Traduza este blog

terça-feira, 31 de julho de 2012


Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa: porventura diria ele, e não o faria? ou falaria, e não o confirmaria? (Números 23:19)


Deus continua o mesmo, mas os homens, infelizmente, mudam de acordo com seus interesses. Deus não muda porque falhamos, não muda porque pecamos ou esfriamos. Deus não muda por coisa nenhuma. Ele continua sendo um Deus de amor, que nos criou com um propósito. A imutabilidade de Deus se mantém mesmo que sejamos infieis, Ele é fiel porque não pode negar-se a si mesmo. Quando passamos por um problema, quando nossa promessa parece que não vai se realizar, quando nosso problema parece que não tem mais solução, deixamos de crer e toda vez que deixamos de crer estamos colocando a Palavra como mentirosa. Em alguns momentos o diabo planta em nosso coração a ideia de que Deus se esqueceu de nós, que Ele nos abandonou. Mas precisamos saber que se Deus nos deu uma promessa, Ele cumpre. Deus nos deu uma promessa, Ele cumpre. Por isso, traga a sua memória a promessa que Deus lhe fez e espere com confiança porque no tempo de Deus ela se cumprirá.

segunda-feira, 30 de julho de 2012





E ele muda os tempos e as estações; ele remove os reis e estabelece os reis; ele dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos entendidos. (Daniel 2:21)



Daniel conhecia o Deus a quem servia e sabia exatamente a quem devia dar honras. A história de Daniel mostra a providência divina em sua vida, em consequência da extrema confiança e obediência Naquele que pode todas as coisas. Precisamos agir e pensar como Daniel, colocando em Deus a nossa confiança sem nos abalar por maior que seja o problema que nos apresente. Daniel enfrentou a inveja inimigos ardilosos, enfrentou leões e nada disso abalou sua fé e sua determinação de obedecer ao único Deus, digno de reverência. Daniel passou por provas difíceis e se manteve inabalável. Com esse homem determinado e persistente na fé, devemos aprender a conhecer os propósitos de Deus para a nossa vida e a entender o Seu tempo, cientes de que Deus jamais se atrasa ou se ausenta. Se a bênção não chegou é porque não a hora, ou não era a bênção!

domingo, 29 de julho de 2012


Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto. ". (Jeremias 17:7-8).
 O Senhor tem falado conosco nesses dias, tem chamado nossa atenção para um posicionamento e nessas palavras do profeta somos conclamados a nos enquadrar. Vemos neste versículo a descrição de dois grupos de pessoas diferentes, o primeiro é formado por aqueles que confiam na carne, confiam no homem, enquanto o segundo confia em Deus, busca a direção do Espírito Santo. Se analisarmos bem os dois parágrafos veremos que as boas novas estão relacionadas ao segundo grupo. Aquele que confia no Senhor é bendito. A que grupo você pertence? Em quem você tem confiado? Em você mesmo, nos desejos de sua carne que direciona suas ações e reações, ou na orientação do Senhor, segundo a Sua palavra?
O profeta Jeremias nos apresenta duas situações distintas e as suas consequências para a vida do homem. Observe que o profeta faz uma analogia a uma árvore plantada junto às águas. Ela estende suas raízes para o ribeiro. Raízes são as coisas que construímos, são as nossas bases, o nosso ponto de referência. E o ribeiro é algo externo a nós, mas que nos nutre e nos refrigera. Uma planta que cresce ao lado de um ribeiro é uma planta saudável e que frutifica, pois busca para suas raízes os nutrientes necessários para que cresça fortificada. Eis porque o profeta chama de bendito a esse homem e em contraposição afirma que maldito é aquele que confia na carne. A carne é tudo aquilo que representa os desejos do homem natural, que não eleva, que beira ao instintivo. Quem confia na carne se aparta do Senhor e se deixa dominar pelas concupiscências e pelos prazeres efêmeros. Por isso, o profeta, para mostrar a consequência dessas atitudes, faz uma analogia com a tamargueira. Essa planta típica da região do Líbano simboliza a pessoa desamparada, sem ter a quem recorrer no deserto. Aqueles que se entregam à carne, que não ouvem as exortações dos profetas de Deus e cauterizam sua consciência, fechando seus ouvidos para a voz do Espírito, certamente se firmam em seus desejos e acabam se isolando no deserto criado pela sua insensatez. Frequentemente se frustram, pois tomam atitudes intempestivas de resolver seus problemas sem ouvir o Senhor, guiando-se pelos próprios pés. A consequência disso é a sensação de solidão e de vazio, porque afastam de si os ribeiros de águas frescas que nutrem e fortificam, impedindo a frutificação. Onde você tem lançado suas raízes? Em terras banhadas por um ribeiro, ou em terreno seco e árido? A resposta está nos frutos que tem colhido. Se está perto de um ribeiro certamente tem frutificado, mas se nada tem colhido muito provavelmente tem lançado suas raízes em terras inférteis e seca.

sábado, 28 de julho de 2012





Também deixei ficar em Israel sete mil: todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda a boca que não o beijou. (I Reis 19:18)



Vivemos dias em que tudo parece conspirar contra a evangelização e contra a busca de santificação que agrada a Deus. Na vida cristã isso parece se potencializar quando nos envolvemos com alguma atividade para a Obra de Deus. Quantas vezes temos a impressão de que nada do que fazemos concorre para o crescimento da igreja, por mais que nos esforcemos! Muitas vezes temos a impressão de que estamos sozinhos nessas lutas e isso nos leva a pensar em desistir. Mas antes disso precisamos nos lembrar que trabalhamos para Deus, e não para os homens. Nossa meta deve ser o crescimento do Seu Reino, e para Seu louvor e jamais para a nossa glória ou reconhecimento. Vemos nesta passagem de I Reis que até os grandes profetas, que tinham uma relação  face a face com Deus, também viviam momentos de fraqueza e dúvida, e sentiam vontade de capitular. Mas aprendemos que, assim como Deus os levantou e sustentou, conosco age de igual maneira. Ele é o Deus imutável, e ainda hoje, quando nos convoca, nos dá o suporte que precisamos para não desistirmos. Quando pensarmos em desistir, devemos nos lembrar desse momento em que Deus fala para Elias que ele deveria voltar, pois ainda havia sete mil fieis a Deus em Israel. Elias não estava sozinho como ele imaginava. Há mais joelhos que não se dobram aos deuses desse mundo, não esmorecem e não se deixam enganar, perseveram assim como nós devemos perseverar. Nosso coração deve estar convicto na unidade, porque como naquele tempo, Deus também tem filhos fiéis que não dobraram seus joelhos à Baal. Não estamos sozinhos! Além do Senhor, que nunca nos abandona, ainda existem sete mil do nosso lado.

