Traduza este blog

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Se eu atender à iniqüidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá; Salmos 66:18


O salmista, consciente de sua limitação e de sua inclinação ao pecado, sabia que Deus não pactua com o erro, nem faz concessão aos que transgridem, mas é misericordioso e ama o pecador, mesmo abominando o pecado. Ele não ouve, nem atende a quem age com maldade, ou de forma egoísta. Mas àquele que não dá espaço ao pecado o Senhor ouve e responde.  Essa confiança tinha o salmista, pois viveu a experiência do pecado e do perdão de Deus, quando sinceramente se arrependeu. Essa certeza nos devemos ter sabendo que, se nosso coração não nos condena, Ele ouvirá as nossas súplicas. Assim como o salmista, quantos não viveram a experiência de pedir e esperar que Deus o atendesse em vão? Com toda certeza não era a vontade de Deus deixar de atender, mas a brecha deixada pelo pecado oculto, pelo pedido egoísta, pelo desrespeito ao irmão. Deus não atende a que vive em iniquidade, a quem defrauda o próximo, a quem não honra seus compromissos, a quem pede de forma leviana. Ele é Deus de justiça e equidade e jamais deixará de ser. Mas se agirmos com sinceridade e com equidade Ele ouvirá as nossas súplicas.
ós fomos criados com o propósito de servir a Deus, como afirma o apóstolo Paulo em Efésios “fomos predestinados para filhos de adoção por Jesus Cristo, para Ele mesmo, segundo a Sua vontade, para louvor e glória da Sua graça e, através dessa graça, nos fez agradáveis a Ele mesmo em Jesus”. Assim, precisamos entender que fomos criados para sermos agradáveis a Deus, e não para satisfazermos os nossos   desejos. É claro que Deus se agrada quando estamos felizes, mas a nossa felicidade deve estar centrada no objetivo de  dar prazer a Deus. Quantas vezes gastamos nosso tempo e nossas energias tentando agradar aos outros.  E para isso até mesmo fazendo coisas que não gostamos. Tudo isso para sermos aprovados ou para conseguir que os outros gostem de nós, quando deveríamos saber que o importante é agradar a Deus e para isso precisamos apenas fazer ou aprovar o que é agradável ao Senhor. Quando andamos em obediência a Sua palavra, sem procurar desvios e para agradar a Deus temos aprender a confiar Nele, pois a confiança é requisito básico para qualquer relacionamento. Quando confiamos e obedecemos fazemos sorrir a Deus.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!