Traduza este blog

terça-feira, 29 de abril de 2014

E assim abençoou o SENHOR o último estado de Jó, mais do que o primeiro; (Jó 42:12)


Assim como fez a Jó, Deus permite que sejamos provados e aqueles que passam por essa prova sem deixar de honrar a Deus conquistarão vitórias. A história de Jó nos faz refletir sobre como lidamos com as tribulações e com a aparente ausência de Deus nesses momentos. E essa reflexão nos convida a mudar de atitudes em relação à nossa forma de nos relacionar com Deus e com as pessoas que Ele permitiu fazer parte de nossa vida. Muitas vezes Deus permite que passemos por lutas e tribulações para que nos fortaleçamos na fé e na esperança. Mas para isso precisamos saber qual é a nossa meta nesta vida. Quando temos um objetivo, traçamos um caminho e perseguimos o alvo de forma mais precisa. Quando não sabemos o que queremos, ou aonde chegar, corremos o risco de entrar por atalhos e de abortar as nossas bênçãos. Quem não tem paciência acaba por atropelas a ordem das coisas e não chega a lugar algum. Passa pela vida, não vive. Encontra pessoas e não estabelece vínculos porque não tem paciência de construir uma relação sólida e verdadeira. Quem não tem paciência edifica sua casa na areia, no primeiro terreno que encontra. E essas analogias servem para qualquer área da vida: no trabalho, na vida pessoal, sentimental, espiritual. Quem se impacienta e não consegue passar pelas etapas necessárias à edificação do alicerce não mantém o trabalho, não sustenta uma relação, não cresce espiritualmente. Um ditado popular diz que “o apressado come cru”. Isso significa que, por não esperar o momento ideal, perde o melhor sabor do alimento. Na vida secular tanto como na vida espiritual quem se apressa a colher o que ainda não está pronto também experimenta o sabor amargo. A Bíblia afirma que Jó foi muito mais abençoado em seu segundo estágio de vida do que no primeiro, as pessoas reconhecem Jó como o pai da paciência, mas de fato Jó foi menos paciente do que persistente. Foi por persistir em não deixar de honrar a Deus que foi duplamente honrado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!