Traduza este blog

quarta-feira, 31 de julho de 2013

"quem toma emprestado é escravo de quem empresta" (Provérbios 22:7b).



Em todas as áreas da nossa vida, a palavra do Senhor nos fornece a orientação perfeita e nela devemos nos espelhar. No campo financeiro devemos dar ouvidos à sabedoria de Deus revelada na Bíblia, pois quando obedecemos os mandamentos do Senhor, recebemos tanto "a promessa da vida presente" como a da vida "futura" (1 Timóteo 4:8) e nos tornamos livres de todos os embaraços que nos prendem e nos impedem de prosseguir tanto no campo pessoal, quanto social ou espiritual. O sábio rei Salomão, nos mostra o quão insensato é aquele que se torna de refém de seus credores, porque não vive conforme as suas condições e se torna escravo das dívidas. Paulo nos orienta em Romanos 13:8 a pagar nossas dívidas. "Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros..." 

terça-feira, 30 de julho de 2013

Semeais muito, e recolheis pouco; comeis, porém não vos fartais; bebeis, porém não vos saciais; vestis-vos, porém ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o num saco furado. Ageu 1:6



Passamos a maior parte de nossas vidas trabalhando, na defesa de nossa sobrevivência e tentando garantir um futuro melhor. Na expectativa de melhores dias, empenhamos nosso tempo, nossa energia, plantamos nossas sementes. Essa é a metáfora que o profeta usa para nos mostrar que nossos esforços muitas vezes são em vão. E por isso ele exorta, logo a seguir “Assim diz o Senhor dos Exércitos: Considerai os vossos caminhos”. (Zacarias 1:7) Muita gente professa uma fé em Deus, mas não quer compromissos com Ele. Na expectativa de dias melhores, as pessoas trabalham muitas horas por dia, e não têm tempo de buscar as coisas de Deus. Gastam seu tempo semeando na vida secular e não assumem compromissos com as causas do Criador. Contudo vemos que essas mesmas pessoas não conseguem ter resultados satisfatórios em suas vidas financeiras. Por mais que trabalhem, que coloquem em primeiro lugar suas atividades profissionais, essas pessoas estão sempre ocupadas, com dívidas ou vendo seus esforços se dissiparem sem que possam desfrutar o fruto do que semearam. E a desculpa para não se dedicarem à Obra de Deus vai ficando cada vez mais repetitiva.  Certamente, se tirassem parte de seu tempo para o Senhor, os frutos financeiros de suas vidas profissionais seriam muito maiores. Temos vários testemunhos de pessoas que equilibram o tempo entre o trabalho, o estudo, a vida social  e a obra de Deus têm muito mais êxito nos seus projetos. Isso é muito claro nas palavras do profeta e mais evidente nos testemunhos daqueles que dão a primícia de seu tempo para o Criador. Uma simples atitude de assumir compromissos com Deus faz com que o nosso trabalho atinja resultados inatingíveis sem a intervenção do Senhor. Isso é perceptível tanto na história pessoal, quando na história de uma nação. O que Deus falou por meio do profeta Ageu, “considerai os vossos caminhos”, é a resposta para aqueles que se perguntam: onde foram parar meus esforços? 

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Também deixei ficar em Israel sete mil: todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda a boca que não o beijou. 1 Reis 19:18



Precisamos refletir sobre a mensagem deste versículo, atualizando-a. Precisamos entender quem é Baal nos dias atuais. Baal representa o deus deste mundo e todos aqueles que a ele se curvam e lhe prestam culto certamente não serão colocados em Israel. Israel simbolicamente representa a Igreja do Senhor, o conjunto formado por todos que não dobram seus joelhos diante de outro deus que não o Senhor dos Exércitos, o Deus Altíssimo, único e soberano. Como resultado de sua fidelidade a esse Deus Elias ganhou uma ameaça de morte,  da idólatra e cruel rainha Jezabel.  Pensando estar sozinho e que ninguém mais era fiel, Elias abriu o coração diante do Senhor e reclamou da sua solidão, mas Deus fez com ele visse que além dele havia mais sete mil que permaneciam fieis. Precisamos saber que ainda que  a mídia camufle as estatísticas, somos muitos. Não estamos sozinhos. Além do Senhor, que nunca nos abandona, ainda existem sete mil do nosso lado. Mesmo não os conhecendo, o Senhor nos garante que eles existem e persistem na sua fé. Precisamos perseverar em nossa fidelidade ao Senhor, orando pelos outros, para que não se dobrem ao deus deste século. O Senhor nos garante a vitória. 

domingo, 28 de julho de 2013

Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. João 17:15-



Jesus nos lembra de que há uma grande diferença entre estar no mundo e pertencer ao mundo e de que  estamos no mundo com uma missão. E não há como cumprir essa missão nos isolando das pessoas que estão no mundo. Por isso Ele pede ao Pai que nos livre do mal que impera no mundo, não para nos tirar do mundo. Em outras palavras, Ele quer dizer que nossa missão não é a de ficar afastados dos problemas, da convivência. Nossa missão é permanecer no mundo, entre os pecadores, sem nos deixar contaminar pelo pecado, sem nos deixar afetar pelo mal. O Senhor espera que sigamos o Seu exemplo. E Ele sempre esteve ao lado das pessoas, conhecendo as suas fraquezas, convivendo com a singularidade de cada um, respeitando e amando-as sem que para isso se tornasse igual a elas. Isso quer dizer que  para buscarmos  a santidade não precisamos nos isolar em redoma de vidro, em um local distante da sociedade, na falta de contato humano. Precisamos buscar a santidade no meio do pecado, para a nossa diferença seja notada em atitudes, não em discursos vazios e sem testemunhos vivenciais. Que a nossa luz possa brilhar nas trevas, que sejamos o sal do mundo, essa é a recomendação de Jesus. E isso precisa ser concretizado em ações não em palavras. Estar no mundo sem pertencer ao mundo é o desafio que o Senhor nos impõe. Vencer o mal, abraçando a causa do Evangelho concreto, na certeza de que Jesus já nos fez mais do vencedores, quando ressuscitou. 

