Traduza este blog

quinta-feira, 29 de setembro de 2011




tropeçaram, e não houve quem os ajudasse. (Salmos 107:12)




Amado(a), algo muito comum nas crianças é a chamada “transferência de responsabilidade”. Elas fazem isso quando percebem que fizeram algo errado e para não serem punidas colocam a culpa em outro. Até mesmo em seres imaginários. É uma etapa do desenvolvimento infantil e deve acabar com uma certa idade. Contudo, ocorre que, em muitos adultos, essa etapa do processo não acaba. Isso significa que, mesmo que a idade avance, amadurecimento não segue a idade cronológica. É triste observar que o ser humano tem uma incrível capacidade de não assumir suas responsabilidades ou de tentar justificá-las de qualquer forma. Reconhecer o erro é uma virtude e é o primeiro passo para se redimir. Mas deixar de assumir a responsabilidade por um erro cometido e imputa-la a outro, tentando se justificar não é novidade debaixo do céu e não é só coisa de criança. Vemos isso desde Gênesis , mas vemos também as conseqüências que essas atitudes trouxeram ao homem. Ao primeiro e ao resto da humanidade.
Seria bom refletirmos obre isso, aprendendo com o erro do primeiro homem, e, fazerndo uma analogia com o processo de amadurecimento do homem, com a própria humanidade, vamos compreender que Adão era imaturo, assim como a humanidade que acabava de nascer dele. Mas hoje, passado tanto tempo, depois do nascimento, vida, morte e ressurreição do segundo Adão não há sentido em que os homens continuem na imaturidade e que não aprendam com seus erros, justificando-se ou passando-os a outrem. Vemos ainda que a atitude de quem comete um erro, desobedecendo às ordens de Deus leva a ações semelhantes à do primeiro casal. Adão e Eva se esconderam de Deus. Deus faz uma pergunta para Adão, qual foi sua resposta? Ele disse que teve medo e se escondeu por estar nu. Isso ainda acontece: quando nos sentimos confrontados com nossos erros, se não estivermos amadurecidos o suficiente para assumirmos a culpa e buscarmos o arrependimento e o perdão, a mais primitiva reação é a de nos escondermos de Deus, colocarmos a culpa em quem está próximo. E é obvio que as conseqüências virão, principalmente se não confessarmos os nossos pecados. O grande risco que corremos quando vivemos na imaturidade e insistimos em permanecer no erro, colocando a nossa culpa nos outros é o de tropeçarmos e não mais encontrar quem nos ajude, como diz o salmista.
Amado(a), eis por que temos que assumir nossas responsabilidades, seja elas quais forem. Assumir a responsabilidades faz parte do caráter que Cristo aprova.
Graça e Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!