Traduza este blog

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão



“E aconselhou-se com o povo, e ordenou cantores para o SENHOR, que louvassem à Majestade santa, saindo diante dos armados, e dizendo: Louvai ao SENHOR porque a sua benignidade dura para sempre. E, quando começaram a cantar e a dar louvores, o SENHOR pôs emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe e os das montanhas de Seir, que vieram contra Judá, e foram desbaratados. Porque os filhos de Amom e de Moabe se levantaram contra os moradores das montanhas de Seir, para os destruir e exterminar; e, acabando eles com os moradores de Seir, ajudaram uns aos outros a destruir-se. Nisso chegou Judá à atalaia do deserto; e olharam para a multidão, e eis que eram corpos mortos, que jaziam em terra, e nenhum escapou.” (II Crônicas 20:21-24)

Amado(a), nosso Pai gosta de nos surpreender. Josafá é avisado que grande exército vem contra ele, busca em Deus a resposta, Deus avisa que não temesses, ficassem parados e vissem o grande livramento que Ele faria. Eles o adoraram e no dia seguinte, ainda em adoração e louvor marcharam para o deserto de Tecoa. No momento em que começaram a cantar e louvar a Deus, o Pai fez com que seus inimigos se levantassem uns contra os outros e se matassem. Mas eles vinham juntos, em aliança para acabar com Josafá e Judá. Mas Deus os confundiu e os destruiu. Poder tão glorioso que faz com que os poderosos deste mundo que fazem aliança contra nossa vida, levantem-se uns contra os outros e se destruam com as próprias mãos. O Espírito Santo faz isso ao nosso favor, confunde aqueles que querem nos destruir e os extermina, não fica um em pé, caem todos, desaparecem da nossa presença por amor do nosso Pai. Deus quer fazer cumprir o Salmo 91:7 na sua vida: “Caiam mil ao teu lado, e dez mil, à tua direita; tu não serás atingido.” Como diz em I Samuel 25:29 “Se algum homem se levantar para te perseguir e buscar a tua vida, então, a tua vida será atada no feixe dos que vivem com o SENHOR, teu Deus; porém a vida de teus inimigos, este a arrojará como se a atirasse da cavidade de uma funda.”
Arrependa-se, busque santidade, louve e mantenha-se em adoração e veja o que Deus fará contra aqueles que tramam o mal contra você. Para eles não há outra ordem de Deus que não seja a derrota e para você a grata surpresa de ser atado ao Deus que te guarda e cuida de ti.


Deus lhe abençoe!

“Os meus olhos estão continuamente no SENHOR, pois ele tirará os meus pés da rede.”(Salmos 25:15).







Amado(a), quantos exemplos bíblicos vemos de pessoas que deixaram de receber a bênção por conta da incredulidade. Ainda hoje, vagamos pelo deserto, sem receber as promessas, porque não colocamos nossos olhos em Deus. Saímos do lugar quando haveríamos de ser contemplados. Espiamos a terra prometida e recuamos, com medo dos gigantes. Às vezes pagamos pela incredulidade de outros, mas isso não significa que a promessa do Senhor não será cumprida. Mas a chave disso tudo se chama perseverança. Observe que Davi usa a palavra “continuamente”. Isso é persistência.
Perseverança é a palavra chave para quem quer vencer no Senhor. Paulo ensina isso em Hebreus 10:38 "Mas o justo viverá da fé; E, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele"
Perseverar, consiste em conjugar três atributos importantes: persistência, firmeza e constância.
Deus não se agrada dos desistentes, daqueles que iniciam um propósito e não têm firmeza para levar a cabo. Há pessoas que conhecem os caminhos do Senhor, são batizadas, mas não são firmes na fé. Por qualquer razão afastam-se da igreja, deixam de lado os valores cristãos. Quando se sentem sós, voltam-se novamente para Deus em busca de uma bênção instantânea. Mas não percebem que têm trocado o Senhor por pouco: uma roda de amigos, um trabalho, um vício, um companheiro.
É preciso firmeza para não nos desviarmos do propósito divino para nossas vidas e nem desanimarmos quando aparecem os obstáculos. Eles certamente virão. Mas se estivermos com os olhos continuamente no Senhor, Ele nos dará a vitória.
Muitas vezes amado(a), o Senhor nos fala ao coração, pela Sua palavra nos dá uma diretriz, mas algo nos tira da direção. Preste atenção, se o Senhor tem lhe falado algo, siga. Não desanime porque não está vendo os frutos imediatos. Persevere. Tenha firmeza. Seja persistente. Mas antes observe se aquilo que pretende está de acordo com a palavra. Nada que venha tirá-lo(a) dos caminhos do Senhor vem Dele, esteja ciente.
Peça ao Espírito Santo o entendimento e tenha constância em buscar a Palavra para seguir a caminhada e praticar passo a passo o que lhe foi revelado pelo Senhor.
Amado(a), você tem um chamado de Deus. E sabe onde e por que foi chamado(a). Portanto, não se esquive mais. Lembre-se do seu compromisso, da sua busca. Volte-se para Deus. Siga perseverante e fiel realizando o que lhe foi revelado porque Deus vai honrar a sua fé e obediência, muito mais do que você pensa, espera ou imagina!
"Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera" (Efésios 3:20).
Graça e Paz!

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão



“Então veio o Espírito do SENHOR, no meio da congregação, sobre Jaaziel, filho de Zacarias, filho de Benaia, filho de Jeiel, filho de Matanias, levita, dos filhos de Asafe, E disse: Dai ouvidos todo o Judá, e vós, moradores de Jerusalém, e tu, ó rei Jeosafá; assim o SENHOR vos diz: Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão; pois a peleja não é vossa, mas de Deus. Amanhã descereis contra eles; eis que sobem pela ladeira de Ziz, e os achareis no fim do vale, diante do deserto de Jeruel. Nesta batalha não tereis que pelejar; postai-vos, ficai parados, e vede a salvação do SENHOR para convosco, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR será convosco.” (II Crônicas 20:14-17)

Amado(a), havia uma grande guerra anunciada pela frente. Guerra, que aos olhos dos homens, estava perdida. Mas a rendição a Deus trouxe a resposta do Pai aos seus filhos. O Senhor responde que não é para ter medo pelo que se vê com os olhos carnais. Não era luta para Josafá lutar. A luta era de Deus, assim como a sua também o é neste momento. Não batalhe, fique quieto, marche louvando a Deus em direção à vitória que não foi apenas decretada pelo Pai, como também vencida por Ele mesmo. Josafá, logo que ouviu o Senhor dizer a ele estas coisas, se prostrou com o rosto em terra e o adorou. O Adorou !!! Então a atitude não era mais de medo e sim de adoração por gratidão e confiança no Deus Todo Poderoso. Os versículos 18 e 19 falam que não somente Josafá, mas todo o povo com ele adorou ao Pai, se lançando diante de Deus. E os levitas louvavam em alta voz. Este era o preparo para caminhar até o Vale da Decisão, chamado em Joel como Vale de Josafá. Vale este que hoje somos conclamados a nos dirigir a ele, não com espírito abatido, semblante caído, medo ou temor; mas com louvor e adoração porque o nosso Pai pelejará por nós e vencerá todas as nossas guerras. Posicione-se como vencedor, com arrependimento, santidade e espírito grato e veja o grande livramento que o Senhor lhe fará por estes dias. Convido-lhe a se prostrar diante de Deus e adorá-Lo e se manter em adoração até que a batalha seja vencida, porque o Senhor pelejará por você. Creia nisso.

Deus lhe abençoe!

“Não te lembres dos pecados da minha mocidade, nem das minhas transgressões; mas segundo a tua misericórdia, lembra-te de mim, por tua bondade, SENHOR.”(Salmos 25:7).







Amado(a), todos nós somos pecadores. A diferença é que muitos se apegam ao pecado e outros querem se santificar. Davi pecou e se arrependeu. Recebeu o perdão do Senhor, porque sabia que eles faziam separação entre ele e Deus. Confessou, arrependido e pediu ao Senhor que deles não se lembrasse mais. Perceba que ele se apropria de uma prerrogativa de filho. E essa prerrogativa também nos foi dada. O Senhor perdoa nossos pecados. Ele apaga as nossas iniquidades, por conta de Sua bondade. Davi sabia reconhecer seus erros e confessá-los. Mais do que isso, sabia abandoná-los. É certo que errou muitas vezes. Mas não os mesmos erros. E você tem agido assim, ou continua insistindo na mesma atitude, circulando, voltando para o deserto, como o povo de Deus, ao sair do Egito? Muitos têm vivido quarenta anos de retorno, de teimosia, de desobediência, de insistência em cometer os velhos e tenebrosos erros. De tanto repetir, nem se dão conta que fazem a mesma coisa, que obtêm os mesmos resultados e que não avançam, contudo, retrocedem sempre.
Amado(a), isso não é para filho de Deus! Vide o exemplo de Davi, considerado homem segundo o coração do Senhor. Aprendamos com ele a avançar e a seguir em frente, deixando os erros de nossa mocidade. É preciso amadurecer, conhecer a plenitude das promessas do Pai. Não volte a cometer os mesmos erros. Não seja escravo de suas atitudes. Pare de se acorrentar. Faça diferente: faça o que não fez ainda. Deixe Jesus comandar sua vida. Esqueça o mundo e suas ditaduras. Se é preciso dar um basta, faça isso. Mas não volte mais atrás. Você sabe que não chegará a lugar algum com isso, a não ser ao mesmo lugar de onde parte sempre, ao seu coração solitário e insatisfeito.

