Traduza este blog

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Palavra Viva: Palavra para Comunhão


“Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência”. (1 Timóteo 4:2).

Um outro tipo de cristão-barreira-de-bênçãos é o “I ao Cubo”. Aquele cristão Impostor, Indolente, Intolerante e Ingrato. Não recebe as bênçãos porque não adquire a verdadeira postura de cristão: não toma o capacete da salvação como exorta Paulo aos Efésios 6: 17: “Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus”. Antes se disfarça de cristão na presença dos irmãos e dos pastores, mas lá fora, quando deveria testemunhar Cristo, comporta-se de acordo com as determinações do mundo. Tendo a consciência cauterizada não discerne sobre o que é de Deus e o que é do maligno. Aos domingos arma-se com a Bíblia e, como fariseu, assume o ar contrito, mas no resto da semana assenta-se à roda dos escarnecedores, juntamente com aqueles que negam o sacrifício de Cristo. “Porque o vil fala obscenidade, e o seu coração pratica a iniqüidade, para usar hipocrisia, e para proferir mentiras contra o SENHOR, para deixar vazia a alma do faminto, e fazer com que o sedento venha a ter falta de bebida”. (Isaías 32:6). Esse tipo de cristão é indiferente à palavra, apático diante do ministério, insensível aos apelos dos irmãos e líderes. É também inflexível diante de suas convicções, orgulhoso e ingrato. Não dá graças a Deus pela Sua misericórdia, não reconhece Sua presença e Sua ação em sua vida e faz o mesmo com seus irmãos. É incapaz de pedir perdão ou agradecer.
Amado(a), Se você ama a Lei do Senhor, mas sente que está difícil mudar essa característica, coloque diante Dele sua fraqueza e limitação, e peça com humildade: “Desvia de mim o caminho da falsidade, e concede-me piedosamente a tua lei” (Salmos 119:29).”E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens”. (Colossenses 3:23), porque “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça” (1 João 1:9).
Deus te abençoe!

“E o SENHOR lhe disse: Ouvi a tua oração, e a súplica que fizeste perante mim; santifiquei a casa que edificaste, a fim de pôr ali o meu nome para sempre; e os meus olhos e o meu coração estarão ali todos os dias”. (1 Reis 9:3)


Devemos orar com inteligência

Ao orar devemos decidir: "O que realmente queremos de Deus?" Quando consultamos um médico ou um advogado, preparamos cuidadosamente uma lista das coisas que queremos perguntar a fim de satisfazer todas as dúvidas. Quando falamos a Deus, devemos apresentar-Lhe nossos pedidos e súplicas com inteligência. Tiago afirma: "Pedis, e não recebeis, porque pedis mal" (Tiago 4:3). Isso nos leva a outro ponto importante. Devemos perguntar a nós mesmos: "Deus pode atender a este meu pedido?" Devemos também nos perguntar: "Fiz a minha parte? Estou dando um exemplo adequado? Estou demonstrando o amor de Cristo em minha vida?" É sinal de inteligência observar o que diz a Bíblia: “A palavra de Deus é lâmpada para os pés e luz para o caminho” (Sl 119.105). Mas, infelizmente, para muitos de nós cristãos, a Bíblia perdeu o valor. Muitos a consideram apenas um livro. Em muitas casas elas dão o “ar de proteção” quando abertas no Salmo 91. Para muitos pseudo-crentes elas são um escudo, não uma espada, mas quase chega a ser um adorno usado próximo ao corpo, ou um desodorante debaixo do braço. Em tempos de tecnologia, o Pastor Sergio Fernandes nos fala: “É comum quando visito o perfil do Orkut de alguns "cristãos" e noto que não há menção nenhuma da Bíblia Sagrada. Nenhum versículo, nenhuma comunidade. Deixamos a palavra de Deus em segundo plano. Não é a toa que nossas vidas sejam tão vazias de espiritualidade”.
Ler a Bíblia e orientar as orações pela bússola da palavra é sinal de maturidade espiritual. Quem despreza a Palavra de Deus não é inteligente e provavelmente colherá os frutos dessa falta de sabedoria.


Amado(a) ore com inteligência, aja segundo a vontade de Deus e deixe que Ele te oriente com a Palavra.


Graça e Paz!


http://www.icmv.org.br/BibliaOnline.aspx. Pr. Sérgio Fernandes. www.amoremcristo.com.br

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Palavra Viva: Palavra para Comunhão


“Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas”. (Filipenses 2:14 ).


