Traduza este blog

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

“Então, aqueles três romperam pelo acampamento dos filisteus, e tiraram água do poço junto à porta de Belém, e tomaram-na, e a levaram a Davi; ele não a quis beber, mas a derramou como libação ao Senhor.” - I Crônicas 11:18


Esse versículo nos mostra duas importantes atitudes que devem ser regra na vida cristã: a honra e a gratidão. Vemos na história de Davi que três dos homens que o acompanhavam, por um dia terem sido resgatados por ele, mostraram agradecimento e o honraram, mesmo diante do iminente perigo. Mas observamos também que Davi preferiu honrar a Deus, apesar de estar sedento. A honra é um dos princípios mais importantes na Palavra de Deus. E reconhecer o que as pessoas que nos abençoam são importantes na nossa vida é agradável a Deus, por isso o apóstolo Paulo nos instrui em Romanos 13:7:

“Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra”.

domingo, 30 de agosto de 2015

E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus. Lucas 9:62


A Palavra de Deus nos ensina a não desistir nos momentos de dificuldades, precisamos aprender com os erros do passado, mas a orientação de Jesus é para nunca desistirmos. Quem segue a Bíblia é sempre bem-sucedido e isso pode ser comprovado por muitos que experimentaram obedecer e confiar, pois tarde ou cedo, o sucesso chega. Mas aqueles que quebram as regras divinas não podem testemunhar esse sucesso. Entretanto, Deus é misericordioso e nos deu o ministério da reconciliação e podemos estar certos de que por onde quer que andemos Ele estará conosco.  Àquele que errou Ele dará a oportunidade de seguir olhando para frente, depois de buscar a reconciliação conforme ensina o autor de Provérbios 28:13 

“O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.” 

sábado, 29 de agosto de 2015

“Então, responderam a Josué, dizendo: Tudo quanto nos ordenaste faremos e aonde quer que nos enviares iremos.” Josué 1:16


As palavras de Josué mostram um sinal de respeito, compromisso e obediência tão necessários na vida cristã. Quando agimos por nossas próprias convicções e interesses e deixamos de ouvir a orientação de Deus estamos fadados a frustrações e a consequências desagradáveis. Ter um verdadeiro compromisso é essencial para que os objetivos se cumpram e para que as metas se realizem. E quando Deus nos dá uma direção, certamente, Ele nos dá as condições  e nos prepara para a visão dada.  Por isso nos diz o que foi dito a Josué 3:5

“Disse Josué ao povo: Santificai-vos, porque amanhã o SENHOR fará maravilhas no meio de vós.”

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

“Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares.” Josué 1:9


Quando Deus nos dá uma missão ou uma promessa Ele também nos dá visões claras sobre o que quer ou o que devemos fazer e assim temos certeza das coisas que está fazendo, e, consequentemente, não há frustração. Assim como fez com Josué, faz com aqueles que se propõem a ouvi-Lo. Mas as palavras de ordem são: sê forte e corajoso! Quando colocamos as nossas petições aos pés do altar não podemos vacilar ou duvidar. Deus é fiel e justo e aquilo que pedirmos segundo a Sua vontade Ele nos dará. Não podemos deixar que o pessimismo, o negativismo de pessoas descrentes ou as nossas próprias experiências negativas do passado, resultado de nossas falhas, intempestividades ou descumprimento da Palavra nos roubem a confiança. Deus age no silêncio e na hora certa, não precisamos ouvir sinos, alardes ou estrondosos para termos certeza de que está atuando em nossa direção. A Palavra de Deus nos ensina a pedir, a crer e a esperar com confiança, sem desanimar, sempre atentos ao que nos disse Jesus em Lucas 9:62

“Mas Jesus lhe replicou: Ninguém que, tendo posto a mão no arado, olha para trás é apto para o reino de Deus.”

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Saberão, porém, que eu, o SENHOR seu Deus, estou com elas, e que elas são o meu povo, a casa de Israel, diz o Senhor DEUS. Ezequiel 34:30


 Essa declaração do próprio Deus entregue pelo profeta nos mostra que não estamos sós, que, diante de crises e dificuldades anunciadas ou que nos surpreendem, podemos ter certo que Deus está com  Seus filhos. Quem tem Cristo como Seu general terá a melhor estratégia para agir na hora e no momento certo e pode ter a segurança e a certeza da vitória. E para nos alistarmos nesse exército precisamos ter uma visão clara do que nós queremos. Se não temos um alvo, não sabemos aonde chegar. Há muitas pessoas que nada conquistam porque não sabem o que querem. Não sabem sequer o que reivindicar. Por isso, antes da conquista,  Deus deu a Josué foi uma visão clara do que iria acontecer. Deus deu a ele instruções específicas e também dará a nós, quando a Ele confiamos nossos anseios.
“Desde o deserto e o Líbano até ao grande rio, o rio Eufrates, toda a terra dos heteus e até ao mar Grande para o poente do sol será o vosso limite.” Josué 1:4

