Traduza este blog

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6


O nascimento de Jesus foi previsto e registrado na Bíblia. O profeta Isaias no texto em epígrafe traz a revelação do nascimento do Messias, mas quem lê atentamente as Escrituras pode confirmar que não há nenhuma menção sobre a data do nascimento do Salvador. O Natal não é mencionado nem uma vez na Bíblia. A data comemorada secularmente é uma arbitrariedade e uma convenção dos homens. Ainda que alguns comemorem essa data em uma lembrança ou deferência à memória do nascimento do Salvador, a maioria apenas perpetua um costume, ou entram na onda do jogo de marketing comercial bastante explorado pelos interesses consumistas. O mais contraditório dessa festa, sob pretexto de comemorar o nascimento de Jesus é que as pessoas se lembram de comprar presentes para os amigos, colegas, familiares, mas poucos presenteiam o aniversariante como seria natural, para sermos coerentes com os costumes sociais. Embora se afirmem que é uma festa cristã, os rituais e até mesmo os enfeites estão muito mais próximos das festas pagãs. O símbolo mais exaltado é um ídolo que, assim como os demais, tenta ocupar o lugar de Deus, o nosso único Pai. Papai Noel, figura quase onipresente em todos os espaços visíveis nesta sociedade consumista, foi criado para roubar a cena e para  tirar a nossa visão da centralidade de Cristo. E o alvo principal são as crianças, atacadas em sua ingenuidade e fantasia. Quem se atreve a falar mal de um velhinho simpático e que distribui presentes? É essa a estratégia do inimigo que, segundo a Bíblia, para conseguir seu intento, também se transfigura em anjo de luz. Mas a Bíblia nos orienta a ficarmos atento, conforme Atos 17:11”Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!