Traduza este blog

domingo, 30 de junho de 2013

Se tu, SENHOR, observares as iniquidades, Senhor, quem subsistirá? Salmos 130:3

Em grande sofrimento, pelas consequências advindas de erros do passado e em grande sentimento de culpa o salmista clama ao Senhor e reflete sobre a bondade do Senhor que perdoa nossos pecados e revoga nossas culpas e por isso não é guardado nenhum registro das nossas falhas não importa quantas e quão graves elas tenham sido, por isso Paulo afirma aos Romanos 8:1 "Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus" (Romanos 8:1). A culpa tem o terrível poder de paralisar nossa a vida, nossos planos e nossos sonhos. Ela nos sentir sujos, indignos e sem direito a nada. Uma das causas do fracasso é o sentimento de culpa. Quem aceita a derrota porque não consegue se perdoar, como uma espécie  de autopunição não consegue vencer os obstáculos e acaba se afundando na própria culpa. Deus é misericordioso para perdoar das nossas iniquidades, mas precisamos saber que de nada adianta conservamos um sentimento de culpa sem nos perdoarmos. Para que Ele nos perdoe, antes devemos nos perdoar e em verdadeiro e sincero arrependimento, assim como manifestou o salmista, devemos entregar nossas falhas a Deus e esperar que  Ele aja em nosso favor. O salmista conhecia muito bem o peso da culpa, por isso, dirigiu-se com sinceridade e verdadeiro arrependimento ao Senhor, sabendo que Ele é longanimo. Essa palavra nos conforta e nos dá a garantia de que estamos perdoados E se voltarmos a cair nos pecados antigos, devemo-nos arrepender e aguardar com paciência no Senhor  enquanto Ele atua. Podemos ter esperança" n´Aquele que nos libertará segundo o Seu tempo, porque felizmente Deus perdoa. E esse  perdão de Deus nos leva depois a temê-l'O. 
  

sábado, 29 de junho de 2013

O profeta que tem um sonho conte o sonho; e aquele que tem a minha palavra, fale a minha palavra com verdade. Que tem a palha com o trigo? diz o SENHOR. Jeremias 23:28


Ao lermos todo o capítulo, constatamos  que o profeta está se referindo aos que profetizam mentiras e não se limitam à verdade contida na palavra de Deus. Deus dá sonhos àqueles que se dispõem a seguir o seu caminho, mas a interpretação não pode ser de acordo com a intenção humana. Se ela não estiver de acordo com a Sua Palavra, não passa de um engano. O que vem de Deus não é adivinhação, mas um alerta para resgatar ou dar livramento. É preciso separar a palha do trigo, afirma o profeta, exortando as pessoas a buscarem o discernimento. O trigo representa o alimento espiritual, simboliza o cristão verdadeiro separado do joio  e representa o pão da vida, enquanto a palha simboliza as obras mal feitas no reino de Deus (1 Co 3.12). Neste versículo de Jeremias, representa a palavra do homem em contraste com a Palavra de Deus. Somente os verdadeiros cristãos conseguem distinguir a palha do trigo, porque o homem espiritual discerne bem todas as coisas, tendo a orientação do Espírito Santo, mas aquele que vive  de acordo com a carne é como a palha que é levada pelo vento (Jó 21.18). O profeta alerta o povo para que busquem  discernimento a fim de que não aceite qualquer palavra, qualquer vento de doutrina, qualquer ensinamento de homem. Se a profecia é  tão somente a expressão da vontade do homem, ela  é palha e não trigo. Ao contrário do trigo, a palha não dá fruto e não serve para alimento, ela seca, enquanto o trigo floresce. Observe bem antes de dar ouvidos a uma profecia. Se ela é proferida por quem não dá testemunho de vida, se é dita por quem leva uma vida miserável, creia, ela não vem do Senhor. Ela é palha e não floresce. Mas se vem de alguém que é prospero em todos os sentidos, certamente vem como semente que germinará e florescerá para que seja bênçãos na vida de quem der ouvidos a ela e a receber como aviso de  Deus. 

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte. Apocalipse 21:8-9




Observe que a Bíblia deixa claro, no livro de Apocalipse, que, dentre outros, os tímidos não entrarão no Céu. Aqui o sentido de timidez  deve ser entendido como covardia. Deus não se agrada dos covardes, em nenhum sentido, pois os covardes não assumem seus erros, ou os imputam aos outros. Os covardes deixam que os mais fracos paguem por suas dívidas, por seus erros, por suas omissões. O covarde não se incomoda se os outros estão sofrendo por uma negligência sua, ou por um erro que ele tenha cometido. Os covardes não se importam com as orientações do Senhor, enquanto Ele espera que os Seus tenham coragem para vencer os obstáculos e as tempestades da vida, para dizer não ao pecado e sim à santidade. Deus espera a nossa coragem para obedecer a Deus e a sua palavra, mesmo que isso nos leve a abrir mão de nossos desejos, a nossa coragem para tomar posição diante da oposição que às vezes vem da própria família. Coragem para continuar clamando a Deus quando todos nos mandam parar, coragem para continuar pedindo a vitória quando todos dizem que não tem mais solução, não tem mais saída, não tem mais jeito. Por isso Ele nos exorta: “Sê fiel até a morte e darte-ei a coroa da vida”Apocalipse 2:10. A Bíblia nos mostra vários exemplos de pessoas com coragem. Dentre outros, podemos citar, além de Jesus Cristo, Jacó, ao insistir com o anjo; Raabe, a meretriz, ao abrir a porta para os espia de Israel; o cego Bartimeu, ao fazer  Jesus parar pra ouvir seu clamor e tantos outros que tomaram uma posição, em vez que preferirem a comodidade ou deixar que outras pessoas fizessem por ele o que deve ser pessoal e intransferível. Coragem é atitude de fé e Deus honra os corajosos. 