sábado, 27 de julho de 2013

Sabendo, amados irmãos, que a vossa eleição é de Deus; Porque o nosso evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também em poder, e no Espírito Santo, e em muita certeza, como bem sabeis quais fomos entre vós, por amor de vós. 1 Tessalonicenses 1:4,5





Em vários trechos a Bíblia registra que “... o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder”. (1 Coríntios 4:20).  Mas Lucas nos lembra que esse poder não  é um poder terreno, transitório, material em Atos 1:8 ele nos fala “... recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra” . Isso nos traz força, mas, sobretudo, responsabilidade, pois a partir do momento em que aceitamos o chamado de Deus para sermos livres, em Sua palavra, recebemos poder para agir em nome de Jesus e nos tornamos escolhidos por Ele para viver uma nova vida, para desfrutarmos de Suas promessas. O apóstolo Paulo nos lembra que o poder do Espírito Santo e a fé, são ações, testemunhados com a própria vida e não apenas em palavras. Como  cristãos  precisamos manifestar esses dois fundamentos: a fé e o poder. A fé é a mola propulsora para que o poder de Deus seja manifesto por nosso intermédio. O Espírito Santo é o próprio poder. Se temos fé e guardamos pela Palavra o Espírito de Deus em nossas vidas, emanamos o poder Daquele que tudo pode. Fé e poder nos garantem o sucesso em tudo o que fizermos, e a certeza de que aonde formos venceremos toda e qualquer situação. Fé e poder são duas ferramentas, que juntas causam um estrago enorme no inferno. E para adquiri-las, não podemos nos valer do poder político, de dinheiro ou de conhecimentos seculares. A única forma de adquirirmos essas duas ferramentas que nos garantem sucesso nesta e na vida futura  é o reconhecimento de que só há um caminho: Jesus Cristo de Nazaré, o único e bastante intercessor entre Deus e os homens.  

sexta-feira, 26 de julho de 2013

E guardai os meus estatutos, e cumpri-os. Eu sou o Senhor que vos santifica. Levítico 20:8




O Senhor exorta desde sempre a guardar a Sua Palavra e, nela nos orientando, viveremos em santidade. “Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito”, é o que nos diz o apóstolo Paulo em Gálatas 5:25. Mas observemos bem que a Bíblia diz “guardai” e “cumpri-os”. Guardar apenas não basta. É preciso cumprir. Viver o que se sabe. Aplicar o que se lê. Isso significa que a Palavra de Deus é viva e atuante e tem poder transformador. Significa que a santificação não é atitude passiva, mas ativa. Deus santifica quem age de acordo com sua Palavra. Viver pelo Espírito implica a obediência ativa à Sua direção, por isso Paulo afirma em Gálatas 5:16-17 “Digo, porém: Andai pelo Espírito, e não haveis de cumprir a cobiça da carne. Porque a carne luta contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes se opõem um ao outro, para que não façais o que quereis.” E em Romanos 8:13-14 nos diz: “Porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus.”
Quando vivemos pelo Espírito e andamos Nele, deixando que o Ele nos guie, com toda  certeza seremos santificados, porque daremos menos importância para o mundo e desenvolveremos um maior amor para Jesus e assim nos concentraremos apenas no que é santo e puro. Atraindo luz, expulsaremos as trevas. Vivendo em amor, expulsaremos o ódio e atrairemos a santidade que remove o pecado. 

quinta-feira, 25 de julho de 2013

O Senhor chamou a Samuel, e disse ele: Eis-me aqui. 1 Samuel 3:4




O chamado do Senhor a Samuel foi feito também a Filipe e a outros discípulos “No dia seguinte quis Jesus ir à Galileia, e achou a Filipe, e disse-lhe: Segue-me”, como mostra João 1:43, e continua fazendo esse chamado ainda hoje a todos quantos tenham ouvidos para ouvir e coração aberto para compreender a dimensão desse chamado. Samuel não hesitou, abriu seu coração e colocou-se prontamente à disposição de Deus. Filipe atendeu ao chamado e seguiu o Mestre e isso fez toda a diferença. Isso mudou a vida de ambos. Quando Jesus chama, nada fica como está. Jesus nos escolhe independentemente  de quem somos. Jesus nos ama do mesmo jeito, sendo nós um desconhecido no meio do povo, como Filipe ou consagrado a Ele desde o ventre como Samuel. Ele chamou a ambos. O importante é a nossa prontidão em aceitar o convite. Jesus nos escolhe independente de nossa posição. Não precisamos ser alguém para Jesus nos amar. Precisamos tão somente aceitar esse amor incondicional. 

quarta-feira, 24 de julho de 2013

No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Efésios 6:10



O apóstolo nos exorta  a que sejamos fortes - não fisicamente, mas espiritual e mentalmente, lembrando que essa força vem do Senhor, quando nos revestimos de Sua armadura, qual seja: o cinturão da verdade, a couraça da justiça, a  preparação do Evangelho da paz, o escudo da fé, o capacete da Salvação, a espada do Espírito e a oração. Sem esse conjunto que constitui a armadura a nos revestir contra as investidas do inimigo é muito difícil vencermos o pecado, pois somos tentados continuamente. É por isso que o apóstolo nos lembra de que não estamos sozinhos. Deus fornecerá o equipamento indispensável que nos capacita a nos tornar cada vez mais fortes e vitoriosos. Mas é  indispensável que tenhamos disciplina e determinação para permanecermos fortes num mundo de constantes assédio do maligno. Precisamos permanecer no Espírito, na verdade, na justiça, firmados na fé, sem nos esquecermos do evangelho da paz. Estes elementos da “armadura” são as armas defensivas. Para o ataque haveremos de usar a única arma "ofensiva" que temos e sem a qual não  podemos vencer: a Palavra de Deus. A “espada do Espírito”.

