Traduza este blog

sábado, 30 de abril de 2011



Mas o SENHOR está comigo como um valente terrível; por isso tropeçarão os meus perseguidores, e não prevalecerão; ficarão muito confundidos; porque não se houveram prudentemente, terão uma confusão perpétua que nunca será esquecida. (Jeremias 20:21)

Amado(a), ainda que aos olhos dos homens as coisas não sejam tão claras, porque o inimigo faz tudo para tirar a visão do eleito de Deus o certo é a promessa do Senhor não pode ser revogada. O mundo pode estar contra, mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças e subirão com asas, como águias diz o profeta Isaias. Mesmo que as circunstâncias pareçam contrárias, o Senhor está com aqueles que O temem e guardam os Seus mandamentos. Quando menos se espera, e ao tempo de Deus, Ele virá como um valente sobre os perseguidores de Seus filhos. Quem maltrata, injuria, rouba ou explora um escolhido do Senhor não ficará impune avisa o profeta Jeremias. Ficarão confundidos e se embaraçarão em sua própria teia aquele que tenta prevalecer sobre um filho de Deus. Não prosperará por muito tempo quem usurpa ou explora o que pertence aos filhos de Deus. Antes, porém, aquele que tira de quem é fiel a Deus o seu sustento, não se saciará, nem terá paz, enquanto Deus proverá e multiplicará os frutos daqueles que andam segundo o Seu conselho e estende a mão ao necessitado, ainda que este seja o que lhe cospe no prato que come.
Amado(a), a promessa do Senhor é a de confundir os que agiram de má fé contra os Seus filhos. Não queira estar entre os que serão confundidos, porque a mão do Senhor é poderosa. Caindo nas mãos do inimigo, o Senhor pode nos livrar. Mas não há quem nos livre da Sua mão, diz a Bíblia.

Graça e Paz!

sexta-feira, 29 de abril de 2011



E te converteres ao SENHOR teu Deus, e deres ouvidos à sua voz, conforme a tudo o que eu te ordeno hoje, tu e teus filhos, com todo o teu coração, e com toda a tua alma, Então o SENHOR teu Deus te fará voltar do teu cativeiro, e se compadecerá de ti, e tornará a ajuntar-te dentre todas as nações entre as quais te espalhou o SENHOR teu Deus. (Deuteronômio 30:2-3)

Amado(a), observe que há orações condicionais implícitas nessa exortação de Moisés. A condição para que Deus nos faça sair do cativeiro e nos ajuntar ao Seu povo depende apenas de nós. As condições são a conversão e ouvir a orientação do Senhor. Mas não basta apenas ouvir simplesmente. É preciso fazer isso de todo o coração e de toda alma. Isso significa que não pode ser ato automático, mas pensado e sentido verdadeiramente.
Se refletirmos sobre esse versículo trazendo-o para nosso cotidiano, vemos que ouvir a voz de Deus não é apenas escutar a pregação, mas viver com coerência o que a Bíblia ensina e o que nossa consciência aponta. Deus se compadece daqueles que se arrependem e se convertem de seus maus caminhos e reconhecem que o pecado pode até ser um acidente de percurso na vida do cristão, mas deve ser uma exceção e não a regra, como demonstra a vida de quem não aprende com os erros e insistem em continuar sob a batuta do mundo. Moisés nos ensina que o maestro de nossas vidas deve ser Jesus. Você tem vivido nessa condição?
Graça e Paz!

quinta-feira, 28 de abril de 2011



O SENHOR faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti; (Números 6:25)


Amado(a), a grande verdade é carecemos da misericórdia de Deus sempre. Sem ela não temos paz, não encontramos alentos nem mesmo quando pensamos ter conquistado os nossos sonhos. É Deus quem dá a única e verdadeira paz que jamais podemos obter com nossas próprias força. Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalha os que a constroem, afirma o salmista. Mas se Ele resplandece o Seu rosto sobre nós e nos ilumina com Sua misericórdia e graça seremos plenos. Moisés sabia disto e evocou a graça e a misericórdia de Deus para o seu povo, que muitas vezes seguiu errante, sem exercitar o poder que lhes foi confiado. Ainda hoje tentamos abraçar o mundo com nossas fraquezas, pensando que somos fortes o suficiente para a batalha. Que Deus tenha misericórdia de nós e nos alcance, substituindo nossas frustrações e angústias pelo alento necessário no momento em que estamos impotentes e vulneráveis ao ataque do inimigo que, mesmo já sabendo ser um derrotado, não desiste daqueles a quem o Senhor elegeu!
Graça e Paz!

quarta-feira, 27 de abril de 2011



Jesus, porém, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: Todo o reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda a cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá. (Mateus 12:25)

Amado(a), sabemos que nossa luta não é contra a carne e o sangue, mas contra o diabo que se vale de nossas brechas e fraquezas para minar nossas forças e conseguir seu intento: destruir nossas almas. Também sabemos que o nosso inimigo é um derrotado que tenta nos iludir com suas artimanhas, fazendo-nos crer que ele é o vencedor. Mas ele é um grande estrategista e conhece a arte da guerra. No versículo em epígrafe, Jesus está nos alertando para uma defesa contra os ataques de satanás. Ele tenta nos dividir para diminuir nossas forças. Ele faz isso colocando-nos contra os nossos aliados, contra aqueles que poderiam ser nosso suporte. Mas como ele faz isso? Plantando a semente da desconfiança, da discórdia, da fofoca. Ele conhece a teoria da arte da guerra: “se suas forças se equivalem, procure repartir as do inimigo; se suas forças forem inferiores, seja hábil em tomar a defensiva;” Se você vive uma luta, atente para as estratégias de seu adversário. Observe que ele primeiro coloca você contra aqueles a quem poderia se aliar no caso de um pedido de socorro. Tira a sua confiança, faz com que você se sinta diminuído. Depois de conseguir dividir as forças, ele faz com que você se julgue impotente para reagir, criando uma dependência dele. Isso faz com que você se mantenha no seu jugo, crendo que não pode se livrar, que não tem mais saída, que não pode contar com aqueles a quem abandonou. O diabo conhece você e conhece a palavra. E você? Conhece o seu inimigo? É preciso que conheça o seu inimigo e suas estratégias para se livrar dele e obter a vitória. Jesus está lhe ensinando uma estratégia para vencer o seu oponente: não deixe que o inimigo divida as suas forças. Não se afaste de seus verdadeiros amigos, não dê as costas aos seus líderes e nem menospreze suas palavras. Se você está em meio a uma batalha, a melhor política é desintegrar as alianças do inimigo por meio da diplomacia. Lembre-se: não adianta lutar com as mesmas armas. Arme-se da palavra de Deus e some as forças em vez de dividir.
Por isso se diz: aquele que conhece o inimigo e a si mesmo, lutará cem batalhas sem perigo de derrota; para aquele que não conhece o inimigo, mas conhece a si mesmo, as chances para a vitória ou para a derrota serão iguais; aquele que não conhece nem o inimigo e nem a si próprio, será derrotado em todas as batalhas.
Graça e Paz!

terça-feira, 26 de abril de 2011



Entrega teu caminho ao SENHOR, confia Nele e o mais Ele fará.”(Salmos 37: 5)


Amado(a), você certamente já deve ter ouvido esse versículo em alguma pregação de algum pastor, até mesmo de alguma pessoa, conhecida ou não. Pode até ter lido em algum folheto, em um e-mail ou por acaso na Bíblia. Mas será que já parou para refletir profundamente sobre essa mensagem divina? Já experimentou viver plenamente essa exortação?
Um dia, provavelmente, alguém usado por Deus lhe entregou essa mensagem e você até achou interessante. Pode ter anotado para ler com mais tranqüilidade, mas, certamente, ainda não viveu a verdadeira dimensão dessa sábia expressão do salmista. Se sua vida tem sido uma sucessão de desacertos, pode estar certo de que isso só ocorre porque não tem levado à sério esse versículo. Pense agora em momento que tenha ouvido ou lido esse versículo e o que fez depois de tê-lo ouvido. Quais foram os seus passos a seguir? Você ignorou o que ouviu? Pensou que essa pessoa, ou o material impresso que tenha lhe levado a mensagem foi um instrumento de Deus para indicar-lhe um caminho?
O salmista sabia do que falava e ele mesmo deu um novo rumo a sua vida. Entretanto, nem todos agem assim. Na maioria das vezes as pessoas preferem ignorar o recado e até justificar os seus descaminhos, julgando mal quem lhes alertou. Mas a grande verdade é que só há um caminho. Nele não há tropeços.
Amado(a), se você está cansado(a) de viver em círculos, se suas escolhas têm levado você a caminhos tortuosos, ainda há tempo de colocar em prática o recado recebido e ainda pode compreender que ninguém fala em nome de Deus por acaso. Pense nisto!

