retirou, e tu me consolas. Isaías 12:1


Todos somos pecadores e não há nenhuma dúvida de que somos culpados perante Deus, e de que temos uma tendência a não viver conforme as leis de Deus, fazendo coisas que muito desagradam a Deus. Mas também sabemos que o Senhor é misericordioso e em Sua infinita bondade nos acolhe apesar de tudo. Todos nós precisamos de um momento de reconciliação com Deus. E esse dia é dia de júbilo e motivo de ações de graças, porque Deus nos dá a oportunidade de experimentar um novo início: de recomeçar segundo os princípios e os caminhos traçados pelo Senhor. É a oportunidade de renascer e de reconhecer o que Cristo fez  por nós na Cruz. Saber que Deus nos perdoa e nos acolhe apesar de nossas fraquezas é motivo de alegria, por isso Jesus anuncia:  


“E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre” (João 7:37-38).

terça-feira, 25 de outubro de 2016

“Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará. E repousará sobre ele o Espírito do Senhor, o espírito de sabedoria e de entendimento, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do Senhor”. Isaías 11:1-2


Apesar de muitos terem se apresentado como o Messias prometido, apenas Um cumpriu requisitos e satisfez todas as profecias a Seu respeito: Jesus de Nazaré. Embora há quem não admita que Ele seja o verdadeiro Messias, a História atesta que Ele cumpriu integralmente os requisitos para comprovar a Sua identidade e não deixou qualquer dúvida de que Ele é o verdadeiro Messias. Descendente de Abraão, Isaque e Jacó, vindo da tribo de Judá, o Messias seria descendente de David e nasceria num tempo pré-determinado de uma virgem como homem, em Belém Efrata. Ele é divino e humano, justo e sem pecado, Nele repousa o Espírito do Senhor, a sabedoria e o entendimento. E Sua volta será visível em todo o mundo como prenuncia o apóstolo João em Apocalipse 1:7


“Eis que vem com as nuvens, e todo o olho O verá...”

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

“Ai daqueles que fazem leis injustas, que escrevem decretos opressores, para privar os pobres dos seus direitos e da justiça os oprimidos de meu povo”. (Isaías 10:1-2)

.

Para vivermos em sociedade, as leis são necessárias. Elas foram idealizadas para nos garantir a harmonia e o equilíbrio, mas quando os legisladores se esquecem disso e aprovam leis apenas para o benefício de poucos e se omitem na defesa da coletividade, a sociedade é lesada e a injustiça prevalece. O profeta Isaías condena os que fazem leis em benefício próprio, e não se preocupam em fazer justiça ao povo. Diante disso, como cristãos devemos orar por aqueles que têm o poder provisório de fazer as leis. Devemos pedir a Deus que lhes dê discernimento e senso de justiça para que usem a autoridade que lhes foi outorgada para fazer o bem. Mas também cabe a nós eleger representantes que testemunhem valores morais e que sejam reconhecidos pelo respeito à causa do povo e pela coerência entre seu discurso e sua prática. A Bíblia condena os maus legisladores, mas Jesus nos garante que não desampara aqueles que são oprimidos e injustiçados.

 "Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça porque serão fartos" (Mateus 5:6)

domingo, 23 de outubro de 2016

Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo! Isaías 5:20


Infelizmente, as pessoas, hoje, vivem de acordo com suas conveniências e assentadas em um trono da insensatez. De acordo com sua livre interpretação se arrogam o papel de donos da verdade. Apesar de termos à nossa disposição as mais diversas ferramentas de informação, vivemos em um mundo de "desinformação", ou de manipulação da informação e dos discursos. Muitos chamam de liberdade e de democracia o direito de fazerem escolhas que lhes convêm e se esquecem de que o limite da liberdade termina no espaço da convivência e do respeito ao direito do outro. Foi isso que Cristo nos ensinou. Ele nos garante o direito de escolha, mas isso não nos isenta das consequências e não justifica nossos erros. Aqueles que manipulam a Palavra e chamam de bem o que é mal, ainda que fiquem impunes protegidos pelas leis humanas, certamente, prestarão contas a Deus. Mas Deus conhece o nosso coração, a nossa intenção, e está do lado daqueles que andam segundo a Sua Palavra


