Traduza este blog

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Se alguém me serve, siga-me, e onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará. João 12:26



Na contramão das posturas humanas, que sempre valorizam o status, a aparência, o poder pessoal para o benefício próprio, Jesus nos ensinou que, no Seu reino, importante é aquele que serve. Foi honrando esse princípio que  Ele declarou: “O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a Sua vida em resgate por muitos.”  E foi por coerência a essa posição que respondeu aos discípulos, quando se perguntavam qual deles teria as maiores honrarias no Reino de Deus: “Aquele que Me serve, Meu Pai o honrará”. Jesus deixa claro em suas revolucionárias declarações que ser servo é mais importante do que servir. Ele próprio deu esse exemplo servindo ao Pai e aos homens. Ser servo demonstra  maturidade cristã e caracteriza o “corpo de Cristo”. Quem quer seguir Jesus deve pensar, falar, agir, e principalmente viver como Ele viveu neste mundo.       

quinta-feira, 30 de maio de 2013

E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. Romanos 5:5



Sabemos que Jesus não nos prometeu uma vida sem problemas. Ele  Disse que no mundo teríamos aflições (João 16:33), mas  assegurou-nos bênçãos, alegria, saúde e paz, mesmo atravessando as inevitáveis tribulações. Contudo, quando vêm as tristezas e angústias, muitos se decepcionam e abandonam a  fé e não perseveram na vida cristã, abraçando as coisas do mundo como se isso resolvesse a situação. Mas a Bíblia nos ensina que quando estamos no centro da vontade de Deus as tribulações têm efeito positivo. Elas servem para nos fazer crescer tanto moral, quanto espiritualmente. A palavra tribulação significa  aflição, sofrimento, provação moral e adversidade., mas também significa contrariedade, amargura e tormento. A Bíblia nos ensina que devemos aprender com as tribulações. "sabendo que a tribulação produz a paciência". E conforme ensina o apóstolo Paulo, a paciência não traz confusão. Ela nos eleva diante de Deus e nos fortalece.       

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Então os olhos dos cegos serão abertos, e os ouvidos dos surdos se abrirão. Isaías 35:5-6




O profeta afirma que chegará um dia em que os olhos dos cegos e os ouvidos dos surdos se abrirão, mas certamente ele não fala da cegueira e da surdez literal e sim da surdez e cegueira metafórica. Cegos são aqueles que podendo ver, não conseguem discernir o que estão vendo. Usamos  a palavra ver e olhar como sinônimos às vezes, mas  há uma diferença significativa entre essas duas palavras. O verbo olhar designa o ato de fixar os olhos em alguma coisa ou situação, quando olhamos agimos mecanicamente sem objetivo de desvendar a realidade, apenas orientamos nossos olhos para imagem. Mas ver é muito mais do que fitarmos o que miramos, é o ato de estabelecer uma relação de conhecimento por meio do sentido da visão.  De igual modo há diferença ouvir e escutar.  O  significado de ouvir relaciona-se mais com os sentidos da audição e ao próprio ouvido. De acordo com o dicionário demonstra uma ideia mais mecanicista e funcional do processo. Escutar seria um aprofundamento dessa experiência, o ato de escutar requer uma dimensão mais ampla e envolve mais sentidos do que tão somente o da audição. Portanto, ver e escutar dizem respeito ao que aprendemos pelos sentidos, enquanto olhar e ouvir são as sensações físicas.  Escutar é mais do que uma reação sensorial, pois requer estar atento ao interlocutor e dar um lugar ao que se ouve. Tem a ver com uma tomada de posição frente a um discurso escutado. Isso explica porque muitos ouvem a Palavra de Deus, mas não a escutam, veem o que leem, mas não distinguem, não apreendem a verdadeira mensagem. A cegueira ou a surdez não são fenômenos físicos, mas espirituais e é sobre isso que nos fala o profeta. Somente pela ação do Espírito isso pode ser desfeito, somente assim os olhos dos cegos  e os ouvidos dos surdos se abrirão. 

terça-feira, 28 de maio de 2013


É melhor confiar no SENHOR do que confiar no homem. Salmos 118:8



     O salmista não está dizendo que não podemos confiar nas pessoas. A confiança é um sentimento necessário nas relações humanas. É importante estabelecermos uma relação de confiança em relação aos nossos governantes, ao nosso cônjuge, aos nossos amigos, colegas, chefes e subordinados. Naturalmente, precisamos confiar uns nos outros  para que nossa vida tenha sentido. Um casamento só se sustenta com confiança e respeito, caso contrário não se sustenta por muito tempo. Precisamos confiar nos médicos, nas pessoas que colocamos em nossas casas... Seria quase impossível viver em sociedade, sem confiar nos nossos semelhantes, mas o salmista nos alerta para um outro nível de confiança em quem quer seja que depositemos que não em Deus. é quando  confiamos que o homem faça o que só Deus pode fazer. Quando tiramos o Senhor do trono e colocamos nele o homem. Com toda certeza nenhum homem, nenhum líder, nenhum governante pode ocupar o lugar de Deus. E se tiramos Deus do lugar que só pode ser ocupado por Ele com toda certeza iremos nos desiludir amargamente. Por isso o profeta Jeremias afirmou “Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!" (Jeremias 17:5).   

