Traduza este blog

domingo, 30 de junho de 2013

Se tu, SENHOR, observares as iniquidades, Senhor, quem subsistirá? Salmos 130:3

Em grande sofrimento, pelas consequências advindas de erros do passado e em grande sentimento de culpa o salmista clama ao Senhor e reflete sobre a bondade do Senhor que perdoa nossos pecados e revoga nossas culpas e por isso não é guardado nenhum registro das nossas falhas não importa quantas e quão graves elas tenham sido, por isso Paulo afirma aos Romanos 8:1 "Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus" (Romanos 8:1). A culpa tem o terrível poder de paralisar nossa a vida, nossos planos e nossos sonhos. Ela nos sentir sujos, indignos e sem direito a nada. Uma das causas do fracasso é o sentimento de culpa. Quem aceita a derrota porque não consegue se perdoar, como uma espécie  de autopunição não consegue vencer os obstáculos e acaba se afundando na própria culpa. Deus é misericordioso para perdoar das nossas iniquidades, mas precisamos saber que de nada adianta conservamos um sentimento de culpa sem nos perdoarmos. Para que Ele nos perdoe, antes devemos nos perdoar e em verdadeiro e sincero arrependimento, assim como manifestou o salmista, devemos entregar nossas falhas a Deus e esperar que  Ele aja em nosso favor. O salmista conhecia muito bem o peso da culpa, por isso, dirigiu-se com sinceridade e verdadeiro arrependimento ao Senhor, sabendo que Ele é longanimo. Essa palavra nos conforta e nos dá a garantia de que estamos perdoados E se voltarmos a cair nos pecados antigos, devemo-nos arrepender e aguardar com paciência no Senhor  enquanto Ele atua. Podemos ter esperança" n´Aquele que nos libertará segundo o Seu tempo, porque felizmente Deus perdoa. E esse  perdão de Deus nos leva depois a temê-l'O. 
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!