Graça e Paz!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão



“E sucedeu que, depois disto, os filhos de Moabe, e os filhos de Amom, e com eles outros dos amonitas, vieram à peleja contra Jeosafá. Então vieram alguns que avisaram a Jeosafá, dizendo: Vem contra ti uma grande multidão dalém do mar e da Síria; e eis que já estão em Hazazom-Tamar, que é En-Gedi. Então Jeosafá temeu, e pôs-se a buscar o SENHOR, e apregoou jejum em todo o Judá.” (II Crônicas 20:1-3)

Amado(a), Josafá foi rei de Judá. Era homem rico, de posses, mas fez algo errado diante de Deus. Aliou-se ao ímpio. Ele o fez casando-se com Atalia filha de Acabe, Rei de Israel, sem que isso fosse ordem de Deus. Na verdade você deve estar se perguntando, por que este casamento não era de Deus se Josafá era Rei de Judá e Acabe era Rei de Israel e os dois eram povo escolhido de Deus? Acabe era poderoso, rei cuja força política a princípio o fazia um homem forte, no entanto, casou-se com Jezabel (Princesa Fenícia) que era uma mulher idólatra, adoradora de Baal e que trouxe seus ídolos para o reino de Israel onde eram cultuados. Além disso, ela perseguia os profetas do Senhor e buscava matá-los. Então, quando Josafá se casa com Atalia (A Biblia se refere a ela como aquela mulher ímpia – II Crônicas 24:7), ele faz aliança com Acabe por meio do casamento (II Crônicas 18:01) “Josafá tinha grande riqueza e honra, e aliou-se a Acabe por laços de casamento”. Isso certamente não era a ordem de Deus para Josafá. E isso o fez unir-se a Acabe em guerra não ordenada por Deus, e não morreu por misericórdia do Senhor. E Deus traz a verdade nos versículos 2 e 3 de II Crônicas 19 “E Jeú, filho de Hanani, o vidente, saiu ao encontro do rei Josafá e lhe disse: Devias tu ajudar ao ímpio, e amar aqueles que odeiam ao SENHOR? Por isso virá sobre ti grande ira da parte do SENHOR. Boas coisas, contudo, se acharam em ti; porque tiraste os bosques da terra, e preparaste o teu coração para buscar a Deus.” Então, quando Deus trouxe a verdade a tona à Josafá, ele percorreu toda a sua nação chamando-a a voltar-se a Deus. Habitou, pois, Josafá em Jerusalém; e tornou a passar pelo povo desde Berseba até as montanhas de Efraim, e fez com que tornassem ao SENHOR Deus de seus pais. (II Crônicas 19:4) Logo em seguida, levantam-se os Moabitas, Amonitas e moradores do Monte de Seir, buscando destruir ao Rei Josafá. E ele foi avisado do grande exército que havia se levantado contra ele. A palavra de Deus diz que ele teve medo e se pôs a buscar ao Senhor e apregoou jejum em todo Judá. Assim acontece conosco. Quando nos arrependemos e buscamos renovar nossa aliança com o Senhor, quando estamos atrás da santidade e de decisões acertadas e uma vida reta diante de Deus, os inimigos se levantam, mesmo que isso tenha sido gerado por desobediência no passado, como no caso de Josafá. E geralmente são em grande número e em várias áreas. E não é errado temer. Isso é humano. O certo é que, quando isso ocorre nas nossas vidas, temos que buscar ao Senhor para que Nele encontremos a resposta. Deus nunca nos desampara, jamais nos abandona, não está surdo aos nossos pedidos principalmente depois do arrependimento e mais ainda quando buscamos atitudes certas na sua presença e percorremos toda a nossa vida fazendo com que toda ela esteja voltada ao Senhor. Isso é buscar santidade.
Não se arrependa somente, busque a presença do Pai e faça uma varredura como um todo, voltando todas as áreas de sua vida ao Nosso Deus.

Deus lhe abençoe!

“Levantai, ó portas, as vossas cabeças, levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória.”(Salmos 24:9).




Amado(a), que expressão de júbilo e de contemplação estão contidas nessas palavras! Imagine essa cena: o nosso Rei sendo entronizado! Todos queremos ver isso, mesmo aqueles que não andam segundo a palavra de Deus. Mas, para que o Rei da Glória seja entronizado, o seu altar precisa ser edificado. Ele não adentrará qualquer porta. Lembre-se, amado, o nosso corpo é o altar de Deus. É o templo onde o Seu Espírito quer habitar. E para que possamos exclamar essas palavras, como o salmista, temos que nos assegurar de que ele está santificado para que entre o Rei. Você tem santificado seu corpo para o Espírito de Deus, ou tem deixado que as obras da carne falem mais alto e tome conta do seu altar? Você tem dedicado um tempo para preparar-se para Deus, ou tem cuidado apenas das coisas seculares, lembrando-se de seu Criador apenas quando as tribulações se agigantam? “Levantai vossas cabeças e olhai para o Senhor”, diz o texto em epígrafe. Não coloque seu foco nas coisas do mundo, somente assim o Rei será entronizado e você perceberá a grande diferença entre servir a Deus e servir ao mundo. Infelizmente, há quem se diga cristão, mas seu altar ainda está cheio de ídolos: de vaidade, de prazeres mundanos, de culto ao velho homem. Não deixaram de lado as coisas que escravizam e assim continuam a cometer os velhos erros e a depositar amor e confiança nas coisas que não edificam. Como afirma Jesus em Mateus 6:21 “Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”. Se seu coração está preso ao passado, creia que seu presente é sombrio, amargo e seu futuro incerto. Mas se seu olhar está no alto, se seu coração entroniza o Rei, não se turbe, mesmo em face de qualquer desencanto. O Senhor conhece os Seus e não os desamparará. Não se deixe iludir pelos encantos do mundo. Isso é passageiro e jamais lhe dará a alegria de entronizar o Rei. Se você está se deixando levar por prazeres do mundo, não se esqueça de que eles são efêmeros, duram menos do que suas inquietações e deixam você com a incômoda sensação de incompletude, porque ela só passará quando o Senhor for entronizado real e verdadeiramente em sua vida.
Graça e Paz!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão




“E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito.” (Joel 2:28-29)

Amado(a), a busca a Deus, o arrependimento, a oração, o louvor, a mudança de direção, a adoração ao Pai... Tais atitudes trazem proximidade com o Senhor, sensibilidade ao Espírito de Deus, revelação de coisas grandes e ocultas ao nosso entendimento ou conhecimento. Coisas que não sabemos como, por exemplo, armadilhas que o diabo trama contra nossas vidas, bênçãos sem medida que Deus tem para nossa vida, as promessas pessoais, interpretações profundas da palavra de Deus, onde encontraremos livramento, alento, alegria e vitórias para nossas vidas.
Deus usará do derramar de seu Santo Espírito sobre nossas vidas para trazer à luz o que se esconde de nossos olhos. As profecias, visões e sonhos serão alguns dos instrumentos que Deus usa e continuará usando para nos avisar, fazer conhecer algo, proteger, livrar e edificar. Instrumentos sobrenaturais que fluem no nosso meio em decorrência da presença do Espírito Santo. Uma das grandes promessas encontradas no livro de Joel é essa: o Derramar do Espírito Santo. Esta profecia se cumpriu no Pentecostes descrito em Atos 1:8 “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” Então há outro motivo para todo este derramar: o evangelismo. Em Atos 2:16 fala que tudo que aconteceu no Pentecostes estava escrito em Joel “Mas o que ocorre é o que foi dito por intermédio do profeta Joel”.
A Igreja de hoje vive um momento crucial, quando a ação do Senhor é prometida para toda carne, para todos e não apenas para líderes, pastores, diáconos ... É para todos que perseverarem unânimes em oração como é relatado em Atos 1:14.
Inúmeras promessas demonstram o que ocorre quando buscamos ao Senhor: Jeremias 29:13 “Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração.”, Deuteronômio 11:22-23 “Porque, se diligentemente guardardes todos estes mandamentos que vos ordeno para os guardardes, amando o SENHOR, vosso Deus, andando em todos os seus caminhos, e a ele vos achegardes, o SENHOR desapossará todas estas nações, e possuireis nações maiores e mais poderosas do que vós.”, Hebreus 4:16 “Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.”
E Jesus Cristo que se entregou por nós, não nos deixou órfãos, mas nos presenteou com um amigo de preço inestimável que nos conduz todos os dias à nossa Terra Prometida.
Deus lhe abençoe!

“Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente.”(Salmos 24: 5).




Amado(a), Davi nos lembra, ainda no início deste salmo que “Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam. Porque ele a fundou sobre os mares, e a firmou sobre os rios”. Mas nela tem habitado o príncipe do mal, que milita contra os escolhidos do Senhor, oferecendo-nos o que não pode entregar, para nos confundir e nos roubar a salvação. Muitos são os artifícios e as seduções, por isso ele completa que subirá no Santo Monte aquele que não segue os comandos do príncipe deste mundo, que não anda segundo os conselhos dos ímpios, mas mantém puro o coração. Aquele que não se envaidece com as glórias mundanas, que não engana ao próximo. Isso significa não fazer ou dizer ao outro aquilo que não queremos que nos façam. Não prometer o que não se pode cumprir. Não dizer sim, querendo dizer não, não afirmar o que não se pode manter.
Essa tem sido a conduta dos ímpios, daqueles que não conhecem e não vivem os mandamentos de Cristo. Mas, em hipótese alguma pode ser a atitude de um cristão. Aquele que está em Cristo é nova criatura. Não age levianamente, não envolve pessoas inocentes. Não banaliza os compromissos. Este, afirma Davi, receberá a bênção do SENHOR e a justiça do Deus da sua salvação.
E você, amado(a), como tem se comportado com seu próximo? Será que pode afirmar que os ímpios veem nas suas atitudes o reflexo de Cristo, ou você tem sido mais um(a) a envergonhar o Seu evangelho? Observe como tem sido sua vida. O que tem feito. Como tem agido. Sua conduta tem sido a de um(a) cristã(o)? Você tem sido fiel aos seus princípios, ou a cada dia tem tomado uma decisão que não se firma? Tem sido correto(a) com sua família, tem se lembrado dos seus genitores, ou tem lhes desprezado como se não existissem? Tem sido exemplo para seus filhos, ou admite que não aprovaria se eles fizessem o que você faz? Você diria que pode encarar as pessoas com as quais convive ou conviveu, certo de que não foi injusto(a), desleal ou irresponsável? Mais do que isso: você pode olhar para Deus e se enquadrar no que diz o texto em epígrafe? Pense nisto, porque o mundo jaz no maligno, e o seu príncipe anda em derredor procurando a quem possa tragar, na primeira brecha. Ou prefere trocar sua salvação por algumas mordomias de final de semana. Lembre-se de que a quarta-feira de cinzas chega para anunciar a realidade àqueles que não estão firmes em Deus. Ela não tem aparência de cristal ou de safira. É carvão puro.
Graça e Paz!

