Traduza este blog

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Quando te incitar teu irmão, filho da tua mãe, ou teu filho, ou tua filha, ou a mulher do teu seio, ou teu amigo, que te é como a tua alma, dizendo-te em segredo: Vamos, e sirvamos a outros deuses que não conheceste, nem tu nem teus pais;Dentre os deuses dos povos que estão em redor de vós, perto ou longe de ti, desde uma extremidade da terra até à outra extremidade;Não consentirás com ele, nem o ouvirás; nem o teu olho o poupará, nem terás piedade dele, nem o esconderás; (Deuteronômio 13:6-8)



Deus sempre nos permite escolher, por isso devemos ficar atentos aos bons testemunhos antes de fazer nossas escolhas para que não venhamos a colher os frutos amargos das consequências de darmos ouvidos a pessoas erradas. Devemos escolher cuidadosamente os nossos amigos, evitando amizades que nos levariam ao pecado; valorizar amigos que nos corrigem quando erramos; cortar amizades que prejudicam a nossa vida espiritual, especialmente quando os "amigos" incentivam o pecado e nos desviam dos princípios de Deus. Tanto na Bíblia, como na mídia ou em nossos locais de convívio vemos exemplos de pessoas seguem uma vida errada e se desviam dos bons propósitos porque se deixam enganar por companhias erradas. Paulo mostrou aos coríntios que, mesmo dentro das igrejas é imprescindível evitar as influências negativas. Nem todos que estão nas igrejas vivem em santidade. Assim como no tempo dos coríntios, a igreja ainda é um lugar de pessoas em busca de tratamento. Isso significa que o fato de estar ou de frequentar uma igreja não faz instantaneamente com que essa pessoa esteja livre de influências negativas ou que seja uma pessoa espiritualmente liberta. Eis porque precisamos pedir a Deus o discernimento para identificarmos o que vem do Senhor e o que nos afasta Dele. O fato de alguém participar de uma igreja ou se dizer cristão não é garantia de uma amizade saudável e edificante, porque não são poucos os casos em que enganadores se apropriam do rótulo de cristão para induzir outros a crer que podem ser seguidos. Moisés avisou sobre parentes e amigos que incentivam os servos de Deus a servir outros deuses e mandou que não concordassem, nem ouvissem, nem olhassem com piedade para aqueles falsos professores. E Jesus nos ensina em Mateus 7:15-20 a julgar a árvore pelos frutos, retendo o que é bom e nos abstendo de toda forma de mal, como reforça Paulo em 1 Tessalonicenses 5:21-22.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos o seu comentário!