Muitos são os cristãos que se perguntam por que não recebem as bênçãos de Deus. São batizados, professam a fé no Senhor Jesus, freqüentam os cultos, mas não dão testemunhos entre os irmãos, colegas, amigos e familiares do cumprimento dessas promessas. Quais seriam os motivos de a mão de Deus estar recolhida? O grande desejo de Deus é nos abençoar, mas muitas vezes somos nós que impedimos as bênçãos do Senhor de chegarem até nós pela nossa característica como cristão. Vamos lembrar alguns tipos de cristão-barreira-de-bênçãos: o Muquerela é um deles. É aquele que nunca dá graças, antes, MUrmura, QUEixa, REclama e LAmenta. Contraria a exortação do apóstolo em 1 Tessalonicenses 5:18: “ Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”. Não confia plenamente no Senhor, nem se comporta como um vitorioso que apenas espera a hora de receber o prêmio. Não atenta para o que diz o sábio em Provérbios 16:3: “Confia ao SENHOR as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos”. Muitos se indispõem com os irmãos e não observam o que Paulo diz aos Colossenses (3:13): “Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também”.
Amado(a) não seja um cristão Muquerela, Deus quer te abençoar.


Receba as suas bênçãos!

"Então dirá o homem: Deveras há uma recompensa para o justo; deveras há um Deus que julga na terra.”. (Salmos 58:11)



Paciência é fruto do Espírito

Às vezes o Senhor permite que a gente trilhe alguns quilômetros de caminhada impensados e incomuns e nesses momentos é gratificante sentir que Deus está no controle e que não nos abandona! O salmista afirmou que o Senhor aprova o caminho dos justos! A aprovação de Deus deve ser nosso alvo em tudo o que fizermos! Mesmo nas situações que parecem ser tão insignificantes, o Pai Celestial quer nos acompanhar! E o segredo de nosso sucesso é ter a presença dEle em todo tempo conosco!
Observe a recomendação do salmista: “Espera no SENHOR, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração; espera, pois, no SENHOR”. (Salmos 27:14).
Por que esperar?
A espera nos ensina a dádiva da dependência. O tempo é uma prova. Muitas vezes Deus demora em agir em algumas coisas que Ele poderia realizar em instantes. Mas Ele assim o faz para que nesse intervalo sejamos modelados e a paciência seja formada em nosso caráter. A espera nos mantém na dependência do Pai e nós vamos reconhecendo com humildade que precisamos da graça divina.
A espera é um termômetro para Deus nos revelar se de fato dependemos dEle. Ela mostra a nossa confiança no Senhor, que tudo pode.

Amado(a) Deus tem reservado inúmeras bênçãos para aqueles que nEle esperam. Ele tem ouvido você clamar por socorro. Creia: o Senhor moverá Sua mão em seu favor e você verá a bondade dEle em todas as coisas que lhe são caras. “Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele o fará”. (Salmo 37:5) e verá que muito antes do que imagina poderá testemunhar: “ESPEREI com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor”. (Salmos 40:1)
Se você pensa que está esquecido por um tempo, Deus não se esqueceu de você. O tempo da honra está chegando. O Senhor te recompensará! O Senhor conhece e aprova os seus caminhos! Ele te honrará no tempo certo!
Graça e Paz!

terça-feira, 29 de julho de 2008

Palavra Viva: Palavra para Comunhão




"Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber: aos que crêem no seu no­me; os quais não nasceram da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus." João 1:12-13.

Cristão é aquele que nasce de Deus. A palavra “cristão” é uma combinação de duas outras: Cristo e homem. O cristão é uma combinação de Cristo e você. Mas isso só ocorre pelo novo nascimento que Jesus falou a Nicodemos: "Se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus" (João 3:3). Segundo Jesus, o cristão é aquele que nasceu de novo. O nascimento espiritual é a única forma de entrar na família de Deus. Só é cristão aquele que escolhe fazer parte da família de Cristo. Diferente do que diz o senso comum, só pode se autodenominar cristão aquele que recebe a Cristo pela fé e compreende que Jesus, o Filho de Deus, morreu voluntariamente para expiar os pecados de toda a humanidade. Por isso o apóstolo João nos disse: "Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber: aos que crêem no seu nome" (João 1:12). Mas aquele que crê e recebe a Jesus deve andar como Ele andou: não basta apenas crer. Deve ser conhecido pelos seus frutos. "Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis" (Mateus 7:20).

Amado(a) você tem se comportado como um verdadeiro cristã(o)?

Deus te abençõe!

"Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres". (Tiago 4:3).


Devemos orar especificamente
Nossas orações não precisam ser longas. Muitas das orações do Senhor constavam de poucas palavras. Mas é importante que sejam específicas. Devemos pedir objetivamente. È estranho chegar ao Senhor sem dizer o que queremos. Orações gerais e vazias não produzirão respostas específicas. Se aprendermos a orar de maneira específica teremos problemas e necessidades solucionadas de maneira específica. Deus nos concede , como seus filhos, o direito pedir: "Nada tendes, porque não pedis".(Tiago 4:2b). Mas devemos aprender a pedir movidos por necessidades. Pedir mal é além da nossa capacidade ou real necessidade. Assim, deveríamos ser gratos a Deus por não responder algumas de nossas orações.
Graça e Paz!

segunda-feira, 28 de julho de 2008

"Deus resiste aos soberbos, mas dá graças aos humildes" (Tiago 4:6).


