Traduza este blog

quarta-feira, 30 de abril de 2014

E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus Cristo. Atos dos Apóstolos 5:42

Lucas registra no Livro de Atos o envolvimento da Igreja que se formava para anunciar o Evangelho. O Livro de Atos ainda está sendo escrito pelos discípulos do Senhor Jesus e todo aquele que segue fazendo o que foi proposto por Jesus faz parte deste grupo. A mensagem de Jesus precisa ser levada a toda criatura e cabe a nós, que nos fizemos discípulos do Senhor, continuar a escrever esse livro todos os dias, em todas as casas, em todos os momentos possíveis. Anunciar a Jesus Cristo, testemunhar a Sua obra é uma obrigação de todo aquele que foi salvo e remido pelo Sangue vertido na Cruz. Seguir essa orientação deve ser algo natural e espontâneo. A ordem da já foi dada por Jesus, em Marcos 16:15 “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura”.

terça-feira, 29 de abril de 2014

E assim abençoou o SENHOR o último estado de Jó, mais do que o primeiro; (Jó 42:12)


Assim como fez a Jó, Deus permite que sejamos provados e aqueles que passam por essa prova sem deixar de honrar a Deus conquistarão vitórias. A história de Jó nos faz refletir sobre como lidamos com as tribulações e com a aparente ausência de Deus nesses momentos. E essa reflexão nos convida a mudar de atitudes em relação à nossa forma de nos relacionar com Deus e com as pessoas que Ele permitiu fazer parte de nossa vida. Muitas vezes Deus permite que passemos por lutas e tribulações para que nos fortaleçamos na fé e na esperança. Mas para isso precisamos saber qual é a nossa meta nesta vida. Quando temos um objetivo, traçamos um caminho e perseguimos o alvo de forma mais precisa. Quando não sabemos o que queremos, ou aonde chegar, corremos o risco de entrar por atalhos e de abortar as nossas bênçãos. Quem não tem paciência acaba por atropelas a ordem das coisas e não chega a lugar algum. Passa pela vida, não vive. Encontra pessoas e não estabelece vínculos porque não tem paciência de construir uma relação sólida e verdadeira. Quem não tem paciência edifica sua casa na areia, no primeiro terreno que encontra. E essas analogias servem para qualquer área da vida: no trabalho, na vida pessoal, sentimental, espiritual. Quem se impacienta e não consegue passar pelas etapas necessárias à edificação do alicerce não mantém o trabalho, não sustenta uma relação, não cresce espiritualmente. Um ditado popular diz que “o apressado come cru”. Isso significa que, por não esperar o momento ideal, perde o melhor sabor do alimento. Na vida secular tanto como na vida espiritual quem se apressa a colher o que ainda não está pronto também experimenta o sabor amargo. A Bíblia afirma que Jó foi muito mais abençoado em seu segundo estágio de vida do que no primeiro, as pessoas reconhecem Jó como o pai da paciência, mas de fato Jó foi menos paciente do que persistente. Foi por persistir em não deixar de honrar a Deus que foi duplamente honrado.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós. João 20:21


Esse versículo é parte do episódio em que Jesus aparece aos discípulos, após a Sua ressurreição. Tomé, um dos discípulos não estava presente e o duvidou de que fosse mesmo Jesus quando lhe contaram e só acreditou quando pode ver as marcas dos cravos na mão do Senhor. Jesus neste momento afirmou que bem aventurado é aquele que crê sem que precise ver, porque Jesus veio para ser portador das boas novas e para cumprir a promessa do Pai. Jesus veio para trazer a paz e para fazer discípulos que sejam portadores desta paz. E essa missão não se esgota com ascensão de Jesus aos céus. Ele deixou discípulos e Sua Palavra até hoje promove a formação de mais discípulos. E Jesus continua enviando-os como mensageiros da Palavra ao mundo para alcance o maior número possível de almas. Mas Ele espera que Seus discípulos jamais duvidem de que Ele é o Senhor e que não deixem de levar as boas novas aos que padecem na incredulidade.

domingo, 27 de abril de 2014

Mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens, como diz o profeta: Atos dos Apóstolos 7:48


Lucas faz essa observação no livro de Atos e mais à frente reafirma o que disse o profeta  Isaías 66:1 “Assim diz o SENHOR: O céu é o meu trono, e a terra o escabelo dos meus pés; que casa me edificaríeis vós? E qual seria o lugar do meu descanso?” . Essa pergunta nos faz refletir sobre os propósitos de Deus para nós. Salomão edificou um templo para Deus e é claro que Deus espera que Seus filhos lhes prestem culto, que cuidem com desvelo de Sua Casa, mas o que o Lucas afirma é que não é o templo físico que interessa a Deus. Ele quer a Sua Igreja reunida em oração e em sintonia com a Sua santa vontade. Mas dizer que não precisamos frequentar um lugar para adorar a Deus, usando esse versículo, é algo que não encontra respaldo bíblico, pois Deus afirma que onde duas ou mais pessoas estiverem reunidas em Seu nome ali Ele estará. Igreja é uma instituição divina, e a palavra Igreja” vem da palavra grega ekklesia (ἐκκλησία), que significa “assembleia” ou “reunião”. Ela é formada de duas palavras menores: ek (ἐκ) e kaleo (καλέω) ou “fora” e “chamar” que juntas têm o sentido de chamar para fora. Muito mais do que apenas um santuário de oração, a ekklesia primitiva era um lugar para companheirismo, onde os crentes oravam, estudavam, cuidavam dos doentes e compartilhavam refeições e não deve ser diferente hoje. Igreja é o Corpo de Cristo que se percebe como uma comunidade de um povo com um chamado especial. Não é um espaço social apenas, não é um edifício material, mas o santuário e a habitação do Senhor (Efésios 2:21-22). É um edifício espiritual, conforme descreve 1 Pedro 2:5 “Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo” .