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

“Seis coisas o Senhor aborrece, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras e o que semeia contendas entre irmãos” (Provérbios 6.16-19)


O livro de Provérbios registra sete coisas que Deus não tolera: a arrogância que é fruto do orgulho e que faz com que o homem se torne soberbo e altivo, por isso incapaz de obedecer; Deus também odeia a mentira e não aceita a falsa testemunha. Deus é verdade, e a mentira é obra do diabo. Deus é paz e não tolera mãos que derramam sangue inocente, por isso a Bíblia nos diz para ficarmos longe dos violentos: "Não tenhas inveja dos homens malignos, nem queiras estar com eles, porque o seu coração maquina violência, e os seus lábios falam para o mal”. (Provérbios 24:1-2). Aquele que pratica a iniquidade não agrada a Deus, tampouco os que se apressam a correr para o mal. Por isso devemos aborrecer o mal e amar o bem. E aquele que semeia contendas entre os irmãos não é bem visto pelo Senhor. Se amamos a Deus devemos evitar tudo aquilo que O aborrece
Porque o dia do Senhor dos Exércitos será contra todo o soberbo e altivo, e contra todo o que se exalta, para que seja abatido; Isaías 2:12

terça-feira, 25 de agosto de 2015

“Como a cidade derrubada, sem muro, assim é o homem que não pode conter o seu espírito”. Provérbios 25:28


A Bíblia narra que Davi caiu justamente, no apogeu do seu poder. Com ele aprendemos que um homem pode ter total controle de um exército, estratégias para derrotar fortes inimigos, poder para tomar e destruir qualquer cidade ou fortaleza, mas pode não conseguir exercer controle sobre o seu próprio desejo, conforme lembra-nos o autor de Provérbios. Além de adulterar, Davi cometeu assassinato. Foi desleal com quem demonstrou ser leal a ele e foi hipócrita, ao tentar esconder seu erro com o pretexto de amparar Bate-Seba em sua viuvez, tornando-a oficialmente sua mulher. Davi também errou ao guardar segredo sobre seus crimes, pensando que jamais o saberia e não o confessou a ninguém. Contudo, as palavras de Natã, enviado por Deus, conduzem Davi ao arrependimento, que reconheceu imediatamente o seu pecado. Ninguém está livre da queda. Mas Deus não fecha os olhos para as nossas fraquezas, pois Ele sabe quem nós somos e não nos condena sem antes nos dar a oportunidade do arrependimento, por nos exorta:

se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra. 2 Crônicas 7:14

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. João 15:14


Em geral, somos amigos daqueles com quem partilhamos os mesmos valores, interesses e princípios. A afinidade nesse caso é essencial. Se nada temos em comum podemos até conviver cordialmente, respeitar o modo de vida e de pensar, mas dificilmente conseguimos ser amigos. O Senhor Jesus deixa bem claro que não há como fazer parte de Seu Reino, ou de partilhar de Sua mesa fazendo a vontade do mundo e não a Sua vontade. Para fazermos parte do círculo de amizade de Jesus temos que nos parecer com Ele, pois

"Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é" (1 João 3:2)

domingo, 23 de agosto de 2015

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Efésios 2:8-9


Esses versículos deixam bem claro que a salvação não é mérito nosso como algumas religiões preconizam. É um grande engano acreditarmos que a salvação está ligada a boas obras e à caridade, e que, para entrar no Reino de Deus, basta ajudar os necessitados. Certamente que aquele que é salvo e que vive conforme Cristo nos ensinou não se omite em relação ao próximo, pois esse é um dos mandamentos bíblicos. Todavia, não é um critério de salvação, pois a graça de Deus é que nos salvou. Recebemos do Criador um favor não merecido, quando mandou Seu único Filho para a ser crucificado em nosso lugar, o que nos trouxe a salvação. Por isso, o apóstolo ensina que  toda honra e toda glória deve ser dada a Ele que nos tornou filhos.
Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome; (João 1:12)

sábado, 22 de agosto de 2015

Porque ouvi a murmuração de muitos, terror de todos os lados: Denunciai, e o denunciaremos; todos os que têm paz comigo aguardam o meu manquejar, dizendo: Bem pode ser que se deixe persuadir; então prevaleceremos contra ele e nos vingaremos dele. Jeremias 20:10


