Traduza este blog

sábado, 31 de janeiro de 2015

Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. Salmos 91:11



O salmista nos lembra sobre o privilégio de estarmos sob a proteção do Senhor. Não há crise se estamos em Cristo. Não seremos atingidos, pois pertencemos á família de Deus. Obviamente, o diabo não quer que tenhamos conhecimento acerca dos nossos direitos, pois se conhecemos, estaremos livres de suas investidas. Quando estamos em Cristo ele não pode nos tocar e sabe disso. Mas faz de tudo para que não compreendamos o que isso significa, por é preciso verdadeiramente conhecer a Cristo e não apenas falar em nome Dele. A Bíblia deixa isso bem claro no episódio  narrado em Atos 19: 13-15  “E alguns dos exorcistas judeus ambulantes tentavam invocar o nome do Senhor Jesus sobre os que tinham espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus a quem Paulo prega. E os que faziam isto eram sete filhos de Ceva, judeu, principal dos sacerdotes. Respondendo, porém, o espírito maligno, disse: Conheço a Jesus, e bem sei quem é Paulo; mas vós quem sois?” Isso significa que não basta apenas ter conhecimento teórico, estudar teologia e  não viver o que sabe. Não praticar a Palavra como nos ensina o salmista o no Salmo 119:11 “Escondi a Tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra Ti” Mais do que ouvir, estudar e divulgar a Palavra é imprescindível que Igreja prossiga praticando. Se sabemos que o diabo não pode nos tocar, não paramos mediante as investidas dele. A palavra de Deus em Tiago 4:7diz:  “Resisti ao diabo, e ele fugirá de vós”. Assim, não precisamos ter medo, temos que confiar e saber que o Senhor é Deus. Se a  vier crise, não importa, estaremos em Cristo e não em crise. Conhecer e agir, de acordo com a vontade de nosso Deus, pois Ele é poderoso e não há impossível para Ele. Porque Ele é o Deus do impossível que nos diz:

Fartá-lo-ei com longura de dias, e lhe mostrarei a minha salvação. Salmos 91:16

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

“Então disse ele: Vai, e dize a este povo: Ouvis, de fato, e não entendeis, e vedes, em verdade, mas não percebeis. Engorda o coração deste povo, e faze-lhe pesados os ouvidos, e fecha-lhe os olhos; para que ele não veja com os seus olhos, e não ouça com os seus ouvidos, nem entenda com o seu coração, nem se converta e seja sarado” Isaias 6: 9-10



Nem sempre entendemos o que ouvimos, muitos são os que saem dos cultos e não guardam a palavra no coração, e assim continuam a viver do mesmo modo, ignorando o que foi dito. Todos temos o que aprender com a palavra de Deus, do mais novo ao ancião. Por isso devemos ler e estudar a Bíblia, aprendendo a cada dia, pois a palavra fala de forma diferente em nosso coração, de acordo com nossas experiências e maturidade na leitura. Quando Jesus disse para pregarmos o evangelho aos perdidos, Ele deixa claro que os sinais vão acontecer quando o Espírito tocar o coração. Não adianta ler a palavra sem a orientação do Espírito, pois é Ele que nos convence do pecado e do juízo. De nada adianta frequentar a igreja, orar, jejuar, se nosso coração não tiver em Deus. A palavra de Deus não pode ser lida como literatura, poesia, ou romance. Podemos ter cultura, isso é desejável, mas de nada adianta se não tivermos orientação espiritual, porque a Palavra de Deus vem em primeiro lugar. E precisamos aprender a Palavra de Deus, independente de nossa formação acadêmica ou intelectual, pois conhecer a palavra é essencial para vivermos e praticá-la, compreendendo plenamente as parábolas de Jesus. Quando entendemos e temos comunhão, os milagres começam a acontecer e nossos ouvidos estão prontos para ouvir. Aí estaremos prontos para resgatar vidas, a ter compromisso, a ter comunhão e unidade e principalmente para a obedecer o que ordenou Jesus em Mateus 28:29.

Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos. Tiago 1:8

Há pessoas que só buscam a Deus em momentos de crise, quando deveriam saber que buscar ao Senhor em todos os momentos é o melhor que se tem a fazer. Nós só frutificamos onde Deus nos  plantou, porque o Senhor sabe o que tem preparado a nosso respeito nesse lugar e conhece o nosso potencial. Mas infelizmente há cristãos que não se firmam, que não persistem e ora estão em uma igreja, ora estão em outra sem estabelecerem vínculos. Quem conhece a Palavra de Deus compreende que devemos ter raízes antes de florescer. É a raiz que dá firmeza e sustentação para quando vier a tempestade. Firmeza como o bambu chinês, que leva cerca de nove anos para fixar suas raízes sob a terra e seis meses apenas para crescer nove metros. Em analogia com nossa vida cristã, ele lembrou que nossa vida de oração e nossa comunhão com Deus é que vão definir nossa firmeza diante dos impasses e reveses da vida. Tal qual o bambu chinês, para permanecer de pé, o cristão deve estar firme e assim também pode ser flexível, porque é forte no interior e não importa a intensidade dos ventos, ele se curva, mas não se quebra. O vento passa, as tempestades vão, mas ele continua firme. Vai com ousadia em direção aos ares sem temer o vento. Mas o cristão precisa estar atento ao que diz o apóstolo Paulo:

 Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. Efésios 4:14

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

“Enganoso é o coração, mais do que todas as cousas, e desesperadamente corrupto, quem o conhecerá?” Jeremias 17:9



O profeta Jeremias nos faz refletir sobre a importância de dar ouvidos à voz do Senhor está presente em nossas vidas assim como a voz de um pastor de ovelhas, pois as vozes estranhas e o eco que fazem em nosso coração muitas vezes nos fazem sair do caminho.  Assim devemos agir como as os ovelhas que seguem o pastor pela sua voz e têm nele segurança, a certeza de chegar a algum lugar para receberem  descanso e alimento. As ovelhas não  dão ouvidos à outras vozes senão a de seu pastor. Jesus é o bom pastor que deu a vida pelas suas ovelhas. E Deus colocou sobre nós líderes a nos pastorear, a nos indicar um caminho seguro a seguir. Não duvidar do Pastor é o primeiro passo para quem quer ser seguidor de Jesus. O Pastor sabe onde está o verdadeiro alimento, o lugar melhor, mesmo que para chegar lá seja preciso atravessar um deserto. O Pastor conhece o melhor caminho, sabe cuidar de suas ovelhas. Se  duvidamos, começamos a dar ouvidos à outras vozes que não a do Pastor e nos perdemos, como ovelhas desgarradas.
Não se deixe enganar por vozes diferentes, mesmo que ela venha de seu próprio coração, pois como disse o profeta o nosso coração é enganoso. Aprendamos a ser como ovelhas, aprendendo a conhecer o nosso Pastor.


E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz. (João 10:4)

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

“E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12:2).


Bíblia narra, no evangelho de Marcos 10:46- a história de um homem cego que mendigava à beira do caminho. Esse  homem era cego e mendigo, e desprezado pela sociedade. Fazendo  uma analogia com as nossas vidas, podemos entender que quando não enxergamos verdadeiramente a fonte de vida eterna, somos mendigos. Passamos pela vida aceitando as migalhas do mundo, enquanto poderíamos gozar de tudo aquilo que nos é direito de herdeiros do Rei. Somos cegos, quando, mesmo tendo todas as evidencias diante de nós, insistimos em manter uma venda nos olhos e em não enxergar os buracos no caminho, as sujeiras que o mundo nos oferece como iguaria. Enquanto poderíamos nos assentar à mesa do Pai. Mas vemos que Bartimeu, embora fosse cego e mendigo, não era surdo, nem mudo. Ao ver Jesus passar ele clamou “Jesus filho de Davi tenha compaixão de mim”.  Se também nós abrirmos a nossa boca Ele nos atenderá, pois nos diz “clama a mim e eu te responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não o sabes” (Jeremias 33:3). O profeta Isaias 35:5-6 nos diz Então os olhos dos cegos serão abertos, e os ouvidos dos surdos se abrirão”. O profeta afirma que chegará um dia em que os olhos dos cegos e os ouvidos dos surdos se abrirão, mas certamente ele não fala da cegueira e da surdez literal e sim da surdez e cegueira metafórica. Cegos são aqueles que podendo ver, não conseguem discernir o que estão vendo. A cegueira ou a surdez não são fenômenos físicos, mas espirituais e é sobre isso que nos fala o profeta. Somente pela ação do Espírito isso pode ser desfeito, somente assim os olhos dos cegos  e os ouvidos dos surdos se abrirão para que a vida de mendicância seja deixada para trás e se possa dizer 
       
"...só sei que eu era cego e agora vejo..." João 9:1-34

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

“E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos pés, naquele dia que estou preparando, diz o SENHOR dos Exércitos”. Malaquias 4: 3



A promessa de Deus expressa pelo profeta é bem clara: nós vamos pisar os perversos. Vamos pisar no inimigo e seu chefe: satanás. Por isso o apóstolo Paulo afirma em Romanos 16:20: “Romanos 16:20 E o Deus de paz esmagará em breve satanás debaixo dos vossos pés”.  Os mandamentos, de Deus foram dados para que os cumpramos. E o princípio de Deus é imutável: se cumprirmos os estatutos seremos recompensados. Se não, seremos punidos com o juízo. Quem obedece é honrado, mas aquele que vai à presença do juiz e é achado em falta, depois de pesado na balança, a esse  resta a condenação. Deus é o justo juiz e quando formos pesado na balança  e em nós não for encontrada falta, seremos recompensados. 
A palavra de Deus dita em  um tempo distante é atual. E hoje ela nos diz que o Senhor vai fazer um dia glorioso na nossa vida a depender do quebrantamento de nosso coração na presença de Deus, porque um coração soberbo o Senhor abate. Pisaremos os nossos inimigos, mas antes temos que nos humilhar debaixo da soberana mão de Deus, que no Seu tempo nos exaltará.
O sol da justiça nascerá pela manhã, pois pela manhã as misericórdias do Senhor se renovam. As bênçãos virão. O que Deus tem preparado para nós nem se compara com o que já vimos ou experimentamos. Trazendo em suas asas salvação, libertação, garante-nos o apóstolo Paulo

Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu,e não subiram ao coração do homem,são as que Deus preparou para os que o amam. 1 Coríntios 2:9

domingo, 25 de janeiro de 2015

“Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado;”. (Hebreus 3:13)



O autor de Hebreus nos exorta a ter zelo com nossos irmãos em Cristo, cuidando para que se mantenham firmes na Palavra, e de igual forma que nada lhes falte. “Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta”. (Tiago 2:26). Não se trata de viver a vida do irmão ou de meter na sua intimidade, mas de abrir-lhe a mente para que possa enxergar à luz da Palavra se porventura errar. Exortar o irmão a trilhar o bom caminho, é um dos conselhos do Senhor dado a nós em Tiago 5:19-20: “Irmãos, se algum dentre vós se tem desviado da verdade, e alguém o converter, saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador, salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados”. Para vivermos em comunhão na igreja, antes será preciso compreender que somos irmãos de sangue. Somos feitos família de Cristo pelo sangue que Jesus verteu na cruz. Sim, e por Ele estamos ligados uns aos outros, por isso temos, como família, o dever de cuidar uns dos outros, como nos adverte  Paulo em 1 Timóteo 5:8:


“Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel”.

sábado, 24 de janeiro de 2015

“Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo; Retendo a palavra da vida, para que no dia de Cristo possa gloriar-me de não ter corrido nem trabalhado em vão”. (Filipenses 2:15,16)


O apóstolo Paulo nos lembra de que nosso corpo é parte do Corpo de Cristo e por essa razão precisamos cuidar dele sem dar lugar ao pecado para que possamos nos apresentar a Deus irrepreensíveis. No Reino de Deus a teoria de que são os opostos é que se atraem não se sustenta. Ocorre exatamente o contrário: afins é que se atraem. Isso quer dizer quem servo de Deus jamais se sentirá bem ao lado de pessoas que vivem para o pecado. Quem vive em busca de santidade não se enamora do pecado. De igual modo, quem ama o pecado, a mentira e o engano do mundo não se sente à vontade entre os filhos de Deus. Não há como estar na Casa de Deus e se sentir bem fazendo parte da roda dos escarnecedores. Quem conhece a palavra de Deus vive em coerência com a vontade de Deus. Quem tem o Espírito de Deus é atraído para as coisas de Deus e só se sente bem na casa do Pai. Mas quem tem o espírito do mundo procura as coisas e pessoas do mundo e não se ajusta às coisas e pessoas de Deus. O  Senhor chama os Seus a um posicionamento, para que vivam para Ele e estejam mortos para as obras da carne:

“Nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça.” (Romanos 6:13)

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

"E disse-lhe o SENHOR: Quem fez a boca do homem? ou quem fez o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego? Não sou eu, o SENHOR? Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar".1. Êxodo 4:11-12


Esse trecho traz a resposta de Deus a Moisés, quando com ele se encontrou junto à sarça ardente e lhe conferiu um mandato para tirar Israel da escravidão. Mas a reação de Moisés diante dessa missão foi a mesma que muitos têm manifestado nos dias de hoje.  Mesmo tendo recebido a ordem Daquele que pode capacitar o mais limitado dos mortais e jamais deixou de estar com aqueles a quem enviou para as batalhas com a sua unção, Moisés que já havia recebido o poder o Deus em diversas vezes não cria que Deus poderia “estar com a sua boca” e lhe orientar a fala. Faltava-lhe confiança em si próprio reconhecendo que a sua força, poder, ou eloquência não seria mérito seu, mas do Senhor. Vemos que apesar de toda a ação de Deus em sua vida, mesmo tendo sido o portador das promessas e instrumento de Deus na vida do povo de Israel na realização de milagres, Moisés ficou fora da Terra Prometida.  
Não foi em vão que essa situação ficou registrada na Bíblia, tampouco injustiça ou falta de consideração de Deus para com o servo que tanto lhe serviu. O propósito de Deus foi mostrar às gerações vindouras para que aprendam com a falta de fé de Moisés e possam agir de forma diferente. Quando Deus nos der uma ordem ou nos comissionar jamais devemos falar como Moisés persistiu. “Mande outra pessoa!” Com toda certeza, se Deus nos envia é porque nos capacita e se nos manda abrir a nossa boca Ele diz:


"E ponho as minhas palavras na tua boca, e te cubro com a sombra da minha mão; para plantar os céus, e para fundar a terra, e para dizer a Sião: Tu és o meu povo".2. Isaías 51:16

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

E chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me. Marcos 8:34




A Cruz não é um pedaço de madeira, ou um símbolo, uma joia que se ostenta, tampouco um sinal de bendição que se faz como um ritual. A Cruz é um estilo de vida! É a confirmação de nossa vontade de seguir Jesus em todos os sentidos, fazendo a Sua vontade, seguindo os Seus passos. Esse é o sentido de negar a si mesmo, e para fazermos isso não há outra forma a não ser matar os desejos pecaminosos da nossa carne, abandonar nosso orgulho e egoísmo, preocupando-nos com as necessidades dos outros, assim como Jesus. A Cruz não um fardo para carregar, ela é a nossa honra e o meio de conhecermos a Deus e experimentarmos Sua perfeita vontade. Carregar a Cruz é uma opção, não uma obrigação, mas se assim escolhermos devemos atentar para essas palavras registradas em Lucas 9:62:

“E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus”.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

“Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão de pecados” (1Pedro 4.8)




Jesus ensinou o amor em todas as suas formas e deixou claro que temos de ser compassivos. Isso significa que precisamos sentir em nós o sofrimento dos que estão sofrendo. Se nos espelhamos em Cristo, compreendemos que não é cristão ficar questionando a fé de quem já foi profundamente machucado e por algum motivo tem dificuldade de congregar. Nosso papel como embaixadores de Cristo e comissionados por Ele para cumprir o IDE é sermos instrumentos de Deus para levantar o caído, restaurar o destruído, sarar o doente de alma, buscar o perdido. Jamais agir como agente de policiamento. Em vez de deixar de lado o amigo, o colega, o vizinho que não conhece a Palavra ou zomba dos cristãos, a orientação de Jesus é ir ao seu socorro e mostrar a ele que Cristo não é como aquelas pessoas que o feriram, ou como os adeptos de religiões que ignoram o amor. Esse é o modo cristão – e poderá ajudar a cobrir uma multidão de pecados. O Senhor espera que façamos parte do grupo dos que dão comida a quem tem fome e não dos que negam alimento a quem agoniza, faminto, à beira da estrada.


E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão. 1 João 4:21

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Vos aperfeiçoe em toda a boa obra, para fazerdes a sua vontade, operando em vós o que perante ele é agradável por Cristo Jesus, ao qual seja glória para todo o sempre. Amém. Hebreus 13:21




Seguir Jesus é muito mais do que professar uma fé, implica também a prática de boas obras com sinceridade. Tomemos Cristo como exemplo, Ele veio ao mundo para fazer a vontade do Pai e é Nele que devemos nos espelhar. O autor de Hebreus nos diz que de devemos seguir os passos do Senhor. A vida cristã requer que aproveitemos toda oportunidade que se apresenta para fazer a vontade do Pai, para trabalhar na Sua Obra. E a esse chamado não podemos negligenciar. Precisamos entender que nós não fomos salvos pelas boas obras, porém fomos salvos para fazer boas obras, conforme está escrito: "Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas" (Ef. 2:10). A Bíblia diz que somos "criados em Cristo para as boas obras" tendo o cuidado de mantê-las com amor e dedicação. Tito 3:8 afirma 

"Fiel é a palavra, e isto quero que deveras afirmes para que os que creem em Deus procurem aplicar-se às boas obras, estas coisas são boas e proveitosas aos homens". 

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o Senhor teu Deus não permitiu tal coisa. Deuteronômio 18:14




A Palavra de Deus não mudou. Que isso fique bem claro! O que foi dito por Moisés ao povo prevalece nos dias de hoje, pois não se trata de situação circunstancial, mas de princípio. E Deus não flexibiliza ou negocia princípios. O recado de Moisés ainda prevalece: não devemos consultar adivinhadores. A convivência com pessoas que pensam diferente é necessária, mas não podemos abrir desses princípios. Se elas consultam os mortos, se creem em prognósticos, ou em amuletos nessa convivência o Senhor ensina “não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor; e por estas abominações o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti”. (Deuteronômio18:9-12) 

Para fazer o que é certo e andar nos caminhos do Senhor, observe que

O Senhor teu Deus te levantará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis; Deuteronômio 18: 15

domingo, 18 de janeiro de 2015

Eu mesmo te plantei como vide excelente, uma semente inteiramente fiel; como, pois, te tornaste para mim uma planta degenerada como vide estranha? Jeremias 2:21




O profeta Jeremias chama à atenção daqueles que, tendo conhecido o Senhor e recebido as suas bênçãos e livramento nos momentos de lutas e de angústia, ao se sentirem fartos e livres decidiram mudar de caminho. O profeta faz uma advertência a esses, lembrando que pela própria malícia será castigado e pela dor verá que o quão amargo é deixar ao Senhor e não ter temor a Deus. Assim como fez aos livres do cativeiro do Egito que se esqueceram das promessas feitas a Deus nos momentos de aflição, esse alerta é para aqueles que retornam ao pecado depois de serem limpos e recebido pelo Senhor. Sair do Egito é deixar a escravidão do pecado, mas isso não significa que as dificuldades não voltarão a nos rondar. O que precisamos ter é a certeza de que Aquele que abriu o mar continua a nos guiar e nos livrar das mãos do inimigo. Por isso o profeta Jeremias 2:36ª nos traz a pergunta: 

Por que te desvias tanto, mudando o teu caminho? Jeremias 2:36

sábado, 17 de janeiro de 2015

Porque derramarei água sobre o sedento, e rios sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade, e a minha bênção sobre os teus descendentes. Isaías 44:3




Deus escolheu a água como símbolo do Espírito Santo por causa da sua essencialidade. Não há vida sem água. Podemos ter riquezas abundantes, mas se não houver água não teremos o alimento, nem mesmo condição de sobreviver em lugar algum. Certamente por ausência de água não há vida em outros planetas. Mas assim como não poderia existir vida sem água na Terra, não existe vida espiritual sem a ação do Espírito Santo. Não foi por acaso que Jesus passou pelo batismo das aguas e depois lhe foi derramado o Espírito Santo. 