segunda-feira, 27 de maio de 2013


Levantai os vossos olhos para os céus, e olhai para a terra em baixo, porque os céus desaparecerão como a fumaça, e a terra se envelhecerá como roupa, e os seus moradores morrerão semelhantemente; porém a minha salvação durará para sempre, e a minha justiça não será abolida. Isaías 51:6



O profeta Isaías Senhor nos faz um alerta sobre a efemeridade deste mundo e nos lembra que não devemos deixar que as seduções mundanas nos desviem de nossa verdadeira missão: buscar o Reino de Deus. Não podemos nos esquecer de que a salvação já nos foi dada pelo sacrifício de Jesus, mas a escolha de buscar um Reino Eterno ou nos satisfazer com um mundo que passa e que perece é nossa. Levantar os nossos olhos aos céus, ou deixar que a fumaça deste Século embace nossa vista é uma opção que nos é dada. Se buscarmos em Deus e nos fundamentarmos em Sua Palavra, certamente, não seremos abalados e nada corromperá nosso coração ou abalará nossa razão. As ilusões do mundo não podem anuviar nossa mente quando estamos firmados na Rocha e Nela estaremos livre da morte, ainda que passemos pelas tribulações. Lembremos, pois o que nos diz 1 João 2:24 “Portanto, o que desde o princípio ouvistes permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis no Filho e no Pai”. 

domingo, 26 de maio de 2013


Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. Mateus 6:34



O Senhor nos lembra que não devemos deixar que inquietações, que geram ansiedade, conduzam nossas vidas, mas devemos dar lugar à fé que produz felicidade. E se é o Senhor quem diz para não nos inquietarmos é porque Ele tem a provisão necessárias aos que Nele se apegam, por isso o salmista diz Salmos 127: 2: “Aos seus amados Ele o dá enquanto dormem.” O Pai suprirá as necessidades de Seus filhos, porque Ele sabe do que necessitamos antes mesmo de Lhe pedirmos. Quando aprendemos a depender de nosso Deus, podemos dormir tranquilos, sem inquietar nosso coração, pois se entregarmos nossa preocupação ao Senhor, confiando em Sua Palavra, Ele nos dará um sono restaurador. Aos Seus amados Deus dá o que necessitam. Essa é a promessa de Deus, não de um homem infiel. E ser um amado do Senhor é a maior honra que podemos almejar. Aquele que desfruta dessa posição não precisa sentir mais qualquer ambição porque alcança as graças do Senhor. O salmista sabia disso quando afirmou nos Salmos 3:5-6: “Eu me deitei e dormi; acordei, porque o SENHOR me sustentou”.Ele realmente faz isso desde sempre e não age de  forma diferente agora. Ele faz por nós o que fez aos israelitas no deserto quando: “Oraram, e ele fez vir codornizes, e os fartou de pão do céu. Abriu a penha, e dela correram águas; correram pelos lugares secos, como um rio. Porque se lembrou da sua santa palavra, e de Abraão, seu servo”. Salmos 105:40-42.  

sábado, 25 de maio de 2013


Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. Atos 1:8




O livro de Atos dos Apóstolos relata o início da história da Igreja e o avanço do evangelho, saindo, do Judaísmo para o mundo gentio. Ele revela a missão do Espírito Santo na vida e no papel da Igreja na sociedade, bem como a continuidade do ministério de Cristo na propagação do evangelho. Porque atenderam ao chamado e receberam a virtude do Espírito Santo, os primeiros apóstolos criaram uma Igreja militante e determinada a pregar o evangelho sem nenhum impedimento. Lendo o livro de Atos vemos que a Igreja, como instituição basilar criada por Deus para levar a cabo o Seu Plano de salvação da humanidade, só foi instituída após a ascensão de Cristo aos céus e escolha do apóstolo que substituiu Judas Iscariotes. Vemos com isso que o Senhor inaugurou a Sua Igreja com o colégio apostólico completo. Se Judas abriu mão de fazer parte dessa importante instituição para a humanidade e, pior, abriu mão de fazer parte do Reino dos Céus, depois de abrir mão de cear com o Mestre, corrompido por trinta moedas. Quantos na Igreja hoje não estão abrindo mão disso tudo pelas propostas do mundo? Mas Jesus quer sua Igreja completa, somos chamados a ocupar o lugar de Judas à Sua mesa, somos chamados a fazer parte do Colégio Apostólico e a fazer parte do Reino de Deus. Somos convidados todos os dias a fazer parte e a militar nessa Igreja inaugurada em Pentecostes e a levar o evangelho até aos confins da terra.  

sexta-feira, 24 de maio de 2013


Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande despojo. Salmos 119:162