sexta-feira, 27 de julho de 2012


“se ouvires a voz do Senhor, teu Deus, virão sobre ti e te alcançarão todas estas bênçãos: - o Senhor te porá por cabeça e não por cauda; e só estarás em cima e não por baixo, se obedeceres aos mandamentos do senhor, teu Deus, que hoje te ordeno, para os guardar e cumprir”. (Deuteronômio 28: 2)

Você tem ouvido a voz do Senhor e daqueles que foram colocados como líderes em sua vida, para conduzi-lo(a) a um caminho seguro? Se não, ainda há tempo de abrir seus ouvidos e voltar seu entendimento aos recados do Senhor. Não faça mais nada sem que Ele tenha lhe dado a direção: não assine contratos, não mude de casa, não associe seu nome a nada que não venha do Senhor. Não empreste seu nome a quem não trilha os caminhos de Deus e anda segundo as vontades da carne. E, sobretudo, não faça nada que seja contrário à palavra de Deus. Se você quer prosperar, se quer ser uma bênção deixe que Jesus seja seu sócio, convide-O para seus relacionamentos, permita que Ele dirija sua vida, mas jamais, em hipótese alguma, tome uma decisão sem ouvir a voz de Deus. Se há algo que está por fazer que tem gerado dúvida e confusão, se o que pretende não gerou assentimento daqueles que foram colocados por seu orientador espiritual, não faça, pois se o fizer, certamente se arrependerá. Firme-se no que diz Paulo aos Coríntios 15:58 “portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do senhor, sabendo que, no senhor, o vosso trabalha não é vão. Deus está lhe indicando um caminho, mas você é livre para escolher: ou ouve a voz do Senhor, ou faz o que lhe aprouver, mas sabendo que a consequência de suas escolha é por sua conta e risco. O Santo de Israel tem o caminho, único pelo qual se pode encontrar a verdadeira paz, alegria e prosperidade. Nele andando, você não colherá frutos que não são desperdiçados, não são espalhados como as inutilidades com as quais o diabo suga seu tempo, sua energia e sua força vital. Atente para o caminho do Senhor, deixe de lado aquilo que lhe faz caminhar por atalhos. Ouça os profetas de Deus, dê atenção às palavras de quem verdadeiramente pode testemunhar bênçãos em sua vida e cujos frutos não são colhidos de forma apressada e não apodrecem rapidamente. Quem anda por caminhos retos vê frutificar tudo o que põe a sua mão, mas aquele que se desvia, ainda que colha frutos imediatos, certamente sentirá quão amargo é o seu sabor. 

quinta-feira, 26 de julho de 2012


“O SENHOR teu Deus, o poderoso, está no meio de ti, ele salvará; ele se deleitará em ti com alegria; calar-se-á por seu amor, regozijar-se-á em ti com júbilo”. (Sofonias 3:17)


Deus está ouvindo você, e não lhe desampara. Ele conhece as suas angústias, vê as suas tristezas e secará suas lágrimas. Porque você segue o que é bom e faz o que é correto: retribui em oração. (Salmos 126: 6). Continue, persevere, porque o Senhor lhe diz, por meio dos Salmos 126: 5 “Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria.” Muitas vezes você se pergunta por que mesmo agindo honestamente, dentro da vontade de Deus, quando procurou dar o melhor de si, as coisas não aconteceram conforme esperava. O seu coração fica perguntando: “Por que Deus permitiu que entrasse em uma situação, sabendo que nunca iria dar certo?” Certamente é porque não ouviu a voz de Deus, não compreendeu os seus recados, ou simplesmente porque, mesmo sabendo que estava entrando onde não deveria, preferiu seguir seu coração e apostar no que visivelmente tinha tudo para dar errado. É preciso lembrar que as escolhas que fazemos determinam o que seremos e que jamais estamos livres de receber suas consequências, boas ou más. Por isso, devemos nos apegar à palavra do profeta e nos lembrar que, mesmo tendo errado, Deus  nos acolhe e nos oferece o alento e o refrigério.

quarta-feira, 25 de julho de 2012



Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito. Gálatas 5:25   

Essa recomendação do apóstolo Paulo é a atitude que caracteriza o cristão. Quando vivemos pelo Espírito e andamos pelo Espírito e deixamos que o Espírito nos guie, certamente damos menos importância para o mundo e desenvolvemos um caráter que nos aproxima de Jesus e, assim, nos concentramos apenas no que é santo e puro. Viver em Espírito nos faz buscar a santificação. Andar em Espírito nos faz andar na luz, lembrando que a luz dissipa as trevas, o amor neutraliza o ódio e a santidade remove o pecado. Isso significa que devemos estar em comunhão com o Espírito Santo. Significa uma caminhada constante e disciplinada com Deus. E essa caminhada faz brotar o fruto do Espírito em nossa vida, facilmente reconhecível até mesmo por aqueles que andam na carne.  Caminhar em Espírito nos leva a exibir  características de Cristo no dia-a-dia, de modo a nos tornar maduros e  livres da escravidão do pecado. Caminhar em Espírito nos leva a produzir muito fruto, conforme a exortação de Jesus: “Eu sou a videira e vocês são os galhos. Aquele que continuar em Mim e Eu nele, dará muitos frutos, porque sem Mim vocês não podem fazer nada.” (João 15:5).

terça-feira, 24 de julho de 2012



O SENHOR chamou a Samuel, e disse ele: Eis-me aqui. (1 Samuel 3:4) 

