Traduza este blog

domingo, 30 de novembro de 2014

Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra estas cousas não há lei. (Gálatas 5:22-23)








Em carta aos Gálatas, Paulo inventaria as características de um homem que tem o fruto do Espírito. É interesse observar que, embora seja uma lista, ela vem com um verbo no singular. Há um fruto e não frutos. E esse fruto desencadeia uma série de virtudes. Isso significa que um é intrínseco ao outro. Uma das virtudes intrínsecas a quem tem o fruto do Espírito é a longanimidade: caráter da pessoa que suporta as adversidades e que prossegue no seu empenho, apesar dos obstáculos. Quem tem longanimidade tem grandeza de ânimo, é benigno, complacente, indulgente, corajoso, generoso, paciente, resignado, ou seja, é uma pessoa que tem um longo ânimo. O que significa no popular ter pavio longo, que não explode com facilidade, sabe esperar o momento certo para falar ou agir sem reagir ou explodir em ira quando provocado. Infelizmente, nos dias de hoje, o nosso ânimo se tornou muito pequeno para tudo. As pessoas têm pressa para tudo, e os jovens não querem esperar para conquistar as bênçãos, por isso tantas brigas, corrupção, assaltos, maracutaias, e até mesmo as “inofensivas” fura-filas. Por isso tantas brigas e acidentes no trânsito, no trabalho, com nossos filhos, com os vizinhos, com amigos e até com quem não conhecemos. Tudo por causa do “pavio curto.” Trocando em miúdos, falta a longanimidade da qual nos fala o apóstolo. Longanimidade faz parte das virtudes que obtemos quando permitimos que o Espírito Santo de Deus habite em nós. Para que o fruto do Espírito cresça em nós, devemos nos unir a Ele. Devemos conhecê-lo, amá-lo, lembrá-lo e acima de tudo imitá-lo. A Palavra de Deus nos fala claramente que só conseguiremos dar frutos se verdadeiramente permitirmos que o Espírito Santo venha fazer morada em nosso coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!