quinta-feira, 27 de junho de 2013

E ele, lançando de si a sua capa, levantou-se, e foi ter com Jesus. Marcos 10:50



Esse versículo é parte da narrativa de Marcos sobre o encontro do cego Bartimeu com Jesus em Jericó. A Bíblia conta que Jesus, ao chegar em Jericó, curou o cego Bartimeu. Esse homem não nasceu cego, mas teve seus olhos furados como uma punição exemplar, por conta da rebelião de seu pai, Timeu, antes um honrado oficial romano. Depois de viver anos mendigando à beira do caminho, Bartimeu, quando ficou sabendo que Jesus estava passando por ali correu em busca do seu milagre e foi curado pelo poder de Deus naquele dia, porque creu e não ficou lastimando sua vida difícil, como é comum a muitos que se sentem injustiçados.
Depois desse encontro, a sua  vida e sua história  foi mudada, mas podemos perceber que ele fez algo simbólico e revelador que nos leva a compreender que encontrar com Jesus apenas não basta. É preciso tomar uma decisão, assim fez Bartimeu. Ele jogou fora sua capa. Isso significa que deixou para trás o símbolo de sua vida de mendicância. E sua atitude nos faz refletir que muitos, assim como Bartimeu, muitos ouvem falar de Jesus e ainda hoje têm a oportunidade de encontrar Jesus, mas nem todos decidem deixar a capa que envolve a sua vida miserável. Até hoje o milagre que Jesus mais realiza ainda é abrir os olhos dos cegos.  Mas há cegos espirituais que ainda se prendem às suas capas e, embora ouçam falar que Jesus está a caminho, não se desapegam de sua vida miserável. Bartimeu não se importou com as vozes que tentavam dissuadi-lo de buscar a cura, dado o fato de ter tido seus globos oculares arrancados. Ele creu e se empenhou em encontrar Jesus, por isso clamou “Jesus cristo, filho de Davi tem misericórdia de mim”. Ele tinha um coração aberto ao milagre e isso fez a diferença. Muitos milagres não acontecem em nossas vidas porque duvidamos do poder de Deus, porque não estamos dispostos a nos desapegar das coisas velhas que carregamos nas costas. Bartimeu não se calou, não se intimidou e ele nos estimula a seguir seu exemplo. Quem espera por um milagre não pode se calar, não deve ficar no canto reclamando, murmurando, mas deve orar e buscar  a Deus. A exemplo de Bartimeu devemos abrir nossos olhos para o Senhor e não apenas ficar sonhando de olhos abertos, esperando que o milagre aconteça sem tomarmos a iniciativa de jogar fora aquilo que torna nossa vida miserável. 

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Seja a vossa equidade notória a todos os homens. Perto está o Senhor. Filipenses 4:5




De acordo com o dicionário, equidade vem do latim “equitas” e significa o uso da imparcialidade para reconhecer o direito de cada um, usando a equivalência para se tornarem iguais. A equidade adapta a regra para um determinado caso específico, a fim de deixá-la mais justa. Iniquidade, ao contrário, significa uma grave injustiça, ou um pecado. Esse termo é geralmente utilizado para designar a transgressão da Lei, a falta de justiça, o tratamento desigual dos indivíduos.  A Bíblia, em diversas passagens, refere-se a esse termo, condenando a sua ocorrência, pois o desejo do Senhor é que todos os homens vivam em equidade, em  igualdade e, como exorta o apóstolo Paulo que isso seja expresso de forma  notória  e pública, pois esse foi o exemplo que o Senhor  deu  aos seus discípulos, lavando os pés deles, conforme registra João 13. Infelizmente, muitas pessoas, incluindo alguns cristãos,  não compreendem essa exortação e em vez seguirem o exemplo do Senhor Jesus escolhem exercer domínio sobre os demais. Jesus deu-nos o exemplo com uma extrema simplicidade, Ele nos ensinou a equidade. Precisamos exercitar essa característica que, ao contrário do que os soberbos pensam, isso nos torna grandes e fortes, enquanto a iniquidade, ainda que sob a aparência da vantagem sobre os demais, nos diminui diante de Deus e dos homens. 

terça-feira, 25 de junho de 2013

Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. João 16:13


O Espírito Santo de Deus, o Consolador, já está entre nós, conforme nos prometeu o Senhor Jesus e é Ele que nos guia e nos faz enxergar o que muitos não veem. É Ele que nos dá o discernimento para nos livrar daquilo que nos afasta dos propósitos de Deus. Muitas vezes precisamos decidir sobre algo que influenciará também a vida daqueles que estão a nossa volta, precisamos fazer uma opção que mudará o curso de nossas vidas, mas não temos condições de fazer isso de maneira apropriada, sabendo que teremos que assumir as consequências de nossas escolhas. Por essa razão precisamos confiar na direção do Espírito que nos guiará e nos mostrará o caminho. Ele nos indicará   a verdade e não nos deixará fugir do alvo.