Esse versículo nos leva a refletir sobre a nossa frágil situação diante da sociedade, da nossa própria humanidade e de como estamos despreparados para as intempéries ou abalos. Muitas vezes, quando nos vemos em circunstancias adversas e difíceis nossa tendência é o  desânimo. Todos passamos por dificuldades no aspecto econômico, temos problemas de saúde e também na área espiritual passamos circunstancias que são difíceis, que nos desanimam. Mas a Palavra de Deus nos ensina o segredo para vencermos o desanimo. O profeta Jeremias é usado por Deus para mostrar ao seu povo que não podemos escutar o que as pessoas dizem negativamente. Devemos manter distâncias dos murmuradores. A Bíblia nos mostra vários exemplos de pessoas que não deram ouvidos ao que outros falaram de forma negativa contra eles e por isso foram vencedores. Davi venceu Golias, porque não se intimidou com o descrédito de seus irmãos ao se candidatar a lutar contra o gigante; Bartimeu livrou-se da cegueira, quando não parou para ouvir os que repetiam que ele não seria ouvido; Ana venceu a esterilidade e foi mãe de Samuel,  porque não se deixou levar pelas vozes que a recriminavam. E muitas são as pessoas hoje que podem testemunhar mudanças em suas vidas porque não desanimaram e não deram ouvidos aos descrentes e pessimistas, colocando seu coração para ouvir Àquele que pode todas as coisas, pois todos podem vencer os obstáculos e o desanimo, não se esquecendo de quem o chamou.
Mas o Senhor está comigo como um valente terrível; por isso tropeçarão os meus perseguidores, e não prevalecerão; ficarão muito confundidos; porque não se houveram prudentemente, terão uma confusão perpétua que nunca será esquecida. Jeremias 20:11

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

"Mas o Senhor está comigo como um poderoso guerreiro; por isso, tropeçarão os meus perseguidores e não prevalecerão; serão sobremodo envergonhados; e, porque não se houveram sabiamente, sofrerão afronta perpetua, que jamais se esquecerá" Jeremias 20:11


Mesmo diante do desejo de abandonar um ministério que só lhe trazia dor e sofrimentos, o profeta Jeremias nos dá uma lição de coragem e determinação, porque antes de agir por sua conta e risco, de se basear em suas próprias forças, ele se fundamentava em Deus e não se esqueceu de quem o chamou. Assim como o profeta, devemos nos lembrar Daquele que teve misericórdia de nós quando não éramos nada e nem ninguém.  Mesmo diante de circunstâncias difíceis, das palavras negativas de outras pessoas, precisamos saber  que o nosso General é Cristo e com Ele marchamos para a vitória, assim como Moisés, Elias, Davi, Samuel, Paulo e tantos outros  homens de Deus que também desanimaram, mas que confiaram no Senhor e receberam novas forças para seguirem adiante lhe servindo. Que possamos repetir como o apóstolo Paulo
 E graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo, e por meio de nós manifesta em todo o lugar a fragrância do seu conhecimento. 2 Coríntios 2:14

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Quem deu crédito à nossa pregação? E a quem se manifestou o braço do SENHOR? Isaías 53:1

Muitas vezes queremos pregar e falar do amor de Jesus aos que convivem conosco, aos colegas de trabalho, vizinhos, amigos, mas seus ouvidos estão fechados. Ficamos tristes ou incomodados e até mesmo desanimados. Contudo, precisamos refletir também sobre nossas atitudes e antes de pensarmos em abandonar nossa missão de levar o Evangelho, conforme comissionados por Jesus em Marcos 16:15 “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura”, temos que avaliar nossas estratégias. Nossa pregação só terá crédito se nossas ações forem coerentes. Se nossas vidas testemunharem transformação, atitudes compatíveis com os ensinamentos de Cristo poderemos clamar ao Espírito Santo, certos de que nos atenderá
“Todavia, digo-vos a verdade: que vos convém que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, se eu for, enviar-vo-lo-ei. E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo.” (João 16:7-8)