Essa passagem de Samuel narra o momento em que o jovem profeta escuta o chamado de Deus, mas pensa que é chamado pelo sacerdote Eli. Atento e disposto a atender, vai até seu discipulador que o ensina a reconhecer a voz de Deus e se colocar à Sua disposição. Muitas vezes Deus quer se revelar a nós e assim como o jovem Samuel não O conhecemos ainda ao ponto de discernir a Sua voz. Por essa razão precisamos de ouvir um sacerdote, precisamos de alguém que ensine a nos aproximar de Deus. Quando Ele se revela a nós é porque tem um propósito específico. Ele quer que a Sua palavra seja ensinada. Mas espera também que a revelação não tome caminhos de interpretação errados e que haja intercessão. Muitas vezes uma revelação, acompanhada de intercessão faz com que o mal seja desviado. Mas para isso é necessário termos ouvidos atentos e coração disposto a obedecer, como o do menino Samuel. Quando Deus quer se revelar a nós a melhor atitude é dizer: “Fala, Senhor, porque o teu servo ouve”.

segunda-feira, 23 de julho de 2012


“… Alegrai-vos na esperança…”. Romanos 12:12
                                                                           
Esperar é confiar em Deus. Aqueles que esperam no Senhor têm o coração fortalecido e são facilmente reconhecidos, porque apresentam  características que os identificam como  portadores da promessa. Quem espera com paciência no Senhor consegue ver o que Deus tem lhes reservado, pois a Bíblia diz em  I Coríntios 2:9 “Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.”
Porque confia Naquele que tudo pode, o cristão se alegra, esperando sem duvidar que a qualquer momento Deus vai agir para resolver os nossos problemas. E espera com paciência, sem tomar decisões precipitadas, sem murmurar, controlando a ansiedade. As decisões precipitadas são baseadas na lógica e no entendimento humano. Mas, quem coloca sua vida diante de Deus, espera pela Sua direção. A Bíblia nos mostra que todas as decisões precipitadas não lograram êxito e nossa vida também testemunha isso.
Contudo, se esperamos pacientemente, muitas vezes suportando infortúnios, sem nos queixar ou atropelar a ação de Deus, com toda certeza obteremos de Deus a resposta no tempo certo, do modo como ensina Paulo aos Romanos 12:12 Diz: “… sede paciente na tribulação persevere na oração”. Assim, se controlamos nossa ansiedade, o Pai nos dará o ânimo necessário e a vitória como consequência, garante Paulo em Hebreus 6:15 “E assim, esperando com paciência, alcançou a promessa”.  “Espera no SENHOR, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração; espera, pois, no SENHOR.”(Salmos 27:14).Toda atitude intempestiva, toda decisão precipitada nos causa mais dores e mais problemas. Em todas as áreas de nossas vidas devemos agir com a direção do Espírito Santo sem nos deixar conduzir por nossos sentimentos. Jamais devemos decidir algo sob o impacto das emoções. É necessário lembrar que Deus nunca se atrasa ou deixa de cumprir as suas promessas. Ele vai adiante e peleja por nós (Êxodo 14:14). Esperar com paciência, portanto, é aguardar, sem reclamar. Todavia, é preciso clamar, sem parar, a fim de receber  a intervenção de Deus, colocando-O no centro de nossas decisões.
 

domingo, 22 de julho de 2012



Tudo o que o SENHOR quis, fez, nos céus e na terra, nos mares e em todos os abismos. Salmos 135:6
 

O salmista declara a soberania de Deus e reconhece que Nele e por Ele podemos todas as coisas. Isso nos leva a pensar que se Deus quer Ele pode e vai fazer. Não há nada impossível para Deus e se Ele se agrada de nossos propósitos, se em nós não há motivos que interponham a Sua ação abençoadora em nossas vidas, Ele fará o que ansiamos. Mas é preciso que deixemos de lado as brechas que o inimigo usa para adiar a entrega  das bênçãos, ou que paremos de agir com incredulidade, criando atalhos, ou tentando fazer o que seria  a parte  de Deus. Há coisas que não nos competem fazer. Há coisas que só podem ser feitas por Deus e nós cabe confiar, esperar e glorificar a Deus, independentemente de as coisas acontecerem ou não, de acordo com o nosso tempo. O tempo de Deus é o tempo ideal. Tudo o que Ele determinou será feito! 

sábado, 21 de julho de 2012

“Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência. (Efésios 2:2-3)

Vivemos dias de fortes abalos sociais e familiares com as fragmentações éticas e morais devido à desobediência.  Não há como negar essa situação, assim como ao se pode negar o  fato de existirem dois poderes opostos no mundo espiritual com reflexos no mundo físico.  É por isso que o Senhor nos adverte em Atos 26:17-18 "Livrando-te deste povo, e dos gentios, a quem agora te envio, para lhes abrires os olhos, e das trevas os converteres à luz, e do poder de Satanás a Deus; a fim de que recebam a remissão de pecados, e herança entre os que são santificados pela fé em mim.”  Aqueles que não atentam para a palavra e não vivem segundo as orientações de Deus não estão livres do domínio e influência do espírito "que agora opera nos filhos da desobediência", isto é o diabo, afirma a Bíblia. Se estávamos em total e completa escuridão, mortos no pecado, Deus nos deu vida e nos ressuscitou juntamente com Cristo. Mas todos aqueles que ainda não creram estão na escuridão e sob o poder de Satanás, conforme diz Paulo em II Coríntios 4:3-4. Apesar de Jesus ter vencido na cruz e de ter nos dado a condição de vencedores, há uma luta constante acontecendo entre nós, o diabo e seus seguidores. Não é uma luta contra carne e sangue, mas contra os principados e potestades, contra os líderes mundiais desta escuridão, e os espíritos malignos nos lugares celestiais. Felizmente, nesta luta espiritual podemos contar com a armadura dada a nós por Deus que, se usada, nos tornará capazes de lutar com sucesso. Mas a opção de usar ou não essa armadura é nossa.

sexta-feira, 20 de julho de 2012


“Que o livro dessa Lei esteja sempre em teus lábios: medite nele dia e noite, para agir de acordo com tudo o que nele está escrito. (Josué 1:8)