Graça e Paz!

segunda-feira, 25 de abril de 2011



“E trará sobre eles a sua própria iniqüidade; e os destruirá na sua própria malícia; o SENHOR nosso Deus os destruirá.”(Salmos 94:23)


Amado(a), o salmista se pergunta até quando Deus permitirá que os ímpios saltem de prazer enquanto os justos padecem. Até quando ficarão impunes, enriquecendo ilicitamente, despojando órfãos e viúvas, explorando pessoas de bem, negligeciando as dívidas... E satanás tem procurado afastar as afeições dos filhos de Deus, fazendo com que se afastem do Senhor, falseando o caráter divino. Pelo engano, ele tem confundido mesmo os que professam ser cristãos, fazendo com que pratiquem iniqüidades para que sejam destruídos pela própria malícia. Quem conhece e vive a palavra sabe qual é o seu destino final, para onde será enviado no dia do juízo de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Entretanto, o diabo, enquanto pode tenta enganar os homens fazendo-os pensar que não há mal nenhum em desfrutar o que a vida lhes oferece. Não há problema em tirar vantagens das pessoas que encontram pelo caminho. O diabo tem assoprado no ouvido de muitos que hoje é diferente dos tempos bíblicos e que sexo fora do casamento é natural, que trocar de companheiro é melhor do que ficar infeliz. Afinal a fila anda e quem não segue a onda está por fora. O diabo sussurra no ouvido dos desavisados que está fora de moda obedecer a pai e mãe, que pornografia não é pecado, que a mentira às vezes é necessária. Pequenos delitos não são crimes, sonegar impostos ou atenção à família não tem importância. Deixar de pagar as dívidas, principalmente se não há nenhum papel assinado, não é errado. Afinal, o mundo é dos espertos, segundo a ordem do príncipe deste século. Mas por conta disso muitos se perdem. Eis que o salmista nos alerta para o perigo de cairmos primeiro na fé, depois na perdição por conta de nossas iniqüidades. Deus destruirá o iníquo, isso é inevitável, pois o Senhor não pactua com o pecado. Mas a nós cabe escolher de que lado queremos ficar quando o Senhor nos chamar. Só não sabemos que dia é esse, por isso amado(a), cuidemos para ficarmos do lado de fora. Decida hoje romper com os laços de satanás em sua vida, porque amanhã pode ser tarde demais.
Graça e Paz!

domingo, 24 de abril de 2011



Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação." (2 Timóteo 1:17)




Amado(a), o apóstolo nos lembra que Deus não nos criou para acovardarmos, mas para sermos equilibrados diante de todas as possibilidades de realizarmos aquilo que Ele nos deu por dom. Se, em tudo que fizermos tivermos equilíbrio e colocarmos amor, certamente colheremos bons frutos. De acordo com o Dicionário Aurélio equilíbrio é o mesmo que moderação, prudência, comedimento, autocontrole, autodomínio, controle. No sentido espiritual, o equilíbrio quer dizer um esforço de fazer as coisas, tendo como árbitro a Palavra de Deus em seu todo tempo. Por isso Paulo adverte aos Filipenses 4: 5 "Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens." Quando agimos com equilíbrio, fazemos as coisas no tempo certo, da forma certa, sem exageros. Mas, infelizmente, temos visto que muitos cristãos não têm tomado essa exortação como regra de vida. O desequilíbrio tem sido a tônica na vida de quem não atenta para a recomendação bíblica. E isso pode ser visto em várias áreas: no plano financeiro, espiritual, nos relacionamentos, no trabalho. Os que não regem sua vida com equilíbrio em geral mostram que a única coisa constante em sua vida é a oscilação. Ora gastam em exagero, ora são parcimoniosos em excesso. Ora estão rodeados de pessoas, em festa de domingo a domingo, para depois se isolarem como seres anti-sociais. Ora estão alegres em demasia, ora extremamente depressivos. Falta equilíbrio para administrar a vida espiritual, ora não saem da igreja e participam de todos eventos, ora desaparecem e evitam tudo que diz respeito à Casa de Deus. Entretanto, a Bíblia ensina que a moderação é condição necessária para o cristão dê testemunho verdadeiro e possa desfrutar de todas as bênçãos que o Senhor nos reservou.
Graça e Paz!

sábado, 23 de abril de 2011



Quando teu filho te perguntar no futuro, dizendo: Que significam os testemunhos, e estatutos e juízos que o SENHOR nosso Deus vos ordenou? Então dirás a teu filho: Éramos servos de Faraó no Egito; porém o SENHOR, com mão forte, nos tirou do Egito; (Deuteronômio 6:10-11)




Amado(a), reflita sobre esse questionamento de Moisés e pondere: se for confrontado por seus filhos, você poderá testemunhar libertação e honra? Você terá como mostrar a eles que realmente saiu do Egito e deixou de ser escravo do pecado? Assim como muitos israelitas, apesar de ter saído do Egito, ter conhecido a libertação pelas mãos do Senhor, há no meio do povo de Deus quem insista em viver na escravidão. Infelizmente, há quem prefira continuar a servir a Faraó, do que tomar posse da promessa. Isso porque, em vez de observarem os estatutos de Deus, continuam a fazer alianças contrárias aos mandamentos do Senhor.
Embora conheçam a palavra, ainda que tenha recebido no tempo de angústia o livramento das mãos do Senhor, muitos são os que não têm testemunhos que possam ser passados aos filhos porque não refletem a presença de Deus. Antes, porém, testemunham exatamente desonra e escravidão. Mesmo tendo saído do Egito, vivem como se nada tivesse mudado. Suas vidas continuam as mesmas. Não se percebe mudança de postura, nem de comportamento. Mentira, promiscuidade, descompromisso, inconstância nas relações são atitudes típicas de quem saiu do Egito, mas não deixou que o Egito saísse de si. E essa condição, ao contrário do que orienta Moisés, não pode ser passada aos filhos, porque nenhum discurso fala tão forte quanto o exemplo. Por isso o Senhor recomenda que Suas palavras, que hoje te ordeno, estejam antes no nosso coração para que possa ser ensinada aos filhos em TODOS os momentos, do levantar ao deitar. Palavras que devem estar marcadas como um sinal e bem diante de nossos olhos para dela não nos esquecermos.
Amado(a), seus filhos podem ver em você o reflexo do Evangelho, ou seu exemplo tem sido contrário ao que ensina a palavra de Deus?
Graça e Paz!

sexta-feira, 22 de abril de 2011



“Suportai-vos uns aos outros e perdoai-vos mutuamente, toda vez que tiverdes queixa contra outrem. Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai também vós.” (Colossenses 3: 13)