sábado, 26 de abril de 2014

“E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno.”Apocalipse 1:18


As  chaves do inferno estão nas mãos de Jesus a quem foi dada toda a autoridade. Esta autoridade está a nossa disposição quando invocamos o nome de Jesus sobre nossas vidas e  afirmamos que Ele é o nosso Senhor e Salvador. Então herdamos o trono de glória, somos exaltados e honrados, nossos sonhos são restaurados e nossa vida liberta de todo cativeiro porque o Senhor nosso Deus abre todas as portas e rompe todo grilhão. O mundo jaz no maligno. E muitos estão escravizados pelos vícios. Mas os alicerces da terra são do nosso Deus e a terra é o estrado dos Seus pés, portanto a terra está sob seu poder, debaixo de toda a sua autoridade e soberania. Assim Deus olha ao aflito e responde, ergue-o do pó, retira-o do chão onde está caído, exalta Ao que foi humilhado e está no lixo e lhe entrega honra deixando como herança o trono de glória. Nada pertence ao diabo, tudo pertence a Deus, mesmo este mundo que se vê perdido e cheio de sujeira, mesmo assim ele pertence ao nosso Pai. Muitas vezes ouvimos que o diabo não tem a chave nem de sua casa e isso é comprovado pelas palavras descritas em Apocalipse, por isso essa palavra é para aqueles ques se sentem abatidos e impotentes diante dos problemas e das circunstâncias adversas que se apresentam em sua vida, em sua família, em seu trabalho. Deus é soberano e tudo pode. Essa deve ser a nossa certeza. Sempre.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

“A força e a dignidade são os seus vestidos, e, quanto ao dia de amanhã não tem preocupações.” (Provérbios 31:25)

Salomão está se referindo à mulher que, mesmo sem ser famosa, em usar roupas de grife, ou não ter uma posição de destaque e de reconhecimento na sociedade é digna de ser aplaudida por que serve ao Senhor e tem na Sua Palavra a sua base de vida e de conduta.  Deus tem na família o núcleo da sociedade, colocou o homem como sacerdote do lar, à mulher coube o papel de auxiliadora. Mas para que a instituição basilar, pensada pelo Senhor, seja firmemente estruturada, nos princípios bíblicos, é necessário que essa mulher seja, como afirma Salomão em Provérbios 31:10, uma mulher virtuosa.
A mulher virtuosa é uma mulher de muito valor e seu valor consiste na sua sabedoria, e a fonte dessa sabedoria é o seu temor ao Senhor, pois ela encontra Nele toda a força que necessita para ser virtuosa. A mulher que teme ao Senhor garante a estabilidade do lar.  É  uma lutadora pelo bem-estar da sua família e prevalece porque persiste, é determinada em tudo que faz. Não é mulher de meias palavras, nela se pode confiar. Suas atitudes são firmes e constantes, suas ações coerentes com suas palavras. A mulher virtuosa mantém-se digna, mesmo nas maiores dificuldades e não se corrompe sob a justificativa de barreiras e lutas enfrentadas. A mulher que teme ao Senhor é forte diante das fraquezas, porque Deus é seu escudo, e o mundo não a atrai. Ela enfrenta com distinção  as lutas no casamento, na criação dos filhos, nas batalhas do trabalho e do dia-a-dia. É uma mulher de luta, mas as  armas da sua luta não são físicas, sãoespirituais, por isso edifica a sua casa. Não foi à toa que Salomão recomendou para a edificação do lar uma mulher virtuosa, porque ela edifica e constrói os bons relacionamentos na sua família. A mulher virtuosa, auxiliadora do sacerdote do lar, sabe da sua importância na constituição da família cristã, por isso  não deixa o edifício a meio, perseverança é sua palavra de ordem.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar. Atos dos Apóstolos 2:39



Essa palavra diz respeito à fala de Pedro em relação à promessa do Senhor Jesus, quando nos exorta ao arrependimento e à necessidade de que cada um seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados e para que receba o dom do Espírito Santo. Mas precisamos nos lembrar de que todos somos criaturas de Deus e somos feitos filhos por uma escolha pessoal, uma decisão que é individual. Deus não tem netos, nem agregados e para ser filho de Deus é necessário uma atitude de entrega ao Seu chamado. Quando a Bíblia diz que muitos são chamados, mas poucos os escolhidos, ela está afirmando a necessidade de abrirmos o nosso coração ao chamado do Senhor. Portanto, aquele que tem ouvido e não se omite diante do chamado tomará posse da promessa. 

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Vê-lo-ei, mas não agora, contemplá-lo-ei, mas não de perto; uma estrela procederá de Jacó e um cetro subirá de Israel, que ferirá os termos dos moabitas, e destruirá todos os filhos de Sete. Números 24:17

Em um dos livros escritos por Moisés já se fazia referência a Jesus nessa profecia que dizia respeito à Israel, anunciando sobre o Senhor Jesus que viria como homem cerca de 1500 anos depois. A estrela que procederá de Jacó refere-se ao Senhor Jesus. Não foi por acaso que Ele disse "... Eu sou a luz do mundo". Essa profecia diz respeito ao nascimento de Jesus da descendência de Jacó, de Abraão, conforme a promessa de Deus. Para nós essa Estrela já nasceu e está por retornar à Terra com a promessa de levar consigo os que forem fieis. Nele temos direção, luz em nosso caminho e, sobretudo, salvação. Mas sabemos que muitos ainda esperam pelo Seu nascimento. Muitos estão sofrendo porque ainda não abriram seu coração para que Ele possa nascer ali e provocar a única e verdadeira revolução que transforma e resgata. Jesus, a Estrela d’Alva, a Estrela do amanhecer. 

terça-feira, 22 de abril de 2014

É semelhante ao homem que edificou uma casa, e cavou, e abriu bem fundo, e pôs os alicerces sobre a rocha; e, vindo a enchente, bateu com ímpeto a corrente naquela casa, e não a pôde abalar, porque estava fundada sobre a rocha. Lucas 6:48