O salmista manifesta sua alegria por contar com a Palavra de Deus a lhe guiar os passos. Como ele, devemos ter a convicção de que a Bíblia é o nosso manual de regra e conduta e, por ser divinamente inspirada expressa  a vontade do Senhor para as nossas vidas. Quem crê na Bíblia não pode escolher fragmentos e ignorar outros, pois o domínio da Bíblia sobre as nossas vidas é firmado na mais profunda  convicção de que ela  não apenas contém a Palavra de Deus, mas é a Palavra de  Deus na sua absoluta totalidade. Ela é a Palavra do Espírito Santo. Precisamos entender que ela não é o resultado da inteligência humana, mas é fruto da inspiração do Espírito Santo movendo o intelecto de cada escritor das Sagradas Escrituras. Cada um deles foi direcionado por Deus a escrever cada livro, por isso Paulo diz a Timóteo “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça”. (II Timóteo 3.16). Há quem leia a Bíblia como um livro histórico, repleto de cultura e ela é tudo isso, mas a mesma inspiração que levou seus escritores a produzir essa referência ímpar também leva seus leitores a compreender a sua mensagem em toda sua plenitude. Por isso, antes de abrir a Bíblia, devemos pedir ao Espírito Santo sabedoria e discernimento para irmos além das letras, para compreendermos o que Deus tem a nos dizer.


quinta-feira, 23 de maio de 2013


Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. 1 João 2:1




A adesão a uma vida cristã nos leva a fugir do pecado, a não errar o alvo e nos encaminha para buscar o caráter de Cristo. Mas nosso Pai, que conhece as nossas limitações e fraquezas não nos deixará à mercê do diabo (1 Coríntios 10:13), mas também não retirará as tentações e as provações que fazem parte de nossa prova de crescimento e desenvolvimento espiritual. Jesus deixou claro que estaria do nosso lado, que não nos abandonaria diante de uma tentação. Ele sabe que somos fracos, mas é a nossa força e a nossa esperança quando pecamos. É o nosso Advogado junto ao Pai.  Contudo, o pecado na vida do cristão é apenas um acidente. Não podemos nos acostumar com ele, nem deixar que seja rotina. Jesus nos ensina a sair da transgressão. "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (1 João 1:9). O apóstolo Paulo disse: "Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus" (Filipenses 3:12). Tendo em vista o exemplo de Cristo e a certeza de que aquele que persistir receberá a coroa, deixemos de lado a dúvida e as más influências, prosseguindo na  esperança que nos impulsionou no princípio a deixar o pecado e servir a Deus. 

quarta-feira, 22 de maio de 2013


Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Eclesiastes 4:9




Deus não criou o home para viver só., por isso, naturalmente ele busca conviver com outros seres, estabelecendo formas possíveis de relacionamentos. Vemos em toda a Bíblia que Deus estimula a nossa associação com outras pessoas que ao longo de nossa vida nos ajudarão em vários aspectos. Vemos em Lucas  10:1 que, quando Jesus mandou seus discípulos a evangelizar, Ele os enviou aos pares. Quando estamos unidos somamos forças nos momentos de tribulação. Eis por que Salomão nos diz em Provérbios 17:17 “Em todo o tempo ama o amigo, e na angustia nasce o irmão.” Nos momentos de lutas conhecemos quem são nossos grandes e verdadeiros amigos, e nos momentos de alegria nos sentimos bem em compartilhar com os amigos as nossas conquistas. A Bíblia nos ensina a valorizar as relações e a cada dia Deus nos dá novas oportunidades de construirmos boas relações, somando forças e dividindo alegrias. 

terça-feira, 21 de maio de 2013




"Já o tens ouvido; olha bem para tudo isto; porventura não o anunciareis? Desde agora te faço ouvir coisas novas e ocultas, e que nunca conheceste. Isaías 48:6

A palavra do profeta Isaías nos faz lembrar de que há coisas ocultas que ainda não nos foram reveladas, mas aqueles que desenvolvem a fé e deixam que o Espírito Santo os ilumine chegarão ao conhecimento daquilo que Deus quer revelar. A Bíblia é a verdade que Deus revela aos que creem, mas nem todos têm o entendimento no mesmo tempo. É interessante observarmos que há textos os quais já havíamos lido, com nossa compreensão humana e limitada e que são verdadeiramente compreendidos quando recebemos a luz do Espírito. A Bíblia é a verdadeira e completa revelação de Deus para o homem. Todas as vezes em que precisarmos tomar uma decisão, executar um plano ou realizar uma tarefa, por mais simples que seja, precisamos nos perguntar se está em harmonia com a Palavra de Deus escrita e revelada. Se estiver em harmonia com a Palavra de Deus, podemos nos assegurar de que essa é a vontade de Deus, porque ela está revelada na Sua Palavra. O Espírito Santo nos capacita a discernir o que está de acordo com a perfeita vontade do Senhor, porque o Espírito nunca leva ninguém a agir em oposição à Palavra de Deus.

segunda-feira, 20 de maio de 2013


" voltei-me, e vi debaixo do sol que não é dos ligeiros a carreira, nem dos fortes a batalha, nem tampouco dos sábios o pão, nem tampouco dos prudentes as riquezas, nem tampouco dos entendidos o favor, mas que o tempo e a oportunidade ocorrem a todos." Eclesiastes 9:11


