Traduza este blog

domingo, 15 de março de 2015

Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Efésios 6:11


Paulo nos ensina que devemos evitar as tentações para não sermos presos pelo que pode parecer inocente aos nossos olhos. Com a história de Davi e Bate-Seba, aprendemos que, por mais inocentes que possam parecer, toda atitude leva a consequências. Ainda que fosse desprezada pelo marido, a exposição a outro homem fez com Bate Seba se tornasse alvo do pecado e ela não pode se isentar deste fato, ainda que não tenha compactuado com a estratégia de Davi para que seu marido fosse morto posteriormente. Vemos que se o marido tivesse aceitado a proposta de Davi de ir para casa e ficar com sua mulher, poderia ter assumido o filho do adultério. Mas isso também seria um grave pecado porque seria fruto de uma mentira. Aprendemos com essa história que o pecado nunca é satisfeito. Quanto mais nos familiarizamos com ele, mais ele se acomoda a nós. E um pecado leva a outro. Quanto mais somos condescendentes com ele, mais o desejamos e assim fica mais fácil desculpá-lo, até ser escravizado por ele. Por isso Jesus afirmou: "Todo o que comete pecado é escravo do pecado". Davi poderia ter resistido aos apelos da carne, desviando o olhar, ou comportando-se como fez José sob a sedução da mulher de Potifar, mas escolheu pecar. Bate-Seba, por sua vez não se opôs à sedução de Davi. Com ela aprendemos que nossa forma de reagir aos olhares, nossa forma de nos apresentar ou de nos vestir determinam também a forma como as pessoas reagem a nós. Nossas palavras, nosso vestuário, nossa linguagem corporal falam sobre nós. Precisamos estar cientes de quais mensagens estamos enviando aos outros por nossa forma de falar, de vestir e de nos expor. Façamos os que nos Tiago 4:7
 “Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!