Traduza este blog

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012


E Jacó deu pão a Esaú e o guisado de lentilhas; e ele comeu, e bebeu, e levantou-se, e saiu. Assim desprezou Esaú a sua primogenitura. Gênesis 25:34

Neste trecho, Moisés narra o conhecido episódio protagonizado pelos gêmeos Jacó e Esaú, quando esse último vendeu ao seu irmão o direito à bênção da primogenitura. Esse  direito era de Esaú, porque embora tivesse sido gerado junto com Jacó, teve a fortuna de nascer antes de seu irmão. Mas daí em diante, ambos tiveram as  mesmas oportunidades. A grande diferença entre suas histórias se deu em razão das escolhas que fizeram. Esaú, que, pela tradição, tinha o direito natural de primogenitura, desprezou a bênção, trocando-a por um prato de lentilhas. Ele poderia ter optado por conter o desejo de se alimentar e não barganhar um bem precioso por algo passageiro. Quantas pessoas trocam a oportunidade de uma vida em abundância por um desejo passageiro e quantas não abrem mão da vida eterna no Reino de Deus por algo terreno. A Bíblia mostra que satanás está sempre atento a essas brechas e sempre estará disposto a fazer a troca.  Terá sempre à disposição uma oferta que sacia o desejo imediato, mas que trará sérias consequências na vida daquele que precipita em aceitar a barganha.  Nesse propósito, satanás se aproveitará de uma necessidade nossa, no caso de Esaú,  a fome.  Esse  momento da necessidade é sempre oportuno para a tentação. Quantos não se vendem por uma necessidade imediata:  dinheiro, carência afetiva... Ele se aproveita da possibilidade de uma solução. Para Esaú  um prato de lentilhas, mas terá sempre uma “solução” enganosa para muitos problemas humanos. E essa solução para suprir a necessidade, sempre envolve a prática do pecado.  A tentação de buscar recursos de uma forma desonesta, tomar dinheiro emprestado e não pagar, roubar ou se apropriar do que não é devido. Sexo ilícito, corrupção, negócio ilegal... A mesa do inimigo (I Cor.10.21) contém os “banquetes” que o mundo oferece. A oferta do inimigo sempre terá um preço. Para Esaú foi o direito de primogenitura. Em geral o inimigo é hábil no comércio (Ez.28.16,18) e o homem empenha o que tem e o que não tem para usar agora e pagar depois, assim como o cartão de crédito. Aparentemente é viável, a tentação é grande, mas o preço é alto demais.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!