COMO ORAR
Devemos orar com humildade
Alguém já resistiu a você? Lutando contra você a cada oportunidade, mostrando-se terrivelmente desagradável, sendo grosseiro ou hostil? Essa é uma situação difícil de enfrentar, porque machuca e incomoda. E demonstra falta de humildade ou arrogância. Mas não existe nada, absolutamente nada mais desesperador do que defrontar-se com a resistência de Deus. Conforme nos fala Tiago, Deus resiste aos soberbos, mas inclina seus ouvidos aos humildes.
A prescrição de Deus para a bênção espiritual é dada em 2 Crônicas 7:14: " E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra."
Portanto, amado(a), se queremos nossas orações atendidas, o primeiro passo é ter um espírito de humildade e andar nos caminhos de Deus.
Graça e Paz!

Palavra Viva: Palavra para Comunhão


"Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado". (Hebreus 3:13)

Amado(a) Para vivermos em comunhão na igreja, antes será preciso compreendermos que somos irmãos de sangue. Somos feitos família de Cristo pelo sangue que Jesus verteu na cruz. Sim, e por Ele estamos ligados uns aos outros, por isso temos, como família, o dever de cuidar uns dos outros, como nos adverte Paulo em 1 Timóteo 5:8: “Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel”.

Devemos ter zelo com nossos irmãos em Cristo, cuidando para que se mantenham firmes na Palavra, e de igual forma que nada lhes falte.Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta”. (Tiago 2:26). Não se aborreça com seu irmão que o exorta para trilhar o bom caminho, porque esse é um dos conselhos do Senhor dado a nós em Tiago 5:19-20: “Irmãos, se algum dentre vós se tem desviado da verdade, e alguém o converter, saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador, salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados”.

Deus te abençoe!

domingo, 27 de julho de 2008

Em Lucas 18:1, Jesus disse que o homem deve "orar sempre e nunca esmorecer".



POR QUE ORAR?


A resposta a essa pergunta é muito simples: a Bíblia nos ensina a orar. A oração é a cura de Deus para o desmoronamento interior. Em Mateus 9:38 somos advertidos a orar, a fim de que o Senhor da seara envie mais ceifeiros para a Sua colheita.
Devemos orar porque Jesus orou. Sua vida inteira na terra foi um exemplo de oração.
Da mesma forma como Jesus Cristo, o Filho perfeito de Deus, teve na oração um ato extremamente importante, nós, pecadores, devemos tê-la como um ato indispensável. Jesus orou no início de seu ministério público quando foi batizado: "E aconteceu que, ao ser todo o povo batizado, também o foi Jesus: e estando ele a orar, o céu se abriu" (Lucas 3:21).
Antes de escolher os doze apóstolos, Ele passou a noite toda em oração: "Naqueles dias retirou-se para o monte a fim de orar, e passou a noite orando a Deus. E quando amanheceu, chamou a si os seus discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos" (Lucas 6:12-13).
Ele orou antes de alimentar os cinco mil: "Então Jesus tomou os pães e, tendo dado graças, distribuiu-os entre eles: e também igualmente os peixes, quanto queriam" (João 6:11). “Jesus orou antes de ir ao encontro dos discípulos no mar: “Subiu ao monte, a fim de orar sozinho” (Mateus 14:23).
No túmulo de Lázaro, Ele orou: "Tiraram, então, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou porque me ouviste" (João 11:41).
Na Última Ceia, Jesus orou: "E, enquanto comiam, tomou Jesus um pão e, abençoando-o, o partiu e lhes deu, dizendo: Tomai, isto é o meu corpo" (Marcos 14:22).
No Getsêmani, Jesus sofreu agonias em oração (Mateus 26:36-44). Nosso Senhor orava freqüentemente, então, seguindo o seu exemplo, cada cristão deve aprender a orar.
Por que orar? Porque ainda agora Jesus Cristo está orando a nosso favor, neste mesmo momento, pois a Bíblia diz: "Vivendo sempre para interceder por eles" (Hebreus 7:25). Também porque a oração foi o exemplo que nos deixou a primeira igreja: "E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações" (Atos 2:42).
Antes do dia de Pentecostes os apóstolos se reuniam para orar: "Todos estes perseveravam unânimes em oração, com as mulheres, estando entre elas Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele" (Atos 1:14).
Depois de Pentecostes "perseveravam" firmes em oração.
Quando Pedro foi aprisionado, eles oraram até que Deus o libertou. "Considerando ele a sua situação resolveu ir à casa de Maria, mãe de João, cognominado Marcos, onde muitas pessoas estavam congregadas e oravam" (Atos 12:12).
A igreja apostólica só agia mediante a oração. O apóstolo Tiago advertiu os cristãos, seus contemporâneos, de que a sua pobreza espiritual era devido à negligência em orar. "Nada tendes, porque não pedis" (Tiago 4:2).
Portando, amado(a) edifiquemos nossas torres de oração em todo o tempo e em todo lugar a fim de conhecermos a glória de Deus.