A metáfora usada por Jesus nos faz refletir sobre sua aplicação tanto na nossa vida pessoal, como na vida da Igreja e na nossa edificação espiritual. Nenhuma construção se mantém firme se não tiver alicerces e de nada adianta a beleza de uma fachada se não tiver firmada em sólidos pilares. Assim também é na nossa vida pessoal, profissional, espiritual... Sem os alicerces os relacionamentos ruem, as relações comerciais trincam, a vida espiritual se desmorona. Mas há pessoas que constroem suas vidas pensando apenas nas fachadas ou nas emoções superficiais e se esquecem de que nenhum relacionamento sólido, seja ele com Deus, com os amigos, ou com o companheiro, pode ser construído num passe de mágica. Assim como uma casa bem alicerçada e edificada resiste ao vento e às tempestades, um relacionamento firmado na Palavra de Deus enfrenta as maiores crises e se mantém íntegro. A mensagem de Jesus nos convida a mudar de atitudes em relação à nossa forma de nos relacionar com Deus e com as pessoas que Ele permitiu fazer parte de nossa vida.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Porque, como os novos céus, e a nova terra, que hei de fazer, estarão diante da minha face, diz o Senhor, assim também há de estar a vossa posteridade e o vosso nome. Isaías 66:22


A promessa do Senhor é clara e com toda certeza como tudo que procede Dele é uma garantia, pois Deus não é homem para que minta. Entretanto, aquele que lê apenas a parte interessante e que toma posse tão somente do que lhe apraz ignora o que o Senhor revelou em  Apocalipse 2:10  “Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida”. Somente aqueles que perseverarem poderão colher as bênçãos anunciadas pelo profeta Isaías, pois o que Deus tem preparado para os escolhido é algo que ainda não pode ser descrito ou decifrado humanamente em palavras, como o próprio apóstolo Paulo nos disse em 1 Coríntios 2:9: "Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam”. Todas essas coisas são para aqueles que O mantêm em profunda reverência em amor, obedecendo-O prontamente e, com ações de graça, reconhecendo, em todo tempo e lugar, os benefícios que Ele os deu por honra.

domingo, 20 de abril de 2014

“Conservareis a memória daquele dia, celebrando-o como uma festa em honra do Senhor: Fareis isto de geração em geração, pois é uma instituição perpétua”. Êxodo 12:14



Enquanto o mundo comemora com ovos de chocolates, dando espaço ao coelho e à voz do consumismo que tira o foco do verdadeiro sentido desta festa, a comemoração da vitória sobre a morte. Os judeus em obediência a ordem de Deus em Êxodo 12:14 relembram esse dia comemorando a páscoa e os cristãos comemoram  a vitória  de Jesus sobre a morte. De certo modo, Êxodo 12:14 é uma referência ao sacrifício de Jesus, tendo sua morte como uma vitória contra a morte, uma travessia do mundo da escravidão do pecado que leva à morte, para a salvação pelo sangue de Jesus. Comemorar a Páscoa é celebrar a ressurreição de Jesus, Sua vitória sobre a morte e o pecado. Chocolates e coelhos são adaptações mundanas de outras culturas  e de celebrações a outros deuses, ardilosamente incorporadas para desviar a atenção do verdadeiro motivo da celebração. Mas lembremo-nos que Deus espera que Seus filhos continuem ouvindo e atendendo as Suas ordens e que não deixem de conservar a memória “Daquele dia”, que não deixem de celebrar a festa em honra do Senhor e que façam isso perpetuamente.

sábado, 19 de abril de 2014

Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus? (Gênesis 39:9-10)


Esse versículo narra parte da história de José, quando foi tentado pela mulher de Potifar. Vemos aí que ele resistiu, argumentando sabiamente ao alegar a lealdade que devia ao seu superior e o respeito e temor a Deus. Mas sabemos pela narrativa bíblica que, apesar de sua conduta irreprovável, a má intenção daquela mulher sedutora e infiel prevaleceu naquele momento. José manteve-se íntegro, fiel ao seu senhor e a Deus, mas mesmo assim foi injustamente acusado, caluniado e preso. Quantas pessoas não passam pela mesma situação, quando se veem injustiçados por atitudes de seus chefes, colegas, familiares,  amigos, ou de seu companheiro? Quem conhece a Palavra de Deus, ou melhor, quem conhece o Deus da Palavra sabe que Ele não muda e que a dupla honra e a reviravolta na vida José também é possível para aqueles que não mudam seu caráter ou sua conduta quando são vítimas “das mulheres de Potifar.” Mas aqueles que se deixam seduzir por ela, que ignoram o temor a Deus e a lealdade ao próximo, agindo com as regras do mundo, sob a alegação de que tratam como são tratados ou “para um esperto, um esperto e meio”, com toda certeza não alcançarão a bênção de Deus. A história de José nos faz refletir sobre a responsabilidade de nossas escolhas e sobre como a justiça de Deus alcança aqueles que não perdem sua integridade nem se deixam corromper pelas seduções do mundo.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Então orou Ana, e disse: O meu coração exulta ao SENHOR, o meu poder está exaltado no SENHOR; a minha boca se dilatou sobre os meus inimigos, porquanto me alegro na tua salvação. 1 Samuel 2:1