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam. 1 Coríntios 10:23


O direito à liberdade é uma bandeira que muitas pessoas levantam. Mas o conceito ou o sentido de liberdade é algo muito diverso. O que muitos desejam é ter a opção sem limitação ou consequência de fazer o que querem. Nesse sentido, não fazem distinção entre liberdade e libertinagem e tampouco observam sob a perspectiva da  Palavra de Deus. Alguns se veem no direito de apregoar a liberdade defendendo que Deus nos facultou essa condição e assim tudo podem e até usam a Bíblia para justificar essa posição, na carta de Paulo aos coríntios, quando o apóstolo diz que todas as coisas são lícitas. De fato, somos livres, podemos escolher entre o bem e o mal, entre agir e nos omitir, entre o mundo e o Reino de Deus. É lícito, nessa liberdade que os homens façam suas escolhas, mas é preciso ter claro que toda escolha tem um preço, uma consequência. Assim, devemos entender que somos livres para escolher o caminho e somos responsáveis por nossas escolhas. Então, o melhor é usar essa liberdade como nos orienta Paulo:
Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão. Gálatas 5:1

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. João 17:9

Jesus Cristo ora ao Pai pelos que são Dele e não por aqueles que são do mundo! Jesus tem compromisso com os que  verdadeiramente vêm a Ele aceitando a salvação conquistada na cruz. O mundo jaz no maligno e as pessoas têm a liberdade de escolha e por mais que desejemos que eles escolham o caminho da Verdade e da Vida, infelizmente não podemos decidir por eles. Essa escolha é pessoal e intransferível. Paulo ensinou que devemos admoestar ao herege, aquele que, conhecendo a verdade, prefere o engano religioso, abandonando a mensagem do evangelho genuíno que tem Cristo  como centro. Todos têm direito a ouvir e a aceitar a mudança de postura, assim como fez o próprio apóstolo, que depois de resistir se convenceu de que o caminho é Cristo e assim se tornou um missionário a serviço do reino de Cristo. Mas, se depois de admoestada, essa pessoa continua resistindo a orientação bíblica é que seja evitada porque não pretende ser transformado pela mensagem do evangelho e prefere se prender a sua ideologia, então, ela se condena, conforme diz Paulo a Tito 3:10-11:


“Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o, Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando já em si mesmo condenado”.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Pois tu, Senhor, abençoarás ao justo; circundá-lo-ás da tua benevolência como de um escudo. Salmos 5:12


O salmista tem a plena convicção de que os justos gozam da atenção constante do Senhor, que ouve o seu clamor a qualquer tempo, em uma comunicação livre e direta, por isso reforça nos Salmos 34:15 “Os olhos do Senhor estão sobre os justos; e os seus ouvidos, atentos ao seu clamor”. Davi reconhece que Deus garante ao justo a Sua benevolência, cercando-o por todos os lados de bênçãos, por isso afirmou: “Fui moço e agora sou velho; mas nunca vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão”. (Salmos 37:25). E por isso ensina: “Lança o teu cuidado sobre o SENHOR, e ele te susterá; nunca permitirá que o justo seja abalado” (Salmos 55:22). Em vários outros versículos vemos que o salmista faz menção às benevolências do Senhor em favor dos justos. E essa mensagem também nos é passada por seu filho Salomão que vivenciou assim como pai a ação de Deus em favor daqueles que seguem o caminho da justiça. Por isso afirma o sábio com toda certeza


Torre forte é o nome do SENHOR; para ela correrá o justo e estará em alto retiro (Provérbios:18:10).

domingo, 16 de agosto de 2015

Orai pela paz de Jerusalém; prosperarão aqueles que te amam. Salmos 122:6


O salmista  conclama ao povo a orar pela paz em Jerusalém. Hoje essa é também a nossa bandeira. Devemos orar pela paz no mundo, pela paz em nosso país e para que os nossos governantes se rendam à justiça e sejam guiados por Deus. A Bíblia diz que prosperarão aqueles que agem segundo a Palavra de Deus. E prosperar não é ajuntar bens ou conquistar poder. Prosperar é viver com dignidade, sem que nos faltem as provisões e principalmente a paz. Bilhões angariados ilicitamente não traz vida, saúde, tranquilidade, mas o que vem  de Deus é incorruptível. Oremos pelos nossos governantes para que compreendam a lição do sábio Salomão:

“A bênção do Senhor é que enriquece; e não traz consigo dores. Provérbios 10:22

sábado, 15 de agosto de 2015

Responde-me, Senhor, responde-me, para que este povo conheça que tu és o Senhor Deus, e que tu fizeste voltar o seu coração. 1 Reis 18:37


