Traduza este blog

quinta-feira, 10 de novembro de 2011



Estes são murmuradores, queixosos da sua sorte, andando segundo as suas concupiscências, e cuja boca diz coisas mui arrogantes, admirando as pessoas por causa do interesse. (Judas 1:16)

Amado (a), a Bíblia nos mostra porque muitas pessoas, por mais que busquem, não encontram a felicidade almejada. É possível verificar em casos bem próximos a nós quanta infelicidade se origina em um caráter desconfiado ou infiel. A falta de perdão, o orgulho, a teimosia, a persistência nos mesmos erros. Tudo isso é causa de infelicidade. Vemos quanto sofrimento é originado do egoísmo, porque cada um quer viver só para si. E quantas pessoas vivem infelizes porque carregam uma culpa tão grande, um fardo tão pesado que não os deixam avançar em nenhum propósito. Essas pessoas podem até ser bem intencionadas, fazem planos, mas não conseguem concluir, ou viver o que propõem. Davi reconheceu certa vez no Salmo 38 4-10: "Pois já se elevam acima da minha cabeça as minhas iniqüidades; como fardos pesados, excedem as minhas forças. Sinto-me encurvado e sobremodo abatido, ando de luto o dia todo. Estou aflito e mui quebrantado; dou gemidos por efeito do desassossego do meu coração. Bate-me excitado o coração, faltam-me as forças".
A felicidade não é alguma coisa distante, difícil se ser alcançada. É mais simples do imaginamos e não depende dos outros, mas da nossa forma de reagirmos diante das circunstâncias. Quantas pessoas aparentemente têm tudo o que precisam, mas não estão satisfeitas! Estão sempre frustradas e em busca de algo mais. Não é difícil constatar que na vida dessas pessoas falta o essencial: a comunhão com Deus. Pode-se verificar também que não liberam perdão. E ter de conviver com constante sentimento de culpa significa ser infeliz. O ser humano procura preencher esse vazio de alguma forma. Alguns se atiram em aventuras. Outros exacerbam a sexualidade, são inconstantes na relações, trocam de par como se trocassem um objeto. Não conseguem estabilidade profissional, por mais inteligente ou capazes que sejam. Muitos até conseguem fazer carreira, planejam sua vida nos mínimos detalhes e buscam segurança de todas as formas. Mas seu coração continua infeliz e nada preenche o seu vazio ou altera a sua insatisfação. Precisamos entender que a felicidade que Jesus nos dá não é um constante "andar nas nuvens", mas é a certeza de estarmos abrigados nEle. Quem segue a Jesus, um servo de Deus não é poupado de todos os sofrimentos. Contudo, sabe que a felicidade consiste exatamente em aceitar que, no meio de todo sofrimento, estamos ancorados em Jesus Cristo. A Bíblia diz: "Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor de todas o livra" (Salmos 34.19). Todo filho de Deus tem uma esperança viva que o sustém. E no final, todo verdadeiro cristão estará livre do todo sofrimento e verá ao Senhor Jesus assim como Ele é. Por isso o Salmo 1:1-3 diz sobre a verdadeira felicidade: “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará”.
Graça e Paz!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!