Traduza este blog

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação



“Quão grandes são os seus sinais, e quão poderosas as suas maravilhas! O seu reino é um reino sempiterno, e o seu domínio de geração em geração”. (Daniel 4:3)


Amado(a), o Senhor tem nos alertado sobre a importância de dar ouvidos às Suas palavras e a considerar as profecias. Daniel nos chama a atenção para os sinais do Senhor. Neste texto é narrada a interpretação do sonho de Nabucodonosor por Daniel. Contudo, o mais relevante é o reconhecimento do rei sobre a evidência desses sinais, e de como o rei enxerga no profeta a presença de Deus. Depois de ter revelada a interpretação, Nabucodonosor reconhece que seu reino foi restaurado, assim como sua dignidade porque, ao dar ouvidos à interpretação do sonho, voltou o seu entendimento, e assim a sua glória foi aumentada.
A leitura deste texto reforça a importância que devemos dar às palavras dos profetas de Deus, aos sonhos que nos são revelados para nossa edificação e para evitar que tropecemos.
Podemos ver que ao rei foi dada a interpretação: “Serás tirado dentre os homens, e a tua morada será com os animais do campo, e te farão comer erva como os bois, e serás molhado do orvalho do céu; e passar-se-ão sete tempos por cima de ti; até que conheças que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens, e o dá a quem quer. E quanto ao que foi falado, que deixassem o tronco com as raízes da árvore, o teu reino voltará para ti, depois que tiveres conhecido que o céu reina”. (Daniel 4: 25-26). Observe, amado(a), que o profeta não prevê coisas boas para o rei, mas coloca algumas condições para que sua sorte mude: “até que conheças...; depois que tiveres...”. Quando alguém, fala em nome do Senhor uma palavra profética, quando interpreta sonhos ou dá a conhecer a um irmão uma palavra de livramento, o conselho de Daniel deve prevalecer. As coisas podem mudar “se”, “depois de”. Se, como o rei, a pessoa reconhece a voz do Senhor e muda de atitudes, certamente o desfecho também será como o de Nabucodonosor: vitórias e honras. Dignidade e glória. E poderá como o rei afirmar: “Agora, pois, eu, Nabucodonosor, louvo, exalço e glorifico ao Rei do céu; porque todas as suas obras são verdade, e os seus caminhos juízo, e pode humilhar aos que andam na soberba”. (Daniel 4:37). Amado(a), você tem dado ouvidos à voz de Deus? Tem considerado a exortação daqueles que foram colocados pelo Senhor para alertá-lo(a) sobre os seus passos? Se não, passe a observar os sinais de Deus, principalmente quando esses avisos e sinais vêm de fontes e formas diferentes. Seriam meras coincidências, ou seria Deus insistindo em lhe abrir o entendimento? Pense nisto!
Graça e Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!