Traduza este blog

sexta-feira, 31 de julho de 2015

O Senhor é a minha força, e o meu cântico; ele me foi por salvação; este é o meu Deus, portanto lhe farei uma habitação; ele é o Deus de meu pai, por isso o exaltarei. Êxodo 15:2


Há pessoas que quando enfrentam alguma luta gastam mais tempo procurando a culpa, murmurando, questionando os motivos e até mesmo duvidando de que Deus esteja lhe ouvindo. Moisés entoou um cântico reconhecendo a presença de Deus mesmo quando parecia distante. O apóstolo Paulo também viveu essa experiência e nos ensinou muito sobre como agir. Quando Deus recusou tirar o espinho da vida de Paulo, ele deu esta explicação: "A minha graça te basta, porque o poder se   aperfeiçoa na fraqueza" (2 Coríntios 12:9). Assim, o apóstolo aprendeu nas tribulações a depender da graça do Senhor. Em geral as pessoas tendem a se esquecer de Deus, quando sentem que tem tudo sob controle, confiando em sua própria capacidade. E, nas horas de maior fraqueza, quando sentimos incapazes de resolver os nossos problemas sozinhos, tendemos a voltar para Deus e deixar que Ele resolva o que nos parece impossível. Não são os nossos recursos financeiros, nossos amigos, nosso status, nada pode preencher as nossas necessidades. A graça de Deus nos basta, e o poder dele se manifesta em nossa fraqueza, por isso Paulo afirmou em 2 Coríntios 12:10:
Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte. 

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Pois o Senhor teu Deus te abençoou em toda a obra das tuas mãos; ele sabe que andas por este grande deserto; estes quarenta anos o Senhor teu Deus esteve contigo, coisa nenhuma te faltou. Deuteronômio 2:7


O mundo fala em crise, mas os que creem no Senhor falam em Cristo. Em tempos de dificuldade, o Senhor sempre esteve e estará com aqueles que colocam Nele a sua confiança.  O Senhor conhecia as dificuldades que o seu povo enfrentou na travessia do deserto e acompanha os passos da Igreja nos dias atuais, sabe que ela está enfrentado obstáculos e dificuldades. Por isso o povo de Deus precisa ter claro que não está sozinho, pois o Senhor está atento a cada passo dessa caminhada da Sua Igreja. O Senhor conhece nossas fraquezas e nossas limitações, e nos socorre no momento certo, sem deixar que nada nos falte. Assim como não deixou faltar o maná no deserto, Ele não nos deixará faltar o pão de cada dia e com toda certeza levará à Terra Prometida os que Nele esperam e confiam.

 O Senhor é bom, ele serve de fortaleza no dia da angústia, e conhece os que confiam nele. Naum 1:7

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, Remindo o tempo; porquanto os dias são maus. Efésios 5:15-16


O apóstolo nos chama a atenção para um ponto que muitos têm negligenciado nos dias atuais, pois assim como no passado muitas pessoas não têm tido discernimento quanto ao tempo que estamos vivendo. Infelizmente, muitos cristãos estão tão preocupados em prosperar, em ter os bens desta vida que se esquecem da promessa de Deus. Quando muitos não prestam atenção aos sinais de Deus, devemos pedir a Ele o dom do discernimento, para que possamos discernir entre os falsos ensinos e aqueles que são verdadeiramente do Senhor, para que possamos discernir o certo do errado, o verdadeiro do falso sabendo  que esse conhecimento vem do Espírito de Deus. Assim, aprenderemos a agir com vigilância e prudência, remindo o tempo, aproveitando o máximo a oportunidade que nos é dada.
Porque está perto o dia, sim, está perto o dia do Senhor; dia nublado; será o tempo dos gentios. (Ezequiel 30:3)