Amado(a), a falta de perdão é como um câncer, que mata nossa energia, nossa fé, nossos sonhos e nos leva à morte física também. Perdoar não é um sentimento mas um ato de vontade, é dar o primeiro passo, é quebrar o orgulho, é aprender a amar, pois Deus é amor. Perdoar é uma necessidade, porque nos livra de um peso que está dentro de nós e nos purifica de um ácido que corroi a alma. Já está provado cientificamente que muitas doenças são resultado da falta de perdão, são fruto da mágoa que somatizamos: dores de coluna, dores de estômago, gastrite, úlcera, dor de cabeça, insônia. Além disso, quando não liberamos perdão, permitimos que a pessoa a quem não conseguimos perdoar continue controlando nossa vida. com a falta de perdão carregamos doenças emocionais; Rancor, mágoas, ódio, mau humor, vivemos sem paz.
Perdoar não significa concordar com o erro do irmão, não é deixar de mostrar onde está o erro e buscar com ele uma solução para voltar ao alvo. Mas é não guardar mágoas, é interceder pelo arrependimento, e pedir a Deus, que a dor causada a nós não atinja a mais ninguém. Perdoar é suportar muitas vezes, mesmo que o ofensor não mereça o perdão. Perdoar é para o homem uma atitude difícil, complicada e mais constrangedora que alguém pode ter. O certo é que sempre teremos motivos e justificativas para não perdoar, mas Jesus nos deu o exemplo acima de qualquer justificativa. foi pautada no perdão, ele perdoou o pecado de muitos, da mulher samaritana, do paralítico, da prostituta. Ele perdoou os que o crucificaram.
Amado(a), Ele espera o mesmo de você e a prova maior do seu amor por Jesus é deixar os motivos de lado e exercer o perdão. Lembre-se de que perdoar não é uma opção. É uma condição para entrar no Reino de Deus e é natural que o inimigo de nossas almas plante a semente da discórdia e da falta de perdão e vai colocar motivos para que você viva com o peso da falta de perdão,pois ele sabe que quando perdoamos cumprimos o mandamento de Jesus. Ele sabe que o perdão tem mais força do que qualquer dom do Espírito. Sabe que perdão liberta, cura, restaura, rejuvenesce, alegra o nosso coração, e o coração de Deus. Porque ele sabe o perdão faz coisas tremendas é exatamente neste ponto que ele tenta destruir as pessoas, tornando-as amargas e criando barreiras para que não receba o amor verdadeiro.
Jesus pregou o perdão porque sabia que era a maior necessidade do homem. Uma das últimas palavras de Jesus na cruz foi “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”. Era a consumação maior de seu ministério. E ao nos lembrarmos de Sua morte, precisamos entender que Ele não espera nosso sacrifício, mas que sigamos o Seu ministério. E Seu ministério é o PERDÃO. Não o perdão da conivência e da aceitação do erro, mas de carregar a cruz uns dos outros. Jesus tinha todos os motivos do mundo para não perdoar, mas perdoou. E você? Já descobriu qual é o seu ministério ou faz parte daqueles a quem Jesus se referiu: o dos que não sabem o que fazem?
Graça e Paz!

quinta-feira, 21 de abril de 2011



“Com a sabedoria se edifica a casa, e com o entendimento ela se estabelece;”(Provérbios 24:3).

Amado(a), edificar uma casa é construir um lar em bases sólidas. E, conforme nos ensina Salomão, isso só é possível com sabedoria. Hoje, com a banalização das relações, as pessoas acham simples realizar um casamento, montar uma casa, mas se esquecem de que ela não subsistirá às intempéries se nela não houver entendimento. A intempestividade tem sido a tônica das relações atualmente, na urgência de preencher as carências, de mitigar a solidão os casais não têm construído seus lares com alicerces sólidos. Falta-lhes sabedoria para entenderem que amor é uma construção e não um toque de mágica. Falta-lhes discernimento para perceberem que a idéia de amor, vendida pela mídia quase sempre com o objetivo de perpetuar uma sociedade consumista, tem sido a base das relações que não sobrevivem à primeira chuva. Vésperas dos dias dos namorados o que mais se podia ver era a falaciosa publicidade “Não passe o dia dos namorados sozinho(a)” ou “Quer arrumar um(a) namorado(a) antes do dia 12? Clique aqui”... Essa idéia do amor a La carte, ou em self service tem sido impregnada na sociedade e parece que a máxima “antes mal acompanhado do que só” tem prevalecido até mesmos em lares cristãos. Mas essa não é a orientação bíblica. A Bíblia recomenda esperar no Senhor e ser paciente nas crises. Com sabedoria se edifica o lar e com entendimento ele se mantém. Casais que sabem construir no dia-a-dia o seu lar envelhecem juntos desfrutando com harmonia o que muitos almejam conseguir em um toque de mágica. Por isso não se frustram. Bilhetes escondidos nas gavetas, declarações colocadas diante da mesa de trabalho, no computador, escritas no espelho, na porta da geladeira. Uma lembrança sem data específica, que não atende aos apelos comerciais. Um cuidado em agradar mesmo estando longe, um recado no celular sem momento programado, uma comida feita com carinho ainda que sem o glamour de restaurantes caros são exemplos de pequenos gestos que demonstram que o amor é reafirmado em pequenos gestos. Que não é coisa que se encontra nas baladas, nem se desfaz na primeira discussão. O amor descrito em Coríntios 13, vivido por aqueles que não se deixam seduzir pelas armadilhas do mundo não é amor de data comercial, não partilha de conveniências e não se firma em mentiras. Esse amor não acaba. Não é sazonal, nem instável. Sobrevive à falta de dinheiro, aos problemas inevitáveis. É como uma casa construída na rocha, não há tempestade que a derrube. E essa rocha só pode ser Jesus. Amado(a), você tem edificado sua casa na Rocha?
Graça e Paz!

quarta-feira, 20 de abril de 2011



“O meu escudo é de Deus, que salva os retos de coração.”(Salmos 7:10)


Amado(a), essa deve ser a posição na qual devemos nos colocar diante de perseguição, ou de adversidade: colocarmo-nos sob o escudo que é Deus e assim, alcançar Seu livramento. Quando apresentamos em oração ao Senhor todos os nossos perseguidores, demonstramos total entrega e confiança Naquele que pode nos livrar. Mas quem, dentre nós pode pleitear algo de Deus com base em nossos méritos e virtudes? “Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer”, diz Paulo em Romanos 3:10. Contudo, nosso Deus misericordioso nos justifica, confirmando o que está em Romanos 8:1. "Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito". Podemos ver claramente a pessoa de Jesus agindo em nosso favor, mesmo que não mereçamos. Se temos Deus como escudo, nada precisamos temer, pois Ele nos sustenta.
Amado(a), essa é a nossa certeza, mas precisamos observar também a segunda parte do versículo: Deus salva os retos de coração. E o que significa ter um coração reto? Ter um coração reto é seguir os passos de Jesus, é procurar andar como Ele andou. É nos perguntar, antes de qualquer atitude: Jesus se agradaria disso? Jesus faria isso também?
Somos tentados a dar o nosso jeitinho quando não vemos o atuar do Senhor. Contudo, o nosso jeitinho muitas vezes atrapalha e fere o coração de Deus, pois demonstra falta de confiança no Nele. A nossa ansiedade trava a ação de Deus. Deus é poderoso e está no controle de tudo.
Se agirmos conforme Deus espera, Ele se agradará de nós quando confiarmos Nele e nos dará a vitoria.
Amado(a), mesmo que pareça difícil entender a provação das lutas, das infidelidades, das tentações a que temos enfrentado, creia que Deus é fiel e Nele deve estar os nossos olhos, e muito antes do que pensamos a nossa recompensa virá, porque do Seu trono, Seus olhos estão sobre nós e acima dele não há ninguém. Portanto, se Deus é por nós, quem será contra nós?
Tome posse de sua bênção e não a deixe por vacilo algum. Não tire os olhos Daquele que não tira os olhos de você!