Esse versículo registra o cântico de Ana que, depois de se mostrar totalmente atribulada em todos os sentidos, conforme lemos no capitulo anterior. Depois de fazer  um voto a Deus  e receber   sua vitória  Ana muda de postura. Ela passava por várias situações tristes, mas agora traz um novo cântico de vitória. Seu coração estava mal, ela não comia por tristeza, não encontrava prazer nas coisas que tinha e se sentia afrontada pela rival que a provocava, para irritá-la, porque o Senhor lhe tinha cerrado a madre. Quantos não se encontram na mesma situação de Ana sofrendo humilhações e afrontas que tiram o sono,  apetite e a vontade de viver?  O segredo da virada na vida de Ana está demonstrado nos quatro verbos: orar, exultar, comunicar, alegrar. Ana orava em seu coração e seus lábios se moviam como se estivesse embriagada. Sem se importar com o que pudessem pensar dela, ela entregou de coração a declarar a Deus a sua confiança  e pode comunicar a alegria da salvação e da mudança em sua vida.  Paulo já disse em Filipenses 4:6 que as ações de graças são parte indispensável de nossas orações. Ana recebeu a graça se não se furtou a agradecer Àquele que ouviu a sua oração. Ana fez uma bela canção ao Senhor, louvando  a santidade "Não há santo como o Senhor; porque não há outro fora de ti; e rocha nenhuma há como o nosso Deus". (1 Samuel 2:2); o conhecimento "Não multipliqueis palavras de altivez, nem saiam coisas arrogantes da vossa boca; porque o Senhor é o Deus de conhecimento, e por ele são as obras pesadas na balança". (1 Samuel 2:3), o poder "O Senhor é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz tornar a subir dela". (1 Samuel 2:6) e a justiça "Os que contendem com o Senhor serão quebrantados, desde os céus trovejará sobre eles; o Senhor julgará as extremidades da terra; e dará força ao seu rei, e exaltará o poder do seu ungido". (1 Samuel 2:10) de Deus. A atitude de Ana está expressa em seu próprio nome que significa "graça". Ela exalta a graça divina, recebida em grande porção. Nós também recebemos uma incalculável porção de graça, quando Jesus ofereceu Sua própria vida para nos tirar do pecado e no livrou das afrontas do inimigo, dando-nos a alegria da salvação.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo. Gálatas 6:2



Em outras palavras, o apóstolo Paulo está dizendo “Ame seu próximo como a si mesmo”! Jesus veio para carregar nossas sobrecargas e nos livras do peso do pecado. Mas Ele pede que sejamos seus discípulos fazendo o que Ele faria. Por isso, mais do que apenas orar, ou perguntar o que podemos fazer para ajudar, somos chamados para servir, ministrar e assistir outros que estão sobrecarregados, tal qual Ele fez.  Ser cristão é levar a carga uns dos outros. Só assim cumpriremos a lei de Cristo, a lei da reciprocidade do amor, agindo com amore e com misericórdia. O mundo precisa de homens e mulheres que queiram servir a Deus, servindo os que estão aflitos, feridos e espoliados, com suas mazelas físicas, emocionais e espirituais. O cristão não pode se omitir, banalizar ou minimizar o sofrimento humano. Levar a carga uns dos outros é agir como Cristo agiria. É amar como Ele ama.

Bibliografia: http://www.icmv.org.br/BibliaOnline.aspx

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Aprendei a fazer bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas. Isaías 1:17


Observe que o profeta Isaías apresenta neste versículo cinco ordens, expressas ao empregar cinco verbos no imperativo: aprendei, procurai, ajudai, fazei e tratai. Não é por acaso que o versículo inicia com o verbo  `aprender`, pois para cumprir a exortação dos  demais verbos   para cumprir todas esses mandamentos é necessário aprender  a fazer o bem, a praticar o bem. E para fazer o bem não basta apenas ter desejo de faze-lo. É preciso aprendizado e conhecimento, por isso Paulo diz em Tiago 4:17: "Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado. Essa palavra corrobora o que dizze o profeta Jeremias também afirmou: "Deveras o meu povo está louco, já não me conhece; são filhos néscios, e não entendidos; são sábios para fazer mal, mas não sabem fazer o bem." Jeremias 4:22. Mas o profeta também nos ensina  a procurar o que é justo e isso só é possível se andarmos no caminho do Senhor, pois a justiça do mundo nem sempre se efetiva. Isaías nos ensina que devemos aprender a fazer o bem, a exercitar  o bem, e a fazer isso com sabedoria. E agir com sabedoria é fazer como faria Jesus ajudando os oprimidos, levando-os ao conhecimento de Cristo, o Único que pode aliviar suas cargas (Mateus 11:28); fazendo justiça aos órfãos (Zacarias 7:10); e cuidando das viúvas (I Timóteo 5:3).  

terça-feira, 15 de abril de 2014

Fui buscado dos que não perguntavam por mim, fui achado daqueles que não me buscavam; a uma nação que não se chamava do meu nome eu disse: Eis-me aqui. Eis-me aqui. (Isaías 65:1)






Desde que o homem cedeu espaço ao pecado e perdeu a ligação direta com Deus, a humanidade vive à procura da divindade. A religião de origem humana visa essa retomada do que o homem deixou no Éden. Mas a Bíblia nos apresenta um Deus que procura o ser humano, como nos mostra o profeta Isaías. Infelizmente, muitas religiões ainda insistem em procurar um Deus à imagem e semelhança dos homens, por isso algumas cultuam imagens, outras apregoam um deus que oferece bênçãos materiais, em detrimento do Deus que salva e liberta. Por essa razão muitos estão nas igrejas procurando bênçãos e não Aquele que abençoa. Mas enquanto a verdadeira mensagem bíblica não alcança muitos que têm o privilégio de ouvi-la, o verdadeiro e misericordioso Deus, por meio do Espírito Santo, tem falado aos corações daqueles que sentem um vazio que só pode ser preenchido por Ele, para muitos o “deus desconhecido” como Senhor. Desse, o homem não pode se esconder ou fugir. E assim como fez a Adão Deus alcança o mais improvável e vence a resistência dentro do homem. Não pela promessa de riqueza, mas pelo Seu indescritível amor.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR, e meu servo, a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá. Isaías 43:10




Aqueles que buscam o nome do Senhor, que amam a Deus e querem seguir a vontade dele fazem parte desse grupo seleto. Portanto Deus nos chama de testemunhas e nos chama de servos. É o próprio Deus quem nos fala, por intermédio do profeta que nós somos as pessoas que Ele escolheu para servi-Lo e adorá-Lo em espírito e em verdade. Esse mesmo Deus fala conosco e está presente nas nossas vidas mesmo quando não compreendemos essa presença. Ele nos guia e nos ajuda pelo Espírito Santo que nos consola em momentos em que precisamos de conforto, de amparo. Foi por isso que Ele afirmou em Isaías 43:1: “Mas agora, assim diz o SENHOR que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és meu. Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti.” Precisamos ter sempre em mente, mesmo diante da maior adversidade que, quando Deus age ninguém pode impedir.