 E aquele que sonda os corações conhece perfeitamente qual é a intenção do Espírito; porquanto, o Espírito suplica pelos santos em conformidade com a vontade de Deus. Somos mais que vencedores. (Romanos 8: 27)  

sábado, 22 de outubro de 2016

Dizei ao justo que bem lhe irá; porque comerão do fruto das suas obras. Isaías 3:10


O profeta Isaías nos traz uma promessa que Deus mandou revelar aos Seus filhos. Mas essa promessa se restringe aos justos. Assim, se agirmos de acordo com a Palavra de Deus, se fizermos o bem, se formos fieis, se investirmos na obra de Deus, se amarmos o próximo, e nos atentarmos para os preceitos de Deus, comeremos o fruto das nossas ações. Vários são os versículos bíblicos que mencionam a proteção de Deus àqueles que se mantêm fieis e decidem andar sob as Suas asas. Quando fazemos essa escolha, podemos ter e desfrutar dessa proteção de Deus. Quando buscamos em primeiro lugar a Sua orientação e Sua proteção, colheremos o que estamos semeando, por isso o profeta nos traz essa palavra e o próprio Senhor Jesus nos garante em João 14:16-17:


"E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; o Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não O vê nem O conhece; mas vós O conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.” ().

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

E todos os ídolos desaparecerão totalmente. Isaías 2:18


Muitas pessoas bem intencionadas têm se enganado com a justificativa de que as imagens que carregam ou diante das quais se curvam não são objetos de adoração, o que segundo a Palavra de Deus é abominação. Venerar uma imagem, atribuindo a ela a faculdade de representar um ser espiritual é uma desobediência a Deus, pois venerar tem o mesmo sentido de adorar e o Senhor não admite que a adoração que lhe é devida seja dada a um objeto esculpido pelas mãos humanas. Se o que as pessoas fazem diante de uma imagem como curvar-se diante delas, beijar-lhe, coloca-las em um pedestal ou em um altar, carrega-las em procissão ou prostrar-se ante elas em súplica ou em exaltação não é idolatria ou adoração, o que seria? O profeta Isaías nos lembra de que chegará um dia em que essa adoração cega desaparecerá, pois os olhos serão abertos e as pessoas compreenderão o quão tolas estão sendo em seguir uma imagem em vez de adorar o único e verdadeiro Deus em espírito, sem a necessidade de retratá-lo em forma humana. Aquele que teme a Deus deve atentar para a exortação do apóstolo em 1 João 5:20

Filhinhos, guardai-vos dos ídolos. Amém.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

O boi conhece o seu possuidor, e o jumento a manjedoura do seu dono; mas Israel não tem conhecimento, o meu povo não entende. Isaías 1:3


O profeta nos faz refletir sobre qual é o nosso nível de relacionamento com nosso Criador, quando nos lembra de que até os animais reconhecem os seus donos e lhes obedecem. Mas muitas pessoas conhecem Deus só de ouvirem falar ou O tem como um ser invisível que está em harmonia com a natureza. Mas somente quando começamos a conhecer a Palavra de Deus, nos tornamos íntimos Dele e passamos a conhece-Lo em profundidade. Os animais conhecem seus donos pelo olhar, pelo cheiro, pelo contato e pela convivência, e assim lhe sãos fieis. Nós só conhecemos alguém, na medida em que entendemos seu caráter. Para conhecermos a Deus precisamos dedicar um tempo para convivermos com Ele e à medida que nos aproximamos Dele, ampliamos nosso conhecimento sobre Ele, nos transformamos, e nos apegamos à verdade, porque Jesus é a verdade que liberta verdadeiramente (João 8:36).


 Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. 