A parábola dos talentos retoma o que o sábio rei demonstra no texto em epígrafe: a oportunidade é dada a todos, porém o que cada pessoa faz com o que lhe foi dado debaixo do céu é que determinará o resultado.  Embora tempo e oportunidade ocorram a todos, cada pessoa tem capacidade diferente, ou usa o dom que recebeu de forma particular. Por esse motivo temos variedade de profissões no mundo, assim como temos diferentes formas de ministérios ou de exercê-lo, conforme diz o apóstolo e Romanos 12: 6-8: "De modo que, tendo diferentes dons segundo a graça que nos foi dada, sejam eles exercidos segundo a medida da fé." Deus conhece a capacidade e fé de cada homem e de forma justa distribui dons, mas espera que cada um faça a sua parte. Cabe a cada um exercer com responsabilidade a administração do talento recebido. Por isso quem recebe um talento recebe uma oportunidade e deve fazer bom uso dele.  Há um provérbio italiano que diz: “Toda manhã, na África, um Leão acorda. Ele sabe que deverá correr mais rápido que a Gazela ou morrerá de fome. Quando o sol surge no horizonte, não importa se você é Leão ou Gazela, é melhor você começar a correr.” Em outras palavras: não importa de onde você vem, aproveite a oportunidade que Deus lhe deu debaixo do céu e faça a sua parte. Isso fará a diferença.

                                                                                                                  

domingo, 19 de maio de 2013


"E veio a palavra do SENHOR segunda vez a Jonas, dizendo: Levanta-te, e vai à grande cidade de Nínive, e prega contra ela a mensagem que eu te digo." (Jonas 3:1-2)


O livro de Jonas vem nos mostrar quão grande é o amor de Deus e como Ele é e sempre foi misericordioso com pecadores que se arrependem e como Esse Deus longânimo não faz acepção de pessoas. Lendo o livro de Jonas, podemos ver claramente como Deus age. As atitudes desse profeta teimoso mostram que ele conhecia essas características de  Deus e sua história narrada nos quatro capítulos do livro que tem o seu nome deixam claro que Deus quer nos mostrar que Ele está disposto a perdoar aqueles que se arrependem e isso não depende do profeta, mas do coração disposto a aceitar a palavra. A Bíblia diz que a Palavra de Deus nunca volta vazia, ela sempre realiza os seus objetivos. Deus poderia fazer o que bem entendesse com os ninivitas, sem depender de ninguém, mas escolheu Jonas para fosse até Nínive para pregar àquele povo. Assim como fez com Jonas, Ele faz conosco até hoje. Apesar de nossas falhas e de nossa teimosia, Deus nos envia a pregar e nos  prepara para isso, usando diversas formas ou estratégias. Para forjar um pregador, Deus  providenciou uma  tempestade,  um grande peixe, uma planta, um verme e um vento quente para realizar sua boa e perfeita vontade.  Esses elementos simbolizam o que seria necessário para que o trabalho de um pregador seja realizado. A tempestade simboliza  aquilo que nos faz sair de nossa zona de conforto; o peixe simboliza o que nos envolve para nos trazer de volta ao propósito para o qual somos chamados. Muitas vezes precisamos que pessoas nos joguem no mar, para que sejamos engolidos por aquilo que nos levará de volta. Quantas vezes precisamos se vomitados de onde estávamos para chegarmos  aonde já deveríamos estar. A planta, o verme e o vento representam os instrumentos para a nossa instrução. Quantas vezes, em vez de compreendermos o agir de Deus na vida dos pecadores que se arrependem, agimos como Jonas e ficamos torcendo para que a nossa justiça e não a de Deus seja feita. Deus ainda é Aquele que se compadece e por isso nos faz a mesma pergunta que fez a Jonas: “E não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive em que estão mais de cento e vinte mil homens que não sabem discernir entre a sua mão direita e a sua mão esquerda, e também muitos animais? “(Jonas 4:11).

sábado, 18 de maio de 2013


E se Cristo não foi ressuscitado, é vã a vossa fé, e ainda estais nos vossos pecados. (I Coríntios 15: 17)