terça-feira, 23 de julho de 2013

Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho; Gálatas 1:6




O apóstolo Paulo nos alerta sobre o perigo de desviarmos os nossos olhos do Evangelho de Cristo, para o que é apregoado em outros evangelhos. Isso significa que temos que seguir tão somente o que dizem as escrituras e não as doutrinas que se formaram a partir delas. Há um único Evangelho, o do Senhor Jesus e tudo que vem além e o contradiz não deve ser aceito. Se não há  coerência entre o que está registrado no Evangelho, ainda que dito ou escrito por uma instituição tradicional e reconhecida, então não deve ser levado à sério. Um texto fora de contexto gera uma oportunidade para se criar uma heresia. A Bíblia fala que devemos fugir da idolatria e ainda muitos considerarem como “idolatria” o apego ao dinheiro, ou a outras coisas ou seres que não seja Deus, isso não  anula em hipótese alguma o conceito bíblico de prostrar-se e prestar culto a uma imagem de escultura, feita por mãos humanas. Imagens de seres humanos ou de animais são condenadas  por Deus em toda a Bíblia. Por mais que o Evangelho de Cristo nos exorte a sermos santos e a procurarmos a santidade, a Bíblia não diz em lugar algum que devemos venerar, adorar ou  devotar nossa fé a uma pessoa boa e santa que já morreu esculpindo-lhe uma estátua e pedindo-lhe que interceda por nós diante de Deus. A Bíblia é muito clara quando diz que o único mediador entre Deus e os homens é Jesus Cristo de Nazaré, o único que morreu na Cruz e que venceu a morte para cumprir o plano de salvação. Por mais bem intencionados que estejam, as religiões ou pessoas que mudam essa verdade constante no Evangelho de Jesus para uma interpretação diferente da que é dada por Cristo estão fazendo o que diz o apóstolo Paulo no texto em epígrafe. A nossa graça vem de Cristo, de nenhum outro, por santo que seja. Pense nisto e não se deixe confundir.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Levanta-te, pois, porque te pertence este negócio, e nós seremos contigo; esforça-te, e age. Esdras 10:4




Às vezes nos deparamos com desafios e situações que nos parecem sem soluções e ficamos nos perguntando como agir. Como não desistir quando passamos por momentos difíceis olhando para o invisível. Isso nos faz pensar que a fé por si só seria suficiente para a solução de um impasse, de uma crise, mas vemos, nas palavras do profeta, que Deus espera não só que tenhamos fé. Ele  espera que essa fé produza em nós uma força dentro de nós que nos impulsione a tomar a decisão de enfrentar os golpes das lutas que participamos. Ele espera uma fé ativa e não apenas passiva. Neste versículo de Esdras vemos que ele usa algumas palavras chaves para que a fé seja uma mola propulsora, um mecanismo de ação. Ele nos fala de uma atitude que requer coragem. E isso nem sempre é compreendido na sua inteireza de sentidos.
Levanta-te:  é um imperativo que significa mudar de atitude, sair da posição conformista e buscar algo mais; pois: é muito mais do que uma conjunção que em tese exprimiria uma conclusão. É uma decisão de se mudar de postura, que, naturalmente impulsiona os acontecimentos em nossas vidas; Porque te pertence este negócio: esta frase nos leva a refletir que atitude é uma decisão pessoal. Ninguém pode decidir pelo outro; E nós seremos contigo: quando tomamos  decisões certas, Deus estará conosco, e nos conduzirá ao sucesso. Esforça-te: ninguém deve esperar obter êxito numa atitude passiva. A Bíblia não diz que o cristão terá uma vida fácil e sem dificuldades. Ao contrário, ela sempre nos remete a promessas de vitórias, depois de enfrentar dificuldades. Contudo,  ela afirma que podemos ter a certeza de que Deus estará conosco. Mesmo diante do vale da sombra da morte; A grande lição que Esdras nos ensina é que precisamos ter atitude. Agir é fundamental, por essa razão a Bíblia nos diz em Tiago 2:14 que a fé sem obras é morta.

domingo, 21 de julho de 2013

Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Mateus 11:28


Nestas três primeiras  palavras recebemos a senha para o alívio que nenhum remédio, droga ou terapia pode nos proporcionar. Com essas palavras, Jesus nos convida a mudar de dimensão, não de religião, como muitos pensam. Vir é verbo de ação e implica mudança de estado. Sair da inércia e dirigir-se a outro ponto.  Esse movimento pressupõe mudança, mas não é apenas uma mudança de local. É uma conversão que só se realiza por meio de uma decisão especial de deixar o pecado, confiar em Cristo e começar a segui-lo. O convite é Vinde a mim, e isto significa que uma decisão deve ser feita de deixar o pecado, afastar-se do erro e vir a Jesus Cristo, portanto, não se pode requisitar  intermediários. Jesus diz: "Sou manso e humilde de coração." Em toda a história de Sua vida e em Sua obra experimentamos a brandura e mansidão de Cristo. Jesus está se dirigindo a  todos os que lutam e estão sobrecarregados, porque quer nos ajudar a sair debaixo desse fardo. Ele fala às pessoas que sentem uma carga em suas vidas, sejam elas quais forem. Pessoas para quem Ele promete: "Eu vos darei descanso". Mas, para isso, temos que acreditar Nele e tomar a decisão pessoal de vir a Ele com obediência, por isso há uma exigência resumida em verbos: "Vinde...tomai...aprendei...encontrai". Essas palavras nos orientam claramente como deveremos fazer, ao responder ao convite de Jesus. Todavia, precisamos saber que não podemos ter o descanso prometido que Jesus quer que tenhamos se não fizermos o que Ele nos diz para fazermos!  Essa obediência tem uma recompensa, conforme Jesus expressa em Mmateus 11:30b “e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve" (Mateus 11:28-30).  