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão



“Alegrai-vos, pois, filhos de Sião, regozijai-vos no SENHOR, vosso Deus, porque ele vos dará em justa medida a chuva; fará descer, como outrora, a chuva temporã e a serôdia. As eiras se encherão de trigo, e os lagares transbordarão de vinho e de óleo. Restituir-vos-ei os anos que foram consumidos pelo gafanhoto migrador, pelo destruidor e pelo cortador, o meu grande exército que enviei contra vós outros. Comereis abundantemente, e vos fartareis, e louvareis o nome do SENHOR, vosso Deus, que se houve maravilhosamente convosco; e o meu povo jamais será envergonhado. Sabereis que estou no meio de Israel e que eu sou o SENHOR, vosso Deus, e não há outro; e o meu povo jamais será envergonhado.” (Joel 2:23-27)

Amado(a), estamos vivendo o momento de grandes mudanças. Somos chamados a buscar ao Senhor, buscar ao arrependimento e à Santidade. É um processo, requer vontade, decisão, compromisso e perseverança. Mas os resultados disso são físicos e espirituais. O conserto nos traz uma chuva torrencial sobre nossas vidas. Mas não é uma chuva qualquer, é uma chuva que tem seu tempo para cair e o faz com regularidade. Na Palestina os agricultores chamavam de chuva temporã aquela que caía sempre nos meses de setembro e outubro e a serôdia aquela que caía nos meses de março e abril. Na chuva temporã se prepara a terra, o arado entra em ação, as sementes são lançadas e o trigo e a cevada são plantados, é tempo de trabalho, não se vê muito além dos sulcos na terra. A terra precisa ser tratada para que a semente seja plantada e floresça. Então um tempo depois vem a chuva serôdia para que a planta cresça com viço e vigor. Em Tiago 5:7 vemos o seguinte versículo: ”Sede, pois, irmãos, pacientes, até a vinda do Senhor. Eis que o lavrador aguarda com paciência o precioso fruto da terra, até receber as primeiras e as últimas chuvas". Esta passagem pode ser aplicada a dois pontos importantes nas nossas vidas. O primeiro deles é que toda assolação em nossas vidas será restituída por Deus quando o obedecermos e então haverá o tempo de preparar a terra (nosso coração),arando, fazendo sulcos que preparem o solo, rasgando nossos corações diante de Deus, deixando-o assim, mais propício ao plantio da palavra. E neste tempo a primeira chuva vem mostrando o início do processo, até que a segunda chuva venha e nós colhamos a restituição em nossas vidas. Mas também pode ser aplicada ao tempo do segundo grande derramar do Espírito sobre a terra, tempo este da chuva serôdia ao qual o Lavrador aguarda pacientemente para recolher seu povo. Estamos no tempo do fim. Necessário é que não nos conformemos com este mundo, mas que nos transformemos pela renovação das nossas mentes.
Então o Senhor nos restituirá física e espiritualmente os anos consumidos pelos gafanhotos, anulará toda ação de destruição nas nossas vidas e teremos motivos de sobra para louvarmos o nosso Pai que jamais nos deixa envergonhados. Os nossos ídolos não existirão mais, sejam eles o cônjuge, os filhos, namorado (a), um bem material, dinheiro ou qualquer outra coisa que tenha tirado o lugar de Deus em nossas vidas. Então saberemos que Ele está no nosso meio e que de fato não há outro Deus que não seja Ele.

Deus lhe abençoe!

“Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.”(Salmos 23: 5).



Amado(a), assim como o salmista, sabemos que estamos cercados de inimigos, mas, como ele, devemos estar certos de quem é o nosso Deus, o nosso pastor que nos ensina por onde andar. Nossa luta não é contra a carne e o sangue, mas contra os principados e dominadores do mal. Nossa luta é contra aquele que milita na nossa carne, para nos levar a perder a alma. Não lutamos contra a carne, mas não podemos deixar que a carne sobrepuje ao espírito, sabendo que Aquele que está nós é maior do que aquele que está no mundo.
Amado(a) estamos vivendo tempos em que a carne tem sido cultuada, e que o espírito tem sido relegado. Hoje é carnaval. A festa da carne, quando o mundo e seu príncipe reinam soberano sob o disfarce da alegria. Mas hoje é apenas o dia oficial, porque carnaval tem sido o ano todo, quando desprezamos a palavra e damos vazão às concupiscências. Lembremo-nos do que disse Paulo em Romanos 8:13 “Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis”.
Amado(a), aquele que é ungido, separado por Deus, não deve andar segundo as obras da carne. Na presença do inimigo, Deus nos separa para mostrar ao mundo que somos diferentes, que servimos ao Deus vivo, que nos dá paz e júbilo o ano todo, mesmo nas lutas e que não precisamos nos embriagar e entorpecer para dar vazão a uma alegria passageira, que não rompe a quarta-feira, que vira cinzas depois da ressaca. Nosso Deus faz com que nosso cálice transborde e nos mantém firmes porque Nele arvoramos nosso estandarte.
Se você quer ver seu cálice transbordando e quer ter a certeza de que não precisa se embriagar nos prazeres do mundo para encontrar a tão sonhada felicidade, entregue seu caminho ao Senhor, confie Nele e tudo o mais Ele fará, acredite!

Graça e Paz!

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão


“Tocai a trombeta em Sião, promulgai um santo jejum, proclamai uma assembléia solene. Congregai o povo, santificai a congregação, ajuntai os anciãos, reuni os filhinhos e os que mamam; saia o noivo da sua recâmara, e a noiva, do seu aposento.Chorem os sacerdotes, ministros do SENHOR, entre o pórtico e o altar, e orem: Poupa o teu povo, ó SENHOR, e não entregues a tua herança ao opróbrio, para que as nações façam escárnio dele. Por que hão de dizer entre os povos: Onde está o seu Deus?” (Joel 2:15-17)

Amado(a), o Senhor nos conclama que haja mudança em nosso meio. Chama-nos não só ao arrependimento, mas à Santificação. Ele deixa claro que todos são convocados para promulgar um santo jejum e proclamar assembléia solene. E a atitude de choro entre o pórtico e o altar é para os sacerdotes. Pórtico, portal por onde entramos para chegarmos à presença de Deus e o altar, local onde é deixado o sacrifício. E quem são os sacerdotes? Não são somente os pastores, somos todos nós. Quando invocamos ao Senhor em nossas vidas passamos a ser raça eleita, sacerdócio real, povo de propriedade exclusiva de Deus. Então todos somos sacerdotes, todos devemos chorar. O choro que chama a atenção de Deus é o choro do arrependimento. Como é dito em Salmos 51:17, “ O sacrifício aceitável a Deus é o espírito quebrantado; ao coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus”. E é este sacrifício aceitável que devemos deixar no altar de Deus. Então devemos entrar na presença de Deus pelo portal da oração, chorar buscando o arrependimento e entregar esta atitude a Deus como sacrifício aceitável. O que interessa é o quebrantamento, sem ele não podemos chegar à santificação e assim não poderemos ver a Deus. Isso move o coração de Deus a nosso favor, Ele não consegue resistir ao coração contrito. Assim, todo o mal que possa estar sobre nossas vidas como fruto de uma vida inconstante ou pecaminosa se esvai. Deus muda nossa sorte. Os escarnecedores que se riem de nossas vidas e tramam o mal contra nós, zombando da nossa fé, são derrubados um por um. Como é descrito em Salmos 23:05 “Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.”
Algo precisa mudar na sua vida meu(minha) irmão(ã), algo precisa mudar na nossa vida. Deus esta nos chamando a um posicionamento de santidade. Algo novo Ele quer fazer em nossa vida, nosso lar, nossa Igreja, nosso trabalho,
em nossas finanças. O Senhor deseja ardentemente restaurar a área ou áreas desoladas em nossas vidas, mas quer primeiro nosso coração contrito.
Reflita a respeito disso e busque primeiro ao Senhor da bênção e não somente a bênção do Senhor.


Deus lhe abençoe!

“Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.”(Salmos 23: 3).




Amado(a), este é um dos versículos mais citados da Bíblia, e está contido num dos salmos mais lembrados, o salmo 23, conhecido por salmo do pastor.
Davi inicia afirmando “O Senhor é o meu pastor”. Isso significa que ele reconhece Aquele que o guia. E deposita Nele toda a confiança. E quando o salmista se dirige a Deus desse modo, ele nos mostra que Deus não é inacessível, distante ou indiferente. É um Deus que nos ama e que cuida de nós. É o nosso pastor, que nos cuida e nos refrigera a alma. Como o pastor conhece suas ovelhas, Ele conhece a nossa essência, sabe o quanto somos frágeis e certamente conhece os nossos problemas e nossas dificuldades. Assim como as ovelhas que seguem seu pastor, quem confia Nele, não anda sozinho e vive melhor. O grande problema é que muitos conhecem o salmo do pastor, até de cor, e o recitam com freqüência, mas poucos são os que de fato conhecem o Pastor dos salmos. Ele é Jesus Cristo de Nazaré e sempre nos procura. E nós, procuramos por Ele?
Muitos se apegam à promessa desse salmo de que “nada nos faltará”, no entanto relutam em se deixar cuidar pelo Pastor zeloso. Não nos faltarão bênçãos, certamente, mas também não nos faltarão lutas nem adversários. O certo é que nas lutas e adversidades, aquele que conhece a voz de seu pastor também sabe que tudo isso cooperará para o bem, pois a bondade e a misericórdia do Senhor sempre nos acompanharão.
O salmista sabe que o refrigério da alma é possível àqueles que andam pelas veredas da justiça, por isso pede por amor do nome do Senhor, que seja guiado nesses caminhos.
Amado(a), a vida tem nos ensinado que os outros caminhos são atalhos que levam à destruição e à angústia. Que tudo passa, mas a palavra de Deus permanece, então por que você tem resistido tanto para nos entregar ao Criador? Por que insiste em não nos consagrar mais profundamente a Ele? Por que você continua com a alma atribulada, sabendo onde está a verdade, onde está o caminho, onde está a vida? Não perca mais tempo, procure o Pastor dos salmos. Ele tem a resposta para as suas dúvidas, tem a cura para a sua solidão. Tem o refrigério para a sua alma atribulada.
Graça e Paz!