A Bíblia diz que era necessário que Jesus viesse como homem e morresse como homem sem cometer pecado algum para que nossos pecados fossem perdoados e se cumprisse o plano de salvação designado pelo Criador. Precisamos  entender que nossa salvação não depende só da morte de Cristo, mas também da sua ressurreição. A base do Cristianismo se sustenta nesses princípios e se admitirmos como algumas seitas que Jesus não morreu, ou que não ressuscitou não podemos compreender o plano de Deus. (At 2.22-36; Rm 4.23-25, Rm 6.4-9; 1 Co 15.12-19). Jesus morreu em todo o sentido da palavra. Ele não passou por uma catalepsia e voltou a viver. O testemunho dos soldados e a água e o sangue que saíram do seu cadáver (Jo 19.33-35) comprovam a sua morte completa. Além disso, Ele teve uma ressurreição corporal. Apareceu no mesmo corpo em que foi crucificado, já cicatrizado (Lc 24.37-43; Jo 20. 26-31). Sabemos de relatos de outras pessoas que também ressuscitaram, mas essas pessoas tornaram a morrer, e Cristo não (2 Tm 1.8-10; Ap 1.18).  E foi a sua ressurreição que nos garantiu o acesso ao Pai, porque Ele não estava mais sob o domínio da morte (Jo 20.19). A nossa salvação começa com a morte, mas continua com a ressurreição e intercessão de Cristo. Cristo nasceu como homem, morreu fisicamente e ao ressuscitar entrou na presença de Deus e por isso tem poder e autoridade legitimamente constituída, como nenhum outro para nos ajudar cada vez que fracassamos. Jesus foi o único que saiu do céu e para lá voltou, por essa razão também é o único que pode preparar para nós um lugar ao lado do Pai. Nenhum outro nome na terra pode fazer isso por nós. Lembre-se disso antes de se ajoelhar ou de pedir a intercessão de outra pessoa que não a de Jesus.

sexta-feira, 17 de maio de 2013


“E achando-se na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz”. Filipenses 2:8




A base da fé cristã está assentada na humanidade de Jesus, cuja verdade nos leva à compreensão de que como a segunda pessoa da Trindade, Jesus se encarnou como homem, esvaziando-se completamente da sua forma divina para cumprir o plano de salvação, destruindo as obras do diabo. O cristão verdadeiro conhece, reconhece e afirma a todos que Jesus é 100%  homem e 100%  Deus. Paulo afirma em Gálatas 4:4 “mas vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu filho, nascido de mulher, nascido debaixo da lei.” Se Jesus nasceu como um homem, de modo natural a partir de uma mulher e era como um de nós, sujeito às limitações humanas. Se fosse outro tipo de ser, que não humano, jamais poderia ter nos substituído na cruz do calvário. Se viesse ao mundo na forma Deus e não como um homem não teria sentido o seu sacrifício, em nosso lugar. Jesus era igual a qualquer outro homem, tanto em forma quanto em substância. Contudo, mesmo sendo  homem  manteve sua divindade porque sua geração foi tanto natural quanto sobrenatural. Natural  porque  foi gerado no ventre de uma mulher, Maria (Mt 1.18; Lc 1.31-35). E sobrenatural porque foi gerado pelo próprio Espírito Santo, e assim mesmo sendo homem, tem a Sua santidade preservada.  Ele viveu como homem, cresceu e se desenvolveu de forma natural. Nascido como judeu, Ele guardava a lei  e era judeu bastante conhecido em Nazaré e em toda a Galileia como filho do carpinteiro José (Mt 13.55; Mc 6.3). e relacionava com os pobres, doentes e pecadores de Israel. Como homem, Ele sentiu todas as necessidades de um humanas e enfrentou todas as lutas pelas quais um homem passa. Ele sentiu cansaço (Jo 4.6), fome (Mt 21.18) e sede (Jo 4.7)... Jesus, tinha corpo, uma alma (Mt 26.38) e um espírito humanos (Lc 23.46-50). Por tudo isso, que o verdadeiro cristão reconhece, não podemos aceitar que outros deuses ou seres sejam glorificados ou feitos nossos intercessores junto a Deus. Jesus é o único mediador entre Deus e os homens e se glorificou a si mesmo, nem mesmo na maior das tentações. Por que Ele venceu o mundo e o pecado tem legitimidade para interceder por nós.

quinta-feira, 16 de maio de 2013


Sabei, pois, que os que são da fé são filhos de Abraão. Gálatas 3:7





O que o apóstolo Paulo está dizendo é que somos herdeiros da promessa que Deus fez a Abraão. Quando Ele disse que esse patriarca seria pai de uma grande nação, nós fomos incluídos nessa descendência. Não importa a cor, raça, condição social ou econômica, sexo,  idade, ou de que nação. Judeu ou gentio, rico ou pobre, todos podem ser um filho de Abraão e herdar as bênçãos prometidas à sua descendência se viverem pela fé. Essa é a interpretação dessa palavra anunciada por Paulo aos gálatas. O apóstolo inicia seu texto chamando-os de insensatos pela desobediência e falta de atenção à verdade. Mas essa palavra serve também a muitos ainda não compreenderam que a única coisa que faz uma pessoa ser "filho de Abraão"é a fé e qualquer um de nós que vive pela fé é um filho de Abraão, e por isso herdará as bênçãos. Ser filho da promessa não depende da descendência física. Nem todos os que são de Israel são israelitas e nem os que descendem de Abraão são todos filhos. Somente os que são gerados na fé. Em Gênesis 12:3,  vemos que o Senhor promete a Abraão "e em ti serão benditas todas as famílias da terra”. Isso inclui os gentios. Isso inclui todos aqueles que creem, como Abraão, que a promessa de Deus se cumprirá, ainda que tardiamente. 