terça-feira, 28 de julho de 2015

Estes que têm alvoroçado o mundo, chegaram também aqui; Atos 17:6


Estas palavras, registradas por Lucas no livro de Atos mostram a intrepidez daqueles que pregaram o Evangelho na Igreja Primitiva. Eles cumpriram o mandamento de Jesus de pregar o Evangelho até os confins da Terra e alvoroçaram o mundo. Quando refletimos sobre a seriedade do trabalho e a dedicação dos trabalhadores na Igreja Primitiva, não há como não compararmos a dedicação e a importância dada ao serviço de Deus hoje em dia. Infelizmente, vemos que "cristianismo" atual não tem provocado o alvoroço compatível com excelência de tecnologia, com a facilidade de deslocamento, com a liberdade que ainda existe em muitos países para que a Palavra de Deus seja levada a toda criatura. Poucos sãos os que têm provocado a revolução parecida com o impacto do evangelho no primeiro século. Muitos são os que dão lugar à  negligência e à preguiça e não são poucos os que justificam esse descuido com o serviço a Deus com o envolvimento com coisas desta vida. Assim como muitos têm se tornado coniventes ou tolerantes com as propostas mundanas que contrariam os princípios do Senhor. É certo que o mundo evoluiu, as populações aumentaram, mas a Palavra de Deus permanece e precisa ser anunciada. Devemos obedecer ao evangelho, conforme exorta Jesus em Marcos 16:16; e 28:19-20). Sabemos que sem crer em Jesus, não há esperança, sem o arrependimento dos nossos pecados, não há perdão, sem o batismo, não há remissão dos pecados e não alcançamos a salvação. Mas sem o compromisso de obediência total, não somos discípulos de Jesus. Precisamos nos espelhar nos apóstolos que foram fiéis em cumprir a missão que Jesus lhes deu, pois hoje temos muito mais ferramentas para seguir anunciando o Evangelho com a mesma dedicação
 “Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam; Atos 17:30 

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Com o silêncio fiquei mudo; calava-me mesmo acerca do bem, e a minha dor se agravou. Salmos 39:2


 Jesus nos exortou a sair pelo mundo e a agir como seus discípulos, a pregar o evangelho a toda criatura, principalmente aos que estão caídos e perdidos, para pregar a salvação a partir do arrependimento. No entanto, muitos têm se omitido e se calado diante dessa ordem e, conforme lamenta o salmista essa é a razão de muitas dores e males. Precisamos entender que testemunhar sobre o amor de Deus e a salvação em Cristo faz bem à alma não só daqueles que são alcançados pela Palavra, mas, principalmente, daqueles que aceitam essa comissão. Um dos maiores problemas entre os que se consideram seguidores de Cristo é a atitude de negligência em relação as coisas que realmente têm importância. Por isso Jesus avisou sobre o perigo dos "cuidados do mundo e a fascinação das riquezas" sufocarem a palavra (Mateus 13:22). Precisamos nos questionar sempre por que andamos tão ocupados para servir ao Senhor e a anunciar o evangelho   
E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros. 2 Timóteo 2:2

domingo, 26 de julho de 2015

Crede no Senhor vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas, e prosperareis; 2 Crônicas 20:20b


Se quisermos ser abençoados, precisamos prestar atenção à Palavra de Deus, pois tudo aquilo que Deus nos revela e orienta, deve ser obedecido diligentemente. Contudo, muitos têm se perdido em seu próprio entendimento porque não dão ouvidos aos profetas do Senhor. A Bíblia nos diz que a profecia não é para os incrédulos, e sim, para os que creem. Ela não pode ser comparada à adivinhação. Profecia é um dom a ser exercitado na Igreja, para a Igreja, para a edificação e não para a realização pessoal. E se é uma palavra que não está de acordo com a Escritura, não edifica, não exorta, não consola, não conforta, certamente não vem de Deus. Precisamos dar ouvidos aos profetas e buscar discernimento para saber que aquilo que não está de acordo com a Palavra, vindo de onde não há testemunho de Deus, não é do Senhor. Cientes do que que diz o  Senhor  em 2 Timóteo 3:16
“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça,”. 

sábado, 25 de julho de 2015

Assim diz o Senhor: Reprime a tua voz de choro, e as lágrimas de teus olhos; porque há galardão para o teu trabalho, diz o Senhor, pois eles voltarão da terra do inimigo. Jeremias 31:16


Tudo aquilo que nos foi tirado, todo o fruto de nosso trabalho que o inimigo tem nos espoliado, será restituído, pois essa é a promessa do Senhor, trazida pelo profeta Jeremias como um alento àqueles que passam por momentos difíceis e dolorosos. Quem recebe essa palavra e tem a firme convicção de que Jesus está ao nosso lado nessas horas, para nos consolar e confortar, enxugando as lágrimas que derramamos, passa por essas provações com serenidade. Por maior que seja a dor, devemos acreditar, ter fé e esperança de que Deus virá em nosso socorro. O Senhor vê nossos soluços e lágrimas, Ele sabe quando nos inquietamos, quando ficamos insones, sem saber como resolver os problemas. Ele nos prometeu que

“enxugará as lágrimas de todos os rostos, e tirará o opróbrio do seu povo de toda a terra (Isaías 25:8)”. 

sexta-feira, 24 de julho de 2015

“Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar” (I Coríntios 10.13).


