Traduza este blog

segunda-feira, 17 de abril de 2017

E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia; e estava ali a mãe de Jesus. João 2:1


O evangelista João é o único a registrar como sendo o primeiro milagre de Jesus. Esse texto muito conhecido relata o episódio protagonizado por Jesus, Sua mãe, irmãos e Seus Discípulos quando foram convidados para uma festa de casamento em Caná da Galileia. A tradição naquele tempo era de casamentos celebrados durante 7 dias durante os quais teria que ser servido do bom e do melhor para todos os presentes. O vinho, símbolo de alegria, era um elemento imprescindível e a sua falta conotava desonra, humilhação para as famílias. Quando entendemos esse contexto, vemos que o que foi conhecido como o primeiro milagre não foi a transformação química de água em vinho. O verdadeiro milagre foi a constituição da família em honra. Não foi por acaso que o primeiro milagre do Senhor está diretamente ligado à família, quando de sua constituição. A mesma família tão assolada hoje. Vemos que Jesus estava no momento certo, no lugar exato para operar o milagre na vida daquela família que se estabelecia diante dos convidados, testemunhas que se alegravam com sua constituição. Isso nos mostra que casamento não é uma sociedade qualquer que pode ser desfeita, ou feita por acaso. Não é por acaso que a Bíblia registra como o início do ministério de Jesus como sendo um casamento e não a ressurreição de Lázaro, ou a cura de um cego, paralítico, ou a libertação de algum endemoninhado. Jesus nos mostra a Sua estima pela  família e a sua importância para a sociedade, por isso a restitui antes que ela começasse com problema. O vinho representava a esperança de uma vida feliz aos recém-casados. Esse episódio nos faz refletir sobre o poder transformador de Jesus, e sobre como Sua Presença traz alegria e benção ao casamento. E o vinho da alegria só foi possível porque naquela casa havia o essencial para que a transformação fosse feita: a água, sinônimo de vida e símbolo da Palavra de Deus. Não é por acaso que o batismo na água simboliza a transformação do velho homem em nova criatura. Mas não podemos nos esquecer de que Jesus só transforma a vida daqueles que O convidam.

    

Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará. Salmos 1:3


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!