quarta-feira, 15 de maio de 2013


Eis que eu envio um anjo diante de ti, para que te guarde pelo caminho, e te leve ao lugar que te tenho preparado. Êxodo 23:20)


Esta é uma promessa de Deus expressa pela voz de Moisés. O Senhor mesmo afirmou que enviaria um anjo para guardar os Seus filhos no meio do caminho. É por isso que experimentamos tanto livramento, sem que nos demos conta de que o anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que O temem e os livra de todo mal. O Senhor não nos deixa confundidos e mesmo sobre a sombra da dúvida que é semeada por aqueles que negam a Sua existência, ou que servem a outros deuses, Ele mantém  a Sua promessa e não muda os Seus Estatutos. Se ouvirmos a voz de Deus que ecoa por meio dos profetas constituídos na terra para nos indicar o caminho, para nos orientar quando intentamos nos afastar, certamente chegaremos ao lugar especial que Ele tem preparado para os que Nele confiam e esperam. Ninguém poderá nos afastar do amor de Deus, nem a dúvida, nem os inimigos expressos ou disfarçados de amigos. Deus prometeu que colocará um anjo ao nosso cuidado e Ele é fiel em Suas promessas. Não duvide! 

terça-feira, 14 de maio de 2013


Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Romanos 8:33-34


O apóstolo Paulo nos lembra que não há ninguém que possa nos condenar se estivermos sob a proteção do Senhor. É Ele quem nos justifica e foi por isso que entregou Seu filho à morte de cruz. Não por nós, por algum feito, ou merecimento, mas pela graça e pelo amor de Deus que somos justificados. Sem Deus nada somos e nada podemos fazer, mas Nele e por Ele podemos todas as coisas.

  O apóstolo afirma que ninguém poderá nos separar do amor de Cristo  e mesmo sofrendo perseguições e tribulações somos mais do que vencedores, porque Ele já venceu por nós. Contudo, é difícil tomar posse dessa verdade porque deixamos a nossa natureza incrédula falar mais alto. Diante de lutas e adversidades temos uma tendência a julgar pela nossa força, a avaliar o inimigo como mais forte porque nos esquecemos de quem está conosco. E se Deus está no controle a vitória é certa, ainda que estrategicamente Ele permita que percamos uma batalha. Nem sempre a perda inicial significa derrota. Muitas vezes é ela que nos impulsiona para a vitória. Mesmo que pareça paradoxal, mas quem perde às vezes ganha, assim como quem ganha pode acabar perdendo. Quem ganha uma discussão pode perder um amigo, uma oportunidade...
E se Deus é quem nos justifica, muitas vezes Ele devolve a nós com muito mais riqueza e qualidade o que julgávamos perdido. A grande verdade é que ninguém poderá nos resistir, se somos eleitos do Senhor. 

segunda-feira, 13 de maio de 2013


Ninguém vos engane com palavras vãs; porque por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Efésios 5:6



O apóstolo Paulo nos exorta a exercer a obediência, lembrando-nos que de Deus não se agrada de quem é desobediente. Foi pela desobediência que o pecado entrou no mundo e por conta disso a humanidade colhe as suas consequências e Jesus precisou pagar um alto preço. Mas a Bíblia mostra que os obedientes resplandecem e colhem, mesmo que o mundo afirme o contrário, os frutos dessa atitude sensata. Em Filipenses 2:3-11 o apóstolo ensina “nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo;  não olhe cada um somente para o que é seu, mas cada qual também para o que é dos outros. Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus,  o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar,  mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens;  e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.  Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome;  para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,  e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai”. É importante compreendermos que a obediência produz bons frutos e que Jesus, em quem devemos nos espelhar, deu-nos o maior exemplo. Ele foi humilhado, resignado e paciente não deixou de obedecer, e por essa razão foi exaltado pelo Pai. O Seu nome é aclamado e não nenhum outro maior do que Ele, portanto, que ninguém nos desvie de Seus ensinamentos, porque ninguém tem autoridade para nos levar à desobediência. Que ninguém nos engane!

domingo, 12 de maio de 2013


Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros. Romanos 12:4,5




A verdadeira Igreja do Senhor Jesus não é um edifício feito de tijolos, mas servos do Altíssimo onde cada um contribui com o seu dom para que o mandamento do Senhor seja cumprido, conforme a Sua vontade. Cada membro faz parte desse corpo e todos têm a devida importância. Cada um faz a parte que lhe compete, dentro dos limites das suas habilidades e competências, mas todos são um, porque o Cabeça, o  Cérebro, o que comanda e rege é Jesus Cristo. A Igreja para ser saudável deve ter os membros sãos, o que significa dizer que se parte desse corpo estiver doente todo o corpo padece, e também o Cérebro não pode operar, comandando com eficiência. Jesus não opera em um corpo doente, por isso Ele espera recebamos a cura para os males que nos afligem para que possa agir em nossas vidas plenamente. Se agirmos como uma Igreja autêntica, cujos membros permaneçam saudáveis ajudando-se mutuamente, com toda certeza teremos uma Igreja que cresce, que se multiplica e que verdadeiramente cumpre o seu papel de evangelizar, conforme exortou Jesus. 