                                                                                                                  

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim. Isaías 6:8


 Ainda hoje, Deus tem feito essa pergunta aos Seus filhos, mas nem sempre encontra a disponibilidade que o profeta manifestou. Muitos estão tão ocupados ouvindo os chamados do mundo que não afinam seus ouvidos para ouvir o chamado do Senhor. Quando Ele nos faz essa pergunta, com toda certeza já sabe qual a resposta que daremos, sabe com quem poderá contar, mas espera que deixemos de lado os ruídos do mundo e entendamos que Ele quer nos enviar a pregar a Sua palavra. Contudo, isso não significa que precisamos mudar de país, ou de continente. Pode ser que o chamado de Deus é para testemunharmos o amor e a misericórdia de Deus ao nosso vizinho, ao nosso colega de trabalho, ao desconhecido que encontramos no ônibus, no metrô, no elevador... Ouvir o chamado de Deus implica estar atento à Sua voz, estar em sintonia com Sua Palavra e Sua vontade.  

domingo, 23 de junho de 2013

Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. João 15:7


O apóstolo João nos garante que podemos pedir a Deus tudo o que quisermos. Mas antes temos que observar que há uma condição para que tenhamos livre acesso aos ouvidos do Senhor: precisamos estar em sintonia com Sua Palavra. Isso significa que Deus nos atenderá se nossa petição estiver dentro dos limites de Sua vontade de Seus princípios. Se pedirmos algo que contraria os Seus Estatutos, com toda certeza, não seremos atendidos. Deus não atende a desejos egoístas, a maldades e a nada que seja usado para satisfazer os caprichos da carne. Isso significa que não podemos pedir o mal para ninguém, mesmo que essa pessoa sob nosso julgamento o mereça. De igual modo, não adianta pedirmos o bem se esse bem não será destinado a quem não está na posição de recebê-lo. Deus conhece todas as coisas, conhece nossos pedidos mesmo antes de o proferirmos e, conforme afirma o apóstolo, Ele nos dará o que pedirmos, se estivermos em posição de receber. Se nossos desejos estiverem de acordo com a Palavra de Deus, se nossa vontade não contrariar  os planos de Deus para a nossa vida ou a vida daqueles por quem pedimos. 

sábado, 22 de junho de 2013

Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti. Isaías 26:3


Uma grande bênção que acompanha aquele que se apega no Senhor é o fato de, mesmo em meio a turbulências, continuar em paz. Mas isso ocorre porque se os nossos pensamentos estiverem ocupados com as leis de Deus, e com as Sua Palavra com toda certeza teremos paz, ao contrário daquele que se ocupa de coisas mundanas. Se temos confiança em Deus, não precisamos ocupar nossas mentes com aquilo que nos afasta Dele, tampouco deixar que nosso coração seja contaminado com futilidades. Davi afirma no Salmo 1:1-6: “Bem aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita dia e de noite”. Com ele podemos refletir que se nossa mente estiver ocupada com pensamentos de derrota e negativismo, corremos o risco de ter nossa fé abalada e de deixar que o inimigo use essa brecha para nos levar para o caminho da ansiedade e da depressão. Mas se estivermos em comunhão com Deus e se deixarmos que a Sua Palavra penetre em nosso coração, Ele nos manterá firmes e em paz, ainda que os dias sejam maus.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Ensina-me a fazer a tua vontade, pois és o meu Deus. O teu Espírito é bom; guie-me por terra plana. Salmos 143:10



Essas palavras do salmista devem ser as nossas palavras cotidianamente, pois precisamos reconhecer que Deus tem o melhor para nós e se em Seu Espírito nos orientarmos jamais permaneceremos prostrados mesmo se cairmos. Quando seguimos os Estatutos do Senhor e fazemos a Sua santa vontade não corremos o risco de andar por caminhos tortuosos, aprendemos a nos desviar do mal e assim colhemos o fruto da obediência. Precisamos buscar o que nos ensina o apóstolo Paulo em Filipenses 3:12 “Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus”. Essa deve ser a nossa oração diária, pois somos falhos e temos uma tendência a fugir do alvo, contudo, se o Senhor estiver do nosso lado. Se Ele estiver no controle temos a garantia da vitória.   

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Todavia estou de contínuo contigo; tu me sustentaste pela minha mão direita. Salmos 73:23

Asafe, neste salmo conta que ele quase se desviou dos caminhos do Senhor, porque em vez de se firmar nas promessas e na soberania de Deus, ele olhou para os ímpios e se espelhou nas pessoas que não respeitavam a Deus, que não obedecia aos Seus mandamentos, e ainda por cima zombavam de Deus. Quantas vezes fazemos como Asafe e nos orientamos pela voz de quem não dá testemunho, ou sequer exemplo de conduta cristã. Essas vozes dissonantes acabam sufocando a voz do Espírito em nossa mente e nos desviam do foco. Assim como Asafe, quando vemos o ímpio  prosperando, sem  se esforçar tanto como os outros trabalhadores, quando vemos os soberbos, os violentos, os maldosos e gananciosos prosperando temos uma tendência a pensar que se formos como eles teremos o melhor, mas a palavra de Deus diz o contrário e é nela que devemos nos espelhar. Ainda que o ímpio prospere, ainda que o ladrão, o corrupto pareça ser próspero, nada substituirá a presença de Deus em nossa vida. Devemos atentar para o que nos aconselha Davi no Salmo 37: 1-2 “Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniquidade. Porque cedo serão ceifados como a erva, e murcharão como a verdura”. Quem olha para o mundo  e se deixa seduzir pelas riquezas mundanas,  contamina seu coração com a inveja. Assim, corre o risco de estar na igreja, porém deixar o seu coração do lado de fora. Temos que ter em mente que o nosso Pai cuida de nós e nos sustenta e não nos deixará perecer em nenhuma situação. 

