Traduza este blog

domingo, 11 de novembro de 2012



Maná: Palavra Diária para Edificação
Agora, pois, seja o temor do SENHOR convosco; guardai-o, e fazei-o; porque não há no SENHOR nosso Deus iniqüidade nem acepção de pessoas, nem aceitação de suborno. 2 Crônicas 19:7
E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas; Mas que lhe é agradável aquele que, em qualquer nação, o teme e faz o que é justo. Atos 10:34,35

No texto de Atos, vemos o que já estava registrado em 2 Crônicas e que Pedro reconheceu publicamente uma maravilhosa verdade “Deus não faz acepção de pessoas", Ele ama a todos os homens com o mesmo amor e não quer que ninguém se perca, mas que todos se arrependam dos seus pecados, e conheça a verdade para que sejam salvos. Contudo, usando essa verdade, muitos distorcem esse ensino, afirmando que Cristo morreu por todos, e por isso todos são salvos indistintamente, independente do que fizerem. Acreditam que se Deus não faz acepção de pessoas, não pode ter escolhido uns e rejeitado  outros e que não pode ter morrido na cruz apenas para salvar uma parte da humanidade. Esses, equivocadamente, afirmam que o caráter expiatório favoreceu a todos os homens indistintamente.  Para esses, todos serão salvos, até mesmo o diabo e seus anjos, e o inferno é uma simples metáfora das contradições existentes na criação. Há os que afirmam que o inferno não existe literalmente e que é tão somente uma condição vivida momentaneamente pelos homens aqui mesmo na terra. Mas a Bíblia afirma que somos salvos pela graça, e não por mérito pessoal, não como fruto do esforço humano, mas pela aceitação individual e espontânea do sacrifício de Jesus, pois nenhuma justiça própria pode dar a salvação. "mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo" [Tt 3.5]. Vários versículos confirmam que nem todos são eleitos, apesar de Deus não fazer acepção de pessoas. Em João 1:10-12 isso fica bem explícito “Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome;” Em Marcos 10:24 lemos: “E os discípulos se admiraram destas suas palavras; mas Jesus, tornando a falar, disse-lhes: Filhos, quão difícil é, para os que confiam nas riquezas, entrar no reino de Deus!”  Em 1 João 3:10: “Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo. Qualquer que não pratica a justiça, e não ama a seu irmão, não é de Deus”. Em 1 João 3:2 a expressão “agora somos”mostra que nem sempre éramos. Mas somos a partir de então: “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos.”
O que precisamos ter em mente sempre é que somos salvos pela graça, por ela somos libertos, mas em nome dela não podemos justificar nossos pecados. Cristo nos libertou e por isso mesmo somos livres para escolher entre a porta larga e a estreita, mas somos também responsáveis pelas consequências de nossas escolhas e não estamos livres de pagar o preço delas.

                                                                                                                                    


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!