Traduza este blog

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

“Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas” (Salmo 105:15).




  A exortação neste salmo  nos faz refletir sobre essa poderosa advertência do Senhor. E Ele fala sério cada uma dessas palavras: ai do país ou da pessoa que toca nos escolhidos de Deus. E ai da pessoa que maltrata Seus profetas. A advertência de Deus para que não se maltrate Seus escolhidos não diz respeito apenas a época relatada pela Bíblia. Ela continua se aplicando atualmente e não se refere apenas aos reis e sacerdotes, mas também cobre Seu Israel espiritual, ou seja, a igreja. Precisamos conhecer a história para compreendermos essa exortação em seu contexto e atentarmos para o verdadeiro sentido dessa exortação. Saul foi o primeiro rei ungido por Deus para governar o povo de Israel, depois dele veio Davi, também ungido pelo Senhor. A diferença entre os dois é que Davi temia a Deus e respeitou até o fim essa ordem, enquanto Saul a desconsiderou. Por diversas vezes tentou contra a vida de Davi, sabendo que ele era ungido, ou seja, escolhido de Deus. Davi sabia disso em relação a Saul e mesmo tendo por diversas vezes a vida de Saul em suas mãos e, tendo várias oportunidades de acabar com seu reinado para assumir seu lugar em seguida, Davi não desobedeceu a ordem de Deus e jamais tocou no seu ungido, sendo ele mesmo ungido por Deus. A diferença entre esses dois é um ponto que merece nossa reflexão. Também nós podemos escolher ser como Davi ou ser como Saul. Davi obedeceu sempre à ordem de Deus e preferiu deixar em Suas mãos a própria proteção do que agir em defesa própria ou por vingança. Saul, ao contrário, não confiou que Deus estaria à frente de Seus reinado e agiu conforme seu coração, deixando a inveja, a ingratidão e a insensatez comandarem seus atos. Por várias vezes teve a prova de que Davi não era seu inimigo, mas o respeitava acima de tudo porque reconhecia nele um ungido de Deus. Mesmo se arrependendo aparentemente ao perceber isso, Saul em pouco tempo se esquecia de quem era Davi e não reconhecia nele uma índole obediente e servil, incapaz de desonrar os votos de fidelidade e lealdade ao rei. Muitos são como Saul preferem perseguir a quem lhe é leal e fiel, mesmo depois de reconhecerem que poderiam ter agido de forma diferente quando se encontravam fragilizados e vulneráveis ao ataque inimigo. Muitos veem nas pessoas que lhe fieis e leais um inimigo, assim como Saul enxergava a Davi. A grande lição dessa história é que Davi sempre prevaleceu porque era leal e obediente ao passo que Saul foi derrotado pelo próprio temperamento, porque não soube ser leal e grato aos que assim agiam com ele. Davi é considerado o maior rei que Israel já teve. É chamado amigo de Deus e reconhecido e referenciado por dar origem à linhagem de Jesus. Saul foi o primeiro rei, o primeiro ungido, conhecido por tramar contra o ungido do Senhor, reconhecido e derrotado por sua inveja, deslealdade e ingratidão. Com quem você gostaria de ser comparado. Lembre-se de que os dois eram ungidos. Os dois tiveram oportunidades de escolher como reinariam, mas cada um trilhou um caminho.  Qual é a sua escolha?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!