sábado, 11 de maio de 2013


Meus irmãos, não vos maravilheis, se o mundo vos odeia. 1 João 3:13-14




O verdadeiro cristianismo se sustenta em três pilares fundamentais. O primeiro é  a base em Jesus Cristo. Sem a profissão de fé em Jesus como único e suficiente salvador, não há cristianismo verdadeiro. O próprio Jesus  afirmou a base do cristianismo em João 14:6 “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”. Em João 17:3 “E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”.  O que foi reiterado por Paulo em 1 Timóteo 2:5 “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem”. O segundo pilar que sustenta o cristianismo é assentado em  uma transformação real de vida, em uma mudança na maneira de agir, pensar e sentir, que redunda na mudança de vida, sem a qual não há transformação verdadeira. Mudança  visível e comparável com a vida anterior. Esse pilar está assentado no que diz em II Coríntios 5:17 “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”. Sem que o velho homem esteja morto não há cristianismo, mas uma plateia do cristianismo. O terceiro pilar que define o verdadeiro cristianismo é a prática vivencial no dia-a-dia. Apenas ler sobre, assistir cultos, ou participar de campanhas não significa ser cristão verdadeiro, pois até quem não é cristão faz isso socialmente. Viver uma vida cristã é praticar os princípios e valores do cristianismo também fora da igreja, no seu cotidiano, sem ser um camaleão que se mistura ou adota as cores e costumes do mundo e não deixa a sua marca onde está. O autêntico cristão é o mesmo e tem as mesmas atitudes cristãs em todos os lugares. Prega sem necessidade de abrir a sua boca, porque vive e testemunha uma vida transformada. Em Mateus 7:17-23 está escrito o fundamento desse pilar: “Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade”. Quem é cristão só pode dar frutos  cristãos. Quem não tem a sua fé fundamentada em Jesus Cristo, não tem a sua vida transformada ou não vive como cristão também além dos muros da igreja pode ser uma arremedo de cristão, um simpatizante dos cristãos, mas não é um cristão legítimo.

sexta-feira, 10 de maio de 2013


Meus irmãos, não vos maravilheis, se o mundo vos odeia. 1 João 3:13-14



Ninguém se admire de ser perseguido, injuriado ou injustiçado sem motivos porque optou por seguir o caminho de Jesus. Ele mesmo sofreu as maiores perseguições e afrontas gratuitas sem que tivesse  revidado. Jesus devolveu o mal com o bem e foi justo e íntegro até o final. Mesmo na cruz, perdoou os que lhe maltrataram, os que Dele zombaram e não deixou de concluir a missão na terra. Muitos de nós desviamos o foco de nossa missão, quando nos sentimos perseguidos ou injustiçados. Esquecemo-nos de quem está conosco e de que Ele disse que teríamos aflições no mundo, mas Ele prometeu que não nos deixaria. Essa é a confiança que precisamos manter viva, quando as lutas vierem. Deus está acima de tudo e as provas que passamos servirão para nos fortalecer e nos preparar para qualquer situação. Mas confiar e obedecer vem antes de qualquer vitória. A viúva não tinha perspectiva diante da dívida e dos credores à sua porta, mas confiou na palavra do profeta Eliseu. Não só confiou. Ela obedeceu sem questionar, sem duvidar. Levou as vasilhas que foram cheias de azeite e as circunstâncias adversas mudaram milagrosamente. Ela não deixou de confiar, sabendo quem estava acima do problema que lhe afligia. Ela não perdeu o foco, mesmo procurada pelos credores, sem ter como saldar a dívida que herdara.  Mesmo  em situação ruim, confiou e obedeceu e por isso mudou o curso de sua vida e de seus filhos. O mundo não se identifica com quem é de Deus, porque o mundo jaz no maligno e sempre odiará os que temem e buscam ao Senhor! Mas aquele que sabe quem é o Senhor não vacila e não se deixa abalar!    
  

quinta-feira, 9 de maio de 2013


Se o SENHOR não tivera ido em meu auxílio, a minha alma quase que teria ficado no silêncio. Salmos 94:17-18






Quantas vezes vivemos situações difíceis, e chegamos a pensar que o Senhor nos abandonou e ou que está ao longe, que não nos ouve, nem se preocupa com nossos problemas. Mas diferentemente do que imaginamos nada passa despercebido aos  olhos Dele,  por isso devemos confiar nas palavras do Senhor, que nos ensina a entregar o controle de nossas vidas por completo  nas mãos do Senhor, o único em quem podemos realmente confiar. Deus sabe o momento certo de agir, e o fato de não nos responder de imediato, ou da forma como esperamos não significa  que não está agindo. O Senhor está no controle, muitas vezes a afronta que sofremos e imaginamos injusta é o que nos traz fortalecimento no Senhor. Se sofrermos afrontas e agravos, agindo mal, que galardão há nesta situação, mas se formos agravados sendo justos, nisso seremos recompensados pelo Senhor. Esperar pela justiça de Deus, eis o sábio conselho a ser seguido sem duvidar. 