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão


“Ainda assim, agora mesmo diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR vosso Deus; porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal. (Joel 2:12-13)

Joel foi um profeta cujo coração estava em Deus, seu nome significa “Jeová é meu Deus”. Seu livro é iniciado descrevendo um ambiente desolador onde a praga do gafanhoto (cortador, migrador, devorador e destruidor) havia passado no meio do povo de Deus. O cenário era de devastação. A vide havia secado assim como a oliveira estava murcha. Não havia alimento nem para os animais. O povo estava assolado. O recado de Deus logo no início era o de que todos soubessem o que estava acontecendo e que o fato fosse passado de geração em geração, relatando assim a todos os habitantes da terra e sua descendência, um fato que poderia se repetir. Então Deus chama os ébrios (pessoas exaltadas com suas paixões) a acordarem e chorarem. O ambiente era de desolação!!!
Assim, o Senhor usa Joel para chamar os moradores da terra à reflexão a fim de conduzi-los ao arrependimento, concluindo-se que a causa da assolação encontrada era o pecado no meio do povo. O Senhor tinha planos para o seu povo. Então, Ele diz ao povo exatamente o que quer deles para que sua atuação seja completa. A conversão é um processo na vida do cristão e significa mudança de direção. Deus avisa que ela precisa vir de dentro e não de fora. Explica que não pode ser um ritual teatral como o rasgar das vestes, mas necessariamente parte de um coração que se quebranta e com choro e pranto (que é um choro copioso e mais intenso). Ocorre no interior e não por fora: é no coração e não nas vestes.
Qual é a área da sua vida que se encontra devastada? Se você não leu os devocionais da semana passada, convido você a ler a todos e fazer uma avaliação profunda de sua vida. É certo que Ele quer avivar o que estava morto e fazer do deserto da sua vida uma terra fértil.
Usufrua da graça do Senhor, da Sua misericórdia e benignidade apresentadas neste texto e prove do perdão de Deus em sua vida.

Deus lhe abençoe!

“Bem aventurado o homem que me dá ouvidos, velando às minhas portas cada dia, esperando às ombreiras da minha entrada.”(Provérbios 8:34)





Amado(a), observe que Salomão está nos contando o seu segredo para ser tão afortunado. Também Davi, em vários salmos a começar pelo primeiro “Bem aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite”, ensina-nos esta lição. De pastor a rei, de cuja linhagem deu ao mundo o verdadeiro Rei. Ele não escondeu de nós o que fez dele o homem segundo o coração de Deus: ele ouvia e fazia a vontade do Senhor, por isso afirma já no primeiro salmo que o homem que assim age será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, e tudo quanto fizer prosperará. Esse segredo amado(a) não foi guardado a sete chaves, mas foi dado a tantos quantos querem ser como esses dois reis. A Bíblia repete continuamente a chave do sucesso que dá vida, e nos aproxima-nos de Deus, fazendo nos crescer e frutificar, com sabedoria e entendimento. Aquele que dá ouvidos à palavra de Deus sai do lugar comum e elevado às alturas até aqui inatingíveis, torna-se forte, feliz e tem o verdadeiro sucesso. Não o passageiro, corruptível e terreno, mas o que vem do Senhor, que encaminha para a vida eterna. Por que, pelo ouvir e seguir a palavra, o cristão se liberta, é limpo e tem o coração purificado, a mente transformada e é, de fato, separado do mundo. Quem age como ensina o sábio rei, está no mundo, sem receio de se contaminar por ele, porque a palavra é escudo que nos protege. Ela guarda-nos, e nos livra do mau caminho, mostrando-nos o caminho certo, impedindo que resvalemos.
E você, amado(a), tem se apropriado desse segredo? Tem sido bem aventurado por saber usá-lo, ou está com a vida que não testemunha essa condição que foi dada também a todos quantos ouvem e seguem esse ensinamento? Faça um exame de sua vida e verifique o porquê de não estar desfrutando das promessas de Deus. Se você não se encaixa nesta condição, algo deve estar errado. E não é da parte de Deus, pode estar certo(a). Veja se você tem velado à portas de Deus, esperando Dele o alimento. A segunda parte do versículo em epígrafe deixa clara a necessidade de estar na Casa de Deus, de adentrar as suas portas para receber a palavra que garante a vitória. Portanto, não espere ser alimentado e receber a promessa, lá onde você tem preferido colocar seu coração. E não se surpreenda se daqui a poucos dias seu coração começar a sentir aquele vazio, aquela incompletude, aquele desejo de colocar fim em tudo e começar de novo em outro lugar. Mas agora que já sabe o segredo, não apenas ouça, coloque em prática o que aprendeu: abandone essa vida circular de derrota e de insatisfação. Você sabe onde está a resposta e o que deve ser feito. Mas pode também escolher repetir os velhos erros e continuar infeliz. O segredo da sabedoria o rei já nos deu, mas o segredo de seu uso, peça-o ao Espírito Santo.
Graça e Paz!

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão




“Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento;” (Mateus 3:8).

Arrependimento



Amado(a), após o homem avaliar a si mesmo todos os dias e refletir sobre o modo como sua vida caminha, não lhe resta alternativa entre escolher o caminho a ser seguido. Se para a morte ou para a vida. O arrependimento genuíno traz vida. O levantar diariamente e entregar sua vida a Deus, buscá-Lo em oração diária, ler Sua palavra, essas são as armas para manter a mente fixa na vontade do Pai. Mas se errar, o confessar traz a cura através do perdão e da purificação. Mas é necessário então, produzir frutos que estejam condizentes com o arrependimento. E quais seriam estes? O que mentia, não minta mais, o que roubava, não roube mais, o que traía, não o faça mais e tantos outros que a análise diária de sua vida ante a luz da palavra trará toda a verdade à tona. Os frutos da carne - prostituição, impureza, lascívia (do grego aselgeia – sensualidade exagerada), idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias (disputa), ciúmes, iras, discórdias, dissensões (falar coisas sem provas), facções (parcialidade), invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, devem ser abandonados e substituídas pelos frutos do Espírito como amor, alegria, paz, longanimidade (firmeza de ânimo), benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Esta descrição dos frutos pode ser encontrada na carta de Paulo aos Gálatas, quando o apóstolo escreve de próprio punho, advertindo aos moradores da região que a liberdade para a qual fomos chamados é para ser usada para viver em santidade, usando o Espírito Santo de Deus como nosso melhor aliado para nos trazer à mente nosso pecado e libertar-nos de todo cárcere, seja ele na mente ou no corpo.
Busque essa liberdade para você, porque se o Senhor te libertar, verdadeiramente você será livre.

Deus lhe abençoe!

“Todos os que me veem zombam de mim, estendem os lábios e meneiam a cabeça, dizendo: Confiou no SENHOR, que o livre; livre-o, pois nele tem prazer.”(Salmos 22:7-8)





Amado(a), um pouco antes, no versículo primeiro quando Davi diz: "Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?", de certa forma está prenunciando a paixão de Cristo. Em tudo o que Ele haveria de padecer. Jesus, depois de ter sido abandonado pelos seus discípulos, também foi abandonado temporariamente pelo seu Pai nas mãos dos seus algozes, para que se cumprisse o plano redentor a nós dirigido. O próprio Cristo sobre a cruz clamou: "Eli, Eli, lamá sabactani? Isto é: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" (Mateus 27:46).
Nenhum livramento estava previsto para Ele no meio do terrível sofrimento, jamais experimentado por homem algum, porque não era apenas um sofrimento físico, mas espiritual com a carga de toda a humanidade. Jesus sabia por que passava por aquilo, mas os seus inimigos se aproveitaram desta situação para injuriá-lo, abusando de sua condição por estar pendurado como um malfeitor sobre uma cruz: "Salvou os outros, e a si mesmo não pode salvar-se. Se é o Rei de Israel, desça agora da cruz, e creremos nele. Confiou em Deus; livre-o agora se o ama, porque disse: Sou Filho de Deus" (Mateus 27:42-43). Sobre isso, também predizia Davi no texto em epígrafe. Quantas nós passamos por situações nas quais pensamos que Deus nos desamparou, e também somos alvos das insinuações dos ímpios que zombam de nossa fé e querem colocar nosso Deus à prova, como se Ele não fosse capaz de nos livrar. Assim como o ladrão da cruz, que colocou sob suspeita o poder de Deus, instigando Jesus a mudar o curso do plano do Pai, muitos a nossa volta se atrevem a nos desafiar, desafiando Àquele no qual depositamos nossa confiança. Mas creia, amado(a), esse Deus não é Deus de mentira, nem de obras incompletas. E se Ele afirmou que estaria conosco até a consumação dos séculos, assim Ele o fará. Portanto, não se deixe abater por aqueles escarnecedores que sequer podem dar testemunho de vida. Observe que os zombadores estão piores do que você. Se têm dinheiro, não têm paz de espírito, padecem de algum mal. São angustiados e dependentes de alguma coisa para se afirmarem, pode ser de álcool, drogas, mulheres, amigos aduladores, festas mundanas. E sabemos que nada disso traz a verdadeira segurança. Que tudo passa, que só sobrevive enquanto se dá algo em troca. Diferentemente do amor de Deus. Aquele que põe no Senhor a sua confiança, mesmo que tenha a sensação de um abandono temporário, tem a certeza da palavra Daquele que não faz promessas vãs. Além do mais, uma coisa é certa, como garante Paulo em Romanos 8: 31-32 “Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?”
Graça e Paz!

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão




“Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3:23).

A carta aos Romanos é escrita por Paulo na época do Imperador Nero, conhecido pelos historiadores como desequilibrado, destemperado, cujo governo foi marcado por homicídios, dentre eles o do filho do ex Imperador Claudio e o assassinato de sua própria mãe Agripina. Os cristãos foram perseguidos, jogados no Coliseu para serem confrontados por gladiadores e feras. Roma encontrava-se no auge do seu poderio quando Nero assumiu, no entanto no meio de seus moradores havia uma vida de idolatria e depravação. Então, Deus mostra como o homem é em sua essência, no mais profundo de seu ser e como seu coração é perverso. A leitura do início do livro de Romanos nos revela a verdadeira natureza humana e a sua capacidade extrema em pecar e fazer o que é reprovado por Deus. É o retrato fiel do homem pecador que não conhece a salvação por meio de Jesus e tem atitudes promíscuas, corruptas, condutas homossexuais, maliciosas, injustas, avarentas, insensatas, infiéis, dotadas de malignidade, possuídos por inveja, soberba, presunção, desobedientes aos pais, sem misericórdia uns com outros e cheios de toda sorte de pecados e imundícies. Indivíduos que mesmo sabendo que a sentença de Deus para eles era estarem sujeitos à morte, ainda assim praticavam tais coisas e aprovavam os que cometiam os mesmos pecados.
A palavra de Deus é clara, não há um justo sequer, não foi encontrado na face da terra um que não estivesse condenado à morte. Mas Jesus veio para remissão do pecado e salvação do pecador.
Paulo apresenta este versículo para que todos saibam que a Salvação não vem por merecimento, por obras ou qualquer outra invenção ou crendice filosófica. A Salvação vem de graça e é dada aos que invocam o nome de Jesus e o confessam diante dos homens de todo o coração. Isso faz com que Deus olhe para nós por meio do sacrifício de seu Unigênito Filho, nosso advogado, aquele que nos justifica e nos redime do erro e nos resgata da morte.
Lembre-se que não há em você motivo para Salvação além da condução da sua vida pelo próprio Deus para o arrependimento. Se há algo em você que foi descrito acima, alguma daquelas características horrendas encontradas na Roma que Paulo queria resgatar com a mensagem do evangelho, então se ponha de joelhos agora e confesse as suas falhas e dificuldades diante do Pai, entregando a Ele não só a sua vida, mas também as áreas frágeis que necessitam de conserto. Então o Deus Todo Poderoso certamente trará sobre você grande transformação.