sábado, 20 de julho de 2013

Eis que, envergonhados e confundidos serão todos os que se indignaram contra ti; tornar-se-ão em nada, e os que contenderem contigo, perecerão. Isaías 41:11




Se nos lembramos em todo o tempo dos preceitos do Senhor jamais nos desviaremos dos  Seus Mandamentos de vida e, assim, nada nos envergonhará em nossa fé e em nossa confiança Naquele que sempre estará ao nosso lado, mesmo nos momentos de crise. A palavra de Deus garante que quando vivemos em retidão não somos desamparados. Todavia, aqueles que se voltam contra nós, que zombam, ou roubam os eleitos do Senhor terão outro destino. Os  que se levantam contra os ungidos serão envergonhados. A  Bíblia nos alerta sobre as bem aventuranças na vida dos que se portam de maneira a não serem repreendidos nem pelo Senhor, nem pela sociedade.  Ainda que sejam difamados, hostilizados ou enganados pelos homens, terão as benesses de Deus, porque os que buscam de coração o conhecimento da Palavra e aceitam suas prescrições serão reconhecidos. Os que se apresentam como inimigos dos que permanecem fiéis têm um único destino: Buscá-los-ás, porém não os acharás; os que pelejarem contigo, tornar-se-ão em nada, e como coisa que não é nada, os que guerrearem contigo. (Isaías 41:12).  

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Para que vos não façais negligentes, mas sejais imitadores dos que pela fé e paciência herdam as promessas. Hebreus 6:12




 Essa palavra nos faz refletir sobre dois pontos importantes para quem espera obter as promessas de Deus. O primeiro é que devemos ter a consciência de que toda promessa passa pelo teste do tempo. Do tempo de Deus, não da nossa vontade. o autor de Hebreus nos lembra que herdaram as promessas aqueles que tiveram fé e paciência. Em Eclesiastes 3:1 lemos que há tempo para todas as coisas debaixo do céu e assim podemos tirar uma grande lição: é imprescindível aprendermos a confiar em Deus, mesmo quando tudo parece perdido. Principalmente em tempos difíceis. O segundo ponto é que não podemos ser negligentes em relação a nossa vida cristã. Precisamos ser de fato imitadores de Cristo. Precisamos ser cristãos na verdadeira acepção da palavra. Precisamos rever nossas prioridades, nossos objetivos nesta vida, pois de nada adianta ganharmos o mundo, se perdermos nossa alma. Nenhuma riqueza, nenhum poder é capaz de preencher a incompletude que carregamos quando não temos um verdadeiro encontro com Deus.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Apanhai-nos as raposas, as raposinhas, que fazem mal às vinhas; pois as nossas vinhas estão em flor. (Cantares 2:15).




O autor de Cantares usou essa metáfora para demonstrar como certas atitudes destroem a vida de quem as alimentam, assim como as raposinhas destroem as vinhas em flor. A inveja, a murmuração, a fofoca, o orgulho, a mentira, a ira, a concupiscência, a ociosidade, a indiferença, a amizade com o mundo, a falta de perdão e a incredulidade são raposinhas famintas que destroem as flores. A Bíblia nos ensina a sermos vigilantes e prudentes, para que a semente, que é a Palavra de Deus, frutifique em nosso coração. Se verdadeiramente formos enxertados na videira, se permanecermos em Cristo, nenhuma dessas atitudes que se tornam raposinhas terá espaço em nossas vidas. Se todas as brechas estiverem fechadas, se  não permitirmos que as raposinhas, sutilmente, invadam nosso coração, se estivermos em comunhão com Deus e cheios da unção do Espírito Santo, com toda certeza colheremos frutos de justiça e de paz em todas as áreas de nossas vidas.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno. Salmos 139:23,24


O que o salmista faz nestes versículos é o reconhecimento necessário também a cada um que deseja seguir por um justo e reto caminho. Precisamos reconhecer cotidianamente nossas falhas ocultas e ver se a nossa vida está de acordo com a Palavra do Senhor. Mas, sobretudo, precisamos pedir ao Espírito Santo que nos ajude a examinar o mais profundo de nosso ser e verificar aquelas áreas quais não conseguirmos enxergar o erro. Sabemos que  não é fácil, olhar para nós mesmos e constatar nossas falhas, sejam elas na área sentimental, espiritual, familiar, profissional ou qualquer outra. O erro, por menor quer seja, não pode ficar oculto, nem mesmo no nosso coração, pois o pecado é comparado ao fermento e ele pode se multiplicar rapidamente e levedar toda a boa massa. Às vezes cometemos pequenos erros, e por falta de confissão e arrependimento eles vão se acumulando e como uma bola de neve começa imperceptível e vai se avolumando. Aos poucos o coração vai ficando insensível a voz de Deus e, então,  só Espírito  Santo pode nos mostrar o quão errados estamos. 

terça-feira, 16 de julho de 2013

Em vista de este povo ter desprezado as águas de Siloé, que correm brandamente, e se estar derretendo de medo diante de Rezim e do filho de Remalias, eis que o Senhor fará vir sobre eles as águas do Eufrates, fortes e impetuosas, isto é, o rei da Assíria, com toda a sua glória; águas que encherão o leito dos rios e transbordarão por todas as suas ribanceiras. Isaías 8.6,7