Graça e Paz!

Palavra Viva: Palavra para Comunhão




“O que repreende o homem gozará depois mais amizade do que aquele que lisonjeia com a língua”. (Provérbios 28:23)

Quantos de nós ficamos chateados quando um irmão, um pastor, ou um familiar nos admoesta e nos fala algo que no momento nos parece duro. Gostamos de ouvir elogios e ficamos envaidecidos quando eles vêm de outras pessoas. Mas não nos damos conta de que muitas vezes os elogios são ciladas e as verdades que nos parecem amargas, mesmo ditas por aqueles que nos amam, são para a nossa edificação. O sábio Salomão nos reporta a isso nesse versículo. Cuidado com os lábios enganosos, com a sedução das palavras. E ainda nos adverte: “O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável”. (Provérbios 28:9).“O que confia no seu próprio coração é insensato, mas o que anda em sabedoria, será salvo”. (Provérbios 28: 26). “O Homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, de repente será destruído sem que haja remédio”. (Provérbios 29: 1). Lembremos o que disse Paulo aos Efésios 5:6 “Ninguém vos engane com palavras vãs; porque por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência”.
Amado(a) “nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus”. (1 Coríntios 2:12)
Sejamos prudentes: cuidemos para não sermos enganados. Não é difícil saber de onde provém a boa semente: pode uma árvore má dar bons frutos?
Pensemos nisto.

Deus te abençoe!

sábado, 26 de julho de 2008

“Os discípulos se aproximaram certo dia de Jesus e lhe pediram: Senhor, ensina-nos a orar" (Lucas 11:1).




Eles tinham notado que ninguém orava como Jesus, e enquanto observavam e ouviam a oração de Jesus, compreenderam a sua própria e desesperada necessidade. Eles não pediram: "Senhor, ensina-nos a pregar", mas "ensina-nos a orar".
A princípio, pode parecer difícil orar. Mesmo que as palavras surjam com dificuldade, mas você deve insistir, pois por meio da oração podemos entrar na própria presença de Deus. Podemos tornar nossas necessidades conhecidas dEle; e mais importante ainda, podemos entrar em comunhão com Deus.

O QUE É ORAÇÃO?

O dicionário define a oração como sendo uma petição reverente e devota a Deus, uma súplica. A oração é, com certeza, isso. A mais simples definição de oração é o termo clamor. Em Romanos 8:15, Paulo diz: "Porque não recebestes o espírito de escravidão para viverdes outra vez atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai".
A oração é um clamor. Quando oramos, estamos clamando a Deus. "Senhor, ajude-me." "Senhor, dê-me sabedoria." "Senhor, ajude-me a ficar calado." A oração é um grito. Da mesma forma que a criança clama junto aos pais, nós clamamos a Deus.
Mas a oração é também um chamado. Em Jeremias 33:3, as palavras do Senhor são estas: "Invoca-me e te responderei: anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes".
Orar é pedir. Jeus afirmou novamente em Lucas 11:9: "Por isso vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e acha-reis; batei, e abrir-se-vos-á".
Oração é também comunhão. Orar é falar a Deus e tê-lo falando conosco. É gastar tempo em comunhão com nosso Pai celestial.
Orar é estar onde Jesus está. A oração é um diálogo com Alguém, um Outro que está em nós. Esse Alguém é Cristo que nos olha, nos fala, nos escuta. Ela é um face a face com o Deus que nos criou, que nos ama e nos salva. É um momento especial com o Espírito Santo que se revela e fala por nós.
“E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis”. (Romanos 8:26).


Graça e Paz!

Palavra Viva: Palavra para Comunhão


“Santificai um jejum, convocai uma assembléia solene, congregai os anciãos, e todos os moradores desta terra, na casa do SENHOR vosso Deus, e clamai ao SENHOR” . (Joel 1:14)

O jejum é um dos meios de obter comunhão com Deus.
Popularmente, jejum significa abstinência de alimento, mas na expressão hebraica – INNA NAPSO - significa afligir a alma, pois no jejum os apetites do corpo são negados.

a) DISCIPLINA - O jejum é um exercício espiritual que tem perdido sua popularidade na adoração da igreja, talvez como um sinal de nossos tempos que se caracteriza por grande ausência de disciplina; pois acima de tudo o jejum requer disciplina.

b) O SENHOR JESUS praticava o Jejum Mt. 4:1-14 - tendo deixado subtendido que os seus seguidores haveriam de jejuar quando ele se ausentasse deles.
O jejum é expressão de humilhação. Esdras. 8:21 – Est. 4:3, Neemias. 1:4.
O jejum é um meio de mostrar a Deus a própria sinceridade do coração na busca pela orientação divina.

c) O cristão deve jejuar. No livro de Atos vemos os líderes cristãos a jejuarem quando na escolha de missionários, o que evidentemente era prática que aplicava o jejum como meio de buscar a orientação de Deus – Atos 13: 2,3 e 14: 23.