domingo, 13 de abril de 2014

Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Mateus 11:28



Jesus nos dá essa palavra de força. Ele nos dá a chave da vitória. E nos ensina a sair do lugar em que estamos e tomar posse do nosso lugar de filho(a). Se buscamos primeiro o Reino de Deus e a Sua justiça. Se entregamos a Ele as nossas necessidades, certamente Ele cuidará de nós e nos dará na justa medida. Dará paz, mesmo em meio às lutas e tribulações, dará a provisão material, relacionamentos verdadeiramente sinceros e edificantes. Dará honra e dignidade diante dos homens. Se o Senhor prometeu, não há porque duvidar. Veja os exemplos de homens que creem e seguem a palavra de Deus. Suas vidas testemunham aquilo que muitos buscam em vão com suas próprias forças, agindo no seu próprio entendimento, sem buscar respaldo na Bíblia. E qual tem sido o resultado? O já esperado. Decepções, amarguras, solidão, desonra, tristezas, inconstância... Enfim, lutas vãs que apenas levam ao ponto de partida e a sensação de tempo perdido, de energia desperdiçada e o que é pior: o afastamento de Deus.

Bibliografia: http://www.icmv.org.br/BibliaOnline.aspx



















sábado, 12 de abril de 2014

Em lugar da vossa vergonha tereis dupla honra; e em lugar da afronta exultareis na vossa parte; por isso na sua terra possuirão o dobro, e terão perpétua alegria.” Isaías 61:7:



A promessa do Senhor é lembrada pelo profeta Isaías e nos faz pensar que, quando colocamos em Deus a nossa confiança, por mais que o homem nos decepcione, ou nos humilhe, nada pode abalar nossa fé. Quantas vezes somos afrontados, em nossa casa, em nosso trabalho e até mesmo na igreja, quando temos que suportar as investidas do inimigo nos diminuindo e nos fazendo parecer insignificantes ou incapazes de obter do Senhor as promessas? Mas o Senhor garante que aquele que não se afasta de Seus estatutos, aqueles que suportam com dignidade as afrontas, e por amor de Deus nome se mantêm firmes e confiantes, Ele não só há de amparar, mas transformará a vergonha em dupla honra.  Que promessa maravilhosa, para aqueles que são filhos e herdeiros. Você faz parte desses privilegiados? Há momentos difíceis em nossas vidas, diante dos quais não sabemos como seguir em frente, por tanta luta e provação. Isso acontece com todos, com os que temem e com os que desobedecem ao Senhor. O deserto pode ser lugar de crescimento na vida de quem sabe que não estará sozinho, mas também lugar de morte para aqueles que não sabem ou não têm autoridade para clamar ao Senhor como fez o salmista no versículo em epígrafe. Como filhos, temos o direito de reivindicar as promessas do Pai, certos de que Ele nos amparará e de que as lutas são passageiras e servirão para nos fortalecer. É preciso crer e esperar,  sabendo que a palavra de Deus não volta vazia e que tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus. Mas, note bem, daqueles que amam a Deus, diz Paulo, aos Romanos. E quem ama a Deus não desobedece aos Seus mandamentos não se associa aos ímpios e nem pratica a iniquidade.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

"E temos, mui firme, a palavra dos profetas, a qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro..." (2 Pedro 1:19).



O apóstolo nos alerta para ficarmos atentos ao pode ocorrer muito em breve: a vinda do Senhor Jesus. É uma promessa registrada em João 14:3: “E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também na Bíblia. Certamente trata-se da promessa mais esperada pelos cristãos, mas, infelizmente não é para todos, pois conforme diz a Bíblia é somente para “os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus”. (Apocalipse 14:12). Guardar os mandamentos e a fé é a condição para que possamos fazer parte daqueles que subirão com Jesus, na sua volta. Contudo, precisamos ficar atentos às palavras de Paulo em 1 Tessalonicenses 5:2-4, quando afirma que nenhum ser humano sabe o exato momento da vinda de Cristo. "Porque vós mesmos sabeis muito bem que o Dia do Senhor virá como o ladrão de noite. Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então, lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida; de modo nenhum escaparão. Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele Dia vos surpreenda como ladrão". Segundo Jesus, devemos estar atentos à palavra dos profetas, para conhecermos quão perto se encontra o dia de sua segunda volta: Portanto, obedecer aos mandamentos, apegar-se à fé em Jesus e não trocá-Lo por nada que o mundo lhe oferecer é a senha para a vida eterna ao Seu lado, “Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma?” Mateus 16:26

quinta-feira, 10 de abril de 2014

“Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus.” Filipenses 1: 6



O que Paulo afirma é a nossa certeza de que Jesus, mesmo que pareça distante jamais deixa de atender àquele que Nele espera. Aquele que decidiu seguir os passos de Jesus pode ter certo de que a partir do momento em que Ele nos toca, Ele nos transforma em novas criaturas e tudo começa a mudar em nós. Quando Ele nos toca, molda o nosso caráter e nos faz desenvolver qualidades morais que nos tipificam como cristãos legítimos. Mas muitas vezes essa transformação é dolorosa e envolve perdas, as quais nem sempre estamos dispostos a assumir, pois requerem enúncias e resistências. Deixar o governo do velho homem, sob o controle do mundo, implica decisão, mudança de atitude e resiliência.  As provas e lutas pelas quais passamos firmam o nosso caráter e nos imunizam contra as armadilhas do inimigo. Ele nos dá a temperança e a moderação que precisamos ter diante das afrontas, diante das tentações, diante das adversidades... Faz com que tenhamos um relacionamento saudável com a nossa família, e faz reinar a paz, o amor, a honra, o respeito, a obediência a verdadeira comunicação, a instrução, a disciplina... Ele molda o nosso interior, fazendo-nos perdoar a nós mesmos, abandonando as mágoas e os arrependimentos passados, vivendo no gozo do Espírito. Quando somos tocados por Cristo, o nosso relacionamento com o nosso cônjuge torna-se estável, e puro, dando lugar à comunicação, e à fidelidade. Ele molda a nossa língua, ensinando-nos a falar apenas a verdade, com gentileza, temperança, equilíbrio e sabedoria, afastando-nos de contendas, difamações, injurias e caluniar, e também das falsas lisonjas, da hipocrisia e do fingimento. Quando Jesus nos toca e quando somos fieis a Ele, tudo o que tocamos é abençoado: nossos bens, nosso trabalho, aqueles que estão a nossa volta... Quando nos revestimos do poder de Cristo e passamos a ter a mente de Cristo, Ele completa em nós a Sua obra, conforme disse Paulo.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

"Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do diabo; pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, conta os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniqüidade nas regiões celestes. Portanto tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, permanecer firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça, e calçando os pés com a preparação do evangelho da paz. Tomando, sobretudo, o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;" Efésios 6:11-17




Sofremos perseguições e temos inimigos até mesmos desconhecidos, pois no mundo espiritual há uma batalha constante contra nossas almas. Sabemos, contudo, que nossa luta não é contra a carne e o sangue e sim contra principados e potestades. Muitas vezes os homens são usados pelo inimigo de nossas almas para nos desviar do caminho, para nos causar tribulações e  nos entristecer. O seu objetivo é o de roubar nossa paz e nos fazer cair na fé. Por isso, precisamos conhecer o que está por detrás disso para não esmorecermos na fé. Não podemos baixar a guarda e nos entregar diante disso. Davi afirmou “Muitos são os meus perseguidores e os meus inimigos; mas não me desvio dos teus testemunhos.”(Salmos 119: 157). Se não nos desviarmos da vontade soberana de Deus, como ensina o salmista, não perecemos, ainda que um grande número de valentes venha sobre nós. Maior é Aquele a quem servimos do que a legião dominada por satanás. Somos vencedores em Cristo e isso é o verdadeiro testemunho. Nada poderá ser maior do que essa certeza. O diabo procura minar nossas forças, colocando pedras de tropeço, desviando nosso foco e nos atribulando com armadilhas. Muitas vezes usando pessoas próximas a nós. Mas é precisar entender que esses não são os nossos inimigos e que nossa força vem Daquele que reina soberano sobre todos e nos deu poder de dominar sobre todas as criaturas da terra. Isso inclui satanás e seus demônios. Isso inclui os nossos inimigos.

terça-feira, 8 de abril de 2014

“Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?” Romanos 8: 31-32

Muitas vezes ouvimos o mundo satirizando, zombando ou criticando aqueles que colocam sua confiança em Deus e podemos até dizer como Davi “Todos os que me vêem zombam de mim, estendem os lábios e meneiam a cabeça, dizendo:  Confiou no SENHOR, que o livre; livre-o, pois nele tem prazer.”(Salmos 22:7-8). E assim como o salmista que chegou a pensar que havia sido desamparado, quantos de nós passamos por situações nas quais pensamos que Deus nos desamparou, e também somos alvos das insinuações dos ímpios que zombam de nossa fé e querem colocar nosso Deus à prova, como se Ele não fosse capaz de nos livrar. Assim como o ladrão da cruz, que colocou sob suspeita o poder de Deus, instigando Jesus a mudar o curso do plano do Pai, muitos a nossa volta se atrevem a nos desafiar, desafiando Àquele no qual depositamos nossa confiança. Mas cremos e em um Deus poderoso e fiel que não deixa obras incompletas. E se Ele afirmou que estaria conosco até a consumação dos séculos, assim Ele o fará.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Então clamamos ao SENHOR Deus de nossos pais; e o SENHOR ouviu a nossa voz, e atentou para a nossa miséria, e para o nosso trabalho, e para a nossa opressão. Deuteronômio 26:7Moisés clama a Deus e afirma que Ele ouviu a sua voz e atentou para as suas necessidades, e com esse versículo atentamos para o fato de que Deus não mudou, não muda e jamais mudará, afinal, Ele é o mesmo ontem, hoje e o será eternamente, conforme nos assegura o autor de Hebreus 13: 8. Portanto, a revelação dada aos israelitas, por Moisés permanece válida ainda hoje. E se assim é, precisamos saber que o Senhor está atento para nos libertar e nos dar livramento. Precisamos nos lembrar de quem éramos antes da conversão, cientes de que somos novas criaturas e tudo se fez novo em nós, lembrando-nos sempre da misericórdia e bondade do Senhor que nos resgatou da morte eterna para uma vida abundante contemplando a Sua Glória. Se antes estávamos presos aos pecados e éramos guiados pelo diabo assim como os israelitas nas mãos dos egípcios, impondo sobre a grande servidão, pelos vícios, erros, pelas mentiras e atitudes e pensamentos errados, agora somos remidos pelo sangue de Jesus e podemos, assim como Moisés, clamar ao Senhor, com a certeza de que Ele ouvirá a nossa voz e se moverá em nossa direção e não n os deixará nas mãos do inimigo. Moisés clama a Deus e afirma que Ele ouviu a sua voz e atentou para as suas necessidades, e com esse versículo atentamos para o fato de que Deus não mudou, não muda e jamais mudará, afinal, Ele é o mesmo ontem, hoje e o será eternamente, conforme nos assegura o autor de Hebreus 13: 8. Portanto, a revelação dada aos israelitas, por Moisés permanece válida ainda hoje. E se assim é, precisamos saber que o Senhor está atento para nos libertar e nos dar livramento. Precisamos nos lembrar de quem éramos antes da conversão, cientes de que somos novas criaturas e tudo se fez novo em nós, lembrando-nos sempre da misericórdia e bondade do Senhor que nos resgatou da morte eterna para uma vida abundante contemplando a Sua Glória. Se antes estávamos presos aos pecados e éramos guiados pelo diabo assim como os israelitas nas mãos dos egípcios, impondo sobre a grande servidão, pelos vícios, erros, pelas mentiras e atitudes e pensamentos errados, agora somos remidos pelo sangue de Jesus e podemos, assim como Moisés, clamar ao Senhor, com a certeza de que Ele ouvirá a nossa voz e se moverá em nossa direção e não n os deixará nas mãos do inimigo. Moisés clama a Deus e afirma que Ele ouviu a sua voz e atentou para as suas necessidades, e com esse versículo atentamos para o fato de que Deus não mudou, não muda e jamais mudará, afinal, Ele é o mesmo ontem, hoje e o será eternamente, conforme nos assegura o autor de Hebreus 13: 8. Portanto, a revelação dada aos israelitas, por Moisés permanece válida ainda hoje. E se assim é, precisamos saber que o Senhor está atento para nos libertar e nos dar livramento. Precisamos nos lembrar de quem éramos antes da conversão, cientes de que somos novas criaturas e tudo se fez novo em nós, lembrando-nos sempre da misericórdia e bondade do Senhor que nos resgatou da morte eterna para uma vida abundante contemplando a Sua Glória. Se antes estávamos presos aos pecados e éramos guiados pelo diabo assim como os israelitas nas mãos dos egípcios, impondo sobre a grande servidão, pelos vícios, erros, pelas mentiras e atitudes e pensamentos errados, agora somos remidos pelo sangue de Jesus e podemos, assim como Moisés, clamar ao Senhor, com a certeza de que Ele ouvirá a nossa voz e se moverá em nossa direção e não n os deixará nas mãos do inimigo.




