Traduza este blog

sexta-feira, 4 de junho de 2010


“Serei misericordioso para com suas iniquidades e de seus pecados e suas prevaricações não me lembrarei mais” (Hebreus 8:12).

Amado(a), este é um dos versículos que falam sobre o perdão, sobre a misericórdia de Deus com aqueles que pecaram. Várias são as passagens bíblicas que falam da superação pelo perdão, uma bênção maior que alcança o perdoador, bem mais do que ao ofensor arrependido. Jesus disse que devemos perdoar pelo menos setenta vezes sete ao nosso irmão, pois, não existem limites para o perdão. Foi o que Jesus quis dizer quando Pedro lhe perguntou até quando deveria perdoar seu irmão, se até sete vezes. E Jesus responde: “Eu lhe digo: Não até sete, mas até setenta vezes sete". Mateus 18: 21-35. Deus é sensível a um coração contrito e arrependido, mas percebemos que muitas pessoas têm uma grande dificuldade de perdoar a si próprias. Quantas pessoas vemos que sentem remorso, se dizem arrependidas, mas não se libertam de uma culpa sem sentido. É claro que os erros não devem ser ignorados ou banalizados, entretanto, devem servir de lição para nós, mas assim como não podemos reter o pecado alheio, sobretudo, não devemos reter o nosso, pois faz mal para a nossa vida.
Devemos livrar de tudo que nos faz mal, curar a ferida que mais dói, curar nossa vida emocional, perdoar a quem de alguma forma nos ofendeu, mas a verdadeira cura só ocorrerá quando fizermos as pazes com a gente mesmo.
Para usufruirmos dessa vida plena que o Pai nos concede, é necessário a prática do amor e da reconciliação, mas a reconciliação conosco mesmo é fundamental para quem pretende viver em plenitude. Se observarmos o segundo mandamento veremos que ele nos ensina a amar ao próximo como a nós mesmos. Como amar o outro se não nos amamos? Se não nos perdoarmos verdadeiramente, como perdoar o irmão?
Amado(a), leia o recado de Deus para a nossa vida. Se arrependermos do fundo do coração de algum mau ato praticado, recorremos a Deus com o coração sincero e Ele, em sua infinita misericórdia, nos perdoa e esquece nossas transgressões: Isaías 1.18 confirma: “Vinde então, e argüi-me, diz o SENHOR: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.”
Graça e Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!