Deus fala conosco por diversas formas, mas nem sempre ouvimos a sua voz por que estamos com o coração duro. Quando Deus quer falar com alguém, Ele o faz bastando que esta pessoa esteja sensível à sua voz. Mas quando não ouvimos, Ele nos fala por meio das provações! A Bíblia narra em muitos momentos que, na história do povo de Deus, o Senhor falava e o povo não ouvia, então, Ele  mandava uma provação para que se humilhassem e ouvissem a voz de Deus. E mesmo hoje o Senhor continua usando as provações para que o povo preste atenção à Sua voz. Às vezes a perda de algo nos faz refletir sobre o que deveríamos fazer e não fizemos. A provação nos leva a um estado de turbulência que nos faz pensar melhor naquilo que teríamos feito estando em situação confortável. Muitas vezes estamos em águas tranquilas e reclamamos, por isso vêm as circunstâncias difíceis para que possamos clamar por socorro ao Senhor.
Muitas vezes o homem prospera e se envaidece esquecendo-se do Senhor, mas quando sai de sua zona de conforto, quando perde aquilo que lhe tirava os olhos do Senhor e de Seus Estatutos ele volta em lágrimas para perto de Deus. Mas podemos escolher estar confortavelmente ao lado de Deus e continuar com Ele nos bons momentos. Não precisamos contabilizar perdas para nos lembramos de quem é o Senhor!

segunda-feira, 15 de julho de 2013

O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito. João 3:8



Jesus compara o Espírito Santo ao vento e nessa analogia podemos  compreender a ação do Espírito Santo em nossas vidas, considerando as qualidades comparadas. Assim como o vento, o Espírito Santo é livre e não há quem possa impedi-lo de agir  “….o vento sopra onde quer….”, pois do mesmo modo que não há barreiras para o vento, também não há para que o Espírito Santo alcance uma vida. Assim como não sabemos de onde vem, nem para onde vai o vento, também não sabemos quando ou onde Deus agirá. O que importa é termos a certeza de que Deus tem o controle da situação e do tempo e que agirá no momento oportuno, sem atraso, ou sem se adiantar. 

domingo, 14 de julho de 2013

Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus? João 11:40


O apóstolo João registra uma importe lição de Jesus, a qual devemos considerar como princípio norteador de bênçãos presentes e vindouras. Jesus aqui nos fala de algo que sobremaneira agrada a Deus: a fé. A fé é algo paradoxal. Ao mesmo tempo é simples e complexa. Mas ainda que não entendamos a complexidade desse ato, conforme nos ensina Hebreus 11:6 "sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam."  Sabemos que aprender a crer não é fácil. Somos muitas vezes dirigidos pela razão, porque isso torna as coisas muito mais fáceis. Vivemos o tempo daquilo que podemos ver, que podemos vislumbrar com nossos sentidos. Vivemos tempos de hedonismo cada vez mais acirrado e  isso pressupõe a supremacia dos sentidos, da pele, do apelo visual. Então, acreditar no que não podemos ver é mais complicado.  Mas se é “a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem.", conforme afirma o autor de Hebreus 11: 1, precisamos crer no que não vemos. É disso que Jesus fala. Se cremos no que não vemos, compreenderemos que o impossível para nós é possível para Deus. Aprendemos então a reconhecer o limite do possível! O limite da fé! João 11: 38-44 narra o episódio da ressurreição de Lázaro  e por ele podemos enxergar esses limites. Quando Jesus chegou até a casa de seu estimado amigo, ele já estava morto e aos olhos humanos nada mais havia para ser feito. Vemos naquela família amada do Senhor o limite do desespero! Ordena que seja tirada a pedra do sepulcro, mas Marta, irmã do morto enxerga o limite o impossível, pois o corpo já cheirava mal, porque jazia há quatro dias naquele lugar fúnebre. Depois de glorificar a Deus, Jesus nos mostra o limite do possível: a pedra que afastava Lázaro da vida em família. Jesus poderia simplesmente retirá-la com uma palavra, ou com um levantar de mãos, mas ele não fez desse modo para ensinar àquelas irmãs a nós que temos a capacidade de resolver os problemas, de superar situações complicadas. Basta tiramos a pedra. A pedra pode ser nosso orgulho, nossa teimosia, nossa falta de fé. Se crermos, veremos a glória de Deus, assim como aquelas irmãs. Não precisamos pedir para Deus aquilo que cabe a nós fazer. Quantas vezes pedimos para Deus resolver problemas que foram criadas por nós mesmos. Precisamos ter uma atitude firme, tomarmos uma decisão de vencer o possível, e deixar com Ele apenas o impossível. Nós podemos tirar a pedra, mas só Ele pode dar a vida. Deus não vai fazer aquilo que Ele determinou que fizéssemos. Ele pode dar vida nova a um corpo que já cheira mal, mas nós temos que tomar a atitude de chamar por Jesus e de permitir que Ele nos conduza para fora do sepulcro.  Precisamos ter fé o suficiente para reconhecermos que Ele nunca chega atrasado, nem se adianta, Ele sempre chega na hora certa. Não precisamos nos desesperar, pois Ele está no controle. 