O Espírito Santo é imprescindível para o convencimento do pecado, assim como a água é necessária para a limpeza física. Sem a ação do Espírito jamais haveria a conversão no mundo, pois somente têm convicção de pecado quem é convencido pelo Espírito Santo. Por essa razão precisamos buscar o Espírito de Deus para que Ele nos aponte a direção a seguir e nos livre de nossos próprios erros, assegurando-nos do que garante o apóstolo Paulo em Romanos 15:13:




Ora o Deus de esperança vos encha de todo o gozo e paz em crença, para que abundeis em esperança pela virtude do Espírito Santo.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

E bem vedes e ouvis que não só em Éfeso, mas até quase em toda a Ásia, este Paulo tem convencido e afastado uma grande multidão, dizendo que não são deuses os que se fazem com as mãos. Atos 19:26


Lucas registra no livro que conta a história da Igreja, o livro de Atos, o tumulto que se criou em Éfeso quando os aqueles que lucravam produzindo e comercializando imagens da deusa Diana, tradicionalmente venerada pelo povo daquele local. Era sabido que daquele ofício obtinham a sua prosperidade, e obviamente ensinar a verdade sob a luz do Evangelho de Cristo, mostrando que Deus não aprova essa prática. Todavia, não são somente imagens de deuses, mas todas as coisas que venham ocupar o lugar de Deus, figuras- símbolos, figas, patuás, imagens de ouro, prata, pau, pedra, gesso, barro de qualquer objeto, coisas semelhantes a estas que tenham algum vínculo de fé e confiança espiritual, e que tomem o lugar de Deus em nosso coração. O problema não é o objeto em si, mas a forma como as pessoas interagem com ele. Ajoelhar-se diante de uma imagem ou beijá-la é uma veneração que Deus reprova, conforme registra o livro de Êxodo. 20:1-6:”Então falou Deus todas estas palavras, dizendo: Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam. E faço misericórdia a milhares dos que me amam e aos que guardam os meus mandamentos”. Mesmo que as religiões tenham argumentado o contrário, atente para a vontade de Deus expressa em:

Deuteronômio. 7: 26: “Não porás, pois, abominação em tua casa, para que não sejas anátema, assim como ela; de todo a detestarás, e de todo a abominarás, porque anátema é”.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Ninguém te poderá resistir, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei. Josué 1:5


Esta promessa foi feita a Josué. Vamos observar algumas características desse homem que fizeram com que ele recebesse as bênçãos prometidas. Josué era obediente, nunca perdeu oportunidades, estava sempre presente e Moisés sempre pode contar com ele. De repente ele se viu sozinho, sem poder contar com Moisés e com a responsabilidade de continuar a tarefa iniciada pelo líder, sabendo que todo o povo dependia dele. O que fez dele um líder apto foi a receptividade em aprender. Josué não se incomodou em ficar à sombra de Moisés. Com ele aprendeu o caminho, pode se preparar para o que viria à frente. Deus lhe deu essa comissão porque ele estava preparado, mas estava preparado porque antes confiou, esperou e foi obediente. Precisamos aprender com Josué a nos colocar no lugar que Deus determina e a esperar o momento certo para a tarefa grandiosa que o Senhor nos delega, certos de que Ele não nos desamparará. Atentemos para a Sua promessa em Mateus 28:20

“E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” 

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

“Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?” Mateus 7:15-16



Temos assistido a tantas atrocidades cometidas em nome de Deus, a tanta disputa que coloca o Santo nome do Senhor em evidência, mas que nada tem de divino. A Bíblia nos mostra que o diabo é o grande mestre na arte de chamar de mau o que é bom, e de bom o que é mau, conforme nos fala o profeta Isaías 20 “Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo”. Na arte de enganar e seduzir satanás é tão convincente que afirma suas mentiras tão ousada e precisamente que são facilmente acreditadas e muitas vezes quem diz a verdade é que passa por mentiroso. Ele é o mestre do disfarce. Contudo, precisamos estar atentos e fazer o que ensina Paulo em Coríntios 11:15 “porque o próprio satanás se transfigura em anjo de luz”. 

Homens que pregam a discórdia, religiões que disseminam a guerra e conselheiros que alimentam o ódio não podem ser mensageiros de um Deus que é a personificação do amor. Porque Deus é amor tudo que Dele provém é amor e gera amor. Pelos frutos se conhece a árvore. Quem fala em nome de Deus deve viver segundo os Seus princípios. 

E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão. 1 João 4:21

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã. Salmos 30:5b




Em vários momentos vemos que o choro antecedeu o milagre. É o caso de Ana quando clamou por um filho, antes de ser agraciada com a vida de Samuel (I Salmos 01:10 -20), Jesus também chorou por Lazaro, antes de ressuscitá-lo. E isso não é diferente na vid daqueles que choram diante do Senhor clamando por um milagre. Deus é o mesmo e continua acolhendo nossas petições e secando nossas lágrimas. As lágrimas são uma expressão de fé, e a proposta de Deus é que as lágrimas derramadas proporcionem uma expectativa de transformação em nossas vidas. Mesmo que passemos por momentos de dificuldades, de lutas, de choro, precisamos confiar, pois a palavra de Deus também diz que pela manhã haverá alegria. O choro pode nos fazer passar por um processo de transformação, e o certo é, para os que creem que onde havia pranto haverá alegria.



.Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. Salmos 30:5a)

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã. Salmos 30:5




Sabemos que Deus é Deus de toda consolação, ainda que em alguns momentos Ele nos corrija e nos chame à reflexão para que tenhamos consciência de nosso pecado e rebelião. Mas o salmista nos lembra de que Ele assim o faz para o nosso bem. A disciplina do Senhor enrijece o nosso ser e se transforma em alegria. Ao contrário do que ocorre no mundo, quando a alegria momentânea pode gerar uma vida de dores e tristezas. A mensagem do salmista nos faz pensar que se estamos sendo disciplinado, ou enfrentando as consequências cruéis do pecado, não devemos desistir, pois a graça de Deus virá em nosso favor. A noite nesse caso não se refere um período entre o entardecer e o amanhecer, mas a um intervalo de escuridão em nossa vida. A palavra de Deus é clara: a manhã virá e, com o amanhecer, a graça de Deus. A promessa de Deus é que manhã do Senhor sempre nascerá em nossa alma, por mais doloroso que tenha sido o nosso choro. E o salmista ainda garante no Salmo 126:5-6 aos que confiam: 



Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria. Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.

domingo, 11 de janeiro de 2015

“Tu contas as minhas vagueações; põe as minhas lágrimas no teu odre. Não estão elas no teu livro?” Salmos 56:8




O salmista nos lembra de que Deus sabe de cada lágrima que derramamos e conhece as suas motivações. Ele sabe o que está nos incomodando neste momento e sabe o que nos angustia e nos aborrece. Deus se importa com as orações de crianças pequenas, assim como com as de seus pais e avós, por isso o apóstolo nos ensina em I Pedro 5:7 a confiar em Deus “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” Entretanto, quando passamos por momentos de provação ou tempos difíceis, não conseguimos perceber a ação de Deus, nem podemos sentir a Sua presença. Mas Deus nos vê e não descuida de nós, por isso o sábio nos lembra em Provérbios 15:3: 



"Os olhos do SENHOR estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons."

sábado, 10 de janeiro de 2015

Lancem sobre ele toda ansiedade, porque ele tem cuidado de vós." (I Pedro 5:7)




Quando lemos com atenção a Palavra de Deus observamos que Ele não se interessa só pelas coisas grandes que nos preocupam. Ele se interessa também pelas pequenas coisas de nossas vidas. Às vezes até chegamos a pensar que há coisas tão banais que nos incomodam e que não devem ser objeto da atenção de Deus. São problemas tão pequenos para eu incomodar Deus que deve estar muito ocupado com outros grandes problemas. Mas, isso é um engano! Precisamos saber que Deus está interessado também nas pequenas coisas que nos preocupam. Ele quer estar no comando de nossas vidas em todos os sentidos, por isso Jesus disse que Deus sabe até quando um passarinho cai na terra:





“Não se vendem dois passarinhos por um ceitil? e nenhum deles cairá em terra sem a vontade de vosso Pai.“ Mateus 10:29

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

"procure sempre ter uma consciência sem ofensa, tanto para com Deus como para com os homens" (Atos 24:16).



Em uma sociedade plural, em que muitos estão mais preocupados com aparência, com poder, com levar vantagem, sem considerar os valores morais e éticos, muito provavelmente lidamos com pessoas inescrupulosas que não se furtam a levantar calúnias contra nós, mas se seguirmos a orientação do texto em epígrafe, podemos provar pela maneira que agimos que as palavras daqueles que tentam nos difamar são mentirosas. Não é por força, nem nos igualando ao mentiroso, mas por nossas atitudes irrepreensíveis. Devemos manter nossa consciência limpa e nos manter fieis a Deus, pois assim como Ele livrou Daniel dos leões, Ele nos livrará da perversidade de quem tenta nos abalar. Assim como Daniel, também vivemos num mundo ao qual não pertencemos, cercados de inimigos espirituais. E por isso mesmo devemos ser sóbrios e vigiar porque o diabo, nosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar.

Em todo o tempo ama o amigo e na angústia nasce o irmão. (Provérbios 17:17)



Salomão fala sobre algo que todos nós sabemos ser importantes, mas somente nos momentos de adversidade podemos perceber profundamente. É quando vemos que os amigos são os anjos usados por Deus para abençoar nossas vidas, para nos apoiar nos momentos difíceis. São eles que muitas vezes estão ao nosso lado quando passamos por lutas. Muitas vezes o amigo é mais chegado do que um irmão, diz o sábio, lembrando-nos de que essa afinidade é um laço da alma e nos fortalece porque Deus abençoa. A Bíblia relata vários exemplos de pessoas e situações nas quais a amizade está em evidência. Davi honrou tremendamente a amizade que tinha com Jonatas e estendeu à sua descendência. Jesus valorizou sobremaneira essa forma de relacionamento e nos momentos de angústia também contou com um ombro amigo. Muitas vezes precisamos de alguém que nos ouça, que nos conforte, que nós dê um conselho amigo, ou até mesmo um “puxão de orelhas”. Nessas horas os verdadeiros amigos são o nosso porto seguro. Ninguém é pobre quando tem amigos, por isso a sabedoria popular nos ensina a contar os nossos anos não pelos janeiros vividos, mas pelo número de amigos que conquistamos. Mas é fundamental nos lembrarmos de que Jesus deve ser o nosso maior amigo, cientes de que Ele não força amizade, não banaliza essa relação. Ele quer fazer parte de nossa vida em todos os momentos, de alegria e de tristeza, de luta e de regozijo.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração, A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor. Lucas 4:18-19