Graça e Paz!

terça-feira, 19 de abril de 2011



Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda. (João 15:16)

Amado(a), se você se afastou da presença de Deus e se sente paralisado em relação à sua fé, como se estivesse seguindo uma rotina, sem emoção; tem esfriado por conta desse afastamento, ou porque o pecado já estabeleceu uma barreira entre você e Deus, fazendo parecer que Ele está distante, ainda há tempo para se arrepender e recomeçar uma vida diante do Senhor.
Davi também já se sentiu assim. Ele pecou e foi confrontado pelo profeta Natã. Mas, em oração, clamou a Deus: “Torna a dar-me a alegria da tua salvação” (Salmos 51:13).
Quando confrontado pelo profeta, Davi admitiu seu pecado e se arrependeu. Hoje você também está sendo confrontado(a). Qual é o seu pecado encoberto? Davi era rei e poderia matar o profeta, porém, escolheu o arrependimento e pedir ao Senhor que o sustentasse com um espírito voluntário. Você também pode escolher entre aceitar a correção e ter de volta a alegria da salvação, ou “matar o profeta”. Deus tem enviado profetas à sua vida, para alertá-lo sobre suas falhas e negligências. Muitas pessoas se afastam porque erram e assim fogem da igreja, perdem a comunhão com os irmãos e caem cada vez mais nas mãos do inimigo. Mas quem ama verdadeiramente a Deus não se sente bem longe de Sua presença e se inquieta. Davi não transferiu sua culpa a ninguém e, ao assumi-la, abriu as portas para o arrependimento e para receber o perdão. Saiba que também para você existe restauração. Se, assim como Davi, você pedir a Deus “Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto” (Salmos 51: 10), O Senhor não retirará o Seu Espírito Santo e lhe devolverá a alegria da salvação.
O Senhor quer que estejamos próximos a Ele e que experimentemos a uma vida plena e completa. Confesse a Deus os seus pecados e certamente Deus lhe restituirá a alegria de seu relacionamento com Ele, ainda que você ainda tenha que enfrentar as consequências de seus atos.
Lembre-se de que você faz parte da geração dos eleitos do Senhor! E Ele não deixará que você se acomode fora de Sua presença, por isso tem lhe enviado profetas para que você seja confrontado até que tome consciência de seus pecados. “Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”, afirma Jesus em Lucas 19:10. Saiba que não importa onde você esteja, Jesus vai ao seu encontro. Se você pensa que pode fugir da presença de Deus, que pode se esconder, mesmo que mude de casa, de cidade ou de país, Ele vai ao seu encontro e o conduzirá de volta.


Graça e Paz!

segunda-feira, 18 de abril de 2011



Não entres pela vereda dos ímpios, nem andes no caminho dos maus. Evita-o; não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo. ( Provérbios 4:14-15 )

Não tropeçamos em montanhas! Eis um ditado popular que nos revela que nossos erros não começam grandes, em geral, nossos grandes erros iniciam em pequenos deslizes e concessões e quando nos damos conta já estamos envolvidos.
Tropeçamos porque não prestamos atenção no caminho. Quando isso acontece, se outras coisas nos chamam a nossa atenção durante a caminhada, ficamos dispersos e tropeçamos. Não olhamos para o horizonte, perdemos a noção do destino. Algumas pessoas caem e não se levantam. Precisamos olhar o caminho, os buracos, as pedras, as pessoas que vêm, e o entorno. As pessoas tropeçam porque não fazem uma análise do caminho.
Em vez de ir ao culto no domingo, você ouve um amigo que o atrai para outra atividade, dizendo que não há nada de mal em se divertir um dia, afinal você trabalhou tanto durante a semana e precisa se distrair. Na outra semana isso se repete com outra desculpa e, na seqüência você se distancia da comunhão e da palavra. Quando se dá conta, está nas rodas, no vício, na prostituição e acha tudo muito natural. E passa a pensar, ouvindo a voz dos amigos que quem está “por fora”são os crentes que querem comandar sua vida.
Tropeçamos porque olhamos para trás. Foi por isso que a mulher de Ló virou uma estátua de sal. E é isso que acontece quando nos esquecemos que somos novas criaturas, salvas e redimidas pelo sangue de Jesus e voltamos a cometer os mesmos erros e a praticar as mesmas coisas de antes. Giramos a 360 graus. Não saímos do lugar. Se antes estávamos em depressão, incomodado(as), inquieto(as), vimos nova perspectiva ao aceitar o caminho de Cristo, em vez de seguir em frente, firmando-nos na fé, voltamos aonde paramos, girando em círculos. Tudo porque não percebemos que um pequeno deslize, uma negligência, uma desatenção fez com que não saíssemos do lugar. Tropeçamos porque desobedecemos, quando alguém mais atento, que já conhece o caminho nos avisa sobre ele, mas julgamos que podemos ir em frente que enxergamos muito bem. Tropeçamos porque não percebemos uma pedra que às nossas vistas parece ser algo tão frágil.
Outra coisa nos faz tropeçar é estar no lugar errado, ou com pessoas erradas, mesmo que elas pareçam tão inofensivas.
Amado(a), que outros sinais você espera para não tropeçar em pedras maiores?
Graça e Paz!

domingo, 17 de abril de 2011



“SENHOR, eu tenho amado a habitação da tua casa e o lugar onde permanece a tua glória.”(Salmos 26:8).

Amado(a), você pode dizer, como Davi, que tem amado a Casa de Deus? O Senhor conhece o seu coração e você também sabe onde tem falhado. Mas pelo imenso amor do Pai, que sempre deseja um relacionamento com Seus filhos, ainda que não mereçamos, Ele renova a cada dia as nossas oportunidades de nos reconciliar com Ele. Muitas vezes somos impedidos de buscar a presença de Deus, por um sentimento de sermos indignos. O Pai abre os Seus braços para o Seus filhos e filhas pródigos, convidando-os a voltar para casa. Lá Ele preparou um anel para o nosso dedo, uma roupa limpa e uma refeição farta. Ele nos convida a sentar à mesa com Ele para que Ele possa se relacionar conosco e restaurar o nosso lugar na Sua família como Seus filhos e filhas.
Lucas 15:11-32, na passagem do filho pródigo mostra-nos que o filho não merecia nada do Pai. Contudo, embora fosse indigno, o Pai o abraça.
Amado(a), Deus continua a fazer o mesmo nos dias de hoje com cada um de nós. Ele quer restaurar-nos ao nosso lugar na Sua família. Ele está de braços abertos para nós neste momento. Se você, por um motivo ou outro, tem se distanciado Dele, ainda há tempo de voltar. Queira estar na Sua presença e receber tudo o que Ele tem para você. Observe que David amava estar na presença de Deus. Ele amava estar onde Deus estava. E Deus também gosta de estar onde nós estamos, Ele deseja um relacionamento íntimo com Seus filhos.
Ele sabe o que se passa em nosso coração. Conhece nossas dores e ansiedades. Sabe de nossas necessidades mais profundas. Mesmo que você esteja aparentemente em uma situação cômoda, desfrutando as alegrias passageiras, Ele sabe o que se passa em seu íntimo. Ele sabe que você sente o vazio da falta de comunhão com Jesus. Sabe que é frágil e passageira a sua sensação de alegria. Sabe que sua euforia é como um cristal que não resiste sequer a um movimento mais brusco. Quando você entra em confronto com sua realidade, percebe que as ilusões são efêmeras, que a busca desenfreada pela realização não virá das fontes do mundo. Antes que você se dê conta, Ele sabe que as rosas têm espinhos e que você precisa aprender a lidar primeiro com as suas fraquezas. Não é depositando no homem a sua confiança que chegará aonde pretende. O Senhor conhece os seus desejos e sabe que, ao acordar, mesmo num ambiente de luxo, você se sente estrangeiro, porque sente a falta de estar na habitação de Deus. E lá nem todos querem estar. É preciso antes separar o joio do trigo, a luz das trevas, o que vem de Deus e o que vem do mundo. A boa notícia é que Jesus vem muitas vezes para aqueles que NÃO o procuram. Você mesmo nem pensava em Jesus, quando Ele o resgatou das trevas. Mas Ele espera por você todos os dias. Pense nisto.
Muitos de nós, não tivemos nada a ver com a nossa salvação. Foi Deus que veio até nós. Nós não a merecíamos.
Deus nos ama tanto, que Ele irá até onde for preciso para nos resgatar com amor e poder. Talvez você pense no seu coração "Estou feliz aqui onde estou. Minha vida está bem, nesse ambiente cor-de-rosa, cercado de rosas e numa redoma de cristal". Essa é a sua visão hoje. Mas no fundo sabe que esse mundo é fictício, que a sua realidade sem Deus é cinzenta e espinhosa. E que mais cedo ou mais tarde ela se descortinará aos seus olhos. Mas antes que você se perca, faça como Davi: sinta o prazer de estar na casa de Deus.






Graça e Paz!

sábado, 16 de abril de 2011

“Porque este Deus é o nosso Deus para sempre; ele será nosso guia até à morte.”(Salmos 48:14).





