Traduza este blog

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Maná: Palavra Diária para Edificação




“Quando o SENHOR restaurou a sorte de Sião, ficamos como quem sonha”. (Salmo 126:1)


Amado(a), essa é uma palavra de estímulo e de conforto para aqueles que se encontram no cativeiro, assim como o povo de Israel. O salmista nos lembra que por mais que pareça impossível, Deus pode restaurar a nossa sorte. Não importa que tipo de cativeiro estamos enfrentando. Por que ou quem você tem chorado? Qual é o seu cativeiro neste momento? O que tem feito você chorar e se sentir preso? Problemas financeiros? Sentimental? Profissional? Algum erro do passado? Ou alguém que insiste em te limitar, cerceando seus passos e determinando suas ações?
Lembre-se de que o ser humano nasceu rodeado de toda a sorte de bênçãos. No Éden, o homem tinha tudo de que precisava: a presença de Deus, provisão, companheira, mas o pecado mudou essa situação. E desde então o homem vive de cativeiro em cativeiro. Cativeiro significa privação parcial ou total de liberdade. E isso leva à perda de identidade. Muitas vezes, pensando estar livre para fazer escolhas, o homem se prende e se torna cativo de suas lembranças. Mas o salmista canta o gozo de quem se sente liberto e fica como quem sonha. Por intermédio de Jesus Cristo, Deus pode restaurar a nossa sorte, libertando-nos do cativeiro, como fez com o povo de Israel.
As vezes nosso cativeiro tem a aparência de liberdade, a promessa de riqueza, de amor, de cumplicidade nos fazem crer que seremos felizes, mas se isso foge da palavra de Deus, inevitavelmente se constituirá em uma prisão e mais cedo do que pensamos provoca tristeza, choro, como lembra o salmo 137:1. “Às margens dos rios da Babilônia, nós nos assentávamos e chorávamos, lembrando-nos de Sião”. Esse choro, muitas vezes contido nos faz sentir saudade da época em que éramos felizes e não sabíamos, porque insensatamente reclamamos do que temos e saímos em busca de ilusões que não se concretizam. Saudade do tempo em que tínhamos liberdade e sentíamos prazer no que fazíamos. Quantos estão chorando as escondidas porque foram em busca de uma falsa liberdade e deram as costas para a Rocha firme e se tornaram escravos de uma vida sem propósito, sem luz, sem perspectivas, pois por mais liberdade que se tenha no cativeiro, o cativeiro sempre provocará tristeza e choro.
Amado(a), Jesus ensina a não aceitar essa situação, a não se acomodar ao cativeiro, mesmo que aparentemente você esteja se dando bem. Não se acomodar com a situação é não se esquecer das promessas de Deus para a sua vida. É não se esquecer dos dias felizes que você já teve. É não se alegrar com as migalhas de alegria dentro do cativeiro. Consulte seu coração e veja se o que lhe dá prazer é algo que preenche seu espírito ou apenas sacia sua carne. Não se acomodar é não se deixar envolver com o inimigo, com o seqüestrador de sua sorte ao ponto de cantar para ele. Para aquele que roubou sua paz, seus petições. O Senhor é o único que pode mudar a sua sorte. Não importa se limitaram o seu espaço, se o prenderam com artifícios, se decidiram seus caminhos. Deus já decidiu lhe abençoar e tirá-lo do cativeiro. Não existe cativeiro que resista ao poder do Todo Poderoso.

Graça e Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!