Traduza este blog

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Mas seu pai recusou, e disse: Eu o sei, meu filho, eu o sei; também ele será um povo, e também ele será grande; contudo o seu irmão menor será maior que ele, e a sua descendência será uma multidão de nações. Gênesis 48:19

Esse trecho trata da bênção de Jacó aos filhos de José, após o seu reencontro com o filho que esteve ausente da família, governando o Egito, enquanto o pai o tinha por morto. A Bíblia conta que José teve dois filhos, antes que se acabasse os sete anos de fartura previsto por ele em sonhos.  “E chamou José ao primogênito Manassés, porque disse: Deus me fez esquecer de todo o meu trabalho, e de toda a casa de meu pai. E ao segundo chamou Efraim; porque disse: Deus me fez crescer na terra da minha aflição”. (Gênesis 41:51-52). De acordo com a tradição, Jacó deveria abençoar primeiro a Manasses, por ser o primogênito e  depois Efraim o segundo filho, mas ele escolheu abençoar primeiro o menor. O que pode parecer  um descuido, ou um engano por conta da visão turva de Jacó que já era bastante idoso, se analisado à luz da simbologia bíblica, quando vemos que nada é sem um propósito, mostra-se  com um sentido que deve nos chamar a atenção: Deus sempre teve preferência pelo menor e não pelo maior. A própria história de Jacó nos remete a isso, mas as semelhanças não param por aí. Efraim era o menor e biblicamente isso é  significativo. No Reino de Deus o menor é sempre o maior. Deus não se trabalha com quem já é grande, ou que pensa ser grande. Deus trabalha com quem se coloca na posição menor. Quantos exemplos na Bíblia nos levam a essa conclusão!  Davi foi o menor dos irmãos e foi o escolhido para ser  o maior dos reis de Israel. Belém era a menor cidade de Israel, a de menor importância e foi  a escolhida para receber o Salvador. A Galileia era o menor estado e foi para lá que Jesus foi iniciar seu ministério. Saulo de perseguidor dos cristãos tornou-se Paulo, cujo nome significa “pequeno”, do menor dos apóstolos, acabou sendo o maior, sem que tivesse essa pretensão.  Jesus afirmou em Lucas 14:11 “Porquanto qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado” e Ele mesmo seguiu esse principio. Foi rebaixado até o pó da terra, sendo obediente até o fim e por isso Deus o exaltou dando lhe um nome acima de todo nome, para que toda língua confesse que Ele é o Senhor. O que a palavra de Deus nos ensina é que não precisamos parecer grandes diante dos homens, mas se nos reconhecermos pequenos Deus nos fará crescer, assim como fez a Efraim, mesmo na maior aflição. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!