Quando é corretamente usado o jejum é de indiscutível valor para o desenvolvimento espiritual do crente, embora por si mesmo, utilizado como rito vazio, não tenha valor algum. O jejum é um auxílio poderoso na busca pela orientação de Deus.
Amado(a), a vida cristã é prática, e o cristão que deseja viver uma vida vitoriosa deve lançar mão dessa arma para se aproximar do Senhor Jesus e viver em perfeita comunhão com os irmãos.

Deus te abençoe!

sexta-feira, 25 de julho de 2008

“Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Oh! Tomara que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido.” (1CRÔNICAS 4:10)


E me preserves do mal, para que não me sobrevenha aflição.

É fato comprovado que o sucesso traz consigo grandes oportunidades de fracasso. Podemos até dizer que ser abençoado é o maior dos perigos, pois tende a reduzir nossa dependência de Deus e nos deixa propensos a arrogância. Um irmão abençoado, enfrentará mais ataques dirigidos a sua pessoa e a sua família. Isto é até compreensível, porque se tornou uma pessoa mais perigosa a Satanás.
Após um grande momento de sucesso espiritual, é que necessitamos com urgência do último pedido de Jabez. "E me preserves do mal". A guerra mais eficiente contra o pecado é orar para que não tenhamos de lutar (Mt 6:13). Sem a tentação, nós não pecaríamos.
Satanás se opõe de maneira mais contundente àqueles que começam a se tornar uma grande ameaça a ele e ao seu reino. Quanto mais Deus responder as suas orações, mais você deve se preparar para enfrentar ataques espirituais.
Há momentos, porém, em que você não pode se afastar do mal porque, pelo poder de Deus, você está lançando um ataque fulminante contra as trevas. Nestes momentos você deve usar as armas da nossa milícia explicitadas em 2ª Co 10:4.
Faça uma reflexão sobre sua vida e observe: quando as bênçãos estão próximas, ou quando seu caminho está na palavra de Deus é que as coisas do mundo se apresentam mais sedutoras. Muitas vezes lhe parece que o seu tempo de vitória chegou. Mas, cuidado! Antes examine e busque em Deus o discernimento: o que estão lhe oferecendo é agradável ao Senhor? O que lhe oferecem procede de Deus, ou o tira da Sua presença?
Fique fora da arena da tentação sempre que for possível, teria dito Jabez, mas nunca viva no temor ou na derrota. Pelo poder de Deus, você poderá manter segura a sua herança de bênçãos.
Graça e Paz!

Palavra Viva: Palavra para Comunhão


“Oh! Deus, ouve a minha oração, inclina os teus ouvidos às palavras da minha boca”. (Salmo 54:2)

Comunhão consiste em um acordo em que duas ou mais pessoas unem-se e chegam a participar juntas de uma determinada coisa. (I João 1:3). O homem foi criado com o propósito de viver em comunhão com o seu criador. Houve a queda pelo pecado, porém, a restauração veio por meio da morte expiatória de Jesus. Agora este homem é convidado a manter uma relação de comunhão e intimidade com o Senhor. E este caminho é percorrido por meio de algumas atitudes dos seus servos. A oração é um dos meios de crescimento espiritual, uma forma de manter comunhão com Deus. ORAÇÃO é um ato da alma mediante o qual nos colocamos sob os cuidados de Deus. Consiste em um relacionamento com Deus que nos leva a pedir e receber. Fp 4:6. Orar é exercitar os nossos músculos espirituais e a fé que não pode ser aprendida mediante experiência física, mas exercitada. Quanto mais oramos, mais nos tornamos íntimos de Deus; recebemos o milagre e nossa fé é ainda mais acrescentada. Assim, nos tornamos mais fortes, principalmente quando a leitura da Bíblia acompanha todo este exercício. (Mt. 21: 22). A ORAÇÃO nos torna mais sensíveis às necessidades alheias, diminuindo nossos desejos por coisas meramente físicas. A oração nos melhora no relacionamento interpessoal.

Deus te abençoe!

quinta-feira, 24 de julho de 2008

“Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Oh! Tomara que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido”. (1CRÔNICAS 4:10)






Que seja comigo a Tua mão.

Depois de ousarmos pedir por mais bênçãos e por fronteiras mais amplas, muitos de nós vacilamos neste ponto de transformação espiritual. Recebemos bênçãos numa escala sem precedentes, mas de repente o vento que soprava parou. Desamparados, começamos a cair, sentimo-nos fracos, muito diferente de como um líder deve se sentir. Não conseguimos nos livrar da sensação de que somos a pessoa errada para este trabalho. Este sentimento significa exclusivamente que estamos na dependência total do Senhor Jesus. Observe que Jabez não começou sua oração pedindo que a mão de Deus estivesse com ele. Àquela altura, ele ainda não tinha consciência dessa necessidade. As coisas ainda estavam sob o seu controle. Mas quando suas fronteiras começaram a alargar e tarefas proporcionais ao território preparado por Deus começaram a se colocar diante dele, Jabez reconheceu sua pequenez e clamou pela mão de Deus sobre si rapidinho. Se buscar as bênçãos de Deus é nosso mais elevado ato de adoração e se pedir para fazer mais para Deus é nossa ambição maior, requerer que a mão de Deus esteja sobre nós é a nossa melhor estratégia. As mãos de nosso Pai estão sempre estendidas quando dizemos; "Pai, faze isso por mim, pois não posso fazê-lo sozinho. É grande demais para mim". E você sai dando o passo de fé, para fazer e dizer coisas que só poderiam vir das mãos de Deus.

