Traduza este blog

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma. 1 Coríntios 6:12





A questão posta pelo apóstolo Paulo nos leva a refletir sobre o nosso cotidiano, quando nos deparamos com situações diante das quais nos perguntamos como agir. O cristão genuíno procura direcionar sua vida pautado pela Bíblia, como Palavra de Deus, mas nem sempre encontra respostas práticas ou diretas para o que é e o que não é permitido na igreja, sobre o que seria pecado ou não. Paulo não diz especificamente o que podemos ou não fazer, entretanto nos aponta o caminho para discernirmos a partir dos princípios de Deus e daquilo que para Ele é mais importante. Assim, diante de qualquer assunto se fizermos três perguntas básica teremos um indicativo de como agir: 1-Isso nos edifica? Se o que pretendemos fazer não nos acrescenta nada de bom a nós nem ao próximo, se não nos aproxima de Deus, tampouco nos deixará em paz, que proveito terá? 2- Isso convém? Ser conveniente é tão importante quanto saber o que fazer. Precisamos discernir o que deve fazer parte e o que não deve da nossa vida, em todos os aspectos: nosso comportamento social, nosso vocabulário em casa, no trabalho, nas redes sociais; nossa forma de vestir e de nos apresentar publicamente, no trabalho, nas ruas, na igreja... 3- Isso me domina? Quando Paulo diz: "mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas" ele está nos alertando sobre a importância que damos aos nossos atos. Somos livres para fazer ou deixar de fazer qualquer coisa que legalmente nos é permitido, mas fazemos algo porque não temos domínio sobre a nossa vontade, então isso não pode ser bom. Precisamos nos lembrar de que somos livres para escolher, mas escravos de nossas escolhas.
Qual é o homem que teme ao Senhor? Ele o ensinará no caminho que deve escolher. Salmos 25:12

Vejam o vídeo a seguir:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!