Traduza este blog

quarta-feira, 8 de março de 2017

E, estando ele em Betânia, assentado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher, que trazia um vaso de alabastro, com unguento de nardo puro, de muito preço, e quebrando o vaso, lho derramou sobre a cabeça. Marcos 14:3

É interessante observar que, dentre tantos episódios importantes, essa passagem foi destacada por Jesus como uma narrativa a ser lembrada por onde quer que o Evangelho seja pregado, através dos tempos. Uma mulher que derramou todo o conteúdo do frasco de um perfume caríssimo, comprado com sacrifício. Vemos que ela não deu a Jesus o perfume de presente, nem derramou apenas parte do conteúdo, mas ela escolheu perfumá-lo por inteiro e certamente aquele perfume era a única coisa de valor que possuía. Sem saber que era de fato uma ocasião especial, ela demonstrou seu amor a Jesus, que ao contrário dos homens da época, não a condenou por seus erros, não a olhou com superioridade, mas entendeu o seu gesto. Jesus reconheceu a sua intenção e demonstrou aos demais que compreendeu aquele gesto sincero. Assim como aquela mulher, devemos demonstrar nosso amor e gratidão ao Senhor derramando o nosso melhor perfume e que ele possa impregnar o ambiente que nos cerca. Metaforicamente, podemos associar o vaso de alabastro que não possui tampa ao nosso coração que só pode ser aberto para Deus por meio de quebrantamento e como afirma o salmista em Salmos 51:17b

“a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!