Moisés clama a Deus e afirma que Ele ouviu a sua voz e atentou para as suas necessidades, e com esse versículo atentamos para o fato de que Deus não mudou, não muda e jamais mudará, afinal, Ele é o mesmo ontem, hoje e o será eternamente, conforme nos assegura o autor de Hebreus 13: 8. Portanto, a revelação  dada aos israelitas, por Moisés permanece válida ainda hoje. E se assim é, precisamos saber que o Senhor está atento para nos libertar e nos dar livramento. Precisamos nos lembrar de quem éramos antes da conversão, cientes de que somos novas criaturas e tudo se fez novo em nós, lembrando-nos sempre da misericórdia e bondade do Senhor que nos resgatou da morte eterna para uma vida abundante contemplando a Sua Glória.  Se antes estávamos presos aos pecados e éramos guiados pelo diabo assim como os israelitas nas mãos dos egípcios, impondo sobre a grande servidão, pelos vícios, erros, pelas mentiras e atitudes e pensamentos errados, agora somos remidos pelo sangue de Jesus  e podemos, assim como Moisés, clamar ao Senhor, com a certeza de que Ele ouvirá a nossa voz e se moverá em nossa direção e não n os deixará nas mãos do inimigo.

domingo, 6 de abril de 2014

“Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação”. (Habacuque 3: 17-18).completem a obra, para que a forte disposição de realizá-la seja igualada pelo zelo em concluí-la, de acordo com os bens que vocês possuem. (2 Coríntios 8:11)




Assim como o profeta Habacuque, devemos afirmar nossa certeza Naquele que pode todas as coisas e como Davi podemos estar seguro de que alcançaremos a vitória, porque Deus conhece a cada um e por amor a nós enviou o Seu próprio Filho para a morte de cruz para que possamos afirmar com convicção assim como  o salmista afirmou “Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece” (Romanos 8:31). Davi a passava por situações difíceis como a  de muitas pessoas hoje e, assim como nós, ele provavelmente sentia  saudades de um  tempo de sua vida, sentia solidão ou privação de algo que lhe era caro. Mas, como homem comprometido com Deus, ele tomou atitudes que o fizeram vencer essa etapa. Pessoas comprometidas com Deus não deixam as coisas espirituais apenas para os dias de culto e vivem longe de Deus nos outros dias da semana. Jesus é uma realidade constante na suas vidas. A esperança do cristão convicto está em Deus, sempre. O homem e a mulher de Deus têm princípios firmes, inabaláveis, porque  conhecem a Palavra de Deus, conhecem verdadeiramente aquele em  quem creem e estão prontos a responderem a quem pergunta a razão da sua fé. Esperam em Deus, exercitando a sua  fé, testemunhando o sobrenatural em suas vidas, como ensina I Pedro 3 : 15 “Antes, santificai ao SENHOR Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós”. Os que guardam princípios são seguros e não temem nada. Por isso são convictos e inabaláveis, por isso podem continuar firmes ainda que venham as adversidades.

sábado, 5 de abril de 2014

“Acautelai-vos primeiramente do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia”. (Lucas 12:1b).



Jesus usa a figura do fermento para nos mostrar que devemos ficar longe daqueles que promovem a fofoca, a dissensão no meio do povo de Deus. Na Sua época, assim como hoje, havia os religiosos, os questionadores... Mas lembremos que foram eles que crucificaram Jesus, os escribas, os fariseus. Essa palavra nos exorta a fugir dos religiosos, lembrando as palavras de Cristo quando nos ensina que religioso é como erva daninha, nasce em todo lugar. São aqueles que se preocupam com as normas, com o que não está de acordo com os dogmas. E quem disse que Deus se encaixa em normas humanas?  Se Jesus  quer nos curar apenas com a palavra,  Ele assim o faz, se Ele quer usar a unção, o lodo, ou outra pessoa, Ele também o faz, porque é soberano. Deus não depende de nossa fé para operar, mas nossa fé colabora, ao passo que a incredulidade bloqueia a ação de Deus.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

“E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos pés, naquele dia que estou preparando, diz o SENHOR dos Exércitos”. Malaquias 4: 3