Deus lhe abençoe!

“Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas do meu auxílio e das palavras do meu bramido?”(Salmos 22:1)





Amado(a), Davi inicia esse salmo com palavras que a primeira vista nos parece de dúvida e de sentimento de desamparo. Mas se atentarmos para a vida desse rei e para a forma como ele se conduzia diante dos problemas iminentes, vamos entender que, ao se encontrar em lutas, Davi sempre se voltava para Deus. Observe que neste salmo Davi alterna palavras de frustração com palavras de fé. No início ele apresenta os problemas, que ele apresenta a Deus, mas depois ele exercita a sua. Essa, amado(a) deve ser a nossa conduta diante dos problemas. Não podemos ignorá-los, pois eles de fato nos sobreveem. Jesus nunca afirmou que nessa vida não teríamos problemas. Ele disse em João 16:33 “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. O que não podemos é tirar nossa vista de Deus, apresentado-Lhe os nossos problemas, pois Ele é maior que qualquer adversidade.
É preciso entender também que como Davi somos humanos e estamos sujeitos a sentimentos próprios da natureza humana. Um deles é o sentimento de ser abandonadopor Deus. Muitas vezes pensamos que Deus não está nos ouvindo, de que Ele não está nos ajudando a resolver nossos problemas. Outro é a nossa sensação diante da doença física, emocional e às vezes espiritual, que nos acomete. Somos conscientes de nossa fragilidade. E o outro é a perseguição por parte de inimigos poderosos. Davi coloca esses problemas diante de Deus e expressa sua frustração. Amado(a), quantas vezes não nos sentimos assim? A sensação que nos assola é a de total desamparo, nenhum homem, ou mulher pode mudar nosso sentimento. Nesse momento é a Deus que levamos o nosso clamor e a nossa necessidade de conforto. Mas a boa notícia é a que experimentou Davi e a qual todos nós temos direito na graça. Deus ouve e nos atende, se não ao nosso tempo, no tempo exato da nossa necessidade. Portanto, aguarde a boa nova que está por vi. O Senhor responderá àquele que não abandona os Seus caminhos. Você está nele?

Graça e Paz!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão




“Aquele que diz: Eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade.” (I João 2:4).

Amado(a), quem conhece verdadeiramente ao Senhor guarda aquilo que Ele ensina, obedece, segue os passos de Jesus, tem a Bíblia como Manual de Vida. Mas se isso não é uma verdade, então a palavra de Deus chama de mentiroso ao que não obedece, e não guarda o ensinamento do Senhor como padrão de vida. Ora, aqueles que mentem, são denominados pela mesma palavra de Deus como filhos do diabo e estão na lista dos que não entrarão no Reino de Deus. O que seria guardar os mandamentos? Certamente não é colocar em uma caixinha e passar a chave. Guardar aqui diz respeito a colocar dentro de si e proteger, defender a fim de produzir ações retas diante do Pai. Deuteronômio 28:1 diz que, “se ouvires a voz do SENHOR teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que te são ordenados, o SENHOR teu Deus te exaltará sobre todas as nações da terra”. Mais adiante diz que isso trará sobre a sua cabeça a confirmação de povo santo, separado para Deus e que você será cabeça e não cauda. Em provérbios 19:16 diz que os que guardam os mandamentos do Senhor guardam a sua alma e os que desprezam os caminhos de Deus são conduzidos para a morte.
E quais são os mandamentos? Todos eles se resumem em amar a Deus sobre todas as coisas com toda o nosso coração tendo plena consciência do que isso significa e amar ao próximo como a nós mesmos. Todo resto advém destes dois primeiros.
Quando se ama a Deus sobre todas as coisas, não se gasta horas diante da televisão ou do computador, não se perde tempo com falatórios inúteis, você sabe exatamente o que deve fazer porque conhece a vontade do Pai. Sabe o que O desagrada, o que O deixa triste. Então procura cada dia mais viver uma vida em que não será reprovado pelo Pai que tanto O ama e cujo amor é correspondido com obediência à sua palavra.
Portanto, irmã(o), seja achado diante de Deus em integridade, em tudo obedecendo a vontade do Pai para que sua vida seja repleta de bênçãos, não só nesta terra, mas também no porvir.

Deus lhe abençoe!

“Cumpriste-lhe o desejo do seu coração, e não negaste as súplicas dos seus lábios”(Salmos 21:2)




Amado(a), os homens prometem e não cumprem, são prontos para assumir compromissos sem ponderar sobre as suas consequências. Não se preocupam em avaliar as responsabilidades que advirão de suas promessas. Fazem-nas para obter favores, para aliviar uma culpa, para conquistar algo ou alguém. No entanto, com frivolidade e descompromisso tratam as suas promessas. Por isso o profeta Jeremias 17: 5,6,8 diz: “Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR! “ Mas “Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja confiança é o SENHOR. Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto”
Quantos de nós, temos confiado em nosso coração e nos enganado com as pessoas, por isso Jeremias 17: 9 enfatiza “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?”
Mas nosso Deus é Deus que cumpre. É Deus de promessas maravilhosa, e, sobretudo, de cumprimento. Se Ele prometeu, a porta se abrirá. Se você estiver firme em Deus, se segue os Seus estatutos, creia que Ele cumprirá os desejos de seus coração e não negarás as suas súplicas, pois conforme está escrito em João 15: 7 “Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito”. E, Assim como Davi, homem segundo o coração, que se arrependia verdadeiramente de seus erros, também poderemos afirmar o cumprimento das promessas de Deus em nossas vidas e glorificar ao Senhor por isso.
Amado(a), se você quer ser atendido em seus pedidos, comporte-se como um homem segundo o coração de Deus. Não prometa o que não pode cumprir, não ofereça o que não pode entregar. Não dê a entender algo que não possa assumir. Lembre-se de que mais do que deixar de receber de Deus as suas petições, você prestará contas ao Senhor de seus atos e omissões. Examine o seu coração e veja qual a área de sua vida tem lhe trancado as portas para o cumprimento de suas promessas. Deus é misericordioso, mas também é justo. e lhe tratará como tem tratado aos seus semelhantes,
Graça e Paz!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão




“Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência.” (I Timoteo 4:1-2)



Arrependimento



A apostasia da fé é o abandono da crença. Esta palavra é para os que seguem o evangelho e nos últimos dias serão submetidos a armadilhas perigosas como por exemplo buscar a verdade fora da palavra de Deus, ou manter-se na prática do pecado. Assim sendo, o individuo fica a mercê dos ensinamentos de demônios e espíritos enganadores. No final dos tempos o inimigo fará de tudo para enganar se possível, os próprios eleitos. Isso significa que suas estratégias se tornarão cada vez menos perceptíveis, suas armas cada dia mais ardilosas e sua mentira cada dia mais parecida com a verdade. A palavra nos revela em I Coríntios 11:14 que o próprio Satanás se transforma em anjo de luz. Tudo isso para enganar os escolhidos de Deus. Aquele que se apostata da fé em Jesus Cristo pode ser considerado um desertor do exército do Rei dos Reis. E desertores não têm parte com o exército de Deus. Mas como chegar a este ponto? Como abandonar este exército e decidir pelo outro lado? Ainda no versículo acima, vemos que a prática do pecado cauteriza a consciência. A hipocrisia é um tipo de sentimento continuo de falsidade que tem aparência de virtude. A falsidade é própria de quem mente de forma consciente, desejando enganar alguém sobre algo ou alguma coisa. Geralmente a hipocrisia faz parte de um vício. É próprio daqueles que desejam mostrar uma mentira em forma de verdade. É tênue a linha que a delimita. Uma pessoa pode dizer que gosta de algo para agradar a outro, então mente. Mas a principio isso não parece ruim, porque se pode usar a desculpa de que não se quer magoar o outro. Mas mentira é mentira. Outro exemplo pode ocorrer na Igreja, desejamos que os Pastores e irmãos pensem que não temos determinadas falhas, então somos capazes de fazer até o que não queremos para demonstrar que somos “espirituais” e assim agradar a todos. Estas práticas sutilmente cauterizam a consciência e retiram de nós a capacidade de discernir o certo do errado. Com o tempo o pecado nos afasta de Deus de tal forma que abandonamos a fé da qual outrora éramos seguidores. Portanto, irmãos e irmãs, atentem para aquilo que é errado e se torna normal em nossas vidas. Isso pode cauterizar nossa consciência e vendar nossos olhos para a Verdade.


Deus lhe abençoe!

“Porque intentaram o mal contra ti; maquinaram um ardil, mas não prevalecerão.”(Salmos 21:11)





Amado(a), Davi agradece pela vitória conquistada. Ele celebra a vitória, sabendo que a força vem de Deus e assim também devemos proceder. Se estamos em Deus e se as suas palavras estão em nós, não há porque temer. Seus é o nosso refugio e fortaleza, socorro bem presente na angústia, afirmou o salmista. Aqueles que intentam o mal contra nós, os escolhidos do Senhor, não prevalecerão. Antes, todo o mal se transformará em bênçãos. Lembre-se das palavras do apóstolo Paulo em Romanos 8:28 “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.“ Se você está passando por lutas, por uma guerra difícil de ser vencida, quando lhe parece que os inimigos são muitos e que estão armados contra você, não se inquiete: Deus converterá o mal em bem, a seu favor.
Aqueles que o(a) humilharam, que o(a) desprezaram, fazendo-o(a) se sentir pequeno(a), indigno(a), incapaz serão usados para que você seja exaltado(a).
Deus fala a você, neste momento, com as palavras proferidas pelo profeta Isaias 54: 7-8 “Por um breve momento te deixei, mas com grandes misericórdias te recolherei; Com um pouco de ira escondi a minha face de ti por um momento; mas com benignidade eterna me compadecerei de ti, diz o SENHOR, o teu Redentor”.
Amado(a), tome posse dessa palavra, seja qual for o seu problema. Lembrando-se dessas palavras proféticas “Toda a ferramenta preparada contra ti não prosperará, e toda a língua que se levantar contra ti em juízo tu a condenarás; esta é a herança dos servos do SENHOR, e a sua justiça que de mim procede, diz o SENHOR”. (Isaias 54: 17).
Graça e Paz!