Quando enfrentamos algum problema nossa tendência é pensar que é grande demais para suportarmos, e que as coisas estão difíceis acima de nossa capacidade. Mas precisamos saber que junto com a dificuldade Deus nos dá forças para vencer porque Ele mesmo afirmou que venceu o mundo e nos ensinou a ter bom ânimo. Outro pensamento que nos ocorre diante dos problemas que se agigantam em nossa mente é que estamos sozinhos. Mas não podemos nos esquecer de que ao aceitarmos Jesus como nosso Salvador temos que ter em mente a Sua promessa, expressa em Mateus 28:20 “estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos” (Mateus 28.20). O medo e falta de fé nos fazem duvidar dessa promessa, mas é exatamente nos piores momentos que temos a confirmação de que Jesus é o único que não nos abandona e nos mostra que podemos confiar Nele, lembrando Suas palavras:

"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve" (Mateus 11:28-30).

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Deus é amor e tem se manifestado aos homens de diversas maneiras: Através de sua criação, da provisão, da saúde, e da vida. O amor de Deus foi personificado e provado na pessoa e na obra de Jesus Cristo, que veio e morreu pelos nossos pecados. Romanos 5:8-9


O Senhor nos pede que sejamos seus imitadores, todavia, reconhecendo a nossa pequenez diante de Deus, sabemos que  somos muito limitados para imitá-Lo na Sua soberania, onipotência, onisciência e onipresença e em vários outros aspectos da grandeza de Deus. Contudo, podemos ser imitadores de Deus, procurando andar em santificação, prezando por princípios que nos conduzem ao Reino. Deus sabe que somos imperfeitos, mas Ele quer ver nosso esforço, e sobretudo que amemos uns aos outros assim como Ele nos ensinou. Deus é amor e nesse ponto devemos imitá-lo, fazendo o que Jesus nos ensinou e como nos exorta o apóstolo Paulo em Efésios 5:2
E andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave. Efésios 5:2

quarta-feira, 22 de julho de 2015

E eis que no mar se levantou uma tempestade, tão grande que o barco era coberto pelas ondas; ele, porém, estava dormindo. Mateus 8:24


A Bíblia narra que Jesus acalmou a tempestade duas vezes. Na primeira tempestade Jesus estava dentro do barco dormindo e na segunda tempestade Ele estava fora do barco e andou sobre as águas. Certamente não foram as únicas tempestades que Jesus enfrentou, mas essas passagens são registradas para nos ensinar sobre as dificuldades que enfrentamos em nossas vidas. Todos nós estamos sujeitos a atravessar tempestades, às vezes quando pensamos que tudo está bem, o barco balança e ficamos inseguros, pois durante as tempestades, há pensamentos que nos assaltam e ficamos confusos. Assim como os discípulos às vezes pensamos que estamos com Jesus, mas achamos que  Ele está dormindo e outras vezes pensamos que está longe ou fora do nosso barco. Assim como fez o Mestre com seus discípulos, Deus permite que passemos por lutas porque quer nos ensinar a vencer na tempestade, certos do que nos assegura o salmista
Faz cessar a tormenta, e acalmam-se as suas ondas. Salmos 107:29

terça-feira, 21 de julho de 2015

Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta; A qual temos como âncora da alma, segura e firme, e que penetra até ao interior do véu (Hebreus 6:18-19)


O autor do livro de Hebreus usa metáfora para nos mostrar que aquele que põe em Deus a sua confiança está seguro. A âncora é um instrumento náutico que serve para fixar uma embarcação enquanto necessita ficar parada em um determinado ponto. Por ser pesada, a âncora dá firmeza e sustentação, estabilizando a embarcação. Essa figura usada na Bíblia serve para nos mostrar a importância de termos nossa vida espiritual ancorada em um ponto firme nos momentos de tempestades, nas crises, nas circunstâncias adversas que fazem com que nossa vida se desestabilizem. Quando temos um ponto de apoio, por mais terrível que seja a tempestade a nossa volta, não somos abalados. Deus tem o controle de todas as coisas e quem Nele está ancorado não tem porque se apavorar. Não precisamos temer porque a Palavra de Deus promete que
“não dormitará aquele que te guarda” (Salmos 121.3).

segunda-feira, 20 de julho de 2015

“Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos” E para que não caíssem nessas armadilhas Ele exortou: “sede prudentes como as serpentes e símplices como as pombas”.