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; Efésios 1:4


Sabemos que nossa salvação não ocorreu por acaso, ela foi planejada mesmo antes da criação do mundo, quando Deus escolheu cada um de nós. Fomos separados para fazer parte de um Reino pelo nosso Criador. A grande e preciosa verdade que nos dá alento nos momentos de angústia e de tribulação é que somos escolhidos por Deus.Ter consciência disso  deveria motivar em nós um grande e profundo sentimento de gratidão. Deus e fez uma escolha pessoal e um investimento inestimável em nós.  E se Ele nos escolheu não podemos desistir de investir no Seu Reino. Não podemos deixar de buscar a santificação. Por maiores que sejam as lutas,  precisamos saber que Ele não nos  abandonará. O apóstolo Paulo afirma que, como resultado do fato de Deus ter nos escolhido,  o pecado foi removido e não poderá mais ser o obstáculo entre nós e Deus, por isso podemos comparecer perante Ele. Mas para que isso aconteça precisamos fazer a opção de não fugir do alvo. Precisamos resistir ao pecado. 

terça-feira, 18 de junho de 2013

Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti. Isaías 43:2



Essa palavra do profeta é luz para aqueles que estão confiantes no Senhor, para aqueles que sabem que, por mais tenebrosas que sejam as circunstâncias, o que habita no esconderijo do Altíssimo à sombra do Onipotente descansará. Deus não desampara os Seus e não deixará que ninguém afete a paz de quem anda nos Seus caminhos. Contudo, aqueles que se deixam corromper pelos apelos do mundo, quem não cumpre os seus compromissos, quem paga o bem com o mal não têm essa mesma certeza.  Muitas vezes pensamos que Deus nos abandonou quando estamos atravessando um deserto. Há momentos em que tudo foi em vão, mas nenhuma tristeza poderá abalar nossa fé Naquele que tudo pode. Deus sempre estará conosco. Essa é a promessa, ainda que os dias sejam maus. O profeta afirma que o tempo da angústia terminará, pois o Senhor está no controle de tudo e mesmo passemos por lutas, devemos compreender que elas vêm com a permissão de Deus, para o nosso aprendizado. Paulo afirma em 1 Coríntios 10: 13 que Deus não nos dá um peso maior do que podemos suportar:  “Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar. 

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau. Eclesiastes 12:14




Salomão nos lembra que tudo o que fazemos é conhecido de Deus e nada fica encoberto, nem mesmo os nossos pensamentos. Portanto, aquele que pensa que ficará impune porque não confessa os seus pecados engana-se. Deus trará a juízo tudo que está encoberto. Mas precisamos saber que não podemos guardar o que deveria ser consagrado ao Senhor. Se assim o fizermos estamos pecando como Acã e com isso trazemos sérias consequências para as nossas vidas e daqueles que estão a nossa volta. A Bíblia registra as consequências do pecado de Acã e nos mostra que o pecado encoberto fez com que Israel perdesse a batalha, já que o Senhor afirmou que não estaria com o povo até que o anátema fosse desarraigado de seu meio. À medida que o povo ia se santificando, Deus revelou aquele pecado. Isso nos faz refletir que todos que estão ao nosso redor sofrem as consequências dos nossos pecados, pois vivemos em comunidade e somos responsáveis por nossas escolhas, assim como somos responsáveis por aqueles que Deus colocou direta ou indiretamente aos nossos cuidados: filhos, cônjuge, amigos... O pecado encoberto, o que traz a maldição afeta a nossa vida familiar, a Igreja e a sociedade. Lembremo-nos disso! 

domingo, 16 de junho de 2013

Pela fé passaram o Mar Vermelho, como por terra seca; o que intentando os egípcios, se afogaram. Hebreus 11:29


Tenha comprovação cientifica, como querem os céticos, ou não para os cristãos que têm a Bíblia como orientador da fé o que importa é que somos capazes de  continuar a cruzar os mares vermelhos que surgem a nossa frente ao longo da vida e sem ao menos nos molhar. Isso significa que, pela fé depositamos a nossa confiança em Deus e assim somos capazes de enfrentar os maiores desafios com os quais nos deparamos no dia-a-dia. O cristão verdadeiro apenas se lança nos caminhos sob a orientação de Deus, mesmo que encontre pela frente um mar, porque se firma no que diz o profeta Isaias 45:2: "Eu irei adiante de ti, e endireitarei os caminhos tortuosos; quebrarei as portas de bronze, e despedaçarei os ferrolhos de ferro." Isaías 45:2. Sé só andarmos nos retos caminhos do Senhor não existirá nada que possa nos impedir de passarmos para aonde o Senhor quiser nos levar. Mas aqueles que se orientam no próprio entendimento, ou nos preceitos de quem sequer pode testemunhar boas obras acabam como os egípcios orientados por Faraó: tragados pelo mar que se abriu diante deles, conforme afirma o sábio Salomão em Provérbios 16:25 "Há um caminho que parece direito ao homem, mas o seu fim são os caminhos da morte."  O que precisamos  entender é que mesmo que a nossa fé  seja confrontada pela descrença de  muitos motivados pela ação maligna de satanás, nada pode abalar a nossa convicção de que Deus é soberano e imutável. E se Ele abriu o Mar Vermelho para que os egípcios não alcançassem os israelitas, ainda hoje Ele pode realizar essa proeza. E "Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus." (Coríntios 2:5), Ele usou o sobrenatural, mas os homens entendem que  Ciência é uma criação humana e e tentam usá-la para negar a existência do Criador.  