A promessa de Deus expressa pelo profeta Malaquias é bem clara: nós vamos pisar os perversos. Vamos pisar no inimigo e seu chefe: satanás. Essa palavra é confirmada por Paulo em Romanos 16:20: “E o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo dos vossos pés”.  Mas isso também pressupõe uma atitude de obediência aos mandamentos, aos estatutos, aos preceitos de Deus, dados para que os cumpramos. E se somos cumpridores seremos recompensados. Se não, seremos punidos com o juízo. Quem obedece é honrado, mas aquele que vai à presença do juiz e é achado em falta, depois de pesado na balança, a esse resta a condenação. Deus é juiz e quando julga faz justiça. A Bíblia nos dá o exemplo de Belsazar, filho de  Nabucodonosor, que fez o que era abominável aos olhos de Deus, quando  mandou trazer os vasos de ouro e de prata do templo do Senhor, para neles beber vinho. Ele transgrediu a lei, bebendo o vinho, e louvando  aos deuses de ouro, de prata, de bronze, de ferro, de madeira, e de pedra. Se formos pesado na balança  e em nós não for encontrada falta, seremos recompensados.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

“Escondi a Tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra Ti”(Salmo 119:11).



O salmista nos mostra a chave para obtermos a vitória: esconder a palavra de Deus no coração. Esconder tem o sentido que colocar em prática, para não pecar. Não adianta apenas conhecer a palavra sem viver o que ela preconiza.  É preciso verdadeiramente conhecer a Cristo e não apenas falar em nome Dele. A Bíblia nos mostra o episódio  narrado em Atos 19: 13-15  “E alguns dos exorcistas judeus ambulantes tentavam invocar o nome do Senhor Jesus sobre os que tinham espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus a quem Paulo prega. E os que faziam isto eram sete filhos de Ceva, judeu, principal dos sacerdotes. Respondendo, porém, o espírito maligno, disse: Conheço a Jesus, e bem sei quem é Paulo; mas vós quem sois?” Isso significa que não adianta apenas ter conhecimento teórico e não viver o que sabe. O Senhor espera que nossas atitudes sejam coerentes. Quem diz que é cristão não pode fazer aquilo que Cristo não aprovaria. O diabo não tem nenhum poder sobre a vida de quem guarda a Palavra, pois ela nos concede o privilégio de estarmos sob a proteção do Senhor. Não há crise se estamos em Cristo. Não seremos atingidos, pois pertencemos á família de Deus. Mas o diabo não quer que tenhamos conhecimento acerca dos nossos direitos, pois se conhecemos, somos livres de suas investidas. Se estamos  em Cristo ele não pode nos tocar e ele sabe disso. Se sabemos que o diabo não pode nos tocar, não paramos mediante as investidas dele. A palavra de Deus em Tiago 4:7diz:  “Resisti ao diabo, e ele fugirá de vós”. Fazendo isso, não precisamos ter medo, temos que confiar e saber que o Senhor é Deus. Se há crise, não importa, assegurou o bispo, estaremos em Cristo e não em crise.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

“Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra”. (Oseias 6:3)

O diabo usa a nossa ignorância para ter domínio sobre nossa vida, por isso o profeta Oseias afirmou que o povo perece por falta de conhecimento. Mas quando a Igreja, o povo de Deus, conhece a vontade de Deus Ele vai a cada dia  abrindo as portas. Mas conhecer a Deus significa ter relacionamento com Ele e não apenas saber quem Ele é. Isso até o diabo sabe. O que nos mantém em segurança é estar em sintonia com Deus. Não adianta invocar o nome de Jesus se não O conhecemos. Invocar significa servir, adorar e se entregar a  Deus. Quando temos conhecimento que o diabo não pode nos tocar, que não depende do que sentimos, mas do poder de Deus, nossa vida é traçada. Deus estará conosco na angústia e nos glorificará. Glorificar é fazer brilhar. As promessas do Senhor são ainda maiores. Isso significa que nos acrescentará dias com saúde e abastança. E nos mostrará a salvação. Tendo conhecimento e continuando a conhecer, porque Deus tem muito mais para aqueles que O conhecem. Jesus nunca prometeu que não passaríamos por lutas. Mas disse que estaria conosco todos os dias e que já venceu por nós. Na cruz do calvário, as Suas últimas palavras foram: “ ... Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito”. Assim, já entramos na luta como vencedores. Com a certeza da vitória, pelo Senhor, por isso é preciso que tomemos posição  e sigamos o conselho de Oseias.

terça-feira, 1 de abril de 2014

“Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: Desarraiga-te daqui, e planta-te no mar; e ela vos obedeceria”. Lucas 17:6




Para o milagre acontecer é preciso ter fé. Essa é uma lição que devemos aprender, colocando-a em prática. Sem fé não se pode fazer absolutamente nada.  Qualquer que seja a situação ela só pode ser revertida com a fé. Mas Jesus, neste versículo nos ensina também que é necessário determinar o que se quer, explícito nas palavras firmes de Jesus no versículo 23  “Porque em verdade vos digo que qualquer que disser ...”. É preciso ter fé e determinar, proferir com os lábios o quer se que aconteça.  Com o coração se crê e com os lábios se confessa. O que pode ser impossível para o homem vem à luz pela fé. Jesus usou a figura do grão de mostarda para nos mostrar que a fé pode ser pequena, mas o seu fruto pode ser grande. O grão de mostarda é um minúsculo grão, mas sua planta é grande. O que significa que por menor que seja a fé ela pode trazer a vida coisas bem maiores, se lançada em lugar certo. Crer em Deus, proferir o que se espera, mas em duvidar. Eis outro ponto que move o mecanismo do milagre, afirmou o bispo. É preciso, pois, treinar o coração para não vacilar, porque muitas vezes a boca confessa, no entanto, o coração vacila. O coração representa a alma e ela deve confiar em Deus, pelo que Ele ainda irá fazer, o que pode ser impossível para nós e para toda a humanidade, mas para Deus nada é impossível.