Hoje, como corpo de Cristo, a Igreja também tem autoridade porque Deus quer que façamos a Sua obra, curar enfermos, libertar os cativos, e tudo isso de graça, porque de graça recebemos, sem fazer comércio.
A ordem de Jesus é: Ide e pregai o evangelho. E, se preciso, cure. Deus faz o que nos queremos que Ele faça, mas faz como Ele quer. O milagre da cura do cego aconteceu porque ele obedeceu. Ele atendeu à voz de Jesus quando disse: “vai e se lave no tanque de Siloé”. Jesus veio para quebrar paradigmas: curou no sábado, que foi feito para o homem e não o contrário, apesar de os religiosos se apegarem a isso.
O cego que foi curado reconheceu o poder de Jesus e se rendeu a Ele. Temos falado de Jesus aos incrédulos e sobre o que Ele tem feito em nossas vidas? Ou temos agido como os fariseus?  Precisamos nos perguntar se temos colocado a religiosidade acima da obra de Deus.
A regra que devemos seguir é a Palavra de Deus e não as tradições religiosas. Nós temos que fazer a obra Daquele que nos enviou. E o quanto antes, pois chegará o momento em que não será mais necessário. A hora de pregar é agora.

"...só sei que eu era cego e agora vejo..." João 9:1-34

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem. Hebreus 11:1



Essa é a definição sobre o que é fé, segundo o autor da Carta aos Hebreus. Mas ter fé apenas não basta, precisamos saber claramente qual é o objeto ou a motivação de nossa fé. Há pessoas que têm sua fé baseada em entidades ou pessoas que nada têm a ver com o Senhor Jesus. Muitas vezes as pessoas se deixam influenciar por superstição ou por filosofias que determinam a sua maneira de ver e esperar a realização de seus objetivos. Há quem acredite que carregar um trevo de quatro folhas ou um pé-de-coelho vai lhe garantir algum sucesso. Há os que pensam que tomar sopa de lentilha no final do ano, pular sete ondas ou vestir determinada cor vai lhe proporcionar êxito em seus objetivos. Há quem aposte em jogos e por isso fazem uma fezinha indicando alguns números que acreditam mudar o seu destino. Isso também é ter fé. Mas o que faz a diferença é o objeto da fé. Deus não quer que façamos imagens para cultuarmos e depositarmos a nossa fé nelas. A nossa fé deve ser baseada em Cristo, na Sua ação para redimir a humanidade.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. Efésios 5:17




Muitas vezes uma oportunidade nova nos parece tão interessante e a impressão que temos é que tudo vai dar certo, o problema é que às vezes nossa motivação está errada, e podemos acabar nos afastando da vontade de Deus. Por essa razão devemos sempre consultar ao Senhor antes de tomar qualquer atitude e quando tivermos a resposta certa de Deus, então nossos planos passam a ser os mesmos planos de Deus, e assim podemos descansar, pois tudo o que Deus faz é perfeito e nunca falha. Andar no centro da vontade do Senhor, consagrando a Ele todos os nossos planos para que Ele tome conta de todos eles, deve ser a nossa atitude constante. 



Quem guardar o mandamento não experimentará nenhum mal; e o coração do sábio discernirá o tempo e o juízo. (Eclesiastes 8:5

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Muitos propósitos há no coração do homem, porém o conselho do Senhor permanecerá. Provérbios 19:21




Em geral, sempre que iniciamos um ano, iniciamos projetos, fazemos planos e colocamos nossos sonhos em evidência. Sonhar é bom e faz parte da condição humana. É o sonho que nos motiva e nos mantém em estado de movimento que nos impulsiona a realizar o que projetamos. Mas não podemos nos esquecer do que disse o sábio em Provérbios 16:1-3 "O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do SENHOR. Todos os caminhos do homem são puros aos seus olhos, mas o SENHOR pesa o espírito. Confia ao SENHOR as tuas obras, e os teus desígnios serão estabelecidos." Fazer planos, traçar metas, esperar e trabalhar por conquistas são inerentes à condição humana, todavia, nenhum plano, por mais bem articulado que seja deve ser realizado sem a intervenção do Senhor. Deus nos criou para realizar uma obra e nos permite sonhar e projetar. Nós fazemos parte dos sonhos e dos planos de Deus e somos os seus colaboradores. 