Quando Deus está no controle de nossas vidas, não precisamos fazer nada, somente sossegar, pois Ele está agindo. O segredo para a vitória, conforme nos ensina Josué é colocar em prática a mesma confiança demonstrada por esse homem de Deus. Deste modo, você será bem sucedido em seus empreendimentos e sempre terá sucesso”. A Palavra do Senhor é inspirada e infalível, como nos assegura 2 Pedro 1:21. E, com base nela, devemos toda a nossa fé e prática, de acordo com 2 Timóteo 3:16. Se cremos na palavra do Senhor, não podemos selecionar partes para crer, mas acreditar totalmente, dando a ela plena e total confiança, pois como está escrito, “Deus não mente” (Números 23:19; Tito 1:2; Hebreus 6:18). O que a Bíblia diz, portanto, deve sempre merecer a maior credibilidade possível de nossa parte.  Às vezes, o que parece perda é uma vitória. Talvez, a vida com seus fardos, amarguras, desastres e enfermidades possa nos levar às dúvidas, mas a certeza de que Deus intervém em nossas causas deve estar em evidência. Não temer é o segredo, para se enfrentar, de forma vitoriosa, qualquer vicissitude que a vida nos imponha.  O apóstolo Paulo, também nos ensinou isso, por meio de suas próprias experiências, conscientizando-nos de que não estamos isentos de adversidades, porém, ele mesmo disse: "Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir. Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor..." ( Romanos 8:38-39), expressando assim, uma confiança inabalável diante das forças possíveis e imagináveis das dificuldades.

quinta-feira, 19 de julho de 2012





“Para a liberdade foi que Cristo nos libertou”. (Gálatas 5:1)


Paulo está nos mostrando que a única fonte de liberdade é Jesus. A palavra de Deus deixa isso bem claro em João 8:36 “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. Se você ainda está preso ao passado, cometendo os velhos erros, você não está na liberdade de Cristo. Se o passado ainda lhe escraviza, se o velho homem ainda domina seu ser é porque verdadeiramente você não está firme na Rocha. Saiba que tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus, e Ele não deixa Seus filhos serem envergonhados. Se você não tem ouvido as mensagens de Deus, não se assuste se amanhã estiver de volta ao mesmo ponto de onde partiu. Quem não vive um presente com Deus, não se liberta de um passado de erros, e segue repetindo as mesmas condutas, certamente, não terá um futuro que comemorar. Não creia que Deus tem prazer em quem anda segundo os conselhos dos ímpios. Quem está firme no Senhor não é orgulhoso, não é vaidoso, não paga o bem com o mal, não se ensoberbece, não age com leviandade, não se prostitui, nem macula o seu leito, mas é um exemplo para os irmãos e para a família. Se essa tem sido a sua conduta, trate de se consertar com o Pai, antes que seja tarde! Se você ainda se atormenta recordando acontecimentos desagradáveis que gostaria de se esquecer, mas que reaparecem como fantasmas interiores, não busque resposta em outros livros, o único que poderá lhe dar o caminho é a Bíblia. Mas ler apenas não adianta. É preciso praticar o que ela ensina. Nela não há contradição, mas a única e absoluta verdade que liberta. Se a sua aliança com Deus foi desfeita e você tem feito aliança com deuses estranhos, ainda é tempo de acordar. Deus lhe dá uma chance de se recompor. De viver uma vida santificada. De aprender com os erros do passado e olhar para a frente.

quarta-feira, 18 de julho de 2012



Dizia na minha pressa: Todos os homens são mentirosos. (Salmos 116:11)


Quem nunca se sentiu, como o salmista, frustrado com as pessoas com quem convive? A maioria das pessoas em algum momento da vida, certamente, teve esse sentimento de incômodo em relação ao comportamento de alguém em quem depositou confiança. Nesses momentos a tendência de alguns é a de generalizar e de julgar a todos com a mesma medida. Se alguém nos mentiu, se traiu nossa confiança, se agiu com ingratidão ou com indiferença aos nossos sentimentos, não podemos nos apressar e dizer que todos são assim. E ainda que não encontremos em nossas relações mais próximas alguém que não mereça esse julgamento, o certo é que podemos contar com um amigo fiel, capaz de nos aceitar com nossas falhas e imperfeições e que jamais nos abandonará por mais indignos que somos: Jesus Cristo de Nazaré. Esse nome que está acima de todos os nomes é o único que não frustra nossas expectativas e não nos decepciona. Ele é caminho, a verdade e a vida. Caminho seguro e não atalho. Verdade que não dissimula, nem se contradiz. Vida que não se esgota. 

terça-feira, 17 de julho de 2012



Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor. 1 Coríntios 15:58

A inconstância conspira contra a vitória. Ela está relacionada à infidelidade. Quem é inconstante dificilmente será fiel. E isso se aplica às tanto às relações amorosas, quanto às relações de amizade ou e até mesmo à relação com Deus. Muitas pessoas acreditam que ser fiel é não trair sexualmente o parceiro, mas se esquecem de que ao descumprir seu compromisso com ele, está sendo infiel emocional e sentimentalmente. Em geral, quem não cumpre compromissos também é infiel aos amigos, nas relações de trabalho, porque não se firma na palavra. Os apressados, os afoitos, os que querem as coisas instantaneamente, não só as fazem mal, como se cansam ao longo do caminho. Gastam toda sua energia logo no início e em seguida começam o processo de desistência. Quando conhecem Jesus vão à igreja todos os dias, e se envolvem em várias atividades com todo o gás, mas de repente começam a faltar, a encontrar desculpas para a ausência: trabalho, cansaço, outras atividades e quando se percebem estão nas garras do mundo novamente e longe das bênçãos.

segunda-feira, 16 de julho de 2012


Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno. (Salmos 139:23,24)

O Rei Davi demonstra toda sua confiança no julgamento de Deus e  reconhece a soberania de Deus na sua vida. Essa deve ser também a nossa atitude quando precisarmos tomar uma decisão. Sabemos que muitas das dificuldades que as pessoas enfrentam são consequências de escolhas feitas baseadas somente por sua própria vontade. Por isso não podemos nos afastar dos ensinamentos do Senhor, tendo sempre em mente o manual que nos deixou: a Sua palavra. Seguir as orientações não nos torna imunes aos problemas e dificuldades, contudo, dá-nos a confiança necessária para enfrentar as adversidades, certos de que já temos a vitória Naquele que venceu por nós. A diferença entre andar com Deus ou sem Ele pelos caminhos da vida não estará certamente na ausência de dificuldades ao longo da caminhada. Toda diferença está na forma como enfrentaremos os obstáculos que impedem que a caminhada seja mais tranquila. Nenhum cristão está livre dos embaraços que ao longo da vida surgirão na tentativa de impedir a caminhada. O que conta é a persistência na fé e a confiança Naquele que tudo pode, tudo conhece e que sonda os nossos corações dando-nos o melhor. Ainda que esse melhor, em princípio  pareça  mau aos nossos olhos turvados pelas aparências do mundo. 