                                                                                                                  

sábado, 13 de julho de 2013

E vós, irmãos, não vos canseis de fazer o bem. 2 Tessalonicenses 3:13




Fazer o bem  é  um programa de vida a ser vivido por quem se assume cristão. O Senhor nos deu o exemplo e mesmo sendo humilhado, maltratado e hostilizado, Ele jamais deixou de praticar o bem. E nós temos a oportunidade de fazer o bem sempre, independentemente para quem quer que seja, até mesmo aos nossos inimigos, em obediência à Palavra do Senhor, que pede: “Amai vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam, orai pelos que vos maltratam e perseguem. Deste modo sereis filhos de vosso Pai do céu, pois Ele faz nascer o sol tantos sobre os maus, como sobre os bons” (Mateus  5, 44a-45b). A Bíblia nos ensina: “Tudo o que quereis que os homens vos façam, fazei também a eles” (Mateus 7,12a). Mas fazer o bem não é simplesmente dar dinheiro aos pobres, dar esmolas no sinal ou ajudar as crianças carentes. Fazer o bem é algo que deve começar no nosso círculo mais íntimo, sem que precisemos mudar nada nossa rotina.  A gentileza com os de casa, a simpatia com os colegas de trabalho, a atenção a nossos filhos são formas de expressão do bem. De pouco adianta ter lindos objetivos humanitários se distribuímos farpas e mau humor por onde passamos, se hostilizamos os nossos entes, se maltratamos nossos colegas. A Bíblia nos ensina a fazer o bem sem nos cansar e isso começa em casa, ou conosco mesmo. Quanto mais fizermos o bem ao nosso próximo, tanto mais parecidos e íntimos de Deus nos tornaremos.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas. Romanos 2:11-12



Deus ama o mundo inteiro (Jo 3.16). Essa também é a mensagem de Paulo ao romanos e nós neste momento. Se  Jesus entregou Sua vida por todos no mundo inteiro, conforme a Bíblia nos mostra, devemos entender que “mundo inteiro”,  inclui todas as etnias da humanidade. Por isso, o racismo, a discriminação, o preconceito que têm gerado tantos conflitos e guerras, tanto locais como mundiais precisa ser rechaçado. Temos que entender que, se tratarmos uma pessoa com desprezo, estamos maltratando uma pessoa criada à imagem e semelhança de Deus e, assim, estaremos ferindo alguém que Deus ama e por quem Jesus morreu. Se somos filhos de Deus, andemos de modo digno da vocação com que fomos chamados, sem acepção de pessoas, conforme Paulo diz em Efésios 4:1. Precisamos entender que o preconceito nos afasta de Deus. O mandamento de Jesus é que amemos uns aos outros assim como Ele nos ama (João 13:34). Se Deus é imparcial, e nos ama com imparcialidade, isso significa que também devemos amar aos outros de igual forma. Jesus nos ensina que tudo o que fizermos com o menor de Seus irmãos, faremos a Ele.  Também Paulo nos diz: "Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros". (Romanos 12:10). A Bíblia deixa claro que só demonstramos que amamos a Deus, se amamos ao próximo sem acepção, pois "Não podemos dizer que amamos a Deus a quem não vemos, se não conseguirmos amar ao nosso próximo, a quem vemos"(I João 4:20).

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu. 1 João 3:6


O pecado é sempre a causa de todo o engano e desde o Éden as pessoas vivem se iludindo com as artimanhas da serpente, que pode vir sob diversas formas. O diabo, a serpente, também se transfigura em anjo de luz. Um erro comum é pensar que a qualquer momento que deseje a pessoa  pode por si só deixar de pecar. Contudo, conforme afirma o apóstolo João, sem Jesus e o Espírito Santo é impossível para o homem conseguir livrar-se do pecado. É preciso  estar em Deus e permanecer Nele,  “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;” afirma o apóstolo Paulo em Romanos 3:23. Também é preciso arrependimento sincero, pois se não há arrependimento pelo pecado cometido, de nada adianta o homem sofrer punições por leis humanas. Observe que Jesus, mesmo estando entre os pecadores não julgava os seus pecados. Ele propunha uma mudança baseada no arrependimento sincero e o perdão. O pecado será sempre o ponto de separação entre o homem e Deus. Isso não muda, ainda que a sociedade mude. Não adiantam atribuir as consequências do pecado à evolução, à modernidade, às drogas, pois o pecado sempre foi uma decisão pessoal. 

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Em ti confiarão os que conhecem o teu nome; porque tu, SENHOR, nunca desamparaste os que te buscam. Salmos 9:10


Confiar no Senhor nunca foi motivo de desapontamento para ninguém, ao contrário do que ocorre quando confiamos nos homens. Aqueles que verdadeiramente conhecem a Deus e reconhecem a Sua soberania agem com tranquilidade em todas as circunstâncias  porque sabem que o nome do Senhor é sobre todas as coisas e Nele podemos nos fortalecer. Deus jamais desamparou a quem o busca. E buscar o Senhor sem desistir ou vacilar, é o segredo para o sucesso. Muitas vezes nos cercamos de conhecimento, de amigos, de atividades,  de bens materiais,  e ainda assim, tudo nos parece vazio e sem sentido, porque somente Jesus pode preencher esse vazio. O salmista sabe exatamente o que isso significa por isso exalta o Senhor em seus salmos, reconhecendo que Deus é amoroso e não nos deixa desamparados. 

terça-feira, 9 de julho de 2013

Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém. 1 Pedro 4:11





 O apóstolo Pedro nos orienta a agir em toda e qualquer circunstância conforme a vontade de Deus, para que em todos os momentos o Senhor seja glorificado. Quando o Espírito inspira e direciona as ações e intenções de nossos corações, o irrevogável propósito do universo acontece e assim Deus recebe a glória porque Deus o Espírito nos conduz a agir de acordo com o propósito do Criador. Deus recebe a glória porque Deus o Pai é quem ouve e cumpre o que o Espírito pede; Deus recebe a glória porque Deus o Filho já garantiu na Cruz a redenção para os pecadores e todas as bênçãos já deferidas pelo Pai.  Portanto, nosso falar  deve ser sempre de acordo com a Palavra de Deus, nosso comportamento diante dos homens não deve ser incoerente com a orientação bíblica. 