Graça e Paz!

Palavra Viva: Palavra para Comunhão



“Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento.” (Mateus 9:13)
Vejamos alguns pontos essenciais na melhoria dos relacionamentos entre os membros da igreja.

a) Humildade: Atitude submissa e prestativa uns com os outros (Marcos 10:45).
b) Bondade: Prontidão para fazer o bem sem olhar a quem (Romanos 2.4; 5.8).
c) Mansidão: relação sem coerção para mudança das pessoas (Mateus 11.29; 2 Timóteo 2.24-25).
d) Misericórdia: relacionamento afetivo e cuidadoso com irmãos e pessoas machucadas e abatidas (Mateus 9.36; 4.14).
e) Perdão: Perdoamos como somos perdoados por Deus por meio do sacrifício de Cristo (3.13; Mateus 6.12, 13-14).
f) Longanimidade: Boa vontade para agir com tolerância diante da franqueza humana (Gálatas 6:1-2).

Amado(a) Como têm sido os seus relacionamentos? Você tem tratado seu irmão como gostaria de ser tratado? Você tem se colocado no lugar do outro, numa atitude de respeito e de mansidão? Ao fazer o balanço de seus relacionamentos, na Igreja, ou na vida secular, você pode contabilizar: semeei a boa semente e colhi os seus bons frutos; como Jesus, compreendi as imperfeições de meus companheiros, e me cerquei de pessoas cujo caráter buscava a perfeita estatura de Cristo; diante dos irmãos e dos incrédulos fui um exemplo de cristã(o) e dei bom testemunho; por onde andei deixei um rastro de luz e de amizade; as portas que deixei para trás sempre estarão abertas para mim; tenho sido grato(a) àqueles que me estenderam a mão e me acolheram nas horas difíceis; Jesus pode ser visto pelas minhas atitudes com as pessoas?
Lembremos o que disse Paulo em 2 Timóteo 2:15: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”.


Deus te abençõe!

quarta-feira, 23 de julho de 2008

"Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Oh! Tomara que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido.” (1CRÔNICAS 4:10).


E me alargues as fronteiras..
Jabez ao fazer este pedido, estava clamando por mais e maiores oportunidades para realizar os propósitos de Deus para sua vida. Quando Jabez clamou a Deus "alarga minhas fronteiras", ele pensava: "Eu não nasci para ter só isso". Este clamor engloba aspectos espirituais, materiais, físicos, financeiros, familiares, etc. Este pedido pode ser entendido como um aumentar de oportunidades, dentro do propósito para o qual me concebestes, para que possa alcançar mais vidas para Tua glória, para fazer mais para Ti. Independentemente de quais sejam nossos dons, formação ou vocação, o chamado que recebemos de Deus é para realizar Sua obra na terra. Quando nós determinamos o tamanho do território que Deus tem em mente para nós, é o resultado da seguinte equação: Minhas habilidades + Minha experiência + Meu treinamento + Minha personalidade + Meu passado = Território por mim reservado. Na matemática de Deus (Zc 4:6) esta equação se transforma em: Minha disposição + Minhas fraquezas + A vontade e o poder sobrenatural de Deus = Meu território preparado pelo meu Senhor. É quando você se entrega totalmente sob o senhorio de Deus, e se coloca no centro dos planos Dele para este mundo, quando implora a Ele dizendo: "Senhor usa-me"! Dá-me um ministério para Ti, que os verdadeiros milagres se desencadeiam. É neste momento que os céus se abrem e a chuva serôdia cai sobre você, trazendo anjos, recursos, forças e as pessoas de que você precisa. Deus sempre intervém quando você coloca as prioridades d'Ele acima das suas.

Graça e Paz!

Veja um vídeo sobre a oração de Jabez:

Palavra Viva: Palavra para Comunhão


“Para que a comunicação da tua fé seja eficaz no conhecimento de todo o bem que em vós há por Cristo Jesus”. (Filemom 1:6)

Amado (a) lembremos que os relacionamentos na igreja só serão melhorados se nutridos pelo elo da perfeição.

Nosso Pai Celestial derramou sobre nós do seu grande amor pela morte do nosso Senhor Jesus Cristo na cruz do calvário. Por isso, quanto mais crescemos na graça e no conhecimento de Jesus (2 Pedro 3:18), e mais nos parecemos com ele, o caráter de Jesus se revela em nós por meio das virtudes que dão o tom da nossa comunhão com os irmãos na igreja. “Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo”. (Efésios 4:13). É Deus quem nos dá os dons e as habilidades, mas somos nós que formamos o nosso caráter. Assim, o que fazemos com o nosso corpo, tempo, talentos e bens, revela o caráter que estamos desenvolvendo.

