Traduza este blog

quinta-feira, 20 de outubro de 2011



O amor nunca falha; (1 Coríntios 13:8 a)




Amado(a), a sociedade atual tem patrocinado as relações movidas por paixão e outros sentimentos tão fugazes quanto intempestivos. O que se apregoa por aí é o “seja infinito enquanto dure”, “a fila anda”, “antes mal acompanhado do que só”, dentre outros. Mas não é exatamente isso o que a Bíblia diz sobre o amor. A Bíblia retrata o amor de duas maneiras: “phileo”, que denota amizade; e “agapao”, que denota intensidade e afeição no sentido moral e social. Na concepção geral, o amor é um sentimento autônomo e que governa a mente, a vontade e as emoções das pessoas e assim acontece, vem e vai conforme lhe aprouver. Por isso, aqueles que enfrentam crise no casamento, costumam alegar que o amor esfriou e que, uma vez que isso aconteceu não há mais porque manter a relação. Mas, segundo a Bíblia, o amor não é uma chama que se apaga por si só. Ele deve ser fruto de uma decisão em nossa vida, por isso é selado com uma aliança. Contudo, na visão do mundo aliança é apenas um adorno e para muitos nem precisaria ser de metal durável. Pela sua inutilidade bem poderia ser de um material descartável. Como símbolo de um compromisso, a aliança deveria ser entendida como a confirmação da ordem do Senhor sobre o amor: deve ser cultivado e mantido. O amor no casamento é fruto de uma decisão e não pode ser banalizado, como as relações mundanas. Se a decisão de amar vem acompanhada da benção divina não há crise que perdure. E isso significa que todos os dias a relação deve ser entregue nas mãos de Deus, assim como todas as decisões e os projetos de um casal. Deus precisa participar dessa decisão desde o início e se de fato Ele unir, o homem jamais poderá separar .
Graça e Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!