segunda-feira, 8 de julho de 2013

As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade. Lamentações 3:22,23



 O profeta Jeremias nos dá a resposta para o fato de que, embora sem  merecer, somos agraciados com as bênçãos do Senhor a cada dia. O profeta chama à memória aquilo que nos traz esperança. As misericórdias do Senhor são infindáveis, em contraposição a tudo que é humano.  Nossa vida terrena um dia chegará ao fim, mas no Reino de Deus as misericórdias Seu expressam o caráter, pois elas são eternas, e isso nos traz esperança. Elas se renovam a cada manhã. Assim como fazia no deserto, quando a cada manhã Deus enviava o maná, ainda hoje Ele nos envia um alimento para nossa alma, envia conforto e esperança. Por isso ainda podemos sonhar, fazer planos, buscar novidade de vida. As misericórdias nos permitem caminhar na direção dos nossos sonhos e nos preservam, para que não sejamos assolados ou consumidos. 

domingo, 7 de julho de 2013

Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis. Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. 2 Pedro 1:10,11


Não basta aceitar Jesus como Salvador e nos denominarmos cristão, é preciso fortalecer a nossa fé e buscar um crescimento espiritual contínuo e para isso é necessário perseverar em oração, ter devocional, cultuar ao Senhor e não apenas ser espectadores do evangelho. Não podemos assistir a um culto como se estivéssemos em um show ou teatro ou cinema, ou ouvir a palavra como se ouvíssemos uma palestra. Precisamos nos envolver e de fato cultuar ao Senhor, entregando-nos na adoração e abrindo o coração e a mente para a palavra ministrada. Quando nos rendemos ao Senhor e damos a Ele a honra que lhe é devida, fazemos o que ensina o apóstolo Pedro. E é isso que o Senhor espera de nós: participação ativa no Seu Evangelho. Ele quer obreiros atuantes e não meros expectadores. Ele quer missionários e apóstolos e não apenas assistentes passivos. Ele nos chama para a obra, onde quer que estejamos e continua nos perguntando: a quem enviarei?

sábado, 6 de julho de 2013

Certamente em vão se confia nos outeiros e na multidão das montanhas; deveras no SENHOR nosso Deus está a salvação de Israel. Jeremias 3:23



Todos nós passamos em nossa vida por momentos difíceis, por problemas, ou por circunstâncias desagradáveis que tiram a nossa paz. Em busca de uma solução, de um alívio para o problema que nos aflige, procuramos socorro nos mais diversos lugares. Muitos, nessa busca, procuram pessoas, coisas ou amuletos para um alívio que jamais encontram de fato, pois o socorro verdadeiro vem de Deus. O nosso socorro está em Deus, por isso o salmista afirma “O meu socorro vem do SENHOR, que fez o céu e a terra.” (Salmos 121: 2). Porque Ele é soberano sobre todas as coisas. “Ele não permitirá que os teus pés vacilem…” garante Davi, que sabe que tudo está debaixo da permissão de Deus e que nada pode acontecer sem a permissão Dele. Quando cremos nisso, podemos descansar e encontrar a paz.   “É certo que não dormita, nem dorme o guarda de Israel”, afirma o salmista em Salmos 121: 4. Deus está sempre alerta, é onisciente, onipresente, onipotente e não descuida dos Seus filhos, como um pai zeloso. Ele acompanha os seus servos, não os deixa, nem os desampara, mesmo quando parece estar distante ou em silêncio. É Ele quem nos garante: “De dia não te molestará o sol, nem de noite, a lua.” (Salmos 121: 6). Não precisamos temer nada, ao passo que, quando colocamos nossa confiança nos homens corremos o risco de nos frustrar.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Porque em tudo fostes enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o conhecimento 1 Coríntios 1:5



O que o apóstolo Paulo está nos dizendo, e que foi afirmado pelo próprio Jesus, é que sem Ele como Ele próprio disse, nada podemos fazer (Jo 15.5). Mas, nEle, somos enriquecidos em tudo e, por isso, podemos fazer as mesmas coisas que Ele fazia. O Senhor afirmou que faríamos as mesmas coisas que Ele. Podemos até mesmo multiplicar pães, transformar água em vinho, ou ressuscitar mortos, se essa for a vontade do Senhor e se a Ele for dada a glória.  Se fomos enriquecidos em toda a Palavra, então  nada nos falta e na palavra de Deus podemos todas as coisas, porque o Senhor nos dá o conhecimento para e a sabedoria em Cristo. E se somos enriquecidos em Cristo precisamos assumir nosso papel de pequenos Cristos e viver conforme Ele espera de nós. Precisamos tomar posse do que Ele nos legou, pois Sua palavra afirma que Ele fortalecerá todo aquele que se dispuser a fazer a Sua vontade. Assim também devemos nos posicionar diante de qualquer ataque do inimigo, porque pela palavra podemos vencer a tentação.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. 2 Coríntios 4:8



Essa palavra do apóstolo Paulo nos faz pensar o quanto é gratificante viver sob a dependência do Senhor. Porque somos filhos de Deus, porque cremos no nome poderoso de Jesus Cristo, podemos saber que Ele jamais nos esquece!
Nos momentos em que as tribulações nos assaltam somos tentados a pensar que Deus se esqueceu da gente, que Ele nos abandonou, ou que Ele não se importa conosco. Mas a palavra de Deus nos garante que nesses momentos Ele está conosco e não nos desampara. Mas sabemos que as tribulações vêm porque Deus permite, para que possamos crescer, e nos tornarmos mais resistentes aos impactos da vida. Mas muitas vezes nos momentos difíceis,  em que passamos por provações, Deus permanece em silêncio e isso nos deixa aflitos. Porém, aquele que conhece a Deus  tem a plena confiança de que Ele sabe o que  não  sabemos. Ele conhece o que não conhecemos e  vê além do podemos enxergar. Por isso devemos esperar com paciência e confiança, sem nos abalar ou desanimar.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