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam. Cânticos 8:7



O Amor é o sentimento que norteia as emoções humanas, por essa razão até mesmo o homem mais bruto busca a seu modo esse sentimento para sua vida seja significativa. É o amor que aproxima duas pessoas para uma convivência de trocas, por isso a relação amorosa requer o conhecimento do outro, processo gradual que deve ser sedimentado em valores e princípios sólidos. A Bíblia nos mostra que o amor não é um sentimento só, Ele é a junção de vários outros e deve ser desenvolvido. O sentimento de explosão e que brota como uma chama, de acordo com as experiências do mundo é paixão e não amor. O amor é o resultado de sentimentos que se completam. É espontâneo e sem exigências e não acaba, conforme nos ensina Salomão e nos mostrou o Senhor Jesus ao morrer por nós sendo pecadores. O amor sobre o qual nos fala Salomão é descrito por Paulo em 1 Coríntios 13: 4-7:

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu; ele apascenta entre os lírios. Cânticos 6:3


O livro de Cantares, escrito pelo sábio Salomão no auge de sua maturidade, mais do que uma bela poesia, que nos fala do amor de um homem por uma mulher e, metaforicamente, do amor de Deus por Seu povo, faz-nos refletir sobre o perigo da licenciosidade nas relações amorosas. Nos versos em epígrafe, Sulamita, a amada de Salomão, expressa seu amor e sua fidelidade de forma absoluta. A Bíblia nos mostra que Deus não aprova essa liberdade amorosa, pregada pela sociedade atual. Desde Gênesis, vemos que Deus desejava que os casais tivessem um relacionamento puro e em comunhão com Ele. Adão e Eva inicialmente tiveram um relacionamento perfeito e agradável a Deus, mas se deixaram levar por satanás e deram as costas a Deus e, assim, a beleza do relacionamento entre homem e mulher começou a ser manchada. Desde então satanás tem usado a mesma estratégia e procurado convencer a humanidade de que as pessoas são donas do próprio corpo, são livres para amar quem e da forma como desejarem. Tem disseminado a ideia de que fidelidade conjugal, pureza e santidade são cafonices e que se a sociedade mudou as pessoas precisam se atualizar também nesse sentido. “A fila anda”, “o amor é livre e as pessoas têm direito a escolher seus parceiros independente do sexo ou do estado civil“ são expressões disseminadas pela mídia e tem entrado na pauta das escolas como algo necessário para a manutenção da democracia. A Palavra de Deus tem sido abandonada até pelos cristãos e motivo de críticas ferrenhas por aqueles que pregam a liberdade e a promiscuidade nas relações. Como resultado, o que vemos são pessoas frustradas, relacionamentos desfeitos e “fila andando” de forma veloz, provocando desajustes nas relações, nas famílias, na sociedade e na Igreja


Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? 2 Coríntios 6:14 

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Tu és toda formosa, meu amor, e em ti não há mancha. Cânticos 4:7


Salomão declara-se a um amor verdadeiro tão raro no seu tempo como nos dias atuais. Ele fala de um amor sincero e duradouro que excede ao entendimento e aos apelos sensuais. Apesar do ambiente moral daquela época, Salomão escreveu: “Entre mil homens descobri apenas um que julgo digno, mas entre as mulheres não achei uma sequer. Assim, cheguei a esta conclusão: Deus fez os homens justos, mas eles foram em busca de muitas intrigas.” (Eclesiastes 7:26-29). Apesar de conviver com os mais diversos tipos de mulheres cujo padrão moral estava longe de ser um exemplo, Salomão mostrou que pode haver amor verdadeiro entre um homem e uma mulher e descreve de forma poética esse sentimento. Com o sábio aprendemos que os apelos sensuais, a paixão e a inconstância não preenchem o vazio da alma humana. O hedonismo e o culto da liberdade no mundo atual também não preenchem os anseios do coração do homem. O amor que preenche o coração humano tem suas bases no amor de Deus, conforme descreve o apóstolo Paulo em         1 Coríntios 13: 4-5  


 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; 

domingo, 16 de outubro de 2016

Conjuro-vos, ó filhas de Jerusalém, pelas gazelas e cervas do campo, que não acordeis nem desperteis o meu amor, até que queira. Cânticos 2:7


