Traduza este blog

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Tendo-as despedido, subiu ao monte para orar à parte. Ao anoitecer, estava ali sozinho. Mateus 14:23


Jesus orava sempre e é Nele que devemos nos espelhar, com Ele devemos aprender. E uma das lições é esta: antes de fazer escolhas devemos orar. Não podemos tomar decisões sem buscar em Deus a resposta. Muitos acabam se frustrando em suas escolhas justamente porque agiram por conta própria, sem buscar em oração a devida orientação de Deus. Isso vale para as escolhas pessoais, profissionais ou espirituais. Escolher um namorado, uma esposa, uma carreira, mudar de emprego ou de Igreja não podem ser decisões por impulso, por emoção ou por carências. Deus precisa direcionar essas escolhas e isso pressupõe dobrar os joelhos, jejuar e aguardar a resposta certa na hora certa. Quem se precipita colhe as consequências da impulsividade. Jesus orou para escolher seus doze discípulos. Ele orou para tomar essa decisão e isso nos mostra que devemos seguir Seu exemplo. Antes de fazer a escolha, passou a noite em oração. Quem passa a noite em oração recebe poder para atravessar as águas. Metaforicamente elas significam os nossos problemas. Os problemas se transformam em um tapete e podemos caminhar por cima deles como ocorreu naquela noite com Jesus caminhou sobre as águas, depois de passar a noite em oração. Quantas vezes saltamos da cama para a rotina do dia a dia sem orar a Deus. Mas Ele quer que façamos como Jesus. Antes de o dia clarear, devemos buscar o nosso lugar deserto, em um momento a sós com Deus.  Vemos em Lucas 3:21 que Jesus orava para receber poder “Quando todo o povo fora batizado, tendo sido Jesus também batizado, e estando ele a orar, o céu se abriu”. Toda vez que oramos o Céu se abre, foi isso que Jesus nos ensinou com essa palavra. A oração é a chave da bênção É isso que acontece também na vida daqueles que são amados pelo Pai, daqueles que obedecem ao Senhor Jesus. Quando fazemos a vontade de Jesus, o Pai nos ama e nos abençoa. Mas é preciso perseverar até o fim. Isso faz aquele que ama a Deus.  As bênçãos se multiplicam na vida de quem ora. Vemos em Mateus  14: 19 que para fazer a multiplicação Jesus orou “E, tendo mandado que a multidão se assentasse sobre a erva, tomou os cinco pães e os dois peixes, e, erguendo os olhos ao céu, os abençoou, e, partindo os pães, deu-os aos discípulos, e os discípulos à multidão”. Jesus nos ensina por meio da parábola do juiz iníquo e a viúva pobre a orar sempre sem desfalecer até obtermos a resposta as nossas orações. Nessa história, Ele usou como exemplo os dois extremos: a pessoa mais pobre e a pessoa mais poderosa da cidade. O que vemos nesta parábola a persistência vencendo as barreiras e isso nos faz refletir sobre a importância de insistirmos em oração. Ainda que nos julguemos insignificantes, assim como aquela viúva, podemos incomodar Aquele que tudo pode e que vai dar ordens ao nosso respeito, porque para Deus nada é impossível. João 14:13 nos ensina a quem e como orar. Precisamos pedir ao Pai e em nome de Jesus. Essa é a chave para abrir as portas. Deus é o juiz. A Ele devemos pedir, em nome de Jesus. É simples e eficaz. Quem ora a Deus, em nome de Jesus e faz a Sua vontade é amado do Pai  e Dele recebe as bênçãos, conforme afirma João 14:21 “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele”. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!