Traduza este blog

segunda-feira, 9 de julho de 2012


“Nem se deita vinho novo em odres velhos; aliás rompem-se os odres, e entorna-se o vinho, e os odres estragam-se; mas deita-se vinho novo em odres novos, e assim ambos se conservam”.  Mateus 9:17


A Bíblia deixa claro que o cristão deve ter atitudes, não apenas discursos. E isso envolve ação. Entretanto, Deus está mais interessado em quem somos do que no que fazemos. Não são as boas obras que nos salvarão. Podemos dar todo nosso dinheiro aos pobres, contribuir com as missões, servir na obra de alguma forma, usando os nossos talentos. Mas se ao mesmo tempo estivermos degradando os nossos companheiros ou esquecendo-nos de atender nossos filhos, alguma coisa está errada. Caráter é algo que vem do coração, não é fachada para nos mostrar diante da sociedade ou da igreja. Bom caráter produzirá bom fruto, mas apregoar boas obras quando o coração não está reto é como pendurar uma fruta de plástico em uma árvore. Pode parecer bonita, mas não é real. Nós nunca teremos Deus em nossas vidas por fazer boas obras, mas uma vez que temos Deus em nossas vidas, então as  boas obras serão consequências, assim como os bons frutos. Há pessoas que “Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra”, afirma Tito 1:16. Essa forma hipócrita de se comportar, por aqueles que se dizem cristãos  faz com que o evangelho de Cristo seja depreciado. Nós podemos até enganar as pessoas, mas não enganamos a Deus. Quem somos quando estamos sozinhos, quando ninguém está olhando? Temos orgulho de ser assim, ou precisamos usar máscaras para nos sentir aceitos? Essas perguntas precisam ser respondidas para nós mesmos, pois Deus já sabe a resposta, mas se alegra quando reconhecemos nossas fraquezas e depositamos Nele a confiança de que só Ele é capaz de transformar nosso caráter. Mas antes precisamos saber que não há mudança sem dor. E o  caminho que Deus escolhe para forjar o caráter de seus filhos  algumas vezes é íngreme e inóspito. Muitas vezes somos provados na fornalha ardente. Temos que ser quebrados e amassados para nos tornarmos um vaso novo. E Deus quer encher esse vaso de bênçãos, por isso não pode estar trincado. Com nossa visão humana não somos capazes de enxergar o que o Senhor tem para nós, mas somos capazes de perceber, pela ação do Espírito Santo que há algo acontecendo conosco, quando passamos por lutas, em áreas de nossas vidas, as quais nos levam ao sofrimento. Chegamos a imaginar que Deus nos abandonou, e que não ouve o nosso clamor. Mas é nesse momento que Ele trabalha em nós. Não adianta iniciarmos nada novo, se tivermos velhos comportamentos. Observe o que Jesus ensina em Jesus está falando que se mantivermos comportamentos movidos pela carne e não pelo Espírito, nossas decepções serão as mesmas. Nossa vida e nossos comportamentos serão cíclicos. Seja em que aspecto for: na vida profissional, não adianta mudar de emprego, se as atitudes em relação ao patrão, aos clientes, aos colegas permanecem iguais. Na vida pessoal, de nada resolve mudar de companheiro(a), de namorado(a), se os velhos traumas e atitudes trazidos da infância ou da adolescência continuarem governando as nossas relações. Na vida espiritual, também é inócuo mudar de igreja, de doutrina, de pastor, se nossa conduta com relação à palavra continua a ser de desobediência. Mudamos, quando queremos mudar e às vezes só fazemos isso depois de sentirmos as perdas e o que elas representaram depois de nossa teimosia em atribuir a culpa por nossas falhas sempre aos outros, ou ao esquecimento de Deus. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!