sábado, 15 de junho de 2013

Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne? Gálatas 3:3


 A pergunta feita por Paulo aos gálatas pode ser direcionada a muitos de nós hoje. Quantos depois de terem conhecido o poder e a misericórdia de Deus, de terem recebido a luz do Espírito têm se deixado corromper pelas promessas do inimigo e em vez de se firmarem na promessa têm deixado que a carne fale mais alto. Aqueles que um dia conheceram a palavra de vida e tiveram a oportunidade de deixar o pecado e de viver segundo a vontade do Senhor,  hoje, sabendo o que não devem fazer, escolhem agir de forma insensata. O apóstolo chama de insensato aquele que, mesmo tendo sofrido as consequências de erros ou escolhas erradas, insiste em permanecer no erro, sem um verdadeiro arrependimento, sem tomar uma postura de mudança. Insensato porque o sofrimento experimentado de nada adiantou, pois mesmo ciente do resultado da má escolha, o insensato ainda prefere passar pelo mesmo caminho e continua cometendo os mesmos erros. Começar  no espírito e terminar na carne é um caminho de morte e sábio é aquele que domina as suas fraquezas e deixa que o Espírito dirija os seus passos. 

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Mas aos que se desviam para os seus caminhos tortuosos, levá-los-á o Senhor juntamente com os que praticam a maldade. Que haja paz sobre Israel. Salmos 125:5


É um grande engano pensar que o mundo é dos espertos e que aqueles que praticam a maldade, que lesam aos seus semelhantes ficarão impunes. Pode ser que escapem da justiça humana, podem até viver como se nada devessem e até passarem como pessoas de bem diante de um grupo, mas não conseguirão enganar a Deus e nem mesmo a sua própria consciência. Ainda que essa não se manifeste, porque consciência é resultado da ação do Espírito Santo na vida daqueles que se deixam envolver pelo toque do Senhor e não agem segundo as intenções da carne, para quem se desvia do caminho haverá sempre uma forma de pagarem o que devem. Seja o dinheiro devido, seja a atenção às pessoas, seja um bem material, ou amor. Nada que tiramos indevidamente de alguém ficará sem resgate. Deus promete paz para Israel. E nós somos o Israel do Senhor. Os Seus filhos não serão roubados, não serão lesados pelos ímpios, mesmo que justiça humana pareça fazer vista grossa. O que se desvia pagará, com seu incômodo, com falta de paz... O que ele tirou do filho de Deus lhe será tirado e ele saberá que Deus zela pelos Seus, pela paz daqueles que andam em Seus caminhos.

quinta-feira, 13 de junho de 2013


Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Salmos 19.1


Deus sempre se revelou à humanidade e fala com Seus filhos por diversas formas. Ele criou a natureza e a usa para falar conosco todos os dias, desde Gênesis até os dias atuais.  Em várias passagens bíblicas vemos que Deus usa elementos da natureza para se comunicar. Ele  usou o dilúvio para falar com uma sociedade perdida. A chuva foi a manifestação da palavra de Deus anunciada a Noé: Gênesis 7.17; Ele usou a Sarça Ardente para chamar a Moisés: Êxodo 3.2; usou a lã como sinal a Gideão: Juízes 6.36-38;  usou o vento suave para falar com Elias: I Reis 19.11,12; usou a estrela de Belém para levar  aos reis magos até o menino Jesus: Mateus 2.10; usou o barro do oleiro para ensinar ao profeta  Jeremias:  Jeremias 18.1-6; usou a mula para falar com Balaão:  Números 22.23-29; usou a pomba que desceu sobre Jesus como símbolo do Espírito Santo: Mateus 3.16. Há vários outros  exemplos que poderiam ser lembrados, mas o que precisamos entender é que Deus continua usando a natureza para se comunicar conosco, mas nem todos ouvem ou compreendem o que Ele quer nos dizer!  

quarta-feira, 12 de junho de 2013


Porque na ressurreição nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de Deus no céu. Mateus 22:30


