Traduza este blog

segunda-feira, 20 de junho de 2011



E Simão Pedro estava ali, e aquentava-se. Disseram-lhe, pois: Não és também tu um dos seus discípulos? Ele negou, e disse: Não sou. (João 18:25)




Amado(a), há pessoas que têm tudo para dar certo, mas vemos em seu percurso que fazem das oportunidades recebidas o oposto do que as levariam ao sucesso. Essas pessoas, mesmo sem merecimento próprio encontram quem lhes dê espaço, credibilidade, apoio, até mesmo honra, mas ao menor sinal de ascensão viram as costas a quem lhes deu suporte. Negam quem lhes abriu as portas, ignoram quem lhes apoiou quando sequer eram vistos. Mas a história mostra que, tendo tudo para dar certo essas pessoas que assim agem acabam se dando mal. Judas teve as mesmas oportunidades e escolheu virar as costas para o Mestre. Pedro também negou a quem seguiu. A diferença é que ele pode repensar sua negligência. Depois de negar Jesus pela terceira vez o galo cantou, cumprindo a profecia de Cristo e isso fez com que relembrasse as palavras de seu Senhor. Nem todos conseguem ouvir o cantar do galo (a consciência), quando negam aqueles que lhe estenderam a mão. Quando a consciência do pecador não o acusa, há algo muito errado. Se a consciência está cauterizada pelos costumes pecaminosos (1 Timóteo 4:2), a pessoa não reage como Pedro: toma uma posição e com verdadeiro arrependimento muda de postura. O que ocorre é um remorso tardio que não leva à mudança, mas apenas à imersão na consciência do próprio erro que corrói e deprime, mas não transforma. Judas não agiu como Pedro. Uma das coisas mais assustadoras na vida do servo de Deus é de poder pecar contra Deus sem sentir nada. A consciência inútil é sintoma de enfermidade ou até de morte espiritual.
Quando Pedro negou a Jesus pela terceira vez, o Senhor olhou para ele (Lucas 22:60-61). É isso que acontece: quando pecamos, Jesus olha para nós, também (Hebreus 4:13). Não podemos esconder nossos pecados do Senhor, ainda que o façamos diante de outras pessoas. Podemos até enganar a nós mesmos, achando alguma justificativa para os nossos próprios pecados, mas jamais esconderemos o nosso pecado de Deus. Ele vê tudo, e julgará a todos.
Quando Jesus olhou para Pedro ele viu a repreensão e a condenação por sua atitude pecaminosa porque Jesus não aprova o erro. Mas, com toda certeza Pedro enxergou também o amor de Jesus e seu desejo de reconciliar-se com ele e a vontade do Senhor de trazê-lo de volta à comunhão com ele. É assim que Ele age conosco. É assim que cristãos verdadeiros também agem: desaprovam o erro, mas abrem espaço para a reconciliação originada no verdadeiro arrependimento.
Amado(a), se persistirmos no pecado, precisamos sentir a repreensão e até a rejeição. Mas o pecador arrependido encontra na pessoa de Jesus a vontade de perdoar e reconciliar-se. Jesus nos ama, e quer nos salvar eternamente. É essencial enxergar a compaixão e amor no olhar dele. Graça e Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!