Amado(a), observe que o salmista fala de uma qualidade de Deus que nós feitos a sua imagem e semelhança ignoramos. Deus é constante. Nós temos sido inconstantes em tudo: nos nossos compromissos, nos nossos relacionamentos com as pessoas e até mesmo com o próprio Deus. Somos como uma folha ao vento. Em uma hora estamos firmes e convictos do que queremos, para, em seguida, desprezar toda nossa convicção.
Diferentemente nós, Deus nos ama incondicionalmente, sem limitações, sem cobranças... Sem dizer-nos que nos trata como O tratamos. Ele simplesmente nos conquista, nos cativa e não nos abandona. Com as pessoas deveria acontecer assim: conquistar e cativar - sem cobranças, sem limitações. A melhor maneira de conquistar e cativar o outro, é ter a coragem de adentrar no mais profundo do seu ser. No entanto, não estamos preparados para isso, por conta de nosso lado obscuro, sombrio, de nossos traumas de infância e adolescência, de nossas culpas escondidas e transferidas aos outros. Queremos ser amados, mas não nos amamos primeiro e cobramos do outro um amor sem restrições. Temos esse lado onde só Deus pode entrar e nos amar, sem se afastar. Quantas vezes quando começamos a aprofundar no outro, percebemos que ele é diferente daquilo que pensamos e nos afastamos, sem dar-lhe tempo de se mostrar integralmente. Nossas relações se deterioram por isso. Mas Deus faz o contrário de nós: Ele fica. Ele não vai embora ao primeiro sinal de insatisfação.
As pessoas muitas vezes só querem ficar com a nossa aparência, nossos momentos estáveis, nosso bom humor, nosso status, e não querem se aprofundar naquilo que somos quando estamos sós e nus diante de Deus. Poucas são as pessoas que têm coragem, disponibilidade, paciência para adentrar no outro, para conhecê-lo verdadeiramente amá-lo como deve ser. Não com esse amor da-me-em-troca, ou “eu te amo até você deixe de atender às minhas expectativas”. Essas pessoas que têm essa coragem, não a tem por si só e sim por Deus. É o Senhor quem os capacita e os inspira a terem essa coragem, disponibilidade e paciência.
Quando não agimos com esse dom de Deus, não temos a coragem de adentrar no outro e deixamos de perceber e compartilhar o que o outro tem de melhor e perdemos a oportunidade de nos conhecermos melhor também. Se temos nossas falhas, mas queremos ser amados com elas, por que temos tanta dificuldade em amar e nos deixar conhecer pelo outro, aceitando-o também? A resposta é porque nos falta trabalhar em nós essa característica de Deus: a constância. Se somos criados, à imagem e semelhança Dele, devemos agir como Ele agiria e deixar fluir em nós essa característica. Não é impossível, mas basta que queiramos ser diferentes dos temos sido. Basta que façamos valer o que nos foi permitido pelo batismo: nascer de novo. E ser como Jesus espera que sejamos: firmes nos nossos propósitos. Conscientes de que precisamos do outro para crescer e, sobretudo, precisamos se humildes para aceitar nossas falhas e nos permitir adentrar no coração do outro, sem cobranças e sem limitações.

Graça e Paz!

sexta-feira, 15 de abril de 2011

“Desgarrei-me como a ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueci dos teus mandamentos.”(Salmos 119: 176)







Amado (a), quantas vezes nos desviamos da palavra de Deus e seguimos como ovelhas desgarradas do rebanho. Nesses momentos podemos sentir claramente nossa necessidade do Pastor. Às vezes nos sentimos tão auto suficientes e pensamos que podemos caminhar sozinhos e é exatamente nessa hora em que nos perdemos. Damos ouvidos às vozes daqueles que não partilham de nossa fé e de nossos princípios e pretensiosamente acreditamos que teremos o controle da situação. Que engano! Esse é o desejo do inimigo de nossas almas, que sempre se aproveita de nossas brechas criadas pela desobediência e pelo orgulho que teimamos em mostrar, quando somos admoestados a voltar ao rebanho. Somos tolos quando acreditamos em nossas forças e nos afastamos do convívio daqueles que nos ajudam a nos manter firmes na presença do Senhor. Mas àqueles que não se esquecem dos mandamentos, o Senhor busca e sustém. Não há quem possa afirmar que, estando firme na presença de Deus, tenha se decepcionado. O Senhor honra a fé e a obediência de Seus filhos. Amado(a) você pode afirmar que faz parte desse grupo? Se não, lembre-se: o Senhor busca a ovelha desgarrada “Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e não vai após a perdida até que venha a achá-la?” registra Lucas 15: 4, quando Jesus questionou os fariseus e os escribas. E ainda hoje Ele questiona a nós. Se estamos desgarrados, voltemos ao rebanho, pois Jesus é o bom Pastor que dá a vida pelas suas ovelhas e ao lado dele estaremos seguros.

Graça e Paz!

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Ampara-me, segundo a Tua promessa, para que eu viva; não permitas que a minha esperança me envergonhe. (Salmos 119.116)






Amado(a), há momentos difíceis em nossas vidas, os quais não sabemos como seguir em frente, diante de tanta luta e provação. Isso acontece com todos, com os que temem e com os que desobedecem ao Senhor. O deserto pode ser lugar de crescimento na vida de quem sabe que não estará sozinho, mas também lugar de morte para aqueles que não sabem ou não têm autoridade para clamar ao Senhor como fez o salmista no versículo em epígrafe. Como filhos, temos o direito de reivindicar as promessas do Pai, certos de que Ele nos amparará e de que as lutas são passageiras e servirão para nos fortalecer. É preciso crer e esperar, sabendo que a palavra de Deus não volta vazia e que tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus. Mas, note bem, daqueles que amam a Deus, diz Paulo, aos Romanos. E quem ama a Deus não desobedece aos Seus mandamentos não se associa aos ímpios e nem pratica a iniqüidade. A promessa do Senhor é lembrada pelo profeta Isaías 61:7: “Em lugar da vossa vergonha tereis dupla honra; e em lugar da afronta exultareis na vossa parte; por isso na sua terra possuirão o dobro, e terão perpétua alegria.” Quantas vezes somos afrontados, em nossa casa, em nosso trabalho e até mesmo na igreja, quando temos que suportar as investidas do inimigo nos diminuindo e nos fazendo parecer insignificantes ou incapazes de obter do Senhor as promessas? Mas o Senhor garante que aquele que não se afasta de Seus estatutos, aqueles que suportam com dignidade as afrontas, e por amor de Deus nome se mantêm firmes e confiantes, Ele não só há de amparar, mas transformará a vergonha em dupla honra. Que promessa maravilhosa, para aqueles que são filhos e herdeiros. Você faz parte desses privilegiados?

Graça e Paz!

quarta-feira, 13 de abril de 2011



“E que fruto tínheis então das coisas de que agora vos envergonhais? Porque o fim delas é a morte. (Romanos 6: 21)

Amado(a), o Senhor chama o pecador ao arrependimento e mostra pelo Espírito Santo onde está o erro, o qual devemos abandonar. Você sabe em que está errando, sabe porque precisa mudar o curso de vida e sabe que não pode mais adiar esse posicionamento, porque conhece a palavra e ela o tem feito refletir. Ninguém é seu juiz, apenas o seu coração, movido pelo Espírito pode fazer isso. Salomão nos diz em Provérbios 4:18 que a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito. Se há algo em sua vida que o envergonha, que não pode ser apresentado ao mundo, mesmo que venha do mundo e sobre o qual você precisa se desvencilhar porque não agrada a Deus e isto tem impedido as suas bênçãos, coloque no altar do Senhor. Ele pode lavar toda a sujeira e tornar sua vida alva e transparente “Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo; Retendo a palavra da vida, para que no dia de Cristo possa gloriar-me de não ter corrido nem trabalhado em vão’’, conforme admoesta Paulo aos Filipenses 2:15,16.
Assim, amado(a), libertados do pecado, e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna. Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor, afirma o apóstolo.
Jesus está de braços abertos esperando por você, na comunhão dos santos, na alegria de ser servo(a) de Deus, honrado(a) e digno(a), conforme devem ser os escolhidos do Senhor.
Graça e Paz!

terça-feira, 12 de abril de 2011



Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo! (Isaías 20)