O Senhor Jesus, em resposta aos fariseus, explicou que no céu não haverá necessidade da instituição casamento, criada por Deus na terra, por conta da carência humana. Mas precisamos compreender que, mesmo que Deus tenha instituído o casamento, Ele sempre deixou o homem livre para escolher quem seria sua companheira. Contudo, sabendo que as consequências de sua escolha seriam inevitáveis. Deus se intromete nessa escolha e para não ouvir do homem o que disse Adão: “a mulher que tu me deste”...O homem tem a liberdade de escolher e deve assumir sua escolha, sem atribuir a Deus essa responsabilidade. E, se abre mão de ficar só, como fez o apóstolo Paulo, que preencheu sua carência afetiva seguindo os passos de Jesus, deve saber que na vida em comum enfrentará problemas. Estar casado não significa estar livre de carências, porque ninguém pode ser responsável pela felicidade de outro, o máximo que pode fazer é compartilhar as afinidades, respeitando as inevitáveis diferenças, mas a única pessoa que pode efetivamente suprir a carência humana é Jesus. No Céu não haverá casamentos, porque também não haverá carências. A orientação de Paulo é que as pessoas se casem se não conseguem superar essa carência natural, mas isso também é uma escolha refletida e equilibrada, jamais feita na intempestividade, na busca insensata de eliminar uma carência. Precisamos refletir com as palavras de Paulo e com a afirmação de Jesus que estar só não significa estar solitário.  

terça-feira, 11 de junho de 2013

“pois todo o que se exalta será humilhado; e o que se humilha será exaltado” (Lucas 14.11)


O Senhor Jesus, sendo digno de toda honra e toda glória, jamais se exaltou. Antes se humilhou diante dos homens e teve a atitude de servo,  tornando-se  o maior exemplo de humildade. Neste versículo, Ele deixa claro que aquele que se humilha será exaltado, assim como Ele foi pelo Pai.  O  mais importante a fazer para não sofrermos humilhação é nunca nos exaltarmos. Se não queremos ser humilhado também não devemos humilhar ninguém, conforme aprendemos em Mateus 7:12 e “tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles”.  Quantas vezes somos menosprezados injustamente, mas a lição que Jesus nos ensina é simples: se o homem nos humilhar, deixemos que  Deus nos  exalte. Com toda certeza, Ele o fará da forma e no tempo certo.  

segunda-feira, 10 de junho de 2013

"E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles." Romanos 16 : 17


Paulo nos ensina que não devemos ser motivo de tropeço para nenhum irmão, por isso antes de tomarmos qualquer atitude que contraria os princípios bíblicos devemos nos perguntar se Jesus aprovaria. Aquilo que fazemos quando ninguém nos vê, ou quando estamos longe dos olhos de nossos pastores diz muito sobre quem somos aos olhos de Deus. Aquele que age de forma diversa do que diz a Bíblia, julgando ter essa liberdade, deve se lembrar que se fizer um irmão tropeçar, ou se der mau testemunho diante daqueles que os têm como modelo de cristão prestará contas a Deus. 

domingo, 9 de junho de 2013

Ensina-me o teu caminho, Senhor, para que eu ande na tua verdade; dá-me um coração inteiramente fiel, para que eu tema o teu nome. Salmos 86:11.


Infelizmente quem quer andar segundo os princípios bíblicos e morais ou quem mantém a educação e o respeito pela ética e pelas regras de convivência social tem sido cada vez mais taxados de diferente e alvo de perseguições dos que julgam ser mais “espertos”. O padrão que a sociedade tem passado atualmente nem sempre é aceitável nem mesmo para quem não é cristão e tem como causa principal a ausência dos ensinamentos básicos de moral e civismo. Mas esse padrão que não encontra base na educação de berço, nem respaldo na educação escolar, aliado à falta dos ensinamentos das coisas de Deus tem regido a conduta daqueles que vivem em sociedade.  Não foi por acaso que Salomão dizia em Provérbios 22 : 6 "Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele." Quem é cristão de verdade deve glorificar a Deus em todas as suas atitudes, por isso tira  dos coração  tudo que não agrada a Deus, pois conforme afirma Paulo em II Coríntios 5 : 17 "Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." O verdadeiro cristão não dá mais espaço para nada que possa macular e envergonhar o nome do Nosso Senhor Jesus. E aquele que apenas usa o nome de cristão para conseguir vantagens entre os verdadeiros seguidores de Cristo, com toda a certeza terão que prestar contas a Deus por isso, pois a Bíblia deixa muito claro em Gálatas 6:7 “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará”. Aqueles que se infiltram nas igrejas com esta intenção pagarão o preço por contaminar a Igreja com sua afronta, de acordo com as palavras do próprio Jesus em Mateus 18:7: "Ai do mundo, por causa das coisas que fazem tropeçar! É inevitável que tais coisas aconteçam, mas ai daquele por meio de quem elas acontece!”

sábado, 8 de junho de 2013

Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem. 1 Pedro 2:12




Viver como cristão e cumprir o mandamento de Jesus sobre pregar o evangelho a toda criatura é muito mais do que adotar uma religião, frequentar uma igreja, conhecer a Bíblia e professar a fé em Jesus e no Seu plano de salvação. Para viver como cristão, é preciso, sobretudo exercer a honestidade, acima de outras virtudes. Essa  é uma característica fundamental a todos os homens, mas  para os que se afirmam cristãos evangélicos  tem que estar acima de qualquer padrão humano,  como afirma enfaticamente o apóstolo Pedro, quando coloca a honestidade como uma atitude do cristão que acima de tudo glorifica a Deus. O cristão não pode compactuar com a corrupção, com os costumes mundanos, com a desonestidade sob o pretexto de que não se pode fazer nada.  Aceitar suborno ou se calar sobre essa oferta tem a mesma gravidade. O  cristão não pode ceder e agir da mesma forma como todo mundo faz, mesmo que tenha prejuízo, por isso Mateus 5:37 destaca “Seja o seu ‘sim’, ‘sim’, e o seu ‘não’, ‘não’; o que passar disso vem do Maligno”. A honestidade não é questão de cultura, educação ou opção de caráter, ela é uma condição de o homem agradar a Deus, por isso Paulo exorta aos Filipenses 4:8: “Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas”.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Bem-aventurados os que guardam o juízo, o que pratica justiça em todos os tempos. Salmos 106:3