 Jesus ensinou aos discípulos para que eles soubessem se portar diante de todos os tipos de pessoas e se encontrassem pessoas más e enganadoras em seus caminhos, por isso diz Hoje isso não é diferente. Nossa tarefa é a de pregar o evangelho a toda criatura, principalmente aos estão caídos e perdidos, mas só devemos encontrar leito onde há dignidade.  Jesus enviou os doze para levar o evangelho a toda criatura, para pregar a salvação e perdoar os pecados a partir do arrependimento, mas Ele considerava essencial a dignidade para que os Seus escolhidos se abrigassem. Significa que devemos amar os pecadores, mas não habitar com o pecado. Jesus nos ensina a viver no mundo, sendo luz e sal da terra, mas sem nos deixar contaminar, sem perder a dignidade e sem abandonar os princípios do Senhor.  
E, em qualquer cidade ou aldeia em que entrardes, procurai saber quem nela seja digno, e hospedai-vos aí, até que vos retireis. (Mateus 10:11)

domingo, 19 de julho de 2015

Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz. Daniel 2:22


Há pessoas que vivem atrás de cartomantes e adivinhos na expectativa de conhecerem o que lhe espera no futuro, mas não atentam para o que a Bíblia diz sobre essa prática. A curiosidade humana não leva em conta que Deus deixou os profetas para que Seu nome seja glorificado, mas condenou as adivinhações, pois elas só fazem confundir os homens com afirmações vagas e genéricas que não esclarecem os fatos. A profecia bíblica, ao contrário, é a história escrita antes que aconteça. Ela parte do próprio Deus. A adivinhação interpreta algum tipo de sinal. A profecia não depende da nossa interpretação, mas se sustenta exclusivamente em sua própria realização. Ela vem para a edificação da Igreja e não para projetos pessoais. A adivinhação cria confusão mental, impede a visão para a verdade bíblica, embotando os sentidos de quem põe nela a sua confiança. Mas a profecia divina liberta e dá segurança. Por isso Deus afirma:
"Eu o disse, eu também o cumprirei; tomei este propósito, também o executarei. Ouvi-me vós..." (Isaías 46:11b).

sábado, 18 de julho de 2015

"Pois o coração deste povo está endurecido, e ouviram de mau grado com seus ouvidos, e fecharam seus olhos, para que não vejam com os olhos, ouçam com os ouvidos, compreendam com o coração, se convertam e eu os cure." Mateus 13:15


Jesus nos chama à atenção para o fato de que embora muitos ouçam a Palavra de Deus poucos são os que dão atenção a ela. Existe uma grande diferença entre "ouvir" e "escutar", pois ouvir significa "entender, perceber pelo sentido do ouvido", enquanto "escutar" significa "prestar atenção para ouvir; dar atenção a". Quando  escutamos a Palavra de Deus, prestando atenção e meditando no que foi ouvido, gravamos na memória a mensagem. E isso deve culminar em uma verdadeira mudança de vida. Contudo, muitos ouvem sobre o amor de Deus e o amor ao próximo, sobre a salvação, sobre o perdão e a misericórdia, mas nem amam, nem perdoam, nem são misericordiosos com ninguém, tampouco se santificam ou buscam a salvação, reconhecendo Jesus como seu suficiente Salvador e seguem suas vidas vivendo em religiosidade, mas distantes do Espírito Santo de Deus. Na verdade, estão ouvindo a Palavra sem escutá-la, pois, quem escuta, medita e, quem medita, aprende. E quem aprende aplica o que aprendeu no dia-a-dia. Quem escuta a Palavra vive a Palavra e age como ensinou Tiago 1:22-24

"E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era" Tiago 1:22-24.

sexta-feira, 17 de julho de 2015

“Se, porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor.” Josué 24:15.


Desde sempre Deus nos deu direito a escolher a quem servir, pois Ele não nos criou para sermos robôs a Seu comando, mas dotou-nos do livre arbítrio para amá-Lo por escolha. Deus deu essa liberdade aos anjos e a todos os seres criados, mas Lúcifer, o filho da alva, o anjo mais elevado do Céu, aquele que ficava junto ao trono ficou orgulhoso e quis ocupar o lugar de Deus! Assim como acontece com os homens, o coração dele se exaltou e ele corrompeu sua sabedoria. O anjo de luz era perfeito nos seus caminhos desde o dia em que foi criado, mas escolheu a soberba, pois o Criador deu-lhe o poder e a liberdade de escolha da mesma maneira como faz conosco. E ele escolheu ser mau. Muitos têm escolhido essa opção, mas há quem escolha fazer como Josué  e contemplar a glória de Deus, pois a Bíblia nos assegura que o pecado será destruído.
“Houve então uma guerra nos céus. Miguel e seus anjos lutaram contra o dragão, e o dragão e os seus anjos revidaram. Mas estes não foram suficientemente fortes, e assim perderam o seu lugar nos céus. O grande dragão foi lançado fora. Ele é a antiga serpente chamada Diabo ou Satanás, que engana o mundo todo. Ele e os seus anjos foram lançados à terra.” Apocalipse 12:7 a 9.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Deus é amor e tem se manifestado aos homens de diversas maneiras: Através de sua criação, da provisão, da saúde, e da vida. O amor de Deus foi personificado e provado na pessoa e na obra de Jesus Cristo, que veio e morreu pelos nossos pecados. Romanos 5:8-9


