Traduza este blog

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido. Jó 42:2



Sobre a história de Jó sabemos que ele era um homem com um caráter íntegro, um crente exemplar, mesmo tendo que sofrer provações e perdas; Deus foi soberano sobre todos os acontecimentos em sua vida e mesmo diante dos sofrimentos que ele teve que passar, a mão de Deus estava sobre ele controlando tudo com um propósito específico. No entanto os seus amigos, em vez confortarem-no, o que falavam e consideravam como “palavras de sabedoria”, na verdade depunha contra Deus, quando buscavam argumentar sobre as razões do sofrimento de Jó e tentaram explicar o porquê desse sofrimento. Em seus discursos, os amigos não acusaram a Deus, mas a Jó. Eles argumentavam que o culpado do sofrimento é Jó e que Deus é justo. Porém, Deus, no final, considerou as acusações equivocadas dos amigos de Jó como acusações diretas a Ele mesmo. Os amigos de Jó, em vez de o consolarem, buscaram repreendê-lo e acusá-lo, achando que fazendo isto salvariam a vida de Jó, mas eles criam na doutrina da retribuição terrena, que, infelizmente, ainda prevalece como princípio hoje para muitos cristãos. Contudo, Deus usa a história de Jó e seu sofrimento para mostrar a sua soberania, o seu poder para tornar o mal em bem, para controlar os desígnios do inimigo e para se manifestar com maior grandeza ainda na vida de Jó. Sem essa compreensão, e com a ideia equivocada do princípio da retribuição muitos cristãos se abalam e se desviam da fé por causa de sofrimentos momentâneos pelos quais passam, supondo que Deus se esqueceu deles e outros julgam o próximo, quando veem o eu sofrimento e acham que se trata de um castigo de Deus. A história de Jó nos ensina que não devemos julgar alguém que está padecendo, e sim consolar os corações abalados e confortar as vidas que sofrem dificuldades, lembrando-nos o que disse João:


“E nisto conheceremos que somos da verdade, bem como, perante ele, tranquilizaremos o nosso coração; pois, se o nosso coração nos acusar, certamente, Deus é maior do que o nosso coração e conhece todas as coisas. Amados, se o coração não nos acusar, temos confiança diante de Deus” (1. João 3:19-21).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!