Amado(a), o diabo é o grande mestre na arte de chamar de mau o que é bom, e de bom o que é mau, conforme nos fala o profeta. Eis porque precisamos ter a coragem de nos opormos ao erro mesmo quando somos difamados por fazermos isso. Nessa arte de enganar e seduzir, satanás é tão convincente que afirma suas mentiras tão ousada e precisamente que são facilmente acreditadas e muitas vezes quem diz a verdade é que passa por mentiroso. Ele é o mestre do disfarce. Contudo, precisamos estar atentos e fazer o que ensina Mateus 7:15-16 “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?”
Sabemos se uma pessoa é digna e honrada, se testemunha a verdade pelas suas atitudes, pelos seus frutos. Não pelas suas palavras. Quem é de bem jamais é flagrado em delitos e nada faz que não possa ser visto, ao contrário de quem tem aparência do bem e age de forma contrária à palavra do Senhor. Paulo nos exorta a ter cuidado e vigiar para não cairmos nas garras de lobos disfarçados de ovelhas, afirmando em 2 Coríntios 11:13-15 “E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz”.
A Bíblia é nosso modelo e qualquer ensinamento que não está à sua altura deve ser rejeitado, não importa quão autorizado possa parecer. Quem não se pauta pela luz da bíblia corre o risco de ser enganado, pois o diabo ainda tenta fazer o pecado e suas conseqüências parecerem atraentes.
Graça e Paz!

segunda-feira, 11 de abril de 2011



Há apenas um Legislador e Juiz, aquele que pode salvar e destruir" (Tiago 4.12a)



Amado(a), quando estamos debaixo da mão potente do Criador, e Nele colocamos nossa confiança não podemos debater, nem querer entender, entendemos que Deus sabe o que faz e certamente faz o melhor, mesmo que a gente não compreenda e aceite. Deus é soberano e quem somos nós para questionar Seus caminhos, pois se aceitamos Sua soberania, onipotência e onipresença compreendemos que o que vemos tem limite, mas o que Ele vê é além do limite. Quando imputamos por mal algo que nos acontece, julgamos com nossas limitações pessoais, mas se em tudo damos graças e enxergamos a mão de Deus vemos que Ele Sabe a hora de todas as Coisas.
Amado(a) quando tentamos apressar ou tentar realizar com as próprias mãos o que Deus já determinou porque às vezes ficamos ansiosos ou porque achamos que Deus se esqueceu de nós, deixamos de receber o que Ele tem nos preparado. Precisamos nos conscientizar que Ele tem o controle de tudo e sabe o tempo certo aquilo que quer realizar em nossas vidas. Graça e Paz!

domingo, 10 de abril de 2011


Devocionais Veja esse e os devocionais anteriores em: http://devocionaisicmv.blogspot.com/ Propósito Comunhão 10-04-11 Domingo 100 ANO IV Maná: Palavra Diária para Edificação Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos. (Salmos 119:71)

Amado(a), muitas vezes Deus usa nossos problemas e as circunstâncias para nos fazer crescer espiritual e emocionalmente. Nem sempre conseguimos enxergar a mão de Deus, principalmente quando estamos pensamos estar bem. Às vezes o que nos parece mal, o que nos incomoda é uma alavanca a nos mostrar novas formas de conduzir nossos caminhos, tendo em mente que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus. Na nossa perseverança somos provados. Assim como a prata é purificada pelo fogo, assim é com as nossas provas. A nossa dor é usada para provocar uma mudança de atitude, ou um alerta para algo que não está direito em nosso caminho. Quando não encontra obstáculos, a carne fica fraca, mas enrijece nas lutas. Pense nisto! É uma palavra não de conforto mas para que reflita! Graça e Paz!

sábado, 9 de abril de 2011



Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. (Efésios 4:14)


Amado(a), assim como crescemos fisicamente, Deus deseja que nós cresçamos espiritualmente para chegarmos à maturidade espiritual. Quando aceitamos a Cristo, nascemos de novo e começamos o ciclo de crescimento somos crianças na fé e devemos nos desenvolver para sermos adultos espirituais. Entretanto, há muitos cristãos que não amadurecem espiritualmente, comportando-se como eternas crianças na fé, como Paulo fala em Hebreus 5: 12-13: “Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido. Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança”. Muitos apresentam idade de adulto e comportamento de adolescente o que causa um descompasso em seus relacionamentos, pois essa imaturidade provoca falta de habilidade para ser como Cristo em todas as situações. O crescimento espiritual é uma necessidade fundamental. Para conseguirmos amadurecer espiritualmente primeiro precisamos ter vontade de crescer. Ninguém pode ser forçado a fazer aquilo que não quer fazer, principalmente em relação às coisas espirituais. O crescimento espiritual deve ser algo desejado, como o apóstolo exorta em em 1 Pedro 2:2: “desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação”. Sabemos que Deus não faz nada por força ou violência, por isso precisamos querer e para tal precisamos conhecer. Buscar na Palavra todos os recursos necessários para o crescimento, pois a Palavra de Deus é a principal fonte para o crescimento espiritual. 2 Timóteo 2:15 nos diz: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”. A Palavra de Deus tem todos os recursos necessários para um cristão crescer. E nela devemos nos apoiar se quisermos ser sábios. Mas não adianta apenas conhecer. É preciso praticar. Se ouvimos as pregações, lemos a palavra, mas não seguimos o que diz a Palavra, antes agimos pelo nosso próprio entendimento certamente a Palavra de Deus não passará de conselhos vazios. Por isso Tiago 1:22nos ensina:-“Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos”. Se falta o temor de Deus, falta seiva para o crescimento, pois o sábio já dizia que “o temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo é prudência. É a sabedoria do Senhor que nos conduz ao crescimento espiritual, porque é de Deus que vem a base para que esse crescimento ocorra.. Todos os grandes homens e grandes mulheres de Deus na bíblia possuíam temor a Deus. E ainda hoje vemos que homens e mulheres tementes a Deus são modelos a serem copiados. João 13:15diz: “Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também”. Paulo em 1Coríntios 4:16: “Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores” e em 1Coríntios 11:1: “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo”. Em Efésios 5:1 “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados”. É importante também guardar e praticar os bons conselhos, como nos ensina Salomão em Provérbios 8:33 “Ouvi o ensino, sede sábios e não o rejeiteis”. Entretanto, mesmo recebendo orientações de pessoas que dão exemplo de vida e testemunho correto, muitos são os que preferem errar para aprender(ou não) por isso o sábio diz em Provérbios 11:14: “Não havendo sábia direção, cai o povo, mas na multidão de conselheiros há segurança”. Em Provérbios 15:22 . Em Provérbios 24:6: “Onde não há conselho fracassam os projetos, mas com os muitos conselheiros há bom êxito”. “Com medidas de prudência farás a guerra; na multidão de conselheiros está a vitória”. Em Provérbios 12:15 “O caminho do insensato aos seus próprios olhos parece reto, mas o sábio dá ouvidos aos conselhos”. Amado(a), vemos que os orgulhosos não procuram guardar bons conselhos e, portanto, não amadurecem nem na vida emocional, nem na vida espiritual. Tornam-se velhos, mas não amadurecem. Envelhecer é obrigatório, amadurecer é opcional. Graça e Paz!

sexta-feira, 8 de abril de 2011


E disse ela: Os filisteus vêm sobre ti, Sansão. E despertou ele do seu sono, e disse: Sairei ainda esta vez como dantes, e me sacudirei. Porque ele não sabia que já o SENHOR se tinha retirado dele. (Juízes 16:20)