Somos uma obra prima de Deus e como tal devemos nos esmerar para conhecer a Sua plenitude, vivendo de acordo com as Suas orientações, seguindo o plano que Ele traçou para nós. Quando confiamos em Deus e não em nossos próprios passos, temos a garantia de vitória por isso Ele nos diz. “... Esforçai-vos e animai-vos, não temais, nem vos espanteis diante deles, porque o Senhor, vosso Deus é convosco, não vos deixara nem vos desamparará.” (Deuteronômio 31:6)

domingo, 4 de janeiro de 2015

“Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver”. Hebreus 13:7




O autor da Carta aos Hebreus nos ensina que devemos dar ouvidos àqueles que têm nos apresentado a Palavra e têm nos orientado a seguir uma vida em santidade, segundo os princípio do Senhor. Sabemos que viver conforme a vontade de Deus não é fácil nesse mundo que nos traz as mais diversas formas de sedução e que procura nos desviar do alvo. Mas sábio é aquele que resiste e procura seguir o exemplo de quem testemunha coerência de vida com os princípios bíblicos. Melhor é seguir as suas orientações do que a qualquer portador de teorias e filosofias. Nossos pastores são os portadores da vontade de Deus para nossas vidas quando expressam o que é bíblico. Portanto, é mais do que essencial ouvir a advertência de Paulo e atentarmos para o nosso alvo, lembrando que qualquer situação, seja ela aparentemente boa ou agradável, mas que nos desvie do foco, deve ser rejeitada no começo, antes que percamos o mais precioso.

sábado, 3 de janeiro de 2015

"E Chegavam-se a ele todos os publicanos e pecadores para o ouvir. E os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo: Este recebe pecadores, e come com eles. Lucas 15:1-2





A Bíblia relata que Jesus se assentou para comer com os ímpios, conforme está escrito em Lucas 15: 1-2, no entanto, Ele não se comportava como um deles. Como cristãos não precisamos viver em uma redoma, com receio de que o mundo nos contamine, mas devemos agir como Jesus, sendo luz aos que estão nas trevas. Na vida secular é necessário conviver com os ímpios, mas a diferença está no nosso comportamento, diante deles. É nosso dever sair pelo mundo pregando o evangelho, como Jesus nos exortou, e isso deve ser feito para os ímpios, portanto, é inevitável que tenhamos que conviver com eles. Podemos nos assentar na mesma mesa, mas temos que fazer diferença. Não podemos agir como os ímpios, envergonhando o Evangelho de Cristo. Nossa reponsabilidade com o Evangelho não é limitado aos eventos da igreja. Nosso compromisso é seguir a justiça de Deus, dando testemunho em tempo integral, em todos os espaços.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

"porque essa é a alianca que depois daqueles dias farei com a casa de Israel, diz o Senhor; porei as minhas leis no seu entendimento, e em seu coração as escreverei; e eu lhes serei por Deus, e eles me serão por povo; (Hebreus 8:10)




Início de ano é tempo de recomeço, de renovar alianças e de fazer propósitos. Aliança é símbolo de um compromisso. Vemos na Bíblia que Deus, em vários momentos, faz aliança com Seu povo. Entretanto, em muitas situações elas são quebradas, o elo é rompido, porque a natureza humana tende a não ser firme em seus propósitos. O mundo banalizou o sentido de aliança e os cristãos também têm se contaminado com esse entendimento. Vemos na política que alianças são feitas, muitas vezes visando interesses escusos e, quase sempre, na mesma intenção, são rompidas. O mesmo acontece nos relacionamentos pessoais em que a aliança não passa de um adorno no dedo e a essência desse símbolo não é respeitada. A palavra de Deus nos diz que é tempo de estabelecer uma verdadeira e sincera aliança com Deus esperando com paciência e perseverança pela promessa do Senhor, ainda que os tempos sejam ruins. Deus é fiel e respeita as alianças que têm com aqueles que se comprometem com Ele. Mas Ele dever o primeiro em nossa ordem de prioridades: lembre-se de disso!

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

“E digo isto a vós outros que conheceis o tempo, que já é hora de vos despertardes do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto do que quando no princípio cremos” Romanos 13:11




Hoje estamos iniciando mais um ano. E com ele renovamos nossa esperança em tempos melhores, mas não podemos nos esquecer de que a fórmula para obtermos êxito em todas as áreas de nossas vidas está registrada em Mateus 6:33 "Buscai, pois, em primeiro lugar, o Seu reino e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas". Em geral, iniciamos fazendo planos pessoais e nos esquecemos de buscar primeiro a comunhão com Deus. Jesus está às portas. O tempo do Rei dos reis se aproxima. Eis porque precisamos dedicar as primícias de nosso tempo para o Seu Reino e para falar sobre as maravilhas que Deus tem operado em nossa vida. É tempo de priorizarmos os estudos bíblicos e o nosso crescimento espiritual. Paulo nos exorta a aproveitar melhor nosso tempo a cada dia que amanhece, a cada ano de desponta, Deus nos concede uma nova oportunidade de escolher entre uma vida com Ele e uma vida indiferente aos Seus conselhos. Jesus nos ensina a buscar primeiro o Reino de Deus e a Bíblia nos apresenta inúmeras passagens que confirmam ser essa a escolha mais sensata.

Precisamos aprender a remir o tempo no ano que se inicia, para fazermos aquilo que é agradável a Deus.