O salmista lembra-nos que aquele que guarda a Palavra de Deus e anda nos Seus caminhos é bem-aventurado, porque sempre terá o olhar de Deus e a Sua orientação, ainda que o inimigo o assedie para promover o pecado. Quem vive segundo os Estatutos do Senhor, mesmo que tenha problemas, não vacilará, pois Deus está sempre ao seu lado, cuidando para que não caia nas ciladas, nem venha a sair do alvo. O Senhor guarda aqueles que praticam a justiça e têm sua confiança Nele. Mas aqueles que se misturam aos gentios, deixando que seus costumes prevaleçam e se sobreponham à Palavra de Deus, certamente enfrentará problemas e se frustrará. Deus não deixará que Seus filhos veja a corrupção. A Bíblia diz que o “guarda de Israel não tosquenejará”. Aquele que nos separou não nos deixará caminhar em lugares sombrios, nem permitirá que tropecemos. Essa é a confiança que temos nele, assim como o salmista.  

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Mas ele respondeu: As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus. Lucas 18:27


Aquele que conhece a Palavra de Deus e, ao aceitar Jesus como único e suficiente Salvador não pode olhar com os olhos naturais para as dificuldades. Quem se denomina cristão  deve viver como Cristo, deve tomar posse das promessas do Senhor e fazer o que Ele faria. E isso começa ao assumir a condição de discípulo e de seguidor de Jesus. Significa ouvir a Palavra e obedecer. Significa colocar em prática aquilo que ouvimos do próprio Jesus em  Marcos 16:17 ”E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas;” Se somos cristãos não podemos deixar de crer e muito menos deixar de fazer o que Jesus espera de nós. Quem conhece a Palavra sabe que o diabo usará a Bíblia para distorcer o seu sentido e levar as pessoas a fugirem do alvo, mas precisamos nos firmar Naquele que começou a boa obra e que jamais nos deixará. 

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, 1 Pedro 1:18,19




A Bíblia não precisa o dia nem a hora da volta do Senhor, mas apresenta sinais que indicam esse tempo. Podemos verificar muitos deles nos noticiários, podemos perceber que o tempo parece passar mais rápido e isso é um forte indicativo de que a vinda de Jesus está cada vez mais próxima. Isso significa que o dia do juízo se aproxima cada vez mais rápido e que o tempo da Graça está findando. A palavra de Deus é muito clara ao anunciar desde o Antigo Testamento que fomos resgatados pelo sacrifício de Jesus e que Ele pagou o preço de nossa salvação. No tempo da Graça não precisamos pagar o preço que já foi pago com o sangue de Jesus, mas está chegando o tempo do juízo e quando esse tempo chegar aqueles que não aproveitaram a oportunidade pagarão com o próprio sangue, pois o Espírito de Deus se retirará desse mundo, dando lugar ao espírito maligno. Por essa razão, precisamos ficar atentos para não nos deixarmos corromper. A Bíblia exorta aos que estão dentro para que não saiam, para que não abram mão de serem participantes do Reino. Por isso Jesus nos ensina em Lucas 13:23-30 “E disse-lhe um: Senhor, são poucos os que se salvam? E ele lhe respondeu: Porfiai por entrar pela porta estreita; porque eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão. Quando o pai de família se levantar e cerrar a porta, e começardes, de fora, a bater à porta, dizendo: Senhor, Senhor, abre-nos; e, respondendo ele, vos disser: Não sei de onde vós sois; Então começareis a dizer: Temos comido e bebido na tua presença, e tu tens ensinado nas nossas ruas. E ele vos responderá: Digo-vos que não sei de onde vós sois; apartai-vos de mim, vós todos os que praticais a iniqüidade. Ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes Abraão, e Isaque, e Jacó, e todos os profetas no reino de Deus, e vós lançados fora. E virão do oriente, e do ocidente, e do norte, e do sul, e assentar-se-ão à mesa no reino de Deus. E eis que derradeiros há que serão os primeiros; e primeiros há que serão os derradeiros.” Somos agraciados com o o ensino do Espírito Santo que nos convence do pecado e do juízo, para que este mundo não nos cubra com seus prazeres e enganos, , mas chegarão dia em que o Espírito se retirará. Felizes são os que creem e aceitam a Graça da Salvação, mas a porta estreita está para se fechar. Fique atento aos sinais e não se aparte do Senhor! 