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão




“Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.” (I João 3:9).

Arrependimento

Este versículo foi escrito pelo apóstolo João para todos aqueles que se dizem filhos de Deus. Ele não fala aos do mundo, mas aqueles pertencentes à Igreja. Ele se dirige às pessoas aqui exortadas através de uma expressão muito específica: “nascidos de Deus”. Quando se nasce novamente em Deus, uma semente divina é plantada em nós com um objetivo muito específico: fazer-nos inimigos do pecado. A inimizade traz consigo a aversão a algo que não tem parte conosco. E a aversão por sua vez, traz desgosto e inquietação quando estamos diante do inimigo. Sendo assim, desgosto, inquietação, rejeição, aversão, dentre outros sentimentos gerados pela inimizade, surgem em nós a cada dia quando fazemos algo errado. Cada vez que a semente que foi plantada em nós cresce, mais estes sentimentos contrários ao pecado surgem e mais sensíveis ficamos diante do erro. Nossa consciência é vivificada pela voz do Espírito Santo que habita em nós e somos levados a nos afastar cada dia mais daquilo que desagrada a Deus. Esta semente divina precisa germinar em nós e crescer. E isso não acontecerá se você continuar na prática do pecado. Esta pratica pertence ao velho homem, àqueles que têm outra filiação que não a de Deus. Ainda neste texto no versículo 8, João se refere a estes como procedentes do Diabo. Se você é nascido de Deus, busque mudança de vida, renove sua mente todo dia, deixe para trás o que ficou há um minuto prossiga para o alvo, deixe a semente de Deus germinar em você e te fazer um bom combatente contra o mundo e o pecado. Transforme-se em amigo íntimo de Deus e inimigo do mundo. Vença e seja mais que vencedor Naquele que te chamou.


Deus lhe abençoe!

“Uns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do SENHOR nosso Deus.” (Salmos 20:7)





Amado(a), quando Davi escreveu esse salmo, era o líder de uma nação em guerra contra inimigos poderosos e que possuíam a vantagem de contar com carros e cavalos na batalha. Mas, apesar disso, Davi mostra a sua confiança no Senhor. Assim como Davi e com a mesma segurança do Apóstolo Paulo, nós também devemos colocar em Deus a nossa confiança, pois "Se Deus é por nós, quem será contra nós?" (Romanos 8:31)
Há nas palavras de Davi uma certeza que ele entoa no campo de batalha, para em seguida entoar um cântico de vitória.
Assim amado(a), deve ser a vida dos escolhidos de Deus, para aqueles que fazem menção do nome do Senhor, para aqueles que põem a confiança no Senhor dos Exércitos, batalha será sempre prenúncio de vitória. Toda vitória pressupõe uma batalha, por isso, se você está em luta, se muitos são os seus inimigos, esteja certo(a) de que, se assim como Davi a sua confiança estiver no Senhor, a vitória também acontecerá, pois que será para que ao nome de Deus seja feita menção.
Aqueles que confiam em títulos, amizades, cargos ou na própria inteligência, certamente se decepcionarão. Mas aqueles que fazem menção do nome do Senhor, mesmo que as circunstâncias sejam adversas, mesmo que os inimigos sejam aparentemente bem aparelhados, terão a vitória naquilo que pleiteiam.
Amado(a), onde você tem colocado a sua confiança?
Graça e Paz!

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão




“Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte.” (II Cor 10:09).

Arrependimento

Amado(a),qual é a tristeza que tem operado em seu coração atualmente? Que tristeza é essa que tem feito o seu semblante cair e você chorar em seu canto sozinho(a)? A tristeza do mundo é aquela que traz consigo desesperança, fruto do não confiar em Deus, pode ser conseqüência de se fazer algo contrário à vontade de Deus, quebra de relacionamento com irmãos em Cristo, preocupações com as coisas desse mundo, escolhas erradas. Mas não produz nada além de remorso. Não gera arrependimento. Aparentemente é apenas uma tristeza com algo ou alguém que te faz infeliz. Incomoda, traz angustia, às vezes desespero, frustração, insatisfação, choro. Não traz paz em nenhum momento, mas tormento. Geralmente os que a sentem não a conseguem discernir claramente como algo tão grave e vão levando, deixando que o tempo resolva, que um milagre aconteça, que o irmão procure para resolver, que as coisas se ajustem sem esforço individual de quem o sente ou que Deus faça a sua vontade e não a Dele. A má notícia é que este tipo de tristeza opera em nós a morte. Mas a tristeza de Deus embora igualmente doída, penetrante, que também nos faz chorar, muitas vezes compulsivamente, nos traz a consciência do erro e nos demove ao arrependimento que significa mudança de atitude. Dói tanto que você não quer fazer novamente. Você não quer mais desagradar a Deus. Esta tristeza desata as amarras do pecado, liberta e após todo o choro e toda dor é retirado um peso, algo demasiadamente difícil de carregar e então vem a paz. Não há como se arrepender desta tristeza porque a mesma opera em nós mudança para salvação.
Meu irmão, minha irmã, busque discernir o que ocorre em seu coração. Se a tristeza que opera a morte ou a que produz salvação. Peça ajuda ao Espírito Santo que fará por você e para você algo novo e trará o Reino Dele até você e restauração para sua vida.


Deus lhe abençoe!

“Agora sei que o SENHOR salva o seu ungido; ele o ouvirá desde o seu santo céu, com a força salvadora da sua mão direita.”(Salmos 20:6).







Amado(a), em seus salmos, Davi sempre procura ligar o nome de Deus às ações humanas, a fim de mostrar o quanto o poder de Deus manifesta-se sobre a vida daqueles que a Ele se apega. Mesmo em face da maior angústia, o salmista se põe na presença do Senhor e coloca ali as suas inquietações. Isso mostra a sua dependência total ao Deus Altíssimo, o que também se reflete nas suas conquistas, pois Deus responde àqueles que assim se posicionam. Nesse salmo, Davi está ensinando a nós o segredo de sua força diante de Deus. Ele inicia dizendo: “O SENHOR te ouça no dia da angústia, o nome do Deus de Jacó te proteja. “ Em seguida, ele pede que Deus envie o socorro e o sustento, e que se lembre das ofertas e dos sacrifícios. Assim, afirma que no Senhor, e não em outra força, os nossos desejos e planos serão motivos de alegria. Porque é no Deus de nossa salvação, e em Seu nome do nosso Deus que arvoraremos pendões e que veremos cumpridas as nossas petições.
No versículo em epígrafe, Davi ressalta a sua confiança em Deus e reafirma que Deus salva e ouve o seu ungido. Mas quem é o ungido de Deus?
Muitos acreditam que ungido de Deus é apenas o pastor, o que está à frente da Igreja, mas, na verdade, ungido é todo aquele a quem Deus escolhe para cumprir a Sua obra. No Antigo testamento vemos exemplos de ungidos por Deus que não eram seus adoradores: Ciro era um rei pagão e foi ungido por Deus para libertar o povo de Israel para voltarem para sua terra. Saul também recebeu a unção, que depois lhe foi retirada.
Portanto, amado(a), você também tem uma missão na obra de Deus, independente de seu status na igreja, pois, como observa Paulo aos Efésios 4:11 “ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, Até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro.”
Veja que todos os que escolheram seguir a palavra de Deus, antes foram escolhidos por Ele, e assim, ungidos. Ou seja, foi derramada a autoridade do Senhor sobre nossas cabeças e por isso, assim como mostra Davi, temos a garantia de que Aquele que nos ungiu também nos ouvirá. Você não quer Deus lhe retire a unção, não é mesmo?








Graça e Paz!

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão


“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” (João 1:9).

Arrependimento

Aproveite a totalidade deste versículo.


Amado(a), todos ouvimos sempre que o pecado faz separação entre nós e o nosso Deus. Sabemos que o Senhor abomina o pecado e ama o pecador. No entanto, o próprio Deus Pai virou as costas para seu Filho Amado, Jesus Cristo, quando estava na cruz e se fazia pecador por nós. Deus não o podia contemplar. Não podia socorrê-lo, nada podia fazer por Ele naquele momento. Temos que tomar cuidado com os erros em nossas vidas e, diariamente, avaliar o que fizemos por todo o dia verificando se estamos em conformidade com a palavra de Deus avaliando nossas atitudes, palavras e pensamentos. Então, devemos confessar nossos pecados e o Senhor irá perdoar o que fizemos. Irá se esquecer de tudo. Não seremos mais acusados por tais ações errôneas. Mas não somente isso, Ele nos purificará do pecado, nos limpará, nos retirará toda a impureza e nos fará limpos.
A confissão deve ser diária, pecado por pecado, erro por erro, para que cada um deles seja apagado de nossas vidas e gloriosamente o poder de Deus nos purifique de cada um deles.
Abuse do poder transformador deste versículo e viva uma vida em comunhão com o Pai, permitindo Sua presença poderosa em sua vida.

Deus lhe abençoe!