O livro de Cantares foi dedicado ao amor entre um homem e uma mulher e é a expressão poética do amor erótico apresentado por Salomão. Isso nos faz pensar que Deus também se interessa pela paixão romântica e por isso inspirou Salomão a escrever Cantares e a nos orientar sobre como identificar a paixão superficial e amor verdadeiro. E uma das orientações do sábio é de que não se deve despertar o amor antes do tempo. O amor verdadeiro sabe esperar, não é precipitado, precoce, adiantado ou impaciente. Ao contrário do que o mundo ensina, para se conquistar o verdadeiro amor não é preciso manipular as circunstâncias, não é necessário usar estratégias de sedução, tampouco se precipitar em uma relação. A mensagem de Deus, por intermédio de Salomão em Cantares é simples e clara: Deus reserva os maiores prazeres para aqueles que saibam esperar o tempo Dele! Não é preciso apressar o amor, nem queimar etapas na relação. Por isso Paulo em 1 Coríntios 13, que descreve o amor verdadeiro:

"É paciente... não arde em ciúmes... não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses... tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."

sábado, 15 de outubro de 2016

Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento; Eclesiastes 12:1


Essa mensagem de Salomão é para todos aqueles que pensam que serão ser sempre jovens, fortes, capacitados para tudo. O sábio nos lembra o quão efêmera é a vida e como a juventude passa rápido. Ocupados ou preocupados com as coisas deste mundo nos esquecemos de que somos passageiros aqui, por isso devemos atentar para a exortação de Salomão e nos lembrarmos do nosso Criador para adorá-LO, amá-Lo e servi-Lo também nos dias de paz e de alegria, antes que se aproxime o dia mau. Embora muitos esperam chegar a velhice para se dedicarem à Obra de Deus e escolhem “aproveitar a vida” enquanto se sentem forte, a mocidade é o tempo oportuno para nos lembrarmos do Criador e investirmos na vida eterna ao Seu lado. Paulo nos ensina a aproveitarmos a juventude, a maturidade, e também a velhice a serviço do Senhor, certos de que no tempo próprio. Ele nos recompensará (I Coríntios 15:58).

Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor. 

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Nas palavras da boca do sábio há favor, porém os lábios do tolo o devoram. Eclesiastes 10:12


O sábio nos ensina a aprendermos com os tolos, para não agirmos como tal, de forma insensata. Os tolos são classificados por seus desequilíbrios emocionais e por não por não saberem administrar suas finanças. Tolos em geral não conseguem viver de seus ganhos e necessitam da ajuda alheia, mendigando dinheiro emprestado. São desacreditados, indesejados, desqualificados, medíocres e incompetentes, mas acreditam que são exemplos para os demais e seus discursos não merecem créditos ou respostas. Tolos se acham melhores dos os outros, todavia colecionam derrotas, fracassos, insucessos, frustrações, negócios mal feitos e inimizades. A Bíblia nos ensina a não perdermos nosso tempo ou energia com pessoas insensatas, pois elas têm a mente fechada para Deus, e não vivem em obediência à Sua Palavra.

 Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. Romanos 1:22

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Nenhum homem há que tenha domínio sobre o espírito, para o reter; nem tampouco tem ele poder sobre o dia da morte; como também não há licença nesta peleja; nem tampouco a impiedade livrará aos ímpios. Eclesiastes 8:8


Salomão, ao final de seu reinado, no livro de Eclesiastes reflete sobre a vida, e se revela decepcionado e desiludido com sua vida mundana. Ele demonstra como pensa o homem sem Deus e nos leva a refletir sobre o que acontece no fim da vida. Precisamos saber que prestaremos conta a Deus. O sábio rei compreende no seu processo de envelhecimento que a vida é cheia de futilidades e que  precisamos abrir nossos corações para contemplar a existência de Deus. Precisamos aprender com Salomão a enxergar nossa efemeridade, nossas limitações e incompletudes que anseiam por Deus e assim nos prepararmos para a “vida eterna”, lembrando-nos do que nos disse Jesus


Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna. João 6:47 

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Melhor é que não votes do que votares e não cumprires. Eclesiastes 5:5