Esse versículo reporta-nos à história de Elias, quando o profeta clama a Deus por uma resposta ao desafiar os profetas de Baal. Elias foi um homem de Deus muito perseguido pela mulher do Rei Acabe, a malvada Jezabel que servia ao deus Baal e em nome dele perseguia e matava o povo de Deus. A história de Elias nos mostra como deve agir um verdadeiro cristão, pelas atitudes desse profeta. Elias era um crente ousado, ele se expunha sem medo do risco de ser envergonhado, de não ser atendido por Deus diante de multidões, porque confiava Naquele a quem servia. Tinha plena convicção de que o Senhor é um Deus de Poder, um Deus que Faz, e que não envergonha seus verdadeiros Profetas. A Bíblia conta que Elias desafiou todos os profetas de Baal diante da multidão, para que todos presenciassem quem era esse Deus. Nessa história, podemos identificar vários personagens de forma análoga aos que nos rodeiam nos dias atuais. Podemos nos identificar com algum deles e até mesmo escolher com quem nos assemelhar. Elias foi o Profeta de Deus, ungido, temente ao Senhor e que cumpria todas as determinações de Deus,  mesmo diante do risco de perder a própria vida.  Acabe, embora não fosse mau, era um homem fraco, dominado pela mulher que servia a deuses estranhos e apesar de desejar servir ao único Deus esse rei se deixava se deixava levar pelos desejos da esposa e acabava servindo a Baal. Jezabel era má, ardilosa, egoísta, cruel e escolheu adorar ao demônio (Baal), recusando o verdadeiro Deus. Ela era a rainha, esposa do rei, mas não lhe dava a honra de esposo e usava de todos os artifícios para dominá-lo e governar em seu lugar. Assim, ela mandava em casa e no reino, ao dominar o marido. Os seguidores de Baal ou seus profetas trabalhavam para o mal, invocando, fazendo oferendas e cumprindo as determinações de deuses estranhos. E o povo nesta história, parte da multidão, ficava totalmente desnorteado, perdido, confuso, oscilando entre servir deuses estranhos ou servir ao verdadeiro Deus. Elias escolheu o melhor e ousou na fé, orou e pediu fogo do céu. Quando escolhemos servir a Esse Deus, quando  ousamos desafiar Baal e seus seguidores, o fogo cai e assim também podemos bradar como o fez o povo de Israel:
 "O Senhor é Deus! O Senhor é Deus! " 1 Reis 18:38-39

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho; Gálatas 1:6


O apóstolo Paulo nos faz pensar sobre como ainda hoje, com tanto conhecimento e difusão do conhecimento acumulado, com tanta possibilidade científica de se checar o conhecimento os homens são alvos fáceis de pessoas, teorias e seitas que têm pervertido os princípios Divinos. E mesmo com toda capacidade racional muitos são incapazes de questionar e de colocar à prova as doutrinas ou argumentos de quem se coloca contra o Evangelho do Senhor Jesus. Nenhuma doutrina ou filosofia ou estilo de vida pregado por homens ao longo dos séculos pode de fato trazer esperança de que a humanidade possa caminhar para dias de verdadeira paz. Não é o evangelho da caridade, tampouco o dos rituais e oblações ou orações responsivas e repetitivas que trará paz e salvação aos homens. A verdadeira paz só virá pela regeneração do nosso espirito antes contaminado pelos enganos do mundo. A única e possível salvação só  ocorre quando aceitamos a Jesus Cristo e nos arrependemos  e no batismo nas águas nos tornamos novas criaturas aptas a receber o Espirito Santo de Deus, compreendendo o que nos diz Paulo em 2 Coríntios 3:17
 Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. 2 Coríntios 3:17. 

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

“Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu”. Hebreus 10:23


 Precisamos ter a firme convicção de que se Deus nos prometeu algo,  se mais de uma vez a palavra recebida foi confirmada, ficando claro que ela vem do Senhor e não da boca do homem. Deus cumprirá. Se ela ainda não se cumpriu, pode ser nossa responsabilidade, quando nos desviamos de Suas veredas, quando não guardamos as promessas em nosso coração, permitindo que o inimigo coloque atalhos em nosso caminho, que sussurre sugestões de derrota ou seduções que venham postergar a entrega das bênçãos. Não podemos colocar a culpa em Deus. Ele continua fiel e justo e só nós podemos escolher: receber ou não as bênçãos, receber já, ou adiar mais enquanto não decidimos pelas veredas da justiça e aceitar a misericórdia de Deus. Todavia, quando dobramos nossos joelhos e confessamos o nosso desejo sincero que não quebrar a aliança com o Senhor, receberemos, no tempo de Deus, as promessas que Ele tem para nós, pois,
 "Todas as veredas do SENHOR são misericórdia e verdade para aqueles que guardam a sua aliança e os seus testemunhos. (Salmos 25:10)

