Traduza este blog

domingo, 25 de outubro de 2009

“A mulher virtuosa é a coroa do seu marido, mas a que o envergonha é como podridão nos seus ossos.”(Provérbios 12: 4)



Amado (a), é interessante notarmos como, em vários textos do livro de e Provérbios, Salomão se dedica a apresentar a mulher, segundo os princípios de Deus. Ele afirma que ela precisa ser discreta, que deve ser virtuosa, pois, caso contrário, toda beleza ou ornamento, por mais rico que seja, nela, será inútil. O sábio rei atribui à mulher uma grande responsabilidade em relação à integridade da família e ao sucesso do marido. Se a mulher é sabia e se comporta com retidão e equilíbrio, a casa é edificada e o sacerdote do lar é honrado, sendo reconhecido na sociedade. Mas se ela se comporta de forme torpe, vulgar ou imprópria, o lar é maculado, a família aviltada e o marido ultrajado diante dos homens.
Entretanto, nesse mundo em que vigora a distorção de valores, em que o que se prega é a conduta imoral e fora dos princípios bíblicos, se não há discernimento e sabedoria no momento de se escolher a companheira, o resultado, certamente, é a falência da família, a desagregação moral e a vergonha. E, como afirma Salomão, os ossos apodrecem. Essa alegoria nos leva a pensar em ossos como estrutura, como base que firma a pessoa e que a sustenta. Isso significa também que a mulher é uma coluna. E se a coluna está podre, a casa desmorona.
A mulher equilibrada mantém o lar em pé, por isso a Bíblia enaltece o papel da mulher na edificação do lar e na retaguarda do esposo, como fundamento de apoio ao sacerdote do lar. Amado(a), se você encontrou essa coluna, valorize-a. Dê a ela o valor apregoado em
Graça e Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!