Traduza este blog

domingo, 18 de setembro de 2011



“O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia” (Provérbios 28:13).


Amado(a),há uma relação estreita entre pecado e culpa, e saúde física e mental. A culpa muitas vezes leva à depressão e muitas são as doenças psicossomáticas, que originadas na mente desencadeiam no corpo sintomas e feridas. Isso não significa que são doenças imaginárias, ao contrário, elas debilitam o corpo e trazem muita dor. É claro que nem todas as doenças são originárias de pecado não confessado. Mas muitas são provenientes daquilo que retemos, quando deixamos de dar lugar ao Espírito de Deus para nos ocuparmos do que não edifica. Quando damos lugar ao pecado, à magoa, ao sentimento de derrota, ao desejo de vingança ou à rebeldia contra a palavra de Deus e às orientações de Seus enviados, deixamos um espaço aberto para a formação em nossa mente de vácuos que se transformam em doenças no corpo. A culpa que carregamos pelo erro, pela desobediência vai tomando a forma de depressão, que se agrava mais ainda quando encontra a pessoa afastada do remédio que é a palavra de Deus.
Ninguém está isento de viver momentos de dor, ou de se angustiar, mas esses momentos não precisam se transformar em depressão. Se tivermos ancorados na Rocha firme, com toda certeza encontraremos o abrigo nas Asas do Altíssimo, porque o Senhor nos garante pela Sua infinita misericórdia que Ele estará sempre com aquele que escolhe buscar a libertação. Sabemos que o pecado pode derrubar até os mais fortes, por isso não devemos em hipótese alguma brincar com ele, pois certamente colheremos no corpo e na alma as suas conseqüências. O que o sábio nos ensina é buscar o arrependimento e nisso a experiência de Davi nos ajuda a entender claramente como o arrependimento prepara o caminho para a vitória sobre o pecado. Ele cometeu adultério e um homicídio. Foi o Espírito Santo que o convenceu de seu erro. Ao reconhecê-lo, Davi não tentou ocultá-lo. Entristeceu-se pelo seu pecado, foi específico em sua confissão e não suplicou apenas por perdão, mas clamou a Deus por um coração puro “cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto” (Salmos 51:10). E nós, como Davi, devemos buscar em Deus a força necessária para nos libertamos do ciclo de pecado e culpa e isso só será possível se tivermos um coração aberto para aceitar as orientações dos profetas de Deus , como fez Davi diante de Natã.
Graça e Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!