Ninguém se surpreende mais com notícias trágicas, com histórias de filhos que matam pais, ou de pais que matam filhos, ou de irmãos que se enfrentam por dinheiro. A mídia revela um panorama de violências, discórdias, ódios, tragédias e mortes. A ciência e a tecnologia evolui na mesma proporção em que o amor se esfria. Apesar de todo avanço tecnológico, desenvolvimento industrial e econômico, o comportamento do homem em relação ao seu semelhante involui. O homem está cada vez mais perverso. Tem se tornado rotina a notícia de bebês encontrados nas lixeiras ou em calçadas do país, assim como já são  consideradas banais as notícias sobre atentados que envolvem crianças e pessoas inocentes em prol de causas mundanas. Se pudéssemos definir o estado emocional deste mundo, não titubearíamos em afirmar que é um mundo sem amor. Quanto mais o homem adquire conhecimento secular, mais se afasta do amor de Deus e se envereda pelo caminho do pecado. O dinheiro, o poder, o status não preenchem a lacuna que só pode ser preenchida quando o homem experimenta o amor de Deus em sua plenitude. Quem nunca experimentou o amor, não o conhece, e quem não recebe amor é incapaz de amar ou de aceita o amor em sua vida. Precisamos atender à exortação do profeta Isaías 33:13
"Ouvi, vós os que estais longe, o que tenho feito; e vós que estais vizinhos, conhecei o meu poder. Isaías 33:13

quarta-feira, 15 de julho de 2015

“... o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder”. (1 Coríntios 4:20).


Jesus deixa claro que esse poder do qual o apóstolo Paulo nos fala e que Lucas nos apresenta em Atos 1:8 “...recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra” não é um poder terreno, transitório ou material. O poder do qual nos reveste o Espírito Santo nos traz força, mas, sobretudo, responsabilidade, pois a partir do momento em que aceitamos o chamado de Deus recebemos poder para agir em nome de Jesus e nos tornamos escolhidos por Ele para viver uma nova vida, tornando-nos Seus discípulos e coparticipantes de Sua Obra. O apóstolo Paulo nos lembra que o poder do Espírito Santo e a fé, são ações, testemunhados com a própria vida e não apenas em palavras. Como  cristãos  precisamos manifestar o poder de Deus em atitudes coerentes e não apenas em discurso. Nosso modo de viver e nossos atos devem falar por nós,

Sabendo, amados irmãos, que a vossa eleição é de Deus; Porque o nosso evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também em poder, e no Espírito Santo, e em muita certeza, como bem sabeis quais fomos entre vós, por amor de vós. 1 Tessalonicenses 1:4-5

terça-feira, 14 de julho de 2015

Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão. João 5:25


O apóstolo Paulo não está dizendo apenas no sentido literal que os mortos sepultados ouvirão a voz de Jesus e se levantarão para a ressurreição final, quando os que crerem receberão a vida eterna, na Glória, com Jesus, e os ímpios a condenação. Ele se refere também a todos aqueles que ouvirem a voz de Jesus, enquanto estamos na dispensação da graça para que, crendo, passem da morte para a vida, obtendo a salvação em Jesus. Por isso Jesus ensinava que chegará a hora em que os mortos em seus delitos e pecados ouvirão  a Sua voz e viverão. Jesus não se refere exclusivamente à morte física, mas à morte espiritual, por isso, conclama ao arrependimento aqueles que ainda não deixaram essa vida de pecado e mesmo aqueles que ainda estão presos às seduções do mundo para que saibam que
Aquele que crê no Filho tem a vida eterna, mas quem não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece (João 3:36).

segunda-feira, 13 de julho de 2015

e tornarei o seu pranto em alegria, e os consolarei, e lhes darei alegria em lugar de tristeza. Jeremias 31:13b.