domingo, 15 de julho de 2012


E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar. Atos 2:44,46,47


Reconhecemos neste texto uma das principais características da verdadeira igreja de Cristo: a comunhão. A Igreja é caracterizada pela comunhão que mantém com o Senhor Jesus Cristo e pela unidade espiritual de seus membros. A comunhão é uma ordem de Deus. Vemos na leitura de Atos dos Apóstolos que um dos sinais da atuação do Espírito Santo na Igreja Primitiva era a comunhão entre os seus membros. Mais que oferecer parte ou o todo dos bens que possuíam, os cristãos mantinham-se unidos por um vínculo comum. Eles faziam parte do corpo de Cristo — a Igreja de Deus. Somente seremos reconhecidos como filhos de Deus se cuidarmos uns dos outros e mutuamente nos socorrermos. A comunhão observada na Igreja de Cristo não é um mero fenômeno social. É uma ação que ultrapassa ao ajuntamento da congregação dos filhos de Israel que, nos momentos de crise, reuniam-se como se fossem um só homem (Jz 20.1). A comunhão da Igreja Primitiva era completa (At 2.42). Reuniam-se em oração e súplica, mas também se reuniram para socorrer os mais necessitados. Hoje, embora ainda se designe com o rótulo de Igreja, muitas congregações não têm passado de um ajuntamento de pessoas que sequer se cumprimentam. Poucos se preocupam em saber como está o irmão, ou do que ele precisa. Grande parte quer apenas a bênção, ignora o Abençoador e nem mesmo se preocupa em abençoar alguém de alguma forma. Mas precisamos saber que a comunhão da Igreja agrada a Deus. Ele espera e exorta Seu povo a permanecer unido (1 Co 1.10). Não podemos nos esquecer de que somente uma igreja que experimenta a verdadeira comunhão com Cristo e com os seus membros em particular, sobreviverá nestes tempos difíceis e trabalhosos.

sábado, 14 de julho de 2012




E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus. (Filipenses 4:7-8)




Quantas vezes depositamos nossas expectativas nas pessoas, nas festividades do mundo, nas possibilidades de dividir com alguém nossos sonhos e nos decepcionamos! Mas a verdadeira alegria só ocorre quando nos voltamos para Aquele que é capaz de gerar em nós uma paz que excede todo o entendimento. Essa paz não está sujeita a dinheiro no banco, saúde, ausência de problemas ou qualquer outra condição que acreditamos ser imprescindível para vivermos bem. Ela está fincada na cruz do calvário, foi conquistada pelo sangue precioso de Jesus e não há nome maior sobre a terra. Por isso, nunca se deixe levar por ninguém que venha lhe oferecer soluções mágicas para colocar fim a sua tristeza. Não há outro caminho, não há ouro Deus e não há outra fonte de alegria perene.

sexta-feira, 13 de julho de 2012


“Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios.” Efésios 5:15

Neste versículo Paulo nos adverte a sermos sábios. Isso significa não dar ouvidos aos ímpios, é não nos colocar em jugo desigual com os incrédulos, ouvindo os profetas de Deus. Isso significa  não fazer a vontade da carne, mas arrependermos dos pecados, voltando-nos para o Pai. Ser prudente é um exercício de determinação, porque envolve renúncia, escolhas nem sempre agradáveis ao nosso coração. Ser prudente é conviver com irmãos, sabendo também que o Senhor está sempre de braços abertos para receber e amar aqueles que se arrependem e tornam à casa.  Ser prudente é abrir os olhos para Deus e para aqueles que Ele colocou em nossas vidas e ignorar as atrativas propostas do inimigo "... o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus." (2Coríntios 4:49)
Há poder na comunhão dos irmãos e é por isso que satanás avança contra aqueles que se dispõem a seguir a palavra. É por isso que ele provoca a intriga para fazer cair o mais fraco. Ele sabe que longe de Deus e da comunhão, o homem é vulnerável às suas armadilhas.  

quinta-feira, 12 de julho de 2012


“Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Romanos 1:21


O apóstolo Paulo nos faz refletir sobre atitudes dos homens que não agradam a Deus. Uma delas é não reconhecer a soberania de Deus e não glorificá-Lo. Quando não rendemos graças a Deus e não nos lembramos de agradecê-Lo, não expressamos o nosso reconhecimento de que tudo que temos, somos ou vivenciamos vem Dele. Muitas pessoas, incluindo as que conhecem a palavra de Deus deixam de glorificar a Deus, preferindo atribuir aos seus próprios esforços ou potencial as bênçãos recebidas. Não é raro observarmos que nessa categoria estão os que se lembram de Deus apenas para reclamar quando não obtêm o que esperam.  O cristão deve reconhecer o poder de Deus em tudo. Assim como os que não reconhecem, poucos são também os que são capazes de agradecer ou testemunhar quando recebem uma bênção. E não é difícil constatar que o ingrato com Deus age da mesma forma com os irmãos ou com próximo, porque, como disse Paulo aos romanos, seu coração insensato obscureceu impedindo-o de abrir a boca para agradecer e os olhos para enxergar quem é Deus e quem vem Dele.

quarta-feira, 11 de julho de 2012


“As minhas lágrimas servem-me de mantimento de dia e de noite, enquanto me dizem constantemente: Onde está o teu Deus?” (Salmos 42:3).