quarta-feira, 8 de maio de 2013


Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas. Efésios 2:10




Observe que o apóstolo está se referindo a um dos objetivos para os qual fomos criados, além de glorificar a Deus. Fomos criados à imagem e semelhança do Criador, para exercermos boas obras e isso não significa tão somente fazer caridade como exercício para a salvação, mas exercermos um atributo que é inerente a Deus que nos criou à Sua imagem. Praticar e andar no bem é ser correto e digno em todas as circunstâncias, não só para que os homens testemunhem, mas por reconhecimento de quem é Deus e do que somos se ligados a Ele. Somos feitura de Deus, criados para andar em verdade e em sintonia com o Reino de Deus. 

terça-feira, 7 de maio de 2013


Quem fala de si mesmo busca a sua própria glória; mas o que busca a glória daquele que o enviou, esse é verdadeiro, e não há nele injustiça. João 7:18



Quando nos sentimos injustiçados temos a tendência a buscar argumentos em nós mesmos para a nossa própria defesa, mas quem busca  o Senhor e  os Seus estatutos Nele encontrará a verdadeira justiça e será agraciado por dupla honra. Entrega teus caminhos ao Senhor, confia Nele e tudo o mais Ele fará diz a palavra de Deus nos Salmos 37. É nessa crença e nesse fundamento que devemos estabelecer nossos planos e firmar nossos propósitos. Deus que tudo sabe, tudo pode e que sonda os corações, para Sua honra e glória fará justiça àqueles que Nele esperam e não deixará seus eleitos desassistidos ou à mercê do ímpio. A justiça de Deus não é cega, e Deus não está surdo diante dos clamores de quem a Ele se dirige com fé. Não precisamos advogar a nossa causa, pois temos um advogado cuja eloquência foi exposta na Cruz e fala por nós até mesmo nas circunstâncias mais impensadas. 

segunda-feira, 6 de maio de 2013


E Jesus, tendo ouvido isto, disse-lhes: Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao arrependimento. Marcos 2:17





Foi pelos pecadores que Jesus veio ao mundo como homem e sofreu as dores e humilhações humanas, ao ponto de padecer em uma cruz. É aos pecadores que Jesus dá a possibilidade de salvação. Jesus jamais virará as costas ou deixará de estender a mão a um pecador que chega até Ele, porque essa é a Sua missão. Os cristãos precisam entender que Marcos dirige essa palavra aos pecadores, para que entendam que Jesus ama os pecadores, mas não tolera o pecado. Mas, sobretudo, precisam agir como o Mestre, acolhendo os pecadores assim como fez Jesus. A Igreja é lugar de pecadores que buscam o arrependimento e a conversão. É aos pés da cruz que  o pecador encontra redenção e acolhida não para continuar no pecado, mas a cura para a alma e refrigério para o espírito.

domingo, 5 de maio de 2013





“Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome;  para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,  e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.” Filipenses 2:9-11


Não há como contestar a força desta palavra do apóstolo Paulo que afirma que só há um nome diante do qual todos os joelhos devem se dobrar: Jesus. Esse é o nome que deve ser clamado e reverenciado. Os demais devem ser reconhecidos pelo que representaram, pela santidade, pelo testemunho, mas jamais devem ser igualados ou colocados em posição superior ao nome do Senhor Jesus. Ninguém pode negar que Maria está no céu, ou que Pedro, João, Paulo, também estejam. Assim como outros servos do Altíssimo também foram para a presença do Pai, mas  ninguém foi encontrado  digno de ao menos olhar para o livro que estava na mãos de Deus, e também de abrir seus selos, conforme diz João no livro do apocalipse. Ninguém…. absolutamente ninguém dos que estavam nos céus era digno sequer de olhar para o livro que estava nas mãos de Deus. Nem mesmo Maria, a mãe do Senhor! Isso significa que não podemos atribuir a ela ou a qualquer outro santo o que é só pode ser atribuído a Jesus. Não podemos pedir a São Paulo, mesmo reconhecendo que ele é santo, o que só pode ser mediado por Jesus. Não podemos fazer deste santo uma imagem de escultura e cultuá-lo, clamando que interceda por nós, pois ele mesmo nos exortou a não fazermos isso. O apóstolo Paulo em 1 Coríntios 10:14 exorta o povo a não ser idólatra “Portanto, meus amados, fugi da idolatria”. Esse mesmo santo que é idolatrado em várias igrejas e para quem são feitas imagens para que in(fieis) se curvem diante dele, descumprindo o seu próprio pedido, também nos ensina o que disse em 1 Timóteo 2:5-6.  “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem”. Se reconhecemos Paulo como santo, e ele é pelas suas atitudes, em vez de pedirmos a sua intercessão junto de Deus, devemos atender o que ele exorta: não nos deixemos corromper pela idolatria, não nos curvemos diante de nenhuma imagem de escultura. Adoremos a Deus em Espírito e reconheçamos que só há um mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo de Nazaré.