Traduza este blog

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

O apetite do trabalhador trabalha por ele, porque a sua fome o incita a isso. Provérbios 16:26




Salomão nos ensina por meio de uma alegoria. Ele nos mostra que a necessidade nos faz agir, mas quando não temos a orientação de Deus agimos por nossa conta. A Bíblia relata vários exemplos nos quais a necessidade fez com que as pessoas agissem de forma insensata. Em 2 Reis 6:29 vemos que a fome levou duas mulheres ao ato insano de canibalismo: “Cozemos, pois, o meu filho, e o comemos; mas dizendo-lhe eu ao outro dia: Dá cá o teu filho, para que o comamos; escondeu o seu filho.” A necessidade faz com que as pessoas pratiquem loucuras, quando estão longe da orientação do Senhor. A abstinência da droga faz com que seus dependentes roubem, matem, prostituam... Assim como aquelas mulheres que praticaram canibalismo motivadas pela fome que assolava o país em que viviam não perceberam a insanidade de seus atos enquanto os praticavam, toda necessidade desconectava da condução de Deus também cega as pessoas de tal modo que elas não percebem a loucura que fazem.  O ser humano que não busca a Deus é como um animal, perde o sentido da vida e age apenas em busca de satisfações carnais. Tem fome e busca a saciedade, tem desejos e não mede as consequências para satisfazê-los. É um eterno insatisfeito, não é feliz em nada, está sempre em busca de algo que o complete. Está sempre insatisfeito, infeliz, incompleto. Faz planos, mas não os realiza. Se realiza, não se satisfaz.  A necessidade não tem limites. Vemos isso não só na Bíblia, mas em vários exemplos cotidianos. Quanto mais bens e poder tem uma pessoa sem Deus, mais ela quer, e essa necessidade de poder e de riqueza faz com que ela se corrompa cada vez mais. A fome de poder jamais é saciada e assim como aquelas mulheres que não perceberam a loucura de comer a carne do próprio filho para saciar a premente necessidade de alimento para se manterem vivas, essas pessoas agem como animais irracionais e não percebem a loucura de seus atos, matam, roubam, enganam e julgam que isso é necessário. Continuam sem se saciar, num ciclo sem fim, enquanto não conhecem aquele que diz em João 6:48 “Eu sou o pão da vida”. Estarão sempre famintos enquanto não entenderem o que afirma Jesus em João 6: 33 “... o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!