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

“para que a vida de Jesus se manifeste também nos nossos corpos” 2 Coríntios 4:10


A Bíblia nos ensina que devemos usar os nossos corpos para a honra e glória de Deus e por essa razão, como um Corpo que tem Cristo como cabeça precisamos estar submissos a Ele. As nossas mãos em especial são instrumentos preciosos e muito úteis para a Obra de Deus. As mãos servem para falar, acenar, exortar, reprimir, afagar, salvar, trabalhar, escrever, desenhar, abençoar dentre tantas outras funções. Há pessoas que falam muito mais com as mãos do que com a boca. Com nossas mãos podemos aproximar ou afastar as pessoas, podemos abençoar ou amaldiçoar, podemos trabalhar, ajudar, curar e principalmente adorar. Mas nossas mãos também podem ferir, bater, acusar, maltratar, matar, mas esta não é a vontade de Deus. O que Ele quer é que tenhamos nossas mãos limpas para entrarmos em Sua Santa presença com as mãos submissas ao Seu serviço para a glória do Pai, como declara o profeta Isaías 62:3
E serás uma coroa de glória na mão do Senhor, e um diadema real na mão do teu Deus.

terça-feira, 11 de agosto de 2015

“Os teus mortos viverão, os seus corpos ressuscitarão; despertai e exultai, vós que habitais no pó; porque o teu orvalho é orvalho de luz, e sobre a terra das sombras fá-lo-ás cair.” Isaías 26:19


Diferentemente do que pensam alguns, a morte não é o fim. A Bíblia diz em 1 Coríntios 15:21-22 “Porque, assim como por um homem veio a morte, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Pois como em Adão todos morrem, do mesmo modo em Cristo todos serão vivificados.” E todos, sem exceção, os justos e os impios serão ressuscitados. Todavia, aos justos o Senhor promete vida eterna na Sua presença. Foi por essa causa que Ele próprio se fez homem e padeceu a morte de cruz para que os que Nele cressem tenham direito à vida. Todavia a Bíblia diz em Apocalipse 21:8
“Mas, quanto aos medrosos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos adúlteros, e aos feiticeiros, e aos idólatras, e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago ardente de fogo e enxofre, que é a segunda morte.”



segunda-feira, 10 de agosto de 2015

“ então chamou a multidão e disse: se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me” Marcos 8:34


Neste versículo podemos observar cinco palavras chaves que nos trazem grandes ensinamentos acerca do que Jesus espera de nós: chamar, acompanhar, negar, cruz e seguir. Essas palavras equivalem a cinco etapas pelas quais temos que passar para chegar até Jesus. Ouvir o chamado de Jesus na multidão. É o primeiro passo. Esse chamado de Jesus é para todas as pessoas indistintamente, mas ouvir e atender ao Seu chamado é algo que depende de cada um. O segundo passo é acompanhar, mas note que vem precedido do verbo “querer”. Isso significa que Jesus faz o chamado para quem quer acompanhá-Lo, mas não obriga ninguém a nada, se o fazemos é porque o fazemos com alegria, com disposição, de forma voluntária. Somos chamados para acompanhar Jesus, mas somos livres para aceitar ou não esse chamado. Contudo, o terceiro passo pressupõe outra decisão:    negar a nós mesmos, ou seja, deixar Jesus no comando de nossas vidas. Confiar e deixar que o Espírito domine sobre a nossa carne. O quarto passo é tomar a cruz. A cruz significa libertação do pecado, ela simboliza o sofrimento, a morte. Para nascer para a vida eterna antes precisamos morrer para o mundo. É uma etapa que não pode ser ignorada para que chegarmos à principal: seguir Jesus. O nosso objetivo final, como afirmou Paulo em Filipenses 3:14:


Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.