Essa é uma promessa maravilhosa de Deus para aqueles que creem e esperam Nele, sabendo que é o único que pode nos dar a verdadeira felicidade, a paz que independe dos conflitos nos quais o mundo está mergulhado. Quando confiarmos em Deus e colocamos nossas vidas em Suas mãos, dependendo exclusivamente de Sua vontade, mesmo nos momentos de aflições e de crise, temos a segurança de que Ele guardará os nossos corações, e não nos deixará abater e assim como o salmista podemos afirmar que

O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã. (Salmos 30:5b). 

domingo, 12 de julho de 2015

Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Romanos 1:21


O apóstolo Paulo nos chama a atenção para o fato de que há pessoas que se arvoram em seu próprio conhecimento e julgam que podem decidir o que fazer com sua vida ou com seu corpo sem se importarem  com a  Palavra de Deus. Muitos são os que se acham sábios, fortes e poderosos e não rendem glória a Deus, em nem o reconhece em nenhuma de suas conquistas. Não render glória a Deus significa não reconhecer que tudo vem do Senhor e que Ele está no controle de tudo. Vemos muitas pessoas que confiam no seu próprio potencial, que pensam que estão acima de tudo e apenas se lembram de Deus quando estão passando por circunstancias adversas. Mas o cristão verdadeiro reconhece o poder de Deus em tudo.

Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. 1 Tessalonicenses 5:18.

sábado, 11 de julho de 2015

Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu. 1 João 3:6


Embora muitos acreditem que são livres para fazerem o que querem, porque pela graça já estão salvos podem pecar porque serão perdoados. A Bíblia afirma que a salvação não é pelas nossas obras, e que nossos pecados quando confessados são perdoados, mas também deixa bem claro que um verdadeiro cristão deve viver conforme ensinou e o próprio Cristo.  O cristão, sendo “nova criatura” (II Coríntios 5:17) deve demonstrar o fruto do Espírito (Gálatas 5:22-23), não atos da carne (Gálatas 5:19-21). O pecado deve ser um acidente na vida do cristão e uma constante, conforme nos mostra o apóstolo em I João 3:6-9. Não é porque somos perdoados que temos licença para pecar ou para permanecer no erro. Porque somos salvos e vivemos na graça temos o compromisso de fugir do pecado e de viver em busca de santidade, refletindo com o apóstolo Paulo em Romanos 6:1-2:

“Que diremos pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele?”.

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Em ti confiarão os que conhecem o teu nome; porque tu, Senhor, nunca desamparaste os que te buscam. Salmos 9:10


Temos vivido momentos difíceis nos quais enfrentamos a corrupção de moral, a violência, e sobretudo o império da mentira em todas as esferas. Parece que mentir passou a ser sinal de vivacidade, de inteligência ou uma estratégia considerada legítima por aqueles que querem conquistar algo, seja na vida pessoal, profissional, política e até mesmo religiosa. Mas o que está por detrás da mentira é algo muito mais pernicioso do que as alegações ou as justificativas de quem a defende, como se “na guerra vale tudo”. Nela reside a deteriorização de princípios e valores muito caros aos cristãos. Aquele que confia no homem, que se apega ou que usa da mentira para algum proveito não pode se dizer cristão, pois cristão é o pequeno Cristo, ou aquele que segue o que Ele determinou. E não há em nenhuma parte da Bíblia uma menção sequer de que Jesus tenha mentido sob qualquer hipótese. Se para conseguir algum benefício diante dos homens for preciso mentir é melhor abdicar do bônus e pagar o ônus de confiar no que disse o apóstolo Paulo texto em epígrafe. Quem confia em Deus não será desamparado, pois
É melhor confiar no Senhor do que confiar nos príncipes. Salmos 118:9

quinta-feira, 9 de julho de 2015


O apóstolo Pedro ensina-nos a viver uma vida cristã, de acordo com os propósitos de Deus, usando em nossa vida secular os dons que Ele nos emprestou para a Sua honra e glória. Quando deixamos de ser criaturas e nos tornamos filhos, temos que ser transformados em todos e essa transformação não implica apenas passar a crer ou a ler a Bíblia se antes não o fazíamos. Deus espera que os Cristãos mudem sua postura. Espera que deixemos a atitude passiva de receber e passemos a dar o melhor de nós em prol da Sua Obra. O Senhor espera novos frutos para que Seu nome seja glorificado também por aqueles que convivem conosco. Para isso Ele  deu dons a cada um de Seus filhos, do mais jovem ao mais idoso, do mais pobre ao mais rico, do analfabeto ao mais erudito. Por essa razão Jesus afirmou em João 15:8

Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos. 

quarta-feira, 8 de julho de 2015

E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus, (Romanos 4:20)


Esse versículo se refere a Abraão que ao assumir uma atitude de fé tornou-se um exemplo a ser seguido. A Bíblia afirma que essa atitude foi a causa do seu fortalecimento espiritual e a razão de ter sido honrado por Deus. Ao agir em fé ele deu glória a Deus, porque não se ateve às circunstâncias, mas colocou seu foco Naquele que é fiel. Precisamos aprender com Abraão a dar glórias a Deus apesar das circunstâncias, que em muitas oportunidades são contrárias a nós. A Bíblia nos mostra que o grande segredo da fé de Abraão foi começar a dar glória a Deus antes e jamais deixar de glorifica-Lo, mesmo antes de ver o milagre se concretizar na sua vida. Abraão era fiel e grato, duas qualidades essenciais ao cristão. A Bíblia nos ensina que  sem fé é impossível agradar a Deus e Abraão é o grande exemplo de fé a ser seguido. O que Deus quer de nós é a fé simples.

“Pois, que diz a Escritura? Creu Abraão em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça.” Romanos 4:3

terça-feira, 7 de julho de 2015

Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. 2 Pedro 1:11


O apóstolo nos ensina a viver de forma digna, agindo de modo não tropeçar e a não escandalizar o Evangelho do Senhor Jesus, mas para isso precisamos entender o que é o reino de Deus. Há quem pense nesse que esse é um termo histórico, ou que será firmado na Terra. Esse reino é espiritual e, de acordo com o livro de Apocalipse o reino já veio, e, para que nele entremos eternamente,  temos que vive-lo aqui, agora, no momento presente para não sermos excluídos. Isso significa que precisamos viver no reino de Deus hoje como cidadãos obedientes, entendendo que o Reino de Deus é Eterno ao contrário de todas as coisas desta terra que são temporárias. Precisamos estar conscientes de que não importa quão preciosas sejam as coisas, elas passarão. Somente o reino de Deus é eterno. Por isso Jesus nos ensina a não buscar as coisas que passam e sim as coisas do alto, que permanecerão para sempre. Todas as coisas deste mundo são físicas e terrenas, mas o reino de Deus é espiritual,  é justiça, paz e alegria  que não se explica ou se justifica nas coisas terrenas. Por isso Paulo ensina em Romanos 14:17: 

“Porque o reino de Deus não consiste no comer e no beber, mas na justiça, na paz, e na alegria no Espírito Santo”. 

domingo, 5 de julho de 2015

Ai daquele que acumula o que não é seu (Habacuque 2: 6)


Muitas vezes nos inquietamos ao ver o ímpio sair impunemente de suas maldades enquanto aqueles que preservam os princípios do Senhor aguardam pela justiça. Mas embora pareça que Deus não está percebendo a situação, ou está indiferente a todas estas coisas, o certo é que Ele percebe,  age e já tem o destino de cada um que pratica a iniquidade e a injustiça determinado. Diante de Deus nada passa desapercebido. Não foi por acaso que o profeta afirmou Deus declara que o justo viverá pela fé.  E em fé entendemos que a  confiança e a esperança também exigem ação e atitudes concretas que determinam que verdadeiramente somos povo de Deus, independentemente da situação em que estamos. E se o profeta lamentou a sorte daqueles que roubam, que enganam, que praticam injustiça desfrutando daquilo que não lhes pertencem, podemos estar certos de que chegará o tempo em que teremos a recompensa por termos guardado a fé, os princípios e o temor agindo sempre com justiça e honestidade, mesmo que isso nos faça parecer  estranhos aos olhos da sociedade contaminada pela iniquidade, pois como ressaltou Davi:

"Felizes os que guardam os mandamentos de Deus e lhe obedecem de todo o coração!" Salmos 119:2.

sábado, 4 de julho de 2015

“Ninguém vos domine a seu bel-prazer com pretexto de humildade e culto dos anjos, envolvendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchado na sua carnal compreensão, E não ligado à cabeça, da qual todo o corpo, provido e organizado pelas juntas e ligaduras, vai crescendo em aumento de Deus.” (Colossenses 2:18-19).