As tuas mãos me fizeram e me formaram; dá-me inteligência para entender os teus mandamentos. Salmos 119:73



O salmista nos lembra que tudo foi criado pelo nosso Deus e esse tudo nos inclui. O homem não pode crer fazer só aquilo que Deus pode fazer que é dar vida, portanto, existimos ou temos vida porque Deus assim o quis. Ninguém pode dar vida ou prolongar a vida, se isso não for consentido pelo Criador. Ninguém pode fazer por nós o que o Senhor faz. O médico mais preparado e competente não tem o poder sobre sua própria vida ou sobre a de outra pessoa. Ele é um instrumento de Deus e pode ser usado por intermédio do dom concedido pelo Criador, mas nem a si nem aos seus ele pode salvar se essa não for a vontade do Pai. Precisamos nos lembrar dessa verdade e glorificar a Deus pela vida continuamente, pois foi as Suas mãos que nos criaram e por  Sua soberana vontade temos inteligência que nos diferencia das outras criaturas, por isso mesmo devemos usar essa inteligência para compreender os Seus mandamentos e para fazermos conhecida a Sua Palavra. 

terça-feira, 2 de julho de 2013

A tua malícia te castigará, e as tuas apostasias te repreenderão; sabe, pois, e vê, que mal e quão amargo é deixares ao SENHOR teu Deus, e não teres em ti o meu temor, diz o Senhor DEUS dos Exércitos. Jeremias 2:19



 A mensagem do profeta Jeremias ao seu povo é um clamor para que retorne ao primeiro amor. Ele quer que o povo se lembre de quando era fiel, obediente e adorador. Mas infelizmente o povo não ouve o apelo e prefere viver nos mesmos caminhos pecaminosos dos seus pais; prefere andar em círculos, voltando sempre ao mesmo lugar e em vez de beber da água pura do manancial que jorra abundantemente, prefere cavar cisternas no deserto. Essa é também a realidade atual. Quantos não estão deixando de lado os caminhos do Senhor, em busca de prazeres mundanos? Quantos não estão saboreando o gosto amargo das consequências da desobediência? Quantos não estão sofrendo por conta de escolhas erradas?  O profeta Jeremias mostra ao povo a visão que teve, para alertá-lo sobre a sua decadência moral e espiritual, mas o povo teimoso prefere sofrer as consequências do orgulho e da teimosia, em vez de ouvir a voz do profeta e retornar ao primeiro amor. A imagem de um boi que quebra o seu jugo, não respeitando a Sua Autoridade Maior, a imagem de uma esposa infiel que se torna prostituta, e se prostitui em todo outeiro alto, embaixo de toda árvore verde! Entregue as suas idolatrias, a imagem da transformação de uma vide excelente, de uma sementeira fiel, perto do Senhor, para longe Dele, se tornar uma planta degenerada, como uma vide estranha! A imagem de uma pessoa tomando banho com muito salitre, sabão e que mesmo com muita lavagem e espumas, não conseguir se limpar, pois a iniquidade do Seu povo não seria esquecida pelo Senhor, a imagem de uma jumenta montês que no cio, sai em busca do vento, do seu macho, do que não é eterno, essencial...tornando-se presa fácil para seus inimigos, predadores! A imagem de um ladrão que é flagrado no seu roubo e é preso, envergonhado e humilhado!  Essas  ilustrações podem ser lidas no livro de Jeremias, no capítulo 2 e simbolizam o destino daquele povo desobediente, de igual modo o destino dos que ainda hoje apostatam da fé e abandonam os caminhos do Senhor. Quantos não estão fazendo o mesmo hoje, e em vez de ouvir as orientações dos profetas de Deus, preferem seguir seus próprios conselhos e continuam sofrendo as consequências dolorosas geradas pela teimosia e desobediência. Deus insiste em abrir os olhos do seu povo, mas não força entrada na vida de ninguém, por isso precisamos entender o recado do profeta e saber que se persistimos em nosso orgulho, em desobediência, na idolatria e na apostasia, seremos castigados por nossa própria malícia.  

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Efésios 6:16






 Vivemos em um mundo em que a violência e a falta de amor ao próximo tem prevalecido em detrimento do que a Palavra de Deus ensina. Os dardos inflamados do maligno não cessam e continuam a atingir a muitos. Sabemos que nenhum recurso  de segurança pode nos garantir o livramento da violência que impera, a não ser a segurança que temos em Deus. Armas, guarda costas, sistemas caríssimos de segurança eletrônica, nada disso funciona na prática, por essa razão devemos colocar nossa segurança nas mãos do Senhor. A Bíblia diz em Salmos 127:1 “Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.” Salmos 127:1. A Bíblia nos dá todas as orientações que nos ensinam como evitar os inevitáveis ataques dos demônios. Na carta aos Efésios o apostolo Paulo faz uma serie de advertências quanto à conduta ideal do cristão e nos alerta contra as investidas do inimigo para que possamos nos defender e também contra atacar, fortalecendo-nos no Senhor e no seu forte poder. Quando vestimos toda a armadura de Deus, ficamos  firmes contra as ciladas do diabo, pois a nossa luta não é contra pessoas, mas contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. Somente com o escudo da fé, poderemos apagar todas as setas inflamadas do maligno.