Traduza este blog

sábado, 21 de março de 2015

“Agora, pois, temei ao Senhor, e servi-o com sinceridade e com verdade; e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais além do rio e no Egito, e servi ao Senhor. Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor. (Josué 24:14-15)


A consagração é um pacto ou compromisso de reconhecimento. Desde o início, Deus instituiu um compromisso de reconhecimento, que se estabelecia com o simbolismo da devolução. Vários personagens bíblicos nos lembram da importância deste ato de entrega e de reconhecimento. Noé ao sair da arca, levou a Deus as suas primícias, Abel agradou a Deus com sua entrega, Abraão entregou seu filho primogênito. O próprio Deus entregou seu filho unigênito para nossa libertação. Consagração significa uma entrega completa, porque quem faz a obra é o Senhor. Vemos a dimensão disso na história de Samuel. Ele foi consagrado por todos os dias de sua vida. Ana, sua mãe, o entregou ao serviço do Senhor e desde menino ele foi usado por Deus. Precisamos aprender que não importa a idade, conhecimento intelectual, força ou compleição física. É a unção que vai fazer a diferença. Samuel escolheu consagrar sua vida, sua casa, sua família ao Senhor. Nós também podemos fazer como ele e agir como nos ensinou Salomão em Provérbios 3:9-10
“Honra ao SENHOR com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos; E se encherão os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!