Traduza este blog

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013



Jesus, porém, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: Todo o reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda a cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá. (Mateus 12:25)

 Jesus nos alerta para uma defesa contra os ataques do nosso verdadeiro inimigo, lembrando-nos de que nossa luta não é contra a carne e o sangue, mas contra o diabo que se vale de nossas brechas e fraquezas para minar nossas forças e conseguir seu intento: destruir nossas almas. Mesmo que ele tente o tempo todo nos iludir com suas artimanhas, como um grande estrategista que conhece a arte da guerra, ele busca nos dividir para diminuir nossas forças. Ele faz isso colocando-nos contra os nossos aliados, contra aqueles que poderiam ser nosso suporte. Para isso, planta a semente da desconfiança, da discórdia, da fofoca, da dúvida. Ele primeiro nos coloca contra aqueles a quem poderíamos nos aliar no caso de um pedido de socorro. Assim, tira a nossa confiança, e nos faz sentir diminuídos. Depois de conseguir dividir as nossas forças, ele nos faz sentir impotentes para reagir, criando assim uma dependência dele, mantendo o seu jugo, crendo que não há mais saída, certos de que não podemos mais contar com aqueles a quem abandonamos. A maneira mais eficiente de reagirmos a isso é contra atacar usando as suas estratégias como  defesa. Se ele nos conhece e também conhece a palavra, precisamos conhecer o nosso inimigo  Jesus nos ensina uma estratégia para vencer o nosso oponente: não deixar que o inimigo divida as nossas forças. Assim, não podemos nos afastar dos  verdadeiros amigos, não dar as costas aos nossos  líderes e não menosprezar suas palavras. Se você está em meio a uma batalha, a melhor política é desintegrar as alianças do inimigo por meio da diplomacia. Lembre-se: não adianta lutar com as mesmas armas. Arme-se da palavra de Deus e some as forças em vez de dividir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!