Embora muitos acreditem que são livres para fazerem o que querem, por isso não têm religião, o fato é que só em Jesus há liberdade. A religião, quando limitada por seus dogmas e tradições, aprisiona, mas quando é fundamentada na Palavra de Deus traz a paz e a libertação. Quem está verdadeiramente em Cristo tem discernimento e sabe como deve se portar e não é incoerente em seu modo de agir e de falar. Isso significa que, dizer que é crente não faz de ninguém   cristão. Cristão é aquele que vive conforme os ensinamentos de Jesus e faz o que Ele faria. Fazer sacrifícios e penitências, ou mostrar uma aparência diante do mundo pode significar apenas um ritual religioso, mas não a verdadeira fé ou santidade. O que deve dominar a vida de um cristão é Jesus e não a prática religiosa. Nele há liberdade e o verdadeiro amor  e Nele vigora a paz, sem contradição. Por isso o Senhor afirmou em João 14:27

Deixo a paz a vocês; a minha paz dou a vocês. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbe o seu coração, nem tenham medo.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

“Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: Não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens; As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne.” (Colossenses 2:20-23).


Paulo nos alerta que devemos tomar muito cuidado com o que estamos praticando, refletindo sempre se é a Palavra de Deus ou se é somente uma religião, pois muitos estão apenas cumprindo mecanicamente os rituais religiosos. Nem todos os que se dizem cristãos vivem a Doutrina de Cristo, mas são muitos os que apenas vivem a doutrina de denominação, de homens. Precisamos nos indagar sempre se o que fazemos, falamos, até mesmo a maneira como estamos orando, estão de acordo com os ensinamentos do Senhor. Mais que isso, é necessário vigiar para que não nos deixemos levar pelos costumes e tampouco a atribuir a Deus o que Dele não vem. Precisamos tomar cuidado com as doutrinas estranhas. Não podemos nos esquecer de que Jesus derrotou a morte, aniquilou o diabo, e nos libertou, dando-nos a opção de escolha de vida ou morte. Por isso, devemos viver Nele, procurando viver como Ele viveu. Mas é preciso também nos precavermos contra as mentiras inúmeras que se apregoam por aí: nem tudo que foge à Palavra vem do diabo, nem tudo é do mal, símbolo de satanás.
“Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.” (Colossenses 2:16-17). 

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Ai daquele que edifica a cidade com sangue, e que funda a cidade com iniquidade! Habacuque 2:12


Infelizmente, vemos que a maldade do ser humano chegou a um extremo,  ao ponto de muitos hipervalorizarem objetos supérfluos,   virando o rosto para o seu próprio semelhante; gastarem horas cuidando e cultuando seu próprio corpo sem se dignarem sequer a olhar para uma criança ou um idoso, sem considerar que foram criados à imagem e semelhança de Deus. Quantas injustiças são  cometidas contra o ser humano, criado por Deus para viver com dignidade e justiça, mas tratado como objeto por muitos que vivem em iniquidade. O profeta Habacuque lança um lamento e chama a uma reflexão aqueles que se deixam corromper e fazem vista grossa diante da insensibilidade humana. Com isso vemos o quanto o ser humano está longe de Deus, pois no mundo de hoje, dominado pelo capitalismo, Deus tem sido considerado um ser a serviço do homem. Deus tem sido considerado o barro que o homem pretende moldar segundo seus desejos e interesses do momento. Para esses, Deus não tem valor algum e, consequentemente, a família também não tem nenhum valor e, de igual modo, a ética, a justiça, o direito, o amor são conceitos relativos. O que interessa, de acordo com o discurso vigente, é o desejo soberano do homem. Por isso o profeta exclama com preocupação:

"Até quando Senhor...?" (Habacuque 1:2a)

quarta-feira, 1 de julho de 2015

E digo isto, para que ninguém vos engane com palavras persuasivas. Colossenses 2:4


Assim como o apóstolo Paulo, nós também precisamos nos preocupar com as falsas doutrinas, porque elas, sutilmente, sorrateiramente, com ares de inocentes reflexões nas igrejas e levam muitos a cair. São doutrinas de homens, sem respaldo bíblico, baseadas em textos fora de contextos, em versículos aleatórios, apresentadas como se fossem preceitos do Senhor, todavia, vêm com a intenção de satisfazer os desejos humanos. É necessária muita vigilância para  permanecermos  firmes nos ensinamentos do Evangelho de Jesus Cristo, sem nos deixarmos contaminar pelas emoções e por sutilezas do inimigo. Devemos consultar a Palavra de Deus, pedindo a orientação do Espírito, vigiando sempre e assim colocarmos em prática o que nos ensina Paulo em Colossenses 2:8
 “Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo.”