Traduza este blog

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Tu és toda formosa, meu amor, e em ti não há mancha. Cânticos 4:7


Salomão declara-se a um amor verdadeiro tão raro no seu tempo como nos dias atuais. Ele fala de um amor sincero e duradouro que excede ao entendimento e aos apelos sensuais. Apesar do ambiente moral daquela época, Salomão escreveu: “Entre mil homens descobri apenas um que julgo digno, mas entre as mulheres não achei uma sequer. Assim, cheguei a esta conclusão: Deus fez os homens justos, mas eles foram em busca de muitas intrigas.” (Eclesiastes 7:26-29). Apesar de conviver com os mais diversos tipos de mulheres cujo padrão moral estava longe de ser um exemplo, Salomão mostrou que pode haver amor verdadeiro entre um homem e uma mulher e descreve de forma poética esse sentimento. Com o sábio aprendemos que os apelos sensuais, a paixão e a inconstância não preenchem o vazio da alma humana. O hedonismo e o culto da liberdade no mundo atual também não preenchem os anseios do coração do homem. O amor que preenche o coração humano tem suas bases no amor de Deus, conforme descreve o apóstolo Paulo em         1 Coríntios 13: 4-5  


 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!