Se você tem chorado, porque sua dor tem chegado ao máximo do que pode suportar, saiba que Jesus jamais afasta o olhar de um coração que chora. Veja o que diz o salmista: "...a um coração quebrantado...não desprezarás o Deus” (Salmos 51:17). “Assim diz o SENHOR: Reprime a tua voz de choro, e as lágrimas de teus olhos; porque há galardão para o teu trabalho, diz o SENHOR, pois eles voltarão da terra do inimigo”. (Jeremias 31:16)
Se você está ferido, então chore até que as lágrimas parem de correr, se essas lágrimas se originem da dor e não da incredulidade ou da autocomiseração. Jesus chorou. Pedro chorou. Homens amados pelo Senhor choraram. Também o salmista desabafou “Já estou cansado do meu gemido, toda a noite faço nadar a minha cama; molho o meu leito com as minhas lágrimas” (Salmos 6:6). Ele clama a Deus “Ouve, SENHOR, a minha oração, e inclina os teus ouvidos ao meu clamor; não te cales perante as minhas lágrimas, porque sou um estrangeiro contigo e peregrino, como todos os meus pais”. (Salmos 39:12). Mas o nosso Deus, que não mente, nem nos abandona, assegura aos Seus filhos que “Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria”. (Salmos 126:5). Chore, se preciso, mas lembre-se de que “...Deus limpará de seus olhos toda a lágrima”. (Apocalipse 7:17).

terça-feira, 10 de julho de 2012

“Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado”. (Romanos 11:22)

Quem deseja a benignidade do Senhor, deve  também ser benigno  e bondoso com aqueles que estão em seu caminho. Agir com o coração limpo e derramar amor sobre as pessoas, pois a benignidade caminha junto com a bondade que é a excelência moral e espiritual, em todos os aspectos, criada pelo Espírito. Ela se refere especialmente à generosidade de coração e de ações. Paulo recomenda que os cristãos exercitem a benignidade em suas relações em 2 Coríntios 6:6 “Na pureza, na ciência, na longanimidade, na benignidade, no Espírito Santo, no amor não fingido”. Esse fruto do Espírito se manifesta em nós para que possamos ser melhores em nossa vida social, entre os irmãos e os ímpios. Vivemos cercados de pessoas e todas elas têm suas fraquezas, suas necessidades. Tendo muito ou pouco todos de uma forma ou de outra são carentes, principalmente do amor e da benignidade  manifestada por Deus. Observemos o que diz Paulo em sua carta aos Romanos 2:4 “Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?” É pelo  reflexo da benignidade do Senhor que muitas vezes somos levados ao arrependimento e endireitamos nossos caminhos. Deus nos chama ao arrependimento e nos leva a desejar a Sua presença. Porque temos, pela graça do Senhor, o desejo de ter comunhão com o Pai e com os irmãos.

segunda-feira, 9 de julho de 2012


“Nem se deita vinho novo em odres velhos; aliás rompem-se os odres, e entorna-se o vinho, e os odres estragam-se; mas deita-se vinho novo em odres novos, e assim ambos se conservam”.  Mateus 9:17


A Bíblia deixa claro que o cristão deve ter atitudes, não apenas discursos. E isso envolve ação. Entretanto, Deus está mais interessado em quem somos do que no que fazemos. Não são as boas obras que nos salvarão. Podemos dar todo nosso dinheiro aos pobres, contribuir com as missões, servir na obra de alguma forma, usando os nossos talentos. Mas se ao mesmo tempo estivermos degradando os nossos companheiros ou esquecendo-nos de atender nossos filhos, alguma coisa está errada. Caráter é algo que vem do coração, não é fachada para nos mostrar diante da sociedade ou da igreja. Bom caráter produzirá bom fruto, mas apregoar boas obras quando o coração não está reto é como pendurar uma fruta de plástico em uma árvore. Pode parecer bonita, mas não é real. Nós nunca teremos Deus em nossas vidas por fazer boas obras, mas uma vez que temos Deus em nossas vidas, então as  boas obras serão consequências, assim como os bons frutos. Há pessoas que “Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra”, afirma Tito 1:16. Essa forma hipócrita de se comportar, por aqueles que se dizem cristãos  faz com que o evangelho de Cristo seja depreciado. Nós podemos até enganar as pessoas, mas não enganamos a Deus. Quem somos quando estamos sozinhos, quando ninguém está olhando? Temos orgulho de ser assim, ou precisamos usar máscaras para nos sentir aceitos? Essas perguntas precisam ser respondidas para nós mesmos, pois Deus já sabe a resposta, mas se alegra quando reconhecemos nossas fraquezas e depositamos Nele a confiança de que só Ele é capaz de transformar nosso caráter. Mas antes precisamos saber que não há mudança sem dor. E o  caminho que Deus escolhe para forjar o caráter de seus filhos  algumas vezes é íngreme e inóspito. Muitas vezes somos provados na fornalha ardente. Temos que ser quebrados e amassados para nos tornarmos um vaso novo. E Deus quer encher esse vaso de bênçãos, por isso não pode estar trincado. Com nossa visão humana não somos capazes de enxergar o que o Senhor tem para nós, mas somos capazes de perceber, pela ação do Espírito Santo que há algo acontecendo conosco, quando passamos por lutas, em áreas de nossas vidas, as quais nos levam ao sofrimento. Chegamos a imaginar que Deus nos abandonou, e que não ouve o nosso clamor. Mas é nesse momento que Ele trabalha em nós. Não adianta iniciarmos nada novo, se tivermos velhos comportamentos. Observe o que Jesus ensina em Jesus está falando que se mantivermos comportamentos movidos pela carne e não pelo Espírito, nossas decepções serão as mesmas. Nossa vida e nossos comportamentos serão cíclicos. Seja em que aspecto for: na vida profissional, não adianta mudar de emprego, se as atitudes em relação ao patrão, aos clientes, aos colegas permanecem iguais. Na vida pessoal, de nada resolve mudar de companheiro(a), de namorado(a), se os velhos traumas e atitudes trazidos da infância ou da adolescência continuarem governando as nossas relações. Na vida espiritual, também é inócuo mudar de igreja, de doutrina, de pastor, se nossa conduta com relação à palavra continua a ser de desobediência. Mudamos, quando queremos mudar e às vezes só fazemos isso depois de sentirmos as perdas e o que elas representaram depois de nossa teimosia em atribuir a culpa por nossas falhas sempre aos outros, ou ao esquecimento de Deus. 

domingo, 8 de julho de 2012



Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas. (Mateus 10:16)