Lembremos, pois, o que nos exorta 1 João 4:7: “Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus”, sabendo que Deus está reunindo o Seu povo, um por um dos que não somente amam como Ele ama, mas que também doam como Ele doa. E que se perseverarmos em nossa fidelidade, quando Cristo voltar ouviremos dEle: “Bem está, bom e fiel servo, sobre o pouco foste fiel, sobre o muito te colocarei; entra no gozo de teu Senhor.” Mateus 25:23. É imprescindível que perseveremos em agir corretamente, a começar com nossos irmãos para aperfeiçoarmos o tipo de caráter esperado por Jesus.



Deus te abençõe!

terça-feira, 15 de julho de 2008

“Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Oh! Tomara que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido”. (1CRÔNICAS 4:10)




Tomara que me abençoes.
Ao clamarmos pela bênção de Deus, estamos pedindo aquilo que não poderíamos conseguir com nosso próprio esforço. Há urgência e entrega pessoal neste apelo!
Pai! Por favor, abençoa-me, sim, abençoa-me Senhor e muito! Antes de clamarmos por bênçãos, precisamos ter uma compreensão clara do que esta palavra significa. Bênção é uma palavra que vem do latim, benedictione, que significa: "favor divino, graça".No âmbito bíblico, significa pedir ou conceder um favor sobrenatural. Provérbios 10:22 diz: "A bênção do Senhor é a base da verdadeira riqueza, pois não traz tristezas nem preocupações." Observe que no primeiro pedido de Jabez, ele deixou inteiramente nas mãos de Deus a natureza da bênção, onde e como ela lhe seria dada. Este tipo de confiança total nas boas intenções de Deus para conosco, difere frontalmente do pedido especifico de querer um melhor emprego, a restauração financeira de seu empreendimento. O pedido de Jabez também é muito específico. Ele pede a Deus que lhe dê nada mais nada menos do que Ele tem reservado para ele. Jabez confia plenamente no senhorio do Senhor, crendo que só Ele sabe o que mais lhe é necessário. Jabez neste pedido mergulha inteiramente no rio da vontade de Deus, do seu poder e de seu PROPÓSITO para ele.
Somente Deus sabe o que é melhor para nós. Mt 7:7 - "Pedi e dar-se-vos-á". Tg 4:2 - "Nada tendes, porque não pedis." A bondade de Deus não tem limites. Se você pede uma bênção específica, você poderá até recebê-la, mas deixará de receber as que não pediu e Deus esperava somente uma oportunidade para dá-los. Abençoar faz parte da natureza de Deus. A liberalidade de Deus é limitada somente por nós.

Graça e Paz!

Palavra Viva: Palavra para Comunhão

“Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado”. (1 João 1:6-7).

A palavra de Deus é clara quando nos adverte sobre nossas amizades. Paulo nos lembra em II Coríntios 6:14 “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” Eis as características de uma amizade saudável, segundo a Bíblia:
a) Lealdade (Pv 27:10; Pv 17:17),” Não deixes o teu amigo, nem o amigo de teu pai; nem entres na casa de teu irmão no dia da tua adversidade; melhor é o vizinho perto do que o irmão longe”.
b) Aconselhamento mútuo (Pv 27:9; Pv. 12:26) “O óleo e o perfume alegram o coração; assim o faz a doçura do amigo pelo conselho cordial”.
c) Perdão (Pv 17:9) “Aquele que encobre a transgressão busca a amizade, mas o que revolve o assunto separa os maiores amigos”.
d) Honestidade (Pv 27: 5-6), “Melhor é a repreensão franca do que o amor encoberto. 6 Leais são as feridas feitas pelo amigo, mas os beijos do inimigo são enganosos”.
e) Gratidão (Pv 17: 13) “Quanto àquele que paga o bem com o mal, não se apartará o mal da sua casa”.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

“Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á" (Mateus 7:7)


Para ter vida e energia espirituais, cumpre estarmos em real comunhão com nosso Pai celestial. Podem nossos pensamentos dirigir-se para Ele; podemos meditar sobre Suas obras, Suas misericórdias, Suas bênçãos; mas isto não é, no sentido mais amplo, comungar com Ele. Para entreter comunhão com Deus, é preciso que tenhamos alguma coisa que Lhe dizer acerca de nossa vida.
A oração é o abrir do coração a Deus como a um amigo. Não que isso seja necessário, a fim de tornar conhecido a Deus o que somos, mas sim para nos habilitar a recebê-Lo. A oração não faz Deus baixar a nós, mas eleva-nos a Ele. Nos próximos dias enviaremos como “Maná” orientações sobre a oração e seu poder na vida do cristão. Tome posse desse alimento e seja abençoado a cada dia.
.
“Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Oh! Tomara que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido”. (1CRÔNICAS 4:10)
Nos próximos dias usaremos esse trecho bíblico para compartilhar com os irmãos a importância da oração.
Nesse texto vemos que Deus quer falar que Jabez fez algo que mereceu um destaque especial. E o que a Palavra mostra que Jabez fez?

