Traduza este blog

sábado, 22 de dezembro de 2012


Grandes são as obras do SENHOR, procuradas por todos os que nelas tomam prazer. Salmos 111:2

Esse é o tempo de reconhecimento das obras de Deus em nossas vidas, principalmente o tempo de celebrar o nascimento de Jesus. Não é o momento comercial de compra e venda de presentes, quando Papai Noel é a estrela máxima, o dono e o promotor da festa. Por mais que esteja em muitos  lugares, com roupa vistosa e aparência de bom velhinho, aquele que “não se esquece de ninguém, seja rico ou seja pobre”, ele não é onipresente. Ele é apenas uma figura criada pelo marketing do mundo para tirar o foco do verdadeiro Dono da Festa. É uma estratégia inteligente e “politicamente correta”para não ferir interesses de religiões que não veem Jesus como o Messias. É uma fórmula sutil de distrair as pessoas da verdadeira mensagem do Evangelho. Afinal, Papai Noel é alegre, traz presentes a todos que pedem, é a figura mais popular desta festa que deixou de ser cristã para agradar aos interesses comerciais e, principalmente, para agradar ao inimigo do verdadeiro Aniversariante. Grandes são as obras do Senhor e uma delas foi a de nos enviar seu único Filho como Redentor e Salvador, cujo nome é capaz de fazer maravilhas. Por mais que seja uma figura alegre e ruidosa, Papel Noel não foi enviado por Deus, seu nascimento não foi anunciado por um anjo, nem nasceu do Espírito Santo, dado à luz por uma mulher santa e digna, como Maria de Nazaré. Papai Noel, ou os papais noeis  não passam de uma figura simbólica do que se transformou o mundo. Ingrato em relação a quem deu a vida por nós, interessado apenas em ganhar e pedir e não em agradecer as bênçãos já recebidas, sendo a maior delas  a oportunidade da salvação. Desobediente a Deus na ordem de não ter outros deuses diante de si. Insensato porque em vez de se apegar ao único Deus capaz de nos dar muito mais do que presentes,  a Vida Eterna na  Glória de Deus, e vida abundante e plena de significados neste mundo caótico e dominado pelo deus deste século.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!