Amado(a), Sansão é um personagem bíblico que tinha tudo para dar certo. Ele nasceu de forma miraculosa, foi consagrado nazireu de Deus (não podia fazer três coisas: tocar algo imundo, tomar bebida forte e cortar o cabelo); foi aceito pelo Senhor; o Espírito do Senhor se apoderava dele, e ele fazia coisas extraordinárias. Mas vemos que seu final foi trágico porque ele, primeiro quebrou o voto de nazireu: quando pegou mel da carcaça do leão e cortou o cabelo. Depois perdeu a noção de onde realmente vinha o poder que tinha. Não viveu à altura do significado de seu voto e vivia sempre em conflito entre a vontade de Deus e suas paixões. Vemos pela sua história que ele se deixou dominar pela paixão sensual. E ela o levou a perder tudo, pouco a pouco. Destruiu a sua vida deixando que os seus desejos determinassem sua conduta. Ele foi imaturo e inconseqüente nas suas relações afetivas. Gostava de brincar com o inimigo. Quando se envolveu com as-mulheres filistéias, prostituta filistéia, não se deu conta que estava abrindo brechas para que o inimigo tomasse conta e sua prepotência o impediu de perceber o perigo que corria. Ele não seguiu os conselhos dos pais e quando os sinais de que foi abandonado por Deus nem percebeu. Observe que ele teve os olhos vazados e trabalhou como escravo num moinho de trigo, andando em círculos, virou motivo de piadas e perdeu a autoridade para no final contar com um último ato de misericórdia de Deus. Amado(a), quantos estão agindo como Sansão ainda hoje. Conhecem a palavra de Deus, deixam seus votos, entram na roda de escarnecedores, associam-se à prostitutas ou a pessoas que não seguem a palavra de Deus. Com isso abrem brechas para a ação de satanás e não percebem que estão caindo em ciladas. Antes preferem agir com arrogância e auto suficiência achando que são donos de suas escolhas e que os outros só querem atrapalhar quando alertam. Quantos tinham tudo para dar certo e acabam perdendo tudo? Com Sansão aprendemos que quando não cumprimos os propósitos de Deus em nossas vidas acabamos andando em círculos e às cegas, repetindo erros e perdendo as bênçãos. Quando fazemos de nossa vida o que bem entendemos, sem ouvir conselhos, sem nos orientar pela palavra de Deus acabamos também deixando nossos restos para a família. Por isso devemos investir mais na edificação de um caráter espiritual contra um mundo de aparência e precisamos resolver o conflito entre a vontade de Deus e as nossa paixões. Amado(a), lembre-se de que o chamado de Deus não nos torna pessoas infalíveis ou livres do pecado e que jamais devemos sacrificar a fé pela satisfação de nossas paixões. Não espere ser destruído(a) Sansão para compreender as mensagens de Deus Graça e Paz!

quinta-feira, 7 de abril de 2011


Segundo a palavra da aliança que fiz convosco, quando saístes do Egito, o meu Espírito permanece no meio de vós; não temais. (Ageu 2:5)

Amado(a), no versículo em epígrafe, o profeta Ageu nos leva a refletir sobre alguns pontos importantes da vida cristã. Há expressões chaves para as quais devemos atentar: “palavra da aliança”; “sair do Egito”; “o Espírito permanece” e “não temais”. Observe que a palavra da aliança nos remete ao fato de que a palavra de Deus é um compromisso estabelecido pelo Criador. Deus usa alianças, mas nós, assim como muitos que ignoram a palavra e se deixam contaminar pelo príncipe deste mundo, quebramos ou ignoramos as alianças, ou mudamos a ordem das coisas segundo nossa vontade momentânea. A aliança de Deus é perpétua e faz parte de Seu plano de salvação da humanidade, que se deixou corromper na primeira quebra de alianças entre Deus e o homem, por conta da desobediência de Adão. De lá para cá, o homem tem continuado a desobedecer e a quebrar as alianças conforme seu predecessor (o diabo) a quem prefere seguir o exemplo. Sair do Egito, na analogia bíblica significa deixar o pecado, deixar a escravidão e se tornar nova criatura, pelo arrependimento. Observe que a palavra “quando” é um marcador temporal que mostra o momento divisor. O antes e o depois. Quando éramos escravos do pecado, agíamos de acordo com o exemplo do mundo, segundo a convenção mundana e sem perceber nosso erro, porque estávamos chafurdados na lama. Mas depois de “sair do Egito” o Espírito de Deus vem sobre nós e temos a consciência do pecado. Nem é preciso que nos apontem a falha, nossa consciência nos acusa, somos inquietados e nós mesmos julgamos impróprias nossas atitudes. Quem tem a consciência cauterizada não tem o Espírito de Deus, pois que o Senhor mesmo prometeu que iria para o Pai, mas deixaria o Consolador no meio de nós. Amado(a), como você tem respondido à sua consciência? Em que ela o tem repreendido? Se ela tem falado com você é sinal de que tem a voz do Espírito, mas resta a você ouvir e obedecer ou continuar seguindo o exemplo de satanás e daqueles que preferiram ouvi-lo a obedecer ao Pai. Graça e Paz!

quarta-feira, 6 de abril de 2011


"Examinai tudo. Retende o bem;" (I Tessalonicenses 5:21).

Amado(a), há um ditado que afirma” nem tudo que reluz é ouro”. A Bíblia diz nos Salmo 127:1: "Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam". Refletindo sobre a exortação do apóstolo Paulo aos Tessalonicenses e somando os textos das Escrituras com o de conhecimento popular, percebemos que precisamos ficar atentos para não sermos enganados pelas aparências ou pela nossa impressão inicial, para assegurar-nos de que fazemos parte da casa que o mesmo Senhor edificou. O perigo de cairmos em cilada, de julgarmos por bom o que é maléfico é constante. Credibilidade ou a falta dela é um efeito, mas não uma causa. Isso significa que podemos nos enganar com atos e atitudes de pessoas que se apresentam como fieis, como cristãos, como o ideal de pessoa, de profissional ou de parceiro. Mas a verdade sempre vem à tona. Eis porque Jesus diz em Mateus 15:13-14: "Toda a planta, que meu Pai celestial não plantou, será arrancada. Deixai-os: são condutores cegos; ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão na cova". Se as palavras não condizem com os atos, se os testemunhos tanto na Igreja, quando na vida pessoal e doméstica não são coerentes com a verdadeira postura cristã, duvide. Quem tem Cristo não age como um mundano, não se comporta como quem não tem compromisso, não muda de comportamento conforme a própria conveniência. Amado(a), essa é a direção de Deus: "Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos, ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se é que já estais reprovados" (II Coríntios 13:5). Graça e Paz!

terça-feira, 5 de abril de 2011


Mas em todas essas coisas, somos mais do que vencedores, por aquele que os amou” (Romanos 8.37).

Amado(a), não pense que, uma vez que tenha declarado pertencer a Deus e ter confessado Jesus como seu Senhor e salvador, as coisas ficam mais fáceis e tudo se resolve, conforme seu coração pede. Quanto mais nos aproximamos de Deus, mais o inimigo das nossas almas, dia após dia, tenta a todo custo nos fazer desistir, desanimar, nos fazer olhar para trás! Veja que ele não muito preocupado quando estamos no mundo. Ele se inquieta e se incomoda é quando estamos no caminho de Deus. Aí, sim, tenta de tudo, principalmente usando nossos pontos fracos para que sairmos da presença de Deus, de preferência julgando que está certo. É tudo que ele quer: desviar você do alvo e provocar a rebelião, tornando-o independente. Ele tenta nos fazer pensar que toda nossa caminhada é em vão; que toda nossa busca, nossa adoração, nossa entrega é sacrifício de tolos e que não precisamos esperar porque ele pode nos dar aquilo que nosso coração anseia. Mas as lutas vêm para nos fazer olhar para o alto e para nos levar a momentos mais íntimos de louvor e adoração com o Pai. Quando as lutas vêm e virão cada dia mais fortes, o verdadeiro convertido sabe que Deus estará conosco, porque Jesus já afirmou em João 16.3: “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. v Não importam as lutas! Não importam as pedras que encontramos nosso General, nunca jamais, perdeu uma batalha, uma guerra. Devemos entender que para tudo há um propósito e as pedras podem ser os degraus que nos encaminham para o alto. Amado(a), quando o inimigo tentar lhe parar apóie-se na palavra que diz: “Maior é o que está em vós do que o que está no mundo” (1João 4.4). Quanta coisa satanás, o pai da mentira, coloca em nossa mente para nos desviar e nos fazer olhar para trás. Se você já caiu nessa cilada, ainda pode voltar aonde estava. Arrepender-se, sacudir o pó e fazer com as armas do inimigo sejam usadas ao seu favor e não contra.


Graça e Paz!

segunda-feira, 4 de abril de 2011


“Por isso, me adiantei, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus clemente, e misericordioso, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e que te arrependes do mal” (Jonas 4:2).