Ele orou.
E o que ele orou? I Cr 4:10 Jabez invocou o Deus de Israel dizendo:

Oxalá que me abençoes
E me alargues as fronteiras
Que seja comigo a Tua mão
E me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição
.

E DEUS LHE CONCEDEU O QUE TINHA PEDIDO!!!
A primeira vista, os 4 pedidos podem ser considerados sinceros até mesmo nobres mas jamais poderiam ser considerados notáveis. Por que essa oração tão simples mereceu este destaque? Tem que haver algo muito precioso que somente o Espírito Santo pode nos revelar. Vamos analisar,nos próximos Devocionais, sob a luz da revelação cada um destes pedidos.

Palavra Viva: Palavra para Comunhão



“Em todo o tempo ama o amigo e angústia nasce o irmão”. (Provérbios 17:17)



Na palavra de hoje vamos refletir sobre a importância das verdadeiras amizades no meio do povo de Deus. A Bíblia sagrada nos fala que aquele que não tem boas amizades não é sábio (Provérbios 18:1 e 15:30). As amizades que nutrimos mostram-nos dois importantes aspectos em nossas vidas:
Revela quem somos. Geralmente as pessoas com quem temos amizade são aquelas que têm os mesmos interesses e desejos que nós. “Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?” (Amós 3:3). “O que anda com os sábios ficará sábio, mas o companheiro dos tolos será destruído”. (Provérbios 13:20). Davi, amigo de Deus, inicia os salmos falando de como devemos saber escolher ao lado de quem nos sentamos, com quem compartilhamos nosso tempo: “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores” (Salmos 1:1).
Influenciam diretamente a nossa conduta. De acordo com a Palavra de Deus, as amizades têm grande influência em nosso proceder que podem inclusive nos fazer transigir com nossos princípios. (Pv 22:24-25). “não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tiago 4:4.)
A Bíblia também apresenta vários exemplos de como é importante preservar as boas amizades. O sábio Salomão lembra que amigo é aquele que nos fala a verdade e nos sustenta no bom caminho e não aquele que nos bajula “Leais são as feridas feitas pelo amigo, mas os beijos do inimigo são enganosos”. (Provérbios 27:6)
Pensemos nisto!

Deus te abençoe!

domingo, 13 de julho de 2008

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe”. (Apocalipse 2:17)



Maná (Hebraico: מָ‏ן man) significa seiva de tamarisco. O livro bíblico de Êxodo o descreve como um alimento produzido milagrosamente, sendo fornecido por Deus ao povo hebreu, liderado por Moisés, durante sua estada no deserto rumo à terra prometida. Segundo Êxodo, após a evaporação do orvalho formado durante a madrugada, aparecia uma coisa miúda, flocosa, como a geada, branco, descrito como uma semente de coentro, e como o bdélio, que lembrava pequenas pérolas. Geralmente era moído, cozido, e assado, sendo transformado em bolos. Diz-se que seu sabor lembrava bolachas de mel, ou bolo doce de azeite.
Ainda segundo a Bíblia, o maná era enviado diariamente e não podia ser armazenado para outro dia. Também não era fornecido aos sábados; por isto Deus enviava uma quantidade maior às sextas-feiras, e neste caso o maná podia ser guardado para o sábado sem se deteriorar.
Amado(a), o Ministério Telecuidado, dentro do propósito de Comunhão, enviará a você uma palavra diária para nossa edificação e comunhão. Iniciaremos com textos sobre a oração, sua importância e formas e seguiremos enviando temas relacionados à vida cristã.

Graça e Paz!

Palavra Viva: Palavra para Comunhão

“A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós. Amém”. (2 Coríntios 13:14)

Sobre a comunhão, necessária entre os irmãos e a Igreja, citaremos alguns versículos a partir dos quais vamos refletir sobre relacionamentos nos próximos dias por meio dos textos inspirados na Palavra de Deus:
Atos dos Apóstolos 2:42- E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.
1 Coríntios 1:9- Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor.
1 Coríntios 10:16- Porventura o cálice de bênção, que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é porventura a comunhão do corpo de Cristo?
2 Coríntios 6:14- Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?
2 Coríntios 13:14- A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós. Amém.
Filipenses 2:1- Portanto, se há algum conforto em Cristo, se alguma consolação de amor, se alguma comunhão no Espírito, se alguns entranháveis afetos e compaixões,
1 João 1:3- O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo.
1 João 1:6-7 -Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade.Lembrem-se de que somos a Igreja de Cristo na terra e que nosso corpo é templo do Espírito Santo. Vivamos, pois, em comunhão com os irmãos.

Deus te abençoe!