Traduza este blog

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Eu sararei a sua infidelidade, eu voluntariamente os amarei; porque a minha ira se apartou deles. Oséias 14:4


Essas são as palavras de Deus para um povo que havia se desviado de seus caminhos e se prostituído ao longo de sua trajetória. A vida de Oséias retrata essa situação em analogia à história do povo Israel. Ao nos aprofundarmos na leitura do livro de Oséias, vemos que ao ser exposto como esposo fiel de uma esposa infiel, o profeta experimentou uma dor semelhante a que Deus sentira quando  seu povo foi espiritualmente infiel, prostituindo-se diante de outros deuses.  Sabemos que a prostituição degenera o espírito e que os  relacionamentos desta natureza, mesmo que rápidos, promovem mudança no interior da pessoa, por isso Paulo advertiu: em 1 Coríntios 6:16 “Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne.” Também o adultério, muda o caráter daqueles que mantêm uma aliança duradoura com alguém que Deus não elegeu. Muitas vezes, por conta desses relacionamentos contrários à Palavra de Deus, adúlteros e promíscuos renunciam as bênçãos e as pérolas de Deus. Mas a misericórdia de Deus,  apesar da dor que  causada por aqueles que assim agem traz cura, perdão e fertilidade aos que se voltam a Ele. O mais comum é verificarmos que a vida das pessoas que dão as costas a Deus é geralmente caracterizada pela culpa e insatisfação. Dificilmente uma pessoa que vive em promiscuidade, em adultério moral ou espiritual, depois de conhecer a Deus, é uma vida de paz, pois no íntimo aquele que  caiu num estilo de vida de pecado, sabe que a infidelidade espiritual para com Deus traz consequências. A boa notícia é que, assim como Deus ofereceu perdão e fertilidade a Israel, ainda hoje Ele oferece restauração para aqueles que de fato se arrependem, conforme afirma 1 João.1:9 “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça”. Àquele que fez escolhas erradas que o fizeram cair ou desviar, Deus dá uma nova oportunidade. Mas a escolha ainda é uma prerrogativa pessoal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!