Jesus explica aos discípulos que eles encontrariam pessoas más e enganadoras em seus caminhos, por isso diz “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos”. E para que não caíssem nessas armadilhas Ele exortou: “sede prudentes como as serpentes e símplices como as pombas”.  Hoje isso não é diferente, por isso devemos estar preparados sabendo que nossa tarefa é a de pregar o evangelho a toda criatura, principalmente aos  caídos e perdidos, mas só devemos encontrar leito onde há dignidade. Em Mateus 10:11, Jesus orienta “E, em qualquer cidade ou aldeia em que entrardes, procurai saber quem nela seja digno, e hospedai-vos aí, até que vos retireis”. Ao instruir os discípulos a seguirem em sua missão, Ele os ensina a procurar quem é digno para se hospedarem com eles. Isso significa que Jesus enviou os doze para levar o evangelho a toda criatura, para pregar a salvação e perdoar os pecados a partir do arrependimento, mas Ele considerava essencial a dignidade para que os Seus escolhidos se abrigassem. Significa que devemos amar os pecadores, mas não habitar com o pecado. Jesus considera a dignidade de uma casa e afirma que  se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; mas, se não for digna, torne para vós a vossa paz. E, se ninguém vos receber, nem ouvir as vossas palavras, saindo daquela casa ou daquela cidade, sacudi o pó dos vossos pés. Em verdade vos digo que, no dia do juízo, haverá menos rigor para a terra de Sodoma e Gomorra do que para aquela cidade. (Mateus 11:13-15). Com isso devemos aprender que não é em qualquer lugar ou com qualquer pessoa que podemos nos associar, apesar disso, amar, respeitar e tratar com dignidade a todos é o que Jesus espera que façamos, independente de quem seja ou de que pecado tenha cometido.



sábado, 7 de julho de 2012


“Mas eras tu, homem meu igual, meu guia e meu íntimo amigo.” (Salmos 55:13)

O salmista  lança o seu lamento ao Senhor, quando se sente traído por um amigo, por aquele em quem e de quem ouviu doces palavras. Ele se angustia muito mais porque sabe que não era um inimigo, algum estranho que o afrontava, mas alguém com quem partilhava o pão. Fosse um inimigo teria suportado, mas  reconhecer a traição do amigo era por demais doloroso até para esse rei guerreiro que enfrentou gigantes. O ser humano tem  a necessidade  de confiar em  alguém  para se sentir seguro. Por isso, quando essa segurança é abalada por uma traição o desalento torna-se maior.
Por conta de nosso coração, que na maioria das vezes percebe a aparência e não a essência, temos a tendência de nos enganar no nosso conceito de confiança e fidelidade. Às vezes demoramos a perceber que as coisas eram claras e que sempre  estiveram ali, para  quem  quiser ver, mas nossos olhos  insistem em não enxergar. Judas andava com Jesus, comia o pão com o Senhor e o  traiu por algumas  moedas. Quantos não trocam a preciosidade de uma amizade por algumas moedas? Pedro  estava colado com Jesus dizia que o amava e o negou por três vezes aos homens  que pregaram  Jesus  na cruz. O salmista sofreu com mais intensidade, assim como qualquer um de nós ao vivenciarmos a traição de um amigo, porque confiava na sua fidelidade. O inimigo que  na posição  de  amigo é muito mais perigoso e fere muito mais, porque  usufrui  e  abusa  da  sua posição  para  proveito  próprio e egoísta. Mas a lição que os traidores mostrados pela Bíblia nos trazem é a de que por mais que doa ao traído, como se ressentiu Davi, a consequência da traição é muito mais maléfica ao traidor. Isso porque Deus sempre sustenta o que é fiel. E aquele que O invoca será ouvido na sua aflição. Mas o homem que pôs as suas mãos naqueles que têm paz com ele, que quebrou a sua aliança, certamente, será julgado pelos seus atos, pois Ele não permitirá  que o justo seja abalado.

sexta-feira, 6 de julho de 2012






“não defraudarás teu irmão” (Marcos 10:19).


O Dicionário Aurélio registra que defraudar é 1. Espoliar fraudulentamente; fraudar: /2. Privar dolosamente de: /3. Lesar dolosamente; prejudicar, esbulhar; fraudar: /4. Contrariar, iludindo com subterfúgios: /5. Iludir, desenganar; fraudar: /6. Privar fraudulentamente; espoliar.
Muitas pessoas têm se encaixado em algum desses conceitos e pensam que não incorrem no pecado da mentira. 
O sentido de espoliar, saquear (lesar dolosamente), utilizar-se de expediente ilícito para conseguir uma satisfação pessoal é muito mais recorrente do que se imagina. E poucos refletem sobre a gravidade e as desastrosas consequências de seus atos. Mentir não é apenas inventar algo sobre alguém ou sobre um fato. Quem inventa uma forma de ser que não corresponde à realidade também mente, também pratica o que Jesus ensina a não fazer em Marcos 10:19. Quem busca os próprios interesses, sem se preocupar com o próximo  age de forma desonesta. Também é considerado mentiroso quem se  diz cristão, mas não obedece a Deus, por isso a Bíblia diz em 1 João 2:4 “Aquele que diz: Eu o conheço, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade.”
A Bíblia deixa claro que a mentira não pode ser uma característica daquele que pretende habitar nos céus. Ainda que o mundo diga o contrário, todas as formas de mentira são abomináveis. Isso inclui a dissimulação, a falsa aparência, “as inverdades” e as “mentiras brancas, ou inocentes”. Mentira é mentira e pronto. É isso que diz a Bíblia. Mentira é fraude e quem age dessa forma não verá a Deus. Há pessoas que não mostram sua verdadeira identidade, que representam um personagem, ou que demonstram ser quem não são conforme interesse imediato. Mas em pouco tempo deixam cair suas máscaras, pois não há como sustentar a fraude sempre. Essa forma de agir é abominável aos olhos de Deus porque quem age desse modo desagrada a Ele uma vez que está defraudando o irmão.  

quinta-feira, 5 de julho de 2012


"Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem. O qual a sí mesmo se deu em resgate por todos."
(I Timóteo 2.5-6)