“Assim, o seduziu com palavras muito suaves e o persuadiu com as lisonjas dos seus lábios.”(Provérbios 7: 21)


Cuidado com a lisonja

Amado(a), Salomão nos adverte do perigo das lisonjas. Lisonjas são adulações e a Bíblia está repleta de ensinamentos sobre a necessidade de o cristão evitar essa sedução, assim como o sedutor. Bastaria compreendermos que Jesus não deu lugar àqueles que O tentaram com lisonjas. Por isso afirmou como registra Mateus 7:21 “Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor! entrará no Reino dos Céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai, que está nos Céus”. Em geral os lisonjeiros falam coisas agradáveis á vista da pessoa, mas destilam veneno em sua ausência. Jesus nos advertiu em Marcos 7:6 “... Bem profetizou Isaías a respeito de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-Me com os lábios, mas o seu coração está longe de Mim”. Veja também Isaías 29:13 e Ezequiel 33:31.
O lisonjeiro arma laços, enche de elogios, fala o que o outro quer ouvir, mas guarda no coração, ou diz a outros o que verdadeiramente pensa sobre quem quer seduzir. Por isso também o sábio ensina em Provérbios 28:23 “O que repreende o homem gozará depois mais amizade do que aquele que lisonjeia com a língua”. Isso significa que muitas vezes nos agradamos daqueles que nos elogiam e nos exalta, e tendemos a nos chatear com os que usam de sinceridade conosco e nos apontam uma situação de erro ou de vacilo. Ao passo que deveríamos ficar agradecidos com os últimos e irritados os primeiros, pois é certo que nas lisonjas há falta de sinceridade. Querendo agradar, ou por medo de perderem a amizade, as pessoas preferem camuflar o que realmente pensam. O salmista diz no Salmo 12:2 “Cada um fala com falsidade ao seu próximo; falam com lábios lisonjeiros e coração fingido”. A lisonja é feita para interesse próprio. O lisonjeiro sempre quer algo em troca. É uma barganha: “eu inflo o seu ego e você me retribui com o que quero”. Mas acredite, amado(a), isso também tem vida breve. Passado o interesse, as máscaras caem: o lisonjeiro passa a difamar, o lisonjeado fica só. Veja o que diz Provérbios 19:4-6 “As riquezas granjeiam muitos amigos, mas ao pobre o seu próprio amigo o deixa. Muitos procuram o favor do príncipe, e todo mundo é amigo daquele que dá presentes”.
Há inúmeros exemplos de lisonjas na Bíblia, mas o grande mestre é satanás. Desde o princípio ele usou deste expediente. E assim tem feito sempre. Quantas vezes ele tem usado pessoas para fazer com você se sinta forte, insuperável, irresistível. Essa é sua estratégia. Infla o ego para pouco depois derrubá-lo. Observe que acontece nas áreas de sua vida em que é mais facilmente tentado. Se você é inseguro(a), ele lhe coloca em posição de destaque para que se sinta o máximo. Se é tímido(a), usa alguém para seduzi-lo(a). Se se acha pouco atraente, ele coloca do seu lado alguém que o fará se sentir desejável. É claro que tudo isso pode acontecer sinceramente. Mas o que precisa ser feito é a constatação de que forma isso aparece em sua vida. Se é algo que afasta de Deus, se atrai para o mundo e para as suas concupiscência, cuidado! Tão rápido quanto apareceu, também desaparecerá. Diferentemente das coisas do Senhor.
Portanto, amado(a), não aceite elogios que tenha como objetivo engrandecê-lo(a). Lembre-se de que toda honra e toda glória pertence ao Senhor!
Graça e Paz!

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão


“E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis”. (Romanos 8:26)

Intercessão

Amado(a), o que devemos frisar sobre a intercessão? Que ela é obrigação e sacerdócio do cristão e que devemos nos lembrar de que se trata de lutar até vencer, ou seja, não podemos retroceder na intercessão. Devemos lutar em oração até obtermos a vitória total. Atente para que diz Colossenses 4:2 “Perseverai em oração, velando nela com ação de graças”.
Interceder é lutar no mundo espiritual, travando uma batalha com aquele que quer fazer as pessoas pensarem que estão perdidas. É decretar a vontade de Deus num determinado assunto ou situação, agindo como interlocutor dos homens, na presença de Deus. Interceder é derrubar toda a oposição ao cumprimento da vontade de Deus. Mas para isso Paulo nos ensina em Romanos 12:12 “Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração”.
Todo aquele que nasceu de novo, que fez de Jesus Cristo o seu Senhor e Salvador é um intercessor, porque diferentemente dos outros homens, sabe que nossa vitória já foi conquistada na cruz.
Então, amado(a), se você faz parte desse grupo, aliste-se para a batalha. Você pode combater em espírito nas reuniões de oração da Igreja. Procure conhecer os horários nos quais o grupo de intercessão se reúne. Mas você também interceder em sua casa, no seu tempo de comunhão com Deus, fazendo parte de uma torre de oração. Você pode ir com os irmãos ao monte. Suba a serra para receber alimento espiritual, pois nem só de pão viverá o homem. Partilhe com os irmãos momentos de oração em vigílias, pois a unidade produz grandes vitórias.
Interceda, em unidade e comunhão pelo crescimento da Igreja de Cristo, para que Deus levante líderes aptos a guiar Seu povo na batalha contra o príncipe deste mundo. Mas lembre-se de que você não precisa ter o dom da oratória, basta que se coloque como servo que deseja cumprir a vontade do Senhor. Deus lhe dará todas as condições necessárias.

Deus lhe abençoe!

“A lei do SENHOR é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do SENHOR é fiel, e dá sabedoria aos símplices.”(Salmos 19:7)





Amado(a), o salmista exalta a perfeição da Lei de Deus e reconhece que ela é quem nos dá condições de ter uma vida saudável e tranqüila. A lei, portanto, é nosso guia. Uma sociedade humana sem leis se torna caótica e seu objetivo é que o povo viva em ordem. Não é a lei, em si, que é boa ou ruim, mas o cumprimento ou descumprimento dela é que define se haverá ordem na comunidade.
O Antigo Testamento deixa bem claro que a lei de Moisés foi dada para guiar os filhos de Israel no caminho da justiça, para que o povo não se perdesse, seguindo cada um os seus princípios. O objetivo da lei, então, era direcionar o povo. "O Senhor nos ordenou cumpríssemos todos estes estatutos, para o nosso perpétuo bem" (Deuteronômio 6:24).
O Salmo 119 dedica-se a ensinar essa idéia. "Bem-aventurados os que guardam as suas prescrições e o buscam de todo o coração; não praticam iniqüidade e andam nos seus caminhos" (Salmo 119:2-3).
Ainda hoje, somos regidos por leis. E a questão não é se elas são justas ou não, se são eficientes ou não. O fato é que sem elas o mundo seria um caos. As pessoas não conseguiriam viver em sociedade. Se não houvesse regras, neste mundo, seria um desastre ainda maior. Apesar de almejar um plano espiritual, e viver segundo a Lei de Deus, Jesus, enquanto esteve no mundo, cumpriu a lei dos homens. Lembrem-se de que Ele disse “A César o que é de César”. Ele se referia ao fato de que, independente de serem injustos os tributos, o homem está regido pela lei e a ela deve se submeter, como cidadão da terra. Mas, como pleiteante a cidadãos dos céus, devemos seguir a Lei do Senhor, que é justa e refrigera a alma.
A Lei de Deus existia antes mesmo que o homem fosse criado. Era apropriada às condições dos seres santos; e os próprios anjos eram regidos por ela.
Ao serem criados, Adão e Eva tinham conhecimento da Lei de Deus. Ela lhes estava gravada no coração, e entendiam os direitos que essa Lei tinha sobre eles. E mesmo depois da queda, os princípios de justiça permaneceram imutáveis. Jesus não veio revogar a Lei, mas veio cumpri-la.
Ainda hoje somos carentes de leis que nos direcionem. E nada é mais seguro ao cristão do que seguir a Lei de Deus. Paulo afirma em Romanos 2:13 “Porque os que ouvem a lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados”.
Amado(a), você percebe como é perigoso ser desobediente à Lei de Deus? Jesus deixou claro que desejava que todos a conhecessem, a ensinassem e a guardassem. Como você tem se comportado diante disso?
Graça e Paz!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão



“Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens;
(1 Timóteo 2:1).


Intercessão


Amado(a), em carta a Timóteo o apóstolo o exorta a interceder por todos os homens. Quando ele diz todos, ele não faz acepção. Ele nos ensina com isso que devemos interceder também por aqueles que governam “Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade” (I Timóteo 2:2)
Fazer intercessões e súplicas por todos, deve ser uma prática em nossa vida, é o que diz Paulo não só a Timóteo, mas a todos quantos querem fazer parte do Reino de Deus “Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade". (I Timóteo 2:3-4)

Amado(a), Deus nada faz na terra, a não ser por meio da intercessão, por isso a intercessão deve ser uma das prioridades da vida do cristão. Todos somos chamados a interceder. Não podemos pensar que isso é tarefa apenas daqueles que têm um ministério, com uma unção especial para tanto. A intercessão é prioridade e um imperativo e cada cristão tem uma vocação de Deus para interceder, porque o Espírito opera em nós. Não importa se a pessoa não mereça, se é desobediente, se está afastada de Deus. Nosso chamado é para interceder por ela, pela nação pecadora, pelos líderes. Espelhemo-nos nas palavras de I Samuel 12:23 "E quanto a mim, longe de mim esteja o pecar contra o Senhor, deixando de orar por vós; eu vos ensinarei o caminho bom e direito" e que possamos nos arrepender da nossa negligência em cumprir nossa tarefa.

Deus lhe abençoe!

“Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite.” (Salmos 19:2)





Amado(a), esse salmo um reconhecimento à criação de Deus. O salmista exalta de forma poética a excelência da criação. Deus é o fundamento de todas as coisas. Toda verdadeira ciência está em harmonia com Suas obras. Em Gênesis 1:31 encontramos a constatação de Deus: "Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom." As obras da criação testificam do poder da grandeza de Deus. “Um dia faz declaração a outro dia”. Tudo na criação de Deus é perfeito, basta que observemos como há essa sintonia e que nada foi feito por acaso. Deus é o grande maestro e o que está revelado em Sua Palavra é a verdade. Se estudarmos com atenção a Bíblia, veremos que cada coisa está arranjada em perfeita sincronia, sem contradição. As metáforas bíblicas são para que Deus se manifeste aos Seus, desde que busquemos o entendimento pela luz do Espírito. Quem tenta deturpar a criação, a colocar o lado feio é o grande mentiroso, inimigo de Deus. Mas se somos filhos, aptos a conhecer o que Deus quer nos revelar, nossa mente se abre ao entendimento. O que nós precisamos realmente é olhar para a Palavra de Deus, e confiar na Criação. Aqueles que tomam a Palavra escrita, como seu conselheiro, encontrarão confirmação até mesmo na ciência e nela acharão um auxílio para compreender a Deus. A ciência não nega Deus, ao contrário. Ela confirma o que a Bíblia registra.
O salmista nesta declaração de reconhecimento ao que Deus nos legou nos faz pensar que um dia Ele vai restaurar o Jardim do Éden, criado com perfeição para que a humanidade habitasse em harmonia, antes que o diabo colocasse a maldade e a desobediência no coração humano. Precisamos apenas aceitar o plano de Deus em nossas vidas.


Graça e Paz!