terça-feira, 4 de junho de 2013


Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. João 16:33



A afirmação de Jesus pode ser constatada a cada instante, basta ligarmos a TV para vermos as constantes notícias de guerras entre países. Mas ainda podemos constatar que a violência que não se restringe mais aos grandes centros urbanos já está espalhada pelo interior de todos os estados. Essa violência impera em todos os espaços de convivência.  Jesus afirma que a paz que o mundo oferece provoca perturbações e medos, mas a relativa paz que aparentemente desfrutamos é quebrada diariamente pela própria violência domestica que está bem próxima de nós. A paz que Jesus oferece é sentida na profundidade de nossas almas e não se compara à paz do mundo e  mesmo vivendo momentos turbulentos, com Jesus estamos seguros e podemos desfrutar de momentos de verdadeira paz mesmo em meio a tribulações, pois não mais há a maior tribulação que seria  uma eternidade sem Jesus. "Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus." II Coríntios 1 : 4. 

segunda-feira, 3 de junho de 2013

E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles? Lucas 18:7


O que Jesus está nos dizendo neste texto é que Deus ouvirá a oração dos Seus escolhidos, que verá a suas necessidades e no tempo certo virá com o socorro. Mas precisamos saber que escolhido é aquele que entendeu o chamado de Deus para sua vida e se esforça para viver neste caminho. Por isso que poucos são escolhidos, não por serem melhores do que os outros, ou por algum privilégio. O escolhido é aquele que não desiste, mesmo em face de adversidades. É aquele que sabe quem é o Seu Deus e Nele confia, apesar de o mundo estimular o contrário. É aquele que insiste em oração e que sabe que Deus o ouvirá, como àquela viúva diante do juiz. O escolhido sabe que Deus tem um propósito definido em sua vida e que por conta dessa escolha encontrará oposições e terá que resistir ao inimigo, ciente de que sua luta não é contra a carne ou o sangue. O escolhido está sempre pronto a aprender de Deus e se deixar guiar pelo Senhor. O escolhido entende que Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos. O escolhido não olha para trás e sabe que o céu é para aqueles que perseveram até o fim (Mt 24:13) e não para os que desistem e param no meio do caminho. “E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus” Lucas 9:62. O escolhido não aceita a provocação do inimigo porque reconhece na Palavra que não existe acusação nem condenação contra ele, pois como afirma Paulo aos Romanos 8:33 e 34: “Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós”. 

domingo, 2 de junho de 2013

Os quais, conhecendo bem o decreto de Deus, que declara dignos de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que as praticam.  Romanos 1 -  32


No texto em epígrafe, Paulo se refere ao destino daqueles que praticam as coisas condenadas por Deus e também aos que não fazem, mas provam ou aplaudem o que Deus abomina. A Bíblia condena a injustiça, a malícia, a cobiça, a maldade; abomina as ações daqueles que estão  cheios de inveja, que praticam o homicídio, a contenda, o dolo, a malignidade; Deus não se agrada dos murmuradores, dos detratores, dos aborrecedores de Deus, dos injuriadores, dos soberbos, dos presunçosos, dos inventores de males, daqueles que desobedecem  aos pais; Deus se aborrece com os néscios, com os infiéis nos contratos, seja ele assinado ou verbalizado, quem não paga as suas dívidas, não honra a palavra empenhada não é digno de entrar no Reino de Deus. O Senhor não se agrada daqueles que não têm afeição natural, nem misericórdia. A Palavra de Deus é clara quando afirma, por intermédio do apóstolo Paulo escrevendo ao povo Romano, que não cometer injustiça, mas aprovar a injustiça nos torna cúmplice desse ato indigno e nos torna digno de morte, indignos de contemplar a vida eterna ao lado de Deus. Quem concorda com o erro ainda que não o pratique é conivente com o erro e indigno das promessas de Jesus. Paulo, antes Saulo perseguidor da Igreja, reconheceu seus erros e passou a ser um novo homem. Deixou para trás aquilo que não agradava a Deus e tornou-se pregador do Evangelho. Ele conhecia bem a palavra da lei e a partir de um verdadeiro encontro com Jesus, quando caiu do cavalo tanto no sentido literal como metafórico, ele compreendeu o que é servir a Deus e passou a buscar o Seu Reino. E ele nos faz refletir que não basta conhecer a lei, ou praticar a lei, precisamos nos indignar com o mal e fugir de toda aparência do mal. 

sábado, 1 de junho de 2013

Os passos de um homem bom são confirmados pelo SENHOR, e deleita-se no seu caminho. Ainda que caia, não ficará prostrado, pois o SENHOR o sustém com a sua mão. Salmos 37:23,24



Não há nada que façamos debaixo dos céus que o Senhor não tenha conhecimento. E ainda que Ele nos permita fazer as escolhas e delas colher as consequências, é certo que Ele conhece cada passo do nosso caminho. E com toda certeza Ele cuidará para que não  fiquemos prostrados se cairmos. O salmista afirma isso com segurança porque conheceu a benignidade do Senhor e dela pode testemunhar, realçando o quão misericordioso é Deus que na Sua justiça convence o pecador do pecado, sem pactuar com o erro, mas dispensando amor absoluto e irrestrito. Foi por esse amor que Ele enviou Seu Filho para resgatar a humanidade do pecado. Deus não tolera o pecado, mas ama o pecador e espera que ele desista de seguir os maus caminhos. Quem espera em Deus jamais será abalado, mas quem escolhe o erro, o engano e age como se Deus fizesse vista grossas ao pecado colherá as consequências de suas escolhas. Quando seguimos os caminhos do Senhor, ainda que o mundo trabalhe contra, Ele nos guiará e “se Deus é por nós, quem será contra nós?”