Amado(a), quando Paulo nos diz que todas as coisas cooperam para o bem dos que amam a Deus, devemos entender que até mesmo o que não queremos, o que não pensamos ser bem pode se converter no melhor. Nosso coração quer algo e focalizamos aquilo como um tesouro, mas nos esquecemos de que Deus sabe todas as coisas e tem o melhor para nós, aquilo que nem sequer suspeitamos. Quantas vezes cruzamos com pessoas que nos trazem a mensagem de Deus e no momento não entendemos, mas o certo é que nada é por acaso e o que Deus tem traçado para nós se cumprirá. Podemos mudar de casa, de bairro, de cidade, de país. Podemos tentar novo emprego, novas amizades, novos companheiros, mas o que Deus nos reservou virá ao nosso encontro. Jonas reagiu ao chamado de Deus fugindo e isso não adiantou porque Deus é soberano e Seus planos não podem ser frustrados. Quantos demoram a perceber isso? E assim como Jonas fogem do seu chamado e acabam sendo engolidos por um grande peixe, que pode ser um fracasso, tanto na vida pessoal como profissional até perceberem que não adianta fugir. Jonas certamente levou consigo suas dores, seus desapontamentos, suas angústias e não era do outro lado, onde Deus não queria que ele estivesse que iria se livrar disso. Mas ao postergar a obediência à ordem do Senhor, ele conheceu a soberania de Deus e viu quem é poderoso para mudar qualquer situação. A vida está cheia de interrupções e de descaminhos que nos tiram do alvo, mas a verdadeira fé em Deus nos traz de volta ao centro. Se acertamos nossos passos, voltaremos ao lugar de onde nunca deveríamos ter saído. Essa é uma mensagem que esse personagem bíblico nos traz. Nossa teimosia não é maior do que Deus. Ele é uma força inevitável e está no controle de todas as coisas. Ele rege. Quanto mais cedo aprendemos esta lição, mais cedo descobriremos o seu verdadeiro sentido e sua direção nas nossas vidas. Graça e Paz!

domingo, 3 de abril de 2011



O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos. (Tiago 1:8) Amado(a), quantas pessoas já passaram por sua vida e deixaram um pouco de si, levando parte de você, positiva ou negativamente e que hoje são somente uma lembrança? Quando paramos para refletir sobre isso vemos que Deus tem usado pessoas para nos estimular, para nos apoiar e até mesmo para nos apontar os erros e nos edificar, mas nem sempre nos damos conta disso e seguimos ignorando a presença de Deus por meio dessas pessoas. Precisamos aprender que nem sempre temos o que pedimos e muitas vezes, quando achamos que temos o resultado de nosso pedido, pelo qual jejuamos ou oramos, percebemos que nosso coração enganoso nos colocou em uma cilada, porque ouvimos a nossa voz, a de nossos desejos e não a voz de Deus. Deus pode ter falado com você, logo depois daquele tempo de jejum, em que você se preparava para ouvir Dele a resposta a um desejo de seu coração. Mas Ele pode ter dito um não e você não quis ouvir. Ele pode ter dito por intermédio de tantas pessoas e até mesmo das circunstâncias adversas que o caminho que você escolheu não era o caminho Dele, mas por orgulho, teimosia ou impertinência, você enveredou pelo seu próprio entendimento e agora se sente irremediavelmente só. Mais só do que antes, porque ao deixar de ouvir a voz de Deus, você se isolou do rebanho, saiu do aprisco e caiu na toca do lobo. Muitas vezes o lobo aparece como ovelha e somos atraídos pela sua semelhança conosco, entretanto, logo vemos que era de Deus. O que vem de Deus é transparente, não causa dores, nem confusão. É fácil conhecer o que vem Dele, porque sobrevive a tempestades, não é efêmero e traz paz. Amado(a) se você consegue ter discernimento para ouvir a voz de Deus, mesmo que tenha se afastado Dele, saiba que mais uma vez e, quem sabe, a última, Ele chama você pelo nome e lhe manda um recado que será confirmado de várias formas, se tiver ouvido para ouvir ouça: volte a Casa do Pai, retome o seu primeiro amor e deixe o mundo e as suas armadilhas definitivamente. Graça e Paz!

sábado, 2 de abril de 2011


E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra. (Gênesis 1:8) Amado(a), quando Deus criou o mundo, Ele criou também a autoridade. Deu a Adão e sua descendência toda autoridade sobre os seres viventes. Isso significa que temos autoridade também sobre o diabo e seus demônios. Entretanto, muitos, por não conhecer a Palavra têm sido subjugados por satanás, agindo de forma contrária. Nós somos autoridade sobre ele, não o contrário como ele quer fazer parecer. E isso acontece porque não agimos conforme ensina a Palavra de Deus. Como filhos de Deus somos Seus herdeiros, isso incluir dominar sobre os seres viventes, mas inclui também obedecer e ser submissos à vontade do Criador. Perdemos nossos direitos, quando não cumprimos nossos deveres. Deus também colocou hierarquias para que sejamos submissos a elas. Colocou sobre nós autoridade a quem devemos honrar. Perdemos nossos direitos quando não honramos pai e mãe, quando nos rebelamos contra nossos líderes, quer sejam eles espirituais ou profissionais. Perdemos nossos direitos quando fazemos a nossa vontade contrariando os conselhos que vêm do Senhor. Devemos saber quando e a quem obedecer. Muitos têm obedecido aos seus desejos, a pessoas que não levam suas vidas em consonância com a vontade de Deus e deixam de seguir os conselhos de quem dá testemunho de vida e de cumprimento da Palavra. Eis um erro que tem levado a muitos a sair dos caminhos e a julgar indevidamente o que é certo por errado, e o que é errado por certo. Amado(a), a Palavra de Deus é clara: o que vem Dele não traz confusão. Quem é orientado por Deus e segue Seus Estatutos traz em sua vida as conseqüências positivas da obediência. E o contrário também é visível. A árvore boa só pode dar bons frutos e da árvore má não espere o contrário. Veja você mesmo os exemplos de quem pode ser seu conselheiro e siga apenas o que tiver de acordo com a Bíblia, o que passar disso é atalho e descaminho.


Graça e Paz!

sexta-feira, 1 de abril de 2011


Visto como, na prova desta administração, glorificam a Deus pela submissão, que confessais quanto ao evangelho de Cristo, e pela liberalidade de vossos dons para com eles, e para com todos; (2 Coríntios 9:13) Amado(a), submeter-nos à soberania de Cristo é um dos aspectos essenciais do Cristianismo, por isso está em Lucas 14:27 “Quem não leva a sua cruz e não me segue, não pode ser meu discípulo.” Em vários momentos, a Bíblia trata desta questão, a começar no lar vemos que submissão é umas das chaves para alcançar a harmonia. Num casamento Cristão há que haver submissão. A Bíblia diz em 1 Coríntios 11:3 “Quero porém, que saibais que Cristo é a cabeça de todo homem, o homem a cabeça da mulher, e Deus a cabeça de Cristo.” A submissão bíblica é baseada no amor. Em Efésios 5:21 Paulo diz: “Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.” A palavra submissão significa estar debaixo de uma missão. Isso significa exercer missão de apoio, de auxilio. Quem é submisso, ao contrário do que se pensa, não é menos importante, mas tão importante quanto porque exerce a missão de base. É alguém que dá o suporte. Quando ouvimos da sabedoria popular que “por detrás de um grande homem, sempre existe uma grande mulher”, entendemos que há um cabeça, mas auxiliado por alguém que o ajuda numa missão de base. A vitória do chefe só é possível por tem o suporte dos submissos. Em muitos lares vemos que, quando a mulher não é submissa, não há harmonia e raramente o homem consegue ser respeitado fora também. Esta submissão não escraviza, mas catapulta o companheiro a atingir suas metas. Eis porque precisamos entender o que não é submissão segundo a Bíblia. Submissão, não é doméstica de luxo, não é ser super-dependente, não é se auto-escravizar, não é se anular como pessoa. Não é fazer o que é ilegal, ou imoral. Amado(a) embora haja quem pense o contrário, pois essa é a forma de pensar do mundo, a submissão traz vários benefícios. Um deles é a proteção. Quando somos submissos fechamos as brechas para a atuação do maligno. Quem não obedece aos princípios da Palavra de Deus abre espaços para a maldição, pois toda atitude de rebeldia dá legalidade para satanás e anula a operação de Deus. Graça e Paz!