Nas palavras de Timóteo podemos confirmar a grande revelação do cristianismo: há um único caminho que leva a Deus. Essa verdade confirmada pelo próprio Jesus em João 14:5-6  "Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim."
Quantas vezes nos distanciamos dos caminhos do Senhor porque acreditamos que todos os caminhos levam a Deus. No entanto, se cremos que a Bíblia é a palavra de Deus, não podemos recortar dela apenas o que nos convém. E se nela está registrado que o plano de Deus para a salvação da humanidade está fundamentado na morte e ressurreição de Jesus, não podemos crer que outros homens, por mais santos que tenham sido possam nos conduzir ao Pai. Há um só mediador, entre Deus e os homens, diz a palavra de Deus. E esse mediador é Jesus. O único que deu a sua vida por nós e se confiarmos nossa salvação a outros ou a nossas obras, seu sacrifício terá sido inútil. Somos salvos pela graça e pela cruz. É certo que o Senhor vê nosso coração e dele procedem as fontes da vida, que o caminho das boas obras e da justiça é gratificante, mas esse não é o caminho do evangelho porque não há obras suficientemente boas que nos abram a porta do céu.  O caminho da cultura e educação pode nos levar ao sucesso pessoal e profissional, mas é insignificante aos olhos de Deus que não se agradam daqueles que se assoberbam deixando de lado a orientação do Espírito ao tempo em que acham que um diploma ou uma posição vão lhes fazer diferença no Reino de Deus. O único caminho é o caminho da cruz do calvário. Porque nela esteve Aquele que é capaz de nos mostrar “o caminho, a verdade e a vida” (João 14:6a). O caminho para o céu é a fé em Jesus. E nada que afaste você dessa verdade poderá conduzi-lo(a) ao céu.

quarta-feira, 4 de julho de 2012





"E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores." Efésios 4:1

Qualquer que seja a sua função na obra de Deus, saiba que ela é de altíssima importância e que não há maior ou menor, por mais grandiosa ou singela que seja sua contribuição na seara do Senhor.
Portanto,  atente para o chamado de Deus em sua vida e sirva ao Senhor conforme os dons que Ele lhe concedeu. Mas jamais perca a oportunidade de fazer a obra de Deus. Ele conhece o seu propósito e sabe com quem pode contar. Faça isso com desprendimento, mas logo verá que coisas extraordinárias acontecerão em sua vida.
Quando o céu se abre sobre a vida de um cristão, coisas sobrenaturais acontecem, com o mover de Deus. E só assim aqueles que buscarem o verdadeiro aspecto espiritual da Palavra de Deus conseguirão entender qual é a Sua proposta para a vida humana. Em geral, quem não busca o conhecimento real, mas se embaraça com fantasias e emoções mundanas não se enquadra no projeto divino porque se comporta como mero andarilho, que circula sem crescer, sem ampliar horizontes, sem sair do lugar e assim está sujeito a várias frustrações.

terça-feira, 3 de julho de 2012


Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. (2 Coríntios 4:8)





O apóstolo Paulo nos dá uma lição de perseverança e confiança Naquele que nos criou. Se tivermos um mínimo de fé e confiança na palavra de Deus agiremos como Paulo quando as tribulações nos assolarem, porque temos a promessa do Senhor de que Nele podemos todas as coisas. Até mesmo passar pelas lutas e adversidades com serenidade lembrando o que  ensinou  Paulo 1 Coríntios 10:13 “Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar”.   Sabendo disso, confiando no Senhor, podemos até sofrer as tribulações enquanto estamos vivendo no mundo, mas jamais nos deixaremos contaminar por ele ou pelo desânimo que acomete aqueles que não colocam sua confiança no Senhor. Podemos até ficar perplexos diante das injustiças, das traições, das ingratidões, mas jamais desanimaremos se colocarmos nosso coração e nossa confiança em Deus.

segunda-feira, 2 de julho de 2012


As tuas mãos me fizeram e me formaram; dá-me inteligência para entender os teus mandamentos. (Salmos 119:73)


O salmista reconhece que é criatura e que deve honra e obediência ao Criador. É sábio quando pede a Deus para lhe dar inteligência a fim de possa entender os Seus mandamentos. Essa deve ser uma atitude a ser imitada por nós diante da nossa limitação em compreender a vontade do Senhor. Nem sempre sabemos como agir e muitas vezes o nosso coração nos engana. O mundo nos ilude e nós nos deixamos levar pelas armadilhas do inimigo, mas quando dobramos nossos joelhos e inclinamos nossos ouvidos, serenando nosso espírito e abandonando nosso orgulho podemos compreender racionalmente o que Deus quer que façamos. Só assim conseguiremos discernir o que vem do Senhor e o que nos afasta Dele. Se reconhecemos que somos criatura dependente do Criador e a Ele damos honra, somos capazes de compreender o que Deus quer nos dizer “Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração”. (Hebreus 4:12)

domingo, 1 de julho de 2012




“Casa e riquezas são herdadas dos pais; mas a mulher prudente vem do Senhor.” (Provérbios 19:14)


Com essas palavras o sábio rei Salomão chama a nossa atenção para um fato  bastante comum nos dias atuais: a busca pela companheira. Mas o que deveria acontecer e nem sempre ocorre é a observância ao que diz Salomão. As pessoas têm procurado seus pares baseando-se em critérios mundanos ou de aparência. Poucos levam em conta que antes de qualquer escolha devem consultar ao Senhor. Muitas vezes uma oportunidade nova parece boa aos nossos olhos e a impressão que temos é que tudo vai acabar bem, que os nossos sentidos estão sendo contemplados e, por isso, Deus está agindo a nosso favor. O  problema é que às  vezes nossa motivação está errada, e podemos acabar nos afastando da vontade de Deus. O certo, então, é sempre consultar ao Senhor e só tomarmos uma decisão quando tivermos a resposta certa de Deus, porque o que  Deus faz é perfeito e nunca falha. A mulher certa vem do Senhor, no momento certo e é capaz de mudar a vida daquele que confiou em Deus a sua escolha. Ela educa os filhos para serem homens de fé, cuida do marido, da casa, ajuda muitas vezes no sustento do lar, preza e honra seu marido,  dá bom testemunho no lar e no seu trabalho e executa bem suas tarefas. A mulher que vem de Deus é sábia e forte e faz de seu marido alguém especial, por isso a  Bíblia sempre exaltou a mulher que age corretamente. “A mulher virtuosa é a coroa do seu marido; porém a que procede vergonhosamente é como apodrecimento nos seus ossos.” ( Provérbios 12:4). “Enganosa é a graça, e vã é a formosura; mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada. (Provérbios 31:30).
Homens, não se esqueçam de que uma escolha errada, pautada na emoção do momento, ou na percepção visual pode mudar toda a sua vida! Mulheres, lembrem-se de que a expressão popular “por detrás de um grande homem sempre existe uma grande mulher” encontra respaldo na Bíblia, que conta a história dos grandes homens vencedores, nas quais se pode vislumbrar  a presença de grandes mulheres. Mas é interessante observarmos também que  nos bastidores de homens derrotados estão presentes as mulheres as quais o Senhor não recomendava.