Salomão nos faz refletir sobre a insensatez de fazermos promessas e não cumpri-las. E isso deve alcançar todas as áreas de nossas vidas, mas, principalmente, deve ser motivo de reflexão em relação ao nosso comportamento em relação a Deus. Quantas vezes nos comprometemos com o Senhor e com Sua obra e depois, julgando que Ele não se importará e que compreenderá nossas limitações, deixamos de cumprir o voto ou compromisso feito. Precisamos saber que Deus não se agrada de promessas vãs e que é melhor assumirmos compromissos do que deixar de cumpri-los. Ninguém é obrigado a empenhar sua palavra por nada, mas se o fez tem o dever moral de cumprir. E isso vale para todas as situações e formas de relacionamento. Vale para um namoro, vale para os votos de casamento, vale para o pedido de empréstimo, vale para o compromisso de fazer algo, vale para a palavra dada em qualquer momento. Por isso Jesus nos orientou a falar o mínimo necessário e de forma assertiva:

 Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna. Mateus 5:37

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Eclesiastes 4:9


Não é bom nem fácil viver sozinho, não ter com quem compartilhar alegrias e tristezas, e não ter a quem deixar seus bens e as lições que aprendemos durante a caminhada da vida. Essa é uma percepção quase unanime entre os seres humanos, por isso Salomão reflete neste versículo a natureza social que nos constitui: não fomos criados para viver sozinhos. O conselho do texto em epígrafe refere-se ao casamento, mas pode ser estendido a uma relação de amizade, de companheirismo. Salomão usa a alegoria do cordão de três dobras, referindo-se a Deus como a terceira dobra que fortalece a união de duas pessoas. Se essas pessoas estiverem unidas e tiverem os mesmos propósitos na vida, inclusive do ponto de vista espiritual, ele garante que é difícil derrubar esse trio. Tanto para a amizade como para o casamento, a terceira dobra do cordão é fundamental para garantir a segurança e a força da união. Quando atendemos a esse conselho, teremos melhor ganho, porque têm melhor paga do seu trabalho; teremos mais apoio, porque quando caímos haverá quem nos levante; teremos mais intimidade e mais resistência, pois quando estamos unidos somos fortes e resistentes. E a nossa resistência vem da terceira dobra do cordão, JESUS! E os Senhor nos promete em João 13:5b

Porque ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Eu disse no meu coração: Deus julgará o justo e o ímpio; porque há um tempo para todo o propósito e para toda a obra. Eclesiastes 3:17


Salomão guardou em seu coração o sentido da verdadeira justiça, porque compreendeu que a justiça é um dos mais importantes atributos de Deus, mas é também o mais difícil de definir. Não é fácil distinguir a justiça de Deus da Sua santidade ou Sua bondade. Justiça, santidade e bondade se complementam em Deus. E Salomão entendeu que para cada propósito há um tempo e um modo. Se nosso propósito é viver uma vida ímpia, sem obediência aos princípios de Deus, o tempo e o modo do mundo irão reger nossa vida. Mas se queremos crescer espiritualmente, precisamos separar um tempo para a busca ao Senhor e desenvolver um modo para aprendermos os princípios de Deus, dedicando-nos à Sua Palavra e à oração. Em qualquer que seja nossa escolha, devemos saber que seremos julgados no tempo e no modo de Deus e não da forma como entendemos a justiça. A Justiça de Deus é totalmente diferente da justiça dos homens. Deus é Justiça em essência, e conhece as motivações por trás das nossas ações, por isso é Justiça absoluta. Diante de Deus não somos injustiçados, pois Ele não age com parcialidade, não acoberta o pecado de ninguém e não deixa de fazer Sua justiça por suborno algum. Se temos uma causa que nos parece impossível, devemos coloca-la diante do Senhor, considerando o que ponderou Jesus em Lucas 18:7


“E não fará Deus justiça aos seus escolhidos, que dia e noite clamam a ele, já que é longânimo para com eles?” 

domingo, 9 de outubro de 2016

Eu disse no meu coração: Deus julgará o justo e o ímpio; porque há um tempo para todo o propósito e para toda a obra. Eclesiastes 3:17