domingo, 9 de agosto de 2015

Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; Efésios 6:2


Quando o apóstolo nos exorta a honrar nossos pais ele nos indica uma atitude que  vai além da simples obediência, mas uma ação  constante que implica amar e respeitar de forma elevada, demonstrando espírito de consideração, em todas as formas de agir, em todos os lugares, em todos os momentos...E a atitude de honrar os pais começa com a devida honra dada ao nosso Criador, o Pai Celestial e estende-se ao nossos pais biológicos, aos pais que nos adotaram, aos nossos pais intelectuais e aos nossos pais espirituais, pois todos eles receberam a tarefa de nos conduzir no caminho da justiça, da verdade e do amor. Os pais cristãos devem saber de sua grande responsabilidade de suprir não só as necessidades materiais e emocionais de seus filhos, mas também as espirituais, pois os filhos não nos pertencem, eles são propriedade de Deus, confiados aos nossos cuidados pelo Senhor, a quem um dia teremos que responder perante Ele.  Eis por que o salmista declara que “Herança do Senhor são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão” (Salmos:3). E Salomão sabiamente diz
“Ensina a criança no caminho em que deve andar, a ainda quando for velho, não se desviará dele.” (Provérbios 22.6)

sábado, 8 de agosto de 2015

E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve. 1 João 5:14


O apóstolo nos garante que o nos dará aquilo que pedirmos, crendo. Mas precisamos observar que há uma condição para obtermos essa promessa: os nossos desejos devem estar de acordo com a vontade do Pai. Isso quer dizer que aquilo que queremos não pode ser algo que irá nos prejudicar ou aos nossos semelhantes. Se atendermos a esses requisitos na nossa petição, então podemos ter a certeza de que Deus nos atenderá, em nome do Senhor Jesus. Deus não é fiel à sua Palavra e às suas promessas e Nele podemos confiar. Portanto, para a nossa oração ser ouvida é necessário que oremos para estarmos em alinhamento com a vontade de Deus, que é como Romanos 12:2 nos diz:
“boa, agradável, e perfeita”

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. Salmos 16:10


O salmista crê firmemente que o Senhor não o desamparará. E com ele devemos aprender a agir em relação ao que Deus nos prometeu. Muitas vezes vacilamos em nossas convicções, posicionamentos e até em nossa força, mas se atentarmos para o que assevera o salmista nos manteremos firmes diante da avalanche do mundo que é corrupto e corruptível por natureza. Todavia, aquele que não se afasta dos princípios divinos não se deixa enganar ou envolver com as coisas desse mundo. Aquele que busca a santidade, que se apega à Palavra de Deus, nela se apoia para andar na contramão do mundo. E a promessa de Deus é a de que não deixará que seu servo se desvie e seja seduzido por propostas que jamais preencherão o coração humano. Nenhum poder e nenhuma fortuna que não sejam abençoados  pelo Senhor são capazes de dar tranquilidade e felicidade ao homem, ao passo que
Melhor é o pouco com justiça, do que a abundância de bens com injustiça. Provérbios 16:8 

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Se alguém me serve, siga-me, e onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará. João 12:26


 Jesus deixa claro em vários episódios em sua passagem pela Terra, na forma de homem, que servir é muito mais digno e honroso do que ser servido e nos deu o exemplo em suas atitudes. Contrariamente à postura de muitas pessoas, Jesus não deu valor ao poder pessoal para o benefício próprio, mas enfatizou que, no Seu reino, importante é aquele que serve. Por isso declarou: “O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a Sua vida em resgate por muitos.” Jesus destacou Sua posição: “Aquele que Me serve, Meu Pai o honrará”. Ser servo é sinal de maturidade cristã.  É a postura mais coerente daquele que escolhe fazer parte do corpo de Cristo. E quem serve jamais deixará de ser honrado, ao contrário do que pensam as pessoas que esperam ser servidas, pois o Senhor é fiel e justo.  É o que nos garante Moisés:
 E servireis ao Senhor vosso Deus, e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; e eu tirarei do meio de vós as enfermidades. Êxodo 23:25

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Até quando, ó Deus, nos afrontará o adversário? Blasfemará o inimigo o teu nome para sempre? Salmos 74:10


A pergunta feita pelo salmista é também a nossa pergunta nos dias atuais. E essa pergunta nada mais é do um grito angustiado de quem já não aguenta mais as ameaças dos inimigos que vêm de todas as formas. Esses questionamentos, quando vêm da parte de homens justos são expressões de um desejo de justiça, aprovados pelo próprio Deus, pois referem-se à defesa do nome do Senhor. Não se trata de interesse egoísta e sim de justiça em relação à afronta do inimigo que blasfema o nome de Deus, afronta a Sua Santa vontade e tenta desconstruir a Sua criação. Vemos isso nos ataques à família, ao casamento, à Igreja, enfim, às instituições criadas pelo Senhor. Mas quando fazemos essa pergunta devemos estar preparados para a resposta e para o tempo de Deus. Pode ser que essa resposta não nos agrade, mas certamente ela será sábia e prudente e assim como Asafe devemos responder
“No tocante a mim, confio na tua graça; regozije-se o meu coração na tua salvação. Cantarei ao SENHOR, porquanto me tem feito muito bem” (Salmos 13:5-6).