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão


“Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para Sua maravilhosa luz."(l Pedro 2:9)


Amado(a), atente para a importância das palavras do apóstolo: somos raça eleita para proclamarmos as virtudes do nosso Deus, aquele que nos tirou do reino das trevas para a Sua maravilhosa luz. Veja que todo cristão é chamado a exercer o sacerdócio. E o que é o exercício sacerdotal? É se colocar diante de Deus no lugar dos homens para levar suas necessidades à presença do Senhor, sabendo que somente Ele pode intervir miraculosamente na vida dos homens. Isso é intercessão. Portanto, interceder é exercer a função de sacerdote, o que implica necessariamente em ministrar a Deus a favor dos homens. Sabemos que Jesus é nosso intercessor, mas a terra é ainda dos filhos dos homens e é nela que as batalhas se travam. É por meio dos homens que tudo se realiza na terra. Assim como os anjos não podem fazer a parte que nos cabe, também não podemos nos furtar de fazer a nossa. E interceder pela humanidade é uma tarefa nossa. Nós somos o instrumento, o canal, por meio do qual o Espírito Santo vai orar na terra o que Jesus ora no Céu. Por nosso intermédio Ele intercederá com "gemidos inexprimíveis."
Assim como satanás só age na terra, porque encontra o consentimento dos homens, Deus também opera por nossa boca aqui para dizermos o que Deus diz no Céu. E é nessa sintonia que as circunstâncias mudam, vidas são arrancadas das trevas, cadeias são quebradas, conversões acontecem, arrependimentos são constatados e Deus é temido, obedecido e glorificado.
Amado(a) interceder é um imperativo, um chamado, um dever, um privilégio. E você nesse momento está sendo chamado(a) a exercer esse sacerdócio. Assuma seu posto, na aliança que temos com Deus, por meio de Cristo Jesus!

Deus lhe abençoe!

“Na angústia invoquei ao SENHOR, e clamei ao meu Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz, aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face”. (Salmos 18:6)



Diga não ao que lhe adoece o espírito

Amado(a), quantas vezes nos sentimos angustiados, sufocados pelas dores deste mundo, impedidos de seguir em frente porque nosso coração trava? Nesse momento temos duas opções: lamentar e nos fazer de vítima diante dos problemas que nos assolam, ou invocar o nome de nosso Deus todo poderoso. O único capaz de nos ouvir, sabendo o que realmente nos aflige. Quando estamos doentes, apresentamos alguns sintomas e, para saber qual o medicamento preciso para aliviar nossas dores, recorremos a um médico que, antes de prescrever o tratamento, solicita uma série de exames clínicos e laboratoriais.
Amado(a), Jesus é o médico dos médicos. E quando vamos até Ele, em busca da cura de nossas aflições, Ele não precisa nos pedir uma bateria de exames, porque verdadeiramente nos conhece. Mas nem sempre o tratamento que nos prescreve é suave. Muitas vezes precisamos passar por um processo de desintoxicação das coisas do mundo que nos envenenam. Precisamos mudar nossos hábitos que estão em desacordo com a nossa saúde espiritual. Necessitamos de uma dieta rígida à base da palavra de Deus. “Não só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que procede da boca de Deus.” (Mateus 4:4). Precisamos abandonar a concupiscência da carne. Deus ouve os nossos gemidos. Ele atende ao nosso clamor e mais do que isso: Ele nos dá o remédio na justa medida. Nenhuma tristeza, nenhuma agonia prevalecerá, se clamarmos Àquele que tem o poder de nos atender, conhecendo nossas verdadeiras necessidades. Muitas vezes pedimos algo que não é bom para nossa saúde física ou espiritual, mas Deus sabe, por isso encontra outra forma de nos atender. Reflita, amado(a), quem sabe sua angústia está baseada em um apego ao passado que lhe trouxe tristeza, que lhe tirou a paz e a estabilidade. Que você insiste em reavivar, mesmo sabendo que nada lhe acrescentou. Não pode a árvore má dar bons frutos, no entanto você insiste em buscar desculpas para justificar seu desejo. O passado que lhe trouxe dissabor, que impediu seu crescimento espiritual, material, profissional não pode lhe fazer bem no futuro, pois atua como uma célula doente para se infiltrar em sua vida. Principalmente em sua vida com Deus. Se a ferida que não cicatrizou ainda lhe causa dores e impede que seus passos e seu coração sigam na busca da verdadeira paz e do encontro genuíno com Deus, tome uma atitude. O remédio pode ser amargo, mas eficaz. Busque a desintoxicação. Do seu passado guarde apenas aquilo que o elevou à condição de filho(a) de Deus, de herdeiro(a) das promessas. Rejeite as sugestões do diabo para aquilo que o tirará do caminho do Senhor e apenas lhe trará mais angústias. Veja o que diz o profeta Jeremias 17:9-10 “Enganoso é o coração, mais do que todas as cousas, e desesperadamente corrupto, quem o conhecerá? Eu, o Senhor, esquadrinho o coração…” Então, não dê ouvidos ao sentimento que está em seu coração e que o tem escravizado. Busque em Deus a resposta e suas angústias se dissiparão.
Graça e Paz!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Palavra Viva: Palavra para Comunhão


“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de, súplicas, orações e intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens" (1 Timóteo. 2:1).

Intercessão

Amado(a), nenhum cristão, para ser digno de ser chamado assim, pode se abster de agir como intercessor. Cristo, nosso espelho, cumpriu sua missão de intercessor enquanto viveu entre os homens. E ainda hoje intercede ao Pai por nós. É em nome de Jesus que chegamos diante do Senhor.
O intercessor é aquele que tem o seu espírito afinado com o Espírito de Deus e se empenha a orar por outros, até que o cetro de Deus se levante, e a causa pleiteada seja ganha. A intercessão tem o objetivo de alterar circunstâncias contrárias à vontade perfeita de Deus. Por isso o cristão é o canal de Deus na terra, não só para proclamar a Sua Palavra, para fazer a Sua vontade e comunicar as boas novas, mas também para fazer intercessão.
Observe a importância que Deus dá a esse ministério, nas palavras do salmista nos Salmo 106:23 “Por isso disse que os destruiria, não houvesse Moisés, seu escolhido, ficado perante ele na brecha, para desviar a sua indignação, a fim de não os destruir”. Deus ouviu a Moisés e não destruiu o povo.
Isso é intercessão. É pedir algo por outra pessoa. Muitas vezes, o intercessor gasta seu tempo de joelhos por alguém que jamais vai reconhecer sua atitude, porque o verdadeiro intercessor não quer recompensas. Ele quer apenas ver o fruto de seu pedido vir à luz.
Mas o certo é que, quando há intercessão, Deus atende, assim como atende Jesus, quando intercede pelos homens. E Ele chama por cristãos genuínos que atenda à missão de orar por aqueles que precisam, mas sequer vão se dar conta de que, enquanto dorme, irmãos com amor no coração estão de joelhos dobrados clamando pelo livramento, pela solução de problemas, pela conversão de muitos.
Você já pensou nisto, amado(a), que sua conversão é fruto da oração de alguém ou de um grupo de cristãos anônimos que dobraram os joelhos e clamaram ao Pai para que você saísse das garras de satanás?
Então, porque continua dormindo, insistindo em apenas receber, sem retribuir? Você não tem que agradecer a alguém por isso, mas deve retribuir a Deus, engajando em Sua obra e intercedendo por outros. Essa é a sua forma de retribuir. Moises intercedeu por um povo duro, que não arrogante que não pedia ajuda. Jesus intercedeu com a vida por um povo pecador e ingrato. Portanto, não espere reconhecimento entre os homens.

Deus lhe abençoe!

“Tristezas de morte me cercaram, e torrentes de impiedade me assombraram.”(Salmos 18:5)





Amado(a), sofremos porque por algum momento deixamos de colocar nossos olhos em Cristo. Desconhecendo Sua palavra, caímos na cilada de acreditar nas sugestões do diabo que intenta plantar a dor e o sofrimento em nossas vidas. Inertes, deixamos de clamar ao Pai, afastamo-nos de Sua presença e vamos ficando desnutridos espiritualmente. Desse modo, nosso espírito perde a imunidade e sofremos porque estamos sem o entendimento espiritual para dar fim àquela aflição que nos atinge. Enfraquecidos, damos lugar ao ímpio em nossa vida e nossas células vitais vão sendo contaminadas. Não sabemos de onde saiu tanta dor, mas o fato é que ela só entrou porque descuidamos de uma área que nos afeta sobremaneira. Quando sabemos o que a Bíblia diz sobre algo que estamos fazendo, e não agimos conforme o ensinamento, estamos rejeitando ao próprio Senhor e criando um campo de ação maligno. Nessa atitude, damos brecha para que a tristeza tome conta.
Amado(a), passou o tempo de mimos do Senhor, você precisa agora receber a correção para que laços de morte não dominem sua vida e a tristeza que pode ser passageira não dê lugar à tribulação eterna. Veja por qual canal o diabo tem cercado sua vida. A sua tristeza tem um motivo e ela, por mais disfarçada, chega ao coração de Deus e de seus intercessores. O que está fazendo? Você tem se enganado e às pessoas do seu lado, afirmando aquilo que não sente verdadeiramente. Secretamente tem confessado seus sentimentos, mas vivido de forma dupla. Não está onde gostaria de estar, desejando em seu coração fazer algo e prometendo aquilo que jamais cumprirá. Sua tristeza é fruto da inconstância, da falta de verdade e do descaso com a palavra de Deus. Você não tem sido quem verdadeiramente é. Onde está o seu Deus? Nas promessas não cumpridas, na busca insensata pelo passado que só lhe trouxe dores. No desejo de reconstruir aquilo que destruiu, no apego às lembranças do que visto de longe lhe pareceu bom, mas no fundo sabe que é mais uma armadilha para tirar sua paz.
Lembre-se de que o que vem de Deus não traz confusão. Não divide. O que vem de Deus acalma o coração e traz paz, não tristeza.
A mágoa não é de Deus, o perdão sim. Não o perdão condicional. Mas o perdão irrestrito, sem cobranças, sem humilhações de sem desforra. O verdadeiro amor não guarda mágoa, esse é o amor de Deus.
Se você está se sentindo triste, acuado(a), na dúvida quanto a uma decisão que vai interferir nos rumos de sua vida, não faça nada sem consultar ao Senhor. Coloque diante Dele as suas angústias. A sua resposta virá de alguma forma, mas certamente ela está na palavra de Deus. Abra-a e peça a luz da revelação. O profeta Amós disse “Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?”
Portanto, aí está a sua resposta: se você é filho da luz, suas decisões não podem tirar você dessa luz. Se o que precisa decidir não estiver de acordo com a palavra do Senhor, saia, fuja, bata em retirada enquanto os ímpios não tragaram você para as sombras da morte. E saiba que o Senhor espera por você de braços abertos, pronto para lhe dar novo ânimo.

Graça e Paz!