Salomão nos ensina que é muito importante entendermos a vontade do Senhor, para vivermos segundo Seus preceitos. E a vontade de Deus é pode ser claramente entendida no versículo em epígrafe, quando o sábio nos diz que Deus determinou um tempo para todo propósito, e tudo criou com um propósito, com uma finalidade, e todo propósito tem um tempo para se cumprir. Assim, podemos compreender que a vontade de Deus é exatamente quanto tempo e propósito se encontram, pois não se cumpre o propósito de Deus fora do tempo. Quando estamos no tempo certo, mas fora do propósito, a vontade de Deus não pode se cumprir. Tempo e propósito andam juntos. Precisamos entender que o tempo é o maior recurso que Deus nos deu, não podemos desperdiçá-lo (Ef 5:16) e que tudo tem seu tempo, e o próprio tempo vai maturar as situações mostrando que o propósito quer se cumprir e cada etapa do tempo é uma preparação para a próxima etapa. Precisamos também compreender que Deus julga nossas ações, porque as oportunidades que temos foi Ele quem nos deu, para realizarmos a Sua vontade. Assim, o propósito de tudo que realizamos deve estar vinculado com a vontade de agradar ao Senhor E “Porque para todo propósito há tempo e modo.” (Eclesiastes 8:6), temos que estar preparados para sabermos aproveitar a oportunidade que Deus nos dá. Por isso o apóstolo nos diz em Romanos 12:2

 E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus..

sábado, 8 de outubro de 2016

Atentei para todas as obras que se fazem debaixo do sol, e eis que tudo era vaidade e aflição de espírito. Eclesiastes 1:14


Salomão é conhecido por sua grande sabedoria, mas também por ser um homem bem sucedido, inteligente, próspero. Na concepção de muitos em nossos dias, o homem mais feliz da terra se tudo isso fosse garantia de felicidade. A Bíblia nos mostra que Salomão foi um homem que buscou a felicidade e foi engrandecido entre os homens. Talvez homem nenhum na face da Terra tenha alcançado a fama e o poder que Salomão alcançou, conforme lhe disse o próprio Deus disse em I Reis 3:12 - Eis que fiz segundo as tuas palavras; eis que te dei um coração tão sábio e entendido, que antes de ti igual não houve, e depois de ti igual não se levantará. Mas não podemos assegurar que tudo isso tenha feito de Salomão um homem feliz. Provavelmente, ele não nos recomendaria que tivéssemos uma vida igual a dele, pois o valor de nossa vida não consiste no que possuímos. Vemos que Salomão refletiu sobre tudo isso e ponderou que tudo era vaidade e aflição de espírito, e que proveito nenhum havia debaixo do sol. Veremos que a vida de uma pessoa pode ser muito boa desde que esta seja vivida para Deus e para os Seus propósitos. Fora isso, ela será vaidade e correr atrás do vento, pois a felicidade é um processo não um produto.


Portanto, ninguém se glorie nos homens; porque tudo é vosso; 1 Coríntios 3:21 

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada. Provérbios 31:30


Enquanto a sociedade se orienta pela mídia e pelas mais novas tendências da moda, os cristãos devem se pautar pela Palavra de Deus até mesmo em relação ao que se vestir e como se apresentar socialmente. A Bíblia deixa claro que a beleza que realmente tem valor aos olhos de Deus é a beleza interior e que nosso corpo é templo do Espírito Santo. De nada adianta nos apresentarmos segundo a cartilha da moda se somos como sepulcro caiado. Mas também se nos esforçarmos para agradar a Deus procurando ter um interior belo que agrade ao Senhor, não podemos ignorar que a beleza externa precisa ser observada, porque ela mostra nossa atitude diante dos homens, como um reflexo do que há dentro de nós. Contudo, a beleza exterior que agrada a Deus e aos homens só pode existir se o interior for agradável a Deus. Uma coisa é um vestuário adequado ao clima, ao local e à ocasião e outra coisa um vestuário para ser o centro das atenções. Quais são os motivos que nos levam a escolher nossas roupas e acessórios definem nossa aparência interna e externa. É o nosso coração e as nossas intenções diante de Deus e do próximo que ditarão como serão o nosso guarda-roupa e a nossa aparência. A elegância sem afetação agrada a Deus e nossa aparência deve revelar a beleza de Deus que há dentro de nós, por isso Jesus nos exorta em Mateus 5:16:


"Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Afasta de mim a vaidade e a palavra mentirosa; não me dês nem a pobreza nem a riqueza; mantém-me do pão da minha porção de costume; Provérbios 30:8



Salomão em sua “riqueza” de sabedoria nos mostrou que o melhor em tudo é o equilíbrio e o bom senso. Não é bom viver em extrema riqueza, nem em extrema miséria, significando dizer que o homem foi feito pra viver sempre em equilíbrio. Contudo, a natureza é movida por uma busca insaciável pelo acúmulo de bens e de poder e poucas são as pessoas que se satisfazem com o essencial e que guardam o coração agradecido pelo que têm. O ser humano tem sede de poder e de riquezas. Foi movido por esse desejo de ter mais do que o Senhor lhe concedeu no Éden que Adão pecou. Tendo tudo o que necessitava ele foi instigado por satanás a desejar o que não lhe era destinado. E assim tem sido desde sempre. A oração de Salomão nos faz pensar na necessidade de buscarmos em Deus o equilíbrio e a serenidade a fim de resistirmos à nossa tendência natural de desejar o supérfluo e de nos deixar mover pela vaidade e por aquilo que não edifica. Em busca do que não é essencial as pessoas têm se corrompido e tirado do próximo o necessário para ter uma vida digna. Ao refletirmos com a oração de Salomão, pensamos também nas Palavras de Jesus em Marcos 8:36


Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? 

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Muitos buscam o favor do poderoso, mas o juízo de cada um vem do Senhor. Provérbios 29:26


O homem é falho e seu poder na terra é passageiro. E aqueles que se fiam nesses valores efêmeros com toda certeza se frustram. Mas aqueles que colocam sua confiança no Senhor e pautam suas decisões balizados na Palavra de Deus certamente têm sucesso em seus planos. É natural que os seres humanos tenham uma tendência a colocar suas esperanças em outros homens. Essa confiança é desejável quando se trata de esperar pela honestidade das pessoas, de confiar no conselho dos pais, ou de uma pessoa mais experiente, é totalmente saudável, quando se trata de acreditar na palavra de um irmão. Porém, Deus não aprova quando trocamos a nossa confiança e fé Nele, pela confiança em nós mesmos e em outros homens. Deus não se agrada daqueles que confiam em títulos, riquezas ou posição social, esquecendo-se de que tudo provêm do Senhor. Paulo ratifica o que nos ensina Salomão e nos diz em 1 Timóteo 6:17

 Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos;

terça-feira, 4 de outubro de 2016

O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia. Provérbios 28:13


Salomão nos mostra que apesar de sermos pecadores podemos alcançar o perdão, por meio do arrependimento sincero. Nós somos pecadores redimidos pelo sangue de Jesus na Cruz do Calvário, e isso significa que o pecado em nossa vida não pode ser uma regra e sim uma indesejável exceção. Se ele acontece não pode ser motivo para nos tirar da presença do Senhor, mas uma razão para nos reaproximarmos do Pai, por intermédio de Jesus que pode nos perdoar. Davi nos lembra de que a confissão e o arrependimento nos redime, por isso ele não se calou quando reconheceu que estava errado e entendeu que o Senhor o perdoaria pela Sua grande misericórdia. Quem confessa e “deixa” o pecado tem a garantia da misericórdia do Senhor e recebe o perdão. Infelizmente, muitos ainda acreditam que basta confessar, mas continuam na prática do pecado. Entretanto, há dois verbos imprescindíveis e intrinsecamente relacionadas: confessar e deixar. Se essas ações forem efetivas, podemos ter a certeza de que agradamos a Deus e assim nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito que nos dá o suporte para vencermos o pecado.


 Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar. 1 Coríntios 10:13 

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Não presumas do dia de amanhã, porque não sabes o que ele trará. Provérbios 27:1


Temos uma tendência a nos preocupar com o amanhã e a lastimar o passado, deixando de viver plenamente o dia mais importante: hoje. Quando gastamos o nosso tempo pensando no que que vira deixamos de viver o momento presente em sua plenitude. Mesmo fazendo planos não sabemos o que virá, do dia de amanhã só quem sabe é Deus, por isso o próprio Jesus nos disse para não andarmos ansiosos por coisa alguma. Não podemos presumir o amanhã e a vida abundante que Jesus prometeu é uma experiência que deve ser experimentada a cada dia como uma dádiva de Deus, como um maná a ser colhido na exata medida. Porque a ansiedade é uma característica natural do ser humano, é difícil viver o hoje sem a preocupação com o dia seguinte. Mas conhecendo com mais profundidade a Palavra de Deus aprendemos que não devemos nos preocupar com o porvir, e a entregar o comando de nossas vidas sabendo que Deus está no controle! Assim, devemos seguir o que nos ensina Paulo em Filipenses 4:6


Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. 

domingo, 2 de outubro de 2016

Tens visto o homem que é sábio a seus próprios olhos? Pode-se esperar mais do tolo do que dele. Provérbios 26:12



Salomão nos mostra que não há nada pior do que o insensato. E de uma pessoa convencida de que está certa não possível esperar que ele reconheça a sua estupidez e aceite a instrução. Pessoas orgulhosas demais para aceitarem a correção agem pior do que os tolos e são convencidas de que não têm deficiência alguma e quanto mais confiança tem um homem no seu erro, mais ignorante e perigosa é a sua condição. A Bíblia diz que aqueles que se acham sábios, jamais o serão. O convencimento é um sinal de arrogância e de orgulho. Vemos que satanás se considerava tão capaz  que julgou que podia competir com Deus e escolheu o seu destino. Não podemos nos arrogar a condição de infalíveis e de nos convencer de que as nossas ideias são as únicas corretas e podem persuadir todos os outros. A única verdade absoluta é a Palavra de Deus, mas as pessoas que se acham sabias segundo o mundo, movidas pelos mesmos princípios de satanás, não dão crédito às Escrituras. Para esses a Bíblia é apenas um livro cheio de histórias desatualizadas, escrito em linguagem figurada e por religiosos fanáticos. Assim, acreditam que as suas interpretações são as únicas possíveis e que a Palavra de Deus é imprecisa. Há os que acreditam ter encontrado a sabedoria por terem estudado muito, por terem títulos e posições na sociedade e muitos são os que usam a mídia, as redes sociais  e os argumentos científicos para minimizarem a Palavra de Deus. A Bíblia nos diz que devemos identificar tais pessoas e repreender a tolice delas, mas não devemos entrar em contendas para não nos assemelharmos a eles. Jesus nos diz que não devemos dar mais atenção, honrar, ou discutir com essas pessoas, que agem como os fariseus de Seu tempo


Deixai-os; são cegos condutores de cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão na cova. Mateus 15:14

sábado, 1 de outubro de 2016

Se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe pão para comer; e se tiver sede, dá-lhe água para beber; Porque assim lhe amontoarás brasas sobre a cabeça; e o Senhor to retribuirá. Provérbios 25:21,22


Salomão nos dá uma orientação que nos parece impossível de cumprir, pois amar nossos inimigos não é uma proposta agradável e pode parecer remédio amargo e ruim. Contudo, essa orientação que vai na contramão da lei de Moisés é o que nos ensina Jesus, quando nos diz para amarmos o nosso próximo, incluindo nossos inimigos, em lugar do golpe por golpe. Amar o inimigo não significa, entretanto, ser conivente como o erro, ou com as atitudes maldosas ou falsas. Devemos fazer o mesmo que Davi, que prendeu ser possível odiar o mal sem odiar a pessoa. Ele escreveu: “Aborreço as ações daqueles que se desviam” (Salmo 101:3). “Aborreço todo caminho errado” (Salmo 119:104). Precisamos seguir o exemplo de Jesus que enfrentou todo o mal que lhe fizeram os oficiais do governo, os líderes políticos e da igreja. Mesmo tendo essas pessoas declaradamente como inimigas, Jesus rejeitou o mal que delas procedia, mas à beira da morte pediu ao Pai que as perdoasse. Devemos odiar o pecado e seguir o que nos ensina  Jesus


“Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem” (Mateus 5:44).