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Agora, pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a ousadia a tua palavra; Atos 4:29


Quando Lucas faz essa afirmação ele espera que os servos do Senhor estejam pregando de fato o evangelho, com pregações que efetivamente ensinam, edificam, e levem ao arrependimento e à santificação. O Senhor não está interessado que sua Palavra se restrinja a palestras motivacionais feitas por animadores de palco. Ele espera que Sua Palavra seja usada para exortar e que sejam proferidas com ousadia, mesmo diante de ameaças. Falar com ousadia não é atacar os que pensam de forma contrária aos princípios bíblicos e aos valores cristãos, mas assumir a condição de anunciador do Evangelho guiado pelo Espírito de Deus, independente das circunstâncias, sem se deixar contaminar pelas vozes do mundo, sem perder o foco. Devemos fazer como os apóstolos que pediam ousadia para falar a Palavra do Senhor, sendo guiados pelo Espírito Santo, para não deixar que as muitas doutrinas e filosofias de homens tomem o lugar da Palavra de Deus. A Igreja de Cristo precisa se posicionar e se unir em um só propósito: Pregar o Evangelho que recebemos de Deus e não o de homens!
"Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema." (Gálatas 1:9 ).

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim. (Filipenses 3:13)


 Paulo está nos ensinando o segredo de seguirmos em frente em nossa caminhada em busca da santificação. A sua sábia lição nos mostra como viver em relação ao passado, presente e futuro. Quanto ao passado, Paulo optou por um esquecimento: "esquecendo-me das coisas que atrás ficam"; quanto ao futuro, por uma antecipação consciente: "avançando para as que estão diante de mim"; e em relação ao presente escolheu uma concentração perseverante. Se o passado traz arrependimento, a decisão firme do presente implica  ter fé e fazer boas obras. Isto significa fazer escolhas conscientes pautadas na Palavra de Deus. E para avançarmos nesse propósito é necessário perseverar e não desistir no meio do caminho. O apóstolo Paulo deixou para trás sua vida de perseguidor de Cristo e no momento em que decidiu enxergar o Senhor Jesus como seu Salvador, sua vida mudou completamente. Paulo a partir daí deixou de ser Saulo, mas isso só foi possível porque suas atitudes também mudaram. As firmes convicções humanas deram lugar à Graça de Deus e se transformaram, transformando o homem que escolheu seguir pregando o Evangelho. Esse é também o nosso desafio ainda hoje
E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros. 2 Timóteo 2:2

domingo, 2 de agosto de 2015

O Senhor, pois, é aquele que vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te espantes. Deuteronômio 31:8


Uma das coisas que as pessoas mais temem é a solidão. Com  receio de ficarem sozinhos muitos se envolvem com pessoas com as quais sequer partilham dos mesmos valores, princípios ou gostos. E com isso acabam perdendo seus valores e seus princípios quando se associam a elas. A Bíblia nos alerta sobre o perigo de um jugo desigual e aqueles que conhecem a Deus sabem que não precisam ficar ansiosos ou temerosos com medo da solidão. O Senhor é Aquele que vai à nossa frente, que nos ampara quando todos nos abandonam, por isso podemos afirmar como o salmista nos salmos 23:4

“Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.”  

sábado, 1 de agosto de 2015

Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis, para que o vosso gozo se cumpra. João 16:24


O Senhor está com os ouvidos atentos para ouvir e atender às nossas orações. Ele nos prometeu que nos daria aquilo que pedíssemos, crendo. Se nossos desejos estão de acordo com a vontade do Pai, se aquilo que queremos não será algo que irá nos prejudicar ou aos nossos semelhantes, então podemos ter a certeza de que Deus nos atenderá se pedirmos em nome do Senhor Jesus. Deus não é homem para mentir e permanece fiel à sua Palavra e às suas promessas. Foi o próprio Jesus quem nos disse que tudo o que pedirmos ao Pai, em Seu nome, Ele nos dará. Façamos o que Ele nos ensina para entoarmos como o salmista este agradecimento:

Bendito seja Deus, que não rejeitou a minha oração, nem desviou de mim a sua misericórdia. Salmos 66:20