Traduza este blog

quarta-feira, 25 de abril de 2012


 “Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca” (Apocalipse 3:16)

Quem  crê integralmente na palavra de Deus como preceito de fé e conduta não pode cumprir só uma parte dela. O cristão que honra o nome e palavra do Senhor não vive uma vida ambígua e tem uma postura única diante da Igreja, de Deus e de Sua palavra. Quem  afirma que a Bíblia é a vontade de Deus deve concordar que toda e não apenas uma parte da Bíblia é verdadeira. Assim, não pode agir de acordo com uma parte apenas ignorando outras. Se a  palavra de Deus diz em Mateus 19:19 “Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo”, então, o verdadeiro cristão não pode ignora seus pais e negligenciar seus irmãos.  Assim como não pode defraudar a pessoa com quem negocia, não pode desonrar um compromisso, seja ele de negócio ou pessoal. Quem segue a palavra de Deus trata o próximo da mesma forma como gostaria que fosse tratado, lembrando que o próximo é amigo, o irmão, o companheiro, aquele com quem divide a casa, o espaço de trabalho, até mesmo o motorista que lhe ultrapassa imprudentemente, o vizinho que o aborrece. Em Marcos 12:30 está escrito: “Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento”. Mas quem primeiro satisfaz as concupiscências da carne, veste a camisa de seu time, cumpre seus compromissos com os amigos e quando sobra um tempo vai cumprir sua “obrigação” de cristão não apenas ignora a palavra de Deus como não pode se afirmar cristão, pois cristão de verdade não se autodenomina, mas age como tal, de forma que as pessoas o reconhecem sem que se autoproclame.
Está escrito em Mateus 18: 21b-22 “... Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete. Nenhum  cristão autêntico, batizado em nome de Jesus, membro do corpo da Sua Igreja, perdoa apenas de boca e continua agindo como um gentio, pois perdoar é relevar as falhas, as quais todos estamos sujeitos, é dar nova chance, assim como Jesus fez conosco. Perdoar não é apenas pronunciar palavras e manter as mesmas atitudes.  Perdoar não é esquecer o mal que foi feito, mas não deixar que essas lembranças orientem a vida do ofendido. Está escrito em Gálatas 5:19 “Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia”. E aquele que  não vê problema algum em “pular a cerca”, em ter contatos íntimos com mulheres que mal conhece, que não enxerga nada errado em assistir a vídeos pornográficos, a fazer parte de comunidades de encontros extraconjugais, a levar para o seu leito a primeira pessoa que encontra, antes mesmo de saber se essa é a vontade de Deus, pode até ter a Bíblia como livro de cabeceira, mas não como sua conselheira.  Quem não se incomoda em participar de rodas de piadas imorais, quem banaliza as relações, quem não  respeita os votos de fidelidade não age como filho de Deus, pois filho é aquele aceita a repreensão do Pai e não segundo as normas do mundo, mas Daquele que o criou para viver uma vida plena e em santidade. O Senhor afirma que não aceitará aquele é morno, que tem aparência de cristão, mas age como mundano, que ora está na Igreja, ora está na roda dos escarnecedores. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!